SlideShare uma empresa Scribd logo
Equipe Escolas em Foco EPF / GEF
/GED 4ª CRE
ORALIDADE,LEITURA,
ESCRITAEANÁLISE
LINGUÍSTICA2016
Formação presencial 05/04
Relembrando o último encontro
 No último encontro falamos sobre :
• Planejamento;
• Avaliação;
• Discutimos sobre a adequação das atividades
aos níveis dos alunos;
 Para o encontro de hoje pedimos:
• A leitura prévia do texto da Iza Locatelli e Julia
Mendes e Maria Lúcia Mello – Pontos chaves a
serem considerados durante o trabalho de
alfabetização,
• Desempenho do 1º COC;
• Produção escrita dos alunos.
Oralidade, leitura, escrita e
análise linguística
“Desenvolver a escrita de modo intimamente relacionado à
oralidade torna possível fortalecer a pessoa que a criança já é,
confirmando o que ela já sabe, os conteúdos que possui,
abrindo portas para o novo.”
Cecília Goulart
Trabalhando com o texto.
Dinâmica
Telefone sem fio com leitura labial
Sugestão de livro
As imagens podem
evocar emoções,
memórias, histórias,
sonhos, entre muitas
possibilidades.
Traços, cores e formas
atraem o nosso olhar
desde a infância e,
antes mesmo de falar,
podemos interagir com
grafismos, fotografias,
desenhos e ilustrações.
A leitura das imagens
antecede a das
palavras e pode,
inclusive, ser tomada
como um primeiro
passo à futura leitura
do escrito.
Em formato grande, o livro retoma a brincadeira tradicional, na qual uma palavra é
cochichada no ouvido de um participante que a passa a outro até chegar ao último, que a
revela em voz alta. A graça está nas transformações que podem acontecer nessa
transmissão já que, na maioria das vezes, o que foi dito no início chega ao último
participante completamente diferente.
Jogo do Torto
Vamos jogar?
Dividam-se em grupos de cinco!
Vídeo
“Conversando com o papai”
Oralidade: Qualidade daquilo que é falado;
exposição oral;
LINGUÍSTICA: modalidade de realização da língua,
concretizada por falante,ge que se
caracteriza por ser efêmera e irrepetível, pela
presença marcante de diálogos e por utilizar um
vocabulário menos cuidadoso que na escrita.
Definição prática
O trabalho com a oralidade
• O trabalho com a oralidade implica levar o aluno a
compreender que o que falamos é possível ser
representado na língua escrita.
• A linguagem oral é condição fundamental para todo
o aprendizado.
1. A consciência de que a língua falada pode ser
segmentada em unidades distintas, ou seja, a frase
pode ser segmentada em palavras; as palavras, em
sílabas (consciência fonológica) e as sílabas em
fonemas (consciência fonêmica).
2. A consciência de que essas mesmas unidades
repetem-se em diferentes palavras faladas.
(Iza Locatelli).
Definição prática
Consciência fonológica: Habilidade metalinguística de
tomada de consciência das características formais da
linguagem. Esta habilidade compreende dois níveis:
Níveis da consciência
fonológica
• Rimas e Aliterações
• Consciência de palavras
• Consciência silábica
• Consciência Fonêmica
Rima
Quando uma criança rima
poço com osso, demonstra
consciência fonológica, pois a
rima independe da forma
ortográfica.
Objetivos:
• Levar a criança a perceber que as palavras têm o mesmo
som final, mas que podem possuir grafias diferentes
O que fazer?
Aliteração
O rato roeu a roupa do
rei de Roma. A rainha,
raivosa, roeu o rabo do
rato!
Objetivos:
• Levar a criança a perceber que as palavras com mesmo som
inicial têm a mesma representação grafêmica.
O que fazer?
Consciência da palavra
Filho (pausa) de (pausa) peixe (pausa), peixinho (pausa) é.
Objetivos:
• Levar a criança a perceber que as frases podem ter
diferentes números de palavras, ao falar vocábulo por
vocábulo.
O que fazer?
Objetivos:
• Levar a criança a tomar consciência da quantidade
de sílabas na palavra.
Consciência silábica
O que fazer?
Consciência Fonêmica
Objetivos:
• Discriminar os sons da nossa
língua
• Reconhecer que eles podem ser
pronunciados de formas diferentes
Caranguejo não é peixe!
Caranguejo não é peixe,
Caranguejo peixe é;
Caranguejo só é peixe
Na enchente da maré
Ora palma, palma, palma
Ora pé, pé, pé
ora roda, roda, roda
Caranguejo peixe é!
O que fazer?
Samba do Arnesto
Adoniran Barbosa
O Arnesto nos convidou pra um samba,
ele mora no Brás
Nós fumos, não encontremos ninguém
Nós voltermos com uma baita de uma
reiva
Da outra vez, nós num vai mais
Nós não semos tatu!
O Arnesto nos convidou pra um samba,
ele mora no Brás
Nós fumos, não encontremos ninguém
Nós voltermos com uma baita de uma
reiva
Da outra vez, nós num vai mais
No outro dia encontremo com o
Arnesto
Que pediu desculpas, mas nós não
aceitemos
I Isso não se faz, Arnesto, nós não se
importa
Mas você devia ter ponhado um recado
na porta
Um recado assim ói: "Ói, turma,
num deu pra esperá
Ah, duvido que isso num faz mar,
num tem importância
O Arnesto nos convidou pra um
samba, ele mora no Brás
Nós fumos, não encontremos
ninguém
Nós voltermos com uma baita de
uma reiva
Da outra vez, nós num vai mais
No outro dia encontremo com o
Arnesto
Que pediu desculpas, mas nós não
aceitemos
Isso não se faz, Arnesto, nós não se
importa
Mas você devia ter ponhado um
recado na porta
O desenvolvimento da linguagem oral é algo que
precisa ser objeto de trabalho intencional e sistemático
no processo de alfabetização.
A criança necessita:
• Ampliar seu vocabulário
• Aprender a redizer/recontar
• Aprender a argumentar
• Falar de modo claro o que pensa
O conhecimento
prévio dos alunos.
O oferecimento
de modelos de
referência.
Os parâmetros da situação
de comunicação (A língua
como prática social)
Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam
*
*
Estimular os alunos a:
• Responderem às questões propostas; participar dos debates;
apresentar trabalhos; defender suas ideias; respeitar a fala de
colegas e professores; participar da organização de rotinas em sala
de aula; elaborar textos orais individuais e coletivos; falar de si
mesmo e de suas famílias; a se expressar de diferentes maneiras.
Estimular os alunos a:
• Reforçar o respeito aos turnos de fala incluindo o turno
silencioso, que compreendem as intervenções dos
interlocutores. É preciso saber falar, ouvir e prestar atenção ao
que se fala/ ouve.
Sugestões de atividades no link:
http://www.slideshare.net/dyoneandrade5/sugestes-atividades-oralidade
DESAFIO
Vamos fazer uma leitura compartilhada em voz alta? Vamos lá?
Todos juntos em 3, 2, 1, já!
Escrita: representação da linguagem falada por meio
de signos gráficos, conjunto de signos num sistema de
escrita.
Leitura: A leitura é um processo de
apreensão/compreensão de algum tipo de informação
armazenada num suporte e transmitida mediante
determinados códigos, como a linguagem.
Definição prática
O TRABALHO COM A ESCRITA
• O trabalho com a escrita implica levar o aluno a
refletir sobre ela se utilizando da sua própria
escrita para conhecer e aprender os seus
conteúdos, logo precisamos ser sensíveis ao
esforço do aluno para significar a linguagem
oral em linguagem escrita.
• É complexa a fronteira entre a língua oral e a
língua escrita. Apesar da aparente
equivalência, guardam estruturas, normas,
sintaxes e gramáticas distintas que precisam
ser ensinadas.
O TRABALHO COM A LEITURA
• Ler não é só decifrar o som das letras e das palavras, mas
conseguir pensar uma mensagem elaborada por outras
pessoas e representada na escrita.
• A leitura está sempre associada a um conjunto de
informações explícitas no suporte no qual o texto está
apresentado, informações que estão em seus conhecimentos
prévios, os lugares de circulação e os assuntos tratados.
E, por fim...
• A leitura de textos escritos pelo professor em voz alta, em
situações que permitam a atenção e a escuta das crianças
fornece a elas um repertório rico em oralidade e em sua
relação com a escrita.
Pontos chaves na alfabetização
O Trabalho de análise linguística deve ser intervencional
durante todo o processo. Ler é sempre mais fácil que
escrever, especialmente em uma língua que oferece tantas
dificuldades ortográficas, como a Língua Portuguesa.
Inicialmente os erros ortográficos devem ser tolerados,
especialmente aqueles que envolvem fonemas com várias
representações gráficas ou grafemas com vários sons.
Não há como ensinar a uma criança, por exemplo, que CASA
se escreve com S, mas o som é o mesmo do fonema /Z/.
Certos grupos de palavras precisam ser ensinados,
pesquisados, como, por exemplo:
ANÁLISE LINGUÍSTICA
rato - marreco - cara,
sapato - assado – casa
mesmo som e representação diferente ou
mesma representação e som diferente.
Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam
Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam
Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam
Um menino confeccionou uma pipa. Ele estava tão feliz, que
desenhou nela um sorriso. Todos os dias, ele empinava a pipa
alegremente. A pipa também se sentia feliz e, lá do alto,
observava a paisagem e se divertia com as outras pipas que
também voavam.
Um dia, durante o seu vôo, a pipa viu lá embaixo uma flor e
ficou encantada, não com a beleza da flor, porque ela já havia
visto outras mais belas, mas alguma coisa nos olhos da flor a
havia enfeitiçado.
Resolveu, então, romper a linha que a prendia a mão do menino
e dá-la para a flor segurar. Quanta felicidade ocorreu depois!
A flor segurava a linha, a pipa voava; na volta, contava para a
flor tudo o que vira.
Acontece que a flor começou a ficar com inveja e ciúme da
pipa.
Invejar é ficar infeliz com as coisas que os outros têm e nós
não temos; ter ciúme é sofrer por perceber a felicidade do
outro quando a gente não está perto.
A flor, por causa desses dois sentimentos, começou a pensar:
se a pipa me amasse mesmo, não ficaria tão feliz longe de
mim...
Quando a pipa voltava de seu vôo, a flor não mais se mostrava
feliz, estava sempre amargurada, querendo saber com quem a
pipa estivera se divertindo.
A partir daí, a flor começou a encurtar a linha, não permitindo
à pipa voar alto. Foi encurtando a linha, até que a pipa só podia
mesmo sobrevoar a flor.
Esta história, segundo conta o autor, ainda não terminou e está
acontecendo em algum lugar neste exato momento.
Há três finais possíveis para ela...
1 - A pipa, cansada pela atitude da flor, resolveu romper a linha
e procurar uma mão menos egoísta.
2 - A pipa, mesmo triste com a atitude da flor, decidiu ficar,
mas nunca mais sorriu.
3 - A flor, na verdade, era um ser encantado. O encantamento
se quebraria no dia em que ela visse a felicidade da pipa e não
sentisse inveja nem ciúme.
Isso aconteceu num belo dia de sol: a flor se transformou numa
linda borboleta e as duas voaram juntas.
Livro: “A pipa e a flor”, 2003, Editora Loyola
Contabilizando os finais
Tarefa para o próximo encontro
Leitura do texto
“Os cinco espaços discursivos/ Os novos passos
discursivos na escola.”
De Ludmila Tomhé
OBRIGADA PELA SUA PRESENÇA!
Equipe Dyone Andrade e Ana Paula Simões.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 avaliação 18-concurso de leitura
1  avaliação  18-concurso de leitura1  avaliação  18-concurso de leitura
1 avaliação 18-concurso de leitura
MariaJoao Sousa
 
Oficina consciência fonológica (apostila)
Oficina  consciência fonológica (apostila)Oficina  consciência fonológica (apostila)
Oficina consciência fonológica (apostila)
Edeil Reis do Espírito Santo
 
Sequencia didática trava lingua
Sequencia didática trava linguaSequencia didática trava lingua
Sequencia didática trava lingua
Marisa Seara
 
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDOSequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
Oficina de jogos de leitura
Oficina de jogos de leituraOficina de jogos de leitura
Oficina de jogos de leitura
Dyone Andrade
 
Plano de aula - Portugês e Ciências
Plano  de aula - Portugês e CiênciasPlano  de aula - Portugês e Ciências
Plano de aula - Portugês e Ciências
Mary Alvarenga
 
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento. Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Maria Cecilia Silva
 
Sequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º anoSequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º ano
André Moraes
 
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.pptESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
Roni Cunha
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
Breno Lacerda
 
Avaliação no ciclo
Avaliação no cicloAvaliação no ciclo
Avaliação no ciclo
Magda Marques
 
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamentalProposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
Rosemary Batista
 
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologiasProjeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Nayane Mertens
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
Luis Carlos Santos
 
SAEB_Prova brasil
SAEB_Prova brasilSAEB_Prova brasil
SAEB_Prova brasil
Jessica Nuvens
 
Plano de ensino matematica
Plano de ensino  matematicaPlano de ensino  matematica
Plano de ensino matematica
simonclark
 
Importância da Leitura
Importância da LeituraImportância da Leitura
Importância da Leitura
DanielyOliveira16
 
Sugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidadeSugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidade
Dyone Andrade
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"
Graça Sousa
 
Pré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de PesquisaPré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de Pesquisa
Jose Arnaldo Silva
 

Mais procurados (20)

1 avaliação 18-concurso de leitura
1  avaliação  18-concurso de leitura1  avaliação  18-concurso de leitura
1 avaliação 18-concurso de leitura
 
Oficina consciência fonológica (apostila)
Oficina  consciência fonológica (apostila)Oficina  consciência fonológica (apostila)
Oficina consciência fonológica (apostila)
 
Sequencia didática trava lingua
Sequencia didática trava linguaSequencia didática trava lingua
Sequencia didática trava lingua
 
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDOSequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
Sequencia DIDATICA - PARTINDO DE UM CONTEÚDO
 
Oficina de jogos de leitura
Oficina de jogos de leituraOficina de jogos de leitura
Oficina de jogos de leitura
 
Plano de aula - Portugês e Ciências
Plano  de aula - Portugês e CiênciasPlano  de aula - Portugês e Ciências
Plano de aula - Portugês e Ciências
 
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento. Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
Projeto passo a passo : movimento, matemática e letramento.
 
Sequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º anoSequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º ano
 
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.pptESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
ESTRATÉGIAS DE LEITURA SEGUNDO ISABEL SOLÉ.ppt
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Avaliação no ciclo
Avaliação no cicloAvaliação no ciclo
Avaliação no ciclo
 
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamentalProposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 3º ano do ensino fundamental
 
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologiasProjeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
SAEB_Prova brasil
SAEB_Prova brasilSAEB_Prova brasil
SAEB_Prova brasil
 
Plano de ensino matematica
Plano de ensino  matematicaPlano de ensino  matematica
Plano de ensino matematica
 
Importância da Leitura
Importância da LeituraImportância da Leitura
Importância da Leitura
 
Sugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidadeSugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidade
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"
 
Pré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de PesquisaPré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de Pesquisa
 

Destaque

A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
Dyone Andrade
 
Sugestão de atividade avaliativa de matemática
Sugestão de atividade avaliativa de matemáticaSugestão de atividade avaliativa de matemática
Sugestão de atividade avaliativa de matemática
Paulo Alves de Araujo
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
Mensagens Virtuais
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
Luizakrug
 
Exercícios dezena iii
Exercícios dezena iiiExercícios dezena iii
Exercícios dezena iii
Crescendo EAprendendo
 
Dezena e unidade várias
Dezena e unidade váriasDezena e unidade várias
Dezena e unidade várias
lyzandra de camargo
 
Apresentação Priscila e Quédima
Apresentação Priscila e QuédimaApresentação Priscila e Quédima
Apresentação Priscila e Quédima
Dyone Andrade
 
Apresentação prof luíz senna
Apresentação prof luíz sennaApresentação prof luíz senna
Apresentação prof luíz senna
Dyone Andrade
 
Formação 05 abril suam
Formação 05 abril suamFormação 05 abril suam
Formação 05 abril suam
Dyone Andrade
 
PPT trechos texto Mairce
PPT trechos texto MaircePPT trechos texto Mairce
PPT trechos texto Mairce
Dyone Andrade
 
Formação 04 outubro suam
Formação 04 outubro suamFormação 04 outubro suam
Formação 04 outubro suam
Dyone Andrade
 
Formação 07 junho Suam
Formação 07 junho SuamFormação 07 junho Suam
Formação 07 junho Suam
Dyone Andrade
 
Oficina produção textual criancças governassem o mundo
Oficina produção textual criancças governassem o mundoOficina produção textual criancças governassem o mundo
Oficina produção textual criancças governassem o mundo
Dyone Andrade
 
Autobiografia
AutobiografiaAutobiografia
Autobiografia
Dyone Andrade
 
Formação 12 julho suam
Formação 12 julho suamFormação 12 julho suam
Formação 12 julho suam
Dyone Andrade
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de Matemática
Kelry Carvalho
 
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTALSIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
Cristina Brandão
 
SESI SP Tecnico iluminação
SESI SP Tecnico iluminaçãoSESI SP Tecnico iluminação
SESI SP Tecnico iluminação
Luciano T. Lima
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
Washington Fernandes
 
Apostila com material dourado e snd
Apostila com material dourado e sndApostila com material dourado e snd
Apostila com material dourado e snd
Regina Couto
 

Destaque (20)

A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
 
Sugestão de atividade avaliativa de matemática
Sugestão de atividade avaliativa de matemáticaSugestão de atividade avaliativa de matemática
Sugestão de atividade avaliativa de matemática
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
 
Exercícios dezena iii
Exercícios dezena iiiExercícios dezena iii
Exercícios dezena iii
 
Dezena e unidade várias
Dezena e unidade váriasDezena e unidade várias
Dezena e unidade várias
 
Apresentação Priscila e Quédima
Apresentação Priscila e QuédimaApresentação Priscila e Quédima
Apresentação Priscila e Quédima
 
Apresentação prof luíz senna
Apresentação prof luíz sennaApresentação prof luíz senna
Apresentação prof luíz senna
 
Formação 05 abril suam
Formação 05 abril suamFormação 05 abril suam
Formação 05 abril suam
 
PPT trechos texto Mairce
PPT trechos texto MaircePPT trechos texto Mairce
PPT trechos texto Mairce
 
Formação 04 outubro suam
Formação 04 outubro suamFormação 04 outubro suam
Formação 04 outubro suam
 
Formação 07 junho Suam
Formação 07 junho SuamFormação 07 junho Suam
Formação 07 junho Suam
 
Oficina produção textual criancças governassem o mundo
Oficina produção textual criancças governassem o mundoOficina produção textual criancças governassem o mundo
Oficina produção textual criancças governassem o mundo
 
Autobiografia
AutobiografiaAutobiografia
Autobiografia
 
Formação 12 julho suam
Formação 12 julho suamFormação 12 julho suam
Formação 12 julho suam
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de Matemática
 
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTALSIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
 
SESI SP Tecnico iluminação
SESI SP Tecnico iluminaçãoSESI SP Tecnico iluminação
SESI SP Tecnico iluminação
 
A pipa e a flor
A pipa e a florA pipa e a flor
A pipa e a flor
 
Apostila com material dourado e snd
Apostila com material dourado e sndApostila com material dourado e snd
Apostila com material dourado e snd
 

Semelhante a Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam

Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdoPráticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Surdez
SurdezSurdez
Apres Consciência Fonológica.pptx
Apres Consciência Fonológica.pptxApres Consciência Fonológica.pptx
Apres Consciência Fonológica.pptx
AlcioneCosta12
 
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptxAlfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
profrenatamoraesoli
 
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptxHabilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
ZelliFonseca
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
Renata479659
 
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdfAula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
RomuloHalley1
 
Formação maio 30/05/2017
Formação maio 30/05/2017Formação maio 30/05/2017
Formação maio 30/05/2017
Dyone Andrade
 
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Bete Feliciano
 
Lingua brasileira de sinais
Lingua brasileira de sinaisLingua brasileira de sinais
Lingua brasileira de sinais
Colegio Éthicos
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
Jessica Nuvens
 
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCicloPrograma LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
guestda933c
 
alfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdfalfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdf
israelf3
 
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivanaaula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
IvanaAlves18
 
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Portuguêsaula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
IvanaAlves18
 
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Creche Escola Ladybug
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
Olívia Oliveira
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
Lais Renata
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Magda Marques
 
Resumo Tp2
Resumo   Tp2Resumo   Tp2
Resumo Tp2
Ramilson Saldanha
 

Semelhante a Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam (20)

Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdoPráticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
Práticas Pedagógicas Inclusivas: Refletindo sobre o aluno surdo
 
Surdez
SurdezSurdez
Surdez
 
Apres Consciência Fonológica.pptx
Apres Consciência Fonológica.pptxApres Consciência Fonológica.pptx
Apres Consciência Fonológica.pptx
 
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptxAlfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
Alfaletrando com estratégias Intencionais.pptx
 
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptxHabilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
Habilidades Preditoras à Alfabetização.pptx
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
 
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdfAula 3 -  Letraento e Alfabetização.pdf
Aula 3 - Letraento e Alfabetização.pdf
 
Formação maio 30/05/2017
Formação maio 30/05/2017Formação maio 30/05/2017
Formação maio 30/05/2017
 
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
 
Lingua brasileira de sinais
Lingua brasileira de sinaisLingua brasileira de sinais
Lingua brasileira de sinais
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCicloPrograma LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
Programa LíNgua Portuguesa 1ºCiclo
 
alfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdfalfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdf
 
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivanaaula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
aula-1.desenvolvidas par a Língua Portuguesa da pró Ivana
 
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Portuguêsaula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
aula-1.pptxtexto lingua e linguagem em Português
 
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
 
Resumo Tp2
Resumo   Tp2Resumo   Tp2
Resumo Tp2
 

Mais de Dyone Andrade

Livro o garoto da camisa vermelha
Livro o garoto da camisa vermelhaLivro o garoto da camisa vermelha
Livro o garoto da camisa vermelha
Dyone Andrade
 
Formação literatura agosto
Formação literatura agostoFormação literatura agosto
Formação literatura agosto
Dyone Andrade
 
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Dyone Andrade
 
Formação matemática junho
Formação matemática junhoFormação matemática junho
Formação matemática junho
Dyone Andrade
 
O sétimo gato
O sétimo gatoO sétimo gato
O sétimo gato
Dyone Andrade
 
Historia cha-das-dez
Historia cha-das-dezHistoria cha-das-dez
Historia cha-das-dez
Dyone Andrade
 
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
Dyone Andrade
 
História do Lobo de todas as cores
História do Lobo de todas as coresHistória do Lobo de todas as cores
História do Lobo de todas as cores
Dyone Andrade
 
O balão que não queria subir
O balão que não queria subirO balão que não queria subir
O balão que não queria subir
Dyone Andrade
 
Fogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novoFogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novo
Dyone Andrade
 
Livro histórias de avô e avó
Livro histórias de avô e avóLivro histórias de avô e avó
Livro histórias de avô e avó
Dyone Andrade
 
A professora encantadora
A professora encantadoraA professora encantadora
A professora encantadora
Dyone Andrade
 
Apresentação professora Luciana
Apresentação professora Luciana Apresentação professora Luciana
Apresentação professora Luciana
Dyone Andrade
 
Apresentação Professora Edna - 04/10
Apresentação Professora Edna - 04/10Apresentação Professora Edna - 04/10
Apresentação Professora Edna - 04/10
Dyone Andrade
 
Autobiografia de um bichorro.
Autobiografia de um bichorro.Autobiografia de um bichorro.
Autobiografia de um bichorro.
Dyone Andrade
 
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp012 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
Dyone Andrade
 
Propostas de produção textual para o livro
Propostas de produção textual para o  livroPropostas de produção textual para o  livro
Propostas de produção textual para o livro
Dyone Andrade
 
Palhaço biduim ppt
Palhaço biduim pptPalhaço biduim ppt
Palhaço biduim ppt
Dyone Andrade
 
Oficina de jogos de escrita
Oficina de jogos de escritaOficina de jogos de escrita
Oficina de jogos de escrita
Dyone Andrade
 
Oficina de jogos de orais
Oficina de jogos de oraisOficina de jogos de orais
Oficina de jogos de orais
Dyone Andrade
 

Mais de Dyone Andrade (20)

Livro o garoto da camisa vermelha
Livro o garoto da camisa vermelhaLivro o garoto da camisa vermelha
Livro o garoto da camisa vermelha
 
Formação literatura agosto
Formação literatura agostoFormação literatura agosto
Formação literatura agosto
 
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
 
Formação matemática junho
Formação matemática junhoFormação matemática junho
Formação matemática junho
 
O sétimo gato
O sétimo gatoO sétimo gato
O sétimo gato
 
Historia cha-das-dez
Historia cha-das-dezHistoria cha-das-dez
Historia cha-das-dez
 
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
Livrodosnumerosbichoseflores 140626135513-phpapp01
 
História do Lobo de todas as cores
História do Lobo de todas as coresHistória do Lobo de todas as cores
História do Lobo de todas as cores
 
O balão que não queria subir
O balão que não queria subirO balão que não queria subir
O balão que não queria subir
 
Fogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novoFogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novo
 
Livro histórias de avô e avó
Livro histórias de avô e avóLivro histórias de avô e avó
Livro histórias de avô e avó
 
A professora encantadora
A professora encantadoraA professora encantadora
A professora encantadora
 
Apresentação professora Luciana
Apresentação professora Luciana Apresentação professora Luciana
Apresentação professora Luciana
 
Apresentação Professora Edna - 04/10
Apresentação Professora Edna - 04/10Apresentação Professora Edna - 04/10
Apresentação Professora Edna - 04/10
 
Autobiografia de um bichorro.
Autobiografia de um bichorro.Autobiografia de um bichorro.
Autobiografia de um bichorro.
 
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp012 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
2 secriancagovernasse-130911123503-phpapp01
 
Propostas de produção textual para o livro
Propostas de produção textual para o  livroPropostas de produção textual para o  livro
Propostas de produção textual para o livro
 
Palhaço biduim ppt
Palhaço biduim pptPalhaço biduim ppt
Palhaço biduim ppt
 
Oficina de jogos de escrita
Oficina de jogos de escritaOficina de jogos de escrita
Oficina de jogos de escrita
 
Oficina de jogos de orais
Oficina de jogos de oraisOficina de jogos de orais
Oficina de jogos de orais
 

Último

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 

Formação EPF 3o ano - 03 maio 2016suam

  • 1. Equipe Escolas em Foco EPF / GEF /GED 4ª CRE ORALIDADE,LEITURA, ESCRITAEANÁLISE LINGUÍSTICA2016 Formação presencial 05/04
  • 2. Relembrando o último encontro  No último encontro falamos sobre : • Planejamento; • Avaliação; • Discutimos sobre a adequação das atividades aos níveis dos alunos;  Para o encontro de hoje pedimos: • A leitura prévia do texto da Iza Locatelli e Julia Mendes e Maria Lúcia Mello – Pontos chaves a serem considerados durante o trabalho de alfabetização, • Desempenho do 1º COC; • Produção escrita dos alunos.
  • 3. Oralidade, leitura, escrita e análise linguística “Desenvolver a escrita de modo intimamente relacionado à oralidade torna possível fortalecer a pessoa que a criança já é, confirmando o que ela já sabe, os conteúdos que possui, abrindo portas para o novo.” Cecília Goulart Trabalhando com o texto.
  • 4. Dinâmica Telefone sem fio com leitura labial
  • 5. Sugestão de livro As imagens podem evocar emoções, memórias, histórias, sonhos, entre muitas possibilidades. Traços, cores e formas atraem o nosso olhar desde a infância e, antes mesmo de falar, podemos interagir com grafismos, fotografias, desenhos e ilustrações. A leitura das imagens antecede a das palavras e pode, inclusive, ser tomada como um primeiro passo à futura leitura do escrito. Em formato grande, o livro retoma a brincadeira tradicional, na qual uma palavra é cochichada no ouvido de um participante que a passa a outro até chegar ao último, que a revela em voz alta. A graça está nas transformações que podem acontecer nessa transmissão já que, na maioria das vezes, o que foi dito no início chega ao último participante completamente diferente.
  • 6. Jogo do Torto Vamos jogar? Dividam-se em grupos de cinco!
  • 8. Oralidade: Qualidade daquilo que é falado; exposição oral; LINGUÍSTICA: modalidade de realização da língua, concretizada por falante,ge que se caracteriza por ser efêmera e irrepetível, pela presença marcante de diálogos e por utilizar um vocabulário menos cuidadoso que na escrita. Definição prática
  • 9. O trabalho com a oralidade • O trabalho com a oralidade implica levar o aluno a compreender que o que falamos é possível ser representado na língua escrita. • A linguagem oral é condição fundamental para todo o aprendizado.
  • 10. 1. A consciência de que a língua falada pode ser segmentada em unidades distintas, ou seja, a frase pode ser segmentada em palavras; as palavras, em sílabas (consciência fonológica) e as sílabas em fonemas (consciência fonêmica). 2. A consciência de que essas mesmas unidades repetem-se em diferentes palavras faladas. (Iza Locatelli). Definição prática Consciência fonológica: Habilidade metalinguística de tomada de consciência das características formais da linguagem. Esta habilidade compreende dois níveis:
  • 11. Níveis da consciência fonológica • Rimas e Aliterações • Consciência de palavras • Consciência silábica • Consciência Fonêmica
  • 12. Rima Quando uma criança rima poço com osso, demonstra consciência fonológica, pois a rima independe da forma ortográfica. Objetivos: • Levar a criança a perceber que as palavras têm o mesmo som final, mas que podem possuir grafias diferentes O que fazer?
  • 13. Aliteração O rato roeu a roupa do rei de Roma. A rainha, raivosa, roeu o rabo do rato! Objetivos: • Levar a criança a perceber que as palavras com mesmo som inicial têm a mesma representação grafêmica. O que fazer?
  • 14. Consciência da palavra Filho (pausa) de (pausa) peixe (pausa), peixinho (pausa) é. Objetivos: • Levar a criança a perceber que as frases podem ter diferentes números de palavras, ao falar vocábulo por vocábulo. O que fazer?
  • 15. Objetivos: • Levar a criança a tomar consciência da quantidade de sílabas na palavra. Consciência silábica O que fazer?
  • 16. Consciência Fonêmica Objetivos: • Discriminar os sons da nossa língua • Reconhecer que eles podem ser pronunciados de formas diferentes Caranguejo não é peixe! Caranguejo não é peixe, Caranguejo peixe é; Caranguejo só é peixe Na enchente da maré Ora palma, palma, palma Ora pé, pé, pé ora roda, roda, roda Caranguejo peixe é! O que fazer?
  • 17. Samba do Arnesto Adoniran Barbosa O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás Nós fumos, não encontremos ninguém Nós voltermos com uma baita de uma reiva Da outra vez, nós num vai mais Nós não semos tatu! O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás Nós fumos, não encontremos ninguém Nós voltermos com uma baita de uma reiva Da outra vez, nós num vai mais No outro dia encontremo com o Arnesto Que pediu desculpas, mas nós não aceitemos I Isso não se faz, Arnesto, nós não se importa Mas você devia ter ponhado um recado na porta Um recado assim ói: "Ói, turma, num deu pra esperá Ah, duvido que isso num faz mar, num tem importância O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás Nós fumos, não encontremos ninguém Nós voltermos com uma baita de uma reiva Da outra vez, nós num vai mais No outro dia encontremo com o Arnesto Que pediu desculpas, mas nós não aceitemos Isso não se faz, Arnesto, nós não se importa Mas você devia ter ponhado um recado na porta
  • 18. O desenvolvimento da linguagem oral é algo que precisa ser objeto de trabalho intencional e sistemático no processo de alfabetização. A criança necessita: • Ampliar seu vocabulário • Aprender a redizer/recontar • Aprender a argumentar • Falar de modo claro o que pensa
  • 19. O conhecimento prévio dos alunos. O oferecimento de modelos de referência. Os parâmetros da situação de comunicação (A língua como prática social)
  • 21. * *
  • 22. Estimular os alunos a: • Responderem às questões propostas; participar dos debates; apresentar trabalhos; defender suas ideias; respeitar a fala de colegas e professores; participar da organização de rotinas em sala de aula; elaborar textos orais individuais e coletivos; falar de si mesmo e de suas famílias; a se expressar de diferentes maneiras.
  • 23. Estimular os alunos a: • Reforçar o respeito aos turnos de fala incluindo o turno silencioso, que compreendem as intervenções dos interlocutores. É preciso saber falar, ouvir e prestar atenção ao que se fala/ ouve. Sugestões de atividades no link: http://www.slideshare.net/dyoneandrade5/sugestes-atividades-oralidade
  • 24. DESAFIO Vamos fazer uma leitura compartilhada em voz alta? Vamos lá? Todos juntos em 3, 2, 1, já!
  • 25. Escrita: representação da linguagem falada por meio de signos gráficos, conjunto de signos num sistema de escrita. Leitura: A leitura é um processo de apreensão/compreensão de algum tipo de informação armazenada num suporte e transmitida mediante determinados códigos, como a linguagem. Definição prática
  • 26. O TRABALHO COM A ESCRITA • O trabalho com a escrita implica levar o aluno a refletir sobre ela se utilizando da sua própria escrita para conhecer e aprender os seus conteúdos, logo precisamos ser sensíveis ao esforço do aluno para significar a linguagem oral em linguagem escrita. • É complexa a fronteira entre a língua oral e a língua escrita. Apesar da aparente equivalência, guardam estruturas, normas, sintaxes e gramáticas distintas que precisam ser ensinadas.
  • 27. O TRABALHO COM A LEITURA • Ler não é só decifrar o som das letras e das palavras, mas conseguir pensar uma mensagem elaborada por outras pessoas e representada na escrita. • A leitura está sempre associada a um conjunto de informações explícitas no suporte no qual o texto está apresentado, informações que estão em seus conhecimentos prévios, os lugares de circulação e os assuntos tratados. E, por fim... • A leitura de textos escritos pelo professor em voz alta, em situações que permitam a atenção e a escuta das crianças fornece a elas um repertório rico em oralidade e em sua relação com a escrita.
  • 28. Pontos chaves na alfabetização
  • 29. O Trabalho de análise linguística deve ser intervencional durante todo o processo. Ler é sempre mais fácil que escrever, especialmente em uma língua que oferece tantas dificuldades ortográficas, como a Língua Portuguesa. Inicialmente os erros ortográficos devem ser tolerados, especialmente aqueles que envolvem fonemas com várias representações gráficas ou grafemas com vários sons. Não há como ensinar a uma criança, por exemplo, que CASA se escreve com S, mas o som é o mesmo do fonema /Z/. Certos grupos de palavras precisam ser ensinados, pesquisados, como, por exemplo: ANÁLISE LINGUÍSTICA rato - marreco - cara, sapato - assado – casa mesmo som e representação diferente ou mesma representação e som diferente.
  • 33. Um menino confeccionou uma pipa. Ele estava tão feliz, que desenhou nela um sorriso. Todos os dias, ele empinava a pipa alegremente. A pipa também se sentia feliz e, lá do alto, observava a paisagem e se divertia com as outras pipas que também voavam.
  • 34. Um dia, durante o seu vôo, a pipa viu lá embaixo uma flor e ficou encantada, não com a beleza da flor, porque ela já havia visto outras mais belas, mas alguma coisa nos olhos da flor a havia enfeitiçado.
  • 35. Resolveu, então, romper a linha que a prendia a mão do menino e dá-la para a flor segurar. Quanta felicidade ocorreu depois! A flor segurava a linha, a pipa voava; na volta, contava para a flor tudo o que vira. Acontece que a flor começou a ficar com inveja e ciúme da pipa.
  • 36. Invejar é ficar infeliz com as coisas que os outros têm e nós não temos; ter ciúme é sofrer por perceber a felicidade do outro quando a gente não está perto. A flor, por causa desses dois sentimentos, começou a pensar: se a pipa me amasse mesmo, não ficaria tão feliz longe de mim...
  • 37. Quando a pipa voltava de seu vôo, a flor não mais se mostrava feliz, estava sempre amargurada, querendo saber com quem a pipa estivera se divertindo. A partir daí, a flor começou a encurtar a linha, não permitindo à pipa voar alto. Foi encurtando a linha, até que a pipa só podia mesmo sobrevoar a flor.
  • 38. Esta história, segundo conta o autor, ainda não terminou e está acontecendo em algum lugar neste exato momento. Há três finais possíveis para ela...
  • 39. 1 - A pipa, cansada pela atitude da flor, resolveu romper a linha e procurar uma mão menos egoísta.
  • 40. 2 - A pipa, mesmo triste com a atitude da flor, decidiu ficar, mas nunca mais sorriu.
  • 41. 3 - A flor, na verdade, era um ser encantado. O encantamento se quebraria no dia em que ela visse a felicidade da pipa e não sentisse inveja nem ciúme. Isso aconteceu num belo dia de sol: a flor se transformou numa linda borboleta e as duas voaram juntas.
  • 42. Livro: “A pipa e a flor”, 2003, Editora Loyola
  • 44. Tarefa para o próximo encontro Leitura do texto “Os cinco espaços discursivos/ Os novos passos discursivos na escola.” De Ludmila Tomhé
  • 45. OBRIGADA PELA SUA PRESENÇA! Equipe Dyone Andrade e Ana Paula Simões.