SlideShare uma empresa Scribd logo
Planejamento de depósitos e armazénsPlanejamento de depósitos e armazéns
Professor: Daniel Moura
Disciplina: Projeto de Fábrica e Layout
Curso: Graduação em Engenharia de Produção
Conceito de ArmazenagemConceito de Armazenagem
ArmazenagemArmazenagem

São todas as atividades administrativas eSão todas as atividades administrativas e
operacionais de recebimento,operacionais de recebimento,
armazenamento, distribuição dos materiaisarmazenamento, distribuição dos materiais
aos usuários e controle físico dos materiaisaos usuários e controle físico dos materiais
estocados.estocados.

(Barbieri, Machline)(Barbieri, Machline)
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
A armazenagem está relacionadaA armazenagem está relacionada
diretamente com a localização dasdiretamente com a localização das
instalações.instalações.

Fontes de matérias-primas;Fontes de matérias-primas;

Mercado consumidor;Mercado consumidor;

Vias de acesso.Vias de acesso.
O produto a ser distribuído determina aO produto a ser distribuído determina a
necessidade, a localização e a função donecessidade, a localização e a função do
armazém.armazém.
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
Armazém tradicionalArmazém tradicional

Local para armazenar e manter estoques.Local para armazenar e manter estoques.
Produção empurradaProdução empurrada
Armazém contemporâneoArmazém contemporâneo

Combinar sortimento de estoques paraCombinar sortimento de estoques para
atender às necessidades do cliente.atender às necessidades do cliente.
Produção puxadaProdução puxada
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
Função do armazém na produçãoFunção do armazém na produção
empurradaempurrada

Recebe os materiais;Recebe os materiais;

Armazena;Armazena;

Distribui os materiais aos clientes internos ouDistribui os materiais aos clientes internos ou
externos.externos.
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
Função do armazém na produção puxadaFunção do armazém na produção puxada

Recebe os materiais;Recebe os materiais;

Armazena;Armazena;

Distribui os materiais aos clientes internos ouDistribui os materiais aos clientes internos ou
externos.externos.
O que mudou?O que mudou?
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
ArmazémArmazém
Centro de distribuiçãoCentro de distribuição
A função logística daA função logística da
armazenagemarmazenagem
Estoques cada vez menores;Estoques cada vez menores;
Controles cada vez mais acurados;Controles cada vez mais acurados;
Variedade cada vez maior;Variedade cada vez maior;
Tempo de resposta cada vez menor;Tempo de resposta cada vez menor;
Giro de estoque cada vez maior;Giro de estoque cada vez maior;
Custo cada vez menor.Custo cada vez menor.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Armazenagem justificada com base noArmazenagem justificada com base no
custo e no nível de serviço;custo e no nível de serviço;
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Armazéns localizados a fim de fornecerArmazéns localizados a fim de fornecer
um reabastecimento pontual e econômicoum reabastecimento pontual e econômico
para os varejistas;para os varejistas;
De estocagem passiva para variedadeDe estocagem passiva para variedade
estratégica;estratégica;
Modo de redução do tempo ocioso ou deModo de redução do tempo ocioso ou de
espera de materiais e peças;espera de materiais e peças;
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Parte integrante doParte integrante do Just in timeJust in time em umem um
mercado globalizado;mercado globalizado;
Maximiza a flexibilidade aliada aMaximiza a flexibilidade aliada a
tecnologia da informação;tecnologia da informação;
Presença local aumenta a participação dePresença local aumenta a participação de
mercado.mercado.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Reduz custo de transportes;Reduz custo de transportes;
Consolidação de carga;Consolidação de carga;

Usa a capacidade do armazém para agrupar cargas;Usa a capacidade do armazém para agrupar cargas;

Frete menor devido ao uso da capacidade de carga doFrete menor devido ao uso da capacidade de carga do
veículo, descongestionamento nas docas deveículo, descongestionamento nas docas de
recebimento e entregas mais rápidas.recebimento e entregas mais rápidas.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Reduz custo de transportes;Reduz custo de transportes;
Fracionamento de carga;Fracionamento de carga;

Usa a capacidade do armazém para receber uma únicaUsa a capacidade do armazém para receber uma única
carga e entrega para diversos destinos;carga e entrega para diversos destinos;

Economia de escala através do transporte da cargaEconomia de escala através do transporte da carga
consolidada.consolidada.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Separação;Separação;
Cross-docking – a medida que os produtos sãoCross-docking – a medida que os produtos são
recebidos e descarregados no armazém, eles sãorecebidos e descarregados no armazém, eles são
separados por destino proporcionado redução deseparados por destino proporcionado redução de
custos com frete.custos com frete.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Separação;Separação;
Montagem de kits – serve para conseguir umMontagem de kits – serve para conseguir um
agrupamento de estoque em momento e localagrupamento de estoque em momento e local
exatos.exatos.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Estocagem sazonal;Estocagem sazonal;
Proporciona lastro de estoque, que permiteProporciona lastro de estoque, que permite
eficiência de produção dentro das limitaçõeseficiência de produção dentro das limitações
impostas pelas fontes de material e pelosimpostas pelas fontes de material e pelos
consumidores.consumidores.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Estocagem sazonal;Estocagem sazonal;
Permite atender a demanda em momentos dePermite atender a demanda em momentos de
sazonalidade.sazonalidade.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:

Processamento de logística reversa.Processamento de logística reversa.
Devoluções;Devoluções;

Produtos não vendidos;Produtos não vendidos;

Recall;Recall;

Garantias.Garantias.
Reciclagem;Reciclagem;

Embalagens;Embalagens;
Descarte.Descarte.

Pilhas e baterias;Pilhas e baterias;

Embalagens de defensivos agrícolas.Embalagens de defensivos agrícolas.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios de serviço.Benefícios de serviço.

Estoque ocasional;Estoque ocasional;
O estoque é posicionado em um armazém noO estoque é posicionado em um armazém no
mercado local em antecipação às necessidadesmercado local em antecipação às necessidades
do cliente durante o período crítico de vendas.do cliente durante o período crítico de vendas.
Após o período crítico de vendas o estoque éApós o período crítico de vendas o estoque é
eliminado.eliminado.
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica
Benefícios de serviço.Benefícios de serviço.

Estoque de linha completa;Estoque de linha completa;
Oferecem sortimentos que representam diversosOferecem sortimentos que representam diversos
produtos de diferentes fabricantes.produtos de diferentes fabricantes.
Melhoram o serviço reduzindo a quantidade deMelhoram o serviço reduzindo a quantidade de
fornecedores com que um cliente deve lidar emfornecedores com que um cliente deve lidar em
termos logísticos.termos logísticos.
Sortimentos combinados proporcionamSortimentos combinados proporcionam
embarques maiores e econômicos.embarques maiores e econômicos.
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica

Serviços com valor agregado.Serviços com valor agregado.
Rotulagem;Rotulagem;
Embalagem;Embalagem;
Adiamento como forma de reduzir estoques eAdiamento como forma de reduzir estoques e
atender as necessidades dos diversos clientes.atender as necessidades dos diversos clientes.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
PlanejamentoPlanejamento

Avaliar previamente a área deAvaliar previamente a área de
armazenagem:armazenagem:
Verificar a existência de efetivas condiçõesVerificar a existência de efetivas condições
físicas e técnicas para receber, armazenar,físicas e técnicas para receber, armazenar,
controlar e entregar o produto;controlar e entregar o produto;
Observar a natureza, peso e dimensõesObservar a natureza, peso e dimensões
unitárias do produto;unitárias do produto;
Considerar características de manuseio e deConsiderar características de manuseio e de
segurança.segurança.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
Flexibilidade OperacionalFlexibilidade Operacional

Promover a adaptabilidade de corredores,Promover a adaptabilidade de corredores,
docas, portas, estruturas e equipamentosdocas, portas, estruturas e equipamentos
disponíveis:disponíveis:
Recebimento fácil, simultânea ouRecebimento fácil, simultânea ou
sucessivamente, de produtos com diferentessucessivamente, de produtos com diferentes
características de movimentação.características de movimentação.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
SimplificaçãoSimplificação

Desenvolver, adaptar e/ou implantar o layoutDesenvolver, adaptar e/ou implantar o layout
de uma área de armazenagem, considerando:de uma área de armazenagem, considerando:
As características dos equipamentos disponíveis;As características dos equipamentos disponíveis;
Localização de docas, portas e corredores;Localização de docas, portas e corredores;
A simplificação dos fluxos de entrada e de saída;A simplificação dos fluxos de entrada e de saída;
Máxima produtividade;Máxima produtividade;
Eliminação de gargalos.Eliminação de gargalos.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
IntegraçãoIntegração

Planejar a integração simultânea do maiorPlanejar a integração simultânea do maior
número de atividades possível, organizando enúmero de atividades possível, organizando e
coordenando todas as operaçõescoordenando todas as operações
simultâneas.simultâneas.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
Otimização do Espaço FísicoOtimização do Espaço Físico

Planejar os espaços considerando:Planejar os espaços considerando:
Armazenamento técnico e seguro;Armazenamento técnico e seguro;
Fácil movimentação;Fácil movimentação;
A resistência estrutural do piso e estruturas;A resistência estrutural do piso e estruturas;
A capacidade volumétrica da área;A capacidade volumétrica da área;
Rotatividade do material;Rotatividade do material;
Requisitos especiais.Requisitos especiais.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
Otimização de Equipamentos e Mão-de-Otimização de Equipamentos e Mão-de-
obraobra

Analisar, dimensionar, desenvolver,Analisar, dimensionar, desenvolver,
padronizar, sistematizar e implantar umpadronizar, sistematizar e implantar um
conjunto de procedimentos direcionados àconjunto de procedimentos direcionados à
racionalização dos equipamentos deracionalização dos equipamentos de
movimentação e equipes de trabalho.movimentação e equipes de trabalho.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
VerticalizaçãoVerticalização

Aproveitar os espaços verticais da melhorAproveitar os espaços verticais da melhor
maneira possível, sem perder de vista amaneira possível, sem perder de vista a
segurança da movimentação.segurança da movimentação.
MecanizaçãoMecanização

Avaliar as reais necessidades;Avaliar as reais necessidades;

Relação custo-benefício;Relação custo-benefício;

Flexibilidade.Flexibilidade.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
AutomaçãoAutomação

Avaliar a real necessidade;Avaliar a real necessidade;

A relação custo-benefício da automação doA relação custo-benefício da automação do
sistema de controle e sistemassistema de controle e sistemas
administrativos.administrativos.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
ControleControle

Planejar, implantar e acompanhar osPlanejar, implantar e acompanhar os
registros:registros:
De recebimentos;De recebimentos;
De tempos de permanência das cargasDe tempos de permanência das cargas
armazenadas;armazenadas;
De entregas;De entregas;
Do inventário físico de mercadorias.Do inventário físico de mercadorias.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
SegurançaSegurança

Dotar a área de armazenagem de sistemasDotar a área de armazenagem de sistemas
que garantam a integridade:que garantam a integridade:
Das mercadorias armazenadas;Das mercadorias armazenadas;
Da mão-de-obra;Da mão-de-obra;
Das instalações e equipamentos;Das instalações e equipamentos;
Da saúde financeira da empresa.Da saúde financeira da empresa.
Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem
PreçoPreço

Garantir a compatibilidade das tarifas deGarantir a compatibilidade das tarifas de
armazenagem com base no custo realarmazenagem com base no custo real
praticado pelas empresas no mercado:praticado pelas empresas no mercado:
Nível de serviço;Nível de serviço;
Características do produto armazenado.Características do produto armazenado.
Classificação de armazénsClassificação de armazéns
ParticularParticular

É operado por empresa que possui o produto:É operado por empresa que possui o produto:
Melhor controle das atividades;Melhor controle das atividades;
Maior flexibilidade;Maior flexibilidade;
Maior integração entre operações do armazém;Maior integração entre operações do armazém;
Menor custo pois não são operados com o objetivoMenor custo pois não são operados com o objetivo
de gerar lucro;de gerar lucro;
Benefício de associar a imagem da empresa aoBenefício de associar a imagem da empresa ao
armazém;armazém;
Maior investimento;Maior investimento;
Redução da economia de escala.Redução da economia de escala.
Classificação de armazénsClassificação de armazéns
PúblicoPúblico

É operado como uma empresa independenteÉ operado como uma empresa independente
que oferece uma gama de serviçosque oferece uma gama de serviços
padronizados aos clientes:padronizados aos clientes:
Projetados para manusear e estocar grande gamaProjetados para manusear e estocar grande gama
de produtos;de produtos;
Pode gerar um custo operacional inferior;Pode gerar um custo operacional inferior;
Não exigem investimento de capital;Não exigem investimento de capital;
Menor flexibilidade;Menor flexibilidade;
Classificação de armazénsClassificação de armazéns
PúblicoPúblico
Localizações rígidas;Localizações rígidas;
Melhor economia de escala;Melhor economia de escala;
Oportunidade de consolidação de cargas comOportunidade de consolidação de cargas com
outros clientes;outros clientes;
Custo variável em função da cobrança porCusto variável em função da cobrança por
quantidade armazenada.quantidade armazenada.
Classificação de armazénsClassificação de armazéns
TerceirizadoTerceirizado

São aqueles armazéns que prestam serviçosSão aqueles armazéns que prestam serviços
logísticos de armazenagem comlogísticos de armazenagem com
exclusividade para um ou mais clientes,exclusividade para um ou mais clientes,
mediante contrato de médio ou longo prazo:mediante contrato de médio ou longo prazo:
Benefícios de experiência, flexibilidade e economiaBenefícios de experiência, flexibilidade e economia
de escala;de escala;
Maior gama de serviços logísticos;Maior gama de serviços logísticos;
Capazes de assumir toda a responsabilidadeCapazes de assumir toda a responsabilidade
logística de uma empresa;logística de uma empresa;
Maior facilidade de expansão.Maior facilidade de expansão.
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Veículos industriais;Veículos industriais;
Carrinhos industriais, empilhadeiras, rebocadores,Carrinhos industriais, empilhadeiras, rebocadores,
AGV, etc.AGV, etc.
Equipamentos de elevação eEquipamentos de elevação e
transferência;transferência;
Talhas, guindastes fixos, pontes rolantes, etc.Talhas, guindastes fixos, pontes rolantes, etc.
Transportadores contínuos;Transportadores contínuos;
Correias, rodízios, rolos, esferas, etcCorreias, rodízios, rolos, esferas, etc
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Seleção do equipamento deSeleção do equipamento de
movimentação:movimentação:

Plano geral de administração de fluxo dePlano geral de administração de fluxo de
materiais;materiais;

Investimento deve atender às necessidadesInvestimento deve atender às necessidades
dede TODATODA a empresa.a empresa.
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Peculiaridades da seleção:Peculiaridades da seleção:

Poluição ambiental;Poluição ambiental;
Gases, ruídos, vazamento de óleo, marcas deGases, ruídos, vazamento de óleo, marcas de
pneus.pneus.

Ergonomia;Ergonomia;
Posição de operação, acesso aos materiais, cargaPosição de operação, acesso aos materiais, carga
e descarga do equipamento.e descarga do equipamento.

Restrições;Restrições;
Piso, rampas, portas, pé direito, chuva, fagulhas.Piso, rampas, portas, pé direito, chuva, fagulhas.

Capacidade de carga e elevação;Capacidade de carga e elevação;
Peso máximo na altura máxima.Peso máximo na altura máxima.
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Peculiaridades da seleção:Peculiaridades da seleção:

Comprimento e largura do corredor;Comprimento e largura do corredor;
Velocidade, raio de curvatura, trilhos, sistemaVelocidade, raio de curvatura, trilhos, sistema
indutivo.indutivo.

Velocidade de elevação;Velocidade de elevação;
Produtividade, sensibilidade do produto.Produtividade, sensibilidade do produto.

Motorização;Motorização;
Diesel, GLP, elétrica.Diesel, GLP, elétrica.

Acessórios, peças de reposição;Acessórios, peças de reposição;

Custos de aquisição e operação.Custos de aquisição e operação.
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica
Vantagens combustãoVantagens combustão

Podem operar em diversos tipos
de piso;

Maior capacidade de rampa;

Facilidade na manutenção devido
ao seu sistema mecânico ser
muito similar ao automotivo;

Máquina de operação mais
dinâmica – mais voltada para
locação;

Diversas fontes de combustível
( Gasolina, GLP e Diesel;

Custo de aquisição mais baixo

Podem operar em ambientes
externos e internos.
Vantagens elétricasVantagens elétricas

Maiores elevações – até mais do
que 10 metros;

Uso de energia limpa e renovável;

Curva de manutenção constante e
de baixo custo;

Intervalos de manutenção maior –
700 horas para verificação;

Podem operar em corredores
menores que 3 metros;

Baixo custo ambiental – troca da
bateria no fim da vida útil –mínimo
de 1500 ciclos;

Número reduzido de
componentes a serem trocados
ou verificados;

Diversidade de modelos;

Maior vida útil do equipamento;

Maior precisão na movimentação
de mercadorias
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica
Desvantagens combustãoDesvantagens combustão

Não podem operar em ambientes
internos de várias indústrias;

Curva de manutenção crescente;

Intervenções constantes. Ex:
troca de óleo;

Alto custo de hora trabalhada
(combustível utilizado);

Corredores maiores que 4,3m;

Maior nível de ruído;

Menor disponibilidade para alturas
maiores que 6000 mm;
 Passivo ambiental constante
( inúmeras trocas de óleo ao
longo da vida útil do
equipamento).
Desvantagens elétricasDesvantagens elétricas

Necessidade de uma mão de obra
mais qualificada;

Controle de carga e descarga da
bateria deve ser monitorado;

Maior custo de aquisição em
relação a uma máquina a
combustão;

Necessidade de um piso
adequado as especificações da
máquina;

Máquinas de uso específico, não
podendo ser usado em várias
operações;

Não podem fazer operações
constantes em rampa;

Não são aconselhadas para
cargas acima de 5 toneladas;

Demandam área específica para
baterias e carregadores.
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Empilhadeiras a combustãoEmpilhadeiras a combustão
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Empilhadeiras elétricasEmpilhadeiras elétricas
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
PaleteirasPaleteiras
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Rebocadores e carretas industriaisRebocadores e carretas industriais
Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação
Ponte empilhadeiraPonte empilhadeira
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
São elementos básicos para a paletizaçãoSão elementos básicos para a paletização
e o uso racional de espaço, convivendoe o uso racional de espaço, convivendo
com a necessidade de ocupaçãocom a necessidade de ocupação
volumétrica e a necessidade devolumétrica e a necessidade de
acessibilidade de todos os itensacessibilidade de todos os itens
armazenados.armazenados.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Critérios de avaliação:Critérios de avaliação:

Volume;Volume;
Quantidade total a estocar.Quantidade total a estocar.

Densidade;Densidade;
Quantidade de itens idênticos a estocar.Quantidade de itens idênticos a estocar.

Seletividade;Seletividade;
necessidade de acesso direto.necessidade de acesso direto.

Freqüência;Freqüência;
Quantidade de vezes que determinado item éQuantidade de vezes que determinado item é
acessado.acessado.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Critérios de avaliação:Critérios de avaliação:

PEPS/UEPS (FIFO/FEFO);PEPS/UEPS (FIFO/FEFO);
Necessidade de controlar o critério de saída.Necessidade de controlar o critério de saída.

Velocidade;Velocidade;
Velocidade do ciclo (receber e estocar).Velocidade do ciclo (receber e estocar).

Flexibilidade;Flexibilidade;
Capacidade de adaptação aos critérios acima.Capacidade de adaptação aos critérios acima.

Custo;Custo;
Estrutura + equipamentos de movimentação.Estrutura + equipamentos de movimentação.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura porta-paletesEstrutura porta-paletes

É a estrutura mais utilizada;É a estrutura mais utilizada;

Empregada quando é necessária seletividadeEmpregada quando é necessária seletividade
nas operações de carregamento;nas operações de carregamento;

Apesar de necessitar de muita área paraApesar de necessitar de muita área para
corredores, compensa por sua seletividade ecorredores, compensa por sua seletividade e
rapidez na operação.rapidez na operação.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura porta-paletesEstrutura porta-paletes
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura porta-palete com transelevadorEstrutura porta-palete com transelevador
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura porta-palete drive-inEstrutura porta-palete drive-in
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura dinâmicaEstrutura dinâmica
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura Push-BackEstrutura Push-Back

Permite maior seletividade em função dePermite maior seletividade em função de
permitir o acesso a qualquer nível depermitir o acesso a qualquer nível de
armazenagem;armazenagem;

A empilhadeira “empurra” cada palete sobreA empilhadeira “empurra” cada palete sobre
um trilho com vários níveis, permitindo aum trilho com vários níveis, permitindo a
armazenagem de até quatro paletes naarmazenagem de até quatro paletes na
profundidade.profundidade.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura cantileverEstrutura cantilever
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
EstantesEstantes

Sistema estático para a estocagem de itensSistema estático para a estocagem de itens
de pequeno tamanho que podem terde pequeno tamanho que podem ter
acessórios, como divisores, retentores,acessórios, como divisores, retentores,
gavetas e painéis laterais e de fundo;gavetas e painéis laterais e de fundo;

Possibilita a montagem de mais de um nível,Possibilita a montagem de mais de um nível,
com pisos intermediários.com pisos intermediários.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
EstantesEstantes
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
BlocagemBlocagem

O empilhamento é limitado peloO empilhamento é limitado pelo
equipamento de movimentaçãoequipamento de movimentação
utilizado;utilizado;

Produtos da base sofrem maior esforço;Produtos da base sofrem maior esforço;

Baixo investimento.Baixo investimento.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
BlocagemBlocagem
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura autoportanteEstrutura autoportante

Elimina a necessidade de construção de umElimina a necessidade de construção de um
edifício, previamente;edifício, previamente;

Permite o aproveitamento do espaço verticalPermite o aproveitamento do espaço vertical
(em média, utiliza-se em torno de 30 m);(em média, utiliza-se em torno de 30 m);

Menor tempo de construção e menor custo.Menor tempo de construção e menor custo.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura autoportanteEstrutura autoportante
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura power rackEstrutura power rack

O corredor de circulação é compartilhado emO corredor de circulação é compartilhado em
função do sistema eletromecânico;função do sistema eletromecânico;

Alta densidade;Alta densidade;

Alto custo.Alto custo.
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura power rackEstrutura power rack
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura flow rackEstrutura flow rack

Indicado para pequenos volumes e grandeIndicado para pequenos volumes e grande
rotatividade;rotatividade;

Picking facilitado;Picking facilitado;

Sistema FIFO;Sistema FIFO;
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura flow rackEstrutura flow rack
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura porta bobinasEstrutura porta bobinas
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura armário colunaEstrutura armário coluna
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
Estrutura estocagem granelEstrutura estocagem granel
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
MMéétodotodo VantagemVantagem DesvantagemDesvantagem
EmpilhamentoEmpilhamento
em blocoem bloco
•• Equipamentos simples.Equipamentos simples.
•• Baixo custo.Baixo custo.
•• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume.
•• Propicia avarias.Propicia avarias.
•• Dificulta o controle.Dificulta o controle.
•• DesperdiDesperdiçça volume se utilizadoa volume se utilizado
em cargas heterogêneas.em cargas heterogêneas.
EstanteriaEstanteria
ComumComum
•• Baixo custo.Baixo custo.
•• Pode ser customizada.Pode ser customizada.
•• Capacidade variCapacidade variáável e posivel e posiççõesões
ajustajustááveis.veis.
•• Pode desperdiPode desperdiççar espaar espaçço.o.
•• DifDifíícil de ajustar as posicil de ajustar as posiçções.ões.
EstruturasEstruturas
porta-paletesporta-paletes
•• Equipamentos simples.Equipamentos simples.
•• Baixo custo.Baixo custo.
•• FFáácil acesso.cil acesso.
•• Pode desperdiPode desperdiççar espaar espaçço.o.
•• Sistema de localizaSistema de localizaçção perfeito.ão perfeito.
EstruturasEstruturas
Drive-lnDrive-ln
•• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume.
•• Acesso por dois lados.Acesso por dois lados.
•• Vigas de apoio diferentes.Vigas de apoio diferentes.
•• Empilhadeira especial.Empilhadeira especial.
•• Requer excelente piso.Requer excelente piso.
•• Sistema Ueps.Sistema Ueps.
Fonte: Gestão Estratégica da armazenagem – Paulo R. A. Rodrigues
Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem
MMéétodotodo VantagemVantagem DesvantagemDesvantagem
ArmazenagemArmazenagem
DinâmicaDinâmica
•• Equipamentos simples.Equipamentos simples.
•• Reduz movimentaReduz movimentaçções.ões.
•• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume.
•• Alto custo.Alto custo.
•• Projeto e palete especial.Projeto e palete especial.
CorredorCorredor
EstreitoEstreito
•• Aproveita bem o volumeAproveita bem o volume
•• Acesso individual aos paletes.Acesso individual aos paletes.
•• Empilhadeiras especiais.Empilhadeiras especiais.
•• Alto custo.Alto custo.
•• Requer fios ou trilhos.Requer fios ou trilhos.
GaveteirosGaveteiros
ModularesModulares
•• Para pequenos objetos.Para pequenos objetos.
•• Pode ter gavetas fixas ouPode ter gavetas fixas ou
portportááteis.teis.
•• Custo mCusto méédio.dio.
•• Perde espaPerde espaçço se mal utilizado.o se mal utilizado.
•• Sistema de localizaSistema de localizaçção perfeito.ão perfeito.
Gaiolas •• Acesso e iAcesso e iççamento famento fáácil.cil.
•• Uso insatisfatUso insatisfatóório do espario do espaçço.o.
•• DifDifíícil de desmontar.cil de desmontar.
Fonte: Gestão Estratégica da armazenagem – Paulo R. A. Rodrigues
Layout dos armazénsLayout dos armazéns
As áreas de estocagem devemAs áreas de estocagem devem
considerar:considerar:

Fluxo fácil de materiais, considerando aFluxo fácil de materiais, considerando a
rotatividade:rotatividade:

Integração entre Layout e sistema deIntegração entre Layout e sistema de
manuseio;manuseio;

Flexibilidade para atender as mudanças dosFlexibilidade para atender as mudanças dos
requisitos específicos de produtos.requisitos específicos de produtos.
Layout dos armazénsLayout dos armazéns
Objetivos de um layout:Objetivos de um layout:

Minimizar as despesas de manuseio deMinimizar as despesas de manuseio de
materiais;materiais;

Maior utilização do espaço, equipamentos eMaior utilização do espaço, equipamentos e
pessoas;pessoas;

Conseguir a utilização máxima do espaço doConseguir a utilização máxima do espaço do
armazém;armazém;

Satisfazer certas restrições da localização deSatisfazer certas restrições da localização de
materiais;materiais;
Layout dos armazénsLayout dos armazéns
Objetivos de um layout:Objetivos de um layout:

Melhor fluxo de informações, materiais ouMelhor fluxo de informações, materiais ou
pessoas;pessoas;

Melhor moral dos empregados e condiçõesMelhor moral dos empregados e condições
de trabalho mais seguras;de trabalho mais seguras;

Facilitar a coordenação e a supervisão;Facilitar a coordenação e a supervisão;

Minimizar custos.Minimizar custos.
Layout dos armazénsLayout dos armazéns
Sistemas de localização:Sistemas de localização:

O objetivo do planejamento da localização éO objetivo do planejamento da localização é
minimizar o total de custos de manuseio;minimizar o total de custos de manuseio;

Quanto menor a distância percorrida, menor será oQuanto menor a distância percorrida, menor será o
custo de manuseio;custo de manuseio;

Os métodos intuitivos têm boa aceitação por nãoOs métodos intuitivos têm boa aceitação por não
envolver matemática de alto nível:envolver matemática de alto nível:
complementaridade, compatibilidade, popularidade ecomplementaridade, compatibilidade, popularidade e
tamanho.tamanho.
Layout dos armazénsLayout dos armazéns

ComplementaridadeComplementaridade
Itens freqüentemente requisitados juntos devemItens freqüentemente requisitados juntos devem
estar localizados próximos um do outro.estar localizados próximos um do outro.

CompatibilidadeCompatibilidade
Inclui a questão a respeito de se os itens podemInclui a questão a respeito de se os itens podem
ser colocados juntos.ser colocados juntos.
Layout dos armazénsLayout dos armazéns

PopularidadePopularidade
Reconhece que os produtos possuem taxas deReconhece que os produtos possuem taxas de
giro diferentes em um armazém, e os custos degiro diferentes em um armazém, e os custos de
manuseios de materiais são relacionados àmanuseios de materiais são relacionados à
distância percorrida no armazém para localizar edistância percorrida no armazém para localizar e
coletar o estoque.coletar o estoque.
Layout dos armazénsLayout dos armazéns

TamanhoTamanho
Considera que itens menores devem serConsidera que itens menores devem ser
localizados próximos a doca de embarque. Destalocalizados próximos a doca de embarque. Desta
forma, uma quantidade maior de SKUs estarão naforma, uma quantidade maior de SKUs estarão na
menor distância à ser percorrida no armazém.menor distância à ser percorrida no armazém.
OS MÉTODOS INTUITIVOS SÃO SIMPLES DE USAROS MÉTODOS INTUITIVOS SÃO SIMPLES DE USAR
MAS NÃO GARANTEM O MENOR CUSTOMAS NÃO GARANTEM O MENOR CUSTO..
Sistemas de localizaçãoSistemas de localização
Localização fixaLocalização fixa

Atribui uma dada baia e/ou número deAtribui uma dada baia e/ou número de
prateleira de estocagem para cada item.prateleira de estocagem para cada item.
Facilita o controle;Facilita o controle;
Maior produtividade no processo de separação;Maior produtividade no processo de separação;
Pode dificultar o FIFO;Pode dificultar o FIFO;
Aproveitamento médio do espaço é ruim.Aproveitamento médio do espaço é ruim.
Sistemas de localizaçãoSistemas de localização
Localização aleatóriaLocalização aleatória

Os produtos são armazenados em qualquerOs produtos são armazenados em qualquer
espaço aberto que esteja disponível.espaço aberto que esteja disponível.
Dificulta o controle;Dificulta o controle;
Facilita o FIFO;Facilita o FIFO;
Otimiza a utilização dos espaços;Otimiza a utilização dos espaços;
Maior produtividade no processo deMaior produtividade no processo de
armazenagem.armazenagem.
Regras da armazenagemRegras da armazenagem
Mantenha a largura e a disposição projetadaMantenha a largura e a disposição projetada
para os corredores, deixando espaço suficientepara os corredores, deixando espaço suficiente
para manobrar com segurança os equipamentospara manobrar com segurança os equipamentos
de movimentação;de movimentação;
Mantenha o armazém limpo e arrumado, semMantenha o armazém limpo e arrumado, sem
acessórios ou implementos guardados nasacessórios ou implementos guardados nas
áreas de armazenagem;áreas de armazenagem;
Estabeleça fluxos adequados e sinalize-os comEstabeleça fluxos adequados e sinalize-os com
tinta indelével pintada no chão de forma visível,tinta indelével pintada no chão de forma visível,
a fim de reduzir os riscos de acidentes ea fim de reduzir os riscos de acidentes e
interferências entre os equipamentos;interferências entre os equipamentos;
Regras da armazenagemRegras da armazenagem
Indique em local visível as alturas deIndique em local visível as alturas de
empilhamento recomendadas para diferentesempilhamento recomendadas para diferentes
tipos de carga;tipos de carga;
Garanta que as zonas de armazenagemGaranta que as zonas de armazenagem
estejam bem iluminadas, para permitir a perfeitaestejam bem iluminadas, para permitir a perfeita
visibilidade dos trabalhadores, principalmentevisibilidade dos trabalhadores, principalmente
dos operadores de equipamentos;dos operadores de equipamentos;
Certifique-se que as áreas de segurança sãoCertifique-se que as áreas de segurança são
mantidas livres, com fácil acesso aosmantidas livres, com fácil acesso aos
equipamentos de combate a incêndio;equipamentos de combate a incêndio;
Regras da armazenagemRegras da armazenagem
Treine as equipes nos métodos de trabalho eTreine as equipes nos métodos de trabalho e
regulamentos de segurança;regulamentos de segurança;
Selecione equipamentos com força motriz,Selecione equipamentos com força motriz,
capacidade de elevação, alcance, área de giro ecapacidade de elevação, alcance, área de giro e
acessórios compatíveis com o espaçoacessórios compatíveis com o espaço
disponível;disponível;
Sempre que possível use paletes - possibilitamSempre que possível use paletes - possibilitam
um empilhamento mais alto e uma maiorum empilhamento mais alto e uma maior
velocidade na movimentação da carga;velocidade na movimentação da carga;
Regras da armazenagemRegras da armazenagem
Não permita que operadores inexperientesNão permita que operadores inexperientes
trabalhem sem supervisão;trabalhem sem supervisão;
Armazene cargas grandes, irregulares ouArmazene cargas grandes, irregulares ou
pesadas próximas das portas;pesadas próximas das portas;
Nunca empilhe cargas pesadas sobre cargasNunca empilhe cargas pesadas sobre cargas
leves;leves;
Reserve zonas específicas afastadas dasReserve zonas específicas afastadas das
demais para tintas ou líquidos sujeitos ademais para tintas ou líquidos sujeitos a
vazamento;vazamento;
Designe cargas sujas para os pátios;Designe cargas sujas para os pátios;
Regras da armazenagemRegras da armazenagem
Guarde cargas valiosas em zonas seguras;Guarde cargas valiosas em zonas seguras;
Proceda a inspeções regulares nas cargasProceda a inspeções regulares nas cargas
armazenadas e informe imediatamente a quemarmazenadas e informe imediatamente a quem
de direito sobre a ocorrência de acidentes e/oude direito sobre a ocorrência de acidentes e/ou
avarias.avarias.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Dimensionamento em função daDimensionamento em função da
quantidade máxima de produtos a seremquantidade máxima de produtos a serem
armazenados:armazenados:

Disponibilidade de área em qualquerDisponibilidade de área em qualquer
momento;momento;

Concentração das atividades em um únicoConcentração das atividades em um único
local;local;

Possível ociosidade de área e incremento dosPossível ociosidade de área e incremento dos
custos.custos.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Dimensionamento em função daDimensionamento em função da
quantidade média de produtos a seremquantidade média de produtos a serem
armazenados:armazenados:

Necessidade de alugar áreas extras emNecessidade de alugar áreas extras em
períodos de pico;períodos de pico;

Transformar custos fixos em custos variáveis;Transformar custos fixos em custos variáveis;

Contratempo para obtenção de áreasContratempo para obtenção de áreas
adequadas.adequadas.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Capacidade estáticaCapacidade estática

É o limite máximo nominal de carga que umaÉ o limite máximo nominal de carga que uma
área poder receber simultaneamente,área poder receber simultaneamente,
expressa em toneladas.expressa em toneladas.
Ex:Ex:

Área do piso = 100m x 50m = 5000 m2Área do piso = 100m x 50m = 5000 m2

Resistência estrutural do piso = 10 ton/m2Resistência estrutural do piso = 10 ton/m2

Capacidade estática = 50.000 tonsCapacidade estática = 50.000 tons
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
A capacidade estática depende de:A capacidade estática depende de:

Praça útil;Praça útil;

Altura de empilhamento;Altura de empilhamento;

Fator de estiva.Fator de estiva.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem

O conjunto total de espaços realmenteO conjunto total de espaços realmente
destinados à armazenagem;destinados à armazenagem;

Diferente da área total do piso;Diferente da área total do piso;

São excluídos colunas, corredores, salas, etc.São excluídos colunas, corredores, salas, etc.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem

Área do piso = 100m x 50m = 5000m2Área do piso = 100m x 50m = 5000m2
Área de distanciamento obrigatório em torno do prédioÁrea de distanciamento obrigatório em torno do prédio
(0,5m x 100m x 2) + (0,5 x 49m x 2)(0,5m x 100m x 2) + (0,5 x 49m x 2) = 149 m2= 149 m2
Corredores necessários para a movimentaçãoCorredores necessários para a movimentação
2m x 100m x 32m x 100m x 3 = 600 m2= 600 m2
EscritórioEscritório
4m x 6m4m x 6m = 24 m2= 24 m2

Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem
5000 – 149 – 600 - 245000 – 149 – 600 - 24 = 4227 m2= 4227 m2
84,54% da área total do armazém.84,54% da área total do armazém.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Altura do empilhamentoAltura do empilhamento

É decisiva na definição da capacidade deÉ decisiva na definição da capacidade de
uma área de armazenagem;uma área de armazenagem;

Quando os espaços são pequenos torna-seQuando os espaços são pequenos torna-se
necessário o empilhamento;necessário o empilhamento;

A deficiência da verticalização é uma dasA deficiência da verticalização é uma das
principais razões da redução da capacidadeprincipais razões da redução da capacidade
de armazenagem.de armazenagem.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Os limitadores do empilhamento são:Os limitadores do empilhamento são:

Equipamentos de elevação inadequados;Equipamentos de elevação inadequados;

Fragilidade da carga ou embalagem;Fragilidade da carga ou embalagem;

Produtos mal embalados;Produtos mal embalados;

Possibilidade de queda;Possibilidade de queda;

Outros fatores de segurança.Outros fatores de segurança.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
No exemplo anterior, se for possívelNo exemplo anterior, se for possível
empilhar os materiais a uma altura de 3m,empilhar os materiais a uma altura de 3m,
teremos então:teremos então:

Volume total de carga armazenadaVolume total de carga armazenada
4227m x 3m = 12681 m34227m x 3m = 12681 m3

Se for possível aumentar a altura média deSe for possível aumentar a altura média de
empilhamento para 4mempilhamento para 4m
16908 m3 de volume de carga armazenada.16908 m3 de volume de carga armazenada.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Fator de estivaFator de estiva

Algumas mercadorias pesam mais e ocupamAlgumas mercadorias pesam mais e ocupam
menores espaços.menores espaços.

Outras mercadorias pesam menos e ocupamOutras mercadorias pesam menos e ocupam
mais espaços.mais espaços.
A densidade da mercadoria é a relaçãoA densidade da mercadoria é a relação
entre volume e peso: o fator de estiva.entre volume e peso: o fator de estiva.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Fator de estivaFator de estiva

É o espaço ocupado por uma tonelada deÉ o espaço ocupado por uma tonelada de
uma determinada mercadoria, expresso emuma determinada mercadoria, expresso em
m3 por toneladam3 por tonelada..
Uma carga volumosa e de baixo peso tem fator deUma carga volumosa e de baixo peso tem fator de
estiva elevado.estiva elevado.
Uma carga pesada e densa tem um fator de estivaUma carga pesada e densa tem um fator de estiva
baixo.baixo.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Fator de estiva médio ponderadoFator de estiva médio ponderado

Multiplicação do fator de estiva de cadaMultiplicação do fator de estiva de cada
mercadoria pelo percentual aproximado demercadoria pelo percentual aproximado de
ocupação do armazém;ocupação do armazém;

Somatória do fator de estiva ponderado deSomatória do fator de estiva ponderado de
todas as mercadorias;todas as mercadorias;

Dividido por 100.Dividido por 100.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Fator de estiva médio ponderadoFator de estiva médio ponderado
Mercadoria Fator de
Estiva
% do
Armazém
Fator de Estiva
Ponderado
Fardos 2,5 20 50
Sacaria 2,2 25 55
Caixaria 3,0 30 90
Cartões 3,8 10 38
Tambores 2,0 15 30
TOTAL 100 263
Fator de estiva médio ponderado = 263/100 = 2,63 m3/T
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Capacidade estática =Capacidade estática = praça útil x altura de empilhamentopraça útil x altura de empilhamento
fator de estiva médiofator de estiva médio
Em nosso exemplo:Em nosso exemplo:
Capacidade estática =Capacidade estática = 1690816908 = +/- 6428 toneladas= +/- 6428 toneladas
2,632,63
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Calculo de ocupação do espaço por umCalculo de ocupação do espaço por um
lote de mercadoria :lote de mercadoria :

Peso do lote;Peso do lote;

Altura máxima que o lote poderá serAltura máxima que o lote poderá ser
empilhado com segurança;empilhado com segurança;

Fator de Estiva da mercadoria;Fator de Estiva da mercadoria;

Quebra de Espaço aproximada;Quebra de Espaço aproximada;

Índice para Empilhamento;Índice para Empilhamento;

Área que o lote irá ocupar.Área que o lote irá ocupar.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Quebra de espaçoQuebra de espaço

São todos espaços perdidos para aSão todos espaços perdidos para a
armazenagem, deixado ao redor dos lotesarmazenagem, deixado ao redor dos lotes
armazenados.armazenados.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Índice de empilhamentoÍndice de empilhamento

Meça o volume efetivamente ocupado peloMeça o volume efetivamente ocupado pelo
lote, incluindo os espaços destinados a seulote, incluindo os espaços destinados a seu
acesso;acesso;

Verifique o peso em toneladas;Verifique o peso em toneladas;

Calcule o volume (m3) ocupado por cadaCalcule o volume (m3) ocupado por cada
tonelada de mercadoria, dividindo o volumetonelada de mercadoria, dividindo o volume
do espaço ocupado pelo seu peso.do espaço ocupado pelo seu peso.
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Um lote de sacaria de café armazenado pesa 80Um lote de sacaria de café armazenado pesa 80
tons. O espaço ocupado pelo lote foi medidotons. O espaço ocupado pelo lote foi medido
com uma trena, podendo-se afirmar que estácom uma trena, podendo-se afirmar que está
ocupando uma área de 7,2 m x 5,6 m e estáocupando uma área de 7,2 m x 5,6 m e está
empilha-do a 4,0 m de altura. Os outros lotes deempilha-do a 4,0 m de altura. Os outros lotes de
cargas mais próximos tiveram que sercargas mais próximos tiveram que ser
localizados a 1,0 m em toda a sua volta. Quelocalizados a 1,0 m em toda a sua volta. Que
espaço efetivamente ocupa esse lote de sacariaespaço efetivamente ocupa esse lote de sacaria
de café?de café?
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Área ocupada = [(7,2 + 0,5) x (5,6 + 0,5)]Área ocupada = [(7,2 + 0,5) x (5,6 + 0,5)] x 4 m =x 4 m = [7,7[7,7
x 6,1] x 4 m = 46,97 m2 x 4 m =x 6,1] x 4 m = 46,97 m2 x 4 m = 187,88 m3187,88 m3
Se esse lote pesa 80 toneladas, qual é a quebraSe esse lote pesa 80 toneladas, qual é a quebra
de espaço observada?de espaço observada?
Ocupação da área por 1 ton =Ocupação da área por 1 ton = 187187 = +/- 2,35 m3= +/- 2,35 m3
8080
Índice de empilhamento = +/- 2,35 m3Índice de empilhamento = +/- 2,35 m3
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Subtraia o fator de estiva do índice para empilhamentoSubtraia o fator de estiva do índice para empilhamento
calculado e converta a diferença num percentual do fatorcalculado e converta a diferença num percentual do fator
de estiva. Esta é a Quebra de espaço.de estiva. Esta é a Quebra de espaço.
Sabendo-se que o Fator de Estiva da sacaria de café éSabendo-se que o Fator de Estiva da sacaria de café é
de 2,20 m3/T e aplicando o índice para empilhamentode 2,20 m3/T e aplicando o índice para empilhamento
calculado de 2,35 m3/T, o acréscimo observado é de:calculado de 2,35 m3/T, o acréscimo observado é de:
2,35 - 2,20 = 0,152,35 - 2,20 = 0,15
Portanto, a quebra de espaço é:Portanto, a quebra de espaço é:
0,150,15 x 100 = +/- 6,8%x 100 = +/- 6,8%
2,202,20
Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços
Qual espaço precisamos armazenar 80 ton deQual espaço precisamos armazenar 80 ton de
café?café?
Área =Área = peso x índice para empilhamentopeso x índice para empilhamento
altura de empilhamentoaltura de empilhamento
ouou
Área =Área = peso x (fator de estiva + % de quebra de espaço)peso x (fator de estiva + % de quebra de espaço)
altura de empilhamentoaltura de empilhamento
Área =Área = 80 x 2,3580 x 2,35 == 188188 = 47,0 m2= 47,0 m2
4 44 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
Luiz Carlos Oliveira
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
douglas
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
Adeildo Caboclo
 
Distribuição e Transporte
Distribuição e TransporteDistribuição e Transporte
Distribuição e Transporte
william ribeiro
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
Gilberto Freitas
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
Felippi Perez
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
Larissa da Costa Melo
 
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICAAula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Silva Jorge R Gonçalves
 
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em OperaçõesArranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Milton Henrique do Couto Neto
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1
Diego José
 
Logistica empresarial
Logistica empresarialLogistica empresarial
Logistica empresarial
Denis Carlos Sodré
 
Aula 02 introducao adm da produção - db
Aula 02   introducao adm da produção - dbAula 02   introducao adm da produção - db
Aula 02 introducao adm da produção - db
Daniela Brauner
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Mauro Enrique
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
Geovana Pires Lima
 
Apresentação sobre Logística
Apresentação sobre LogísticaApresentação sobre Logística
Apresentação sobre Logística
Isabella Menezes
 
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
Aline Trevisol
 
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Adélia Aparecida Da Silva Cossoniche
 
Aula 1 introdução a adm financeira
Aula 1   introdução a adm financeiraAula 1   introdução a adm financeira
Aula 1 introdução a adm financeira
sscutrim
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
Raylson Rabelo
 
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 

Mais procurados (20)

Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
 
Distribuição e Transporte
Distribuição e TransporteDistribuição e Transporte
Distribuição e Transporte
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Cadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentosCadeia de suprimentos
Cadeia de suprimentos
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
 
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICAAula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
 
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em OperaçõesArranjo Físico e Fluxos em Operações
Arranjo Físico e Fluxos em Operações
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1
 
Logistica empresarial
Logistica empresarialLogistica empresarial
Logistica empresarial
 
Aula 02 introducao adm da produção - db
Aula 02   introducao adm da produção - dbAula 02   introducao adm da produção - db
Aula 02 introducao adm da produção - db
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
 
Apresentação sobre Logística
Apresentação sobre LogísticaApresentação sobre Logística
Apresentação sobre Logística
 
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)01  _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
01 _fundamentos_de_logistica___introducao (1)
 
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
 
Aula 1 introdução a adm financeira
Aula 1   introdução a adm financeiraAula 1   introdução a adm financeira
Aula 1 introdução a adm financeira
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
 
Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais Equipamentos de Movimentação de Materiais
Equipamentos de Movimentação de Materiais
 

Destaque

Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da QualidadeAula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da QualidadeAula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de ProduçãoAula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 

Destaque (20)

Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da QualidadeAula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da Qualidade
 
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da QualidadeAula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da Qualidade
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de ProduçãoAula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de Produção
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 

Semelhante a Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout

Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
Marcelo Aparecido Sampaio
 
Curso Fundamentos de Logística
Curso Fundamentos de LogísticaCurso Fundamentos de Logística
Curso Fundamentos de Logística
Grade TI
 
Nt00001 d2a
Nt00001 d2aNt00001 d2a
Nt00001 d2a
joyce031
 
Armazenagem e Estoque
Armazenagem e EstoqueArmazenagem e Estoque
Armazenagem e Estoque
TamiresSerafim
 
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
Misael Barbosa
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Adilson Paradella
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Adilson Paradella
 
Parte 3 -sistemas_de_armazenagem
Parte 3 -sistemas_de_armazenagemParte 3 -sistemas_de_armazenagem
Parte 3 -sistemas_de_armazenagem
Wallace Rodrigues
 
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
E-Commerce Brasil
 
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
carlosacunha
 
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
carlosacunha
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Daniel Moura
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produção
Sandro Souza
 
Gerenciando seu empreendimento e7
Gerenciando seu empreendimento   e7Gerenciando seu empreendimento   e7
Gerenciando seu empreendimento e7
silviofsouza
 
Armazém logistica
Armazém logisticaArmazém logistica
Armazém logistica
abertura empresa
 
Movimentação reposição
Movimentação reposiçãoMovimentação reposição
Movimentação reposição
Anacie Gonoring
 
Microsiga Protheus WMS
Microsiga Protheus WMSMicrosiga Protheus WMS
Microsiga Protheus WMS
Fernando Joly Siquini
 
Logística Promocional - Marketing & Distribuição
Logística Promocional - Marketing & DistribuiçãoLogística Promocional - Marketing & Distribuição
Logística Promocional - Marketing & Distribuição
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
carlosdenilson3
 
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns supply chain
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns  supply chainGuiacorporativo.com.br otimização de armazéns  supply chain
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns supply chain
Rodilson Silva - Green Belt
 

Semelhante a Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout (20)

Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
 
Curso Fundamentos de Logística
Curso Fundamentos de LogísticaCurso Fundamentos de Logística
Curso Fundamentos de Logística
 
Nt00001 d2a
Nt00001 d2aNt00001 d2a
Nt00001 d2a
 
Armazenagem e Estoque
Armazenagem e EstoqueArmazenagem e Estoque
Armazenagem e Estoque
 
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
Planejamento de estoque,armazenagem e arranjos fisicos.
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
 
Parte 3 -sistemas_de_armazenagem
Parte 3 -sistemas_de_armazenagemParte 3 -sistemas_de_armazenagem
Parte 3 -sistemas_de_armazenagem
 
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
Workshop - Gestão e Controle de Estoque para E-Commerce [E-Commerce Brasil]
 
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
2 ais).ppt [modo de compatibilidade])
 
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
2 materia ( armazenagem e estocagem de materiais).ppt [modo de compatibilidade])
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produção
 
Gerenciando seu empreendimento e7
Gerenciando seu empreendimento   e7Gerenciando seu empreendimento   e7
Gerenciando seu empreendimento e7
 
Armazém logistica
Armazém logisticaArmazém logistica
Armazém logistica
 
Movimentação reposição
Movimentação reposiçãoMovimentação reposição
Movimentação reposição
 
Microsiga Protheus WMS
Microsiga Protheus WMSMicrosiga Protheus WMS
Microsiga Protheus WMS
 
Logística Promocional - Marketing & Distribuição
Logística Promocional - Marketing & DistribuiçãoLogística Promocional - Marketing & Distribuição
Logística Promocional - Marketing & Distribuição
 
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria01-estoques1. produtivo que traz melhoria
01-estoques1. produtivo que traz melhoria
 
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns supply chain
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns  supply chainGuiacorporativo.com.br otimização de armazéns  supply chain
Guiacorporativo.com.br otimização de armazéns supply chain
 

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção

Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de ProduçãoAula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de ProduçãoAula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de ProduçãoAula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de ProduçãoAula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de ProduçãoAula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - ErgonomiaAula 5.1 - Ergonomia
Aula 5 - Ergonomia
Aula 5 - ErgonomiaAula 5 - Ergonomia

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção (10)

Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de ProduçãoAula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de Produção
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
 
Aula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de ProduçãoAula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de Produção
 
Aula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de ProduçãoAula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de Produção
 
Aula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de ProduçãoAula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de Produção
 
Aula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de ProduçãoAula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de Produção
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
 
Aula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - ErgonomiaAula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - Ergonomia
 
Aula 5 - Ergonomia
Aula 5 - ErgonomiaAula 5 - Ergonomia
Aula 5 - Ergonomia
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 

Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout

  • 1. Planejamento de depósitos e armazénsPlanejamento de depósitos e armazéns Professor: Daniel Moura Disciplina: Projeto de Fábrica e Layout Curso: Graduação em Engenharia de Produção
  • 2. Conceito de ArmazenagemConceito de Armazenagem ArmazenagemArmazenagem  São todas as atividades administrativas eSão todas as atividades administrativas e operacionais de recebimento,operacionais de recebimento, armazenamento, distribuição dos materiaisarmazenamento, distribuição dos materiais aos usuários e controle físico dos materiaisaos usuários e controle físico dos materiais estocados.estocados.  (Barbieri, Machline)(Barbieri, Machline)
  • 3. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem A armazenagem está relacionadaA armazenagem está relacionada diretamente com a localização dasdiretamente com a localização das instalações.instalações.  Fontes de matérias-primas;Fontes de matérias-primas;  Mercado consumidor;Mercado consumidor;  Vias de acesso.Vias de acesso. O produto a ser distribuído determina aO produto a ser distribuído determina a necessidade, a localização e a função donecessidade, a localização e a função do armazém.armazém.
  • 4. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem Armazém tradicionalArmazém tradicional  Local para armazenar e manter estoques.Local para armazenar e manter estoques. Produção empurradaProdução empurrada Armazém contemporâneoArmazém contemporâneo  Combinar sortimento de estoques paraCombinar sortimento de estoques para atender às necessidades do cliente.atender às necessidades do cliente. Produção puxadaProdução puxada
  • 5. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem Função do armazém na produçãoFunção do armazém na produção empurradaempurrada  Recebe os materiais;Recebe os materiais;  Armazena;Armazena;  Distribui os materiais aos clientes internos ouDistribui os materiais aos clientes internos ou externos.externos.
  • 6. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem Função do armazém na produção puxadaFunção do armazém na produção puxada  Recebe os materiais;Recebe os materiais;  Armazena;Armazena;  Distribui os materiais aos clientes internos ouDistribui os materiais aos clientes internos ou externos.externos. O que mudou?O que mudou?
  • 7. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem ArmazémArmazém Centro de distribuiçãoCentro de distribuição
  • 8. A função logística daA função logística da armazenagemarmazenagem Estoques cada vez menores;Estoques cada vez menores; Controles cada vez mais acurados;Controles cada vez mais acurados; Variedade cada vez maior;Variedade cada vez maior; Tempo de resposta cada vez menor;Tempo de resposta cada vez menor; Giro de estoque cada vez maior;Giro de estoque cada vez maior; Custo cada vez menor.Custo cada vez menor.
  • 9. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Armazenagem justificada com base noArmazenagem justificada com base no custo e no nível de serviço;custo e no nível de serviço;
  • 10. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Armazéns localizados a fim de fornecerArmazéns localizados a fim de fornecer um reabastecimento pontual e econômicoum reabastecimento pontual e econômico para os varejistas;para os varejistas; De estocagem passiva para variedadeDe estocagem passiva para variedade estratégica;estratégica; Modo de redução do tempo ocioso ou deModo de redução do tempo ocioso ou de espera de materiais e peças;espera de materiais e peças;
  • 11. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Parte integrante doParte integrante do Just in timeJust in time em umem um mercado globalizado;mercado globalizado; Maximiza a flexibilidade aliada aMaximiza a flexibilidade aliada a tecnologia da informação;tecnologia da informação; Presença local aumenta a participação dePresença local aumenta a participação de mercado.mercado.
  • 12. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Reduz custo de transportes;Reduz custo de transportes; Consolidação de carga;Consolidação de carga;  Usa a capacidade do armazém para agrupar cargas;Usa a capacidade do armazém para agrupar cargas;  Frete menor devido ao uso da capacidade de carga doFrete menor devido ao uso da capacidade de carga do veículo, descongestionamento nas docas deveículo, descongestionamento nas docas de recebimento e entregas mais rápidas.recebimento e entregas mais rápidas.
  • 14. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Reduz custo de transportes;Reduz custo de transportes; Fracionamento de carga;Fracionamento de carga;  Usa a capacidade do armazém para receber uma únicaUsa a capacidade do armazém para receber uma única carga e entrega para diversos destinos;carga e entrega para diversos destinos;  Economia de escala através do transporte da cargaEconomia de escala através do transporte da carga consolidada.consolidada.
  • 15. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Separação;Separação; Cross-docking – a medida que os produtos sãoCross-docking – a medida que os produtos são recebidos e descarregados no armazém, eles sãorecebidos e descarregados no armazém, eles são separados por destino proporcionado redução deseparados por destino proporcionado redução de custos com frete.custos com frete.
  • 17. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Separação;Separação; Montagem de kits – serve para conseguir umMontagem de kits – serve para conseguir um agrupamento de estoque em momento e localagrupamento de estoque em momento e local exatos.exatos.
  • 18. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Estocagem sazonal;Estocagem sazonal; Proporciona lastro de estoque, que permiteProporciona lastro de estoque, que permite eficiência de produção dentro das limitaçõeseficiência de produção dentro das limitações impostas pelas fontes de material e pelosimpostas pelas fontes de material e pelos consumidores.consumidores.
  • 19. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Estocagem sazonal;Estocagem sazonal; Permite atender a demanda em momentos dePermite atender a demanda em momentos de sazonalidade.sazonalidade.
  • 20. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios econômicos:Benefícios econômicos:  Processamento de logística reversa.Processamento de logística reversa. Devoluções;Devoluções;  Produtos não vendidos;Produtos não vendidos;  Recall;Recall;  Garantias.Garantias. Reciclagem;Reciclagem;  Embalagens;Embalagens; Descarte.Descarte.  Pilhas e baterias;Pilhas e baterias;  Embalagens de defensivos agrícolas.Embalagens de defensivos agrícolas.
  • 21. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios de serviço.Benefícios de serviço.  Estoque ocasional;Estoque ocasional; O estoque é posicionado em um armazém noO estoque é posicionado em um armazém no mercado local em antecipação às necessidadesmercado local em antecipação às necessidades do cliente durante o período crítico de vendas.do cliente durante o período crítico de vendas. Após o período crítico de vendas o estoque éApós o período crítico de vendas o estoque é eliminado.eliminado.
  • 22. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica Benefícios de serviço.Benefícios de serviço.  Estoque de linha completa;Estoque de linha completa; Oferecem sortimentos que representam diversosOferecem sortimentos que representam diversos produtos de diferentes fabricantes.produtos de diferentes fabricantes. Melhoram o serviço reduzindo a quantidade deMelhoram o serviço reduzindo a quantidade de fornecedores com que um cliente deve lidar emfornecedores com que um cliente deve lidar em termos logísticos.termos logísticos. Sortimentos combinados proporcionamSortimentos combinados proporcionam embarques maiores e econômicos.embarques maiores e econômicos.
  • 24. Armazenagem estratégicaArmazenagem estratégica  Serviços com valor agregado.Serviços com valor agregado. Rotulagem;Rotulagem; Embalagem;Embalagem; Adiamento como forma de reduzir estoques eAdiamento como forma de reduzir estoques e atender as necessidades dos diversos clientes.atender as necessidades dos diversos clientes.
  • 25. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem PlanejamentoPlanejamento  Avaliar previamente a área deAvaliar previamente a área de armazenagem:armazenagem: Verificar a existência de efetivas condiçõesVerificar a existência de efetivas condições físicas e técnicas para receber, armazenar,físicas e técnicas para receber, armazenar, controlar e entregar o produto;controlar e entregar o produto; Observar a natureza, peso e dimensõesObservar a natureza, peso e dimensões unitárias do produto;unitárias do produto; Considerar características de manuseio e deConsiderar características de manuseio e de segurança.segurança.
  • 26. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem Flexibilidade OperacionalFlexibilidade Operacional  Promover a adaptabilidade de corredores,Promover a adaptabilidade de corredores, docas, portas, estruturas e equipamentosdocas, portas, estruturas e equipamentos disponíveis:disponíveis: Recebimento fácil, simultânea ouRecebimento fácil, simultânea ou sucessivamente, de produtos com diferentessucessivamente, de produtos com diferentes características de movimentação.características de movimentação.
  • 27. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem SimplificaçãoSimplificação  Desenvolver, adaptar e/ou implantar o layoutDesenvolver, adaptar e/ou implantar o layout de uma área de armazenagem, considerando:de uma área de armazenagem, considerando: As características dos equipamentos disponíveis;As características dos equipamentos disponíveis; Localização de docas, portas e corredores;Localização de docas, portas e corredores; A simplificação dos fluxos de entrada e de saída;A simplificação dos fluxos de entrada e de saída; Máxima produtividade;Máxima produtividade; Eliminação de gargalos.Eliminação de gargalos.
  • 28. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem IntegraçãoIntegração  Planejar a integração simultânea do maiorPlanejar a integração simultânea do maior número de atividades possível, organizando enúmero de atividades possível, organizando e coordenando todas as operaçõescoordenando todas as operações simultâneas.simultâneas.
  • 29. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem Otimização do Espaço FísicoOtimização do Espaço Físico  Planejar os espaços considerando:Planejar os espaços considerando: Armazenamento técnico e seguro;Armazenamento técnico e seguro; Fácil movimentação;Fácil movimentação; A resistência estrutural do piso e estruturas;A resistência estrutural do piso e estruturas; A capacidade volumétrica da área;A capacidade volumétrica da área; Rotatividade do material;Rotatividade do material; Requisitos especiais.Requisitos especiais.
  • 30. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem Otimização de Equipamentos e Mão-de-Otimização de Equipamentos e Mão-de- obraobra  Analisar, dimensionar, desenvolver,Analisar, dimensionar, desenvolver, padronizar, sistematizar e implantar umpadronizar, sistematizar e implantar um conjunto de procedimentos direcionados àconjunto de procedimentos direcionados à racionalização dos equipamentos deracionalização dos equipamentos de movimentação e equipes de trabalho.movimentação e equipes de trabalho.
  • 31. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem VerticalizaçãoVerticalização  Aproveitar os espaços verticais da melhorAproveitar os espaços verticais da melhor maneira possível, sem perder de vista amaneira possível, sem perder de vista a segurança da movimentação.segurança da movimentação. MecanizaçãoMecanização  Avaliar as reais necessidades;Avaliar as reais necessidades;  Relação custo-benefício;Relação custo-benefício;  Flexibilidade.Flexibilidade.
  • 32. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem AutomaçãoAutomação  Avaliar a real necessidade;Avaliar a real necessidade;  A relação custo-benefício da automação doA relação custo-benefício da automação do sistema de controle e sistemassistema de controle e sistemas administrativos.administrativos.
  • 33. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem ControleControle  Planejar, implantar e acompanhar osPlanejar, implantar e acompanhar os registros:registros: De recebimentos;De recebimentos; De tempos de permanência das cargasDe tempos de permanência das cargas armazenadas;armazenadas; De entregas;De entregas; Do inventário físico de mercadorias.Do inventário físico de mercadorias.
  • 34. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem SegurançaSegurança  Dotar a área de armazenagem de sistemasDotar a área de armazenagem de sistemas que garantam a integridade:que garantam a integridade: Das mercadorias armazenadas;Das mercadorias armazenadas; Da mão-de-obra;Da mão-de-obra; Das instalações e equipamentos;Das instalações e equipamentos; Da saúde financeira da empresa.Da saúde financeira da empresa.
  • 35. Princípios da armazenagemPrincípios da armazenagem PreçoPreço  Garantir a compatibilidade das tarifas deGarantir a compatibilidade das tarifas de armazenagem com base no custo realarmazenagem com base no custo real praticado pelas empresas no mercado:praticado pelas empresas no mercado: Nível de serviço;Nível de serviço; Características do produto armazenado.Características do produto armazenado.
  • 36. Classificação de armazénsClassificação de armazéns ParticularParticular  É operado por empresa que possui o produto:É operado por empresa que possui o produto: Melhor controle das atividades;Melhor controle das atividades; Maior flexibilidade;Maior flexibilidade; Maior integração entre operações do armazém;Maior integração entre operações do armazém; Menor custo pois não são operados com o objetivoMenor custo pois não são operados com o objetivo de gerar lucro;de gerar lucro; Benefício de associar a imagem da empresa aoBenefício de associar a imagem da empresa ao armazém;armazém; Maior investimento;Maior investimento; Redução da economia de escala.Redução da economia de escala.
  • 37. Classificação de armazénsClassificação de armazéns PúblicoPúblico  É operado como uma empresa independenteÉ operado como uma empresa independente que oferece uma gama de serviçosque oferece uma gama de serviços padronizados aos clientes:padronizados aos clientes: Projetados para manusear e estocar grande gamaProjetados para manusear e estocar grande gama de produtos;de produtos; Pode gerar um custo operacional inferior;Pode gerar um custo operacional inferior; Não exigem investimento de capital;Não exigem investimento de capital; Menor flexibilidade;Menor flexibilidade;
  • 38. Classificação de armazénsClassificação de armazéns PúblicoPúblico Localizações rígidas;Localizações rígidas; Melhor economia de escala;Melhor economia de escala; Oportunidade de consolidação de cargas comOportunidade de consolidação de cargas com outros clientes;outros clientes; Custo variável em função da cobrança porCusto variável em função da cobrança por quantidade armazenada.quantidade armazenada.
  • 39. Classificação de armazénsClassificação de armazéns TerceirizadoTerceirizado  São aqueles armazéns que prestam serviçosSão aqueles armazéns que prestam serviços logísticos de armazenagem comlogísticos de armazenagem com exclusividade para um ou mais clientes,exclusividade para um ou mais clientes, mediante contrato de médio ou longo prazo:mediante contrato de médio ou longo prazo: Benefícios de experiência, flexibilidade e economiaBenefícios de experiência, flexibilidade e economia de escala;de escala; Maior gama de serviços logísticos;Maior gama de serviços logísticos; Capazes de assumir toda a responsabilidadeCapazes de assumir toda a responsabilidade logística de uma empresa;logística de uma empresa; Maior facilidade de expansão.Maior facilidade de expansão.
  • 40. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Veículos industriais;Veículos industriais; Carrinhos industriais, empilhadeiras, rebocadores,Carrinhos industriais, empilhadeiras, rebocadores, AGV, etc.AGV, etc. Equipamentos de elevação eEquipamentos de elevação e transferência;transferência; Talhas, guindastes fixos, pontes rolantes, etc.Talhas, guindastes fixos, pontes rolantes, etc. Transportadores contínuos;Transportadores contínuos; Correias, rodízios, rolos, esferas, etcCorreias, rodízios, rolos, esferas, etc
  • 41. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Seleção do equipamento deSeleção do equipamento de movimentação:movimentação:  Plano geral de administração de fluxo dePlano geral de administração de fluxo de materiais;materiais;  Investimento deve atender às necessidadesInvestimento deve atender às necessidades dede TODATODA a empresa.a empresa.
  • 42. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Peculiaridades da seleção:Peculiaridades da seleção:  Poluição ambiental;Poluição ambiental; Gases, ruídos, vazamento de óleo, marcas deGases, ruídos, vazamento de óleo, marcas de pneus.pneus.  Ergonomia;Ergonomia; Posição de operação, acesso aos materiais, cargaPosição de operação, acesso aos materiais, carga e descarga do equipamento.e descarga do equipamento.  Restrições;Restrições; Piso, rampas, portas, pé direito, chuva, fagulhas.Piso, rampas, portas, pé direito, chuva, fagulhas.  Capacidade de carga e elevação;Capacidade de carga e elevação; Peso máximo na altura máxima.Peso máximo na altura máxima.
  • 43. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Peculiaridades da seleção:Peculiaridades da seleção:  Comprimento e largura do corredor;Comprimento e largura do corredor; Velocidade, raio de curvatura, trilhos, sistemaVelocidade, raio de curvatura, trilhos, sistema indutivo.indutivo.  Velocidade de elevação;Velocidade de elevação; Produtividade, sensibilidade do produto.Produtividade, sensibilidade do produto.  Motorização;Motorização; Diesel, GLP, elétrica.Diesel, GLP, elétrica.  Acessórios, peças de reposição;Acessórios, peças de reposição;  Custos de aquisição e operação.Custos de aquisição e operação.
  • 44. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica
  • 45. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica Vantagens combustãoVantagens combustão  Podem operar em diversos tipos de piso;  Maior capacidade de rampa;  Facilidade na manutenção devido ao seu sistema mecânico ser muito similar ao automotivo;  Máquina de operação mais dinâmica – mais voltada para locação;  Diversas fontes de combustível ( Gasolina, GLP e Diesel;  Custo de aquisição mais baixo  Podem operar em ambientes externos e internos. Vantagens elétricasVantagens elétricas  Maiores elevações – até mais do que 10 metros;  Uso de energia limpa e renovável;  Curva de manutenção constante e de baixo custo;  Intervalos de manutenção maior – 700 horas para verificação;  Podem operar em corredores menores que 3 metros;  Baixo custo ambiental – troca da bateria no fim da vida útil –mínimo de 1500 ciclos;  Número reduzido de componentes a serem trocados ou verificados;  Diversidade de modelos;  Maior vida útil do equipamento;  Maior precisão na movimentação de mercadorias
  • 46. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Combustão x ElétricaCombustão x Elétrica Desvantagens combustãoDesvantagens combustão  Não podem operar em ambientes internos de várias indústrias;  Curva de manutenção crescente;  Intervenções constantes. Ex: troca de óleo;  Alto custo de hora trabalhada (combustível utilizado);  Corredores maiores que 4,3m;  Maior nível de ruído;  Menor disponibilidade para alturas maiores que 6000 mm;  Passivo ambiental constante ( inúmeras trocas de óleo ao longo da vida útil do equipamento). Desvantagens elétricasDesvantagens elétricas  Necessidade de uma mão de obra mais qualificada;  Controle de carga e descarga da bateria deve ser monitorado;  Maior custo de aquisição em relação a uma máquina a combustão;  Necessidade de um piso adequado as especificações da máquina;  Máquinas de uso específico, não podendo ser usado em várias operações;  Não podem fazer operações constantes em rampa;  Não são aconselhadas para cargas acima de 5 toneladas;  Demandam área específica para baterias e carregadores.
  • 47. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Empilhadeiras a combustãoEmpilhadeiras a combustão
  • 48. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Empilhadeiras elétricasEmpilhadeiras elétricas
  • 49. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação PaleteirasPaleteiras
  • 50. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Rebocadores e carretas industriaisRebocadores e carretas industriais
  • 51. Equipamentos de movimentaçãoEquipamentos de movimentação Ponte empilhadeiraPonte empilhadeira
  • 52. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem São elementos básicos para a paletizaçãoSão elementos básicos para a paletização e o uso racional de espaço, convivendoe o uso racional de espaço, convivendo com a necessidade de ocupaçãocom a necessidade de ocupação volumétrica e a necessidade devolumétrica e a necessidade de acessibilidade de todos os itensacessibilidade de todos os itens armazenados.armazenados.
  • 53. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Critérios de avaliação:Critérios de avaliação:  Volume;Volume; Quantidade total a estocar.Quantidade total a estocar.  Densidade;Densidade; Quantidade de itens idênticos a estocar.Quantidade de itens idênticos a estocar.  Seletividade;Seletividade; necessidade de acesso direto.necessidade de acesso direto.  Freqüência;Freqüência; Quantidade de vezes que determinado item éQuantidade de vezes que determinado item é acessado.acessado.
  • 54. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Critérios de avaliação:Critérios de avaliação:  PEPS/UEPS (FIFO/FEFO);PEPS/UEPS (FIFO/FEFO); Necessidade de controlar o critério de saída.Necessidade de controlar o critério de saída.  Velocidade;Velocidade; Velocidade do ciclo (receber e estocar).Velocidade do ciclo (receber e estocar).  Flexibilidade;Flexibilidade; Capacidade de adaptação aos critérios acima.Capacidade de adaptação aos critérios acima.  Custo;Custo; Estrutura + equipamentos de movimentação.Estrutura + equipamentos de movimentação.
  • 55. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura porta-paletesEstrutura porta-paletes  É a estrutura mais utilizada;É a estrutura mais utilizada;  Empregada quando é necessária seletividadeEmpregada quando é necessária seletividade nas operações de carregamento;nas operações de carregamento;  Apesar de necessitar de muita área paraApesar de necessitar de muita área para corredores, compensa por sua seletividade ecorredores, compensa por sua seletividade e rapidez na operação.rapidez na operação.
  • 56. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura porta-paletesEstrutura porta-paletes
  • 57. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura porta-palete com transelevadorEstrutura porta-palete com transelevador
  • 58. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura porta-palete drive-inEstrutura porta-palete drive-in
  • 59. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura dinâmicaEstrutura dinâmica
  • 60. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura Push-BackEstrutura Push-Back  Permite maior seletividade em função dePermite maior seletividade em função de permitir o acesso a qualquer nível depermitir o acesso a qualquer nível de armazenagem;armazenagem;  A empilhadeira “empurra” cada palete sobreA empilhadeira “empurra” cada palete sobre um trilho com vários níveis, permitindo aum trilho com vários níveis, permitindo a armazenagem de até quatro paletes naarmazenagem de até quatro paletes na profundidade.profundidade.
  • 62. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura cantileverEstrutura cantilever
  • 63. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem EstantesEstantes  Sistema estático para a estocagem de itensSistema estático para a estocagem de itens de pequeno tamanho que podem terde pequeno tamanho que podem ter acessórios, como divisores, retentores,acessórios, como divisores, retentores, gavetas e painéis laterais e de fundo;gavetas e painéis laterais e de fundo;  Possibilita a montagem de mais de um nível,Possibilita a montagem de mais de um nível, com pisos intermediários.com pisos intermediários.
  • 64. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem EstantesEstantes
  • 65. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem BlocagemBlocagem  O empilhamento é limitado peloO empilhamento é limitado pelo equipamento de movimentaçãoequipamento de movimentação utilizado;utilizado;  Produtos da base sofrem maior esforço;Produtos da base sofrem maior esforço;  Baixo investimento.Baixo investimento.
  • 66. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem BlocagemBlocagem
  • 67. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura autoportanteEstrutura autoportante  Elimina a necessidade de construção de umElimina a necessidade de construção de um edifício, previamente;edifício, previamente;  Permite o aproveitamento do espaço verticalPermite o aproveitamento do espaço vertical (em média, utiliza-se em torno de 30 m);(em média, utiliza-se em torno de 30 m);  Menor tempo de construção e menor custo.Menor tempo de construção e menor custo.
  • 68. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura autoportanteEstrutura autoportante
  • 69. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura power rackEstrutura power rack  O corredor de circulação é compartilhado emO corredor de circulação é compartilhado em função do sistema eletromecânico;função do sistema eletromecânico;  Alta densidade;Alta densidade;  Alto custo.Alto custo.
  • 70. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura power rackEstrutura power rack
  • 71. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura flow rackEstrutura flow rack  Indicado para pequenos volumes e grandeIndicado para pequenos volumes e grande rotatividade;rotatividade;  Picking facilitado;Picking facilitado;  Sistema FIFO;Sistema FIFO;
  • 72. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura flow rackEstrutura flow rack
  • 73. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura porta bobinasEstrutura porta bobinas
  • 74. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura armário colunaEstrutura armário coluna
  • 75. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem Estrutura estocagem granelEstrutura estocagem granel
  • 76. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem MMéétodotodo VantagemVantagem DesvantagemDesvantagem EmpilhamentoEmpilhamento em blocoem bloco •• Equipamentos simples.Equipamentos simples. •• Baixo custo.Baixo custo. •• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume. •• Propicia avarias.Propicia avarias. •• Dificulta o controle.Dificulta o controle. •• DesperdiDesperdiçça volume se utilizadoa volume se utilizado em cargas heterogêneas.em cargas heterogêneas. EstanteriaEstanteria ComumComum •• Baixo custo.Baixo custo. •• Pode ser customizada.Pode ser customizada. •• Capacidade variCapacidade variáável e posivel e posiççõesões ajustajustááveis.veis. •• Pode desperdiPode desperdiççar espaar espaçço.o. •• DifDifíícil de ajustar as posicil de ajustar as posiçções.ões. EstruturasEstruturas porta-paletesporta-paletes •• Equipamentos simples.Equipamentos simples. •• Baixo custo.Baixo custo. •• FFáácil acesso.cil acesso. •• Pode desperdiPode desperdiççar espaar espaçço.o. •• Sistema de localizaSistema de localizaçção perfeito.ão perfeito. EstruturasEstruturas Drive-lnDrive-ln •• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume. •• Acesso por dois lados.Acesso por dois lados. •• Vigas de apoio diferentes.Vigas de apoio diferentes. •• Empilhadeira especial.Empilhadeira especial. •• Requer excelente piso.Requer excelente piso. •• Sistema Ueps.Sistema Ueps. Fonte: Gestão Estratégica da armazenagem – Paulo R. A. Rodrigues
  • 77. Equipamentos de armazenagemEquipamentos de armazenagem MMéétodotodo VantagemVantagem DesvantagemDesvantagem ArmazenagemArmazenagem DinâmicaDinâmica •• Equipamentos simples.Equipamentos simples. •• Reduz movimentaReduz movimentaçções.ões. •• Aproveita bem o volume.Aproveita bem o volume. •• Alto custo.Alto custo. •• Projeto e palete especial.Projeto e palete especial. CorredorCorredor EstreitoEstreito •• Aproveita bem o volumeAproveita bem o volume •• Acesso individual aos paletes.Acesso individual aos paletes. •• Empilhadeiras especiais.Empilhadeiras especiais. •• Alto custo.Alto custo. •• Requer fios ou trilhos.Requer fios ou trilhos. GaveteirosGaveteiros ModularesModulares •• Para pequenos objetos.Para pequenos objetos. •• Pode ter gavetas fixas ouPode ter gavetas fixas ou portportááteis.teis. •• Custo mCusto méédio.dio. •• Perde espaPerde espaçço se mal utilizado.o se mal utilizado. •• Sistema de localizaSistema de localizaçção perfeito.ão perfeito. Gaiolas •• Acesso e iAcesso e iççamento famento fáácil.cil. •• Uso insatisfatUso insatisfatóório do espario do espaçço.o. •• DifDifíícil de desmontar.cil de desmontar. Fonte: Gestão Estratégica da armazenagem – Paulo R. A. Rodrigues
  • 78. Layout dos armazénsLayout dos armazéns As áreas de estocagem devemAs áreas de estocagem devem considerar:considerar:  Fluxo fácil de materiais, considerando aFluxo fácil de materiais, considerando a rotatividade:rotatividade:  Integração entre Layout e sistema deIntegração entre Layout e sistema de manuseio;manuseio;  Flexibilidade para atender as mudanças dosFlexibilidade para atender as mudanças dos requisitos específicos de produtos.requisitos específicos de produtos.
  • 79. Layout dos armazénsLayout dos armazéns Objetivos de um layout:Objetivos de um layout:  Minimizar as despesas de manuseio deMinimizar as despesas de manuseio de materiais;materiais;  Maior utilização do espaço, equipamentos eMaior utilização do espaço, equipamentos e pessoas;pessoas;  Conseguir a utilização máxima do espaço doConseguir a utilização máxima do espaço do armazém;armazém;  Satisfazer certas restrições da localização deSatisfazer certas restrições da localização de materiais;materiais;
  • 80. Layout dos armazénsLayout dos armazéns Objetivos de um layout:Objetivos de um layout:  Melhor fluxo de informações, materiais ouMelhor fluxo de informações, materiais ou pessoas;pessoas;  Melhor moral dos empregados e condiçõesMelhor moral dos empregados e condições de trabalho mais seguras;de trabalho mais seguras;  Facilitar a coordenação e a supervisão;Facilitar a coordenação e a supervisão;  Minimizar custos.Minimizar custos.
  • 81. Layout dos armazénsLayout dos armazéns Sistemas de localização:Sistemas de localização:  O objetivo do planejamento da localização éO objetivo do planejamento da localização é minimizar o total de custos de manuseio;minimizar o total de custos de manuseio;  Quanto menor a distância percorrida, menor será oQuanto menor a distância percorrida, menor será o custo de manuseio;custo de manuseio;  Os métodos intuitivos têm boa aceitação por nãoOs métodos intuitivos têm boa aceitação por não envolver matemática de alto nível:envolver matemática de alto nível: complementaridade, compatibilidade, popularidade ecomplementaridade, compatibilidade, popularidade e tamanho.tamanho.
  • 82. Layout dos armazénsLayout dos armazéns  ComplementaridadeComplementaridade Itens freqüentemente requisitados juntos devemItens freqüentemente requisitados juntos devem estar localizados próximos um do outro.estar localizados próximos um do outro.  CompatibilidadeCompatibilidade Inclui a questão a respeito de se os itens podemInclui a questão a respeito de se os itens podem ser colocados juntos.ser colocados juntos.
  • 83. Layout dos armazénsLayout dos armazéns  PopularidadePopularidade Reconhece que os produtos possuem taxas deReconhece que os produtos possuem taxas de giro diferentes em um armazém, e os custos degiro diferentes em um armazém, e os custos de manuseios de materiais são relacionados àmanuseios de materiais são relacionados à distância percorrida no armazém para localizar edistância percorrida no armazém para localizar e coletar o estoque.coletar o estoque.
  • 84. Layout dos armazénsLayout dos armazéns  TamanhoTamanho Considera que itens menores devem serConsidera que itens menores devem ser localizados próximos a doca de embarque. Destalocalizados próximos a doca de embarque. Desta forma, uma quantidade maior de SKUs estarão naforma, uma quantidade maior de SKUs estarão na menor distância à ser percorrida no armazém.menor distância à ser percorrida no armazém. OS MÉTODOS INTUITIVOS SÃO SIMPLES DE USAROS MÉTODOS INTUITIVOS SÃO SIMPLES DE USAR MAS NÃO GARANTEM O MENOR CUSTOMAS NÃO GARANTEM O MENOR CUSTO..
  • 85. Sistemas de localizaçãoSistemas de localização Localização fixaLocalização fixa  Atribui uma dada baia e/ou número deAtribui uma dada baia e/ou número de prateleira de estocagem para cada item.prateleira de estocagem para cada item. Facilita o controle;Facilita o controle; Maior produtividade no processo de separação;Maior produtividade no processo de separação; Pode dificultar o FIFO;Pode dificultar o FIFO; Aproveitamento médio do espaço é ruim.Aproveitamento médio do espaço é ruim.
  • 86. Sistemas de localizaçãoSistemas de localização Localização aleatóriaLocalização aleatória  Os produtos são armazenados em qualquerOs produtos são armazenados em qualquer espaço aberto que esteja disponível.espaço aberto que esteja disponível. Dificulta o controle;Dificulta o controle; Facilita o FIFO;Facilita o FIFO; Otimiza a utilização dos espaços;Otimiza a utilização dos espaços; Maior produtividade no processo deMaior produtividade no processo de armazenagem.armazenagem.
  • 87. Regras da armazenagemRegras da armazenagem Mantenha a largura e a disposição projetadaMantenha a largura e a disposição projetada para os corredores, deixando espaço suficientepara os corredores, deixando espaço suficiente para manobrar com segurança os equipamentospara manobrar com segurança os equipamentos de movimentação;de movimentação; Mantenha o armazém limpo e arrumado, semMantenha o armazém limpo e arrumado, sem acessórios ou implementos guardados nasacessórios ou implementos guardados nas áreas de armazenagem;áreas de armazenagem; Estabeleça fluxos adequados e sinalize-os comEstabeleça fluxos adequados e sinalize-os com tinta indelével pintada no chão de forma visível,tinta indelével pintada no chão de forma visível, a fim de reduzir os riscos de acidentes ea fim de reduzir os riscos de acidentes e interferências entre os equipamentos;interferências entre os equipamentos;
  • 88. Regras da armazenagemRegras da armazenagem Indique em local visível as alturas deIndique em local visível as alturas de empilhamento recomendadas para diferentesempilhamento recomendadas para diferentes tipos de carga;tipos de carga; Garanta que as zonas de armazenagemGaranta que as zonas de armazenagem estejam bem iluminadas, para permitir a perfeitaestejam bem iluminadas, para permitir a perfeita visibilidade dos trabalhadores, principalmentevisibilidade dos trabalhadores, principalmente dos operadores de equipamentos;dos operadores de equipamentos; Certifique-se que as áreas de segurança sãoCertifique-se que as áreas de segurança são mantidas livres, com fácil acesso aosmantidas livres, com fácil acesso aos equipamentos de combate a incêndio;equipamentos de combate a incêndio;
  • 89. Regras da armazenagemRegras da armazenagem Treine as equipes nos métodos de trabalho eTreine as equipes nos métodos de trabalho e regulamentos de segurança;regulamentos de segurança; Selecione equipamentos com força motriz,Selecione equipamentos com força motriz, capacidade de elevação, alcance, área de giro ecapacidade de elevação, alcance, área de giro e acessórios compatíveis com o espaçoacessórios compatíveis com o espaço disponível;disponível; Sempre que possível use paletes - possibilitamSempre que possível use paletes - possibilitam um empilhamento mais alto e uma maiorum empilhamento mais alto e uma maior velocidade na movimentação da carga;velocidade na movimentação da carga;
  • 90. Regras da armazenagemRegras da armazenagem Não permita que operadores inexperientesNão permita que operadores inexperientes trabalhem sem supervisão;trabalhem sem supervisão; Armazene cargas grandes, irregulares ouArmazene cargas grandes, irregulares ou pesadas próximas das portas;pesadas próximas das portas; Nunca empilhe cargas pesadas sobre cargasNunca empilhe cargas pesadas sobre cargas leves;leves; Reserve zonas específicas afastadas dasReserve zonas específicas afastadas das demais para tintas ou líquidos sujeitos ademais para tintas ou líquidos sujeitos a vazamento;vazamento; Designe cargas sujas para os pátios;Designe cargas sujas para os pátios;
  • 91. Regras da armazenagemRegras da armazenagem Guarde cargas valiosas em zonas seguras;Guarde cargas valiosas em zonas seguras; Proceda a inspeções regulares nas cargasProceda a inspeções regulares nas cargas armazenadas e informe imediatamente a quemarmazenadas e informe imediatamente a quem de direito sobre a ocorrência de acidentes e/oude direito sobre a ocorrência de acidentes e/ou avarias.avarias.
  • 92. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Dimensionamento em função daDimensionamento em função da quantidade máxima de produtos a seremquantidade máxima de produtos a serem armazenados:armazenados:  Disponibilidade de área em qualquerDisponibilidade de área em qualquer momento;momento;  Concentração das atividades em um únicoConcentração das atividades em um único local;local;  Possível ociosidade de área e incremento dosPossível ociosidade de área e incremento dos custos.custos.
  • 93. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Dimensionamento em função daDimensionamento em função da quantidade média de produtos a seremquantidade média de produtos a serem armazenados:armazenados:  Necessidade de alugar áreas extras emNecessidade de alugar áreas extras em períodos de pico;períodos de pico;  Transformar custos fixos em custos variáveis;Transformar custos fixos em custos variáveis;  Contratempo para obtenção de áreasContratempo para obtenção de áreas adequadas.adequadas.
  • 94. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Capacidade estáticaCapacidade estática  É o limite máximo nominal de carga que umaÉ o limite máximo nominal de carga que uma área poder receber simultaneamente,área poder receber simultaneamente, expressa em toneladas.expressa em toneladas. Ex:Ex:  Área do piso = 100m x 50m = 5000 m2Área do piso = 100m x 50m = 5000 m2  Resistência estrutural do piso = 10 ton/m2Resistência estrutural do piso = 10 ton/m2  Capacidade estática = 50.000 tonsCapacidade estática = 50.000 tons
  • 95. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços A capacidade estática depende de:A capacidade estática depende de:  Praça útil;Praça útil;  Altura de empilhamento;Altura de empilhamento;  Fator de estiva.Fator de estiva.
  • 96. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem  O conjunto total de espaços realmenteO conjunto total de espaços realmente destinados à armazenagem;destinados à armazenagem;  Diferente da área total do piso;Diferente da área total do piso;  São excluídos colunas, corredores, salas, etc.São excluídos colunas, corredores, salas, etc.
  • 97. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem  Área do piso = 100m x 50m = 5000m2Área do piso = 100m x 50m = 5000m2 Área de distanciamento obrigatório em torno do prédioÁrea de distanciamento obrigatório em torno do prédio (0,5m x 100m x 2) + (0,5 x 49m x 2)(0,5m x 100m x 2) + (0,5 x 49m x 2) = 149 m2= 149 m2 Corredores necessários para a movimentaçãoCorredores necessários para a movimentação 2m x 100m x 32m x 100m x 3 = 600 m2= 600 m2 EscritórioEscritório 4m x 6m4m x 6m = 24 m2= 24 m2  Área útil de armazenagemÁrea útil de armazenagem 5000 – 149 – 600 - 245000 – 149 – 600 - 24 = 4227 m2= 4227 m2 84,54% da área total do armazém.84,54% da área total do armazém.
  • 98. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Altura do empilhamentoAltura do empilhamento  É decisiva na definição da capacidade deÉ decisiva na definição da capacidade de uma área de armazenagem;uma área de armazenagem;  Quando os espaços são pequenos torna-seQuando os espaços são pequenos torna-se necessário o empilhamento;necessário o empilhamento;  A deficiência da verticalização é uma dasA deficiência da verticalização é uma das principais razões da redução da capacidadeprincipais razões da redução da capacidade de armazenagem.de armazenagem.
  • 99. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Os limitadores do empilhamento são:Os limitadores do empilhamento são:  Equipamentos de elevação inadequados;Equipamentos de elevação inadequados;  Fragilidade da carga ou embalagem;Fragilidade da carga ou embalagem;  Produtos mal embalados;Produtos mal embalados;  Possibilidade de queda;Possibilidade de queda;  Outros fatores de segurança.Outros fatores de segurança.
  • 100. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços No exemplo anterior, se for possívelNo exemplo anterior, se for possível empilhar os materiais a uma altura de 3m,empilhar os materiais a uma altura de 3m, teremos então:teremos então:  Volume total de carga armazenadaVolume total de carga armazenada 4227m x 3m = 12681 m34227m x 3m = 12681 m3  Se for possível aumentar a altura média deSe for possível aumentar a altura média de empilhamento para 4mempilhamento para 4m 16908 m3 de volume de carga armazenada.16908 m3 de volume de carga armazenada.
  • 101. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Fator de estivaFator de estiva  Algumas mercadorias pesam mais e ocupamAlgumas mercadorias pesam mais e ocupam menores espaços.menores espaços.  Outras mercadorias pesam menos e ocupamOutras mercadorias pesam menos e ocupam mais espaços.mais espaços. A densidade da mercadoria é a relaçãoA densidade da mercadoria é a relação entre volume e peso: o fator de estiva.entre volume e peso: o fator de estiva.
  • 102. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Fator de estivaFator de estiva  É o espaço ocupado por uma tonelada deÉ o espaço ocupado por uma tonelada de uma determinada mercadoria, expresso emuma determinada mercadoria, expresso em m3 por toneladam3 por tonelada.. Uma carga volumosa e de baixo peso tem fator deUma carga volumosa e de baixo peso tem fator de estiva elevado.estiva elevado. Uma carga pesada e densa tem um fator de estivaUma carga pesada e densa tem um fator de estiva baixo.baixo.
  • 103. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Fator de estiva médio ponderadoFator de estiva médio ponderado  Multiplicação do fator de estiva de cadaMultiplicação do fator de estiva de cada mercadoria pelo percentual aproximado demercadoria pelo percentual aproximado de ocupação do armazém;ocupação do armazém;  Somatória do fator de estiva ponderado deSomatória do fator de estiva ponderado de todas as mercadorias;todas as mercadorias;  Dividido por 100.Dividido por 100.
  • 104. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Fator de estiva médio ponderadoFator de estiva médio ponderado Mercadoria Fator de Estiva % do Armazém Fator de Estiva Ponderado Fardos 2,5 20 50 Sacaria 2,2 25 55 Caixaria 3,0 30 90 Cartões 3,8 10 38 Tambores 2,0 15 30 TOTAL 100 263 Fator de estiva médio ponderado = 263/100 = 2,63 m3/T
  • 105. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Capacidade estática =Capacidade estática = praça útil x altura de empilhamentopraça útil x altura de empilhamento fator de estiva médiofator de estiva médio Em nosso exemplo:Em nosso exemplo: Capacidade estática =Capacidade estática = 1690816908 = +/- 6428 toneladas= +/- 6428 toneladas 2,632,63
  • 106. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Calculo de ocupação do espaço por umCalculo de ocupação do espaço por um lote de mercadoria :lote de mercadoria :  Peso do lote;Peso do lote;  Altura máxima que o lote poderá serAltura máxima que o lote poderá ser empilhado com segurança;empilhado com segurança;  Fator de Estiva da mercadoria;Fator de Estiva da mercadoria;  Quebra de Espaço aproximada;Quebra de Espaço aproximada;  Índice para Empilhamento;Índice para Empilhamento;  Área que o lote irá ocupar.Área que o lote irá ocupar.
  • 107. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Quebra de espaçoQuebra de espaço  São todos espaços perdidos para aSão todos espaços perdidos para a armazenagem, deixado ao redor dos lotesarmazenagem, deixado ao redor dos lotes armazenados.armazenados.
  • 108. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Índice de empilhamentoÍndice de empilhamento  Meça o volume efetivamente ocupado peloMeça o volume efetivamente ocupado pelo lote, incluindo os espaços destinados a seulote, incluindo os espaços destinados a seu acesso;acesso;  Verifique o peso em toneladas;Verifique o peso em toneladas;  Calcule o volume (m3) ocupado por cadaCalcule o volume (m3) ocupado por cada tonelada de mercadoria, dividindo o volumetonelada de mercadoria, dividindo o volume do espaço ocupado pelo seu peso.do espaço ocupado pelo seu peso.
  • 109. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Um lote de sacaria de café armazenado pesa 80Um lote de sacaria de café armazenado pesa 80 tons. O espaço ocupado pelo lote foi medidotons. O espaço ocupado pelo lote foi medido com uma trena, podendo-se afirmar que estácom uma trena, podendo-se afirmar que está ocupando uma área de 7,2 m x 5,6 m e estáocupando uma área de 7,2 m x 5,6 m e está empilha-do a 4,0 m de altura. Os outros lotes deempilha-do a 4,0 m de altura. Os outros lotes de cargas mais próximos tiveram que sercargas mais próximos tiveram que ser localizados a 1,0 m em toda a sua volta. Quelocalizados a 1,0 m em toda a sua volta. Que espaço efetivamente ocupa esse lote de sacariaespaço efetivamente ocupa esse lote de sacaria de café?de café?
  • 110. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Área ocupada = [(7,2 + 0,5) x (5,6 + 0,5)]Área ocupada = [(7,2 + 0,5) x (5,6 + 0,5)] x 4 m =x 4 m = [7,7[7,7 x 6,1] x 4 m = 46,97 m2 x 4 m =x 6,1] x 4 m = 46,97 m2 x 4 m = 187,88 m3187,88 m3 Se esse lote pesa 80 toneladas, qual é a quebraSe esse lote pesa 80 toneladas, qual é a quebra de espaço observada?de espaço observada? Ocupação da área por 1 ton =Ocupação da área por 1 ton = 187187 = +/- 2,35 m3= +/- 2,35 m3 8080 Índice de empilhamento = +/- 2,35 m3Índice de empilhamento = +/- 2,35 m3
  • 111. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Subtraia o fator de estiva do índice para empilhamentoSubtraia o fator de estiva do índice para empilhamento calculado e converta a diferença num percentual do fatorcalculado e converta a diferença num percentual do fator de estiva. Esta é a Quebra de espaço.de estiva. Esta é a Quebra de espaço. Sabendo-se que o Fator de Estiva da sacaria de café éSabendo-se que o Fator de Estiva da sacaria de café é de 2,20 m3/T e aplicando o índice para empilhamentode 2,20 m3/T e aplicando o índice para empilhamento calculado de 2,35 m3/T, o acréscimo observado é de:calculado de 2,35 m3/T, o acréscimo observado é de: 2,35 - 2,20 = 0,152,35 - 2,20 = 0,15 Portanto, a quebra de espaço é:Portanto, a quebra de espaço é: 0,150,15 x 100 = +/- 6,8%x 100 = +/- 6,8% 2,202,20
  • 112. Dimensionamento de espaçosDimensionamento de espaços Qual espaço precisamos armazenar 80 ton deQual espaço precisamos armazenar 80 ton de café?café? Área =Área = peso x índice para empilhamentopeso x índice para empilhamento altura de empilhamentoaltura de empilhamento ouou Área =Área = peso x (fator de estiva + % de quebra de espaço)peso x (fator de estiva + % de quebra de espaço) altura de empilhamentoaltura de empilhamento Área =Área = 80 x 2,3580 x 2,35 == 188188 = 47,0 m2= 47,0 m2 4 44 4