SlideShare uma empresa Scribd logo
Planejamento das
necessidades de distribuição
(DRP – distribution
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE - UFCG
CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO -CDSA
(DRP – distribution
requirements planning)
Prof. João Leite
Introdução
Sistema de programação da distribuição
desde a fábrica aos centros de
armazenamento e aos centros de
distribuição;distribuição;
Logística.
Introdução
É comum empresas montarem uma estrutura
logística com centros de distribuição regionais
para que seus produtos estejam mais
facilmente disponíveis a seus clientes. Essafacilmente disponíveis a seus clientes. Essa
estratégia tem 3 objetivos:
Reduzir o Lead Time: a entrega de produtos
fabricados no Rio de Janeiro em João Pessoa pode
levar 4 dias (transporte rodoviário), em se tendo
um centro de distribuição em João Pessoa esse
tempo poderia cair facilmente para 1 dia.
Introdução
Reduzir os custos de transporte: As vezes, ter
estoques distribuídos pode significar redução nos
custos de transporte. Ex: transportar pedidos
individuais entre o RJ e JP pode ser mais caro doindividuais entre o RJ e JP pode ser mais caro do
que transportar lotes previamente planejados.
Controle do canal de distribuição: Para muitos
bens industriais ter estoques localmente
distribuídos e FACILMENTE ACESSÍVEIS pode
significar uma presença efetiva no mercado,
dando o controle do canal de distribuição a quem
os tem.
Introdução
A utilização dessa estratégia faz com que parte
da demanda de produtos produzidos pela
fábrica seja demandada para a reposição dos
estoques dos centros de distribuição.estoques dos centros de distribuição.
Dessa maneira, faz necessário o gerenciamento
integrado da cadeia de distribuição. O DRP
(planejamento das necessidades de distribuição) é
o módulo capaz de fazer esse trabalho.
Definição
É a aplicação dos princípios do MRP num ambiente
de distribuição. Consegue integrar as necessidades
especiais de distribuição num modelo dinâmico queespeciais de distribuição num modelo dinâmico que
inclui planos de movimentação de stocks no
presente e no futuro (Lambert et al., 1998, p. 207).
Definição
O DRP é uma ferramenta de planejamento e
programação composta por um sistema e base de
dados cujos objetivos são o de melhorar o serviço ao
cliente, reduzir estoques e aumentar os lucros.
Facilidade e economia no processamento daFacilidade e economia no processamento da
informação devidos à evolução da TI, tornaram mais
fácil para mais e mais pessoas adotarem o DRP e
utilizar todo o seu potencial.
Objetivo do DRP
Assegurar que o item correto, na quantidade correta,
esteja disponível no lugar correto quando for
necessário. Para alcançar isto, planeja, sincroniza e
programa atividades e desenvolve um plano de açãoprograma atividades e desenvolve um plano de ação
dinâmico que continuamente reage a eventos em
mudança.
Mudança na demanda => Reação em cadeia =>
estoques, atividades de armazenagem física,
transporte, suprimentos ou programações de
produção => DRP
Integração DRP e MRP
Figura 2 – Integração DRP e MRP
A falta de integração do sistema:
Previsão da demanda incorreta
Produção excedente
Níveis de estoque excedentes
Custos
Isso se dá pois a empresa pode não conseguir quantificar bem
seus estoques em armazéns/centros de distribuição e assim
prever erroneamente a demanda
A mecânica do DRP
Suponhamos o exemplo dado por Corrêia et al, pág.
274. Trata-se de uma fábrica de lavadoras fictícia
(Secca). Nesta fábrica o plano mestre de produção é
dirigido por 3 fontes de demanda: vendas diretas aos
clientes da região de São Paulo, além de ordensclientes da região de São Paulo, além de ordens
colocadas pelos armazéns regionais localizados em
Uberlândia e Porto Alegre, cada qual visto como um
cliente para a fábrica. Para as vendas diretas aos
clientes, atendidas pelo estoque do armazém da
fábrica, a demanda é prevista pela equipe de vendas
local. As vendas para clienes das regiões nordestes,
centro Oeste e Norte são previstas pela equipe de
Uberlândia, enquanto que as vendas da região Sul
são previstas pela equipe de Porto Alegre.
A mecânica do DRP
Apresenta-se abaixo o detalhamento entre fábrica e
centros de distribuição, apenas para um dos produtos, a
lavadora Avanti 2000.
A aplicação do DRP numa empresa tem que lidar
com barreiras de ordens humana e técnica
(Robeson e Copacino, 1994, p. 391).
Implantação do DRP
Implantação do DRP
Barreiras humanas (ROBESON e COPACINO,
1994, p. 391) :
Desenvolver e treinar pessoas de modo a serem
capazes de lidar com as ferramentascapazes de lidar com as ferramentas
computadorizadas utilizadas nos processos do
DRP;
Garantir que o processo se torna integrado nos
planos regulares de negócio da empresa.
Barreiras técnicas (ROBESON e COPACINO,
1994, p. 391):
Recolher a informação necessária e manter essa
informação atualizada;informação atualizada;
Implementar e desenvolver o software de
processamento de informação necessário para
utilizar o DRP;
Integrar todo o software desenvolvido com o
restante do sistema operativo da empresa.
Exemplo do uso do DRP
Uma grande empresa embarcava seus produtos para
os clientes através de apenas duas de suas
instalações. Ocorreram mudanças na estrutura da
empresa e na filosofia operacional, saindo umaempresa e na filosofia operacional, saindo uma
definição que a empresa deveria distribuir seus
produtos a partir de 15 plantas de produção.
Embora a companhia tivesse feito a implantação do
MRP II com sucesso para acomodar as mudanças na
parte industrial, na área de distribuição não tinha
nada para gerenciar efetivamente a rede agora
descentralizada.
A equipe deu com a falta de integração entre funções
e encontrou problemas no planejamento, operações,
gestão do negócio e sistemas de informação. O
planejamento era muito limitado, e tardio;planejamento era muito limitado, e tardio;
Produtividade em declínio, as ordens e os tempos de
fabricação imprevisíveis, as necessidades dos clientes
não estavam claramente entendidas e as plantas
estavam com problemas de compartilhamento dos
dados e dificuldades de acesso aos sistemas de
informação.
Quando o sistema foi implantado começou a produzir
resultados dramaticamente úteis. Em dois anos de
implantação com um crescimento de cerca de 10%
no volume de ordens:no volume de ordens:
Os estoques foram reduzidos em 35%;
Giro aumentado em 28%;
Adicionalmente, o prazo para distribuição foi reduzido
de 48 para 24 horas e o espaço de armazenagemde 48 para 24 horas e o espaço de armazenagem
reduzido em 9%.
Conclusões
O DRP é um integrador efetivo entre a operação de
distribuição e as respectivas fontes de suprimentos.
MRP e DRP complementam-se para fazer funcionar
bem um canal de distribuição. Uma operação de
distribuição no futuro não será competitivadistribuição no futuro não será competitiva
prescindindo destas ferramentas. Atualmente, vários
sistemas estão em operação com sucesso e muitas
empresas ainda vão implantá-lo no futuro.
Enquanto o DRP beneficia claramente o setor de
manufatura e/ou de distribuidores com amplas
redes de distribuição e cuidados com o
planejamento de transportes, ele também podeplanejamento de transportes, ele também pode
auxiliar o produtor que possui mais de uma fábrica,
loja e/ou departamento cujas matérias primas
sejam fornecidas por outros armazéns, lojas,
fábricas ou departamentos dentro da empresa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Adélia Aparecida Da Silva Cossoniche
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
douglas
 
Inventários
InventáriosInventários
Inventários
Jeverson Perin
 
SENAI GESTÃO DA PRODUÇÃO II
SENAI  GESTÃO DA PRODUÇÃO IISENAI  GESTÃO DA PRODUÇÃO II
SENAI GESTÃO DA PRODUÇÃO II
EXPEDITO SILVA
 
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Elisângela X. P. dos Santos
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
Gilberto Freitas
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
Daisy Marschalk
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
Luiz Carlos Oliveira
 
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo PiresLogística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
Luiza Mucida
 
Planejamento e Controle
Planejamento e ControlePlanejamento e Controle
Planejamento e Controle
Marden Rodrigues
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
JAILTONBORGES
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
Larissa da Costa Melo
 
Apresentação sobre Logística
Apresentação sobre LogísticaApresentação sobre Logística
Apresentação sobre Logística
Isabella Menezes
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
Mauro Enrique
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
Charles Rebouças
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Mauro Enrique
 
Sistema de produção
Sistema de produçãoSistema de produção
Sistema de produção
Luís Carlos Braz
 
Estoque
Estoque Estoque
Estoque
Laercio27
 

Mais procurados (20)

Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Inventários
InventáriosInventários
Inventários
 
SENAI GESTÃO DA PRODUÇÃO II
SENAI  GESTÃO DA PRODUÇÃO IISENAI  GESTÃO DA PRODUÇÃO II
SENAI GESTÃO DA PRODUÇÃO II
 
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
 
Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo PiresLogística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
 
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
 
Planejamento e Controle
Planejamento e ControlePlanejamento e Controle
Planejamento e Controle
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Introdução logistica
Introdução logisticaIntrodução logistica
Introdução logistica
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
 
Apresentação sobre Logística
Apresentação sobre LogísticaApresentação sobre Logística
Apresentação sobre Logística
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
Sistema de produção
Sistema de produçãoSistema de produção
Sistema de produção
 
Estoque
Estoque Estoque
Estoque
 

Destaque

Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da QualidadeAula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da QualidadeAula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
Daniel Moura
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Daniel Moura
 
Aula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de ProduçãoAula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 

Destaque (20)

Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da QualidadeAula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da Qualidade
 
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da QualidadeAula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da Qualidade
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Edital nº 01 uaep cdsa
Edital nº 01   uaep cdsaEdital nº 01   uaep cdsa
Edital nº 01 uaep cdsa
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
 
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
 
Aula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de ProduçãoAula 3 - Sistemas de Produção
Aula 3 - Sistemas de Produção
 

Semelhante a Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II

Sistemas de Gestão FEI
Sistemas de Gestão FEISistemas de Gestão FEI
Sistemas de Gestão FEI
Brunomaglione
 
Trabalho sistemas de gestão fei mateus_cozer 2012
Trabalho sistemas de gestão  fei mateus_cozer 2012Trabalho sistemas de gestão  fei mateus_cozer 2012
Trabalho sistemas de gestão fei mateus_cozer 2012
z133014
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Daniel Moura
 
Competição entre cadeias de suprimentos
Competição entre cadeias de suprimentosCompetição entre cadeias de suprimentos
Competição entre cadeias de suprimentos
Ricardo Domingues
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2
robsonnasc
 
Briefing Logistic Consulting
Briefing Logistic ConsultingBriefing Logistic Consulting
Briefing Logistic Consulting
Condor Software Logística
 
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logisticaGestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
manuelfranc183
 
HandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
HandCom e Prezunic na Revista TecnologisticaHandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
HandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
Gustavo Oliveira
 
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
Otimis Supply Chain
 
Consultoria Logística
Consultoria LogísticaConsultoria Logística
Consultoria Logística
josebsiqueira
 
Mrp
MrpMrp
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgicaLean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
Marcio Junior
 
ERP E MRP.pptx
ERP E MRP.pptxERP E MRP.pptx
ERP E MRP.pptx
AmarildoJosMorett
 
Tgti sig-modulo04-erp 10-05
Tgti sig-modulo04-erp 10-05Tgti sig-modulo04-erp 10-05
Tgti sig-modulo04-erp 10-05
gtiprotec
 
Tgti SIG-modulo04-ERP
Tgti SIG-modulo04-ERPTgti SIG-modulo04-ERP
Tgti SIG-modulo04-ERP
gtiprotec
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
Joaz Souza
 
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
Otimis Supply Chain
 
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e TributáriosLogística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
IOB News
 
Sistemas de Gestão
Sistemas de GestãoSistemas de Gestão
Sistemas de Gestão
Vinicius Bueno
 
Producao.pdf
Producao.pdfProducao.pdf
Producao.pdf
LiviaLopesdeOliveira2
 

Semelhante a Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II (20)

Sistemas de Gestão FEI
Sistemas de Gestão FEISistemas de Gestão FEI
Sistemas de Gestão FEI
 
Trabalho sistemas de gestão fei mateus_cozer 2012
Trabalho sistemas de gestão  fei mateus_cozer 2012Trabalho sistemas de gestão  fei mateus_cozer 2012
Trabalho sistemas de gestão fei mateus_cozer 2012
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
 
Competição entre cadeias de suprimentos
Competição entre cadeias de suprimentosCompetição entre cadeias de suprimentos
Competição entre cadeias de suprimentos
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2
 
Briefing Logistic Consulting
Briefing Logistic ConsultingBriefing Logistic Consulting
Briefing Logistic Consulting
 
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logisticaGestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
Gestão_Log_Apr_.pptx Aprovisionamento e logistica
 
HandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
HandCom e Prezunic na Revista TecnologisticaHandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
HandCom e Prezunic na Revista Tecnologistica
 
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
Soluções de WMS, LMS, gestão de pátio, Performance, Billing, Demand, S&OP e A...
 
Consultoria Logística
Consultoria LogísticaConsultoria Logística
Consultoria Logística
 
Mrp
MrpMrp
Mrp
 
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgicaLean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
Lean Operations durante o tsunami financeiro na indústria siderúrgica
 
ERP E MRP.pptx
ERP E MRP.pptxERP E MRP.pptx
ERP E MRP.pptx
 
Tgti sig-modulo04-erp 10-05
Tgti sig-modulo04-erp 10-05Tgti sig-modulo04-erp 10-05
Tgti sig-modulo04-erp 10-05
 
Tgti SIG-modulo04-ERP
Tgti SIG-modulo04-ERPTgti SIG-modulo04-ERP
Tgti SIG-modulo04-ERP
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
 
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
WMS - Apresentação da Otimis e do Sistema WMS Highjump - 2015
 
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e TributáriosLogística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
Logística Empresarial - Aspectos Teóricos e Tributários
 
Sistemas de Gestão
Sistemas de GestãoSistemas de Gestão
Sistemas de Gestão
 
Producao.pdf
Producao.pdfProducao.pdf
Producao.pdf
 

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção

Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de ProduçãoAula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de ProduçãoAula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de ProduçãoAula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de ProduçãoAula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de ProduçãoAula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - ErgonomiaAula 5.1 - Ergonomia
Aula 5 - Ergonomia
Aula 5 - ErgonomiaAula 5 - Ergonomia

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção (10)

Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de ProduçãoAula 9 - Sistemas de Produção
Aula 9 - Sistemas de Produção
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
 
Aula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de ProduçãoAula 7 - Sistemas de Produção
Aula 7 - Sistemas de Produção
 
Aula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de ProduçãoAula 6 - Sistemas de Produção
Aula 6 - Sistemas de Produção
 
Aula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de ProduçãoAula 5 - Sistemas de Produção
Aula 5 - Sistemas de Produção
 
Aula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de ProduçãoAula 4 - Sistemas de Produção
Aula 4 - Sistemas de Produção
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Aula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - ErgonomiaAula 5.1 - Ergonomia
Aula 5.1 - Ergonomia
 
Aula 5 - Ergonomia
Aula 5 - ErgonomiaAula 5 - Ergonomia
Aula 5 - Ergonomia
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 

Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II

  • 1. Planejamento das necessidades de distribuição (DRP – distribution UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE - UFCG CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO -CDSA (DRP – distribution requirements planning) Prof. João Leite
  • 2. Introdução Sistema de programação da distribuição desde a fábrica aos centros de armazenamento e aos centros de distribuição;distribuição; Logística.
  • 3. Introdução É comum empresas montarem uma estrutura logística com centros de distribuição regionais para que seus produtos estejam mais facilmente disponíveis a seus clientes. Essafacilmente disponíveis a seus clientes. Essa estratégia tem 3 objetivos: Reduzir o Lead Time: a entrega de produtos fabricados no Rio de Janeiro em João Pessoa pode levar 4 dias (transporte rodoviário), em se tendo um centro de distribuição em João Pessoa esse tempo poderia cair facilmente para 1 dia.
  • 4. Introdução Reduzir os custos de transporte: As vezes, ter estoques distribuídos pode significar redução nos custos de transporte. Ex: transportar pedidos individuais entre o RJ e JP pode ser mais caro doindividuais entre o RJ e JP pode ser mais caro do que transportar lotes previamente planejados. Controle do canal de distribuição: Para muitos bens industriais ter estoques localmente distribuídos e FACILMENTE ACESSÍVEIS pode significar uma presença efetiva no mercado, dando o controle do canal de distribuição a quem os tem.
  • 5. Introdução A utilização dessa estratégia faz com que parte da demanda de produtos produzidos pela fábrica seja demandada para a reposição dos estoques dos centros de distribuição.estoques dos centros de distribuição. Dessa maneira, faz necessário o gerenciamento integrado da cadeia de distribuição. O DRP (planejamento das necessidades de distribuição) é o módulo capaz de fazer esse trabalho.
  • 6. Definição É a aplicação dos princípios do MRP num ambiente de distribuição. Consegue integrar as necessidades especiais de distribuição num modelo dinâmico queespeciais de distribuição num modelo dinâmico que inclui planos de movimentação de stocks no presente e no futuro (Lambert et al., 1998, p. 207).
  • 7.
  • 8. Definição O DRP é uma ferramenta de planejamento e programação composta por um sistema e base de dados cujos objetivos são o de melhorar o serviço ao cliente, reduzir estoques e aumentar os lucros. Facilidade e economia no processamento daFacilidade e economia no processamento da informação devidos à evolução da TI, tornaram mais fácil para mais e mais pessoas adotarem o DRP e utilizar todo o seu potencial.
  • 9. Objetivo do DRP Assegurar que o item correto, na quantidade correta, esteja disponível no lugar correto quando for necessário. Para alcançar isto, planeja, sincroniza e programa atividades e desenvolve um plano de açãoprograma atividades e desenvolve um plano de ação dinâmico que continuamente reage a eventos em mudança. Mudança na demanda => Reação em cadeia => estoques, atividades de armazenagem física, transporte, suprimentos ou programações de produção => DRP
  • 10. Integração DRP e MRP Figura 2 – Integração DRP e MRP
  • 11. A falta de integração do sistema: Previsão da demanda incorreta Produção excedente Níveis de estoque excedentes Custos Isso se dá pois a empresa pode não conseguir quantificar bem seus estoques em armazéns/centros de distribuição e assim prever erroneamente a demanda
  • 12. A mecânica do DRP Suponhamos o exemplo dado por Corrêia et al, pág. 274. Trata-se de uma fábrica de lavadoras fictícia (Secca). Nesta fábrica o plano mestre de produção é dirigido por 3 fontes de demanda: vendas diretas aos clientes da região de São Paulo, além de ordensclientes da região de São Paulo, além de ordens colocadas pelos armazéns regionais localizados em Uberlândia e Porto Alegre, cada qual visto como um cliente para a fábrica. Para as vendas diretas aos clientes, atendidas pelo estoque do armazém da fábrica, a demanda é prevista pela equipe de vendas local. As vendas para clienes das regiões nordestes, centro Oeste e Norte são previstas pela equipe de Uberlândia, enquanto que as vendas da região Sul são previstas pela equipe de Porto Alegre.
  • 13. A mecânica do DRP Apresenta-se abaixo o detalhamento entre fábrica e centros de distribuição, apenas para um dos produtos, a lavadora Avanti 2000.
  • 14. A aplicação do DRP numa empresa tem que lidar com barreiras de ordens humana e técnica (Robeson e Copacino, 1994, p. 391). Implantação do DRP
  • 15. Implantação do DRP Barreiras humanas (ROBESON e COPACINO, 1994, p. 391) : Desenvolver e treinar pessoas de modo a serem capazes de lidar com as ferramentascapazes de lidar com as ferramentas computadorizadas utilizadas nos processos do DRP; Garantir que o processo se torna integrado nos planos regulares de negócio da empresa.
  • 16. Barreiras técnicas (ROBESON e COPACINO, 1994, p. 391): Recolher a informação necessária e manter essa informação atualizada;informação atualizada; Implementar e desenvolver o software de processamento de informação necessário para utilizar o DRP; Integrar todo o software desenvolvido com o restante do sistema operativo da empresa.
  • 17. Exemplo do uso do DRP Uma grande empresa embarcava seus produtos para os clientes através de apenas duas de suas instalações. Ocorreram mudanças na estrutura da empresa e na filosofia operacional, saindo umaempresa e na filosofia operacional, saindo uma definição que a empresa deveria distribuir seus produtos a partir de 15 plantas de produção. Embora a companhia tivesse feito a implantação do MRP II com sucesso para acomodar as mudanças na parte industrial, na área de distribuição não tinha nada para gerenciar efetivamente a rede agora descentralizada.
  • 18. A equipe deu com a falta de integração entre funções e encontrou problemas no planejamento, operações, gestão do negócio e sistemas de informação. O planejamento era muito limitado, e tardio;planejamento era muito limitado, e tardio; Produtividade em declínio, as ordens e os tempos de fabricação imprevisíveis, as necessidades dos clientes não estavam claramente entendidas e as plantas estavam com problemas de compartilhamento dos dados e dificuldades de acesso aos sistemas de informação.
  • 19. Quando o sistema foi implantado começou a produzir resultados dramaticamente úteis. Em dois anos de implantação com um crescimento de cerca de 10% no volume de ordens:no volume de ordens:
  • 20. Os estoques foram reduzidos em 35%; Giro aumentado em 28%; Adicionalmente, o prazo para distribuição foi reduzido de 48 para 24 horas e o espaço de armazenagemde 48 para 24 horas e o espaço de armazenagem reduzido em 9%.
  • 21. Conclusões O DRP é um integrador efetivo entre a operação de distribuição e as respectivas fontes de suprimentos. MRP e DRP complementam-se para fazer funcionar bem um canal de distribuição. Uma operação de distribuição no futuro não será competitivadistribuição no futuro não será competitiva prescindindo destas ferramentas. Atualmente, vários sistemas estão em operação com sucesso e muitas empresas ainda vão implantá-lo no futuro.
  • 22.
  • 23. Enquanto o DRP beneficia claramente o setor de manufatura e/ou de distribuidores com amplas redes de distribuição e cuidados com o planejamento de transportes, ele também podeplanejamento de transportes, ele também pode auxiliar o produtor que possui mais de uma fábrica, loja e/ou departamento cujas matérias primas sejam fornecidas por outros armazéns, lojas, fábricas ou departamentos dentro da empresa