SlideShare uma empresa Scribd logo
Principais
ferramentas de
Qualidade
Cartas de
Controle

Capabilidade do
processo

Conceitos
abordados
Diagrama de
Pareto

Diagrama de causa
e efeito (Ishikawa)
Diagrama de
Pareto
Possibilita “atacar” os problemas de uma
forma mais eficiente priorizando as causas
que se mostram responsáveis pela maior
parte das perdas.

80%

20%
Para construir um diagrama de Pareto é necessário

primeiro coletar os

dados e tabulá-los. Os dados tabulados (tipo de perda) deverá ter a sua
frequência de ocorrência para que se possa calcular a sua
frequência relativa e acumulada.
eixo horizontal serão as
categorias listadas (tipo de perda); o eixo vertical
corresponderá as frequências e as barras
representaram a quantidade de que determinada
perda acontece.
Por fim, constrói-se o digrama onde o

acrescentando a curva de
frequência acumulada.

É possível incrementar o diagrama de Pareto,
Diagrama de causa e
efeito (Ishikawa)
Para investigar prováveis causas de um problema
de qualidade; seu esquema lembra uma espinha de
peixe.
Para industrias as causas primárias são: material,
métodos, mão-de-obra, máquinas.
Para serviços as causas primárias são:
equipamentos, procedimentos, políticas e pessoal
1. Identificar o problema que deseja investigar
2. Escrever o problema dentro de um retângulo e
traçar uma linha reta a partir dele
3. Em torno dessa linha reta, escrever as causas
primárias em retângulos e ligá-los até a linha
central
4. Dentro de cada causa primária, identificar a sua
causa secundária, escrevendo-as em torno da
linha de cada causa primária.
Cartas ou gráficos de
Controle
Uma maneira visual que permite verificar o
desempenho do processo está nos limites de
especificação ou não; desta forma, há gráficos de
controle para atributos que estudam o
comportamento de números e proporções e gráficos
de controle para variáveis que estudam o
comportamento de variáveis como peso, dimensão.
Cartas de controle para
Atributos
● Gráfico de controle NP: monitora o número de itens nãoconformes em amostras de tamanho constante.
● Gráfico de controle P: monitora a proporção de itens nãoconformes em amostras de tamanho constante ou variável.
● Gráfico de controle C: monitora o número de itens nãoconformes em unidades de tamanho constante.
● Gráfico de controle U: monitora o número médio de itens
não-conformes em unidades de tamanho constante ou
variável.
Cartas de controle para
Variáveis

● Gráfico de controle X – R: monitora a variação da média (X) e
da amplitude (R), sendo recomendado para amostras
pequenas e de mesmo tamanho.
● Gráfico de controle X – S: monitora a variação da média e do
desvio padrão; sendo recomendado para amostras de
tamanho moderado (acima de 10) e amostras de tamanho
variável, quando o gráfico X - R não se aplica.
● Gráfico de controle para medidas individuais: monitora a
variação da média e da amplitude móvel de somente uma
amostra.
Capabilidade do
Processo
Consiste na avaliação do processo se atende ou não
as especificações estabelecidas; sendo que somente
os processos estáveis devem ter a sua capacidade
avaliada. Os índices de capacidade permitem
avaliar se o processo é capaz de gerar produtos
que atendem as especificações.
LSE = limite superior especificado
LIE = limite inferior especificado
x = média do processo
s = desvio padrão do processo
R = amplitude
D2 = valor pré-definido
Exemplos
Gráfico P
Causas diretamente ligadas à um
problema
1) Falta do produto na cor desejada pelo cliente
2) Produto no estoque danificado por manuseio inadequado no
CD
3) Falta de caminhão para entrega
4) Produto em estoque recebido com problema
5) Falta de empilhadeirista
6) Informação incompleta de endereço de entrega
7) Informação incompleta de cadastro do cliente
8) Incompatibilidade entre informação no sistema e estoque físico
Diagrama de
causa-efeito ou
Ishikawa
Tabela para
elaboração do
Diagrama de
Pareto
Motivo de entregas não realizadas

Número de
ocorrências

Porcentagem

Porcentagem
Acumulada

Incompatibilidade entre informação no sistema e
estoque fisico

53

27,75%

27,75%

Falta do produto na cor desejada pelo cliente

35

18,32%

46,07%

Produto no estoque danificado por manuseio
inadequado no CD

35

18,32%

64,40%

Informação incompleta de endereço de entrega

19

9,95%

74,35%

Produto em estoque recebido com problema

17

8,90%

83,25%

Falta de empilhadeirista

12

6,28%

89,53%

Informação incompleta de cadastro do cliente

11

5,76%

95,29%

Falta de caminhão para entrega

9

4,71%

100,00%

Total

191
80%
20%
Gráfico X
Gráfico R
Obrigada

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveisQuando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveis
Cassiano Augusto
 
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Sampaio
 
Introdução ao CEP
Introdução ao CEPIntrodução ao CEP
Introdução ao CEP
Harbor Inf. Indl.
 
Curso CEP Operadores
Curso CEP  OperadoresCurso CEP  Operadores
Curso CEP Operadores
Sergio Canossa
 
Cep apres dvs
Cep apres dvsCep apres dvs
Cep apres dvs
Divino Silva .'.
 
Process Capability
Process CapabilityProcess Capability
Process Capability
CLT Valuebased Services
 
CEP
CEPCEP
Aplicação De Ferramentas da Qualidade
Aplicação De Ferramentas da QualidadeAplicação De Ferramentas da Qualidade
Aplicação De Ferramentas da Qualidade
Mateus Eça
 
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrialProf.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Nilo Sampaio
 
Controle estatístico de processo - CEP
Controle estatístico de processo - CEPControle estatístico de processo - CEP
Controle estatístico de processo - CEP
David Marcus Mápelli
 
Ferramentas
FerramentasFerramentas
Ferramentas
Tħiago Ivo Pereira
 
Cep
CepCep
Cep
emc5714
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Sergio Dias
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
Claudio Correa
 
Controle estatístico do processo
Controle estatístico do processoControle estatístico do processo
Controle estatístico do processo
Jose Donizetti Moraes
 
As 7 novas ferramentas da qualidade
As 7 novas ferramentas da qualidadeAs 7 novas ferramentas da qualidade
As 7 novas ferramentas da qualidade
José Daniel Barros
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
Virginia Gonçalves
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
Mayra de Souza
 
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_francaApresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
Fernanda Farias
 

Mais procurados (19)

Quando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveisQuando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveis
 
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
 
Introdução ao CEP
Introdução ao CEPIntrodução ao CEP
Introdução ao CEP
 
Curso CEP Operadores
Curso CEP  OperadoresCurso CEP  Operadores
Curso CEP Operadores
 
Cep apres dvs
Cep apres dvsCep apres dvs
Cep apres dvs
 
Process Capability
Process CapabilityProcess Capability
Process Capability
 
CEP
CEPCEP
CEP
 
Aplicação De Ferramentas da Qualidade
Aplicação De Ferramentas da QualidadeAplicação De Ferramentas da Qualidade
Aplicação De Ferramentas da Qualidade
 
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrialProf.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
 
Controle estatístico de processo - CEP
Controle estatístico de processo - CEPControle estatístico de processo - CEP
Controle estatístico de processo - CEP
 
Ferramentas
FerramentasFerramentas
Ferramentas
 
Cep
CepCep
Cep
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
 
Controle estatístico do processo
Controle estatístico do processoControle estatístico do processo
Controle estatístico do processo
 
As 7 novas ferramentas da qualidade
As 7 novas ferramentas da qualidadeAs 7 novas ferramentas da qualidade
As 7 novas ferramentas da qualidade
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_francaApresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
Apresentao ferramentas da_qualidade_sergio_franca
 

Destaque

Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
Mauro Sobrenome
 
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºanoFerramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
CTDI Grupo5
 
Sistemas organizacionais e introdução á gestão
Sistemas organizacionais e introdução á gestãoSistemas organizacionais e introdução á gestão
Sistemas organizacionais e introdução á gestão
Sousa1973
 
Análise crítica pareto e ishikawa
Análise crítica   pareto e ishikawaAnálise crítica   pareto e ishikawa
Análise crítica pareto e ishikawa
rafaellamatos
 
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA IFerramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Anderson Pontes
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
João Rafael Lopes
 
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Rubia Soraya Rabello
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Pricila Yessayan
 
O que é qualidade
O que é qualidadeO que é qualidade
O que é qualidade
ELAINESILVEIRA
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Fabricio Pangoni
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
Virginia Gonçalves
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Alex Lourenco Dias
 
Serie ferramentas da qualidade
Serie ferramentas da qualidadeSerie ferramentas da qualidade
Serie ferramentas da qualidade
Ronielber Damasio
 
Ferramentas de Controle da Qualidade
Ferramentas de Controle da QualidadeFerramentas de Controle da Qualidade
Ferramentas de Controle da Qualidade
Ricardo Viana Vargas
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
blogcorreafabio
 
Pareto E Ishikawa Qualidade
Pareto E Ishikawa QualidadePareto E Ishikawa Qualidade
Pareto E Ishikawa Qualidade
Starfish :)
 
Analise de capabilidade do processo
Analise de capabilidade do processoAnalise de capabilidade do processo
Analise de capabilidade do processo
wallacegrasiel
 
Princípio de Pareto
Princípio de ParetoPrincípio de Pareto
Princípio de Pareto
Rodrigo Silva Pinto
 
Diagrama de Pareto Lean 6 Sigma
Diagrama de Pareto Lean 6 SigmaDiagrama de Pareto Lean 6 Sigma
Diagrama de Pareto Lean 6 Sigma
Actio Lean Consulting
 
Processo Decisório: Diagrama de Pareto
Processo Decisório: Diagrama de ParetoProcesso Decisório: Diagrama de Pareto
Processo Decisório: Diagrama de Pareto
Isabella Menezes
 

Destaque (20)

Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºanoFerramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
Ferramentas da Gestão da Qualidade-GQ-3ºano
 
Sistemas organizacionais e introdução á gestão
Sistemas organizacionais e introdução á gestãoSistemas organizacionais e introdução á gestão
Sistemas organizacionais e introdução á gestão
 
Análise crítica pareto e ishikawa
Análise crítica   pareto e ishikawaAnálise crítica   pareto e ishikawa
Análise crítica pareto e ishikawa
 
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA IFerramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
 
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
O que é qualidade
O que é qualidadeO que é qualidade
O que é qualidade
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Serie ferramentas da qualidade
Serie ferramentas da qualidadeSerie ferramentas da qualidade
Serie ferramentas da qualidade
 
Ferramentas de Controle da Qualidade
Ferramentas de Controle da QualidadeFerramentas de Controle da Qualidade
Ferramentas de Controle da Qualidade
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Pareto E Ishikawa Qualidade
Pareto E Ishikawa QualidadePareto E Ishikawa Qualidade
Pareto E Ishikawa Qualidade
 
Analise de capabilidade do processo
Analise de capabilidade do processoAnalise de capabilidade do processo
Analise de capabilidade do processo
 
Princípio de Pareto
Princípio de ParetoPrincípio de Pareto
Princípio de Pareto
 
Diagrama de Pareto Lean 6 Sigma
Diagrama de Pareto Lean 6 SigmaDiagrama de Pareto Lean 6 Sigma
Diagrama de Pareto Lean 6 Sigma
 
Processo Decisório: Diagrama de Pareto
Processo Decisório: Diagrama de ParetoProcesso Decisório: Diagrama de Pareto
Processo Decisório: Diagrama de Pareto
 

Semelhante a Principais ferramentas de qualidade

7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade 7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
Vanessa Cristina Dos Santos
 
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
silvioxavierjunior
 
Qualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
Qualidade das Ferramentas modelo ABC pptQualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
Qualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
CLEBERLOPES30
 
4. Controle Estatístico de Processos.pptx
4. Controle Estatístico de Processos.pptx4. Controle Estatístico de Processos.pptx
4. Controle Estatístico de Processos.pptx
RaulOliveira96
 
03 cep atributos1 (1)
03 cep atributos1 (1)03 cep atributos1 (1)
03 cep atributos1 (1)
raparecido2600
 
Ferramentas da qualidade 2.pptx
Ferramentas da qualidade  2.pptxFerramentas da qualidade  2.pptx
Ferramentas da qualidade 2.pptx
MidoriPitanga2
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Tiago Oliveira, Eng.
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Leonardo
 
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEPGuia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
Prof MSc Uanderson Rebula
 
7 Ferramentas Básicas Ou Clássicas
7 Ferramentas Básicas  Ou Clássicas7 Ferramentas Básicas  Ou Clássicas
7 Ferramentas Básicas Ou Clássicas
Instituto Monitor
 
05. ferramentas para a qualidade
05. ferramentas para a qualidade05. ferramentas para a qualidade
05. ferramentas para a qualidade
Alane Oliveira
 
Aula 7 - MASP - ferramentas da qualidade - 2019-1
Aula 7   - MASP -  ferramentas da qualidade - 2019-1Aula 7   - MASP -  ferramentas da qualidade - 2019-1
Aula 7 - MASP - ferramentas da qualidade - 2019-1
IFMG
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Carlos Oliveira
 
6 sigmas
6 sigmas6 sigmas
6 sigmas
Enock Viana
 
Ferramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
Ferramentas da QualidadeeeeeeeeeeeeeeeeeFerramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
Ferramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
raulmeirelesgpa
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
Romário Mota
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
Bruno Barros
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
Itamar Pereira Rezende
 
Apostila ferramentas QT
Apostila ferramentas QTApostila ferramentas QT
Apostila ferramentas QT
Marcos Magnanti
 
Análise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdfAnálise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdf
EricksonMendes
 

Semelhante a Principais ferramentas de qualidade (20)

7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade 7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
 
Qualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
Qualidade das Ferramentas modelo ABC pptQualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
Qualidade das Ferramentas modelo ABC ppt
 
4. Controle Estatístico de Processos.pptx
4. Controle Estatístico de Processos.pptx4. Controle Estatístico de Processos.pptx
4. Controle Estatístico de Processos.pptx
 
03 cep atributos1 (1)
03 cep atributos1 (1)03 cep atributos1 (1)
03 cep atributos1 (1)
 
Ferramentas da qualidade 2.pptx
Ferramentas da qualidade  2.pptxFerramentas da qualidade  2.pptx
Ferramentas da qualidade 2.pptx
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
 
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEPGuia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
Guia rápido para Controle Estatístico do Processo - CEP
 
7 Ferramentas Básicas Ou Clássicas
7 Ferramentas Básicas  Ou Clássicas7 Ferramentas Básicas  Ou Clássicas
7 Ferramentas Básicas Ou Clássicas
 
05. ferramentas para a qualidade
05. ferramentas para a qualidade05. ferramentas para a qualidade
05. ferramentas para a qualidade
 
Aula 7 - MASP - ferramentas da qualidade - 2019-1
Aula 7   - MASP -  ferramentas da qualidade - 2019-1Aula 7   - MASP -  ferramentas da qualidade - 2019-1
Aula 7 - MASP - ferramentas da qualidade - 2019-1
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
6 sigmas
6 sigmas6 sigmas
6 sigmas
 
Ferramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
Ferramentas da QualidadeeeeeeeeeeeeeeeeeFerramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
Ferramentas da Qualidadeeeeeeeeeeeeeeeee
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
 
9 7 ferramentas-qualidade
9   7 ferramentas-qualidade9   7 ferramentas-qualidade
9 7 ferramentas-qualidade
 
Apostila ferramentas QT
Apostila ferramentas QTApostila ferramentas QT
Apostila ferramentas QT
 
Análise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdfAnálise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdf
 

Mais de Nara Oliveira

Brasil holandês
Brasil holandêsBrasil holandês
Brasil holandês
Nara Oliveira
 
Escravidão indígena
Escravidão indígenaEscravidão indígena
Escravidão indígena
Nara Oliveira
 
Fase inicial da colonização (1530 1548)
Fase inicial da colonização (1530 1548)Fase inicial da colonização (1530 1548)
Fase inicial da colonização (1530 1548)
Nara Oliveira
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Nara Oliveira
 
Gerenciamento de materias: uso de ferramentas
Gerenciamento de materias: uso de ferramentasGerenciamento de materias: uso de ferramentas
Gerenciamento de materias: uso de ferramentas
Nara Oliveira
 
Definição da estratégia: o que levar em consideração
Definição da estratégia: o que levar em consideraçãoDefinição da estratégia: o que levar em consideração
Definição da estratégia: o que levar em consideração
Nara Oliveira
 
Conceitos básicos da Administração Estratégica
Conceitos básicos da Administração EstratégicaConceitos básicos da Administração Estratégica
Conceitos básicos da Administração Estratégica
Nara Oliveira
 
Qualidade do serviço numa concessionária
Qualidade do serviço numa concessionáriaQualidade do serviço numa concessionária
Qualidade do serviço numa concessionária
Nara Oliveira
 
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marcaEstudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
Nara Oliveira
 
Crescimento através da satisfação do cliente
Crescimento através da satisfação do clienteCrescimento através da satisfação do cliente
Crescimento através da satisfação do cliente
Nara Oliveira
 
MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção
Nara Oliveira
 
Logística - princípios básicos
Logística - princípios básicosLogística - princípios básicos
Logística - princípios básicos
Nara Oliveira
 
Itens para o sucesso de um serviços
Itens para o sucesso de um serviçosItens para o sucesso de um serviços
Itens para o sucesso de um serviços
Nara Oliveira
 
Princípios básicos da qualidade e seis sigma
Princípios básicos da qualidade e seis sigmaPrincípios básicos da qualidade e seis sigma
Princípios básicos da qualidade e seis sigma
Nara Oliveira
 
Introdução ao Marketing de Serviços
Introdução ao Marketing de ServiçosIntrodução ao Marketing de Serviços
Introdução ao Marketing de Serviços
Nara Oliveira
 

Mais de Nara Oliveira (15)

Brasil holandês
Brasil holandêsBrasil holandês
Brasil holandês
 
Escravidão indígena
Escravidão indígenaEscravidão indígena
Escravidão indígena
 
Fase inicial da colonização (1530 1548)
Fase inicial da colonização (1530 1548)Fase inicial da colonização (1530 1548)
Fase inicial da colonização (1530 1548)
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Gerenciamento de materias: uso de ferramentas
Gerenciamento de materias: uso de ferramentasGerenciamento de materias: uso de ferramentas
Gerenciamento de materias: uso de ferramentas
 
Definição da estratégia: o que levar em consideração
Definição da estratégia: o que levar em consideraçãoDefinição da estratégia: o que levar em consideração
Definição da estratégia: o que levar em consideração
 
Conceitos básicos da Administração Estratégica
Conceitos básicos da Administração EstratégicaConceitos básicos da Administração Estratégica
Conceitos básicos da Administração Estratégica
 
Qualidade do serviço numa concessionária
Qualidade do serviço numa concessionáriaQualidade do serviço numa concessionária
Qualidade do serviço numa concessionária
 
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marcaEstudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
Estudo de caso: uso do marketing de serviços para diferenciação da marca
 
Crescimento através da satisfação do cliente
Crescimento através da satisfação do clienteCrescimento através da satisfação do cliente
Crescimento através da satisfação do cliente
 
MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção
 
Logística - princípios básicos
Logística - princípios básicosLogística - princípios básicos
Logística - princípios básicos
 
Itens para o sucesso de um serviços
Itens para o sucesso de um serviçosItens para o sucesso de um serviços
Itens para o sucesso de um serviços
 
Princípios básicos da qualidade e seis sigma
Princípios básicos da qualidade e seis sigmaPrincípios básicos da qualidade e seis sigma
Princípios básicos da qualidade e seis sigma
 
Introdução ao Marketing de Serviços
Introdução ao Marketing de ServiçosIntrodução ao Marketing de Serviços
Introdução ao Marketing de Serviços
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 

Principais ferramentas de qualidade

  • 2. Cartas de Controle Capabilidade do processo Conceitos abordados Diagrama de Pareto Diagrama de causa e efeito (Ishikawa)
  • 3. Diagrama de Pareto Possibilita “atacar” os problemas de uma forma mais eficiente priorizando as causas que se mostram responsáveis pela maior parte das perdas. 80% 20%
  • 4. Para construir um diagrama de Pareto é necessário primeiro coletar os dados e tabulá-los. Os dados tabulados (tipo de perda) deverá ter a sua frequência de ocorrência para que se possa calcular a sua frequência relativa e acumulada. eixo horizontal serão as categorias listadas (tipo de perda); o eixo vertical corresponderá as frequências e as barras representaram a quantidade de que determinada perda acontece. Por fim, constrói-se o digrama onde o acrescentando a curva de frequência acumulada. É possível incrementar o diagrama de Pareto,
  • 5. Diagrama de causa e efeito (Ishikawa) Para investigar prováveis causas de um problema de qualidade; seu esquema lembra uma espinha de peixe. Para industrias as causas primárias são: material, métodos, mão-de-obra, máquinas. Para serviços as causas primárias são: equipamentos, procedimentos, políticas e pessoal
  • 6. 1. Identificar o problema que deseja investigar 2. Escrever o problema dentro de um retângulo e traçar uma linha reta a partir dele 3. Em torno dessa linha reta, escrever as causas primárias em retângulos e ligá-los até a linha central 4. Dentro de cada causa primária, identificar a sua causa secundária, escrevendo-as em torno da linha de cada causa primária.
  • 7. Cartas ou gráficos de Controle Uma maneira visual que permite verificar o desempenho do processo está nos limites de especificação ou não; desta forma, há gráficos de controle para atributos que estudam o comportamento de números e proporções e gráficos de controle para variáveis que estudam o comportamento de variáveis como peso, dimensão.
  • 8. Cartas de controle para Atributos ● Gráfico de controle NP: monitora o número de itens nãoconformes em amostras de tamanho constante. ● Gráfico de controle P: monitora a proporção de itens nãoconformes em amostras de tamanho constante ou variável. ● Gráfico de controle C: monitora o número de itens nãoconformes em unidades de tamanho constante. ● Gráfico de controle U: monitora o número médio de itens não-conformes em unidades de tamanho constante ou variável.
  • 9.
  • 10. Cartas de controle para Variáveis ● Gráfico de controle X – R: monitora a variação da média (X) e da amplitude (R), sendo recomendado para amostras pequenas e de mesmo tamanho. ● Gráfico de controle X – S: monitora a variação da média e do desvio padrão; sendo recomendado para amostras de tamanho moderado (acima de 10) e amostras de tamanho variável, quando o gráfico X - R não se aplica. ● Gráfico de controle para medidas individuais: monitora a variação da média e da amplitude móvel de somente uma amostra.
  • 11. Capabilidade do Processo Consiste na avaliação do processo se atende ou não as especificações estabelecidas; sendo que somente os processos estáveis devem ter a sua capacidade avaliada. Os índices de capacidade permitem avaliar se o processo é capaz de gerar produtos que atendem as especificações.
  • 12. LSE = limite superior especificado LIE = limite inferior especificado x = média do processo s = desvio padrão do processo R = amplitude D2 = valor pré-definido
  • 15. Causas diretamente ligadas à um problema 1) Falta do produto na cor desejada pelo cliente 2) Produto no estoque danificado por manuseio inadequado no CD 3) Falta de caminhão para entrega 4) Produto em estoque recebido com problema 5) Falta de empilhadeirista 6) Informação incompleta de endereço de entrega 7) Informação incompleta de cadastro do cliente 8) Incompatibilidade entre informação no sistema e estoque físico
  • 18. Motivo de entregas não realizadas Número de ocorrências Porcentagem Porcentagem Acumulada Incompatibilidade entre informação no sistema e estoque fisico 53 27,75% 27,75% Falta do produto na cor desejada pelo cliente 35 18,32% 46,07% Produto no estoque danificado por manuseio inadequado no CD 35 18,32% 64,40% Informação incompleta de endereço de entrega 19 9,95% 74,35% Produto em estoque recebido com problema 17 8,90% 83,25% Falta de empilhadeirista 12 6,28% 89,53% Informação incompleta de cadastro do cliente 11 5,76% 95,29% Falta de caminhão para entrega 9 4,71% 100,00% Total 191