SlideShare uma empresa Scribd logo
Gestão do Conhecimento
aplicada à
Gestão de Projetos
Beatriz Benezra
Luiz Adriano Ferreira
Mauro Sotille
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Projeto é um esforço temporário empreendido para
criar um produto, serviço ou resultado único
(PMBOK 5).
Gerenciamento de Projetos é a aplicação do
conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às
atividades do projeto para atender aos seus requisitos
(PMBOK 5).
Lições Aprendidas é o
conhecimento adquirido
durante um projeto que
mostra como os eventos do
projeto foram abordados ou
devem ser abordados no
futuro, com o objetivo de
melhorar o desempenho
futuro (PMBOK 5).
Conhecimento Tácito é pessoal,
específico ao contexto e, por isso,
difícil de formalizar e comunicar
(Michael Polanyi).
Conhecimento explícito ou
“codificado” refere-se ao
conhecimento que é
transmissível na linguagem
formal, sistemática.
(Nonaka e Takeuchi)
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
(Gorelick e Monsou)
“[…] we could insist on the
recognition of our powers to
know far more than we can
tell” (Polanyi 1967)
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Bom evento a todos!
Gerir projetos requer gerir conhecimentos
 Gerenciar projetos envolve pessoal, processos e
ferramentas as quais endereçam conhecimento
explícito e tácito
 Ambas as disciplinas podem ser utilizadas de forma
integrada de modo a estabelecer uma sinergia que
possa contribuir para a conclusão dos objetivos
estratégicos da organização
O contexto dos projetos e a aprendizagem
Estrutura temporária paralela
à estrutura da organização
Nichos onde o gerente de
projeto elege suas próprias
técnicas de gestão
Conflito entre o trabalho no
projeto e na organização
Cultura Organizacional que
restringe a comunhão de
conhecimentos
O contexto dos projetos pode desfavorecer aprendizagem:
Governança de Projeto
 O alinhamento dos objetivos do projeto com a estratégia
da organização
 Uma estrutura de governança para gerenciar e controlar os
projetos define:
Padrões
Gerencia-
mento
Pessoas
• Papéis
• Responsabilidades
• Autoridade
• Escalação
• Processos
• Modelos
• Ferramentas
• Ciclo de vida
escolhido
• Políticas
• Procedimentos
• Práticas
Repetíveis
Escritório de Projetos
 Proporcionar acúmulo de conhecimento
 Possibilitar a conversão do conhecimento dos
colaboradores em conhecimento organizacional,
transformando conhecimento tácito em explícito
 Disseminar este conhecimento para que a organização
aprenda com a própria experiência
 Fornecer modelos e melhores práticas (ativos), lições
aprendidas com outros projetos e treinamento
Padroniza os processos relacionados
à governança de projetos e facilita o
compartilhamento de recursos,
metodologias, ferramentas e técnicas
Ativos de Processos
Organizacionais
Conhecimento Explícito: Objetos obtendo
conhecimento articulado e codificado
Ativos de Processos Organizacionais
 Todos os elementos relacionados a
projetos da organização
 São os planos, processos, políticas,
procedimentos e as bases de
conhecimento específicas da
organização
 Incluem qualquer artefato, prática ou
conhecimento das organizações
envolvidas no projeto
 No decorrer do projeto, os membros da
equipe podem atualizar ou fazer
acréscimos, conforme necessário
Ativos de Processos Organizacionais
 Planos, políticas, procedimentos e diretrizes das
organizações envolvidas, que podem ser usados no projeto
• Normas, políticas e procedimentos
• Modelos de documentos (EAP, cronogramas,
registro de riscos, contratos), etc.
• Diretrizes e requisitos para comunicação e
encerramento
• Procedimentos para controle financeiro,
gerenciamento de questões e defeitos
• Procedimentos de controle de mudanças e de
riscos
• Procedimentos relacionados às autorizações de
trabalho
Processos e procedimentos da organização
para realizar o trabalho
Ativos de Processos Organizacionais
• Arquivos de projetos anteriores, linhas de base
• Bases de dados, de conhecimento, financeiras,
informa
• Registros de riscos
• Base de conhecimento de informações históricas e
lições aprendidas
• Banco de dados questões e defeitos
• Base de conhecimento de gerenciamento de
configuração contendo versões e linhas de base
• Banco de dados financeiros contendo informações
como horas de mão-de-obra e custos.
Base de conhecimento corporativo da empresa
para armazenar e recuperar informações
 Aprendizado e conhecimento obtidos de projetos anteriores
FONTE : http://www.oceantomo.com/productsandservices/investments/intangible-market-
value
RESULTADOS DO
PROJETO SUCESSO DO
PROJETO
CURTO
PRAZO
MÉDIO
PRAZO
LONGO
PRAZO
EFICIÊNCIA
IMPACTO
CLIENTE E EQUIPE
IMPACTO
NO NEGÓCIO
IMPACTO
NA ESTRATÉGIA
TEMPO
SUCESSO = ʃ(FATORES)
CONHECIMENTO
TÁCITO
CONHECIMENTO
EXPLÍCITO
FONTE: NONAKA E TAKEUCHI
EXTERIORIZAÇÃO COMBINAÇÃO
SOCIALIZAÇÃO INTERIORAZAÇÃO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
TÁCITO
TÁCITO
CONHECIMENTO
Fonte: Ciclo Seci – Nonaka e Takeuc
FONTE: PMBOK 4 ° edição
FONTE: http://www.batebyte.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1716
FONTE: Nonaka e Takeuchi
A Gestão do Conhecimento agregando valor...
 Resultados mais abrangentes e duradouros,
 Gera mais valor para a organização,
 Memória organizacional,
 Base para o processo de melhoria contínua,
 Maturidade, excelência,
 Base para o execução dos processos de
conhecimento.
Lições Aprendidas
Conhecimento Tácito: Processos onde o
conhecimento é entendido e aplicado,
derivados da experiência e ação
Lições Aprendidas
O tratamento e recomendações relacionadas às lições
aprendidas estão identificados em vários processos das
diversas áreas de conhecimento em gerenciamento de
projetos descritos no Guia PMBOK®.
Guia PMBOK® 5ª Ed.- Glossário
O conhecimento adquirido durante um
projeto que mostra como os eventos do
projeto foram abordados ou devem ser
abordados no futuro, com o objetivo de
melhorar o desempenho futuro
Por que?
 Cenário 1: Seu projeto foi um fracasso
A equipe de projeto está
decepcionada, o cliente não
quer ver você mais pela frente
e a sua gerência está
decepcionada com o seu
desempenho em função do
atraso e do estouro do
orçamento ocorrido.
Você precisa entender quais
foram os equívocos para não
repetí-los no futuro
Por que?
 Cenário 2: Seu projeto terminou bem.
A equipe continua unida, apesar
das faíscas que ocorreram.
Você ainda possui uma relação
razoável com o cliente e apesar
de terminar um pouco acima do
estimado, a gerência está
satisfeita com os resultados.
Provavelmente, você poderá
lembrar este projeto como um
exemplo bastante satisfatório
Por que?
 Cenário 3: O projeto foi um sucesso retumbante.
A equipe de projeto o admira,
o cliente o adora e você foi
lançado pela sua gerência
como candidato ao melhor
gestor do ano.
É necessário conhecer quais
atitudes, abordagens e
técnicas deram certo, de
acordo com a percepção dos
principais stakeholders
Lições aprendidas
 Narrativas de experiências
 o que aconteceu
 o que se esperava de acontecimento
 as diferenças entre ambas
 As melhores práticas são aquelas
que foram avaliadas e comparadas
com outras práticas e são
consideradas quase como um
padrão a ser seguido
 Sua obtenção deve seguir um
processo
Lições Aprendidas - Processo
1. Identificar aspectos técnicos, gerenciais e de
processos do projeto
 Gestão da Rotina (previsibilidade dos resultados)
 Gestão de Melhorias (ações para melhorias do processo)
 Gestão de Inovação (mudanças significativas nos resultados
e no processo)
2. Analisar e registrar
 Causas das variações
 Ações corretivas e preventivas
 Erros e acertos
3. Disseminar oportunidades de melhoria do processo
Frequência
As lições aprendidas
são compiladas durante
todo o projeto
Coletar informações
com mais frequência,
se essa maior
quantidade de dados
justifica o investimento
adicional de tempo e
dinheiro
Sessões de lições aprendidas
Uma sessão de lições aprendidas se concentra
na identificação dos sucessos e fracassos do
projeto e inclui recomendações para melhorar
o desempenho futuro dos projetos
 As sessões de lições aprendidas se constituem em
um bom exercício de formação de equipes
Devem ser realizadas em conjunto
com as principais partes
interessadas, internas e externas,
(especialmente se os resultados do
projeto ficaram abaixo do desejável)
Perguntas
1. Que experiências importantes ocorreram durante o
projeto?
2. Que expectativas foram cumpridas e quais não?
3. Aonde fomos bem sucedidos e por que? (perspectiva
interna, do negócio)
4. Aonde fomos bem sucedidos e por que? (perspectiva
externa, do cliente)
5. Onde falhamos, por que e quais foram as
consequências? (perspectiva interna, do negócio)
6. Onde falhamos, por que e quais foram as
consequências? (perspectiva externa, do cliente)
7. Houve imprevistos ou surpresas negativas/positivas?
Exemplo de Checklist
 O produto final foi entregue conforme o acordado (requisitos / especificações)?
 Houve desvios entre os prazos realizados e programados? Por que?
 Houve desvios entre os custos efetivos e os orçados?
 Os desvios poderiam ter sido evitados?
 Os resultados propostos foram alcançados?
 Eventos inesperados ocorreram ?
 Os clientes / usuários estão satisfeitos?
 O apoio dos patrocinadores foi satisfatório?
 Houve problemas de comunicação?
 Os fornecedores entregaram em conformidade com as especificações?
 Como foram gerenciadas as mudanças no plano após o início da execução?
 O que faremos da mesma forma em projetos futuros?
 O que faremos de maneira diferente em projetos futuros?
 O que sabemos hoje, e que não sabíamos antes do projeto?
 Que recomendações devem ser feitas para melhorar projetos futuros?
Saídas – Atualização dos Ativos
 O registro de lições aprendidas é uma das
melhores formas de aumentar o capital intelectual
estrutural de uma empresa.
 Atualização da base de conhecimento de lições
aprendidas
Um repositório de informações históricas e lições
aprendidas sobre os resultados de decisões de
seleção de projetos anteriores e do desempenho
de projetos anteriores
 Políticas, procedimentos e processos corporativos
atualizados
 Atualizações no plano de gerenciamento de riscos
Resultados
Habilidades de negócios aperfeiçoadas
Melhorias gerais nos serviços e produtos
Entradas para o sistema de
gerenciamento do conhecimento
Carga subjetiva
Contexto
Contexto
Outras informações
Psíquico
Finalidade
Fabio Câmara, Gestão do Conhecimento
LIÇÕES
APRENDIDAS
INDIVIDUAL
Necessário e não
suficiente
ORGANIZACIONAL
Resultado da
adaptação e adoção
pelo grupo.
FONTE: Modelo de aprendizagem organizacional de Dixon
Contextualização
 O que funciona (prática)
 Por que funciona (fundamentos)
 Onde se aplica(aplicação)
 Quando usar (situação)
 Quem disse (especialista no assunto)
IDENTIFICA E
COLETA
SELEÇÃO
DOCUMENTA,
CLASSIFICA E
ARMAZENA
PROMOÇÃO E
USO
INCORPORA À
ORGANIZAÇÃO
 Mecanismo de aprendizagem organizacional,
 Fonte de mudanças,
 Gera ativos organizacionais,
 Fonte de compartilhamento de conhecimento,
 Demanda contextualização.
A Gestão do Conhecimento agregando valor...
Treinamento
Conhecimento Tácito: O conhecimento é
trocado em interação e experiência
Treinamento
 As atividades projetadas para aprimorar as
competências dos membros da equipe de projetos
 O treinamento pode ser formal ou informal
• no trabalho
• na sala de aula
• online
• mentoria
• coaching
Treinamento
 Treinamento agendado: ocorre conforme definido no
plano de gerenciamento dos recursos humanos.
 O treinamento não planejado: ocorre como
resultado de observação, conversas e avaliações de
desempenho do projeto realizadas durante o
processo de gerenciamento da equipe do projeto.
 Custos de treinamento: incluídos no orçamento do
projeto, ou incorridos pela organização executora.
Coaching
 É um processo bem definido, com pontos de início e fim
para cada tarefa, cujo centro está no potencial da pessoa a
ser orientada.
 Significa ajudar as pessoas a desenvolver metas claras e a
estabelecer um processo específico para alcançá-las,
abrangendo ações, comportamentos e competências
necessárias para a sua realização.
 Deixa a cargo do outro a execução das atividades para
que, ao final, possa dar feedback, quer de reconhecimento
ou aperfeiçoamento.
Mentoring
Foca no desenvolvimento de
indivíduos promissores,
extrapolando a questão do
desenvolvimento profissional
57
AMBIENTE TRADICIONAL DE
TREINAMENTO
AMBIENTE DA ORGANIZAÇÃO DE
APRENDIZAGEM
•Aprendizagem impulsionado pelo
instrutor.
•Abordagem programada e
prescritiva.
•Transmissão baseada em aulas.
•Programas como o principal
curso.
•Presença como determinante de
capacidade.
•Oferecido de uma só maneira
para todos.
•Baseada em análise genérica da
necessidades de treinamento.
• Aprendizagem autodirigida.
•Abordagem de autosserviço.
•Modos diversos de transmissão.
•Competências como principal
curso.
•Demonstração de competência
como determinante da capacidade.
• Identifica a capacidade atual e a
capacidade requerida.
•Baseada em avaliação individual
da competência.
PROCESSOS DO CONHECIMENTO
APLICAR CRIAR COMPARTILHAR CODIFICAR ORGANIZAR PROTEGER
MAPEAR
PROCESSOS
POLITICAS DE
SEGURANÇA
PÁGINAS AMARELAS
STORY TELLING
ATIVIDADES
MENTORING
COMUNIDADES DE PRÁTICA
FONTE: o Autor
LIÇÕES APRENDIDAS
PETER DRUCKER
Trabalhadores do
Conhecimento
PETER SENGE
 Novos mecanismo de aprendizagem,
 Valoriza a formação de competências,
 Trabalhadores do conhecimento,
 Novas competências para a equipe,
 Novos competências para o gerente de projetos,
 Construir conhecimento alinhando com a estratégia,
identificando, criando, valorizando.
A Gestão do Conhecimento agregando valor...
DO...
Finalizando...
Pereira e Santos (2001), Modelo de análise da evolução dos modelos de
gestão.
GERENCIAMENTO
DO CONHECIMENTO
UMA NOVA ÁREA
DE CONHECIMENTO?
Uma nova área do conhecimento?
Sabbag propos tratar o conhecimento como
uma área de conhecimento do Guia PMBOK®.
Esta área teria os seguintes processos:
1. Planejar a Gestão do Conhecimento
(Planejamento)
2. Ativar base do conhecimento (Execução)
3. Disseminar conhecimento (Execução)
4. Monitorar e Controlar Capital Intelectual
(Monitoramento e Controle)
Francis Bacon, também referido como Bacon de Verulâmio foi um político, filósofo e ensaísta inglês, barão de Verulam, visconde de Saint
Alban. É considerado como o fundador da ciência moderna.
FONTE: Frases - http://kdfrases.com
Scientia potentia est
Obrigado por sua
atenção!
CONTATOS:
luiz_adriano_ferreira@hotmail.com
mauro.sotille@pmtech.com.br
beatriz_benezra@hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e CronogramaAula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e Cronograma
Daniela Brauner
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Paulo Junior
 
Gerenciamento de projetos apostila completa
Gerenciamento de projetos   apostila completaGerenciamento de projetos   apostila completa
Gerenciamento de projetos apostila completa
Paulo Junior
 
102773154 exercicios-de-fluxograma
102773154 exercicios-de-fluxograma102773154 exercicios-de-fluxograma
102773154 exercicios-de-fluxograma
Marcelo Ferreira
 
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casosGestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Eduardo Longo
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
Marcos Abreu
 
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - IntroduçãoMétodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Yuri Morais
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Rosario Cação
 
Gerenciamento de escopo em projetos
Gerenciamento de escopo em projetosGerenciamento de escopo em projetos
Gerenciamento de escopo em projetos
Paulo Junior
 
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Ricardo Viana Vargas
 
Fundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de ProjetosFundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de Projetos
Sandro H. Oliveira, MBA
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
AyslanAnholon
 
Gerenciamento de riscos em projetos de TI
Gerenciamento de riscos em projetos de TIGerenciamento de riscos em projetos de TI
Gerenciamento de riscos em projetos de TI
Osvaldo Pedra
 
Definição da Meta S.M.A.R.T
Definição da Meta S.M.A.R.TDefinição da Meta S.M.A.R.T
Definição da Meta S.M.A.R.T
Shinobu Takeuchi
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Claudio Barbosa
 
MASP - Método de Análise e Solução de Problemas
MASP - Método de Análise e Solução de ProblemasMASP - Método de Análise e Solução de Problemas
MASP - Método de Análise e Solução de Problemas
Márcio Hosken
 
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultadosGestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
CompanyWeb
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
Mauricio Cesar Santos da Purificação
 
Técnica SMART
Técnica SMARTTécnica SMART
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Wellington Oliveira
 

Mais procurados (20)

Aula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e CronogramaAula04 - EAP e Cronograma
Aula04 - EAP e Cronograma
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
 
Gerenciamento de projetos apostila completa
Gerenciamento de projetos   apostila completaGerenciamento de projetos   apostila completa
Gerenciamento de projetos apostila completa
 
102773154 exercicios-de-fluxograma
102773154 exercicios-de-fluxograma102773154 exercicios-de-fluxograma
102773154 exercicios-de-fluxograma
 
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casosGestão de projetos baseada no estudo de casos
Gestão de projetos baseada no estudo de casos
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
 
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - IntroduçãoMétodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Gerenciamento de escopo em projetos
Gerenciamento de escopo em projetosGerenciamento de escopo em projetos
Gerenciamento de escopo em projetos
 
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
 
Fundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de ProjetosFundamentos da Gestão de Projetos
Fundamentos da Gestão de Projetos
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
 
Gerenciamento de riscos em projetos de TI
Gerenciamento de riscos em projetos de TIGerenciamento de riscos em projetos de TI
Gerenciamento de riscos em projetos de TI
 
Definição da Meta S.M.A.R.T
Definição da Meta S.M.A.R.TDefinição da Meta S.M.A.R.T
Definição da Meta S.M.A.R.T
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
 
MASP - Método de Análise e Solução de Problemas
MASP - Método de Análise e Solução de ProblemasMASP - Método de Análise e Solução de Problemas
MASP - Método de Análise e Solução de Problemas
 
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultadosGestão por Processos - BPM - foco em resultados
Gestão por Processos - BPM - foco em resultados
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
 
Técnica SMART
Técnica SMARTTécnica SMART
Técnica SMART
 
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
 

Semelhante a Gestao do conhecimento e Gerencia de Projetos

Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de ProjetosGestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Beatriz Benezra Dehtear, MBA
 
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetosGestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
GUGP SUCESU-RS
 
Licoes Aprendidas Do Fracasso
Licoes Aprendidas Do FracassoLicoes Aprendidas Do Fracasso
Licoes Aprendidas Do Fracasso
Helio Ferenhof, Dr. Eng, MBA, PMP, ITIL .'.
 
PMO - Project Management Office
PMO - Project Management OfficePMO - Project Management Office
PMO - Project Management Office
Aragon Vieira
 
Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2
Jorge Andrade Mangueira
 
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
Vitor Vargas
 
Revisao 2
Revisao 2Revisao 2
Revisao 2
Ariel Guareschi
 
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
vitorvargasr
 
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptxAula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Ethel Capuano
 
Project Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best PracticesProject Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best Practices
Sérgio A. Rangel de Aguiar MBA, MSc, BBA, ITILv3®, CCNA®
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
Abraao Dahis
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
guest576a1e
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
Documentar Tecnologia e Informação
 
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
Benedito Leão
 
Fundamentos de gerenciamento de projetos
Fundamentos de gerenciamento de projetosFundamentos de gerenciamento de projetos
Fundamentos de gerenciamento de projetos
José Roberto Cavalcante Alves
 
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerarProject Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
Alcides Cabral PMP
 
Gerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetosGerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetos
Júnior Rodrigues
 
Gestão de Projetos (18/08/2014)
Gestão de Projetos (18/08/2014)Gestão de Projetos (18/08/2014)
Gestão de Projetos (18/08/2014)
Alessandro Almeida
 
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDOCurso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Estratégia Concursos
 

Semelhante a Gestao do conhecimento e Gerencia de Projetos (20)

Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de ProjetosGestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos
 
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetosGestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
Gestão do conhecimento aplicada a gestão de projetos
 
Licoes Aprendidas Do Fracasso
Licoes Aprendidas Do FracassoLicoes Aprendidas Do Fracasso
Licoes Aprendidas Do Fracasso
 
PMO - Project Management Office
PMO - Project Management OfficePMO - Project Management Office
PMO - Project Management Office
 
Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2Gerenciamento De Projetos Final2
Gerenciamento De Projetos Final2
 
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
Palestra perspectivas para 2011 - Aula inaugural IBEC/INPG 2011
 
Revisao 2
Revisao 2Revisao 2
Revisao 2
 
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
Princípios do Gerenciamento de Projetos e Perspectivas para 2011
 
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptxAula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
Aula de Gesto de Projetos 06-03-2024.pptx
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
 
Project Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best PracticesProject Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best Practices
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
 
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
 
Fundamentos de gerenciamento de projetos
Fundamentos de gerenciamento de projetosFundamentos de gerenciamento de projetos
Fundamentos de gerenciamento de projetos
 
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerarProject Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
Project Value - Criação de PMO - aspectos a considerar
 
Gerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetosGerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetos
 
Gestão de Projetos (18/08/2014)
Gestão de Projetos (18/08/2014)Gestão de Projetos (18/08/2014)
Gestão de Projetos (18/08/2014)
 
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDOCurso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
 

Mais de Mauro Sotille, MBA, PMP

O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMIO Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor PúblicoGerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Certificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
Certificacoes PMI 2015 Mauro SotilleCertificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
Certificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro SotilleFazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Gerenciamento de projetos no ambiente de TI
Gerenciamento de projetos no ambiente de TIGerenciamento de projetos no ambiente de TI
Gerenciamento de projetos no ambiente de TI
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Gerenciamento dos Riscos em Projetos
Gerenciamento dos Riscos em ProjetosGerenciamento dos Riscos em Projetos
Gerenciamento dos Riscos em Projetos
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Gerenciamento de Escopo em Projetos
Gerenciamento de Escopo em ProjetosGerenciamento de Escopo em Projetos
Gerenciamento de Escopo em Projetos
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
As certificações do PMI
As certificações do PMIAs certificações do PMI
As certificações do PMI
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro SotilleFazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Mauro Sotille, MBA, PMP
 

Mais de Mauro Sotille, MBA, PMP (9)

O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMIO Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
 
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor PúblicoGerenciamento de Projetos no Setor Público
Gerenciamento de Projetos no Setor Público
 
Certificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
Certificacoes PMI 2015 Mauro SotilleCertificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
Certificacoes PMI 2015 Mauro Sotille
 
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro SotilleFazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
 
Gerenciamento de projetos no ambiente de TI
Gerenciamento de projetos no ambiente de TIGerenciamento de projetos no ambiente de TI
Gerenciamento de projetos no ambiente de TI
 
Gerenciamento dos Riscos em Projetos
Gerenciamento dos Riscos em ProjetosGerenciamento dos Riscos em Projetos
Gerenciamento dos Riscos em Projetos
 
Gerenciamento de Escopo em Projetos
Gerenciamento de Escopo em ProjetosGerenciamento de Escopo em Projetos
Gerenciamento de Escopo em Projetos
 
As certificações do PMI
As certificações do PMIAs certificações do PMI
As certificações do PMI
 
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro SotilleFazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
Fazendo as mudanças funcionarem - Mauro Sotille
 

Último

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 

Último (20)

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 

Gestao do conhecimento e Gerencia de Projetos

  • 1. Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos Beatriz Benezra Luiz Adriano Ferreira Mauro Sotille
  • 2. Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos Projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado único (PMBOK 5). Gerenciamento de Projetos é a aplicação do conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender aos seus requisitos (PMBOK 5). Lições Aprendidas é o conhecimento adquirido durante um projeto que mostra como os eventos do projeto foram abordados ou devem ser abordados no futuro, com o objetivo de melhorar o desempenho futuro (PMBOK 5). Conhecimento Tácito é pessoal, específico ao contexto e, por isso, difícil de formalizar e comunicar (Michael Polanyi). Conhecimento explícito ou “codificado” refere-se ao conhecimento que é transmissível na linguagem formal, sistemática. (Nonaka e Takeuchi)
  • 3. Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos (Gorelick e Monsou)
  • 4. “[…] we could insist on the recognition of our powers to know far more than we can tell” (Polanyi 1967) Gestão do Conhecimento aplicada à Gestão de Projetos Bom evento a todos!
  • 5. Gerir projetos requer gerir conhecimentos  Gerenciar projetos envolve pessoal, processos e ferramentas as quais endereçam conhecimento explícito e tácito  Ambas as disciplinas podem ser utilizadas de forma integrada de modo a estabelecer uma sinergia que possa contribuir para a conclusão dos objetivos estratégicos da organização
  • 6. O contexto dos projetos e a aprendizagem Estrutura temporária paralela à estrutura da organização Nichos onde o gerente de projeto elege suas próprias técnicas de gestão Conflito entre o trabalho no projeto e na organização Cultura Organizacional que restringe a comunhão de conhecimentos O contexto dos projetos pode desfavorecer aprendizagem:
  • 7. Governança de Projeto  O alinhamento dos objetivos do projeto com a estratégia da organização  Uma estrutura de governança para gerenciar e controlar os projetos define: Padrões Gerencia- mento Pessoas • Papéis • Responsabilidades • Autoridade • Escalação • Processos • Modelos • Ferramentas • Ciclo de vida escolhido • Políticas • Procedimentos • Práticas Repetíveis
  • 8. Escritório de Projetos  Proporcionar acúmulo de conhecimento  Possibilitar a conversão do conhecimento dos colaboradores em conhecimento organizacional, transformando conhecimento tácito em explícito  Disseminar este conhecimento para que a organização aprenda com a própria experiência  Fornecer modelos e melhores práticas (ativos), lições aprendidas com outros projetos e treinamento Padroniza os processos relacionados à governança de projetos e facilita o compartilhamento de recursos, metodologias, ferramentas e técnicas
  • 9. Ativos de Processos Organizacionais Conhecimento Explícito: Objetos obtendo conhecimento articulado e codificado
  • 10. Ativos de Processos Organizacionais  Todos os elementos relacionados a projetos da organização  São os planos, processos, políticas, procedimentos e as bases de conhecimento específicas da organização  Incluem qualquer artefato, prática ou conhecimento das organizações envolvidas no projeto  No decorrer do projeto, os membros da equipe podem atualizar ou fazer acréscimos, conforme necessário
  • 11. Ativos de Processos Organizacionais  Planos, políticas, procedimentos e diretrizes das organizações envolvidas, que podem ser usados no projeto • Normas, políticas e procedimentos • Modelos de documentos (EAP, cronogramas, registro de riscos, contratos), etc. • Diretrizes e requisitos para comunicação e encerramento • Procedimentos para controle financeiro, gerenciamento de questões e defeitos • Procedimentos de controle de mudanças e de riscos • Procedimentos relacionados às autorizações de trabalho Processos e procedimentos da organização para realizar o trabalho
  • 12. Ativos de Processos Organizacionais • Arquivos de projetos anteriores, linhas de base • Bases de dados, de conhecimento, financeiras, informa • Registros de riscos • Base de conhecimento de informações históricas e lições aprendidas • Banco de dados questões e defeitos • Base de conhecimento de gerenciamento de configuração contendo versões e linhas de base • Banco de dados financeiros contendo informações como horas de mão-de-obra e custos. Base de conhecimento corporativo da empresa para armazenar e recuperar informações  Aprendizado e conhecimento obtidos de projetos anteriores
  • 13.
  • 15. RESULTADOS DO PROJETO SUCESSO DO PROJETO CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO EFICIÊNCIA IMPACTO CLIENTE E EQUIPE IMPACTO NO NEGÓCIO IMPACTO NA ESTRATÉGIA TEMPO SUCESSO = ʃ(FATORES)
  • 18. FONTE: PMBOK 4 ° edição
  • 20. FONTE: Nonaka e Takeuchi
  • 21. A Gestão do Conhecimento agregando valor...  Resultados mais abrangentes e duradouros,  Gera mais valor para a organização,  Memória organizacional,  Base para o processo de melhoria contínua,  Maturidade, excelência,  Base para o execução dos processos de conhecimento.
  • 22. Lições Aprendidas Conhecimento Tácito: Processos onde o conhecimento é entendido e aplicado, derivados da experiência e ação
  • 23. Lições Aprendidas O tratamento e recomendações relacionadas às lições aprendidas estão identificados em vários processos das diversas áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos descritos no Guia PMBOK®. Guia PMBOK® 5ª Ed.- Glossário O conhecimento adquirido durante um projeto que mostra como os eventos do projeto foram abordados ou devem ser abordados no futuro, com o objetivo de melhorar o desempenho futuro
  • 24. Por que?  Cenário 1: Seu projeto foi um fracasso A equipe de projeto está decepcionada, o cliente não quer ver você mais pela frente e a sua gerência está decepcionada com o seu desempenho em função do atraso e do estouro do orçamento ocorrido. Você precisa entender quais foram os equívocos para não repetí-los no futuro
  • 25. Por que?  Cenário 2: Seu projeto terminou bem. A equipe continua unida, apesar das faíscas que ocorreram. Você ainda possui uma relação razoável com o cliente e apesar de terminar um pouco acima do estimado, a gerência está satisfeita com os resultados. Provavelmente, você poderá lembrar este projeto como um exemplo bastante satisfatório
  • 26. Por que?  Cenário 3: O projeto foi um sucesso retumbante. A equipe de projeto o admira, o cliente o adora e você foi lançado pela sua gerência como candidato ao melhor gestor do ano. É necessário conhecer quais atitudes, abordagens e técnicas deram certo, de acordo com a percepção dos principais stakeholders
  • 27. Lições aprendidas  Narrativas de experiências  o que aconteceu  o que se esperava de acontecimento  as diferenças entre ambas  As melhores práticas são aquelas que foram avaliadas e comparadas com outras práticas e são consideradas quase como um padrão a ser seguido  Sua obtenção deve seguir um processo
  • 28. Lições Aprendidas - Processo 1. Identificar aspectos técnicos, gerenciais e de processos do projeto  Gestão da Rotina (previsibilidade dos resultados)  Gestão de Melhorias (ações para melhorias do processo)  Gestão de Inovação (mudanças significativas nos resultados e no processo) 2. Analisar e registrar  Causas das variações  Ações corretivas e preventivas  Erros e acertos 3. Disseminar oportunidades de melhoria do processo
  • 29. Frequência As lições aprendidas são compiladas durante todo o projeto Coletar informações com mais frequência, se essa maior quantidade de dados justifica o investimento adicional de tempo e dinheiro
  • 30. Sessões de lições aprendidas Uma sessão de lições aprendidas se concentra na identificação dos sucessos e fracassos do projeto e inclui recomendações para melhorar o desempenho futuro dos projetos  As sessões de lições aprendidas se constituem em um bom exercício de formação de equipes Devem ser realizadas em conjunto com as principais partes interessadas, internas e externas, (especialmente se os resultados do projeto ficaram abaixo do desejável)
  • 31. Perguntas 1. Que experiências importantes ocorreram durante o projeto? 2. Que expectativas foram cumpridas e quais não? 3. Aonde fomos bem sucedidos e por que? (perspectiva interna, do negócio) 4. Aonde fomos bem sucedidos e por que? (perspectiva externa, do cliente) 5. Onde falhamos, por que e quais foram as consequências? (perspectiva interna, do negócio) 6. Onde falhamos, por que e quais foram as consequências? (perspectiva externa, do cliente) 7. Houve imprevistos ou surpresas negativas/positivas?
  • 32. Exemplo de Checklist  O produto final foi entregue conforme o acordado (requisitos / especificações)?  Houve desvios entre os prazos realizados e programados? Por que?  Houve desvios entre os custos efetivos e os orçados?  Os desvios poderiam ter sido evitados?  Os resultados propostos foram alcançados?  Eventos inesperados ocorreram ?  Os clientes / usuários estão satisfeitos?  O apoio dos patrocinadores foi satisfatório?  Houve problemas de comunicação?  Os fornecedores entregaram em conformidade com as especificações?  Como foram gerenciadas as mudanças no plano após o início da execução?  O que faremos da mesma forma em projetos futuros?  O que faremos de maneira diferente em projetos futuros?  O que sabemos hoje, e que não sabíamos antes do projeto?  Que recomendações devem ser feitas para melhorar projetos futuros?
  • 33. Saídas – Atualização dos Ativos  O registro de lições aprendidas é uma das melhores formas de aumentar o capital intelectual estrutural de uma empresa.  Atualização da base de conhecimento de lições aprendidas Um repositório de informações históricas e lições aprendidas sobre os resultados de decisões de seleção de projetos anteriores e do desempenho de projetos anteriores  Políticas, procedimentos e processos corporativos atualizados  Atualizações no plano de gerenciamento de riscos
  • 34. Resultados Habilidades de negócios aperfeiçoadas Melhorias gerais nos serviços e produtos Entradas para o sistema de gerenciamento do conhecimento
  • 35.
  • 37.
  • 39. FONTE: Modelo de aprendizagem organizacional de Dixon
  • 40. Contextualização  O que funciona (prática)  Por que funciona (fundamentos)  Onde se aplica(aplicação)  Quando usar (situação)  Quem disse (especialista no assunto)
  • 42.  Mecanismo de aprendizagem organizacional,  Fonte de mudanças,  Gera ativos organizacionais,  Fonte de compartilhamento de conhecimento,  Demanda contextualização. A Gestão do Conhecimento agregando valor...
  • 43. Treinamento Conhecimento Tácito: O conhecimento é trocado em interação e experiência
  • 44. Treinamento  As atividades projetadas para aprimorar as competências dos membros da equipe de projetos  O treinamento pode ser formal ou informal • no trabalho • na sala de aula • online • mentoria • coaching
  • 45. Treinamento  Treinamento agendado: ocorre conforme definido no plano de gerenciamento dos recursos humanos.  O treinamento não planejado: ocorre como resultado de observação, conversas e avaliações de desempenho do projeto realizadas durante o processo de gerenciamento da equipe do projeto.  Custos de treinamento: incluídos no orçamento do projeto, ou incorridos pela organização executora.
  • 46. Coaching  É um processo bem definido, com pontos de início e fim para cada tarefa, cujo centro está no potencial da pessoa a ser orientada.  Significa ajudar as pessoas a desenvolver metas claras e a estabelecer um processo específico para alcançá-las, abrangendo ações, comportamentos e competências necessárias para a sua realização.  Deixa a cargo do outro a execução das atividades para que, ao final, possa dar feedback, quer de reconhecimento ou aperfeiçoamento.
  • 47. Mentoring Foca no desenvolvimento de indivíduos promissores, extrapolando a questão do desenvolvimento profissional 57
  • 48.
  • 49. AMBIENTE TRADICIONAL DE TREINAMENTO AMBIENTE DA ORGANIZAÇÃO DE APRENDIZAGEM •Aprendizagem impulsionado pelo instrutor. •Abordagem programada e prescritiva. •Transmissão baseada em aulas. •Programas como o principal curso. •Presença como determinante de capacidade. •Oferecido de uma só maneira para todos. •Baseada em análise genérica da necessidades de treinamento. • Aprendizagem autodirigida. •Abordagem de autosserviço. •Modos diversos de transmissão. •Competências como principal curso. •Demonstração de competência como determinante da capacidade. • Identifica a capacidade atual e a capacidade requerida. •Baseada em avaliação individual da competência.
  • 50. PROCESSOS DO CONHECIMENTO APLICAR CRIAR COMPARTILHAR CODIFICAR ORGANIZAR PROTEGER MAPEAR PROCESSOS POLITICAS DE SEGURANÇA PÁGINAS AMARELAS STORY TELLING ATIVIDADES MENTORING COMUNIDADES DE PRÁTICA FONTE: o Autor LIÇÕES APRENDIDAS
  • 53.  Novos mecanismo de aprendizagem,  Valoriza a formação de competências,  Trabalhadores do conhecimento,  Novas competências para a equipe,  Novos competências para o gerente de projetos,  Construir conhecimento alinhando com a estratégia, identificando, criando, valorizando. A Gestão do Conhecimento agregando valor...
  • 55. Pereira e Santos (2001), Modelo de análise da evolução dos modelos de gestão.
  • 56. GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO UMA NOVA ÁREA DE CONHECIMENTO?
  • 57. Uma nova área do conhecimento? Sabbag propos tratar o conhecimento como uma área de conhecimento do Guia PMBOK®. Esta área teria os seguintes processos: 1. Planejar a Gestão do Conhecimento (Planejamento) 2. Ativar base do conhecimento (Execução) 3. Disseminar conhecimento (Execução) 4. Monitorar e Controlar Capital Intelectual (Monitoramento e Controle)
  • 58. Francis Bacon, também referido como Bacon de Verulâmio foi um político, filósofo e ensaísta inglês, barão de Verulam, visconde de Saint Alban. É considerado como o fundador da ciência moderna. FONTE: Frases - http://kdfrases.com Scientia potentia est