SlideShare uma empresa Scribd logo
PROFESSORA: MARLENE MENDES DISCIPLINA: ESCRITA CRIATIVA
SÉRIE/TURMA: 2º ANO1 ANO: 2023
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
Poema
Um poema é um texto literário composto de versos, e que podem conter rimas ou não.
Assim, diferente da prosa, escrita em texto corrido, o poema é escrito em versos que se agrupam em estrofes.
Características dos poemas
Os principais elementos que compõem um poema são o verso, a métrica, a estrofe, a rima e o ritmo.
1. Verso e métrica
Verso é cada linha de um poema. Métrica é a medida dos versos em sílabas poéticas, que nem sempre correspondem às
sílabas gramaticais.
Os versos são classificados de acordo com as sílabas poéticas que apresentam.
 monossílabo: verso com uma sílaba poética
 dissílabo: verso com duas sílabas poéticas
 trissílabo: verso com três sílabas poéticas
 tetrassílabo: verso com quatro sílabas poéticas
 pentassílabo: verso com cinco sílabas poéticas
 hexassílabo: verso com seis sílabas poéticas
 heptassílabo: verso com sete sílabas poéticas
 octossílabo: verso com oito sílabas poéticas
 eneassílabo: verso com nove sílabas poéticas
 decassílabo: verso com dez sílabas poéticas
 hendecassílabo: verso com onze sílabas poéticas
 dodecassílabo: verso com doze sílabas poéticas
Tipos de versos
Os versos são classificadas de acordo com a sua medida.
 Versos regulares: também chamados de versos isométricos, são aqueles que possuem a mesma medida.
 Versos livres: também chamados de versos heterométricos, são os aqueles que possuem medidas diferentes, ou seja,
são irregulares.
 Versos brancos: também chamados de versos soltos, são aqueles que não apresentam esquemas de rima, no entanto,
podem apresentar métrica (medida).
Exemplo de poema com versos regulares
De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
(Soneto da Fidelidade, de Vinicius de Moraes)
Exemplos de poemas com versos livres e brancos
Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...
(Esperança, de Mario Quintana)
2. Estrofe
Estrofe é um grupo de versos de um poema.
As estrofes são classificadas de acordo com cada agrupamento.
 monóstico: estrofe com um verso
 dístico: estrofe com dois versos
 terceto: estrofe com três versos
 quadra ou quarteto: estrofe com quatro versos
 quintilha: estrofe com cinco versos
 sextilha: estrofe com seis versos
 setilha: estrofe com sete versos
 oitava: estrofe com oito versos
 nona: estrofe com nove versos
 décima: estrofe com dez versos
Tipos de estrofe
As estrofes são classificadas de acordo com as métricas utilizada nos seus versos.
 Estrofes simples: poema composto de versos que possuem a mesma medida.
 Estrofes compostas: poema que agrupa versos de medidas diferentes.
 Estrofes livres: poema com agrupamento de versos sem rigor métrico.
3. Rima
Rima é a sonoridade semelhante que pode existir no fim ou no meio dos versos. Há versos que não rimam e são
chamados de versos brancos.
Exemplo de poema com rima
Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.
É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.
É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.
Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor
(Amor é fogo que arde sem se ver, de Luiz Vaz de Camões)
Exemplo de poema sem rima
Sonhe com aquilo que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que quer.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades
que aparecem em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passaram por suas vidas.
(O sonho, de Clarice Lispector)
Tipos de rima
As rimas são classificadas de acordo com o esquema utilizado no poema.
 Rimas alternadas: esquema de rimas formado entre versos pares e os versos ímpares.
 Rimas opostas: esquema de rimas formado entre o primeiro e o quarto verso, e entre o segundo e o terceiro verso.
 Rimas emparelhadas: esquema de rimas formado entre o primeiro e o segundo verso, e entre o terceiro e o quarto
verso.
 Rimas internas: esquema de rimas formado no interior dos versos.
4. Ritmo
O ritmo é a melodia do verso. Trata-se de um elemento muito importante, produzido de maneira intencional de
acordo com as palavras escolhidas pelo escritor.
Exemplo de poema com ritmo
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi:
Sou filho das selvas,
Nas selvas cresci;
Guerreiros, descendo
Da tribo tupi.
Da tribo pujante,
Que agora anda errante
Por fado inconstante,
Guerreiros, nasci:
Sou bravo, sou forte,
Sou filho do Norte;
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi.
(...)
(Trecho do poema I-Juca-Pirama, de Gonçalves Dias)
Tipos de poemas
Segundo a classificação literária, os poemas são reunidos em três gêneros: lírico, épico e narrativo.
1. Poemas líricos: de caráter sentimental e subjetivo, por exemplo, o haicai e o soneto.
Exemplo de poema lírico
Caçador de estrelas.
Chorou: seu olhar voltou
com tantas! Vem vê-las!
(O Poeta, haicai de Guilherme de Almeida)
2. Poemas épicos: contém a presença de heróis, por exemplo, a epopeia e a fábula.
Exemplo de poema épico
As armas e os Barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram.
(trecho de Os Lusíadas, de Luíz Vaz de Camões)
3. Poemas narrativos: feitos para serem encenados, por exemplo, os autos e as farsas.
Exemplo de poema narrativo
Fique atento nesta narração
É a história de um cabra-macho
Mas preste bastante atenção
Não tinha sossego no facho
De ninguém era capacho
Só arrumava confusão
O nome dele era João
Grilo era só um apelido
Tinha um grande coração
Chicó era seu melhor amigo
Viviam sempre em perigo
Nessa história de armação
(Trecho do Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna)
Estrutura do poema
De acordo com a sua estrutura, o poema é classificado em dois tipos: estrutura interna e estrutura externa.
Estrutura interna: corresponde aos aspectos relacionados ao conteúdo explorado no poema, que inclui: o tema, a linguagem, o
discurso, a opinião do autor, o eu-poético, a organização, etc.
Estrutura externa: representa os aspectos formais dos poemas, ou seja, a forma do poema e que inclui: os tipos de versos, de
estrofes, o esquema de rimas, a métrica, etc.
Vale ressaltar que existem os poemas de forma fixa e os de forma livre, os quais não apresentam uma estrutura
rígida. Alguns poemas de forma fixa muito utilizados pelos poetas são: soneto, trova e haicai.
 Soneto: formado por 14 versos, sendo que dois deles são quartetos (conjunto de quatro versos) e dois são tercetos
(conjunto de três versos).
 Trova: formado por uma estrofe com quatro versos heptassílabos (com 7 sílabas poéticas).
 Haicai: formado por 3 versos (terceto), sendo o primeiro verso composto de 5 sílabas poéticas (pentassílabo), o segundo de
7 sílabas poéticas (heptassílabo) e o terceiro de 5 sílabas poéticas (pentassílabo).
Diferença entre poema e poesia
Embora esses dois termos sejam utilizados como sinônimos, existem diferenças entre eles. A diferença é que poema é um
texto em si, enquanto poesia é uma forma de expressão.
O poema é o texto literário composto por versos, estrofes e, por vezes, rimas. A poesia é qualquer produção artística que
provoca emoções, na literatura, nas artes plásticas, música, etc.
Dessa forma, podemos dizer que todo poema tem poesia, mas nem toda a poesia tem poema.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx

A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptxA estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
JssicaCassiano2
 
O texto lírico - noções de versificação
O texto lírico  - noções de versificaçãoO texto lírico  - noções de versificação
O texto lírico - noções de versificação
José Luís
 
Construção de poemas
Construção de poemasConstrução de poemas
Construção de poemas
Eliane Salete Hirt
 
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptxae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
MarleneVieiraSilva
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
Roberta Savana
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Brenda Tacchelli
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
Deia1975
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
Isabel DA COSTA
 
P.point texto poético
P.point texto poéticoP.point texto poético
P.point texto poético
Carlos Dias
 
Clementina deusdete
Clementina deusdeteClementina deusdete
Clementina deusdete
Kellona Christina
 
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptxLITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
Leidimarabatista
 
G. Literários
G. LiteráriosG. Literários
G. Literários
Roberta Savana
 
Nota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemasNota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemas
Péricles Penuel
 
Texto poético.ppt
Texto poético.pptTexto poético.ppt
Texto poético.ppt
LeonelRamos27
 
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Cristina Ramos
 
Texto lírico
Texto líricoTexto lírico
Texto lírico
Teresa Rocha
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
Ana Cristina Santos
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Aline França Russo
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
guestb20a74
 

Semelhante a GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx (20)

A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptxA estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
A estrutura dos poemas ensino fundamental 8 ano.pptx
 
O texto lírico - noções de versificação
O texto lírico  - noções de versificaçãoO texto lírico  - noções de versificação
O texto lírico - noções de versificação
 
Construção de poemas
Construção de poemasConstrução de poemas
Construção de poemas
 
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptxae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 
P.point texto poético
P.point texto poéticoP.point texto poético
P.point texto poético
 
Clementina deusdete
Clementina deusdeteClementina deusdete
Clementina deusdete
 
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptxLITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
 
G. Literários
G. LiteráriosG. Literários
G. Literários
 
Nota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemasNota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemas
 
Texto poético.ppt
Texto poético.pptTexto poético.ppt
Texto poético.ppt
 
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
 
Texto lírico
Texto líricoTexto lírico
Texto lírico
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para Fundamental
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
 

Mais de Marlene Cunhada

C L U B E D E L E I T U R A .pptx
C  L  U B  E   D E   L E I T U R A .pptxC  L  U B  E   D E   L E I T U R A .pptx
C L U B E D E L E I T U R A .pptx
Marlene Cunhada
 
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .pptPERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
Marlene Cunhada
 
I.M.T - O MUNDO DO TRABALHO.ppt
I.M.T -  O   MUNDO    DO    TRABALHO.pptI.M.T -  O   MUNDO    DO    TRABALHO.ppt
I.M.T - O MUNDO DO TRABALHO.ppt
Marlene Cunhada
 
Variação linguística - edição 2021.pptx
Variação linguística  - edição 2021.pptxVariação linguística  - edição 2021.pptx
Variação linguística - edição 2021.pptx
Marlene Cunhada
 
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
Marlene Cunhada
 
Oracoes subordinadas substantivas.pptx
Oracoes  subordinadas  substantivas.pptxOracoes  subordinadas  substantivas.pptx
Oracoes subordinadas substantivas.pptx
Marlene Cunhada
 
VARIEDADES LINGUÍSTICAS - 1. pptx
VARIEDADES        LINGUÍSTICAS - 1. pptxVARIEDADES        LINGUÍSTICAS - 1. pptx
VARIEDADES LINGUÍSTICAS - 1. pptx
Marlene Cunhada
 
reading Comprehension TOM AND HELEN.docx
reading Comprehension TOM AND HELEN.docxreading Comprehension TOM AND HELEN.docx
reading Comprehension TOM AND HELEN.docx
Marlene Cunhada
 
Luiz Vaz de Camoes - Vida-e-Obra .ppt
Luiz  Vaz  de  Camoes - Vida-e-Obra .pptLuiz  Vaz  de  Camoes - Vida-e-Obra .ppt
Luiz Vaz de Camoes - Vida-e-Obra .ppt
Marlene Cunhada
 
1º ANO - VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
1º ANO -       VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx1º ANO -       VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
1º ANO - VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
Marlene Cunhada
 
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.pptLuis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
Marlene Cunhada
 
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.pptLINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
Marlene Cunhada
 
SLIDES SOBRE Figuras de linguagem.pptx
SLIDES SOBRE   Figuras de linguagem.pptxSLIDES SOBRE   Figuras de linguagem.pptx
SLIDES SOBRE Figuras de linguagem.pptx
Marlene Cunhada
 
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptxGENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
Marlene Cunhada
 
Slide JOSE - POETA CARLOS DRUMMOND.pptx
Slide JOSE - POETA  CARLOS DRUMMOND.pptxSlide JOSE - POETA  CARLOS DRUMMOND.pptx
Slide JOSE - POETA CARLOS DRUMMOND.pptx
Marlene Cunhada
 
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptxBIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
Marlene Cunhada
 
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
Marlene Cunhada
 
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
Marlene Cunhada
 
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
Marlene Cunhada
 
VERB TO BE.docx
VERB TO BE.docxVERB TO BE.docx
VERB TO BE.docx
Marlene Cunhada
 

Mais de Marlene Cunhada (20)

C L U B E D E L E I T U R A .pptx
C  L  U B  E   D E   L E I T U R A .pptxC  L  U B  E   D E   L E I T U R A .pptx
C L U B E D E L E I T U R A .pptx
 
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .pptPERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
PERÍODO COMPOSTO - ORAÇÕES COORDENADAS .ppt
 
I.M.T - O MUNDO DO TRABALHO.ppt
I.M.T -  O   MUNDO    DO    TRABALHO.pptI.M.T -  O   MUNDO    DO    TRABALHO.ppt
I.M.T - O MUNDO DO TRABALHO.ppt
 
Variação linguística - edição 2021.pptx
Variação linguística  - edição 2021.pptxVariação linguística  - edição 2021.pptx
Variação linguística - edição 2021.pptx
 
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
3 2 - termos-integrantes-da-oracao-.pptx
 
Oracoes subordinadas substantivas.pptx
Oracoes  subordinadas  substantivas.pptxOracoes  subordinadas  substantivas.pptx
Oracoes subordinadas substantivas.pptx
 
VARIEDADES LINGUÍSTICAS - 1. pptx
VARIEDADES        LINGUÍSTICAS - 1. pptxVARIEDADES        LINGUÍSTICAS - 1. pptx
VARIEDADES LINGUÍSTICAS - 1. pptx
 
reading Comprehension TOM AND HELEN.docx
reading Comprehension TOM AND HELEN.docxreading Comprehension TOM AND HELEN.docx
reading Comprehension TOM AND HELEN.docx
 
Luiz Vaz de Camoes - Vida-e-Obra .ppt
Luiz  Vaz  de  Camoes - Vida-e-Obra .pptLuiz  Vaz  de  Camoes - Vida-e-Obra .ppt
Luiz Vaz de Camoes - Vida-e-Obra .ppt
 
1º ANO - VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
1º ANO -       VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx1º ANO -       VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
1º ANO - VARIAÇÃO LINGUÍSTICA.pptx
 
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.pptLuis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
Luis - Vaz - de - Camoes-Vida-e-Obra.ppt
 
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.pptLINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
LINGUA PORTUGUESA - Analise-Sintatica.ppt
 
SLIDES SOBRE Figuras de linguagem.pptx
SLIDES SOBRE   Figuras de linguagem.pptxSLIDES SOBRE   Figuras de linguagem.pptx
SLIDES SOBRE Figuras de linguagem.pptx
 
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptxGENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
 
Slide JOSE - POETA CARLOS DRUMMOND.pptx
Slide JOSE - POETA  CARLOS DRUMMOND.pptxSlide JOSE - POETA  CARLOS DRUMMOND.pptx
Slide JOSE - POETA CARLOS DRUMMOND.pptx
 
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptxBIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
BIOGRAFIA DA POETISA CECILIA MEIRELES.pptx
 
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
2º ANO MATUTINO - PARNASIANISMO NO BRASIL
 
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
2ª FASE MODERNISTA [Salvo automaticamente].pptx
 
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
1-¦-ano-M-PORTUGUèS-ativ.-08-Conto-de-humor.pdf
 
VERB TO BE.docx
VERB TO BE.docxVERB TO BE.docx
VERB TO BE.docx
 

Último

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 

Último (20)

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 

GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx

  • 1. PROFESSORA: MARLENE MENDES DISCIPLINA: ESCRITA CRIATIVA SÉRIE/TURMA: 2º ANO1 ANO: 2023
  • 4. Poema Um poema é um texto literário composto de versos, e que podem conter rimas ou não. Assim, diferente da prosa, escrita em texto corrido, o poema é escrito em versos que se agrupam em estrofes. Características dos poemas Os principais elementos que compõem um poema são o verso, a métrica, a estrofe, a rima e o ritmo. 1. Verso e métrica Verso é cada linha de um poema. Métrica é a medida dos versos em sílabas poéticas, que nem sempre correspondem às sílabas gramaticais. Os versos são classificados de acordo com as sílabas poéticas que apresentam.  monossílabo: verso com uma sílaba poética  dissílabo: verso com duas sílabas poéticas  trissílabo: verso com três sílabas poéticas  tetrassílabo: verso com quatro sílabas poéticas  pentassílabo: verso com cinco sílabas poéticas  hexassílabo: verso com seis sílabas poéticas
  • 5.  heptassílabo: verso com sete sílabas poéticas  octossílabo: verso com oito sílabas poéticas  eneassílabo: verso com nove sílabas poéticas  decassílabo: verso com dez sílabas poéticas  hendecassílabo: verso com onze sílabas poéticas  dodecassílabo: verso com doze sílabas poéticas Tipos de versos Os versos são classificadas de acordo com a sua medida.  Versos regulares: também chamados de versos isométricos, são aqueles que possuem a mesma medida.  Versos livres: também chamados de versos heterométricos, são os aqueles que possuem medidas diferentes, ou seja, são irregulares.  Versos brancos: também chamados de versos soltos, são aqueles que não apresentam esquemas de rima, no entanto, podem apresentar métrica (medida).
  • 6. Exemplo de poema com versos regulares De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure. (Soneto da Fidelidade, de Vinicius de Moraes)
  • 7. Exemplos de poemas com versos livres e brancos Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano Vive uma louca chamada Esperança E ela pensa que quando todas as sirenas Todas as buzinas Todos os reco-recos tocarem Atira-se E — ó delicioso vôo! Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada, Outra vez criança... E em torno dela indagará o povo: — Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes? E ela lhes dirá (É preciso dizer-lhes tudo de novo!) Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam: — O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA... (Esperança, de Mario Quintana)
  • 8. 2. Estrofe Estrofe é um grupo de versos de um poema. As estrofes são classificadas de acordo com cada agrupamento.  monóstico: estrofe com um verso  dístico: estrofe com dois versos  terceto: estrofe com três versos  quadra ou quarteto: estrofe com quatro versos  quintilha: estrofe com cinco versos  sextilha: estrofe com seis versos  setilha: estrofe com sete versos  oitava: estrofe com oito versos  nona: estrofe com nove versos  décima: estrofe com dez versos
  • 9. Tipos de estrofe As estrofes são classificadas de acordo com as métricas utilizada nos seus versos.  Estrofes simples: poema composto de versos que possuem a mesma medida.  Estrofes compostas: poema que agrupa versos de medidas diferentes.  Estrofes livres: poema com agrupamento de versos sem rigor métrico. 3. Rima Rima é a sonoridade semelhante que pode existir no fim ou no meio dos versos. Há versos que não rimam e são chamados de versos brancos.
  • 10. Exemplo de poema com rima Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente; é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; é um andar solitário entre a gente; é nunca contentar-se de contente; é um cuidar que ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; é servir a quem vence, o vencedor; é ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor nos corações humanos amizade, se tão contrário a si é o mesmo Amor (Amor é fogo que arde sem se ver, de Luiz Vaz de Camões)
  • 11. Exemplo de poema sem rima Sonhe com aquilo que você quer ser, porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que quer. Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. A felicidade aparece para aqueles que choram. Para aqueles que se machucam Para aqueles que buscam e tentam sempre. E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passaram por suas vidas. (O sonho, de Clarice Lispector)
  • 12. Tipos de rima As rimas são classificadas de acordo com o esquema utilizado no poema.  Rimas alternadas: esquema de rimas formado entre versos pares e os versos ímpares.  Rimas opostas: esquema de rimas formado entre o primeiro e o quarto verso, e entre o segundo e o terceiro verso.  Rimas emparelhadas: esquema de rimas formado entre o primeiro e o segundo verso, e entre o terceiro e o quarto verso.  Rimas internas: esquema de rimas formado no interior dos versos. 4. Ritmo O ritmo é a melodia do verso. Trata-se de um elemento muito importante, produzido de maneira intencional de acordo com as palavras escolhidas pelo escritor.
  • 13. Exemplo de poema com ritmo Meu canto de morte, Guerreiros, ouvi: Sou filho das selvas, Nas selvas cresci; Guerreiros, descendo Da tribo tupi. Da tribo pujante, Que agora anda errante Por fado inconstante, Guerreiros, nasci: Sou bravo, sou forte, Sou filho do Norte; Meu canto de morte, Guerreiros, ouvi. (...) (Trecho do poema I-Juca-Pirama, de Gonçalves Dias)
  • 14. Tipos de poemas Segundo a classificação literária, os poemas são reunidos em três gêneros: lírico, épico e narrativo. 1. Poemas líricos: de caráter sentimental e subjetivo, por exemplo, o haicai e o soneto. Exemplo de poema lírico Caçador de estrelas. Chorou: seu olhar voltou com tantas! Vem vê-las! (O Poeta, haicai de Guilherme de Almeida) 2. Poemas épicos: contém a presença de heróis, por exemplo, a epopeia e a fábula. Exemplo de poema épico As armas e os Barões assinalados Que da Ocidental praia Lusitana Por mares nunca de antes navegados Passaram ainda além da Taprobana, Em perigos e guerras esforçados Mais do que prometia a força humana, E entre gente remota edificaram Novo Reino, que tanto sublimaram. (trecho de Os Lusíadas, de Luíz Vaz de Camões)
  • 15. 3. Poemas narrativos: feitos para serem encenados, por exemplo, os autos e as farsas. Exemplo de poema narrativo Fique atento nesta narração É a história de um cabra-macho Mas preste bastante atenção Não tinha sossego no facho De ninguém era capacho Só arrumava confusão O nome dele era João Grilo era só um apelido Tinha um grande coração Chicó era seu melhor amigo Viviam sempre em perigo Nessa história de armação (Trecho do Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna)
  • 16. Estrutura do poema De acordo com a sua estrutura, o poema é classificado em dois tipos: estrutura interna e estrutura externa. Estrutura interna: corresponde aos aspectos relacionados ao conteúdo explorado no poema, que inclui: o tema, a linguagem, o discurso, a opinião do autor, o eu-poético, a organização, etc. Estrutura externa: representa os aspectos formais dos poemas, ou seja, a forma do poema e que inclui: os tipos de versos, de estrofes, o esquema de rimas, a métrica, etc. Vale ressaltar que existem os poemas de forma fixa e os de forma livre, os quais não apresentam uma estrutura rígida. Alguns poemas de forma fixa muito utilizados pelos poetas são: soneto, trova e haicai.  Soneto: formado por 14 versos, sendo que dois deles são quartetos (conjunto de quatro versos) e dois são tercetos (conjunto de três versos).  Trova: formado por uma estrofe com quatro versos heptassílabos (com 7 sílabas poéticas).  Haicai: formado por 3 versos (terceto), sendo o primeiro verso composto de 5 sílabas poéticas (pentassílabo), o segundo de 7 sílabas poéticas (heptassílabo) e o terceiro de 5 sílabas poéticas (pentassílabo).
  • 17. Diferença entre poema e poesia Embora esses dois termos sejam utilizados como sinônimos, existem diferenças entre eles. A diferença é que poema é um texto em si, enquanto poesia é uma forma de expressão. O poema é o texto literário composto por versos, estrofes e, por vezes, rimas. A poesia é qualquer produção artística que provoca emoções, na literatura, nas artes plásticas, música, etc. Dessa forma, podemos dizer que todo poema tem poesia, mas nem toda a poesia tem poema.