SlideShare uma empresa Scribd logo
GESTÃO DE PROJETOS Baseado no PMBOK 2004
DEFINIÇÃO O que é um projeto? Porque precisamos de conhecimento sobre gestão de projetos?
DEFINIÇÃO Projeto é um empreendimento  único ,  não repetitivo , caracterizado por uma seqüência clara e lógica de  eventos , com  início, meio e fim , que se destina a atingir um  objetivo  definido.
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto Processo (Rotina) Planejamento, execução, controle Recursos  limitados Envolve  pessoas  na sua execução
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto Processo (Rotina) Temporário  –  início e fim determinados (cessa quando atinge o objetivo) Constrói algo único Permanente  –  o fim é imprevisível (reprogra- mado quando os objetivos são atingidos)  Atividade rotineira
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto é uma excepção.  Um projeto envolve compilar, investigar e reportar informação em atividades que se encontram fora do trabalho habitual.
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 2. Atividades de um projeto estão relacionadas.  As atividades de um projeto relacionam-se para atingir um determinado resultado.
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 3. As metas e objetivos de um projeto são específicos.  Tarefas rotineiras podem ter metas, mas estas têm tendência para ser fixas ou mover-se de acordo com o tempo. Em um projeto as metas são singulares e únicas, sendo atingidas ou não.
PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 4. O resultado desejado é identificado.  Rotinas têm como objetivo a manutenção de processos, enquanto um projeto desenvolve procedimentos e tarefas que têm como objetivo um resultado específico.
GERENCIAMENTO DO PROJETO Aplicação  de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para  atender aos requisitos  das partes envolvidas.
PARTES ENVOLVIDAS Gerência de Projetos Equipe Usuários Contratados Sociedade Cliente Patroci- nador
POR QUE GERENCIAR ? Fonte: PMI-RJ – Estudo de Benchmark em GP - 2003
HISTÓRICO 1915 – Henry Gantt – Cronograma de Gantt 1957 – Marinha EUA – Submarino Polaris – PERT 1957 – Projeto Apolo – CPM 1969 – Criação do PMI – Pennsylvania 1979 – Criação do PMI Chapter Brasil 1987 – Edição do PMBOK 1998 – 1o exame de certificação no Brasil 2000 – Edição do PMBOK 2000 2004 – Edição do PMBOK 2004
CONDIÇÕES DE CONTORNO Tempo Riscos Qualidade Custos Escopo
Um projeto bem sucedido é … SUCESSO aquele que é realizado conforme o planejado. Escopo C R T
O que é o PMI?  O que é o PMBOK? O que é certificação PMP? PROJECT  MANAGEMENT  INSTITUTE
ÁREAS DE CONHECIMENTO DO GP
EXPERTISE Conhecimentos  necessários à  equipe de projetos Corpo de Conhecimentos da Gerência de Projetos Gerênciamento  Geral  Relações  Humanas   Ambiente do Projeto   Área de  Aplicação  PMBOK
ESTRUTURA FUNCIONAL Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Coordenação do Projeto Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
ESTRUTURA PROJETIZADA Executivo Chefe Gerente de Projetos Gerente de Projetos Gerente de Projetos Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Coordenação do Projeto Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
ESTRUTURA MATRICIAL FRACA Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
ESTRUTURA MATRICIAL BALANCEADA Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Gerente do Projeto Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
ESTRUTURA MATRICIAL FORTE Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Geral de Projetos Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Gerente de Projetos Gerente de Projetos Gerente de Projetos Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
ATRIBUTOS DO GERENTE DE PROJETOS Saber delegar e monitorar Saber comunicar Saber negociar Saber encontrar soluções Saber articular Ter conhecimento técnico
PROCESSOS do PROJETO Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Autorização do projeto ou fase Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Definição dos objetivos e seleção das melhores alternativas de ação Coordenar as pessoas e os recursos para realizar o plano Monitorar e agir de forma corretiva para assegurar o cumprimento dos objetivos Formalizar a aceitação do projeto e organizar o encerramento
CICLO dos PROCESSOS Planejamento Iniciação Encerra- mento Execução Controle
FASES DO PROJETO Fase 1 Fase 2 Fase 3
INTERAÇÕES dos PROCESSOS Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Tempo Nível de atividade
PERGUNTAS A REALIZAR PELO GP Qual o objetivo e propósito deste projeto? Qual é o resultado esperado? Que problemas poderemos encontrar e como resolvê-los? Qual é a minha responsabilidade? Qual é o âmbito da minha autoridade? Qual é o meu orçamento? Qual é o prazo para término?
PROCESSOS DE INICIAÇÃO Iniciação: obter o comprometimento da organização para o início do projeto ou da próxima fase
DEFININDO OS OBJETIVOS DO PROJETO Definir os problemas que a equipe terá que resolver e enumerar possíveis soluções Descrever informação que a equipe irá necessitar Propor responsabilidades iniciais para a equipe Iniciar o planejamento básico de todo o projeto
ELEMENTOS CHAVE Informação Orçamento Comprometimento da equipe
PROCESSOS DE PLANEJAMENTO
DEFININDO A EQUIPE DO PROJETO As pessoas que fazem parte da equipe de um projeto, em ultima instância, é o que define o sucesso ou o fracasso de um projeto
EAP – Estrutura analítica de processos
PROCESSOS DE EXECUÇÃO
PROCESSOS DE CONTROLE
GARANTIA DA QUALIDADE Estabelecimento de processos que minimizem a ocorrência de falhas Fluxogramas de processos Diagramas de causa e efeitos Auditorias: Sistemas Processos Produtos
DUAGRAMA DE CAUSA E EFEITO
ORGANOGRAMA - Exemplo
PROCESSOS DE ENCERRAMENTO
PROCESSO COMUNICACIONAL COMUNICAÇÃO Origem: latim –  communis , significa «comum» Só há comunicação quando o que é transmitido tem um significado  comum  para os dois polos: emissor e receptor Emissor Receptor Retorno Mensagem Codificação Descodificação
PROCESSO COMUNICACIONAL ELEMENTOS O emissor O receptor A ideia a transmitir O código (conjunto de simbolos) A mensagem O meio Ruído Interpretação
LEIS DA COMUNICACÃO Lei do emissor A comunicação é tanto mais eficaz quanto mais importante for o emissor Lei da congruência O emissor deve ser congruente com a mensagem a transmitir Lei do receptor A comunicação é tanto mais difícil quanto maiores forem o número de receptores e a respectiva heterogeneidade
LEIS DA COMUNICACÃO Lei da repetição Quanto mais vezes uma mensagem for repetida, maior a possibilidade de ser memorizada Lei da simplificação Quanto mais simples for uma mensagem, mais fácil será a sua compreensão e memorização Lei da distorção O conteúdo de uma mensagem altera-se à medida que é retransmitida de uma pessoa para outra
LEIS DA COMUNICACÃO Efeito  boomerang O efeito de uma mensagem pode ser exatamente o oposto do pretendido pelo emissor Ordem das mensagens As pessoas tendem a memorizar mais facilmente as mensagens ouvidas no ínicio e no fim de um discurso comunicacional Lei do diferencial de percepções O receptor tem, em média, uma capacidade de percepção cinco vezes superior ao emissor
REDES DE COMUNICACÃO REDES FORMAIS REDES INFORMAIS
BARREIRAS A COMUNICACÃO Ouvir o que esperamos ouvir Desconsideração das informações que entram em conflito com o que «sabemos» (percepção seletiva) Avaliação da fonte Pressões sociais Problemas semânticos Sinais não-verbais Efeito das emoções Ruído Excesso de informação Diferenças inter-culturais Distância física O  timing
FÓRMULA DO SUCESSO “ 5% de tecnologia e 95% de psicologia   e atitude” Tom Peters
BIBLIOGRAFIA  PMBOK 2004 – www.pmi.org Dinsmore,  Paul Campbell.  Como se tornar um Profissional em Gerenciamento de Projetos Figueiredo,  Francisco Constant de.  Dominando o Ger. Proj. com o MS Project Hickson,  Rosângela.  Projeto de Sistemas WEB King,  David.  Project Management Made Simple   Martins,  José Carlos C.  Gestão de Projetos de Desenv. de Software – PMI/UML Molinari,  Leonardo.  Gestão de Projetos – Técnicas e Práticas com ênfase em Web Quadros,  Moacir.  Gerência de Projetos de Software Vargas,  Ricardo Viana.  Gerenciamento de Projetos Como Gerenciar Projetos. Grupo Publifolha

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Workshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
Workshop Gestão de projetos: Da teoria à praticaWorkshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
Workshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
Eli Rodrigues
 
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil - praticas de fundamentos
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil -  praticas de fundamentosGestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil -  praticas de fundamentos
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil - praticas de fundamentos
Kleitor Franklint Correa Araujo
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Kerzner gerenciamento de projetos uma abordagem sistêmica para o planejamen...
Kerzner gerenciamento de projetos   uma abordagem sistêmica para o planejamen...Kerzner gerenciamento de projetos   uma abordagem sistêmica para o planejamen...
Kerzner gerenciamento de projetos uma abordagem sistêmica para o planejamen...
Tatiana Jatobá
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Claudio Barbosa
 
Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02
Robson Silva Espig
 
Pmbok
PmbokPmbok
Introdução a Gerenciamento de Projetos
Introdução a Gerenciamento de ProjetosIntrodução a Gerenciamento de Projetos
Introdução a Gerenciamento de Projetos
Wilker Bueno de Freitas Rosa
 
Fundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de ProjetosFundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de Projetos
Sandro H. Oliveira, MBA
 
Palestra sobre Gerenciamento de Projetos
Palestra sobre Gerenciamento de ProjetosPalestra sobre Gerenciamento de Projetos
Palestra sobre Gerenciamento de Projetos
JET e-Commerce
 
Ferramentas de Gerência de Projetos
Ferramentas de Gerência de ProjetosFerramentas de Gerência de Projetos
Ferramentas de Gerência de Projetos
Cloves Moreira Junior
 
Gestão de projetos em empresas no brasil
Gestão de projetos em empresas no brasilGestão de projetos em empresas no brasil
Gestão de projetos em empresas no brasil
Paulo Junior
 
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor PúblicoGerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
Clayton Oliveira
 
Apresentacao Pmbok
Apresentacao PmbokApresentacao Pmbok
Apresentacao Pmbok
Luiz Neto
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
Marcos Abreu
 
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PRFundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
Rodrigo Giraldelli
 
Gestão de Projetos e Ferramentas
Gestão de Projetos e FerramentasGestão de Projetos e Ferramentas
Gestão de Projetos e Ferramentas
Nei Grando
 
Aula 4 - Gestão de Projetos
Aula 4 - Gestão de ProjetosAula 4 - Gestão de Projetos
Aula 4 - Gestão de Projetos
Fernando Dantas
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
AyslanAnholon
 

Mais procurados (20)

Workshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
Workshop Gestão de projetos: Da teoria à praticaWorkshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
Workshop Gestão de projetos: Da teoria à pratica
 
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil - praticas de fundamentos
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil -  praticas de fundamentosGestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil -  praticas de fundamentos
Gestão de projeto PMBOK 5 com um Toque Agil - praticas de fundamentos
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetos
 
Kerzner gerenciamento de projetos uma abordagem sistêmica para o planejamen...
Kerzner gerenciamento de projetos   uma abordagem sistêmica para o planejamen...Kerzner gerenciamento de projetos   uma abordagem sistêmica para o planejamen...
Kerzner gerenciamento de projetos uma abordagem sistêmica para o planejamen...
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
 
Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
 
Introdução a Gerenciamento de Projetos
Introdução a Gerenciamento de ProjetosIntrodução a Gerenciamento de Projetos
Introdução a Gerenciamento de Projetos
 
Fundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de ProjetosFundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de Projetos
 
Palestra sobre Gerenciamento de Projetos
Palestra sobre Gerenciamento de ProjetosPalestra sobre Gerenciamento de Projetos
Palestra sobre Gerenciamento de Projetos
 
Ferramentas de Gerência de Projetos
Ferramentas de Gerência de ProjetosFerramentas de Gerência de Projetos
Ferramentas de Gerência de Projetos
 
Gestão de projetos em empresas no brasil
Gestão de projetos em empresas no brasilGestão de projetos em empresas no brasil
Gestão de projetos em empresas no brasil
 
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor PúblicoGerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
 
Apresentacao Pmbok
Apresentacao PmbokApresentacao Pmbok
Apresentacao Pmbok
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
 
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PRFundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
Fundamentos em Gerenciamento de Projetos PMI PR
 
Gestão de Projetos e Ferramentas
Gestão de Projetos e FerramentasGestão de Projetos e Ferramentas
Gestão de Projetos e Ferramentas
 
Aula 4 - Gestão de Projetos
Aula 4 - Gestão de ProjetosAula 4 - Gestão de Projetos
Aula 4 - Gestão de Projetos
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
 

Destaque

Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionaisAula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Katiana Diniz
 
Liderança aulas 4,5
Liderança   aulas 4,5Liderança   aulas 4,5
Liderança aulas 4,5
Katiana Diniz
 
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Gustavo Zimmermann
 
Oficina - Pesquisa de dados secundários
Oficina - Pesquisa de dados secundáriosOficina - Pesquisa de dados secundários
Oficina - Pesquisa de dados secundários
Katiana Diniz
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aulas 7,8
Aulas 7,8Aulas 7,8
Aulas 7,8
Katiana Diniz
 
Aula 2 conceitos básicos
Aula 2   conceitos básicosAula 2   conceitos básicos
Aula 2 conceitos básicos
Katiana Diniz
 
Aula 1 visão organizacional
Aula 1   visão organizacionalAula 1   visão organizacional
Aula 1 visão organizacional
Katiana Diniz
 
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
Adhara Ferrari
 
Liderança aula 6
Liderança   aula 6Liderança   aula 6
Liderança aula 6
Katiana Diniz
 
Aulas 3 e 4 identificação dos processos organizacionais
Aulas 3 e 4   identificação dos processos organizacionaisAulas 3 e 4   identificação dos processos organizacionais
Aulas 3 e 4 identificação dos processos organizacionais
Katiana Diniz
 
Liderança aula 3
Liderança   aula 3Liderança   aula 3
Liderança aula 3
Katiana Diniz
 
Liderança aulas 1, 2
Liderança   aulas 1, 2Liderança   aulas 1, 2
Liderança aulas 1, 2
Katiana Diniz
 
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza, Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
Daniel de Carvalho Luz
 
Noções de Administração: Gestão de Projetos (aula 5)
Noções de Administração: Gestão de Projetos  (aula 5)Noções de Administração: Gestão de Projetos  (aula 5)
Noções de Administração: Gestão de Projetos (aula 5)
Gustavo Zimmermann
 

Destaque (15)

Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionaisAula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
 
Liderança aulas 4,5
Liderança   aulas 4,5Liderança   aulas 4,5
Liderança aulas 4,5
 
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
Noções de Administração: Gestão por Processos (aula 3)
 
Oficina - Pesquisa de dados secundários
Oficina - Pesquisa de dados secundáriosOficina - Pesquisa de dados secundários
Oficina - Pesquisa de dados secundários
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aulas 7,8
Aulas 7,8Aulas 7,8
Aulas 7,8
 
Aula 2 conceitos básicos
Aula 2   conceitos básicosAula 2   conceitos básicos
Aula 2 conceitos básicos
 
Aula 1 visão organizacional
Aula 1   visão organizacionalAula 1   visão organizacional
Aula 1 visão organizacional
 
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
Natura: nascimento, desenvolvimento e a expansão internacional.
 
Liderança aula 6
Liderança   aula 6Liderança   aula 6
Liderança aula 6
 
Aulas 3 e 4 identificação dos processos organizacionais
Aulas 3 e 4   identificação dos processos organizacionaisAulas 3 e 4   identificação dos processos organizacionais
Aulas 3 e 4 identificação dos processos organizacionais
 
Liderança aula 3
Liderança   aula 3Liderança   aula 3
Liderança aula 3
 
Liderança aulas 1, 2
Liderança   aulas 1, 2Liderança   aulas 1, 2
Liderança aulas 1, 2
 
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza, Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
Aula Inaugural - MBA Centro Paula Souza,
 
Noções de Administração: Gestão de Projetos (aula 5)
Noções de Administração: Gestão de Projetos  (aula 5)Noções de Administração: Gestão de Projetos  (aula 5)
Noções de Administração: Gestão de Projetos (aula 5)
 

Semelhante a Gestão de projetos

Project Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
Project Value - Ferramentas de Gestão de ProjectosProject Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
Project Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
Alcides Cabral PMP
 
Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2
Jorge Andrade Mangueira
 
Iniciação em Projetos
Iniciação em ProjetosIniciação em Projetos
Iniciação em Projetos
Felipe Meira
 
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de ProjetosGestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Beatriz Benezra Dehtear, MBA
 
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologiaPalestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
elonvila
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
 
Gerência de Projetos de Software - Aula1
Gerência de Projetos de Software - Aula1Gerência de Projetos de Software - Aula1
Gerência de Projetos de Software - Aula1
Adson Cunha, MSc, PMP®
 
Melhores práticas em gerenciamento de projetos
Melhores práticas em gerenciamento de projetosMelhores práticas em gerenciamento de projetos
Melhores práticas em gerenciamento de projetos
Elderclei Reami
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
lcbj
 
Trabalho de conclusão de curso 2013
Trabalho de conclusão de curso 2013Trabalho de conclusão de curso 2013
Trabalho de conclusão de curso 2013
Fabio Donizeti Baptista
 
Dimensao Humana
Dimensao HumanaDimensao Humana
Dimensao Humana
J. C.
 
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casosGestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Eduardo Longo
 
Introdução a gestão de projetos com PMBoK
Introdução a gestão de projetos com PMBoKIntrodução a gestão de projetos com PMBoK
Introdução a gestão de projetos com PMBoK
Leonardo Soares
 
slides Gerencia de projetos
slides Gerencia de projetosslides Gerencia de projetos
slides Gerencia de projetos
Rubson Mota
 
Estudo De Caso Pmbok
Estudo De Caso PmbokEstudo De Caso Pmbok
Estudo De Caso Pmbok
Luiz Neto
 
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de softwareGerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Roberto Brandini
 
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
Instituto de Capacitação Business School Brasil - BSB
 
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócioPalestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
CRA - MG
 
Project builder puc minas
Project builder puc minasProject builder puc minas
Project builder puc minas
Thiago Reis
 
Aula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e CronogramaAula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e Cronograma
Daniela Brauner
 

Semelhante a Gestão de projetos (20)

Project Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
Project Value - Ferramentas de Gestão de ProjectosProject Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
Project Value - Ferramentas de Gestão de Projectos
 
Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2
 
Iniciação em Projetos
Iniciação em ProjetosIniciação em Projetos
Iniciação em Projetos
 
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de ProjetosGestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
 
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologiaPalestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
Palestra: Planejamento e controle de projetos pelo uso de tecnologia
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
 
Gerência de Projetos de Software - Aula1
Gerência de Projetos de Software - Aula1Gerência de Projetos de Software - Aula1
Gerência de Projetos de Software - Aula1
 
Melhores práticas em gerenciamento de projetos
Melhores práticas em gerenciamento de projetosMelhores práticas em gerenciamento de projetos
Melhores práticas em gerenciamento de projetos
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
 
Trabalho de conclusão de curso 2013
Trabalho de conclusão de curso 2013Trabalho de conclusão de curso 2013
Trabalho de conclusão de curso 2013
 
Dimensao Humana
Dimensao HumanaDimensao Humana
Dimensao Humana
 
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casosGestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
 
Introdução a gestão de projetos com PMBoK
Introdução a gestão de projetos com PMBoKIntrodução a gestão de projetos com PMBoK
Introdução a gestão de projetos com PMBoK
 
slides Gerencia de projetos
slides Gerencia de projetosslides Gerencia de projetos
slides Gerencia de projetos
 
Estudo De Caso Pmbok
Estudo De Caso PmbokEstudo De Caso Pmbok
Estudo De Caso Pmbok
 
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de softwareGerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
 
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
Prof-Jose-Bezerra-Treinamento pmp-capm-bsbr-modulo2
 
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócioPalestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
 
Project builder puc minas
Project builder puc minasProject builder puc minas
Project builder puc minas
 
Aula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e CronogramaAula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e Cronograma
 

Mais de Nativa Socioambiental

PPT II Encontro_de_Salas_Verdes
PPT II Encontro_de_Salas_VerdesPPT II Encontro_de_Salas_Verdes
PPT II Encontro_de_Salas_Verdes
Nativa Socioambiental
 
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde MeiraAssociações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
Nativa Socioambiental
 
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos MatincPrograma Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
Nativa Socioambiental
 
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara HicksonPlano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
Nativa Socioambiental
 
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei BisogninGestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
Nativa Socioambiental
 
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino GonçalvesGestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
Nativa Socioambiental
 
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de SouzaPráticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
Nativa Socioambiental
 
Plano de recursos hídricos - Simone Benassi
Plano de recursos hídricos - Simone BenassiPlano de recursos hídricos - Simone Benassi
Plano de recursos hídricos - Simone Benassi
Nativa Socioambiental
 
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert HicksonGestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
Nativa Socioambiental
 
1° encontro de Salas Verdes
1° encontro de Salas Verdes1° encontro de Salas Verdes
1° encontro de Salas Verdes
Nativa Socioambiental
 
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa SocioambientalEcopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
Nativa Socioambiental
 
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa SocioambientalEcopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
Nativa Socioambiental
 

Mais de Nativa Socioambiental (12)

PPT II Encontro_de_Salas_Verdes
PPT II Encontro_de_Salas_VerdesPPT II Encontro_de_Salas_Verdes
PPT II Encontro_de_Salas_Verdes
 
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde MeiraAssociações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
Associações e Cooperativas de Catadores - Angela Borgesde Meira
 
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos MatincPrograma Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
Programa Coleta Solidária na BP3 - Luiz Carlos Matinc
 
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara HicksonPlano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
Plano nacional de resíduos sólidos - Jussara Hickson
 
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei BisogninGestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Volnei Bisognin
 
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino GonçalvesGestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
Gestão de recursos hídricos e o código florestal - Marino Gonçalves
 
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de SouzaPráticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
Práticas conservacionistas na gestão de recursos hídricos - Rubens de Souza
 
Plano de recursos hídricos - Simone Benassi
Plano de recursos hídricos - Simone BenassiPlano de recursos hídricos - Simone Benassi
Plano de recursos hídricos - Simone Benassi
 
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert HicksonGestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
Gestão de recursos hídricos e aspectos legais - Robert Hickson
 
1° encontro de Salas Verdes
1° encontro de Salas Verdes1° encontro de Salas Verdes
1° encontro de Salas Verdes
 
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa SocioambientalEcopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (2° parte) - Nativa Socioambiental
 
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa SocioambientalEcopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
Ecopedagogia (1° parte) - Nativa Socioambiental
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 

Gestão de projetos

  • 1. GESTÃO DE PROJETOS Baseado no PMBOK 2004
  • 2. DEFINIÇÃO O que é um projeto? Porque precisamos de conhecimento sobre gestão de projetos?
  • 3. DEFINIÇÃO Projeto é um empreendimento único , não repetitivo , caracterizado por uma seqüência clara e lógica de eventos , com início, meio e fim , que se destina a atingir um objetivo definido.
  • 4. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto Processo (Rotina) Planejamento, execução, controle Recursos limitados Envolve pessoas na sua execução
  • 5. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto Processo (Rotina) Temporário – início e fim determinados (cessa quando atinge o objetivo) Constrói algo único Permanente – o fim é imprevisível (reprogra- mado quando os objetivos são atingidos) Atividade rotineira
  • 6. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) Projeto é uma excepção. Um projeto envolve compilar, investigar e reportar informação em atividades que se encontram fora do trabalho habitual.
  • 7. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 2. Atividades de um projeto estão relacionadas. As atividades de um projeto relacionam-se para atingir um determinado resultado.
  • 8. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 3. As metas e objetivos de um projeto são específicos. Tarefas rotineiras podem ter metas, mas estas têm tendência para ser fixas ou mover-se de acordo com o tempo. Em um projeto as metas são singulares e únicas, sendo atingidas ou não.
  • 9. PROJETO x PROCESSOS (Rotina) 4. O resultado desejado é identificado. Rotinas têm como objetivo a manutenção de processos, enquanto um projeto desenvolve procedimentos e tarefas que têm como objetivo um resultado específico.
  • 10. GERENCIAMENTO DO PROJETO Aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender aos requisitos das partes envolvidas.
  • 11. PARTES ENVOLVIDAS Gerência de Projetos Equipe Usuários Contratados Sociedade Cliente Patroci- nador
  • 12. POR QUE GERENCIAR ? Fonte: PMI-RJ – Estudo de Benchmark em GP - 2003
  • 13. HISTÓRICO 1915 – Henry Gantt – Cronograma de Gantt 1957 – Marinha EUA – Submarino Polaris – PERT 1957 – Projeto Apolo – CPM 1969 – Criação do PMI – Pennsylvania 1979 – Criação do PMI Chapter Brasil 1987 – Edição do PMBOK 1998 – 1o exame de certificação no Brasil 2000 – Edição do PMBOK 2000 2004 – Edição do PMBOK 2004
  • 14. CONDIÇÕES DE CONTORNO Tempo Riscos Qualidade Custos Escopo
  • 15. Um projeto bem sucedido é … SUCESSO aquele que é realizado conforme o planejado. Escopo C R T
  • 16. O que é o PMI? O que é o PMBOK? O que é certificação PMP? PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE
  • 18. EXPERTISE Conhecimentos necessários à equipe de projetos Corpo de Conhecimentos da Gerência de Projetos Gerênciamento Geral Relações Humanas Ambiente do Projeto Área de Aplicação PMBOK
  • 19. ESTRUTURA FUNCIONAL Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Coordenação do Projeto Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
  • 20. ESTRUTURA PROJETIZADA Executivo Chefe Gerente de Projetos Gerente de Projetos Gerente de Projetos Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Coordenação do Projeto Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
  • 21. ESTRUTURA MATRICIAL FRACA Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
  • 22. ESTRUTURA MATRICIAL BALANCEADA Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Funcional Pessoal Pessoal Gerente do Projeto Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
  • 23. ESTRUTURA MATRICIAL FORTE Executivo Chefe Gerente Funcional Gerente Funcional Gerente Geral de Projetos Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Pessoal Gerente de Projetos Gerente de Projetos Gerente de Projetos Pessoal envolvido no projeto Fluxo da informação
  • 24. ATRIBUTOS DO GERENTE DE PROJETOS Saber delegar e monitorar Saber comunicar Saber negociar Saber encontrar soluções Saber articular Ter conhecimento técnico
  • 25. PROCESSOS do PROJETO Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Autorização do projeto ou fase Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Definição dos objetivos e seleção das melhores alternativas de ação Coordenar as pessoas e os recursos para realizar o plano Monitorar e agir de forma corretiva para assegurar o cumprimento dos objetivos Formalizar a aceitação do projeto e organizar o encerramento
  • 26. CICLO dos PROCESSOS Planejamento Iniciação Encerra- mento Execução Controle
  • 27. FASES DO PROJETO Fase 1 Fase 2 Fase 3
  • 28. INTERAÇÕES dos PROCESSOS Processos de Iniciação Processos de Planejamento Processos de Execução Processos de Controle Processos de Encerramento Tempo Nível de atividade
  • 29. PERGUNTAS A REALIZAR PELO GP Qual o objetivo e propósito deste projeto? Qual é o resultado esperado? Que problemas poderemos encontrar e como resolvê-los? Qual é a minha responsabilidade? Qual é o âmbito da minha autoridade? Qual é o meu orçamento? Qual é o prazo para término?
  • 30. PROCESSOS DE INICIAÇÃO Iniciação: obter o comprometimento da organização para o início do projeto ou da próxima fase
  • 31. DEFININDO OS OBJETIVOS DO PROJETO Definir os problemas que a equipe terá que resolver e enumerar possíveis soluções Descrever informação que a equipe irá necessitar Propor responsabilidades iniciais para a equipe Iniciar o planejamento básico de todo o projeto
  • 32. ELEMENTOS CHAVE Informação Orçamento Comprometimento da equipe
  • 34. DEFININDO A EQUIPE DO PROJETO As pessoas que fazem parte da equipe de um projeto, em ultima instância, é o que define o sucesso ou o fracasso de um projeto
  • 35. EAP – Estrutura analítica de processos
  • 38. GARANTIA DA QUALIDADE Estabelecimento de processos que minimizem a ocorrência de falhas Fluxogramas de processos Diagramas de causa e efeitos Auditorias: Sistemas Processos Produtos
  • 39. DUAGRAMA DE CAUSA E EFEITO
  • 42. PROCESSO COMUNICACIONAL COMUNICAÇÃO Origem: latim – communis , significa «comum» Só há comunicação quando o que é transmitido tem um significado comum para os dois polos: emissor e receptor Emissor Receptor Retorno Mensagem Codificação Descodificação
  • 43. PROCESSO COMUNICACIONAL ELEMENTOS O emissor O receptor A ideia a transmitir O código (conjunto de simbolos) A mensagem O meio Ruído Interpretação
  • 44. LEIS DA COMUNICACÃO Lei do emissor A comunicação é tanto mais eficaz quanto mais importante for o emissor Lei da congruência O emissor deve ser congruente com a mensagem a transmitir Lei do receptor A comunicação é tanto mais difícil quanto maiores forem o número de receptores e a respectiva heterogeneidade
  • 45. LEIS DA COMUNICACÃO Lei da repetição Quanto mais vezes uma mensagem for repetida, maior a possibilidade de ser memorizada Lei da simplificação Quanto mais simples for uma mensagem, mais fácil será a sua compreensão e memorização Lei da distorção O conteúdo de uma mensagem altera-se à medida que é retransmitida de uma pessoa para outra
  • 46. LEIS DA COMUNICACÃO Efeito boomerang O efeito de uma mensagem pode ser exatamente o oposto do pretendido pelo emissor Ordem das mensagens As pessoas tendem a memorizar mais facilmente as mensagens ouvidas no ínicio e no fim de um discurso comunicacional Lei do diferencial de percepções O receptor tem, em média, uma capacidade de percepção cinco vezes superior ao emissor
  • 47. REDES DE COMUNICACÃO REDES FORMAIS REDES INFORMAIS
  • 48. BARREIRAS A COMUNICACÃO Ouvir o que esperamos ouvir Desconsideração das informações que entram em conflito com o que «sabemos» (percepção seletiva) Avaliação da fonte Pressões sociais Problemas semânticos Sinais não-verbais Efeito das emoções Ruído Excesso de informação Diferenças inter-culturais Distância física O timing
  • 49. FÓRMULA DO SUCESSO “ 5% de tecnologia e 95% de psicologia e atitude” Tom Peters
  • 50. BIBLIOGRAFIA PMBOK 2004 – www.pmi.org Dinsmore, Paul Campbell. Como se tornar um Profissional em Gerenciamento de Projetos Figueiredo, Francisco Constant de. Dominando o Ger. Proj. com o MS Project Hickson, Rosângela. Projeto de Sistemas WEB King, David. Project Management Made Simple Martins, José Carlos C. Gestão de Projetos de Desenv. de Software – PMI/UML Molinari, Leonardo. Gestão de Projetos – Técnicas e Práticas com ênfase em Web Quadros, Moacir. Gerência de Projetos de Software Vargas, Ricardo Viana. Gerenciamento de Projetos Como Gerenciar Projetos. Grupo Publifolha