SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Taxonomia


Classificação Internacional para
   Segurança do Paciente (ICPS)

Organização Mundial de Saúde (OMS)
O que é?

   Quais são os objetivos?

Quais as principais definições,
   palavras-chave e termos
          preferidos?
Taxonomia

•    Com origem na língua grega, o termo
    taxonomia significa arranjo sistemático
    de objetos ou entidades do mundo real
    ordenados em grupos.
Taxonomia
  A Classificação Internacional
para a Segurança do Paciente
(ICPS) foi desenvolvida pela
OMS       para    facilitar  a
comparação, medição, análise
e interpretação de informações
para melhorar o cuidado do
paciente.
Padronização

• A elaboração de uma taxonomia da área da Segurança
  do Paciente permite:
  – O uso consistente de termos e conceitos relacionados à área;
  – A    disponibilização     de    uma      classificação     acessível,
    compreensível e adaptável.




  – Melhor entendimento dos trabalhos publicados;
  – Facilitação de organização sistemática e análise de informação
    relevante sobre o tema em todas as fontes de pesquisa disponíveis.
ICPS
•   Dentre os critérios subjacentes               à
    classificação, destacam-se:

       Identificação e definição de conceitos-chave
        da área de Segurança do Paciente;
       Adequação linguística e cultural das
        definições;
       Conformidade com outras classificações da
        OMS.
Conceitos-chave, Definições
                 e Termos Preferidos
• A ICPS apresenta               48    conceitos-chave         e    termos
  preferidos.


• Dado seu caráter dinâmico, essa lista tende a aumentar,
  acompanhando o crescimento da área de Segurança do
  Paciente.

   – Certos qualificadores devem ser considerados implícitos quando
     esses termos são usados no contexto da ICPS.

         Exemplo: O termo “incidente” refere-se a um incidente relacionado à
          segurança do paciente, implicando em dano ou dano potencial.
Estrutura
    hierárquica
    com 10
    classes
    principais
•   Setas: relações
    semânticas
    entre as
    classes.
•   Setas tracejadas:
    fluxo da
    informação.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos
• Paciente: pessoa que recebe cuidado de saúde.
     ICPS: o termo paciente é usado no lugar de
      consumidores ou clientes, pois é mais abrangente que
      esses termos.


• Cuidado    de   saúde:     serviços    recebidos    por
  indivíduos ou comunidades para promover, manter,
  monitorar ou restaurar a saúde.
     ICPS: Cuidado de saúde não é limitado ao cuidado
      prestado por outros; inclui também o auto-cuidado.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos
• Saúde: estado de bem-estar físico, mental e social
  completo e não apenas ausência de doença ou
  enfermidade (consistente com a definição da OMS).

• Doença: disfunção fisiológica ou psicológica.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos
• Segurança: redução, a um mínimo aceitável, de
  risco de dano desnecessário.


• Perigo [hazard]: circunstância, agente ou ação que
  pode causar dano.

  – Circunstância: situação ou fator que pode influenciar um
    evento, agente ou pessoa.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos

• Evento: algo que acontece com ou envolve o
  paciente.


• Agente: substância, objeto ou sistema que age
  para produzir mudança.
Conceitos-chave, Definições e
          Termos Preferidos
• Segurança do paciente: redução, a
 um mínimo aceitável, do risco de dano
 desnecessário associado ao cuidado
 de saúde.
Conceitos-chave, Definições e
               Termos Preferidos


• Fatores contribuintes: circunstâncias, ações ou
  influências que desempenham um papel na origem
  ou no desenvolvimento de um incidente ou no
  aumento do risco de incidente.

     Podem ser externos, organizacionais, estar relacionados
      ao staff ou a um fator individual do paciente.
Conceitos-chave, Definições e
              Termos Preferidos

• Incidente: evento ou circunstância que
 poderia ter resultado, ou resultou, em dano
 desnecessário ao paciente.
     ICPS: Certas formas de dano, como uma incisão
      para laparotomia, são necessárias, não sendo,
      portanto, consideradas incidentes. Já erros,
      violações,   abusos    ao    paciente    e   atos
      deliberadamente inseguros ocorridos no cuidado de
      saúde são incidentes.
Conceitos-chave, Definições e
               Termos Preferidos

  Incidentes podem ser oriundos de atos intencionais
 ou não-intencionais.
• Erros    são,   por    definição,   não-intencionais,
 enquanto    violações    são intencionais, embora
 raramente maliciosas, e podem se tornar rotineiras
 e automáticas em certos contextos.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos


• Erro: definido como uma falha em executar um
 plano de ação como pretendido ou aplicação de um
 plano incorreto.
  – Pode ocorrer por fazer a coisa errada (erro de ação) ou
    por falhar em fazer a coisa certa (erro de omissão) na fase
    de planejamento ou na fase de execução.
Conceitos-chave, Definições e
               Termos Preferidos

• Violação:       divergência    deliberada    de    um
  procedimento cirúrgico, um padrão ou uma regra.

      Tanto erros quanto violações aumentam o risco, até
       mesmo se um incidente não ocorre realmente.

• Risco: probabilidade de um incidente ocorrer.
Conceitos-chave, Definições e
                      Termos Preferidos

                                 Incidente




 Circunstância         Near miss         Incidente            Incidente
  notificável                            sem dano             com dano

  Houve potencial      Incidente que      Incidente que         Incidente que
significativo para o   não atingiu o   atingiu o paciente,   resulta em dano ao
    dano, mas o          paciente       mas não causou        paciente (Evento
   incidente não                              dano                Adverso)
      ocorreu
Conceitos-chave, Definições e
           Termos Preferidos

•   Dano: dano da estrutura ou função do corpo e/ou qualquer efeito
    deletério dele oriundo. Inclui doenças, dano ou lesão, sofrimento,
    incapacidade ou disfunção e morte, e pode, assim, ser física, social
    ou psicológica.
•   Dano associado ao cuidado de saúde: dano surgido por ou
    associado a planos ou ações realizadas durante o cuidado de
    saúde ao invés de a uma doença de base ou lesão.

     – O dano associado ao cuidado de saúde reconhece que o cuidado de saúde é
       prestado por diversos indivíduos, incluindo pacientes, em locais diversos
       (ambulatório, casa, entre outros).
Conceitos-chave, Definições e
              Termos Preferidos

• Circunstância notificável (incidente notificável):
  circunstância em que houve potencial significativo
  para o dano, mas o incidente não ocorreu.

       Exemplo:um desfibrilador presente na sala de
       emergência que não funciona, apesar de não ter sido
       necessário o seu uso.
Conceitos-chave, Definições e
            Termos Preferidos

• Near miss: incidente que não atingiu o
  paciente.

     Erro que não se concretiza no paciente.


      Exemplo: unidade de sangue conectada ao paciente de
      forma errada; erro detectado, porém, antes do início da
      transfusão.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos
• Incidente sem dano: o evento atingiu o paciente,
  mas não causou dano discernível.


     O erro se concretiza no paciente, mas não causa
       dano. Quase lesão.

      Exemplo:  a unidade de sangue acabou sendo
       transfundida para o paciente, mas não houve reação.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos

• Incidente com dano (Evento adverso): incidente
  que resulta em dano ao paciente.

     Erro que se concretiza no paciente e causa dano.

      Exemplo: é feita infusão na unidade errada de sangue
       no paciente e este morre por reação hemolítica.
Conceitos-chave, Definições e
             Termos Preferidos

• Detecção: ação ou circunstância que resulta na
  descoberta de um incidente.
  – Mecanismos de detecção podem ser parte do
    sistema ou podem resultar de um processo de
    checagem, de vigilância ou de “consciência” da
    situação.
Conceitos-chave, Definições e
            Termos Preferidos

• Fator de mitigação: ação ou circunstância
  que previne ou modera a progressão de um
  incidente de causar dano a um paciente.
  – O mecanismo que pode causar o dano [damage]
    começou, mas este ainda não ocorreu ou não
    chegou ao dano [harm] máximo possível.
Conceitos-chave, Definições e
                 Termos Preferidos

• Resultado do cuidado [patient outcome]: impacto em um
  paciente que é total ou parcialmente atribuível a um incidente.

   – Lesão: dano para os tecidos causado por um agente ou um evento.
   – Sofrimento: experiência de algo subjetivamente desagradável. Inclui
     dor, mal-estar, náusea, vômito, depressão, agitação, medo e aflição.
   – Incapacidade: qualquer tipo de limitação relacionada à estrutura ou
     função do corpo, limitação de atividade e/ou restrição de participação
     na sociedade, associado a um dano passado ou presente.
Conceitos-chave, Definições e
              Termos Preferidos

• Resultado     na    organização     [organizational
  outcome]: impacto em uma organização que é total
  ou parcialmente atribuível a um incidente.
• Ação de melhoria: ação realizada ou circunstância
  alterada para melhorar ou compensar qualquer
  dano [harm] depois de um incidente.
Conceitos-chave, Definições e
               Termos Preferidos

• Ações tomadas para reduzir o risco: ações
  tomadas para reduzir, administrar ou controlar
  qualquer dano futuro, ou a probabilidade de dano,
  associado a um incidente. Essas ações podem ser
  pró-ativas ou reativas.

  – Ações pró-ativas: podem ser identificadas por técnicas
    como análises de efeito e análise probabilística de risco.
  – Ações reativas: são aquelas tomadas em resposta aos
    aprendizados (insights) ganhos depois de um incidente
    ocorrido.
Outros conceitos relevantes


• Qualidade: grau com o qual os serviços de
 saúde    aumentam      a   probabilidade   de
 resultados de saúde desejados e são
 consistentes     com       o   conhecimento
 profissional atual.
Outros conceitos relevantes

• Falha no sistema: refere-se a uma falta, desarranjo
  ou disfunção no esquema operacional, processos
  ou infra-estrutura de uma organização.


• Melhoria no sistema: resultado de cultura,
  processos e estruturas que estão relacionadas à
  prevenção de falha no sistema e à melhoria da
  segurança e da qualidade.
Outros conceitos relevantes


• Análise das causas: processo sistemático
  segundo o qual os fatores que contribuem para um
  incidente são identificados pela reconstrução da
  sequência de eventos e pelo constante
  questionamento do porquê da ocorrência do
  incidente até a sua elucidação.
Comentários finais

• Alguns conceitos foram excluídos da ICPS por:

   – seus significados variarem entre as áreas (ex.: negligência);
   – apresentarem significados específicos em uma determinada
     área;
   – já serem usados com significados específicos em classificação
     da OMS (ex.: sequela);
   – suas definições conceituais não poderem ser universais.

• O uso consistente dos termos relacionados à área de segurança do
  paciente permite não só um maior e melhor diálogo entre as
  pesquisas desenvolvidas como também a elaboração de soluções
  para um melhor resultado do cuidado prestado.
Produção

     Priscilla Mouta Marques
 •Assistente de Pesquisa - Fiocruz
•Doutoranda em Linguística - UFRJ



       Realização
         PROQUALIS
   proqualis@icict.fiocruz.br
Aula sobre Taxonomia de segurança_do_paciente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Registros de Enfermagem
Registros de EnfermagemRegistros de Enfermagem
Registros de EnfermagemAndréa Dantas
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Rafaela Amanso
 
Paciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.pptPaciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.ppttuttitutti1
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemresenfe2013
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteProqualis
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Aline Bandeira
 
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzAula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzProqualis
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)resenfe2013
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemIvanete Dias
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Ravenny Caminha
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Apostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagemApostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagemEDSON OLIVEIRA
 

Mais procurados (20)

Urgência e Emergência
Urgência e EmergênciaUrgência e Emergência
Urgência e Emergência
 
Registros de Enfermagem
Registros de EnfermagemRegistros de Enfermagem
Registros de Enfermagem
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Paciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.pptPaciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.ppt
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzAula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
Roteiro de Admissão, Evolução, Transferência e Alta hospitalar.
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Apostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagemApostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagem
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
 

Destaque

Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFatima Comiotto
 
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do pacienteComo avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do pacienteProqualis
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisHeitor de Oliveira Braga
 
Disclosure (Abertura de Informação)
Disclosure  (Abertura de Informação)Disclosure  (Abertura de Informação)
Disclosure (Abertura de Informação)Proqualis
 
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009danieltschudi
 
Smbr2011 midias-sociais-empresas
Smbr2011 midias-sociais-empresasSmbr2011 midias-sociais-empresas
Smbr2011 midias-sociais-empresasMedia Education
 
Análise multivarida e correlacões no Genes
Análise multivarida e correlacões no GenesAnálise multivarida e correlacões no Genes
Análise multivarida e correlacões no GenesCristiano Lemes da Silva
 
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4o
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4oModulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4o
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4oisabelarab_25
 
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...Potiguar Indie Games
 
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIALATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIALMarcelo Sacavem
 
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema DigestórioAula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema Digestórioedu.biologia
 
Tendencias de consumo, creatividad en la oferta
Tendencias de consumo, creatividad en la ofertaTendencias de consumo, creatividad en la oferta
Tendencias de consumo, creatividad en la ofertaRoberto Carreras
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresGilson Barbosa
 
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hallMagda Magelis
 
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)Empar Gallego
 
A era do globalismo – resumo do livro
A era do globalismo – resumo do livroA era do globalismo – resumo do livro
A era do globalismo – resumo do livroLuci Bonini
 
AdministraçãO De Rec Mat E Pat Mktpassos
AdministraçãO De Rec Mat E Pat   MktpassosAdministraçãO De Rec Mat E Pat   Mktpassos
AdministraçãO De Rec Mat E Pat MktpassosIvan Passos
 

Destaque (20)

Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de Genética
 
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do pacienteComo avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Disclosure (Abertura de Informação)
Disclosure  (Abertura de Informação)Disclosure  (Abertura de Informação)
Disclosure (Abertura de Informação)
 
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009
Nutzer- und Werbemarkt Juli 2009
 
Smbr2011 midias-sociais-empresas
Smbr2011 midias-sociais-empresasSmbr2011 midias-sociais-empresas
Smbr2011 midias-sociais-empresas
 
Análise multivarida e correlacões no Genes
Análise multivarida e correlacões no GenesAnálise multivarida e correlacões no Genes
Análise multivarida e correlacões no Genes
 
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4o
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4oModulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4o
Modulo 1 Diplomado RIEB 3o y 4o
 
Simulado Enem
Simulado EnemSimulado Enem
Simulado Enem
 
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...
Mecânica de jogos digitais: documentando com Behaviour Driven Developemnt (BD...
 
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIALATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
 
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema DigestórioAula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
 
Tendencias de consumo, creatividad en la oferta
Tendencias de consumo, creatividad en la ofertaTendencias de consumo, creatividad en la oferta
Tendencias de consumo, creatividad en la oferta
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadores
 
Vim DE OOP
Vim DE OOPVim DE OOP
Vim DE OOP
 
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
 
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)
El Moviment Obrer. Formació classe obrera i organitzacions (1)
 
A era do globalismo – resumo do livro
A era do globalismo – resumo do livroA era do globalismo – resumo do livro
A era do globalismo – resumo do livro
 
AdministraçãO De Rec Mat E Pat Mktpassos
AdministraçãO De Rec Mat E Pat   MktpassosAdministraçãO De Rec Mat E Pat   Mktpassos
AdministraçãO De Rec Mat E Pat Mktpassos
 

Semelhante a Aula sobre Taxonomia de segurança_do_paciente

Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...Milena de Oliveira Matos Carvalho
 
Avaliar o impacto
Avaliar o impactoAvaliar o impacto
Avaliar o impactoProqualis
 
Pesquisa de aceitação do checklist
Pesquisa de aceitação do checklistPesquisa de aceitação do checklist
Pesquisa de aceitação do checklistcmecc
 
02 19 emergências médicas - Marion
02 19 emergências médicas - Marion02 19 emergências médicas - Marion
02 19 emergências médicas - Marionlaiscarlini
 
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptx
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptxArquivo - 2023-06-13T224658.970.pptx
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptxGustavoWallaceAlvesd
 
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE Guilherme Barcellos
 
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli CassianiSilvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli CassianiSobragen-VIIIEnenge
 
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...Empreender Saúde
 
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdf
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdfAula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdf
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdfGiza Carla Nitz
 
2012 cma prevenção quaternaria
2012 cma prevenção quaternaria2012 cma prevenção quaternaria
2012 cma prevenção quaternariaLeonardo Savassi
 
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMSAprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMSProqualis
 
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...kassiasilva1571
 
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo Eclipse
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo EclipseProjeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo Eclipse
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo EclipseLucianna Auxi Costa
 

Semelhante a Aula sobre Taxonomia de segurança_do_paciente (20)

Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
 
Avaliar o impacto
Avaliar o impactoAvaliar o impacto
Avaliar o impacto
 
Pesquisa de aceitação do checklist
Pesquisa de aceitação do checklistPesquisa de aceitação do checklist
Pesquisa de aceitação do checklist
 
02 19 emergências médicas - Marion
02 19 emergências médicas - Marion02 19 emergências médicas - Marion
02 19 emergências médicas - Marion
 
Cuidado centrado na pessoa
Cuidado centrado na pessoaCuidado centrado na pessoa
Cuidado centrado na pessoa
 
Assistência+ao+cliente
Assistência+ao+clienteAssistência+ao+cliente
Assistência+ao+cliente
 
Etica_Bioetica.pptx
 Etica_Bioetica.pptx Etica_Bioetica.pptx
Etica_Bioetica.pptx
 
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptx
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptxArquivo - 2023-06-13T224658.970.pptx
Arquivo - 2023-06-13T224658.970.pptx
 
Joana_Autocuidado
Joana_AutocuidadoJoana_Autocuidado
Joana_Autocuidado
 
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE
O HOSPITALISTA E A SEGURANÇA DO PACIENTE
 
Eliminando o gap de mortalidade
Eliminando o gap de mortalidadeEliminando o gap de mortalidade
Eliminando o gap de mortalidade
 
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli CassianiSilvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
 
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...
Considerações práticas sobre a aplicação de ATS para equipamentos e dispositi...
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdf
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdfAula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdf
Aula 4 - Clinica médica -Processo Saude - Doença.pdf
 
2012 cma prevenção quaternaria
2012 cma prevenção quaternaria2012 cma prevenção quaternaria
2012 cma prevenção quaternaria
 
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMSAprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
 
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...
FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM II- PREVENÇÃO E CONTR...
 
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo Eclipse
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo EclipseProjeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo Eclipse
Projeto para redução de Infecção Hospitalar- Consultoria grupo Eclipse
 

Mais de Proqualis

Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Proqualis
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Proqualis
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Proqualis
 
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Proqualis
 
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Proqualis
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...Proqualis
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...Proqualis
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...Proqualis
 
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...Proqualis
 
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana Frizzo
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana FrizzoAula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana Frizzo
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana FrizzoProqualis
 
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...Proqualis
 
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana Francisco
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana FranciscoAula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana Francisco
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana FranciscoProqualis
 
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano Massuda
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano MassudaAula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano Massuda
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano MassudaProqualis
 
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...Proqualis
 
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...Proqualis
 
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...Proqualis
 
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19Proqualis
 
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...Proqualis
 
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19Proqualis
 
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19Proqualis
 

Mais de Proqualis (20)

Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
 
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
 
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
Aula: Contribuição das Comissões de Revisão de Prontuário e Análise de Óbito ...
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Den...
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mag...
 
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...
Aula sobre aspectos psicossociais do parto e nascimento e a segurança do paci...
 
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana Frizzo
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana FrizzoAula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana Frizzo
Aula sobre aspectos psicológicos da gestação, parto e pós-parto - Giana Frizzo
 
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...
Aula - Gestão de riscos na atenção hospitalar no contexto da covid-19 - Ricar...
 
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana Francisco
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana FranciscoAula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana Francisco
Aula sobre mortalidade por Covid-19 na gestação e puerpério - Rossana Francisco
 
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano Massuda
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano MassudaAula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano Massuda
Aula sobre mortalidade por Covid-19 em UTIs brasileiras - Adriano Massuda
 
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...
Aula 3: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Mario...
 
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...
Aula 2: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Helai...
 
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...
Aula 1: Vigilância dos eventos adversos pós-vacinação contra Covid-19 - Sandr...
 
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19
Aula - A comunicação no contexto da pandemia de Covid-19
 
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...
Aula - Segurança do paciente e vigilância em saúde na rede EBSERH durante a p...
 
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19
Aula: Prevenção de lesão por pressão na assistência à Covid-19
 
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19
Aula: Segurança e saúde do trabalhador no contexto da pandemia de Covid-19
 

Último

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfvejic16888
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................paulo222341
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxmikashopassos123
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (9)

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 

Aula sobre Taxonomia de segurança_do_paciente

  • 1. Taxonomia Classificação Internacional para Segurança do Paciente (ICPS) Organização Mundial de Saúde (OMS)
  • 2. O que é? Quais são os objetivos? Quais as principais definições, palavras-chave e termos preferidos?
  • 3. Taxonomia • Com origem na língua grega, o termo taxonomia significa arranjo sistemático de objetos ou entidades do mundo real ordenados em grupos.
  • 4. Taxonomia A Classificação Internacional para a Segurança do Paciente (ICPS) foi desenvolvida pela OMS para facilitar a comparação, medição, análise e interpretação de informações para melhorar o cuidado do paciente.
  • 5. Padronização • A elaboração de uma taxonomia da área da Segurança do Paciente permite: – O uso consistente de termos e conceitos relacionados à área; – A disponibilização de uma classificação acessível, compreensível e adaptável. – Melhor entendimento dos trabalhos publicados; – Facilitação de organização sistemática e análise de informação relevante sobre o tema em todas as fontes de pesquisa disponíveis.
  • 6. ICPS • Dentre os critérios subjacentes à classificação, destacam-se:  Identificação e definição de conceitos-chave da área de Segurança do Paciente;  Adequação linguística e cultural das definições;  Conformidade com outras classificações da OMS.
  • 7. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • A ICPS apresenta 48 conceitos-chave e termos preferidos. • Dado seu caráter dinâmico, essa lista tende a aumentar, acompanhando o crescimento da área de Segurança do Paciente. – Certos qualificadores devem ser considerados implícitos quando esses termos são usados no contexto da ICPS.  Exemplo: O termo “incidente” refere-se a um incidente relacionado à segurança do paciente, implicando em dano ou dano potencial.
  • 8. Estrutura hierárquica com 10 classes principais • Setas: relações semânticas entre as classes. • Setas tracejadas: fluxo da informação.
  • 9. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Paciente: pessoa que recebe cuidado de saúde. ICPS: o termo paciente é usado no lugar de consumidores ou clientes, pois é mais abrangente que esses termos. • Cuidado de saúde: serviços recebidos por indivíduos ou comunidades para promover, manter, monitorar ou restaurar a saúde. ICPS: Cuidado de saúde não é limitado ao cuidado prestado por outros; inclui também o auto-cuidado.
  • 10. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Saúde: estado de bem-estar físico, mental e social completo e não apenas ausência de doença ou enfermidade (consistente com a definição da OMS). • Doença: disfunção fisiológica ou psicológica.
  • 11. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Segurança: redução, a um mínimo aceitável, de risco de dano desnecessário. • Perigo [hazard]: circunstância, agente ou ação que pode causar dano. – Circunstância: situação ou fator que pode influenciar um evento, agente ou pessoa.
  • 12. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Evento: algo que acontece com ou envolve o paciente. • Agente: substância, objeto ou sistema que age para produzir mudança.
  • 13. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Segurança do paciente: redução, a um mínimo aceitável, do risco de dano desnecessário associado ao cuidado de saúde.
  • 14. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Fatores contribuintes: circunstâncias, ações ou influências que desempenham um papel na origem ou no desenvolvimento de um incidente ou no aumento do risco de incidente.  Podem ser externos, organizacionais, estar relacionados ao staff ou a um fator individual do paciente.
  • 15. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Incidente: evento ou circunstância que poderia ter resultado, ou resultou, em dano desnecessário ao paciente.  ICPS: Certas formas de dano, como uma incisão para laparotomia, são necessárias, não sendo, portanto, consideradas incidentes. Já erros, violações, abusos ao paciente e atos deliberadamente inseguros ocorridos no cuidado de saúde são incidentes.
  • 16. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidentes podem ser oriundos de atos intencionais ou não-intencionais. • Erros são, por definição, não-intencionais, enquanto violações são intencionais, embora raramente maliciosas, e podem se tornar rotineiras e automáticas em certos contextos.
  • 17. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Erro: definido como uma falha em executar um plano de ação como pretendido ou aplicação de um plano incorreto. – Pode ocorrer por fazer a coisa errada (erro de ação) ou por falhar em fazer a coisa certa (erro de omissão) na fase de planejamento ou na fase de execução.
  • 18. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Violação: divergência deliberada de um procedimento cirúrgico, um padrão ou uma regra.  Tanto erros quanto violações aumentam o risco, até mesmo se um incidente não ocorre realmente. • Risco: probabilidade de um incidente ocorrer.
  • 19. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidente Circunstância Near miss Incidente Incidente notificável sem dano com dano Houve potencial Incidente que Incidente que Incidente que significativo para o não atingiu o atingiu o paciente, resulta em dano ao dano, mas o paciente mas não causou paciente (Evento incidente não dano Adverso) ocorreu
  • 20. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Dano: dano da estrutura ou função do corpo e/ou qualquer efeito deletério dele oriundo. Inclui doenças, dano ou lesão, sofrimento, incapacidade ou disfunção e morte, e pode, assim, ser física, social ou psicológica. • Dano associado ao cuidado de saúde: dano surgido por ou associado a planos ou ações realizadas durante o cuidado de saúde ao invés de a uma doença de base ou lesão. – O dano associado ao cuidado de saúde reconhece que o cuidado de saúde é prestado por diversos indivíduos, incluindo pacientes, em locais diversos (ambulatório, casa, entre outros).
  • 21. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Circunstância notificável (incidente notificável): circunstância em que houve potencial significativo para o dano, mas o incidente não ocorreu.  Exemplo:um desfibrilador presente na sala de emergência que não funciona, apesar de não ter sido necessário o seu uso.
  • 22. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Near miss: incidente que não atingiu o paciente. Erro que não se concretiza no paciente.  Exemplo: unidade de sangue conectada ao paciente de forma errada; erro detectado, porém, antes do início da transfusão.
  • 23. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Incidente sem dano: o evento atingiu o paciente, mas não causou dano discernível. O erro se concretiza no paciente, mas não causa dano. Quase lesão.  Exemplo: a unidade de sangue acabou sendo transfundida para o paciente, mas não houve reação.
  • 24. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Incidente com dano (Evento adverso): incidente que resulta em dano ao paciente. Erro que se concretiza no paciente e causa dano.  Exemplo: é feita infusão na unidade errada de sangue no paciente e este morre por reação hemolítica.
  • 25. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Detecção: ação ou circunstância que resulta na descoberta de um incidente. – Mecanismos de detecção podem ser parte do sistema ou podem resultar de um processo de checagem, de vigilância ou de “consciência” da situação.
  • 26. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Fator de mitigação: ação ou circunstância que previne ou modera a progressão de um incidente de causar dano a um paciente. – O mecanismo que pode causar o dano [damage] começou, mas este ainda não ocorreu ou não chegou ao dano [harm] máximo possível.
  • 27. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Resultado do cuidado [patient outcome]: impacto em um paciente que é total ou parcialmente atribuível a um incidente. – Lesão: dano para os tecidos causado por um agente ou um evento. – Sofrimento: experiência de algo subjetivamente desagradável. Inclui dor, mal-estar, náusea, vômito, depressão, agitação, medo e aflição. – Incapacidade: qualquer tipo de limitação relacionada à estrutura ou função do corpo, limitação de atividade e/ou restrição de participação na sociedade, associado a um dano passado ou presente.
  • 28. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Resultado na organização [organizational outcome]: impacto em uma organização que é total ou parcialmente atribuível a um incidente. • Ação de melhoria: ação realizada ou circunstância alterada para melhorar ou compensar qualquer dano [harm] depois de um incidente.
  • 29. Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos • Ações tomadas para reduzir o risco: ações tomadas para reduzir, administrar ou controlar qualquer dano futuro, ou a probabilidade de dano, associado a um incidente. Essas ações podem ser pró-ativas ou reativas. – Ações pró-ativas: podem ser identificadas por técnicas como análises de efeito e análise probabilística de risco. – Ações reativas: são aquelas tomadas em resposta aos aprendizados (insights) ganhos depois de um incidente ocorrido.
  • 30. Outros conceitos relevantes • Qualidade: grau com o qual os serviços de saúde aumentam a probabilidade de resultados de saúde desejados e são consistentes com o conhecimento profissional atual.
  • 31. Outros conceitos relevantes • Falha no sistema: refere-se a uma falta, desarranjo ou disfunção no esquema operacional, processos ou infra-estrutura de uma organização. • Melhoria no sistema: resultado de cultura, processos e estruturas que estão relacionadas à prevenção de falha no sistema e à melhoria da segurança e da qualidade.
  • 32. Outros conceitos relevantes • Análise das causas: processo sistemático segundo o qual os fatores que contribuem para um incidente são identificados pela reconstrução da sequência de eventos e pelo constante questionamento do porquê da ocorrência do incidente até a sua elucidação.
  • 33. Comentários finais • Alguns conceitos foram excluídos da ICPS por: – seus significados variarem entre as áreas (ex.: negligência); – apresentarem significados específicos em uma determinada área; – já serem usados com significados específicos em classificação da OMS (ex.: sequela); – suas definições conceituais não poderem ser universais. • O uso consistente dos termos relacionados à área de segurança do paciente permite não só um maior e melhor diálogo entre as pesquisas desenvolvidas como também a elaboração de soluções para um melhor resultado do cuidado prestado.
  • 34. Produção Priscilla Mouta Marques •Assistente de Pesquisa - Fiocruz •Doutoranda em Linguística - UFRJ Realização PROQUALIS proqualis@icict.fiocruz.br

Notas do Editor

  1. Em outras palavras: taxonomia é um agrupamento conceitual, geralmente hierárquico, em que são evidenciados os princípios subjacentes de uma classificação. Em outras palavras: trata-se de um agrupamento conceitual, geralmente hierárquico, em que são evidenciados os princípios subjacentes de uma classificação. Em outras palavras: trata-se de um agrupamento conceitual, geralmente hierárquico, em que são evidenciados os princípios subjacentes de uma classificação.