Apresentação PCN

411 visualizações

Publicada em

Apresentação de mestrado profissional em Letras

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Apresentação PCN

  1. 1. Parâmetros Curriculares Nacionais (1998) • Os Parâmetros Curriculares Nacionais indicam como objetivos do ensino fundamental que os alunos sejam capazes de: 1) Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação social, crença, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais; 2) Utilizar as diferentes linguagens- verbal, musical, matemática,gráfica, matemática, corporal- como meio para produzir, expressar e comunicar ideias interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação. (PCN, 1998, p. 7)
  2. 2. Entre as críticas mais frequentes que se faziam ao ensino tradicional destacavam- se: 1) excessiva valorização da gramática normativa e a insistência nas regras de exceção, com o consequente preconceito contra as formas de oralidade e as variedades não padrão; 2) ensino descontextualizado da metalinguagem, normalmente associado a exercícios mecânicos de identificação de fragmentos linguísticos em frases soltas; (PCN, 1998, p. 18)
  3. 3. Pode-se dizer que, apesar de ainda imperar no tecido social uma atitude corretiva e preconceituosa em relação as formas não canônicas de expressão linguística, as propostas de transformação do ensino de Língua Portuguesa consolidaram-se em práticas de ensino em que tanto o ponto de partida quanto o ponto de chegada é o uso da linguagem. • Pode-se dizer que hoje é praticamente consensual que as práticas devem partir do uso possível aos alunos para permitir a conquista de novas habilidades linguísticas, particularmente daquelas associadas aos padrões da escrita, sempre considerando que: 1) razão de ser das propostas de uso da fala e da escrita é a interlocução efetiva, e não a produção de textos para serem objetos de correção; 2) as situações didáticas têm como objetivo levar os alunos a pensar sobre a linguagem para poder compreendê-la e utilizá-la apropriadamente em situações e aos propósitos definidos. (PCN, 1998, p. 19)
  4. 4. Seleção de textos para o trabalho em sala de aula. • TEXTOS ORAIS: (...) a aprendizagem da língua oral, por se dar no espaço doméstico, não é tarefa da escola, as situações de ensino vêm utilizando a modalidade oral da linguagem unicamente como instrumento para permitir o tratamento dos diversos conteúdos. (...) • Dessa forma, cabe à escola ensinar o aluno a utilizar a linguagem oral no planejamento e realização de apresentações públicas: realização de entrevistas, debates, seminários ,apresentações teatrais etc. Trata-se de propor situações didáticas nas quais essas atividades façam sentido de fato, pois é descabido treinar um nível mais formal da fala, tomado como mais apropriado para todas as situações. A aprendizagem de procedimentos apropriados de fala e de escuta, em contextos públicos, dificilmente ocorrer· se a escola não tomar para si a tarefa de promovê-la. (PCN, 1998, p. 24)
  5. 5. • Textos escritos: • A visão do que seja um texto adequado ao leitor iniciante transbordou os limites da escola e influiu até na produção editorial. A possibilidade de se divertir com alguns dos textos da chamada literatura infantil ou infanto-juvenil, de se comover com eles, de fruí- los esteticamente é limitada. Por trás da boa intenção de promover a aproximação entre alunos e textos, há um equívoco de origem: tenta-se aproximar os textos simplificando-os aos alunos, no lugar de aproximar os alunos a textos de qualidade. (PCN, 1998, p. 24)
  6. 6. Reflexão sobre a linguagem. • Tomando-se a linguagem como atividade discursiva, o texto como unidade de ensino e a noção de gramática como relativa ao conhecimento que o falante tem de sua linguagem, as atividades curriculares em Língua Portuguesa correspondem, principalmente, a atividades discursivas: uma prática constante de escuta de textos orais e leitura de textos escritos e de produção de textos orais e escritos, que devem permitir, por meio da análise e reflexão, sobre os múltiplos aspectos envolvidos, a expansão e construção de instrumentos que permitam ao aluno, progressivamente, ampliar sua competência discursiva. (PCN, 1998, p. 24)
  7. 7. Relativização do pronome relativo onde. Você gosta de poesia? • Canção do Exílio "Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá. Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores. Em cismar, sozinho, à noite, Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. • Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar — sozinho, à noite — Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que desfrute os primores Que não encontro por cá; Sem qu’inda aviste as palmeiras, Onde canta o Sabiá." Gonçalves Dias
  8. 8. Relativização do pronome onde Você gosta de música? Música: Onde canta o Sabiá Banda: Mastruz com leite Eu vou te levar Onde canta o sabiá Onde a lua nos espiá Com olhar de menina Com cheiro do mato O vento vindo das colinas Nossa cama é a grama Pra fazer amor menina (refrão) Sou caboclo do sertão Só tenho amor no coração Pra oferecer A natureza é minha casa, Vida viver Tudo pra eu e ocê Lá tem um riacho para a gente se banhar Pega peixe, nadar junto Até vadiar Quando for de noite, nós Acende, nosso amor Faz fogueira, não tem frio, Pois sou seu cobertor Sou caboclo do sertão Só tenho amor no coração Pra oferecer A natureza é minha casa, Vida viver Tudo pra eu e ocê Quando for cedinho A passarada a cantar Vem o sol alumiando Pra nós acordar Lá meu paraíso tudo é feito Com amor Só faltava uma deusa E você chegou
  9. 9. Pronominalização Você gosta de música? BEIJA EU Seja eu, Seja eu, Deixa que eu seja eu. E aceita O que seja seu. Então deita e aceita eu. Molha eu, Seca eu, Deixa que eu seja o céu E receba O que seja seu. Anoiteça e amanheça eu. Beija eu, Beija eu, Beija eu, me beija. Deixa O que seja ser Então beba e receba Meu corpo no seu corpo, Eu no meu corpo, Deixa, Eu me deixo Anoiteça e amanheça Link:http://www.vagalume.com.br/maria monte/beijaeu.html#ixzz33XOWV6GJ
  10. 10. Você gosta de charges? Registros informais
  11. 11. Pronominalização Você gosta de música? A lua inteira agora é um manto negro O fim das vozes no meu rádio São quatro ciclos no escuro deserto do céu Quero um machado pra quebrar o gelo Quero acordar do sonho agora mesmo Quero uma chance de tentar viver sem dor Sempre estar lá E ver ele voltar Não era mais o mesmo Mas estava em seu lugar Sempre estar lá E ver ele voltar O tolo teme a noite Como a noite vai temer o fogo • Vou chorar sem medo Vou lembrar do tempo De onde eu via o mundo azul A trajetória escapa o risco nu... As nuvens queimam o céu matiz azul... Desculpe estranho, eu voltei mais puro do céu Na lua o lado escuro é sempre igual... No espaço a solidão é tão normal... Desculpe estranho, eu voltei mais puro do céu • Link: http://www.vagalume.com.br/nenhum- de-nos/astronauta-de marmore.html#ixzz33hTactLF •
  12. 12. Você gosta de charges? Registros formal e híbrido

×