SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
GESTÃO DA QUALIDADE
Administração Geral II – Prof. Francisco ScarfonifiFATEC-SP
Administração da Qualidade
Eras da História da Qualidade
Era da Inspeção
 Observação direta do produto ou serviço pelo
fornecedor;
 Produtos e serviços inspecionados
um a um ou aleatoriamente.
Era do Controle Estatístico
 Observação direta do produto ou serviço pelo
fornecedor, ao final do processo produtivo;
 Produtos e serviços inspecionados com base em
amostras
Era da Qualidade Total
 Produtos e serviços definidos com base nos
interesses do consumidor;
 Observação de produtos e serviços durante o
processo produtivo;
 Qualidade garantida do fornecedor ao cliente.
Definição de Qualidade
Definição de Qualidade
 A excelência é característica que distingue algo
pela superioridade em relação aos semelhantes;
 Qualidade como sinônimo de melhor, ou de nível
mais alto de desempenho.
Definição de Qualidade
 Qualidade significa a aplicação dos melhores talentos e
esforços para produzir os resultados mais elevados.
 Fazer as coisas bem feitas.
 Qualidade é alcançar, ou procurar alcançar, o padrão
mais alto, em lugar de contentar-se com o que é frágil.
 A qualidade não admite compromisso com a segunda
classe.
+ Qualidade = >Valor
 1951, Feigenbaum
 Qualidade não tem os sentido popular de “melhor”.
 Qualidade significa melhor para determinadas
condições do cliente. Estas condições são a utilização e
o preço de venda do produto. A qualidade não pode ser
vista independente do custo.
 Qualidade inferior e qualidade superior
 Mais qualidade custa mais. Como disse Freud:
“Se você quiser qualidade, tem que pagar por ela.”
Conformidade com Especificações
 Segundo a perspectiva da engenharia, qualidade
significa o conjunto das características de um
produto ou serviço.
 Descrevem o produto ou serviço em termos de sua
utilidade, desempenho ou de seus atributos.
 Qualidade planejada.
Qualidade Real
 Qualidade é o atendimento das especificações
previstas, pelos produtos ou pelos serviços.
 Qualidade de conformação, conformidade ou
aceitação.
Regularidade
 Qualidade é sinônimo de regularidade ou
confiabilidade.
Adequação ao Uso
 Compreende as características
do produto que atendem às
necessidade ou interesses do
cliente;
 Clientes satisfeitos com o
produto ou serviço;
 Produtos e serviços mais
competitivos;
 Melhor desempenho da
empresa.
 Maior eficiência dos recursos
produtivos;
 Maior satisfação do cliente
com o desempenho dos
produtos e serviços;
 Custos menores de inspeção
e controle;
 Tempo menor para a
colocação e consolidação de
novos produtos no mercado.
QUALIDADE DE PROJETO AUSÊNCIA DE DEFICIÊNCIAS
Custos da Qualidade
 Requer investimentos compõem os custos da
qualidade;
 Evita os custos de não-qualidade.
Custos da Qualidade
 Planejamento do processo de
controle da qualidade
 Treinamento para a qualidade
 Desenvolvimento de fornecedores
 Desenvolvimento de produtos com
qualidade
 Desenvolvimento do sistema de
produção
 Manutenção preventiva
 Implantação e manutenção de outros
componentes do sistema de
qualidade
 Mensuração e teste de matérias-
primas e insumos da produção
 Aquisição de equipamentos
especiais para avaliação de produtos
 Realização de atividades de controle
estatístico de processo
 Inspeção
 Elaboração de relatórios
CUSTOS DE PREVENÇÃO CUSTO DE AVALIAÇÃO
Custos da Não-Qualidade
 Matérias-primas e produtos
refugados
 Produtos que precisam ser
retrabalhados
 Modificações nos processos
produtivos
 Perda de receita
 Tempo de espera dos equipamentos
parados para correções
 Pressa e tensão para entrega dos
produtos corrigidos ou consertados
 Cumprimento das garantias
oferecidas ao cliente
 Perda de encomendas
 Processamento de devoluções
 Custos de processos nos organismos
de defesa dos consumidores
 Comprometimento da imagem
 Perda de clientes no mercado
CUSTOS INTERNOS DOS DEFEITOS CUSTOS EXTERNOS DOS DEFEITOS
Cliente em Primeiro Lugar
O cliente busca:
 desempenho,
 características,
 confiabilidade,
 conformidade,
 durabilidade,
 atendimento,
 estética e;
 qualidade percebida.
 Quality Function Deployment
(QFD):
 Planejamento do produto
 Detalhamento das peças e
componentes
 Planejamento do processo
 Planejamento da produção
O cliente é, na moderna
administração, o ponto de
partida para definir a
qualidade.
Gurus da Qualidade
Departamento de controle da qualidade
I – Estabelecer padrões
II – Avaliar o desempenho
III – Agir quando necessário
IV – Planejar aprimoramento
Feigenbaum
A prosperidade abaixa o nível
 A quantidade de produção torna-se mais importante
do que a qualidade.
A era da Qualidade Total
 Freigenbaun apresenta em 1961 uma visão
evoluída de qualidade (TQC – Total Quality
Control).
 Foco no cliente
A JUSE encontra Deming
 Japão torna a qualidade uma
obsessão nacional.
 Em 1950, JUSE convida o
Dr. Willian Edwards Deming para visitar Japão.
A JUSE encontra Deming
 Predominância do cliente;
 Importância da mentalidade preventiva;
 Necessidade de envolvimento da alta
administração.
Juran
 Dr. Joseph M. Juran, nascido
em 1904.
 Engenheiro eletrotécnico.
 A qualidade não se aplica somente à manufatura e a
inspeção, mas em todas as áreas funcionais e
operacionais da organização.
Os 14 pontos de Deming
1. Criar constância de propósitos na melhoria contínua de produtos e serviços
2. Adoção da nova filosofia
3. Não depender da inspeção em massa
4. Cessar a prática de avaliar as transações apenas com base nos preços
5. Melhorar continuamente o sistema de produção e serviços
6. Instituir o treinamento profissional do pessoal
7. Instituir a liderança
8. Eliminar o medo
9. Romper as barreiras entre os departamentos
10. Eliminar "slogans" e exortações para o pessoal
11. Eliminar quotas numéricas
12. Exclua as barreiras entre o operário e o seu direito de mostrar suas
habilidades
13. Instituir um vigoroso programa de educação e reciclagens nos novos
métodos
14. Agir no sentido de concretizar a transformação
Plano de ação para colocar em prática os 14
princípios.
Ciclo PDCA
Maturidade da Qualidade Total
Garantia de Qualidade e Auditoria
de Sistema
 Ênfase na qualidade
do produto ou serviço;
 Problema dpto de
qualidade;
 Como fazer um
produto ou serviço ter
maior qualidade?
 Ênfase na qualidade
total;
 Qualidade passa a ser
problema de todos;
 Como garantir
qualidade nos
produtos e serviços?
ERA DA INSPEÇÃO E DO
CONTROLE ESTATÍSTICO
ERA DA QUALIDADE TOTAL
Garantia da Qualidade
 Pressão da concorrência;
 Custos altos ao controlar produtos e serviços
entregues pelos fornecedores;
 Nova exigência aos fornecedores:
 Qualidade Assegurada;
 Auditoria dos Produtos e Serviços;
 Dpto de Qualidade;
 Especificações precisas de produtos e serviços;
 Sistema de Qualidade.
Auditoria de Sistema
 Certificar-se da qualidade garantida de seu
fornecedor, através de:
 Auditores
 Perguntas;
 Critérios;
 Manual de Avaliação.
Sistemas de Qualidades
Normas ISO
 Fundada em 1947;
 Sede em Genebra;
 + de 18.000 padrões de conjuntos internacionais;
 150 países utilizam a norma;
 Missão:
Promover o desenvolvimento da normalização, e
atividades correlatas, no mundo, com os objetivos de
facilitar as trocas internacionais de bens e serviços e
de desenvolver a cooperação nos campos da atividade
intelectual, científica, tecnológica e econômica.
Objetivos
 Objetivos da normatização:
 Proteger a população em aspectos relacionados com a saúde
e segurança;
 Definir os requisitos necessários à obtenção da qualidade
requerida pelo cliente;
 Dar solução para problemas repetitivos, aumentando a
produtividade e reduzindo os desperdícios, colaborando
assim para a conservação de recursos naturais e do meio
ambiente;
 Assegurar a absorção e transferência de tecnologia;
 Facilitar o comércio internacional.
Vantagens
 Maior participação no mercado;
 Maior satisfação dos clientes;
 Redução de custos;
 Melhoria na produção;
 Maior competitividade;
 Maior lucro.
 Maior confiança nos produtos da
organização;
 Redução de custos;
 Satisfação em relação aos
produtos adquiridos;
 Melhor atendimento em caso de
reclamações.
PARA A ORGANIZAÇÃO: PARA OS CLIENTES:
 Menor conflitos no trabalho e maior integração entre setores;
 Maior desenvolvimento individual em cada tarefa;
 Maiores oportunidades de treinamento;
 Menores possibilidades de acidentes de trabalho;
 Melhores condições para acompanhar e controlar os processos;
 Melhoria da qualidade e da produtividade.
PARA OS COLABORADORES:
ABNT
 Fundada em 1940;
 Membro fundador:
 ISO (International Organization for Standardization);
 COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas)
 AMN (Associação Mercosul de Normalização).
 Representante exclusiva das seguintes entidades
internacionais:
 ISO (International Organization for Standardization),
 IEC (International Electrotechnical Comission);
 E das entidades de normalização regional:
 COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas)
 AMN (Associação Mercosul de Normalização).
Normas ISO 9000
 Publicada em1987;
 Preocupação com a qualidade.
 atender aos requisitos de qualidade do consumidor;
 atender aos requisitos regulatórios aplicáveis;
 melhorar a satisfação dos consumidores; e
 conseguir uma contínua melhora no seu desempenho
em busca desses objetivos.
Normas ISO 14000
 Publicada em 1996;
 Preocupação com o ambiente:
 minimizar os efeitos danosos ao meio ambiente causados
por suas atividades; e
 conseguir uma contínua melhora no seu desempenho
ambiental.
 Vantagens
 Credibilidade:
 Reconhecimento:
 Uso Eficiente dos Recursos
 Melhoria na relação com os fornecedores, funcionários e
clientes:
Prêmios da Qualidade
Prêmio Deming
 Últimos Vencedores:
 Prêmio Individual:
 Dr. Hiroshi Osada, Professor, Faculdade de Gestão de
Inovação, Instituto de Tecnologia em Tóquio
 Prêmio de Aplicação:
 Niigata Diamond Electric Co., Ltd. (Japan)
 The Siam White Cement Company Limited (Thailand)
Prêmio Deming
 Últimos Vencedores:
 Prêmio de Controle da Qualidade para Operação de
Unidades Empresariais
 Reliance Industries Limited, Hazira Manufacturing
Division (India)
 Medalha de Qualidade Japonesa
 Mahindra & Mahindra Limited, Farm Equipment Sector
(India)
 Últimos Vencedores
 Prêmio para Produção
 Honeywell Federal Manufacturing & Technologies
 Prêmio para Pequeno Negócio
 MidwayUSA
 Prêmio para Cuidado a Saúde
 AtlantiCare
 Heartland Health
 Prêmio para Organizações Sem Fins Lucrativos
 VA Cooperative Studies Program Clinical Research
Pharmacy Coordinating Center
Prêmio Baldrige
Prêmio Europeu
 Últimos Vencedores
 Prêmio de Focus no Consumidor
 Bradstow School (Reino Unido)
 NXP Sound Solutions (Austria)
 Prêmio de Liderança e Firmeza nos Objetivos
 EDF Direction Commerciale Region Est (França)
 St. Colman's College (Irlanda do Norte)
 Volkswagen Motor Polska (Polônia)
 Prêmio de Aprendizagem Contínua, Inovação e
Modernização
 EiTB (Espanha)
 Robert Bosch (France) SAS - Rodez Plant (França)
Prêmio Nacional da Qualidade
 Últimos Vencedores:
Bibliografia
Bibibliografia
 ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS . Conheça a ABNT.
Disponível em: <http://www.abnt.org.br/m3.asp?cod_pagina=929>. Acesso em: 1 out. 2010.
 BALDRIGE NATIONAL QUALITY PROGRAM. Baldrige Award Recipients' Contacts
and Profiles. Disponível em: <http://www.baldrige.nist.gov/Contacts_Profiles.htm>. Acesso
em: 26 set. 2010.
 EFQM EXCELLENCE AWARD. EFQM Excellence Award 2009. Disponível em:
<http://www.efqm.org/en/Home/theEFQMnetwork/Awardwinners/EFQMExcellenceAward20
08/tabid/224/Default.aspx>. Acesso em: 26 set. 2010.
 ISO - INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDIRZATION. Key markers in
ISO's history. Disponível em: <http://www.iso.org/iso/about/the_iso_story.htm>. Acesso em:
26 set. 2010.
 MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Administração da Qualidade. In: Teoria Geral da
Administraçao. São Paulo: Atlas, 2006. p. 155-183.
 RAMIREZ, Prof.. Gestão da Qualidade. São Paulo: Fatec-zl, 2010. 62 p.
 THE W. EDWARDS DEMING INSTITUTE (Org.). Deming Prize Winners. Disponível em:
<http://deming.org/index.cfm?content=52>. Acesso em: 26 set. 2010.
Ana Lívia Severo Moreira 10108331
Débora Xavier de Souza 10108287
Gabriela Mayara Villela Xavier 10108358
Pricila Yessayan 10108251
Grupo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
Guilmour Rossi
 

Mais procurados (20)

Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
 
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
 
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2Aula de fundamentos da qualidade   1 e 2
Aula de fundamentos da qualidade 1 e 2
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Qualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalhoQualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalho
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
O que é ISO
O que é ISOO que é ISO
O que é ISO
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Slides controle de qualidade
Slides controle de qualidadeSlides controle de qualidade
Slides controle de qualidade
 
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
Gestão da qualidade - ISO 9001:2015
 
PDCA - OPERAÇÃO
PDCA - OPERAÇÃOPDCA - OPERAÇÃO
PDCA - OPERAÇÃO
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Treinamento & Desenvolvimento
Treinamento & DesenvolvimentoTreinamento & Desenvolvimento
Treinamento & Desenvolvimento
 
Fluxograma de-processos
Fluxograma de-processosFluxograma de-processos
Fluxograma de-processos
 

Destaque (8)

Qualidade Total
Qualidade TotalQualidade Total
Qualidade Total
 
Garantia e Controle da Qualidade no Laboratorio Clinico
Garantia e Controle da Qualidade no Laboratorio ClinicoGarantia e Controle da Qualidade no Laboratorio Clinico
Garantia e Controle da Qualidade no Laboratorio Clinico
 
Aula 2 controle da qualidade total
Aula 2  controle da qualidade totalAula 2  controle da qualidade total
Aula 2 controle da qualidade total
 
Controle de Qualidade - LAC
Controle de Qualidade - LACControle de Qualidade - LAC
Controle de Qualidade - LAC
 
Aula 17 círculo de controle da qualidade
Aula 17   círculo de controle da qualidadeAula 17   círculo de controle da qualidade
Aula 17 círculo de controle da qualidade
 
Administração da Produção
Administração da ProduçãoAdministração da Produção
Administração da Produção
 
Controle de qualidade
Controle de qualidadeControle de qualidade
Controle de qualidade
 
Adm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidadeAdm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidade
 

Semelhante a Gestão da qualidade

Qualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacionalQualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacional
daianadelima
 
Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]
emc5714
 
Conceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de softwareConceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de software
Ronney Moreira de Castro
 
Gestão da Qualidade e do Ambiente
Gestão da Qualidade e do AmbienteGestão da Qualidade e do Ambiente
Gestão da Qualidade e do Ambiente
zbam
 
Aula qualidade cert_day1
Aula qualidade cert_day1Aula qualidade cert_day1
Aula qualidade cert_day1
Danilo Macarini
 

Semelhante a Gestão da qualidade (20)

Qualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacionalQualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacional
 
Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]
 
Iso's
Iso'sIso's
Iso's
 
apresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power pointapresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power point
 
Qualidade senai
Qualidade senaiQualidade senai
Qualidade senai
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
 
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.WhellissonGestão da qualidade- Me.Whellisson
Gestão da qualidade- Me.Whellisson
 
Conceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de softwareConceitos de básicos de qualidade de software
Conceitos de básicos de qualidade de software
 
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
ConceitosdebsicosdequalidadedesoftwareConceitosdebsicosdequalidadedesoftware
Conceitosdebsicosdequalidadedesoftware
 
A Administração da Qualidade e a filosofia da Qualidade Total
A Administração da Qualidade e a filosofia da Qualidade TotalA Administração da Qualidade e a filosofia da Qualidade Total
A Administração da Qualidade e a filosofia da Qualidade Total
 
Aula 1 controle de qualidade na ind. de alimentos
Aula 1   controle de qualidade na ind. de alimentosAula 1   controle de qualidade na ind. de alimentos
Aula 1 controle de qualidade na ind. de alimentos
 
Cap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.pptCap_6Qualidade_total.ppt
Cap_6Qualidade_total.ppt
 
Aula 4 -Qualidade do Processo.pptx
Aula 4 -Qualidade do Processo.pptxAula 4 -Qualidade do Processo.pptx
Aula 4 -Qualidade do Processo.pptx
 
Gestão da Qualidade e do Ambiente
Gestão da Qualidade e do AmbienteGestão da Qualidade e do Ambiente
Gestão da Qualidade e do Ambiente
 
Introdução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de SoftwareIntrodução à Qualidade de Software
Introdução à Qualidade de Software
 
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx1206131644_slides_qualidade[1].pptx
1206131644_slides_qualidade[1].pptx
 
126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt126131644_slides_qualidade.ppt
126131644_slides_qualidade.ppt
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Aula qualidade cert_day1
Aula qualidade cert_day1Aula qualidade cert_day1
Aula qualidade cert_day1
 
Qualidade e a sua Conceituação.ppt
Qualidade e a sua Conceituação.pptQualidade e a sua Conceituação.ppt
Qualidade e a sua Conceituação.ppt
 

Mais de Pricila Yessayan

Mais de Pricila Yessayan (20)

Para que segurança da informação?
Para que segurança da informação?Para que segurança da informação?
Para que segurança da informação?
 
Explorando sistemas de gestão de relacionamento com o cliente
Explorando sistemas de gestão de relacionamento com o clienteExplorando sistemas de gestão de relacionamento com o cliente
Explorando sistemas de gestão de relacionamento com o cliente
 
Tipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizaçõesTipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizações
 
Por que as empresas precisam de servidor?
Por que as empresas precisam de servidor?Por que as empresas precisam de servidor?
Por que as empresas precisam de servidor?
 
O quanto eu tenho contato com computadores
O quanto eu tenho contato com computadoresO quanto eu tenho contato com computadores
O quanto eu tenho contato com computadores
 
Comércio internacional e integração regional
Comércio internacional e integração regionalComércio internacional e integração regional
Comércio internacional e integração regional
 
Sistemas de recompensa e reconhecimento
Sistemas de recompensa e reconhecimentoSistemas de recompensa e reconhecimento
Sistemas de recompensa e reconhecimento
 
Análise do filme "Invictus"
Análise do filme "Invictus"Análise do filme "Invictus"
Análise do filme "Invictus"
 
Análise de uma avaliação de desempenho
Análise de uma avaliação de desempenhoAnálise de uma avaliação de desempenho
Análise de uma avaliação de desempenho
 
Grandes marcas tentam novas táticas para reter a atenção do consumidor
Grandes marcas tentam novas táticas para reter a atenção do consumidorGrandes marcas tentam novas táticas para reter a atenção do consumidor
Grandes marcas tentam novas táticas para reter a atenção do consumidor
 
Impacto do descarte de produtos no meio ambiente
Impacto do descarte de produtos no meio ambienteImpacto do descarte de produtos no meio ambiente
Impacto do descarte de produtos no meio ambiente
 
Conhecimento e classificação dos custos logísticos
Conhecimento e classificação dos custos logísticosConhecimento e classificação dos custos logísticos
Conhecimento e classificação dos custos logísticos
 
Estudo de caso - Nestlé
Estudo de caso - NestléEstudo de caso - Nestlé
Estudo de caso - Nestlé
 
Logística tradicional x logística virtual (e-commerce)
Logística tradicional x logística virtual (e-commerce)Logística tradicional x logística virtual (e-commerce)
Logística tradicional x logística virtual (e-commerce)
 
Impacto do descarte de produtos no meio ambiente
Impacto do descarte de produtos no meio ambienteImpacto do descarte de produtos no meio ambiente
Impacto do descarte de produtos no meio ambiente
 
Um dia de cliente oculto - SESC
Um dia de cliente oculto - SESCUm dia de cliente oculto - SESC
Um dia de cliente oculto - SESC
 
Campanha da Natura - Amó
Campanha da Natura - AmóCampanha da Natura - Amó
Campanha da Natura - Amó
 
Então, vamos analisar DRE
Então, vamos analisar DREEntão, vamos analisar DRE
Então, vamos analisar DRE
 
Então, vamos falar de métodos de análise de financiamento
Então, vamos falar de métodos de análise de financiamentoEntão, vamos falar de métodos de análise de financiamento
Então, vamos falar de métodos de análise de financiamento
 
Então, pronto para falarmos de VP, VPL e TIR
Então, pronto para falarmos de VP, VPL e TIREntão, pronto para falarmos de VP, VPL e TIR
Então, pronto para falarmos de VP, VPL e TIR
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 

Gestão da qualidade

  • 1. GESTÃO DA QUALIDADE Administração Geral II – Prof. Francisco ScarfonifiFATEC-SP
  • 3. Eras da História da Qualidade
  • 4. Era da Inspeção  Observação direta do produto ou serviço pelo fornecedor;  Produtos e serviços inspecionados um a um ou aleatoriamente.
  • 5. Era do Controle Estatístico  Observação direta do produto ou serviço pelo fornecedor, ao final do processo produtivo;  Produtos e serviços inspecionados com base em amostras
  • 6. Era da Qualidade Total  Produtos e serviços definidos com base nos interesses do consumidor;  Observação de produtos e serviços durante o processo produtivo;  Qualidade garantida do fornecedor ao cliente.
  • 8. Definição de Qualidade  A excelência é característica que distingue algo pela superioridade em relação aos semelhantes;  Qualidade como sinônimo de melhor, ou de nível mais alto de desempenho.
  • 9. Definição de Qualidade  Qualidade significa a aplicação dos melhores talentos e esforços para produzir os resultados mais elevados.  Fazer as coisas bem feitas.  Qualidade é alcançar, ou procurar alcançar, o padrão mais alto, em lugar de contentar-se com o que é frágil.  A qualidade não admite compromisso com a segunda classe.
  • 10. + Qualidade = >Valor  1951, Feigenbaum  Qualidade não tem os sentido popular de “melhor”.  Qualidade significa melhor para determinadas condições do cliente. Estas condições são a utilização e o preço de venda do produto. A qualidade não pode ser vista independente do custo.  Qualidade inferior e qualidade superior  Mais qualidade custa mais. Como disse Freud: “Se você quiser qualidade, tem que pagar por ela.”
  • 11. Conformidade com Especificações  Segundo a perspectiva da engenharia, qualidade significa o conjunto das características de um produto ou serviço.  Descrevem o produto ou serviço em termos de sua utilidade, desempenho ou de seus atributos.  Qualidade planejada.
  • 12. Qualidade Real  Qualidade é o atendimento das especificações previstas, pelos produtos ou pelos serviços.  Qualidade de conformação, conformidade ou aceitação.
  • 13. Regularidade  Qualidade é sinônimo de regularidade ou confiabilidade.
  • 14. Adequação ao Uso  Compreende as características do produto que atendem às necessidade ou interesses do cliente;  Clientes satisfeitos com o produto ou serviço;  Produtos e serviços mais competitivos;  Melhor desempenho da empresa.  Maior eficiência dos recursos produtivos;  Maior satisfação do cliente com o desempenho dos produtos e serviços;  Custos menores de inspeção e controle;  Tempo menor para a colocação e consolidação de novos produtos no mercado. QUALIDADE DE PROJETO AUSÊNCIA DE DEFICIÊNCIAS
  • 15. Custos da Qualidade  Requer investimentos compõem os custos da qualidade;  Evita os custos de não-qualidade.
  • 16. Custos da Qualidade  Planejamento do processo de controle da qualidade  Treinamento para a qualidade  Desenvolvimento de fornecedores  Desenvolvimento de produtos com qualidade  Desenvolvimento do sistema de produção  Manutenção preventiva  Implantação e manutenção de outros componentes do sistema de qualidade  Mensuração e teste de matérias- primas e insumos da produção  Aquisição de equipamentos especiais para avaliação de produtos  Realização de atividades de controle estatístico de processo  Inspeção  Elaboração de relatórios CUSTOS DE PREVENÇÃO CUSTO DE AVALIAÇÃO
  • 17. Custos da Não-Qualidade  Matérias-primas e produtos refugados  Produtos que precisam ser retrabalhados  Modificações nos processos produtivos  Perda de receita  Tempo de espera dos equipamentos parados para correções  Pressa e tensão para entrega dos produtos corrigidos ou consertados  Cumprimento das garantias oferecidas ao cliente  Perda de encomendas  Processamento de devoluções  Custos de processos nos organismos de defesa dos consumidores  Comprometimento da imagem  Perda de clientes no mercado CUSTOS INTERNOS DOS DEFEITOS CUSTOS EXTERNOS DOS DEFEITOS
  • 18. Cliente em Primeiro Lugar O cliente busca:  desempenho,  características,  confiabilidade,  conformidade,  durabilidade,  atendimento,  estética e;  qualidade percebida.  Quality Function Deployment (QFD):  Planejamento do produto  Detalhamento das peças e componentes  Planejamento do processo  Planejamento da produção O cliente é, na moderna administração, o ponto de partida para definir a qualidade.
  • 20. Departamento de controle da qualidade I – Estabelecer padrões II – Avaliar o desempenho III – Agir quando necessário IV – Planejar aprimoramento Feigenbaum
  • 21. A prosperidade abaixa o nível  A quantidade de produção torna-se mais importante do que a qualidade.
  • 22. A era da Qualidade Total  Freigenbaun apresenta em 1961 uma visão evoluída de qualidade (TQC – Total Quality Control).  Foco no cliente
  • 23. A JUSE encontra Deming  Japão torna a qualidade uma obsessão nacional.  Em 1950, JUSE convida o Dr. Willian Edwards Deming para visitar Japão.
  • 24. A JUSE encontra Deming  Predominância do cliente;  Importância da mentalidade preventiva;  Necessidade de envolvimento da alta administração.
  • 25. Juran  Dr. Joseph M. Juran, nascido em 1904.  Engenheiro eletrotécnico.  A qualidade não se aplica somente à manufatura e a inspeção, mas em todas as áreas funcionais e operacionais da organização.
  • 26. Os 14 pontos de Deming 1. Criar constância de propósitos na melhoria contínua de produtos e serviços 2. Adoção da nova filosofia 3. Não depender da inspeção em massa 4. Cessar a prática de avaliar as transações apenas com base nos preços 5. Melhorar continuamente o sistema de produção e serviços 6. Instituir o treinamento profissional do pessoal 7. Instituir a liderança 8. Eliminar o medo 9. Romper as barreiras entre os departamentos 10. Eliminar "slogans" e exortações para o pessoal 11. Eliminar quotas numéricas 12. Exclua as barreiras entre o operário e o seu direito de mostrar suas habilidades 13. Instituir um vigoroso programa de educação e reciclagens nos novos métodos 14. Agir no sentido de concretizar a transformação
  • 27. Plano de ação para colocar em prática os 14 princípios. Ciclo PDCA
  • 29. Garantia de Qualidade e Auditoria de Sistema  Ênfase na qualidade do produto ou serviço;  Problema dpto de qualidade;  Como fazer um produto ou serviço ter maior qualidade?  Ênfase na qualidade total;  Qualidade passa a ser problema de todos;  Como garantir qualidade nos produtos e serviços? ERA DA INSPEÇÃO E DO CONTROLE ESTATÍSTICO ERA DA QUALIDADE TOTAL
  • 30. Garantia da Qualidade  Pressão da concorrência;  Custos altos ao controlar produtos e serviços entregues pelos fornecedores;  Nova exigência aos fornecedores:  Qualidade Assegurada;  Auditoria dos Produtos e Serviços;  Dpto de Qualidade;  Especificações precisas de produtos e serviços;  Sistema de Qualidade.
  • 31. Auditoria de Sistema  Certificar-se da qualidade garantida de seu fornecedor, através de:  Auditores  Perguntas;  Critérios;  Manual de Avaliação.
  • 33. Normas ISO  Fundada em 1947;  Sede em Genebra;  + de 18.000 padrões de conjuntos internacionais;  150 países utilizam a norma;  Missão: Promover o desenvolvimento da normalização, e atividades correlatas, no mundo, com os objetivos de facilitar as trocas internacionais de bens e serviços e de desenvolver a cooperação nos campos da atividade intelectual, científica, tecnológica e econômica.
  • 34. Objetivos  Objetivos da normatização:  Proteger a população em aspectos relacionados com a saúde e segurança;  Definir os requisitos necessários à obtenção da qualidade requerida pelo cliente;  Dar solução para problemas repetitivos, aumentando a produtividade e reduzindo os desperdícios, colaborando assim para a conservação de recursos naturais e do meio ambiente;  Assegurar a absorção e transferência de tecnologia;  Facilitar o comércio internacional.
  • 35. Vantagens  Maior participação no mercado;  Maior satisfação dos clientes;  Redução de custos;  Melhoria na produção;  Maior competitividade;  Maior lucro.  Maior confiança nos produtos da organização;  Redução de custos;  Satisfação em relação aos produtos adquiridos;  Melhor atendimento em caso de reclamações. PARA A ORGANIZAÇÃO: PARA OS CLIENTES:  Menor conflitos no trabalho e maior integração entre setores;  Maior desenvolvimento individual em cada tarefa;  Maiores oportunidades de treinamento;  Menores possibilidades de acidentes de trabalho;  Melhores condições para acompanhar e controlar os processos;  Melhoria da qualidade e da produtividade. PARA OS COLABORADORES:
  • 36. ABNT  Fundada em 1940;  Membro fundador:  ISO (International Organization for Standardization);  COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas)  AMN (Associação Mercosul de Normalização).  Representante exclusiva das seguintes entidades internacionais:  ISO (International Organization for Standardization),  IEC (International Electrotechnical Comission);  E das entidades de normalização regional:  COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas)  AMN (Associação Mercosul de Normalização).
  • 37. Normas ISO 9000  Publicada em1987;  Preocupação com a qualidade.  atender aos requisitos de qualidade do consumidor;  atender aos requisitos regulatórios aplicáveis;  melhorar a satisfação dos consumidores; e  conseguir uma contínua melhora no seu desempenho em busca desses objetivos.
  • 38. Normas ISO 14000  Publicada em 1996;  Preocupação com o ambiente:  minimizar os efeitos danosos ao meio ambiente causados por suas atividades; e  conseguir uma contínua melhora no seu desempenho ambiental.  Vantagens  Credibilidade:  Reconhecimento:  Uso Eficiente dos Recursos  Melhoria na relação com os fornecedores, funcionários e clientes:
  • 40. Prêmio Deming  Últimos Vencedores:  Prêmio Individual:  Dr. Hiroshi Osada, Professor, Faculdade de Gestão de Inovação, Instituto de Tecnologia em Tóquio  Prêmio de Aplicação:  Niigata Diamond Electric Co., Ltd. (Japan)  The Siam White Cement Company Limited (Thailand)
  • 41. Prêmio Deming  Últimos Vencedores:  Prêmio de Controle da Qualidade para Operação de Unidades Empresariais  Reliance Industries Limited, Hazira Manufacturing Division (India)  Medalha de Qualidade Japonesa  Mahindra & Mahindra Limited, Farm Equipment Sector (India)
  • 42.  Últimos Vencedores  Prêmio para Produção  Honeywell Federal Manufacturing & Technologies  Prêmio para Pequeno Negócio  MidwayUSA  Prêmio para Cuidado a Saúde  AtlantiCare  Heartland Health  Prêmio para Organizações Sem Fins Lucrativos  VA Cooperative Studies Program Clinical Research Pharmacy Coordinating Center Prêmio Baldrige
  • 43. Prêmio Europeu  Últimos Vencedores  Prêmio de Focus no Consumidor  Bradstow School (Reino Unido)  NXP Sound Solutions (Austria)  Prêmio de Liderança e Firmeza nos Objetivos  EDF Direction Commerciale Region Est (França)  St. Colman's College (Irlanda do Norte)  Volkswagen Motor Polska (Polônia)  Prêmio de Aprendizagem Contínua, Inovação e Modernização  EiTB (Espanha)  Robert Bosch (France) SAS - Rodez Plant (França)
  • 44. Prêmio Nacional da Qualidade  Últimos Vencedores:
  • 46. Bibibliografia  ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS . Conheça a ABNT. Disponível em: <http://www.abnt.org.br/m3.asp?cod_pagina=929>. Acesso em: 1 out. 2010.  BALDRIGE NATIONAL QUALITY PROGRAM. Baldrige Award Recipients' Contacts and Profiles. Disponível em: <http://www.baldrige.nist.gov/Contacts_Profiles.htm>. Acesso em: 26 set. 2010.  EFQM EXCELLENCE AWARD. EFQM Excellence Award 2009. Disponível em: <http://www.efqm.org/en/Home/theEFQMnetwork/Awardwinners/EFQMExcellenceAward20 08/tabid/224/Default.aspx>. Acesso em: 26 set. 2010.  ISO - INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDIRZATION. Key markers in ISO's history. Disponível em: <http://www.iso.org/iso/about/the_iso_story.htm>. Acesso em: 26 set. 2010.  MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Administração da Qualidade. In: Teoria Geral da Administraçao. São Paulo: Atlas, 2006. p. 155-183.  RAMIREZ, Prof.. Gestão da Qualidade. São Paulo: Fatec-zl, 2010. 62 p.  THE W. EDWARDS DEMING INSTITUTE (Org.). Deming Prize Winners. Disponível em: <http://deming.org/index.cfm?content=52>. Acesso em: 26 set. 2010.
  • 47. Ana Lívia Severo Moreira 10108331 Débora Xavier de Souza 10108287 Gabriela Mayara Villela Xavier 10108358 Pricila Yessayan 10108251 Grupo