SlideShare uma empresa Scribd logo
Poliedro
     Poliedro é um sólido limitado externamente por planos no espaço R³. As regiões planas
poligonais que limitam este sólido são as faces do poliedro. As interseções das faces são as arestas
do poliedro. As interseções das arestas são os vértices do poliedro. Cada face é uma região
poligonal contendo n lados.




     Definição: Poliedro é uma reunião finita de polígonos planos chamados de faces onde:
         1. Cada lado de um desses polígonos é também lado de um, e apenas um outro polígono.
         2. A interseção de duas faces quaisquer ou é um lado comum, ou é um vértice ou é vazia.
             Cada lado de um polígono comum a exatamente duas faces, é chamado uma aresta do
             poliedro e cada vértice de uma face é um vértice do poliedro.
Exemplo de não poliedro.
Poliedros convexos:
     Todo poliedro limita uma região do espaço chamada de interior desse poliedro. Dizemos que
um poliedro é convexo se o seu interior é convexo.
     Definição de convexo: “um conjunto C, do plano ou do espaço, diz-se convexo, quando
qualquer segmento de reta que liga dois pontos de C esta inteiramente contido em C”
     Definição: Um poliedro é convexo se qualquer reta o corta em no Maximo, dois pontos.
     Observação: A reunião das faces de um poliedro convexo é denominada superfície poliédrica
fechada
     Poliedros convexos são aqueles cujos ângulos formados por planos adjacentes têm medidas
menores do que 180 graus.
     Abaixo, veja mais exemplos de poliedros convexos e suas planificações:
Abaixo, veja mais exemplos de poliedros não convexos.




Duas Desigualdades Importantes (para poliedros convexos);

V(numero de vértices)                        F(faces)                       A(arestas)

   1. 2A ≥ 3F

   2. 2A ≥ 3V

Relação de Euler
         Para todos poliedros convexos vale a seguinte relação;

V(numero de vértices)                        F(faces)                       A(arestas)

                            V+F=A+2                 ou            V-A+F=2

         Essa relação foi descoberta e demonstrada pelo matemático suíço Leonhard Euler (1707-
1708).

         Observação: Todo poliedro convexo é euleriano, mas nem todo poliedro euleriano é
convexo.

Poliedro A                             Poliedro D                  Poliedro E
V-                                                    V-
                               V    A    F                                            V   A     F
                                              A+F Exe                                               A+F
tetraedro                      4    6    4      2   mpl prisma de base triangular     6    9    5        2
cubo                           8   12    6      2   os.   prisma de base pentagonal 10 15 12             2
octaedro                       6   12    8      2   A     prisma de base n-gonal      2n 3n n+2          2
dodecaedro                     20 30     12     2   bola pirâmide de base quadrada    5    8    5        2
icosaedro                      12 30     20     2   de    pirâmide de base
                                                                                      7   12    7        2
poliedro A                     12 18     8      2    fute hexagonal
                                                     bol
poliedro D                    16 32 16          0         pirâmide de base n-gonal   n+1 2n n+1          2
                                                     que
                                                          poliedro E                  28 60 30           -2
apareceu pela primeira vez na copa de 70 foi inspirada em
um conhecido poliedro convexo formado por 12 faces pentagonais e 20 faces hexagonais, todas regulares.
Pergunta-se quantos vértices possui tal poliedro.



Temos 12 faces pentagonais e 20 faces hexagonais no total de 32 faces F=32.

Encontrar o numero de arestas do poliedro A (arestas):

2A=5F 5 +6F 6 =5*12+6*20=180

A=90

Como o poliedro e convexo vale a relação de Euler V-A+F=2, de onde concluímos que V=60.
Poliedros de Platão
Um poliedro é chamado poliedro de Platão quando satisfaz três condições:

   1. Condição: Todas as faces têm o mesmo número (n) de arestas. n.F=2A

   2. Condição: Todos os vértices são pontos em que concorre o mesmo número (m) de arestas.
        m.V=2A

   3. Condição: O poliedro é euleriano, isto é, V - A + F = 2.

Observação: Existem cinco, e somente cinco, tipos de poliedros de Platão.




    m           n          A         V          F                 Nome


    3            3         6          4          4               tetraedro


    3            4        12          8          6               hexaedro


    4            3        12          6          8               octaedro


    3            5        30         20         12           dodecaedro


    5            3        30         12         20               icosaedro
Poliedros regulares
       Um poliedro convexo é regular quando:
•        Suas faces são polígonos regulares e congruentes.
•        Em todos os seus vértices concorre o mesmo número de arestas.
       Num poliedro regular, percebe-se imediatamente que:
•        Todas as faces têm o mesmo número de arestas (pois as faces são congruentes);
•        Todos os vértices são pontos em que concorre o mesmo número de arestas;
•        O poliedro é euleriano (pois é convexo).
       Assim, todo poliedro regular é poliedro de Platão. Por isso, existem cinco tipos de poliedros
       regulares:




Tetraedro              hexaedro       octaedro            dodecaedro           icosaedro

Teorema. Existem apenas cinco poliedros regulares convexos.

Para demonstrar, seja n o numero de lados de cada face e seja p o numero de arestas que concorrem
                                                 nF      nF
em cada vértice. Temos 2A=nF=pV ou A=               e V=    .
                                                  2       p


                                             nF nF
Substituindo na relação de Euler obtemos        -   +F=2
                                              p   2


           4p
F=                 .                   2p+2n-np<0
     2 p + 2n − pn


Como p ≥ 3, chegamos a n < 6. As possibilidades são então as seguintes:

                 4p                                           4p
. n = 3 → F=                                   n = 5 → F=
                6− p                                        10 − 3 p


               2p
n = 4 → F=
              4− p
Prismas


                                   Definição e Elementos


Prisma é um poliedro convexo tal que duas faces são polígonos congruentes situados em planos
paralelos e as demais faces são paralelogramos.




                              Nomenclatura e Classificação


Os prismas recebem nomes de acordo com os polígonos das bases.



Assim:

• um prisma é triangular quando suas bases são triângulos;

• um prisma é quadrangular quando suas bases são quadriláteros;

• um prisma é pentagonal quando suas bases são pentagonais;

• um prisma é hexagonal quando suas bases são hexagonais.

...

Quando as arestas laterais de um prisma forem perpendiculares aos planos das bases, o prisma é
chamado de reto; caso contrário, de oblíquo.
 .
Exemplos




                                           Cubo


                               Definição e Elementos
  Cubo é um prisma em que todas as faces são quadradas. O cubo é um prisma quadrangular
                   regular cuja altura é igual à medida da aresta da base.




O cubo da figura tem arestas de medida l, então,


   • as diagonais de suas faces medem l     , pois são diagonais de quadrados de lados com
                                    medidas iguais a l.
• as diagonais do cubo medem l   , pois:




                                     Assim:
Paralelepípedos


                                      Definição


Chamamos de paralelepípedo o prisma cujas bases são paralelogramos; dessa forma, todas as
                    faces de um paralelepípedo são paralelogramos.


Exemplos




                            Paralelepípedo Reto Retângulo
Diagonais de um paralelepípedo retângulo


No paralelepípedo da figura com dimensões a, b e c, sejam d1 e d, as diagonais da face ABCD
                          e do paralelepípedo, respectivamente.




                                No triângulo ABC, temos:


                                    AC2 = AB2 + BC2
                                        ou então,




                                No triângulo ACG, temos:
                                   AG2 = AC2 + CG2


                                         ou então,




                                Como                , temos:
                                   d2 = a2 + c2 + b2 ou
Exercícios resolvidos:
(VUNESP – 07) Calcular o volume de um paralelepípedo retângulo, sabendo que suas
     dimensões são proporcionais a 9, 12 e 20, e que a diagonal mede 100 m.




                                     Resolução


                                 d2 = a2 + b2 + c2


                          1002 = (20k)2 + (12k)2 + (9k)2


                                   1002 = 625k2


                             Assim, 25k = 100      k=4


                             Então, a = 20 · 4 = 80 m


                                     b = 12 · 4 = 48 m


                                      c = 9 · 4 = 36 m


                             V = a · b · c = 80 · 48 · 36
(Fuvest-SP) Dois blocos de alumínio, em forma de cubo, com arestas medindo 10 cm e 6
cm, são levados juntos à fusão e em seguida o alumínio líquido é moldado como um
paralelepípedo reto de arestas 8 cm, 8 cm e x cm. O valor de x é:
  a) 16 m            d) 19 m
  b) 17 m            e) 20 m
  c) 18 m


                                         Resposta: D
      Pelo enunciado, o volume do paralelepípedo é igual à soma dos volumes dos cubos.
                                           Assim,


                                      8 · 8 · x = 63 + 103


                                      64 x = 216 + 1 000


                                    64 x = 1 216    x = 19
  (Mackenzie-SP) Um prisma regular triangular tem todas as arestas congruentes e 48 m2
de área lateral. Seu volume vale


  a) 16 m3      d)

  b) 32 m3      e)
  c) 64 m3




  Resolução
(Mackenzie-SP 2000) Se a soma dos ângulos internos de todas as faces de um prisma é 6
                         480°, então o número de lados da base do prisma é


   a) 8          d) 12
   b) 9          e) 15
   c) 10




   Resolução


   Sendo n o número de lados da base do prisma, então este possui n faces laterais
 quadrangulares e duas faces que são polígonos de n lados. Portanto, a soma dos
 ângulos internos de todas as sua faces é
   n · 360° + 2 · (n – 2) · 180°


   Conseqüentemente,
   n · 360° + 2 · (n – 2) · 180° = 6 480°   n = 10


   Resposta: C

O conceito de pirâmide

     Pirâmides

                                                          Consideremos um polígono contido em
                                                     um plano (por exemplo, o plano horizontal) e
                                                     um ponto V localizado fora desse plano. Uma
                                                     Pirâmide é a reunião de todos os segmentos que
                                                     têm uma extremidade em V e a outra num ponto
                                                     qualquer do polígono. O ponto V recebe o nome
                                                     de vértice da pirâmide.




     Exemplo: As pirâmides do Egito, eram utilizadas para sepultar faraós, bem como as pirâmides
no México e nos Andes, que serviam a finalidades de adoração aos seus deuses. As formas
piramidais eram usadas por tribos indígenas e mais recentemente por escoteiros para construir
barracas.
Elementos de uma pirâmide

     Em uma pirâmide, podemos identificar vários elementos:




     Base: A base da pirâmide é a região plana poligonal sobre a qual se apoia a pirâmide.

     Vértice o vértice da pirâmide: é o ponto isolado P mais distante da base da pirâmide.

     Eixo: Quando a base possui um ponto central, isto é, quando a região poligonal é simétrica ou
regular, o eixo da pirâmide é a reta que passa pelo vértice e pelo centro da base.

     Altura: Distância do vértice da pirâmide ao plano da base.

     Faces laterais: São regiões planas triangulares que passam pelo vértice da pirâmide e por dois
vértices consecutivos da base.

     Arestas Laterais: São segmentos que têm um extremo no vértice da pirâmide e outro extremo
num vértice do polígono situado no plano da base.

     Apótema: É a altura de cada face lateral.

     Superfície Lateral: É a superfície poliédrica formada por todas as faces laterais.

     Aresta da base: É qualquer um dos lados do polígono da base.

     Clã
ssificação das pirâmides pelo número de lados da base


           triangular           quadrangular           pentagonal           hexagonal




           base:triângulo       base:quadrado          base:pentágono       base:hexágono




     Pirâmide Regular reta

     Pirâmide regular reta é aquela que tem uma base poligonal regular e a projeção ortogonal do
vértice V sobre o plano da base coincide com o centro da base.


                                                   R           raio do circulo circunscrito


                                                   r           raio do círculo inscrito


                                                   l           aresta da base


                                                   ap          apótema de uma face lateral


                                                   h           altura da pirâmide


                                                   al          aresta lateral


         As faces laterais são triângulos isósceles congruentes


     Às vezes podemos construir fórmulas para obter as áreas das superfícies que envolvem um
determinado sólido. Tal processo é conhecido como a planificação desse sólido. Isto pode ser
realizado se tomarmos o sólido de forma que a sua superfície externa seja feita de papelão ou algum
outro material.
No caso da pirâmide, a idéia é tomar uma tesoura e cortar (o papelão d)a pirâmide exatamente
sobre as arestas, depois reunimos as regiões obtidas num plano que pode ser o plano de uma mesa.




     As regiões planas obtidas são congruentes às faces laterais e também à base da pirâmide.

     Analise do livro

     O livro e muito bom por sinal apresenta muitas ilustrações exemplos e exercícios trazendo
sempre exemplos para explicar e tentar ajudar o aluno no decorrer do conteúdo.

     Porem o livro começa tacando os poliedros e exemplos do mesmo mais não define nada
formalmente deixando o conteúdo em aberto assim também acontece com conexos e relação de
Euler. O livro também não trás os sólidos de Platão entrando direto nos poliedros regulares não
mostrando ao aluno que existem os sólidos de Platão e todos são poliedros regulares.

     Em pirâmide e prismas o livro também não define e nem constrói a relações corretamente
deixando sempre o conteúdo em aberto mas tenta por exemplos defini pirâmides e prismas sem
nem uma construção ou definição apropriada para a serie.

     Em poliedros o livro comete alguns erros de não trazer as notações antes de utilizaras podendo
deixar o aluno confuso ou sem saber que A,F,V são as arestas faces e vértices do poliedro.

     No geral o livro e muito bom trazendo muitos exemplos exercícios e planificações do
conteúdo a bordado e apropriado como material de auxilio pedagógico.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

05 area das figuras planas
05 area das figuras planas05 area das figuras planas
05 area das figuras planas
Antonio Lucimar Pasolini
 
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
ProfCalazans
 
Lista de exercício com propriedades de radicais
Lista de exercício com propriedades de radicaisLista de exercício com propriedades de radicais
Lista de exercício com propriedades de radicais
alunosderoberto
 
Adivinhas 2
Adivinhas 2Adivinhas 2
Adivinhas 2
Prof. Materaldo
 
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
Ilton Bruno
 
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
alanpegado
 
Atividades sobre grau - minutos - segundos
Atividades sobre   grau - minutos - segundosAtividades sobre   grau - minutos - segundos
Atividades sobre grau - minutos - segundos
Claudiana Watanabe Vargas
 
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitasSistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
tioheraclito
 
Miniteste do 8º e 9º ano
Miniteste do 8º e 9º anoMiniteste do 8º e 9º ano
Miniteste do 8º e 9º ano
alunosderoberto
 
Exercícios sobre angulos; rectas...
Exercícios sobre angulos; rectas...Exercícios sobre angulos; rectas...
Exercícios sobre angulos; rectas...
Joao Ferreira
 
Círculo e circunferência
Círculo e circunferênciaCírculo e circunferência
Círculo e circunferência
mariacferreira
 
Geometria espacial de posição
Geometria espacial de posiçãoGeometria espacial de posição
Geometria espacial de posição
ELIZEU GODOY JR
 
Exercícios de matemática revisão
Exercícios de matemática   revisãoExercícios de matemática   revisão
Exercícios de matemática revisão
Fabiana Gonçalves
 
Revisão 8º ano (bim 4º bim)
Revisão 8º ano (bim 4º bim)Revisão 8º ano (bim 4º bim)
Revisão 8º ano (bim 4º bim)
Talita mmzt
 
Solidos exercicios resolvidos
Solidos exercicios resolvidosSolidos exercicios resolvidos
Solidos exercicios resolvidos
Helena Borralho
 
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e ProporçãoLista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
Everton Moraes
 
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
Ilton Bruno
 
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
Leonel Benedito Belatable da Silva
 
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
Ilton Bruno
 
Operações com frações algébricas
Operações com frações algébricasOperações com frações algébricas
Operações com frações algébricas
azuljunior
 

Mais procurados (20)

05 area das figuras planas
05 area das figuras planas05 area das figuras planas
05 area das figuras planas
 
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
prof.Calazans(Geom.plana) - Polígonos(20 questões resolvidas)
 
Lista de exercício com propriedades de radicais
Lista de exercício com propriedades de radicaisLista de exercício com propriedades de radicais
Lista de exercício com propriedades de radicais
 
Adivinhas 2
Adivinhas 2Adivinhas 2
Adivinhas 2
 
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
 
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
{92 d944d5 511c-465b-add5-fa2b516fc1e0}-exercícios de reforço - medidas de vo...
 
Atividades sobre grau - minutos - segundos
Atividades sobre   grau - minutos - segundosAtividades sobre   grau - minutos - segundos
Atividades sobre grau - minutos - segundos
 
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitasSistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
Sistemas Lineares 2equacoes 2incognitas
 
Miniteste do 8º e 9º ano
Miniteste do 8º e 9º anoMiniteste do 8º e 9º ano
Miniteste do 8º e 9º ano
 
Exercícios sobre angulos; rectas...
Exercícios sobre angulos; rectas...Exercícios sobre angulos; rectas...
Exercícios sobre angulos; rectas...
 
Círculo e circunferência
Círculo e circunferênciaCírculo e circunferência
Círculo e circunferência
 
Geometria espacial de posição
Geometria espacial de posiçãoGeometria espacial de posição
Geometria espacial de posição
 
Exercícios de matemática revisão
Exercícios de matemática   revisãoExercícios de matemática   revisão
Exercícios de matemática revisão
 
Revisão 8º ano (bim 4º bim)
Revisão 8º ano (bim 4º bim)Revisão 8º ano (bim 4º bim)
Revisão 8º ano (bim 4º bim)
 
Solidos exercicios resolvidos
Solidos exercicios resolvidosSolidos exercicios resolvidos
Solidos exercicios resolvidos
 
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e ProporçãoLista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
 
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
 
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
Apostila de matrizes (9 páginas, 40 questões, com gabarito)
 
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
 
Operações com frações algébricas
Operações com frações algébricasOperações com frações algébricas
Operações com frações algébricas
 

Destaque

Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
Karla Silva
 
Exercícios de poliedros
Exercícios de poliedrosExercícios de poliedros
Exercícios de poliedros
Matemática de Graça
 
Geometria Espacial
Geometria EspacialGeometria Espacial
Geometria Espacial
Antonio Carneiro
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
(9) geometria espacial ix pdf
(9) geometria espacial   ix pdf(9) geometria espacial   ix pdf
(9) geometria espacial ix pdf
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
(3)geometria espacial iii
(3)geometria espacial   iii(3)geometria espacial   iii
(3)geometria espacial iii
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Prismas
PrismasPrismas
Apostila analise combinatoria
Apostila analise combinatoriaApostila analise combinatoria
Apostila analise combinatoria
con_seguir
 
Revista Educatrix - Ed.05
Revista Educatrix - Ed.05Revista Educatrix - Ed.05
Revista Educatrix - Ed.05
Editora Moderna
 
Conexoes com a matematica vol2 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol2 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol2 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol2 - slides complementares - planejamento inter...
Editora Moderna
 
A diagonal do cubo
A diagonal do cuboA diagonal do cubo
A diagonal do cubo
Ornisandro
 
Ap mat em questoes gabarito 001 resolvidos
Ap mat em questoes gabarito  001 resolvidosAp mat em questoes gabarito  001 resolvidos
Ap mat em questoes gabarito 001 resolvidos
trigono_metrico
 
Conexoes com a matematica vol3 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol3 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol3 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol3 - slides complementares - planejamento inter...
Editora Moderna
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
luisresponde
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
Paulo Alexandre
 
Prismas e áreas
Prismas e áreasPrismas e áreas
Prismas e áreas
iran rodrigues
 
Geometria Espacial - Elizabeth Justo
Geometria Espacial - Elizabeth JustoGeometria Espacial - Elizabeth Justo
Geometria Espacial - Elizabeth Justo
Elizabeth Justo
 
Conexoes com a matematica vol1 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol1 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol1 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol1 - slides complementares - planejamento inter...
Editora Moderna
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
con_seguir
 

Destaque (20)

Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
Exercícios de poliedros
Exercícios de poliedrosExercícios de poliedros
Exercícios de poliedros
 
Geometria Espacial
Geometria EspacialGeometria Espacial
Geometria Espacial
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
(9) geometria espacial ix pdf
(9) geometria espacial   ix pdf(9) geometria espacial   ix pdf
(9) geometria espacial ix pdf
 
(3)geometria espacial iii
(3)geometria espacial   iii(3)geometria espacial   iii
(3)geometria espacial iii
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
Prismas
PrismasPrismas
Prismas
 
Apostila analise combinatoria
Apostila analise combinatoriaApostila analise combinatoria
Apostila analise combinatoria
 
Revista Educatrix - Ed.05
Revista Educatrix - Ed.05Revista Educatrix - Ed.05
Revista Educatrix - Ed.05
 
Conexoes com a matematica vol2 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol2 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol2 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol2 - slides complementares - planejamento inter...
 
A diagonal do cubo
A diagonal do cuboA diagonal do cubo
A diagonal do cubo
 
Ap mat em questoes gabarito 001 resolvidos
Ap mat em questoes gabarito  001 resolvidosAp mat em questoes gabarito  001 resolvidos
Ap mat em questoes gabarito 001 resolvidos
 
Conexoes com a matematica vol3 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol3 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol3 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol3 - slides complementares - planejamento inter...
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
Prismas e áreas
Prismas e áreasPrismas e áreas
Prismas e áreas
 
Geometria Espacial - Elizabeth Justo
Geometria Espacial - Elizabeth JustoGeometria Espacial - Elizabeth Justo
Geometria Espacial - Elizabeth Justo
 
Conexoes com a matematica vol1 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica   vol1 - slides complementares - planejamento inter...Conexoes com a matematica   vol1 - slides complementares - planejamento inter...
Conexoes com a matematica vol1 - slides complementares - planejamento inter...
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 

Semelhante a Poliedro

poliedros
 poliedros poliedros
poliedros
Adriana Cunha
 
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
con_seguir
 
Prisma_e_pirâmide.pptx
Prisma_e_pirâmide.pptxPrisma_e_pirâmide.pptx
Prisma_e_pirâmide.pptx
AntnyoAllysson
 
Poliedros E Prismas02
Poliedros E Prismas02Poliedros E Prismas02
Poliedros E Prismas02
lianeazzolinchiavenato
 
Poliedros regulares
Poliedros regularesPoliedros regulares
Poliedros regulares
Regina Pereira
 
Noções sobre poliedros
Noções sobre poliedrosNoções sobre poliedros
Noções sobre poliedros
clenyo Richard guerra
 
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
JesrraelSantos1
 
Poliedros jneto
Poliedros jnetoPoliedros jneto
Poliedros jneto
joaquim6891
 
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdfCAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
AdrianoLima144545
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
Rodrigo Costa
 
Poligono concavos
Poligono concavosPoligono concavos
Poligono concavos
pso2510
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Geométria espacial autor antonio carlos carneiro barroso
Geométria espacial  autor antonio carlos carneiro barrosoGeométria espacial  autor antonio carlos carneiro barroso
Geométria espacial autor antonio carlos carneiro barroso
Antonio Carneiro
 
Apostila 003 geometria espacial
Apostila  003 geometria espacialApostila  003 geometria espacial
Apostila 003 geometria espacial
con_seguir
 
06 geometria espacial
06 geometria espacial06 geometria espacial
06 geometria espacial
resolvidos
 
Geometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSONGeometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSON
PROFESSOR GLEDSON GUIMARÃES
 
Poliedros de platão
Poliedros de platãoPoliedros de platão
Poliedros de platão
Karla Silva
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
Rodrigo Carvalho
 
poligono.pptx......................................
poligono.pptx......................................poligono.pptx......................................
poligono.pptx......................................
Fernandabranco8
 
Poliedros regulares
Poliedros regularesPoliedros regulares
Poliedros regulares
Regina Pereira
 

Semelhante a Poliedro (20)

poliedros
 poliedros poliedros
poliedros
 
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
09 eac proj vest mat módulo 2 geometria espacial
 
Prisma_e_pirâmide.pptx
Prisma_e_pirâmide.pptxPrisma_e_pirâmide.pptx
Prisma_e_pirâmide.pptx
 
Poliedros E Prismas02
Poliedros E Prismas02Poliedros E Prismas02
Poliedros E Prismas02
 
Poliedros regulares
Poliedros regularesPoliedros regulares
Poliedros regulares
 
Noções sobre poliedros
Noções sobre poliedrosNoções sobre poliedros
Noções sobre poliedros
 
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
APRESENTENÇÃO DE POLIEDROS E PRISMAS (GP)
 
Poliedros jneto
Poliedros jnetoPoliedros jneto
Poliedros jneto
 
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdfCAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
CAP 4 - POLIEDROS E GEOMETRIA DE POSIÇÃO.pdf
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
Poligono concavos
Poligono concavosPoligono concavos
Poligono concavos
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
Geométria espacial autor antonio carlos carneiro barroso
Geométria espacial  autor antonio carlos carneiro barrosoGeométria espacial  autor antonio carlos carneiro barroso
Geométria espacial autor antonio carlos carneiro barroso
 
Apostila 003 geometria espacial
Apostila  003 geometria espacialApostila  003 geometria espacial
Apostila 003 geometria espacial
 
06 geometria espacial
06 geometria espacial06 geometria espacial
06 geometria espacial
 
Geometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSONGeometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSON
 
Poliedros de platão
Poliedros de platãoPoliedros de platão
Poliedros de platão
 
Poliedros
PoliedrosPoliedros
Poliedros
 
poligono.pptx......................................
poligono.pptx......................................poligono.pptx......................................
poligono.pptx......................................
 
Poliedros regulares
Poliedros regularesPoliedros regulares
Poliedros regulares
 

Mais de con_seguir

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
con_seguir
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
con_seguir
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
con_seguir
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
con_seguir
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
con_seguir
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
con_seguir
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
con_seguir
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
con_seguir
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
con_seguir
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
con_seguir
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
con_seguir
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
con_seguir
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
con_seguir
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
con_seguir
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
con_seguir
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
con_seguir
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
con_seguir
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
con_seguir
 
Divisibilidade
DivisibilidadeDivisibilidade
Divisibilidade
con_seguir
 
Dicas de matematica numeros curiosos
Dicas de matematica numeros curiososDicas de matematica numeros curiosos
Dicas de matematica numeros curiosos
con_seguir
 

Mais de con_seguir (20)

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
 
Divisibilidade
DivisibilidadeDivisibilidade
Divisibilidade
 
Dicas de matematica numeros curiosos
Dicas de matematica numeros curiososDicas de matematica numeros curiosos
Dicas de matematica numeros curiosos
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 

Poliedro

  • 1. Poliedro Poliedro é um sólido limitado externamente por planos no espaço R³. As regiões planas poligonais que limitam este sólido são as faces do poliedro. As interseções das faces são as arestas do poliedro. As interseções das arestas são os vértices do poliedro. Cada face é uma região poligonal contendo n lados. Definição: Poliedro é uma reunião finita de polígonos planos chamados de faces onde: 1. Cada lado de um desses polígonos é também lado de um, e apenas um outro polígono. 2. A interseção de duas faces quaisquer ou é um lado comum, ou é um vértice ou é vazia. Cada lado de um polígono comum a exatamente duas faces, é chamado uma aresta do poliedro e cada vértice de uma face é um vértice do poliedro. Exemplo de não poliedro.
  • 2. Poliedros convexos: Todo poliedro limita uma região do espaço chamada de interior desse poliedro. Dizemos que um poliedro é convexo se o seu interior é convexo. Definição de convexo: “um conjunto C, do plano ou do espaço, diz-se convexo, quando qualquer segmento de reta que liga dois pontos de C esta inteiramente contido em C” Definição: Um poliedro é convexo se qualquer reta o corta em no Maximo, dois pontos. Observação: A reunião das faces de um poliedro convexo é denominada superfície poliédrica fechada Poliedros convexos são aqueles cujos ângulos formados por planos adjacentes têm medidas menores do que 180 graus. Abaixo, veja mais exemplos de poliedros convexos e suas planificações:
  • 3. Abaixo, veja mais exemplos de poliedros não convexos. Duas Desigualdades Importantes (para poliedros convexos); V(numero de vértices) F(faces) A(arestas) 1. 2A ≥ 3F 2. 2A ≥ 3V Relação de Euler Para todos poliedros convexos vale a seguinte relação; V(numero de vértices) F(faces) A(arestas) V+F=A+2 ou V-A+F=2 Essa relação foi descoberta e demonstrada pelo matemático suíço Leonhard Euler (1707- 1708). Observação: Todo poliedro convexo é euleriano, mas nem todo poliedro euleriano é convexo. Poliedro A Poliedro D Poliedro E
  • 4. V- V- V A F V A F A+F Exe A+F tetraedro 4 6 4 2 mpl prisma de base triangular 6 9 5 2 cubo 8 12 6 2 os. prisma de base pentagonal 10 15 12 2 octaedro 6 12 8 2 A prisma de base n-gonal 2n 3n n+2 2 dodecaedro 20 30 12 2 bola pirâmide de base quadrada 5 8 5 2 icosaedro 12 30 20 2 de pirâmide de base 7 12 7 2 poliedro A 12 18 8 2 fute hexagonal bol poliedro D 16 32 16 0 pirâmide de base n-gonal n+1 2n n+1 2 que poliedro E 28 60 30 -2 apareceu pela primeira vez na copa de 70 foi inspirada em um conhecido poliedro convexo formado por 12 faces pentagonais e 20 faces hexagonais, todas regulares. Pergunta-se quantos vértices possui tal poliedro. Temos 12 faces pentagonais e 20 faces hexagonais no total de 32 faces F=32. Encontrar o numero de arestas do poliedro A (arestas): 2A=5F 5 +6F 6 =5*12+6*20=180 A=90 Como o poliedro e convexo vale a relação de Euler V-A+F=2, de onde concluímos que V=60.
  • 5. Poliedros de Platão Um poliedro é chamado poliedro de Platão quando satisfaz três condições: 1. Condição: Todas as faces têm o mesmo número (n) de arestas. n.F=2A 2. Condição: Todos os vértices são pontos em que concorre o mesmo número (m) de arestas. m.V=2A 3. Condição: O poliedro é euleriano, isto é, V - A + F = 2. Observação: Existem cinco, e somente cinco, tipos de poliedros de Platão. m n A V F Nome 3 3 6 4 4 tetraedro 3 4 12 8 6 hexaedro 4 3 12 6 8 octaedro 3 5 30 20 12 dodecaedro 5 3 30 12 20 icosaedro
  • 6. Poliedros regulares Um poliedro convexo é regular quando: • Suas faces são polígonos regulares e congruentes. • Em todos os seus vértices concorre o mesmo número de arestas. Num poliedro regular, percebe-se imediatamente que: • Todas as faces têm o mesmo número de arestas (pois as faces são congruentes); • Todos os vértices são pontos em que concorre o mesmo número de arestas; • O poliedro é euleriano (pois é convexo). Assim, todo poliedro regular é poliedro de Platão. Por isso, existem cinco tipos de poliedros regulares: Tetraedro hexaedro octaedro dodecaedro icosaedro Teorema. Existem apenas cinco poliedros regulares convexos. Para demonstrar, seja n o numero de lados de cada face e seja p o numero de arestas que concorrem nF nF em cada vértice. Temos 2A=nF=pV ou A= e V= . 2 p nF nF Substituindo na relação de Euler obtemos - +F=2 p 2 4p F= . 2p+2n-np<0 2 p + 2n − pn Como p ≥ 3, chegamos a n < 6. As possibilidades são então as seguintes: 4p 4p . n = 3 → F= n = 5 → F= 6− p 10 − 3 p 2p n = 4 → F= 4− p
  • 7. Prismas Definição e Elementos Prisma é um poliedro convexo tal que duas faces são polígonos congruentes situados em planos paralelos e as demais faces são paralelogramos. Nomenclatura e Classificação Os prismas recebem nomes de acordo com os polígonos das bases. Assim: • um prisma é triangular quando suas bases são triângulos; • um prisma é quadrangular quando suas bases são quadriláteros; • um prisma é pentagonal quando suas bases são pentagonais; • um prisma é hexagonal quando suas bases são hexagonais. ... Quando as arestas laterais de um prisma forem perpendiculares aos planos das bases, o prisma é chamado de reto; caso contrário, de oblíquo. .
  • 8. Exemplos Cubo Definição e Elementos Cubo é um prisma em que todas as faces são quadradas. O cubo é um prisma quadrangular regular cuja altura é igual à medida da aresta da base. O cubo da figura tem arestas de medida l, então, • as diagonais de suas faces medem l , pois são diagonais de quadrados de lados com medidas iguais a l.
  • 9. • as diagonais do cubo medem l , pois: Assim:
  • 10. Paralelepípedos Definição Chamamos de paralelepípedo o prisma cujas bases são paralelogramos; dessa forma, todas as faces de um paralelepípedo são paralelogramos. Exemplos Paralelepípedo Reto Retângulo
  • 11. Diagonais de um paralelepípedo retângulo No paralelepípedo da figura com dimensões a, b e c, sejam d1 e d, as diagonais da face ABCD e do paralelepípedo, respectivamente. No triângulo ABC, temos: AC2 = AB2 + BC2 ou então, No triângulo ACG, temos: AG2 = AC2 + CG2 ou então, Como , temos: d2 = a2 + c2 + b2 ou
  • 12. Exercícios resolvidos: (VUNESP – 07) Calcular o volume de um paralelepípedo retângulo, sabendo que suas dimensões são proporcionais a 9, 12 e 20, e que a diagonal mede 100 m. Resolução d2 = a2 + b2 + c2 1002 = (20k)2 + (12k)2 + (9k)2 1002 = 625k2 Assim, 25k = 100 k=4 Então, a = 20 · 4 = 80 m b = 12 · 4 = 48 m c = 9 · 4 = 36 m V = a · b · c = 80 · 48 · 36
  • 13. (Fuvest-SP) Dois blocos de alumínio, em forma de cubo, com arestas medindo 10 cm e 6 cm, são levados juntos à fusão e em seguida o alumínio líquido é moldado como um paralelepípedo reto de arestas 8 cm, 8 cm e x cm. O valor de x é: a) 16 m d) 19 m b) 17 m e) 20 m c) 18 m Resposta: D Pelo enunciado, o volume do paralelepípedo é igual à soma dos volumes dos cubos. Assim, 8 · 8 · x = 63 + 103 64 x = 216 + 1 000 64 x = 1 216 x = 19 (Mackenzie-SP) Um prisma regular triangular tem todas as arestas congruentes e 48 m2 de área lateral. Seu volume vale a) 16 m3 d) b) 32 m3 e) c) 64 m3 Resolução
  • 14. (Mackenzie-SP 2000) Se a soma dos ângulos internos de todas as faces de um prisma é 6 480°, então o número de lados da base do prisma é a) 8 d) 12 b) 9 e) 15 c) 10 Resolução Sendo n o número de lados da base do prisma, então este possui n faces laterais quadrangulares e duas faces que são polígonos de n lados. Portanto, a soma dos ângulos internos de todas as sua faces é n · 360° + 2 · (n – 2) · 180° Conseqüentemente, n · 360° + 2 · (n – 2) · 180° = 6 480° n = 10 Resposta: C O conceito de pirâmide Pirâmides Consideremos um polígono contido em um plano (por exemplo, o plano horizontal) e um ponto V localizado fora desse plano. Uma Pirâmide é a reunião de todos os segmentos que têm uma extremidade em V e a outra num ponto qualquer do polígono. O ponto V recebe o nome de vértice da pirâmide. Exemplo: As pirâmides do Egito, eram utilizadas para sepultar faraós, bem como as pirâmides no México e nos Andes, que serviam a finalidades de adoração aos seus deuses. As formas piramidais eram usadas por tribos indígenas e mais recentemente por escoteiros para construir barracas.
  • 15. Elementos de uma pirâmide Em uma pirâmide, podemos identificar vários elementos: Base: A base da pirâmide é a região plana poligonal sobre a qual se apoia a pirâmide. Vértice o vértice da pirâmide: é o ponto isolado P mais distante da base da pirâmide. Eixo: Quando a base possui um ponto central, isto é, quando a região poligonal é simétrica ou regular, o eixo da pirâmide é a reta que passa pelo vértice e pelo centro da base. Altura: Distância do vértice da pirâmide ao plano da base. Faces laterais: São regiões planas triangulares que passam pelo vértice da pirâmide e por dois vértices consecutivos da base. Arestas Laterais: São segmentos que têm um extremo no vértice da pirâmide e outro extremo num vértice do polígono situado no plano da base. Apótema: É a altura de cada face lateral. Superfície Lateral: É a superfície poliédrica formada por todas as faces laterais. Aresta da base: É qualquer um dos lados do polígono da base. Clã
  • 16. ssificação das pirâmides pelo número de lados da base triangular quadrangular pentagonal hexagonal base:triângulo base:quadrado base:pentágono base:hexágono Pirâmide Regular reta Pirâmide regular reta é aquela que tem uma base poligonal regular e a projeção ortogonal do vértice V sobre o plano da base coincide com o centro da base. R raio do circulo circunscrito r raio do círculo inscrito l aresta da base ap apótema de uma face lateral h altura da pirâmide al aresta lateral As faces laterais são triângulos isósceles congruentes Às vezes podemos construir fórmulas para obter as áreas das superfícies que envolvem um determinado sólido. Tal processo é conhecido como a planificação desse sólido. Isto pode ser realizado se tomarmos o sólido de forma que a sua superfície externa seja feita de papelão ou algum outro material.
  • 17. No caso da pirâmide, a idéia é tomar uma tesoura e cortar (o papelão d)a pirâmide exatamente sobre as arestas, depois reunimos as regiões obtidas num plano que pode ser o plano de uma mesa. As regiões planas obtidas são congruentes às faces laterais e também à base da pirâmide. Analise do livro O livro e muito bom por sinal apresenta muitas ilustrações exemplos e exercícios trazendo sempre exemplos para explicar e tentar ajudar o aluno no decorrer do conteúdo. Porem o livro começa tacando os poliedros e exemplos do mesmo mais não define nada formalmente deixando o conteúdo em aberto assim também acontece com conexos e relação de Euler. O livro também não trás os sólidos de Platão entrando direto nos poliedros regulares não mostrando ao aluno que existem os sólidos de Platão e todos são poliedros regulares. Em pirâmide e prismas o livro também não define e nem constrói a relações corretamente deixando sempre o conteúdo em aberto mas tenta por exemplos defini pirâmides e prismas sem nem uma construção ou definição apropriada para a serie. Em poliedros o livro comete alguns erros de não trazer as notações antes de utilizaras podendo deixar o aluno confuso ou sem saber que A,F,V são as arestas faces e vértices do poliedro. No geral o livro e muito bom trazendo muitos exemplos exercícios e planificações do conteúdo a bordado e apropriado como material de auxilio pedagógico.