SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Just In Time (JIT)
Ferramentas e sistemas da
qualidade
Filme: Toyota Just in Time
• Objetivo do filme;
• As características importantes do
processo apresentado;
• Quais são os pontos importante do
processo?
• Quais são os benefícios?
• Quais são as vantagens e desvantagens?
• Por que este processo foi importante para
o processo de produção da Toyota?
JUST IN TIME - JIT
Origem
1950 final
 Pós-guerra
 País pequeno/superpovoado
 Escassez de recursos
 “ Dê importância a cada grão de arroz”
JUST IN TIME - JIT
Origem
Toyota – 1973
 Choque do petróleo
 Necessidade do aprimoramento da
eficiência
 Líder do desenvolvimento do JIT no Japão
 Aproximar progressivamente a manufatura
de seus clientes e fornecedores
JUST IN TIME - JIT
Conceito
O JIT visa atender à demanda
instantaneamente, com qualidade
perfeita e sem desperdícios.
 Bicheno, 1991
JUST IN TIME - JIT
Conceito
O JIT significa produzir bens e
serviços exatamente no momento em
que são necessários – não antes para
que não se transformem em estoque, e
não depois para que seus clientes não
tenham que esperar.
O objetivo fundamental é a melhoria contínua do processo
produtivo, através redução dos estoques os quais tendem a
camuflar problemas.
 Leva à melhores índices da qualidade
 Maior confiabilidade de seus equipamentos e fornecedores
 Maior flexibilidade de resposta
 Lotes menores e mais adequados a demanda do mercado
Modo de atuação
Produção “Puxada”, a partir da demanda do mercado. Não se
trabalha com estoques de segurança
 Utilização de Kanban (cartões e setores com coloração e
cartazes) – ordens de produção, divisão de etapas de trabalho e
etiquetas.
Just In Time (JIT)
PRÉ-REQUISITOS PARA IMPLANTAÇÃO:
Projeto de manufatura
 Layout (arranjo físico celular)
 Gerência da linha de produção
 Qualidade total
 Redução de tempos envolvidos no processo
 Fornecimento de materiais
(qualificação de fornecedores; re-engenharia ??)
 O elemento Humano - treinamento
Níveis hierárquicos:
 Alta gerência - deve estar preocupada com a melhoria
constante
 Médias gerências – treinadas para o programa
 Supervisão de linha e operários – rotation job
Documentação precisa e bem elaborada (POPs)
IMPLEMENTAÇÃO DO JIT
5 princípios básicos:
 cada funcionário ou posto de trabalho é tanto um cliente como
um fornecedor.
 clientes e fornecedores são uma extensão do processo de
manufatura.
 Procurar continuamente simplificar.
 É mais importante prevenir problemas do que resolvê-los.
 Obter ou produzir algo somente quando for necessário
Just In Time (JIT)
Erros de julgamento
• Não é um sistema de controle de
estoques
• Provocar armazenagem no fornecedor
e não no recebedor
• Não é programa de controle de
qualidade
JIT
• Características - Vantagens
– Baixo custo de estoque
– Percepção rápida de problema em
qualquer estágio do processo produtivo
– Responsabilidade de solução de
problemas compartilhada entre os estágios
JIT
• Características - Desvantagens
– Qualquer problema em cada estágio
poderá afetar o sistema como um todo???
JIT
• O JIT é uma filosofia, um conjunto de
técnicas e um método de planejamento
e controle
O JIT como uma filosofia de produção
• O coração do JIT
– Eliminar desperdícios
– O envolvimento dos funcionários na
produção
– E o esforço de aprimoramento contínuo -
Kaizen
Eliminar Desperdícios
• 1) Redes de fábrica focalizadas
• 2) Tecnologia de Grupo (TG)
• 3) Jidoka – qualidade na fonte
• 4) Produção Just-In-Time
• 5) Carregamento uniforme na planta
• 6) Sistema de controle de produção Kanban
• 7) Tempos de setup (preparação, troca de
ferramentas) minimizados.
1) Redes de fábrica localizadas
• Em vez de construir uma grande planta de
manufatura que faça tudo, preferem
construir pequenas plantas altamente
especializadas.
– Facilita a administração
– 750 plantas com mais de 1000 empregados
(Japão), mais de 180.000 tem menos de 30
funcionários
– Aumento de produtividade
2) Tecnologia de Grupo
• Os japoneses levam em consideração
todas as operações necessárias para
fazer uma peça e tentam agrupar aquelas
máquinas próximas uma das outras.
– Reduz tempo de espera
– Reduz tempo de movimentação
– Aumento de produtividade
Esmeril Esmeril Esmeril Serra Serra
Torno TornoTorno Prensa
1
2 3
654
Tratamento
térmico
Prensa Prensa
Esmeril Esmeril Esmeril Serra Serra
Torno TornoTorno Prensa
1
2 3
654
Tratamento
térmico
Prensa Prensa
Tecnologia de Grupo
X
Especialização Departamental
Esmeril
Esmeril
Serra
Serra
TornoTorno
Torno Prensa
1
A
4
Tratamento
térmico
Prensa
Torno
B
Esmeril
Esmeril
Serra
Serra
TornoTorno
Torno Prensa
11
AA
44
Tratamento
térmico
Prensa
Torno
BB
Tecnologia de Grupo
X
Especialização Departamental
3) Jidoka – Qualidade na Fonte
• Jidoka = Pare tudo quando algo está errado
Conceito desenvolvido por Taiichi Ohno, vice-pres. da
Toyota no início dos anos 50.
• Instalaram botões Jidoka que eram acionados
quando tinha algum erro.
• Cada trabalhador inspecionava e tem autonomia
para parar toda a linha.
4) Produção Just-In-Time
Filosofia de administração
Sistema de “puxar” através da
planta
Ataca a perda (tempo, estoque...)
Expõe problemas e gargalos
Atinge a produção sincronizada
Participação do empregado
Engenharia de produção/básico
Melhorias contínuas
Controle total da qualidade
Tamanhos pequenos de lotes
Ambiente estável
5) Carregamento uniforme da Planta
• Produzir de acordo com a necessidade
6) Sistemas de controle de produção kanban
Ajuda a evitar o desperdício no sentido de
informar as quantidades necessárias para
produção e em qual momento
7) Tempos de Setup minimizados
Toyota EUA Suécia Alemanh
a
Tempo de
setup
10 minutos 6 horas 4 horas 4 horas
Setups/dia 3 1 - -
Tamanho de
lote
1 dia 10 dias 1 mês -
7) Tempos de Setup minimizados
Lotes pequenos requerem + setups
• Setup Interno
– Feito quando a máquina está parada
• Setup Externo
– Feito quanto a máquina está operando
JIT – Eliminar Desperdícios
A Toyota identificou 7 tipos de desperdícios
– Superprodução – Ex. Estoque
– Tempo de Espera – Ex. Máquina e Mão-de-obra
– Transporte – Ex. 10 Km quadro de bicicletas
– Processo – Ex .dobras de chapa-Pallets
– Estoque – Quanto maior , pior.
– Movimentação – Ex. pessoal
– Produtos Defeituosos – Ver as causas
JIT – Envolvimento de Todos
• Resolução de problemas por equipe
• Enriquecimento de cargos
(manutenção/Set-up)
• Rotação de cargos e multi-habilidades
• Alto grau de responsabilidade
• Engajamento
• Ownership (propriedade) do trabalho
JIT – Aprimoramento Contínuo
Kaizen
• Ideal – “atender à demanda no momento
exato com qualidade perfeita e sem
desperdício”.
• Crer neste ideal, fará a diferença em ser
transitório ou contínuo.
JIT – Como um conjunto de técnicas para
a Gestão da produção
• Práticas Básicas de Trabalho
– Disciplina = Padrões de trabalho seguidos por
todos;
– Flexibilidade = Expandir as responsabilidades
ao limite da qualificação das pessoas;
– Igualdade = em todos os níveis;
JIT – Como um conjunto de técnicas para
a Gestão da produção
• Práticas Básicas de Trabalho
– Autonomia = Delegação de responsabilidades
• Autoridade para parar a linha
• Programação de materiais
• Coleta de dados, monitoramento do
desempenho
• Resolução de problemas
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Práticas Básicas de Trabalho
– Desenvolvimento de pessoal
– Qualidade de vida no trabalho
• Envolvimento no processo de decisão
• Segurança de emprego
• Diversão
• Instalações da área de trabalho
– Criatividade = Motivação
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Projeto para a Manufatura
– 70 a 80 % dos custos de produção
– Aprimoramento do projeto podem reduzir
dramaticamente o custo do produto.
• Mudanças no nº de componentes
• Melhor uso de materiais
• Melhores métodos
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Máquinas Simples e Pequenas
– Várias máquinas pequenas, ao invés de
uma máquina grande.
– Equipamento feito em casa ou modificado
é mais barato;
– Engenharia disponível dentro da empresa;
– Facilita a flexibilização do arranjo físico
– Baixo investimento.
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Arranjo Físico e Fluxo
– Situar os postos de trabalho próximos uns
dos outros;
– Todo conjunto de postos que fazem
determinado componente estejam visíveis,
tornando o fluxo transparente para todas
as partes da linha;
– Usar linhas em forma de U
– Adotar arranjo físico celular
Layout – Processo em Linha
Linha de velocidade controlada
Linha de acionamento contínuo
Linhas em U
• Usar linhas em forma de U, de forma que
os funcionários possam se movimentar
entre postos de trabalho para balancear a
capacidade
• Isto dá maior flexibilidade
Células de Produção - “U”
Três operadores
Tempo de Ciclo
de 1,5 min./unidade
Dois operadores
Tempo de Ciclo
de 2,0 min./unidade
Linha em Serpentina
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Usar linhas em forma de U, de forma que
os funcionários possam se movimentar
entre postos de trabalho para balancear a
capacidade
• Isto dá maior flexibilidade
Lead Time
• Lead time, ou tempo de
atravessamento ou fluxo, é uma medida
do tempo gasto pelo sistema produtivo
para transformar matérias-primas em
produtos acabados.
Lead Times
• Ele está relacionado à flexibilidade do
sistema produtivo em responder à uma
solicitação do cliente:
– quanto menor o tempo de conversão de
matérias-primas em produtos acabados,
menores serão os custos do sistema produtivo
no atendimento das necessidades dos
clientes;
– nos sistemas convencionais os lead times são
altos e a flexibilidade é baixa (formação de
estoques).
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Redução de Set-up
– É o tempo desperdiçado na troca do
processo de produção de um lote até a
produção da primeira peça boa do próximo
lote.
– Set-up Interno = Enquanto a máquina está
parada
– Set-up Externo = Quando a máquina está
operando
JIT – Como um conjunto de técnicas para
a Gestão da produção
• Envolvimento Total das Pessoas
– Assumir total responsabilidade sob todos os
aspectos de seu trabalho, prevê:
• Seleção de novos funcionários
• Negociação c/ fornecedores
• Auto-avaliação de desempenho
• Utilização do orçamento de melhorias
• Planejamento do trabalho através de
reuniões/dia
• Negociação com clientes (problemas e
necessidades)
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Visibilidade
– Medidas de desempenho no local de trabalho
– Luzes coloridas indicando paradas
– Gráficos de controle de qualidade
– Sistemas de controle visual como Kanbans
– Arranjo físico sem divisórias
– Exposição de produtos de concorrentes,
exemplos de produtos bons e defeituosos
JIT – Como um conjunto de técnicas
para a Gestão da produção
• Fornecimento JIT
– Componentes chegando ao processo de
montagem justamente no momento necessário.
– Não é forçar o fornecedor como algumas
empresas fizeram.
JIT - Como um método de
Planejamento e Controle
• Programação Puxada
– Os materiais são movidos somente
quando a próxima etapa os solicita
– O consumidor (interno) atua como uma
“gatilho” do movimento
– Não se forma estoque em processo
Programação Puxada
Processo Processo Processo PAMP
Programação da Produção
Empurrar a produção
Processo Processo Processo PAMP
Programação da Produção
Puxar a produção
OC OF OF OM
OM
JIT - Como um método de
Planejamento e Controle
• Programação Nivelada
– É o nivelamento do planejamento da produção de
modo que o nº de itens “mix”e o volume sejam
constantes ao longo do tempo
– Heijunka = Nivelamento do planejamento da
produção
– A Programação Nivelada equaliza o mix de
produtos a cada dia.
Programação Nivelada
• Vantagens
– Menor volume de estoque em processo
– Maior regularidade e ritmo de produção da
unidade
– PCP em cada estágio mais fácil
– Controle visível e transparente p/ todos
(relógio)
JIT & MRP
• Características do MRP (Planejamento
de Necessidades Materiais)
– O estoque é empurrado
– O controle é efetuado pelo atingimento do
Programa-Mestre.
– Requer organização complexa,
centralizada e computadorizada. –
Distância do cliente.
– Ambiente de produção e Lead Times fixos
– Ambientes complexos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Armazenagem
ArmazenagemArmazenagem
Armazenagem
UEMA
 
Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.
Henrique Ferreira
 
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
Enock Viana
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
Raylson Rabelo
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Correios
 

Mais procurados (20)

Seminário Just in Time
Seminário Just in TimeSeminário Just in Time
Seminário Just in Time
 
Kanban
KanbanKanban
Kanban
 
Almoxarifado
AlmoxarifadoAlmoxarifado
Almoxarifado
 
Sistemas de producao
Sistemas de producaoSistemas de producao
Sistemas de producao
 
O Sistema Kanban
O Sistema KanbanO Sistema Kanban
O Sistema Kanban
 
Armazenagem
ArmazenagemArmazenagem
Armazenagem
 
Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.Gestão/Administração da produção.
Gestão/Administração da produção.
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
 
Lean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova VisãoLean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova Visão
 
Gestão de Armazéns
Gestão de ArmazénsGestão de Armazéns
Gestão de Armazéns
 
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 
Administração da produção
Administração da produçãoAdministração da produção
Administração da produção
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
 
Fluxogramas
FluxogramasFluxogramas
Fluxogramas
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 

Destaque

Destaque (20)

Palestra endomarketing
Palestra endomarketingPalestra endomarketing
Palestra endomarketing
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Licitação
LicitaçãoLicitação
Licitação
 
Mix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte IMix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte I
 
Previsão de vendas e demanda
Previsão de vendas e demandaPrevisão de vendas e demanda
Previsão de vendas e demanda
 
Mix de Marketing - Preço - Parte II
Mix de Marketing - Preço - Parte IIMix de Marketing - Preço - Parte II
Mix de Marketing - Preço - Parte II
 
Tipos de organização
Tipos de organizaçãoTipos de organização
Tipos de organização
 
Atitude Empreendedora - Empreendedorismo
Atitude Empreendedora - EmpreendedorismoAtitude Empreendedora - Empreendedorismo
Atitude Empreendedora - Empreendedorismo
 
WMS
WMSWMS
WMS
 
EDI
EDIEDI
EDI
 
PDCA
PDCAPDCA
PDCA
 
História da Logística
História da LogísticaHistória da Logística
História da Logística
 
Mix de Marketing - Praça - Parte III
Mix de Marketing - Praça - Parte IIIMix de Marketing - Praça - Parte III
Mix de Marketing - Praça - Parte III
 
Método - SCAMCEA
Método - SCAMCEAMétodo - SCAMCEA
Método - SCAMCEA
 
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IVMix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
 
Endomarketing - Gestão de Pessoas
Endomarketing - Gestão de PessoasEndomarketing - Gestão de Pessoas
Endomarketing - Gestão de Pessoas
 
Missão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosMissão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitos
 
Departamentalização
DepartamentalizaçãoDepartamentalização
Departamentalização
 
Compras Eletrônicas
Compras EletrônicasCompras Eletrônicas
Compras Eletrônicas
 
Armazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisArmazenagem de Materiais
Armazenagem de Materiais
 

Semelhante a Just in time (jit)

Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cimUnidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
luiz0807
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
trainertek
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção Perdas
University
 
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
Eliana Celiven
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção II
Romilson Cesar
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturing
Edomar Hornburg
 

Semelhante a Just in time (jit) (20)

Aula just in time
Aula just in timeAula just in time
Aula just in time
 
Aula -5 JIT_KANBAN.pdf
Aula -5 JIT_KANBAN.pdfAula -5 JIT_KANBAN.pdf
Aula -5 JIT_KANBAN.pdf
 
Novas tecnologias
Novas tecnologiasNovas tecnologias
Novas tecnologias
 
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cimUnidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção Perdas
 
Vantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeVantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin time
 
Ferramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodleFerramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodle
 
Just in time 1
Just in time 1Just in time 1
Just in time 1
 
Just in-time-kaizen-shigeo-shingo
Just in-time-kaizen-shigeo-shingoJust in-time-kaizen-shigeo-shingo
Just in-time-kaizen-shigeo-shingo
 
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
 
A produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabricaA produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabrica
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção II
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturing
 
STP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGOSTP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGO
 
Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2
 
Lean
LeanLean
Lean
 
MRP e JIT
MRP e JITMRP e JIT
MRP e JIT
 
Just in Time
Just in TimeJust in Time
Just in Time
 
Sistema Kanban
Sistema KanbanSistema Kanban
Sistema Kanban
 

Último

b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
Renandantas16
 

Último (7)

Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
 

Just in time (jit)

  • 1. Just In Time (JIT) Ferramentas e sistemas da qualidade
  • 2. Filme: Toyota Just in Time • Objetivo do filme; • As características importantes do processo apresentado; • Quais são os pontos importante do processo? • Quais são os benefícios? • Quais são as vantagens e desvantagens? • Por que este processo foi importante para o processo de produção da Toyota?
  • 3. JUST IN TIME - JIT Origem 1950 final  Pós-guerra  País pequeno/superpovoado  Escassez de recursos  “ Dê importância a cada grão de arroz”
  • 4. JUST IN TIME - JIT Origem Toyota – 1973  Choque do petróleo  Necessidade do aprimoramento da eficiência  Líder do desenvolvimento do JIT no Japão  Aproximar progressivamente a manufatura de seus clientes e fornecedores
  • 5. JUST IN TIME - JIT Conceito O JIT visa atender à demanda instantaneamente, com qualidade perfeita e sem desperdícios.  Bicheno, 1991
  • 6. JUST IN TIME - JIT Conceito O JIT significa produzir bens e serviços exatamente no momento em que são necessários – não antes para que não se transformem em estoque, e não depois para que seus clientes não tenham que esperar.
  • 7. O objetivo fundamental é a melhoria contínua do processo produtivo, através redução dos estoques os quais tendem a camuflar problemas.  Leva à melhores índices da qualidade  Maior confiabilidade de seus equipamentos e fornecedores  Maior flexibilidade de resposta  Lotes menores e mais adequados a demanda do mercado Modo de atuação
  • 8. Produção “Puxada”, a partir da demanda do mercado. Não se trabalha com estoques de segurança  Utilização de Kanban (cartões e setores com coloração e cartazes) – ordens de produção, divisão de etapas de trabalho e etiquetas. Just In Time (JIT)
  • 9. PRÉ-REQUISITOS PARA IMPLANTAÇÃO: Projeto de manufatura  Layout (arranjo físico celular)  Gerência da linha de produção  Qualidade total  Redução de tempos envolvidos no processo  Fornecimento de materiais (qualificação de fornecedores; re-engenharia ??)  O elemento Humano - treinamento
  • 10. Níveis hierárquicos:  Alta gerência - deve estar preocupada com a melhoria constante  Médias gerências – treinadas para o programa  Supervisão de linha e operários – rotation job Documentação precisa e bem elaborada (POPs) IMPLEMENTAÇÃO DO JIT
  • 11. 5 princípios básicos:  cada funcionário ou posto de trabalho é tanto um cliente como um fornecedor.  clientes e fornecedores são uma extensão do processo de manufatura.  Procurar continuamente simplificar.  É mais importante prevenir problemas do que resolvê-los.  Obter ou produzir algo somente quando for necessário Just In Time (JIT)
  • 12. Erros de julgamento • Não é um sistema de controle de estoques • Provocar armazenagem no fornecedor e não no recebedor • Não é programa de controle de qualidade
  • 13. JIT • Características - Vantagens – Baixo custo de estoque – Percepção rápida de problema em qualquer estágio do processo produtivo – Responsabilidade de solução de problemas compartilhada entre os estágios
  • 14. JIT • Características - Desvantagens – Qualquer problema em cada estágio poderá afetar o sistema como um todo???
  • 15. JIT • O JIT é uma filosofia, um conjunto de técnicas e um método de planejamento e controle
  • 16. O JIT como uma filosofia de produção • O coração do JIT – Eliminar desperdícios – O envolvimento dos funcionários na produção – E o esforço de aprimoramento contínuo - Kaizen
  • 17. Eliminar Desperdícios • 1) Redes de fábrica focalizadas • 2) Tecnologia de Grupo (TG) • 3) Jidoka – qualidade na fonte • 4) Produção Just-In-Time • 5) Carregamento uniforme na planta • 6) Sistema de controle de produção Kanban • 7) Tempos de setup (preparação, troca de ferramentas) minimizados.
  • 18. 1) Redes de fábrica localizadas • Em vez de construir uma grande planta de manufatura que faça tudo, preferem construir pequenas plantas altamente especializadas. – Facilita a administração – 750 plantas com mais de 1000 empregados (Japão), mais de 180.000 tem menos de 30 funcionários – Aumento de produtividade
  • 19. 2) Tecnologia de Grupo • Os japoneses levam em consideração todas as operações necessárias para fazer uma peça e tentam agrupar aquelas máquinas próximas uma das outras. – Reduz tempo de espera – Reduz tempo de movimentação – Aumento de produtividade
  • 20. Esmeril Esmeril Esmeril Serra Serra Torno TornoTorno Prensa 1 2 3 654 Tratamento térmico Prensa Prensa Esmeril Esmeril Esmeril Serra Serra Torno TornoTorno Prensa 1 2 3 654 Tratamento térmico Prensa Prensa Tecnologia de Grupo X Especialização Departamental
  • 22. 3) Jidoka – Qualidade na Fonte • Jidoka = Pare tudo quando algo está errado Conceito desenvolvido por Taiichi Ohno, vice-pres. da Toyota no início dos anos 50. • Instalaram botões Jidoka que eram acionados quando tinha algum erro. • Cada trabalhador inspecionava e tem autonomia para parar toda a linha.
  • 23. 4) Produção Just-In-Time Filosofia de administração Sistema de “puxar” através da planta Ataca a perda (tempo, estoque...) Expõe problemas e gargalos Atinge a produção sincronizada Participação do empregado Engenharia de produção/básico Melhorias contínuas Controle total da qualidade Tamanhos pequenos de lotes Ambiente estável
  • 24. 5) Carregamento uniforme da Planta • Produzir de acordo com a necessidade
  • 25. 6) Sistemas de controle de produção kanban Ajuda a evitar o desperdício no sentido de informar as quantidades necessárias para produção e em qual momento
  • 26. 7) Tempos de Setup minimizados Toyota EUA Suécia Alemanh a Tempo de setup 10 minutos 6 horas 4 horas 4 horas Setups/dia 3 1 - - Tamanho de lote 1 dia 10 dias 1 mês -
  • 27. 7) Tempos de Setup minimizados Lotes pequenos requerem + setups • Setup Interno – Feito quando a máquina está parada • Setup Externo – Feito quanto a máquina está operando
  • 28. JIT – Eliminar Desperdícios A Toyota identificou 7 tipos de desperdícios – Superprodução – Ex. Estoque – Tempo de Espera – Ex. Máquina e Mão-de-obra – Transporte – Ex. 10 Km quadro de bicicletas – Processo – Ex .dobras de chapa-Pallets – Estoque – Quanto maior , pior. – Movimentação – Ex. pessoal – Produtos Defeituosos – Ver as causas
  • 29. JIT – Envolvimento de Todos • Resolução de problemas por equipe • Enriquecimento de cargos (manutenção/Set-up) • Rotação de cargos e multi-habilidades • Alto grau de responsabilidade • Engajamento • Ownership (propriedade) do trabalho
  • 30. JIT – Aprimoramento Contínuo Kaizen • Ideal – “atender à demanda no momento exato com qualidade perfeita e sem desperdício”. • Crer neste ideal, fará a diferença em ser transitório ou contínuo.
  • 31. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Práticas Básicas de Trabalho – Disciplina = Padrões de trabalho seguidos por todos; – Flexibilidade = Expandir as responsabilidades ao limite da qualificação das pessoas; – Igualdade = em todos os níveis;
  • 32. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Práticas Básicas de Trabalho – Autonomia = Delegação de responsabilidades • Autoridade para parar a linha • Programação de materiais • Coleta de dados, monitoramento do desempenho • Resolução de problemas
  • 33. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Práticas Básicas de Trabalho – Desenvolvimento de pessoal – Qualidade de vida no trabalho • Envolvimento no processo de decisão • Segurança de emprego • Diversão • Instalações da área de trabalho – Criatividade = Motivação
  • 34. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Projeto para a Manufatura – 70 a 80 % dos custos de produção – Aprimoramento do projeto podem reduzir dramaticamente o custo do produto. • Mudanças no nº de componentes • Melhor uso de materiais • Melhores métodos
  • 35. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Máquinas Simples e Pequenas – Várias máquinas pequenas, ao invés de uma máquina grande. – Equipamento feito em casa ou modificado é mais barato; – Engenharia disponível dentro da empresa; – Facilita a flexibilização do arranjo físico – Baixo investimento.
  • 36. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Arranjo Físico e Fluxo – Situar os postos de trabalho próximos uns dos outros; – Todo conjunto de postos que fazem determinado componente estejam visíveis, tornando o fluxo transparente para todas as partes da linha; – Usar linhas em forma de U – Adotar arranjo físico celular
  • 37. Layout – Processo em Linha Linha de velocidade controlada Linha de acionamento contínuo
  • 38. Linhas em U • Usar linhas em forma de U, de forma que os funcionários possam se movimentar entre postos de trabalho para balancear a capacidade • Isto dá maior flexibilidade
  • 39. Células de Produção - “U” Três operadores Tempo de Ciclo de 1,5 min./unidade Dois operadores Tempo de Ciclo de 2,0 min./unidade
  • 41. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Usar linhas em forma de U, de forma que os funcionários possam se movimentar entre postos de trabalho para balancear a capacidade • Isto dá maior flexibilidade
  • 42. Lead Time • Lead time, ou tempo de atravessamento ou fluxo, é uma medida do tempo gasto pelo sistema produtivo para transformar matérias-primas em produtos acabados.
  • 43. Lead Times • Ele está relacionado à flexibilidade do sistema produtivo em responder à uma solicitação do cliente: – quanto menor o tempo de conversão de matérias-primas em produtos acabados, menores serão os custos do sistema produtivo no atendimento das necessidades dos clientes; – nos sistemas convencionais os lead times são altos e a flexibilidade é baixa (formação de estoques).
  • 44. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Redução de Set-up – É o tempo desperdiçado na troca do processo de produção de um lote até a produção da primeira peça boa do próximo lote. – Set-up Interno = Enquanto a máquina está parada – Set-up Externo = Quando a máquina está operando
  • 45. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Envolvimento Total das Pessoas – Assumir total responsabilidade sob todos os aspectos de seu trabalho, prevê: • Seleção de novos funcionários • Negociação c/ fornecedores • Auto-avaliação de desempenho • Utilização do orçamento de melhorias • Planejamento do trabalho através de reuniões/dia • Negociação com clientes (problemas e necessidades)
  • 46. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Visibilidade – Medidas de desempenho no local de trabalho – Luzes coloridas indicando paradas – Gráficos de controle de qualidade – Sistemas de controle visual como Kanbans – Arranjo físico sem divisórias – Exposição de produtos de concorrentes, exemplos de produtos bons e defeituosos
  • 47. JIT – Como um conjunto de técnicas para a Gestão da produção • Fornecimento JIT – Componentes chegando ao processo de montagem justamente no momento necessário. – Não é forçar o fornecedor como algumas empresas fizeram.
  • 48. JIT - Como um método de Planejamento e Controle • Programação Puxada – Os materiais são movidos somente quando a próxima etapa os solicita – O consumidor (interno) atua como uma “gatilho” do movimento – Não se forma estoque em processo
  • 49. Programação Puxada Processo Processo Processo PAMP Programação da Produção Empurrar a produção Processo Processo Processo PAMP Programação da Produção Puxar a produção OC OF OF OM OM
  • 50. JIT - Como um método de Planejamento e Controle • Programação Nivelada – É o nivelamento do planejamento da produção de modo que o nº de itens “mix”e o volume sejam constantes ao longo do tempo – Heijunka = Nivelamento do planejamento da produção – A Programação Nivelada equaliza o mix de produtos a cada dia.
  • 51. Programação Nivelada • Vantagens – Menor volume de estoque em processo – Maior regularidade e ritmo de produção da unidade – PCP em cada estágio mais fácil – Controle visível e transparente p/ todos (relógio)
  • 52. JIT & MRP • Características do MRP (Planejamento de Necessidades Materiais) – O estoque é empurrado – O controle é efetuado pelo atingimento do Programa-Mestre. – Requer organização complexa, centralizada e computadorizada. – Distância do cliente. – Ambiente de produção e Lead Times fixos – Ambientes complexos.