SlideShare uma empresa Scribd logo
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 2 ]
FINALIDADE DESTA OBRA
Este livro como os demais por mim publicados tem
o intuito de levar os homens a se tornarem melhores, a
amar a Deus acima de tudo e ao próximo com a si mesmo.
Minhas obras não têm a finalidade de entretenimento, mas
de provocar a reflexão sobre a nossa existência. Em Deus
há resposta para tudo, mas a caminhada para o
conhecimento é gradual e não alcançaremos respostas
para tudo, porque nossa mente não tem espaço livre
suficiente para suportar. Mas neste livro você encontrará
algumas respostas para alguns dos dilemas de nossa
existência.
AUTOR: Escriba de Cristo é licenciado em Ciências
Biológicas e História pela Universidade Metropolitana de Santos;
possui curso superior em Gestão de Empresas pela UNIMONTE de
Santos; é Bacharel em Teologia pela Faculdade das Assembléias de
Deus de Santos; tem formação Técnica em Polícia Judiciária pela USP
e dois diplomas de Harvard University dos EUA sobre Epístolas
Paulinas e Manuscritos da Idade Média. Radialista profissional pelo
SENAC de Santos, reconhecido pelo Ministério do Trabalho. Nasceu
em Itabaiana/SE, em 1969. Em 1990 fundou o Centro de Evangelismo
Universal; hoje se dedica a escrever livros e ao ministério de
intercessão. Não tendo interesse em dar palestras ou participar de
eventos, evitando convívio social.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 3 ]
CONTRIBUIÇÃO PARA ESTA MISSÃO
Esta versão do meu livro está disponível gratuitamente na
internet. Se você a leu, gostou e lhe edificou, peço que faça uma
doação ao meu ministério fazendo um pix, nem que seja de
um dólar [ou cinco reais BR],
assim continuaremos produzindo livros que edifiquem:
PIX
Valdemir Mota de Menezes,
Banco do Brasil
CPF 069 925 388 88
Este material literário do autor não tem fins lucrativos, nem
lhe gera quaisquer tipos de receita. Sua satisfação consiste em
contribuir para o bem da educação uma melhor qualidade de vida
para todos os homens e seres vivos, e para glorificar o único Deus
Todo-Poderoso.
OBRIGADO PELA COLABORAÇÃO!
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 4 ]
CONTATO:
Whatsapp Central de Ensinos Bíblicos com áudios,
palestras e textos do Escriba de Cristo
Grupo de estudo no whatsapp
55 13 996220766 com o Escriba de Cristo
https://youtube.com/@escribadecristo
Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP)
M543 Central de Ensinos Bíblicos
1969 –
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
Canindé do São Francisco/SE, Livrorama
Bibliomundi, Amazon.com, 2023, 119 p. ; 21 cm
ISBN: 9798872805021 Edição 1°
1. Medicina psicossomática 2. Bíblia 3. Psicologia
4. Doenças 5.Emocional
CDD 614
CDU 615.19
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 5 ]
Sumário
Introdução ...............................................................................7
2 aula - Lei da atração .............................................................8
3 aula - O Medo.................................................................... 12
4 aula - Excesso de preocupação .......................................... 15
5 aula - Pessoas tristes........................................................... 21
6 aula - Tratamento hospitalar diferenciado.........................25
7 aula - Depressão .................................................................28
8 aula - Medicina psicossomática e sua aplicação................ 31
9 aula - Dor de cabeça...........................................................39
10 - perda de apetite............................................................... 41
11 aula - Diabete emocional ..................................................45
12 - Cure a alma e depois o corpo .........................................48
13 - Bom humor e saúde........................................................ 51
14 aula - Remorso ..................................................................54
15 - Nervosismo e o intestino................................................58
16 aula - Psico-oncologia.......................................................63
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 6 ]
17 aula - o ódio consome tudo...............................................67
18 - Alegria é remédio............................................................73
19 - Paixão causa alteração no corpo ....................................85
20 aula - Adrenalina...............................................................90
21 aula - Rancor envelhece o corpo...................................... 91
22 aula - Cuidado ao dar má notícia. ....................................92
23 aula - Suspeita o mal.........................................................95
24 - Sistema respiratório........................................................96
25 aula - Sistema reprodutor feminino..................................99
26 aula - Sistema nervoso ......................................................99
27 aula - Reorganize sua vida, mente e coração ................. 103
28 - Esperança e otimismo.................................................. 104
29 aula - INSONIA.............................................................. 107
30 aula – Conclusão............................................................. 109
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 7 ]
Introdução
A palavra PSICOSSOMATICA tem como raiz as
palavras gregas: Psico (alma, mente), somática (corpo).
É a parte da medicina que estuda os efeitos da
mente sobre o corpo.
Pessoas desajustadas emocionalmente tendem a
ficarem mais doentes.
Exemplo do efeito da mente sobre o corpo: uma
pessoa recebe uma notícia da morte de um parente. O
choque emocional é muitas vezes tão forte que o cérebro
desarma o "disjuntor" e a pessoa desmaia. Em alguns
casos a descarga de hormônios e adrenalina no coração é
tão forte que a pessoa morre na hora ao receber uma
notícia terrível.
O que entra na sua mente ou coração pode em um
instante te matar.
Maus sentimentos de rancor e mágoa podem
envenenar o organismo lentamente.
A medicina psicossomática é uma concepção
“holística” da medicina pluricausal que tem como objetivo
estudar não a doença isolada, mas o homem doente, que
é o paciente humanizado na sua mais completa
perspectiva nosológica e ecológica. Numerosos
argumentos parecem indicar a realidade das ligações
clínicas e experimentais entre a vida emocional, os
problemas psíquicos e o disfuncionamento de órgãos ou o
aparecimento de lesões viscerais. Os estudos anatómicos
e fisiológicos desempenham um papel capital ao nível do
hipotálamo, do sistema límbico e dos diferentes sistemas
neuroendocrinológicos (hipófise, corticoadrenal e
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 8 ]
medulloadrenal). No nível experimental, além de limitar as
úlceras obtidas por diferentes técnicas no rato de
laboratório, deve-se insistir nos experimentos de Weiss
que mostraram que as úlceras pépticas do rato, sob certas
condições, dependem de duas variáveis: o número de
estímulos que o animal deve enfrentar e os feedbacks
informativos mais ou menos úteis que recebe em troca. As
investigações realizadas no doente mostram a importância
dos problemas funcionais em relação às anomalias do
sistema nervoso autônomo ou às anomalias dos gânglios
intramurais, o que talvez explique a noção de órgãos-alvo
dos problemas. Considerando os conceitos mais recentes
que valorizam o papel dos fatores genéticos na
determinação das doenças psicossomáticas, pode-se
conceber que os determinantes psicológicos, afetivos ou
ambientais, são cofatores que se integram a fatores
somáticos, genéticos, constitucionais e nutricionais para
produzir o quadro mórbido final. [1]
2 aula - Lei da atração
Criminosos falam de crime com criminosos.
Doentes falam de doenças com outros doentes.
Sábios falam de sabedoria com outros sábios.
Tolos falam tolices com outros tolos.
Cristãos falam de Cristo com outros cristãos.
Se você entrar no círculo vicioso de falar de dores
e doenças, estas coisas vão potencializar em sua vida.
A lei da atração é uma filosofia que sugere que
pensamentos positivos trazem resultados positivos para a
vida de uma pessoa, enquanto pensamentos negativos
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 9 ]
trazem resultados negativos. Baseia-se na crença de que
os pensamentos são uma forma de energia e que a energia
positiva atrai sucesso em todas as áreas da vida, incluindo
saúde, finanças e relacionamentos.
Com base nessas promessas grandiosas, surge a
pergunta: a lei da atração é real? Embora a lei da atração
tenha gerado atenção nos últimos anos devido a livros
como “O Segredo”, ela carece de evidências científicas
para suas afirmações e é geralmente vista como uma
pseudociência.
As Leis da Atração
Como funciona a lei da atração? Essencialmente,
a energia dos seus pensamentos manifesta as suas
experiências. Portanto, pensamentos positivos manifestam
experiências positivas e vice-versa. Existem princípios
universais centrais que constituem a lei da atração:
Semelhante atrai semelhante: Esta lei sugere que
coisas semelhantes se atraem umas pelas outras. Significa
que as pessoas tendem a atrair pessoas semelhantes a
elas – mas também sugere que os pensamentos das
pessoas tendem a atrair resultados semelhantes. Acredita-
se que o pensamento negativo atrai experiências
negativas, enquanto o pensamento positivo produz
experiências desejáveis.
A natureza abomina o vácuo: Esta lei da atração
sugere que remover coisas negativas de sua vida pode
abrir espaço para que coisas mais positivas tomem seu
lugar. Baseia-se na noção de que é impossível ter um
espaço completamente vazio na mente e na vida. Como
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 10 ]
algo sempre preencherá esse espaço, é importante
preenchê-lo com positividade.
O presente é sempre perfeito: Esta lei centra-se na
ideia de que sempre há coisas que você pode fazer para
melhorar o momento presente. Embora possa sempre
parecer que o presente tem alguma falha, esta lei propõe
que, em vez de sentir pavor ou infelicidade, você deve
concentrar sua energia em encontrar maneiras de tornar o
momento presente o melhor possível.
Como usar a lei da atração
Então, como você começa com a lei da atração?
De acordo com esta filosofia, você cria sua própria
realidade. Aquilo em que você se concentra é o que você
atrai para sua vida. Sugere que o que você acredita que
acontecerá em sua vida é o que acontece.
Algumas coisas que você pode fazer para
incorporar a lei da atração em sua vida incluem:
Seja grato
Visualize seus objetivos
Procure os aspectos positivos de uma situação
Aprenda como identificar o pensamento negativo
Utilize afirmações positivas
Reformule os eventos negativos de uma forma
mais positiva
Embora a lei da atração possa não ser uma
solução imediata para todos os desafios da vida, ela pode
ajudá-lo a aprender a cultivar uma visão mais otimista da
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 11 ]
vida. Também pode ajudá-lo a se manter motivado para
continuar trabalhando em direção aos seus objetivos.
Melhor bem-estar
Utilizar a lei da atração também pode trazer
impactos positivos no bem-estar mental. Ao focarmos em
alcançar uma nova realidade e acreditarmos que ela é
possível, tendemos a correr mais riscos, perceber mais
oportunidades e nos abrir para novas possibilidades. Por
outro lado, quando não acreditamos que algo está no
campo das possibilidades para nós, tendemos a deixar as
oportunidades passarem despercebidas.
Quando acreditamos que não merecemos coisas
boas, nos comportamos de maneiras que sabotam nossas
chances de felicidade . Ao mudar nossa conversa interna
e nossos sentimentos sobre a vida, revertemos os padrões
negativos em nossas vidas e criamos padrões mais
positivos, produtivos e saudáveis. Uma coisa boa leva a
outra, e a direção de uma vida pode mudar de uma espiral
descendente para uma ascensão ascendente.
Um dos fundamentos de muitos tipos de terapia é
que mudar sua conversa interna pode mudar sua vida em
uma direção positiva. A terapia cognitivo-comportamental
(TCC), um tratamento amplamente utilizado e eficaz para
muitas condições, baseia-se na ideia de que identificar e
alterar pensamentos negativos automáticos pode produzir
efeitos positivos e ajudar as pessoas a alcançar um melhor
bem-estar mental.
Dicas para praticar a lei da atração
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 12 ]
Existem alguns exercícios que podem ajudá-lo a
aprender a colocar em prática a lei da atração em sua vida.
Algumas ideias incluem:
Registro no diário: anotar seus pensamentos pode
ajudá-lo a aprender melhor a reconhecer seus padrões
habituais de pensamento para ver se você tende ao
otimismo ou ao pessimismo e aprender mais sobre como
mudar padrões negativos de pensamento.
Faça um quadro de humor: crie um lembrete visual
que o ajude a manter uma mentalidade positiva,
permanecer motivado e focar em seus objetivos.
Pratique a aceitação: em vez de focar no que está
errado no presente ou no que precisa ser mudado, trabalhe
para aceitar as coisas como elas são. Isso não significa que
você não continuará a trabalhar em direção a um futuro
melhor, significa apenas que não ficará atolado em desejar
que as coisas sejam diferentes agora.
Pratique o diálogo interno positivo: se você tem
dificuldade em ser excessivamente autocrítico, estabeleça
uma meta de se envolver em um diálogo interno positivo
todos os dias. Com o tempo, isso pode acontecer com
muito mais facilidade e você pode descobrir que é mais
difícil manter uma mentalidade negativa. [2]
3 aula - O Medo
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 13 ]
Medo constante ou por qualquer coisa ataca o
sistema nervoso, o sistema urinário, o sistema gástrico -
intestinal, a visão etc.
Já vi na delegacia policiais gritarem com um
homem forte e ele urinou de fazer poça. Outro ao ser
comunicado que ia ser preso, desmaiou.
É comum as pessoas com medo a primeira coisa é
o corpo se tremer. O sistema nervoso é afetado.
Quando a pessoa está com muito medo em muitos
casos a visão é afetada. Ou a pessoa fica com as pupilas
abertas e passam a ficar por instantes com visão aguçada,
ou passam a ficar com a visão embaraçada. Desregula
momentaneamente o foco da visão.
A medicina psicossomática estuda os efeitos
fisiológicos dos sentimentos no corpo.
O medo pode fazer que durante a descarga de
hormônio a pessoa tenha força descomunal e possa fazer
coisas que normalmente não faria como correr bastante ou
escalar muro ou árvore.
O medo é físico
O medo é vivenciado em sua mente, mas
desencadeia uma forte reação física em seu corpo. Assim
que você reconhece o medo, sua amígdala (pequeno
órgão no meio do cérebro) começa a funcionar. Ele alerta
o sistema nervoso , o que aciona a resposta ao medo do
corpo. Hormônios do estresse como cortisol e adrenalina
são liberados. Sua pressão arterial e frequência cardíaca
aumentam. Você começa a respirar mais rápido. Até
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 14 ]
mesmo o fluxo sanguíneo muda – o sangue realmente flui
do coração para os membros, tornando mais fácil para
você começar a dar socos ou correr para salvar sua vida.
Seu corpo está se preparando para lutar ou fugir.
O medo pode deixar você confuso
À medida que algumas partes do seu cérebro
aceleram, outras desligam. Quando a amígdala sente
medo, o córtex cerebral (área do cérebro que controla o
raciocínio e o julgamento) fica prejudicado – por isso agora
é difícil tomar boas decisões ou pensar com clareza. Como
resultado, você pode gritar e levantar as mãos quando for
abordado por um ator em uma casa mal-assombrada,
incapaz de racionalizar que a ameaça não é real.
O medo pode se tornar prazer
Mas por que as pessoas que amam montanhas-
russas, casas mal-assombradas e filmes de terror gostam
de ser apanhadas nesses momentos estressantes e de
medo? Porque a emoção não termina necessariamente
quando o passeio ou o filme termina. Através do processo
de transferência de excitação , seu corpo e cérebro
permanecem excitados mesmo após o término da
experiência assustadora.
“Durante uma experiência de medo encenada, seu
cérebro produzirá mais de uma substância química
chamada dopamina, que provoca prazer”, diz o Dr. Zachary
Sikora.
Medo não é fobia
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 15 ]
Se você está um pouco desconfortável em nadar
no oceano depois de assistir “Tubarão”, o filme fez o que
se propôs a fazer. Mas se você se sentir aterrorizado,
traumatizado e incapaz de funcionar só de pensar em
relaxar na praia, poderá estar sentindo mais do que apenas
medo.
A diferença entre medo e fobia é simples. Os
medos são reações comuns a eventos ou objetos. Mas o
medo se torna uma fobia quando interfere na sua
capacidade de funcionar e manter uma qualidade de vida
consistente. Se você começar a tomar medidas extremas
para evitar água, aranhas ou pessoas, poderá ter uma
fobia.
O medo mantém você seguro
“O medo é uma condição natural e biológica que
todos nós experimentamos”, diz o Dr. Sikora. “É importante
que sintamos medo porque ele nos mantém seguros.”
O medo é uma emoção humana complexa que
pode ser positiva e saudável, mas também pode ter
consequências negativas. [3]
4 aula - Excesso de preocupação
AVC e infarto são campeões em matar pessoas
que não cuidam do emocional.
Uma das virtudes cristãs é temperança.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 16 ]
Efeitos da preocupação na saúde física e mental
Se você já se perguntou se a preocupação pode
deixá-lo doente, a resposta é um sonoro sim. Infelizmente,
o termo doente preocupado é uma descrição bastante
precisa do que está acontecendo. A preocupação crônica
e constante pode causar problemas ao seu corpo, tanto
física quanto mentalmente.
Saúde física
A preocupação excessiva pode afetar todos os
sistemas do corpo, incluindo:
Imune
Respiratório
Cardiovascular
Gastrointestinal
Musculoesquelético
Endócrino
Sistema nervoso
Sistema reprodutivo
Sistema imunológico
Seu sistema imunológico é responsável por mantê-
lo saudável. Um sistema imunológico funcional protege o
corpo contra bactérias, vírus, fungos e toxinas. Quando o
sistema imunológico é suprimido, o corpo fica mais
suscetível a doenças.
Infelizmente, muito estresse constante pode ter um
impacto significativo no sistema imunológico. Estudos
descobriram que o estresse crônico pode suprimir a
imunidade humoral e celular. Isso significa que a
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 17 ]
ansiedade descontrolada pode tornar seu corpo incapaz de
combater os patógenos e vírus habituais.
Sistema respiratório
O sistema respiratório inclui nariz, boca, pulmões e
vias aéreas. Um sistema respiratório funcional permite que
você respire e mova o ar para os pulmões.
Infelizmente, além da imunidade reduzida, a
preocupação crónica também está ligada ao aumento do
risco de problemas respiratórios, incluindo asma e
infecções respiratórias superiores. Além disso, estudos
científicos associaram o stress crónico e a raiva à
deterioração da função pulmonar .
Sistema cardiovascular
Seu sistema cardiovascular inclui coração, sangue
e vasos sanguíneos. Sua principal função é transportar
sangue rico em oxigênio para todas as partes do corpo.
No entanto, o estresse crônico e a preocupação
podem causar estragos no sistema cardiovascular,
causando hipertensão e doenças cardiovasculares . Por
exemplo, uma meta-análise de 20 estudos (incluindo mais
de 250.000 indivíduos) descobriu que a ansiedade levou a
um aumento de 26% no risco de doença arterial
coronariana.
Sistema gastrointestinal
Seu sistema gastrointestinal (GI) tem uma função
vital – digerir os alimentos que você ingere. Não só isso,
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 18 ]
mas também absorve os nutrientes necessários que o
corpo necessita e excreta o restante pelo intestino.
Quando ocorre o estresse, o corpo interrompe
temporariamente o sistema digestivo para que a energia
possa ir para a resposta de luta ou fuga do corpo. Durante
um período de estresse crônico, o estômago não tem
tempo para se recuperar, o que pode causar vários
problemas gastrointestinais, como azia, indigestão ou
prisão de ventre.
Embora o estresse provavelmente não seja a
causa da síndrome do intestino irritável (SII), altos níveis
de preocupação crônica geralmente predizem o resultado
clínico em pessoas que desenvolvem SII. Isso significa que
pessoas com ansiedade mais consistente e grave podem
apresentar os piores sintomas clínicos da SII.
Sistema musculo-esquelético
O sistema músculo-esquelético contém todas as
partes móveis do corpo, incluindo ossos, músculos,
ligamentos e tecido conjuntivo. Sua principal função é
permitir o movimento e proteger os órgãos internos.
O estresse crônico e a preocupação fazem com
que seus músculos fiquem tensos por longos períodos e
podem levar a problemas de saúde como dores de cabeça
tensionais e enxaquecas.
Sistema endócrino
O sistema endócrino é responsável por regular os
hormônios do corpo para o nível de energia, crescimento e
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 19 ]
desenvolvimento. Porém, quando o sistema está sob
estresse extremo, ocorrem alterações nos níveis
hormonais do corpo.
Estresse e ansiedade consistentes podem resultar
em distúrbios do sistema endócrino, como obesidade,
disfunção gonadal ou doença de Graves.
Sistema nervoso
O sistema nervoso é um sistema de comunicação
complexo que transmite sinais por todo o corpo. Quando o
corpo sofre estresse prolongado, a ativação constante do
sistema nervoso muitas vezes prejudica outros sistemas do
corpo.
Existe uma ligação entre desempenho cognitivo e
estresse crônico. Quando o sistema nervoso está sob
estresse ou ansiedade persistente, pode causar uma
diminuição no desempenho cognitivo .
Saúde mental
Sua saúde mental é determinada por fatores
genéticos, psicológicos, ambientais e de desenvolvimento.
A preocupação crônica e o estresse podem desempenhar
um papel importante na sua saúde mental e bem-estar
geral.
Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)
O transtorno de ansiedade generalizada ,
comumente conhecido como TAG, é a preocupação ou
medo predominante na vida cotidiana. A preocupação
constante está ligada ao TAG. A preocupação crônica
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 20 ]
geralmente começa com a preocupação com uma ou duas
coisas importantes (por exemplo, dinheiro e trabalho), mas
então seus padrões de pensamento se transformam em
uma bola de neve e se tornam abrangentes. Como
resultado, as pessoas com TAG estão frequentemente em
constante estado de preocupação.
Depressão
A depressão é uma condição de saúde mental que
afeta negativamente a maneira como você se sente em
relação a si mesmo e ao ambiente.
Algumas pesquisas sugerem que o estresse
repetido pode tornar o cérebro suscetível à depressão. A
preocupação constante leva a alterações
neurodegenerativas no cérebro, deixando-o vulnerável a
sintomas de depressão, incluindo, em casos extremos,
pensamentos suicidas.
Síndrome do pânico
Pessoas com transtorno de pânico apresentam
ataques de pânico frequentes e inesperados. Preocupar-
se até ficar doente pode, na verdade, causar o
desenvolvimento de transtorno de pânico em algumas
pessoas. Embora o transtorno do pânico possa não ocorrer
logo após um evento extremamente estressante, não é
incomum que os sintomas ocorram semanas após a
experiência.
Às vezes, o transtorno do pânico leva a outras
condições, como a agorafobia , que é o medo de sair de
casa. Por exemplo, quando alguém tem um ataque de
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 21 ]
pânico inesperado num espaço público, pode começar a
temer ter outro e, portanto, optar por ficar em casa na
esperança de evitar o próximo ataque.
Ansiedade social
A ansiedade social é prevalente em pessoas que
temem ambientes ou grupos sociais. A preocupação
crônica pode levar à ansiedade social quando as pessoas
não se sentem confortáveis perto de outras pessoas. [4]
5 aula - Pessoas tristes
Você não sabe se a pessoa é triste e por isto está
doente. Ou está triste porque ficou doente...
Tristeza desarma o sistema imunológico e ativa a
granada das doenças que pode explodir em qualquer
órgão.
A tristeza leva o organismo a autodestruição.
As pessoas quando estão doentes uma das
características é a queda do semblante. CARA DE
TRISTEZA.
Às vezes fingimos estar cansados, quando na
realidade estamos tristes.
Vamos ser sinceros, todos já experimentamos
esse tipo de situação em algum momento. Quando
somados ao cansaço com essa emoção contagiosa,
lânguida e profunda que é tristeza, às vezes usamos o
“médico do Google” para encontrar um possível
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 22 ]
diagnóstico. Vemos imediatamente termos como
“depressão”, “anemia”, “hipotireoidismo” etc.
Quando a tristeza se instala em nós, nós
instantaneamente a concebemos como algo ruim, como
algo patológico que devemos liberar instantaneamente,
como aquele que sacode o pó ou a sujeira das roupas. Não
gostamos e queremos nos defender sem sequer parar para
entender sua anatomia, conhecer seus contornos
melancólicos para adquirir um aprendizado muito mais
profundo sobre nós mesmos.
De fato, às vezes esquecemos que a tristeza não
é um distúrbio, que tristeza e depressão não são idênticas.
Enquanto essa emoção não se estender ao longo do tempo
e não interferir continuamente em nosso modo de vida,
temos uma boa oportunidade, por mais paradoxal que seja,
para progredir e crescer como pessoas.
Estamos constantemente cansados, mas sob esse
cansaço muitas vezes existe outra coisa
Às vezes, passamos por momentos como este,
onde vamos para a cama cansados e acordamos no
mesmo estado. Podemos consultar o médico, as análises
dirão até que não há desequilíbrio hormonal, deficiência de
ferro ou outras patologias de origem orgânica. É muito
provável que o profissional de saúde nos diga que pode ser
a mudança de estação, uma pequena distimia típica do
outono ou da primavera. Algo muito leve e que será
resolvido por meio de tratamento farmacológico pontual e
com tempo limitado.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 23 ]
Agora, existem estados emocionais que não
exigem que o uso da farmacopeia seja resolvido. No
entanto, quando sentimos seu impacto psicossomático em
nosso corpo, é normal estarmos preocupados e
cometemos o erro de tratar o sintoma sem antes abordar a
fonte do problema: tristeza.
Por que nos sentimos cansados quando estamos
tristes?
Os mecanismos cerebrais que governam nossos
estados emocionais diferem consideravelmente um do
outro. Embora a alegria ou derrame gere toda uma série de
hiperatividade e conexões em nossas células e regiões do
cérebro, a tristeza é muito mais austera e prefere
economizar recursos. No entanto, faz isso com um objetivo
muito específico. Vamos ver isso em detalhes.
A tristeza gera em nosso organismo uma
diminuição muito notável de energia. Além disso, sentimos
a necessidade de limitar nossas relações sociais, que nos
incomodam, o barulho pode até nos perturbar, até mesmo
o de nosso próprio ambiente se torna algo ruim, e
preferimos de longe a solidão.
Também é interessante saber que a estrutura que
assume o controle de nosso cérebro é a amígdala, mas
cuidado, apenas uma parte dela, especialmente a parte
correta.
Essa pequena região do cérebro é a que induz
esse sentimento de lembrança, inatividade, exaustão física
… Toda essa descida de energia tem um fim em si:
incentivar a introspecção.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 24 ]
Além disso, estados de tristeza reduzem nossa
capacidade de prestar atenção a todos os estímulos
externos ao nosso redor. Isso é por uma razão mais do que
óbvia: o cérebro tenta nos dizer que é hora de parar e
pensar, pensar em certos aspectos de nossas vidas.
O que precisamos aprender sobre esses estados
ocasionais associados à tristeza
A tristeza ocasional, que nos envolve por alguns
dias e nos faz sentir cansados, arrependidos e
desconectados de nossa realidade, é algo que não
podemos ignorar. Tratar os sintomas, resolver nossa fadiga
com vitaminas ou nossa dor de cabeça com analgésicos é
inútil se não alcançarmos a verdadeira raiz do problema.
Se não o fizermos, se não pararmos e não
levarmos em conta o que nos incomoda ou nos preocupa,
é possível que essa bola cresça e a tristeza se espalhe.
Portanto, pode ser útil pensar em várias dimensões
inerentes a essa emoção, o que sem dúvida esclarecerá
alguns pequenos detalhes.
Três “virtudes” da tristeza que devemos entender
A Tristeza é um aviso. Como mencionado
anteriormente, a perda de energia, a fadiga e a falta de
recursos mentais para avançar diariamente são apenas os
sintomas de um problema óbvio que devemos resolver.
Tristeza como resultado do desapego. Às vezes,
nosso próprio cérebro nos alerta sobre algo que nossa
mente consciente falha em assumir: “É hora de terminar
esse relacionamento”, “Esse objetivo que você tem em
mente não se tornará realidade”, “Você não.” você não é
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 25 ]
feliz neste trabalho, se queima, o torna vulnerável: talvez
você deva mudar isso “…
Tristeza como instinto de conservação. Esses
dados são curiosos e devemos lembrar: às vezes a tristeza
nos convida a “hibernar”, a nos desconectar
temporariamente de nossa realidade para conservar
nossos recursos … Isso é frequente quando, por exemplo,
estamos decepcionados; sempre será mais saudável
refletir algum tempo em toda a intimidade, a fim de
salvaguardar nossa auto-estima, nossa integridade …
Para concluir, como podemos ver, há momentos
em nossas vidas em que o cansaço não é físico, mas
emocional. Longe de ver a tristeza como uma desordem a
ser tratada, devemos considerá-la como uma voz interior
para ouvir, como uma emoção preciosa e útil, essencial
para o crescimento do ser humano. [6]
6 aula - Tratamento hospitalar diferenciado
Em alguns hospitais a internação está sendo
tratada de forma diferente. Principalmente em ala infantil.
Tentando parecer mais com um parque de diversões com
muitos brinquedos e jogos.
As crianças tendo acompanhamento da família,
carinho dos funcionários e diversão sua recuperação é
mais rápida.
Idosos tendem a perder o ânimo. Colocam na
cabeça que já cumpriram sua missão e começa um
processo mental "secreto" de autodestruição.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 26 ]
Colocar na mente e no coração sonhos e objetivos
é essencial para manter o sistema imunológico em
prontidão.
As células de defesa do organismo recebem
mensagem do sistema nervoso central dizendo: o Alto
Comando ainda tem uma missão na vida. Não baixem a
guarda aos corpos estranhos. Pau neles!!!!
Alguns centros de saúde já colocam psicólogos
para ajudarem os pacientes que não estão colaborando
com sua saúde por atitudes mentais negativas.
Este estudo faz parte de um programa mais amplo
de pesquisa, que examinou os fatores que influenciam as
atitudes e percepções dos pacientes em relação aos
ambientes construídos nos hospitais do NHS.
Investigadores nos EUA e no Canadá sugerem que
existem ligações claras entre a saúde e o bem-estar dos
pacientes e o ambiente dos hospitais. Existem algumas
evidências de que o ambiente construído do hospital pode
influenciar o processo de cura e que pode ter um impacto
direto nos resultados dos pacientes, incluindo, por
exemplo, a redução dos níveis de ansiedade e estresse
encurtando os períodos de recuperação após a cirurgia,
permitindo vistas da natureza, aumentando a interação
social através de um melhor posicionamento dos móveis e
diminuindo significativamente o comportamento patológico
através da criação de um ambiente estável e de apoio para
os pacientes. 6 Há pouco histórico de trabalhos de
pesquisa no Reino Unido sobre as percepções dos
pacientes sobre as áreas internas dos hospitais. No
entanto, as descobertas emergentes de Lawson e Phiri
parecem apoiar a afirmação de estudos norte-americanos
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 27 ]
sobre uma ligação entre bons ambientes e resultados
positivos para os pacientes. É necessário explorar as
questões que envolvem as percepções e atitudes dos
pacientes em relação aos ambientes hospitalares e
determinar os fatores que contribuíram para a sua
experiência nesse ambiente.
A pesquisa foi realizada no Salford Royal Hospitals
NHS Trust (SRHT), um grande hospital universitário em
Salford, Grande Manchester, que fornece serviços locais,
regionais e nacionais. Atualmente possui
aproximadamente 900 leitos e emprega 3.500 funcionários.
Edifícios vitorianos, stock de bairros obsoletos e
redesenvolvimento fragmentado no local com uma
combinação de infra-estruturas precárias e design
desatualizado tipificam a qualidade global do ambiente
construído do Trust. Estes fatores podem influenciar as
percepções dos pacientes, visitantes e partes
interessadas, as suas experiências e subsequentes visões
e opiniões sobre o ambiente do hospital. O hospital está
prestes a ser reconstruído no âmbito do projeto Salford
Health Investment for Tomorrow (SHIFT). Este projeto de
190 milhões de libras envolverá uma remodelação
substancial do principal hospital e a disponibilização de
centros de cuidados primários em locais por toda a cidade
de Salford, bem como uma 'mudança' na prestação de
cuidados de saúde, que reunirá uma série de serviços
primários, comunitários e serviços e instalações de
assistência social. À luz destes desenvolvimentos
planeados, é oportuno determinar as percepções dos
pacientes sobre o ambiente construído dos hospitais, de
modo a influenciar o design e planeamento futuros.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 28 ]
Este artigo relata os dados qualitativos gerados
através de entrevistas presenciais com pacientes
atualmente internados no hospital. Ele detalha os relatos e
opiniões dos pacientes sobre suas percepções e as
experiências de seus familiares e visitantes no ambiente
hospitalar. [7]
7 aula - Depressão
O estado emocional influência tanto na saúde que
a pessoa deprimida perde o principal: vitalidade.
O deprimido só quer ficar deitado. Logo várias
doenças oportunistas vão manifestar neste corpo.
O subconsciente do depressivo fica emitindo sinal
para que uma doença entre no corpo para poder justificar
a falta de vontade para tudo.
A depressão fica chamando doenças.
A depressão de imediato deixa a pessoa com
CARA DE DOENTE.
A depressão é um distúrbio cerebral que pode
causar muita angústia emocional. Mudanças no
funcionamento do cérebro também podem ter um grande
efeito no corpo. Não é de admirar, então, que a depressão
contribua para uma ampla gama de problemas físicos que
afetam tudo, desde o coração até o sistema imunológico?
A depressão não causa apenas sintomas físicos;
também pode aumentar o risco - ou piorar - certas doenças
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 29 ]
ou condições físicas. Por sua vez, algumas doenças
também podem desencadear a depressão .
Depressão causa sintomas físicos
A depressão afeta muito mais do que o humor.
Estes são alguns dos sintomas físicos mais comuns da
depressão :
Aumento de dores e sofrimentos, que ocorrem em
cerca de duas em cada três pessoas com depressão
Fadiga crônica
Diminuição do interesse por sexo
Diminuição do apetite
Insônia, falta de sono profundo ou dormir demais
O que causa esses sintomas de depressão ?
Mudanças no cérebro afetam muitos sistemas do corpo.
Por exemplo, o funcionamento anormal de mensageiros
cerebrais (neurotransmissores), como a serotonina, pode
alterar o limiar da dor. Isso significa que você se torna mais
sensível à dor, especialmente nas costas. A serotonina
também afeta o sono e reduz o desejo sexual – quase
metade das pessoas com depressão tem problemas
sexuais.
Infelizmente, os indivíduos com depressão, bem
como as suas famílias e profissionais de saúde, muitas
vezes ignoram os sinais e sintomas físicos da depressão.
Num caso, os investigadores descobriram que problemas
de sono, fadiga e preocupações com a saúde são
indicadores fiáveis de depressão em adultos mais velhos.
Mas, descobriram eles, estes sinais são rotineira e
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 30 ]
incorretamente descartados como uma parte natural do
envelhecimento.
A depressão aumenta o risco de doenças físicas.
A depressão aumenta o risco de uma série de
doenças e outras condições, por exemplo, aumentando os
níveis de hormônios do estresse, como o cortisol ou a
adrenalina.
A depressão pode afetar o sistema imunológico,
tornando mais difícil para o corpo combater infecções.
Algumas vacinas, como a vacina contra herpes zoster,
podem até ser menos eficazes em idosos com depressão.
A depressão também tem sido associada a
doenças cardíacas e ao aumento do risco de abuso de
substâncias.
Depressão e doenças médicas: um ciclo vicioso
Acredita -se que muitas das alterações físicas
causadas pela depressão, como insônia ou falta de sono
profundo, enfraquecem o sistema imunológico. Isso pode
piorar as doenças existentes. Por sua vez, as alterações
físicas causadas pela depressão ou por doenças crónicas
podem desencadear ou agravar a depressão. Todas essas
mudanças podem levar a um ciclo vicioso que é difícil de
quebrar sem tratamento tanto para a depressão quanto
para quaisquer outras doenças.
Muitas doenças ou condições graves coexistem
com a depressão. Eles incluem:
Ataque cardíaco
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 31 ]
Doença arterial coronariana (sem ataque cardíaco)
Mal de Parkinson
Doenças autoimunes, como esclerose múltipla ou
lúpus
AIDS
AVC
Câncer
Diabetes
Doença renal
Artrite
A depressão aumenta o risco de algumas destas
doenças, mas nem sempre. Por exemplo, não há
evidências que apoiem a ideia de que a depressão leve ao
câncer, embora as duas coexistam frequentemente. Ao
mesmo tempo, é importante saber que a depressão não é
um resultado inevitável de doenças graves como o cancro
e o HIV, ou que não pode ser controlada.
Depois que você fica doente, como a depressão
influencia o curso da doença? Por um lado, é mais provável
que você desenvolva complicações. Isso pode ser verdade
porque a depressão amplia as mudanças físicas no
cérebro e no corpo. Se você já tem uma doença cardíaca,
por exemplo, níveis mais elevados de hormônios do
estresse podem tornar mais difícil para o seu corpo realizar
o reparo necessário dos tecidos.
A depressão também pode tornar mais difícil seguir
instruções, tomar medicamentos ou seguir outros aspectos
de um regime de tratamento. [5]
8 aula - Medicina psicossomática e sua aplicação
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 32 ]
A medicina psicossomática é um campo científico
cujo conceito central é que a mente e o corpo são aspectos
integrais de todos os aspectos da função humana. Não se
trata apenas de doença – inclusive, ao contrário do que
muitos acreditam, a medicina psicossomática não é uma
especialidade médica, e sim uma habilidade que deveria
estar presente em todos os médicos – mas também da
saúde.
A medicina psicossomática estuda as relações do
meio biopsicossocial do ser humano e sua relação com a
saúde e a doença. A medicina psicossomática contribui de
maneira muito importante para o cuidado de pacientes não
só com doenças psiquiátricas, como outros comorbidades
médicas de maneira geral
A medicina psicossomática é um campo médico
interdisciplinar que explora as relações entre fatores
sociais, psicológicos e comportamentais nos processos
corporais e na qualidade de vida em humanos e animais.
O precursor acadêmico do campo moderno da
medicina comportamental e uma parte da prática da
psiquiatria de ligação de consulta, a medicina
psicossomática integra avaliação e gestão interdisciplinar
envolvendo diversas especialidades, incluindo psiquiatria,
psicologia, neurologia, psicanálise, medicina interna,
pediatria, cirurgia, alergia, dermatologia e
psiconeuroimunologia. As situações clínicas em que os
processos mentais atuam como um fator importante que
afeta os resultados médicos são áreas em que a medicina
psicossomática tem competência.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 33 ]
Distúrbios psicossomáticos
Transtorno de sintomas somáticos
Acredita-se que algumas doenças físicas tenham
um componente mental derivado do estresse e das
tensões da vida cotidiana. Isto foi sugerido, por exemplo,
em dores lombares e pressão alta, que alguns
pesquisadores sugeriram que podem estar relacionadas ao
estresse da vida cotidiana. A estrutura psicossomática
também vê os estados mentais e emocionais como
capazes de influenciar significativamente o curso de
qualquer doença física. A psiquiatria tradicionalmente
distingue entre transtornos psicossomáticos, transtornos
nos quais os fatores mentais desempenham um papel
significativo no desenvolvimento, expressão ou resolução
de uma doença física, e transtornos somatoformes,
transtornos nos quais os fatores mentais são a única causa
de uma doença física.
É difícil estabelecer com certeza se uma doença
tem um componente psicossomático. Um componente
psicossomático é frequentemente inferido quando há
alguns aspectos da apresentação do paciente que não são
explicados por fatores biológicos, ou em alguns casos em
que não há explicação biológica alguma. Por exemplo, o
Helicobacter pylori causa 80% das úlceras pépticas. No
entanto, a maioria das pessoas que vivem com
Helicobacter pylori não desenvolve úlceras e 20% dos
pacientes com úlceras não apresentam infecção por H.
pylori. Portanto, nestes casos, os fatores psicológicos
ainda podem desempenhar algum papel. Da mesma forma,
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 34 ]
na síndrome do intestino irritável (SII), existem
anormalidades no comportamento do intestino. No entanto,
não existem alterações estruturais reais no intestino, pelo
que o stress e as emoções ainda podem desempenhar um
papel.
A perspectiva mais forte sobre os transtornos
psicossomáticos é que a tentativa de distinguir entre
transtornos psicossomáticos puramente físicos e mistos é
obsoleta, pois quase todas as doenças físicas têm fatores
mentais que determinam seu início, apresentação,
manutenção, suscetibilidade ao tratamento e resolução.
De acordo com esta visão, mesmo o curso de doenças
graves, como o câncer, pode ser potencialmente
influenciado pelos pensamentos, sentimentos e estado
geral de saúde mental de uma pessoa.
Abordar tais fatores é competência do campo
aplicado da medicina comportamental. Na sociedade
moderna, os aspectos psicossomáticos da doença são
frequentemente atribuídos ao estresse, tornando a
remediação do estresse um fator importante no
desenvolvimento, tratamento e prevenção de doenças
psicossomáticas.
Conotações do termo "doença psicossomática"
O termo doença psicossomática foi provavelmente
usado pela primeira vez por Paul D. MacLean em seu artigo
seminal de 1949 'Doença psicossomática e o “cérebro
visceral”; desenvolvimentos recentes relacionados à teoria
das emoções de Papez. No campo da medicina
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 35 ]
psicossomática, a frase "doença psicossomática" é usada
de forma mais restrita do que na população em geral. Por
exemplo, na linguagem leiga, o termo muitas vezes
abrange doenças sem qualquer base física, e até mesmo
doenças que são falsas (simulação). Em contraste, na
medicina psicossomática contemporânea, o termo é
normalmente restrito às doenças que têm uma base física
clara, mas onde se acredita que fatores psicológicos e
mentais também desempenham um papel. Alguns
pesquisadores da área acreditam que essa interpretação
excessivamente ampla do termo pode ter feito com que a
disciplina caísse em descrédito clínico. Por esta razão,
entre outras, o campo da medicina comportamental
assumiu grande parte da competência da medicina
psicossomática na prática e existem grandes áreas de
sobreposição na investigação científica.
Tratamento
Enquanto nos EUA a medicina psicossomática é
considerada uma subespecialidade das áreas da
psiquiatria e da neurologia, na Alemanha e noutros países
europeus é considerada uma subespecialidade da
medicina interna. Thure von Uexküll e os médicos
contemporâneos que seguem o seu pensamento
consideram a abordagem psicossomática como uma
atitude central dos médicos, declarando-a assim não como
uma subespecialidade, mas sim como uma parte integrada
de cada especialidade. Tratamentos médicos e
psicoterapia são usados para tratar doenças que se
acredita terem um componente psicossomático.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 36 ]
História
No mundo islâmico medieval, os médicos-
psicólogos persas Ahmed ibn Sahl al-Balkhi (falecido em
934) e Haly Abbas (falecido em 994) desenvolveram um
modelo inicial de doença que enfatizava a interação da
mente e do corpo. Ele propôs que a fisiologia e a psicologia
de um paciente podem influenciar uma à outra.
Ao contrário de Hipócrates e Galeno, Ahmed ibn
Sahl al-Balkhi não acreditava que a mera regulação e
modulação dos temperamentos do corpo e da medicação
remediariam os distúrbios mentais porque as palavras
desempenham um papel vital e necessário na regulação
emocional. Para mudar esses comportamentos, ele usou
técnicas como alteração de crenças, reflexão regular,
ensaios de experiências e imaginação.
No início do século XX, houve um interesse
renovado pelos conceitos psicossomáticos. O psicanalista
Franz Alexander tinha um profundo interesse em
compreender a inter-relação dinâmica entre mente e corpo.
Sigmund Freud buscou um profundo interesse pelas
doenças psicossomáticas após sua correspondência com
Georg Groddeck que estava, na época, pesquisando a
possibilidade de tratar distúrbios físicos através de
processos psicológicos. Hélène Michel-Wolfromm aplicou
a medicina psicossomática ao campo da ginecologia e aos
problemas sexuais vividos pelas mulheres.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 37 ]
Na década de 1970, Thure von Uexküll e os seus
colegas na Alemanha e noutros lugares propuseram uma
teoria biosemiótica (o conceito de umwelt) que foi
amplamente influente como quadro teórico para
conceitualizar as relações mente-corpo. Este modelo
mostra que a vida é um sistema funcional. Farzad Goli
explica ainda em Medicina Biosemiótica (2016), como os
sinais na forma de matéria (por exemplo, átomos,
moléculas, células), energia (por exemplo, sinais elétricos
no sistema nervoso), símbolos (por exemplo, palavras,
imagens, códigos de máquina) e reflexões (por exemplo,
momentos de atenção plena, metacognição) podem ser
interpretados e traduzidos uns nos outros.
Henri Laborit, um dos fundadores da
neuropsicofarmacologia moderna, realizou experimentos
na década de 1970 que mostraram que a doença ocorria
rapidamente quando havia inibição da ação em ratos.
Ratos exatamente nas mesmas situações estressantes,
mas cujo comportamento não foi inibido (aqueles que
podiam fugir ou lutar – mesmo que a luta fosse
completamente ineficaz) não tiveram consequências
negativas para a saúde. Ele propôs que as doenças
psicossomáticas em humanos têm em grande parte sua
origem nas restrições que a sociedade impõe aos
indivíduos, a fim de manter estruturas hierárquicas de
domínio. O filme My American Uncle, dirigido por Alain
Resnais e influenciado por Laborit, explora a relação entre
o eu e a sociedade e os efeitos da inibição da ação.
Em fevereiro de 2005, o Sistema de Vigilância
Sindrômica de Boston detectou um aumento de homens
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 38 ]
jovens que procuravam tratamento médico para acidente
vascular cerebral. A maioria deles não sofreu um derrame,
mas o maior número apresentou um dia depois que Tedy
Bruschi, uma figura do esporte local, foi hospitalizado por
causa de um derrame. Presumivelmente, começaram a
interpretar mal os seus próprios sintomas inofensivos, um
fenômeno de grupo agora conhecido como síndrome de
Tedy Bruschi.
Robert Adler é responsável por cunhar o termo
Psiconeuroimunologia (PNI) para categorizar um novo
campo de estudo também conhecido como medicina
mente-corpo. Os princípios da medicina mente-corpo
sugerem que a nossa mente e os pensamentos emocionais
que produzimos têm um impacto incrível na nossa
fisiologia, seja positivo ou negativo.
O PNI integra o sistema mental/psicológico,
nervoso e imunológico, e esses sistemas estão ainda
ligados entre si por ligantes, que são hormônios,
neurotransmissores e peptídeos. O PNI estuda como cada
célula do nosso corpo está em constante comunicação –
como elas estão literalmente conversando e são
responsáveis por 98% de todos os dados transferidos entre
o corpo e o cérebro.
Candace Pert, professora e neurocientista que
descobriu o receptor opiáceo, chamou essa comunicação
entre nossas células de “Moléculas da Emoção” porque
elas produzem sentimentos de felicidade, fome, raiva,
relaxamento ou saciedade. Dr. Pert afirma que nosso corpo
é nossa mente subconsciente, então o que está
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 39 ]
acontecendo na mente subconsciente está sendo
representado por nosso corpo. [8]
9 aula - Dor de cabeça
A cabeça é a CPU do nosso computador.
Angústias e preocupações de cara afetam a cabeça,
causando em algumas pessoas dores esporádicas ou
crônicas.
Surto de raiva também costuma gerar dores de
cabeça.
Se você não procurar controlar as emoções
negativas, você vai detonar sua saúde.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 40 ]
A cefaleia é uma doença crônica que ocorre com
frequência variável e resulta em níveis variados de
incapacidade. Até o momento, a maior parte da pesquisa e
do foco clínico tem sido sobre o papel dos fatores
biológicos na dor de cabeça e na incapacidade relacionada
à dor de cabeça. Contudo, a confiança num modelo
puramente biomédico de cefaleia não leva em conta todos
os aspectos da cefaleia e da incapacidade associada.
Usando uma estrutura biopsicossocial, o presente
manuscrito expande a visão de quais fatores influenciam a
dor de cabeça, considerando o papel que os fatores
psicológicos (ou seja, cognitivos e afetivos) têm no
desenvolvimento, no curso e nas consequências da dor de
cabeça. O manuscrito inicialmente revisa evidências que
mostram que os circuitos neurais responsáveis pelos
fenômenos cognitivo-afetivos estão altamente
interconectados com os circuitos responsáveis pela dor de
cabeça. O manuscrito então revisa a influência que as
cognições (locus de controle e autoeficácia) e os afetos
negativos (depressão, ansiedade e raiva) têm no
desenvolvimento de ataques de dor de cabeça, na
percepção da dor de cabeça, na adesão ao tratamento
prescrito, no resultado do tratamento da dor de cabeça, e
incapacidade relacionada à dor de cabeça. O manuscrito
conclui com uma discussão das implicações clínicas de
considerar fatores psicológicos no tratamento da dor de
cabeça.
A dor de cabeça é atualmente conceituada como
um distúrbio crônico com episódios agudos de dor que
ocorrem de forma intermitente e duram de minutos a dias.
Para um número significativo de pacientes, estes ataques
ocorrem uma vez por mês ou mais e resultam em níveis
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 41 ]
variados de incapacidade. Os médicos precisam, portanto,
considerar quais os fatores que influenciam o
desenvolvimento, o curso e a gravidade das crises de
cefaleia individuais e a incapacidade subsequente, a fim de
minimizar a frequência das crises, reduzir a sua gravidade
e limitar o seu impacto no funcionamento. Até o momento,
a esmagadora maioria da pesquisa e do interesse clínico
concentrou-se nas influências biológicas. Estes esforços
resultaram em avanços significativos no tratamento e
prevenção da dor de cabeça e da incapacidade
relacionada; no entanto, esta investigação também revelou
que os fatores biológicos por si só não conseguem explicar
todos os aspectos da dor de cabeça e da incapacidade.
Fatores psicológicos, como locus de controle e autoeficácia
no manejo da dor de cabeça, e estados emocionais/afetos
negativos podem alterar a probabilidade de um ataque de
dor de cabeça ser desencadeado, a gravidade percebida
da dor de cabeça, o impacto que a dor de cabeça tem no
funcionamento e o prognóstico do tratamento.
Infelizmente, os fatores psicológicos são normalmente
considerados relevantes apenas nos casos em que o
paciente apresenta psicopatologia significativa. O objetivo
do presente manuscrito é descrever a justificativa para
imaginar a dor de cabeça dentro de uma estrutura
biopsicossocial, revisar as evidências que apoiam essa
visão e considerar as implicações clínicas da consideração
de fatores psicológicos no tratamento da dor de cabeça. [9]
10 - perda de apetite
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 42 ]
Segundo a pesquisa, a raiva faz você perder o
apetite. “A exposição às violações morais reduz o consumo
de comida, e destaca uma verdade psicológica na
observação metafórica que violações morais 'deixam um
gosto ruim' na boca de alguém”, explica Cindy Chan, uma
das autoras do estudo.
Fazer maldade provoca gosto ruim na boca.
Diminui apetite....
Quando uma pessoa se sente muito estressada ou
ansiosa, há a liberação de uma série de hormônios que
despertam uma reação instintiva chamada de mecanismo
de luta ou fuga. Dessa forma, o corpo se prepara para lidar
com uma situação em que acredita existir um potencial
risco.
Um artigo produzido por pesquisadores da
Universidade de Ciências da Saúde de Lahore, no
Paquistão, sugere que elevados índices de estresse
possam estar ligados a outro fator: perda de apetite. A
pesquisa publicada no Cureus Journal of Medical Science
explica que o hormônio responsável pela corticotrofina
(CRH), que é liberado após situações de grande
ansiedade, afeta diretamente o sistema digestório e
suprime o apetite.
Por fim, a causa da falta de apetite pode ser
psicológica ou emocional. Fatores como depressão,
ansiedade e estresse podem provocar desconforto gástrico
e diminuir o ímpeto em se alimentar.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 43 ]
Causas da perda de apetite
A perda de apetite tem muitas causas.
Podem não estar diretamente relacionadas à
doenças ou sintomas.
E muitas das vezes está ligada a sintomas
emocionais como estresse e ansiedade elevados.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 44 ]
Por fim, a perda de apetite que dura vários dias e
não está relacionada a doenças deve ser investigada,
podendo ser sintoma de anorexia e bulimia.
😵 5 Problemas emocionais que causam a perda
de apetite
Depressão
O motivo da alteração do apetite nos quadros
depressivos ainda não foi totalmente esclarecido.
Se a falta de apetite permanece por mais de 14
dias, cresce a suspeita de depressão em uma pessoa que
ainda está sendo avaliada por um profissional da área da
saúde.
Ansiedade
A ansiedade torna algumas pessoas apáticas, elas
perdem a vontade de comer com frequência resultando na
perda de peso
Anorexia
Considerada umas das principais causas de perda
de apetite, isso porque a pessoa se sente muito acima do
peso e tem medo de comer, o que faz com que o apetite
diminua.
Estresse
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 45 ]
Elevados índices de estresse geram falta de
apetite, isso acontece devido ao hormônio corticotrofina
(CRH) que é liberado após situações de grande ansiedade
e afeta diretamente o sistema digestório e suprime o
apetite.
Síndrome de Burnout
A síndrome de burnout é causada pelo excesso de
trabalho.
Pode influenciar na sua relação com a comida
devido a pressão e desânimo que chegam a um nível tão
exaustivo que a pessoa perde o apetite. [10]
11 aula - Diabete emocional
Diabetes emocional não é um dos tipos de
diabetes descritos pela comunidade médica. Apesar de
estresse e ansiedade afetarem os níveis de glicose no
sangue em um indivíduo, os quais deveriam ser
controlados pela insulina, problemas emocionais por si só
não podem causar essa doença. De acordo com a
Sociedade Brasileira de Diabetes, os tipos de diabetes são
o diabetes tipo 1 (DM1), o diabetes tipo 2 (DM2), o diabetes
gestacional (DMG) e os outros tipos de diabetes.
Resumo sobre diabetes emocional
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 46 ]
Diabetes é uma doença crônica que ocorre devido
a problemas na secreção ou na ação da insulina.
Diabetes emocional não é um dos tipos de
diabetes reconhecidos.
Problemas emocionais não podem causar
diabetes, porém desequilibram os níveis de açúcar do
sangue.
Após o diagnóstico de diabetes, é fundamental
realizar acompanhamento médico e mudar hábitos.
A hiperglicemia pode afetar diferentes órgãos,
causando danos, por exemplo, aos rins e olhos.
O que é diabetes?
Diabetes é uma doença crônica que se caracteriza
por uma elevação dos níveis de glicose no sangue, um
quadro conhecido como hiperglicemia. A hiperglicemia
pode ser resultado de uma deficiência na produção do
hormônio insulina ou de sua ação. A insulina apresenta
como função primordial garantir que a glicose entre nas
células para que possa ser utilizada. Quando o hormônio é
de alguma forma afetado, a glicose se acumula no sangue.
A hiperglicemia deve ser controlada a fim de evitar
complicações, como comprometimento dos rins, dos olhos
e do coração. Para manter os níveis de glicose dentro dos
padrões recomendados, o paciente diabético deve mudar
seus hábitos, investindo, por exemplo, em uma
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 47 ]
alimentação de qualidade e praticando atividades físicas.
Em algumas situações, medicamentos são recomendados.
Diabetes emocional
O termo diabetes emocional é uma denominação
popular usada para se referir a situações em que episódios
de ansiedade ou estresse ocorrem próximos ao
diagnóstico de diabetes. Muitas pessoas consideram que
esse efeito estressante pode ser o responsável pelo
desenvolvimento da doença. Entretanto, não podemos
afirmar que problemas emocionais podem causar diabetes.
É importante ter em mente que um diagnóstico de
diabetes associado a problemas emocionais deve ter uma
avaliação mais ampla do indivíduo e não se deve
considerar apenas o fator estressante. O fato de o paciente
apresentar fatores de risco, como sedentarismo e excesso
de peso, devem ser levados em conta. Além disso, outras
causas de diabetes devem ser analisadas. O diabetes tipo
1, por exemplo, tem origem autoimune, e deve-se
averiguar se o paciente apresenta esse tipo de diabetes.
Apesar de problemas emocionais não serem
responsáveis por causar diabetes, é importante deixar
claro que o estresse pode alterar a glicemia de um
indivíduo. De acordo com a Sociedade Brasileira de
Diabetes, pessoas estressadas podem descuidar de sua
saúde, alimentando-se inadequadamente ou abusando do
álcool, por exemplo. Ademais, ainda de acordo com essa
sociedade, os hormônios do estresse também podem
afetar diretamente na glicemia. [11]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 48 ]
12 - Cure a alma e depois o corpo
1 E alguns dias depois entrou outra vez em
Cafarnaum, e soube-se que estava em casa. 2 E logo se
ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta
cabiam; e anunciava-lhes a palavra. 3 E vieram ter com ele
conduzindo um paralítico, trazido por quatro. 4 E, não
podendo aproximar-se dele, por causa da multidão,
descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco,
baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 E Jesus, vendo
a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os
teus pecados. 6 E estavam ali assentados alguns dos
escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:7
Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar
pecados, senão Deus? 8 E Jesus, conhecendo logo em
seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por
que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?9
Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os
teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito,
e anda? 10 Ora, para que saibais que o Filho do homem
tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao
paralítico), 11 A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai
para tua casa. 12 E levantou-se e, tomando logo o leito,
saiu em presença de todos, de sorte que todos se
admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal
vimos. Marcos 2.1-12
A lição aqui é: primeiro limpou a alma, perdoando
pecados, depois ele curou a paralisia.
Poucas vezes Jesus agiu assim.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 49 ]
Neste caso Jesus viu que havia necessidade de
tirar um peso da alma deste homem.
Perdoa os outros...
Perdoe a si mesmo....
Restauração da saúde pode começar com o
perdão.
0000
Nosso corpo e nossa alma são unidos; se a sua
alma doer, seu corpo também vai, e vice-versa. Se você
estiver cansado e entediado, faltará motivação,
desaparecerá a alegria e você se apagará pouco a pouco.
Seu corpo influencia seu estado de ânimo e seu estado de
ânimo influencia seu corpo.
Ao longo da vida, há situações e pessoas que nos
ferem, física ou mentalmente, mas se nós não pudermos
nos curar , a dor persistirá e não permitirá que nós vivamos
uma vida plena e satisfatória. Aprenda a curar seu corpo e
sua alma.
A vida, às vezes, nos fere de mil formas, mas a
passagem do tempo acaricia nossas feridas até que elas
se fechem, embora possam ficar pequenas cicatrizes que
são necessárias prestar um pouco de atenção, para que a
dor não surja outra vez. Nós podemos fazer muitas coisas
para curar o corpo e a mente, propomos as seguintes a
você:
Crie a sua realidade
A física quântica parte da base de que a percepção
de uma pessoa pode modificar a realidade a que esta se
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 50 ]
sujeita, e quer demonstrar que o universo é feito de
energia, de vibração e que esta energia é influenciada pela
mente em forma de pensamentos.
Quando uma pessoa dirige sua atenção a uma
coisa, essa coisa é criada por processos de pensamento
da mente, e quando essa pessoa deixa de focalizar sua
atenção, a energia “desfaz” o objeto, para ser outra vez
energia com potencial e se transformar em uma outra
coisa. Portanto, a física quântica afirma que somente se
reconhecermos que algo existe, esse algo entra em
existência.
A lei da atração é a base para que uma pessoa
possa criar sua própria realidade. A maior parte das
pessoas criam sua realidade de forma inconsciente,
enquanto um criador consciente se esforça para mudar sua
realidade de forma criativa.
Prove o efeito placebo
O efeito placebo não é uma sugestão, não consiste
em pensar que vou me curar, é uma atitude curativa, é
acreditar que estou me curando, já que dessa forma são
liberados analgésicos naturais e são alterados os padrões
neuronais negativos, diminuindo a pressão sanguínea e
ativando o sistema imunológico.
Explore seu prazer
Em nossa vida nós aprendemos a substituir o que
nos apaixona por outras tarefas que sentimos como
obrigatórias, porque decidimos que não temos tempo e
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 51 ]
deixamos de lado nossas paixões e prazeres, privando
nossa alma de alimento.
Diariamente devemos encontrar um momento para
fazer algo que nos apaixone e nos proporcione prazer.
Você pode começar fazendo uma lista de cinco coisas que
você adora fazer: ir ao cinema, andar de bicicleta, tirar
fotos, escrever, ler… Dedicar um momento diariamente a
algo que lhe proporcione prazer é uma satisfação e é uma
questão de dar prioridade, por um tempo, a enriquecer a
sua alma.
Mova seu corpo
A prática regular de exercícios físicos é uma forma
muito efetiva de prevenir doenças e manter uma boa
saúde. Fazer esportes contribui para o bem-estar geral,
melhorando a autoestima, o otimismo, a agilidade mental…
Todas as atividades físicas devem ser praticadas de forma
progressiva, baseadas em nossas capacidades. [12]
PRESTE ATENÇÃO!!!! PESSOAS QUE NÃO
FAZEM ATIVIDADE FÍSICA LABORAL OU POR
DIVERSÃO E VIVE NO SEDENTARISMO, TEM MUITO
MAIS PROBABILIDADE DE DESENVOLVER DOENÇAS
PSICOSSOMÁTICAS.
13 - Bom humor e saúde
Uma das coisas que ajuda a viver é dar risada.
Ria das suas misérias e não chore por elas
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 52 ]
No filme A VIDA É BELA temos uma lição de como
enfrentar o campo de concentração de nossas vidas
Brinque, tente rir, dê gargalhadas.
Você tem Jesus? Tem a vida eterna!!!!! Choroso
por quê?
As desordens do humor têm importante influência
na evolução das doenças cardiovasculares. Por exemplo,
pacientes que sofrem de depressão após um evento
cardíaco apresentam maiores taxas de morbidade e
mortalidade quando comparados aos não deprimidos
O fruto do Espírito Santo é alegria.
O fruto do pecado é tristeza, angústia, mau humor.
Quando o bom humor e o riso são compartilhados
eles unem as pessoas, aumentam a intimidade e, claro,
contribuem com o estado de felicidade. Além disso, rir
fortalece o sistema imunológico, aumenta a energia,
diminui a dor, protege contra os efeitos do estresse e muito
mais.
A gerente do Serviço de Psicologia do HCor, Silvia
Cury Ismael assegura: “rir é importante para a saúde
mental, pois libera serotonina e endorfina, substâncias que
trazem a sensação de bem-estar, prazer e alegria,
diminuindo o risco de doenças psicossomáticas, como a
depressão, ansiedade e estresse”, comenta.
Crie oportunidades para rir. Assista filmes de
comédia, shows de stand-up, procure pessoas e ambientes
engraçados. Uma dose diária de sorriso é contagiante,
pode mudar a sua vida e melhorar sua saúde. Compartilhe
felicidade!
0000
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 53 ]
Em 2021 a cinesiologista Mariana Schamas
publicou um artigo sobre o efeito benéfico do bom humor
na saúde:
Se olharmos para as descobertas da psicologia e
da neurociência, veremos que tudo que pensamos e
sentimos afeta nossas experiências de vida. Assim, se de
um lado a dor influencia nosso estado emocional, o bom
humor pode ajudar a aliviar.
“A maior arma contra o estresse é nossa habilidade
de escolher um pensamento em vez de outro”, já diria o
psicólogo e filósofo William James. Num estudo publicado
em 2020 com o título O riso tem um efeito de
amortecimento do estresse na vida diária? os autores
argumentam que, quando a gente dá uma risada,
mudanças fisiológicas acontecem e elas podem ser
positivas para o bem-estar. A título de curiosidade, estima-
se que as pessoas riam, em média, 18 vezes ao dia.
O mesmo artigo aponta que “indivíduos são mais
capazes de suportar estímulos dolorosos quando estão
assistindo a vídeos com conteúdo de humor.” Sim, rir é um
jeito de enfrentar as adversidades do dia a dia, inclusive as
dolorosas.
Embora ainda existam controvérsias científicas a
respeito, se multiplicam as evidências de que a falta de
senso de humor possa piorar a saúde, repercutir na
imunidade, no sistema cardiovascular e na percepção da
dor. Ora, a sensação de dor vem do cérebro. Se o humor
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 54 ]
atua ali, é de se pensar que o corpo também colherá um
benefício. Existem indícios, ainda, de que, após uma boa
sessão de risos, relaxamos os grupos musculares e há
uma redução na excitabilidade da medula espinhal, fatores
que interferem na percepção da dor.
É claro que não podemos negar a doença. O senso
de humor não deve se tornar uma ferramenta de negação
de sintomas e negligência da própria saúde. É disso que
precisamos fugir. Como canta Frejat: “rir é bom, mas rir de
tudo é desespero”.
“Através do humor vemos no que parece racional,
o irracional; no que parece importante, o insignificante. Ele
também desperta o nosso sentido de sobrevivência e
preserva a nossa saúde mental.” A frase de Charles
Chaplin evoca justamente essa ideia, cada vez mais
apoiada na neurociência, de que o estado de humor e a
percepção das dores da vida estão conectados.
Como anda o seu estado de humor? Pense nisso
e sorria mais! [13]
14 aula - Remorso
10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora
é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus,
e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos
irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os
acusava de dia e de noite. Apocalipse 12.10
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 55 ]
Culpa e remorso são duas emoções
autoconscientes e que todos sentirão várias vezes ao
longo da vida. A culpa é um sentimento que as pessoas
costumam ter depois de fazer algo errado,
intencionalmente ou acidentalmente.
Assim, o remorso geralmente está relacionado
sobretudo ao seu código moral. Entretanto, ambos são
emoções negativas que fazem as pessoas se sentirem mal
consigo mesmas. Porém, são componentes emocionais
importantes.
O remorso é tipicamente a emoção mais dolorosa
e perturbadora porque o eu, e não apenas o
comportamento, é o objeto de julgamento. Quando as
pessoas sentem remorso, também se sentem “pequenas”,
sem valor e sem poder.
O que o remorso pode causar?
Pode se tornar uma doença. Um grande desgaste
como, por exemplo, as dores de cabeça que não sabemos
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 56 ]
a razão, ou mesmo a vesícula funcionar mal, as
palpitações ou em casos mais extremos, pode
desencadear ao indivíduo distúrbios emocionais tais como,
depressão ou ansiedade.
Você já sentiu vontade de voltar no tempo e fazer
tudo diferente? Aceitar uma proposta de emprego, escolher
outra pessoa para namorar, optar por um curso de
graduação que realmente goste, sair da zona de conforto,
ter mais paciência com os seus pais.
Todos esses fatos fazem parte daquelas frases
que muitas pessoas dizem ‘’Ah, se eu tivesse feito
diferente…’’ ou ‘’Ah, se eu pudesse voltar no tempo’’.
Infelizmente, não podemos voltar para o passado, mas
temos a oportunidade de buscar por um futuro melhor.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 57 ]
Por outro lado, quando tomamos decisões, temos
a convicção de que elas são as melhores opções dentre
todas que foram dadas. Mas se as coisas não acontecem
como desejamos, essa certeza logo é substituída pelo
remorso e arrependimento.
Além disso, há pessoas que se torturam pelo resto
da vida por não terem feito as coisas de uma forma
diferente, passando a vida sem se perdoar. Elas sentem
que tomaram decisões incorretas, vão acumulando
remorsos e, no final, tudo acaba em tristeza e dor.
Quais são as consequências do remorso?
Embora sejam sentimentos difíceis de controlar, o
remorso e o arrependimento geram consequências graves
para a pessoa amargurada. Além de afetar a saúde mental
e emocional, essas emoções impactam diretamente na
estrutura física do indivíduo.
De acordo com Dorli Kamkhagi, psicóloga e
gerontóloga do Laboratório de Neurociências do IPq
(Instituto de Psiquiatria) da USP (Universidade de São
Paulo), quem guarda remorsos pode ter sérios problemas
de saúde.
Isso acontece porque a pessoa fica amarga, cheia
de mágoas e com raiva de si mesma. O alto nível de
estresse desenvolvido pelo remorso serve como um gatilho
para o surgimento de doenças psíquicas e físicas, tais
como medo crônico, fadiga, fobias e até tumores. [14]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 58 ]
15 - Nervosismo e o intestino
Conexão entre o cérebro e o intestino
Esses nervos estão constantemente enviando e
recebendo sinais ao cérebro. "O estresse crônico e a
ansiedade liberam, no cérebro, o CRH [hormônio liberador
de corticotrofina], que tem efeitos como espasmos e
diarreia, bem como dores crescentes".
Ficar ansioso e tenso afeta diretamente o sistema
gastrointestinal.
O médico cardiologista ressalta que o intestino é
considerado o nosso segundo cérebro e tem uma relação
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 59 ]
íntima com o sistema nervoso. “É responsável pela
regulação de apetite, níveis de energia, emoções, atitudes,
aprendizado e memória.”
Desse modo, as pessoas costumam sentir o
intestino mais “solto” quando estão ansiosas pelo simples
fato desse órgão ter ligação direta com o cérebro. “Por isso
quando em situações de estresse podemos perceber
aquela dor de barriga, náuseas, episódios de diarreia,
alterações de humor e irritabilidade e sensação de coração
acelerado”, explica Dr. Carlos.
Se você não buscar controlar suas emoções, o
intestino acaba recebendo os impactos destas descargas
hormonais.
Talvez o crescente número de câncer no intestino
tem relação com anos de abuso de descontrole emocional
que geram anomalia na reprodução celular, surgindo
células cancerígenas.
0000
Dr. Christiano Makoto Sakai em 20 de dez. de 2021
publicou o seguinte artigo:
Como a ansiedade afeta a saúde do seu intestino.
Afinal, a ansiedade pode ter relação com nosso
intestino? Para responder essa questão, vamos primeiro
pensar em situações reais.
Você já sentiu que estava ansioso antes de ir para
algum evento ou antes de realizar uma apresentação e isso
acabou te causando uma dor forte na barriga, resultando
em diarreia?
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 60 ]
São situações cotidianas com as quais muitas
pessoas irão se identificar. Percebemos o quanto nossas
emoções, incluindo a ansiedade, estão diretamente
relacionadas com nosso intestino.
Nesse artigo, vamos te explicar qual a relação do
nosso intestino com as nossas emoções e porque, quando
estamos ansiosos, o funcionamento desse órgão é
alterado. Continue a leitura!
Como o intestino reage quando estamos ansiosos
Sabemos que a ansiedade é uma condição de
saúde da mente que gera diversos sintomas, tanto mentais
quanto físicos. Alguns exemplos destes sintomas são:
calafrios, dor no peito, medo, insônia, angústia, tensão
muscular, tontura e, até mesmo, a tão temida diarreia.
O que, talvez, você ainda não saiba é que o
intestino é considerado o nosso segundo cérebro, ou seja,
o segundo centro de controle do corpo humano.
Isso porque ele possui uma rede de
neurotransmissores tão grande quanto o cérebro e é
responsável, inclusive, pela produção de alguns hormônios
como a serotonina (hormônio do bem-estar).
Dessa forma, quando nos sentimos ansiosos e/ou
angustiados os mensageiros químicos transmitem sinais
para o nosso intestino e ele responde por meio de sintomas
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 61 ]
físicos como alguns dos citados acima, além de náuseas e
suor nas mãos.
A diarreia é mais frequente em quem sofre da
síndrome do intestino irritável.
Síndrome do Intestino Irritável (SII) e a ansiedade
Você já ouviu falar da Síndrome do Intestino
Irritável? É uma condição que pode afetar até 15% da
população e que causa alterações no sistema digestivo,
fazendo com que o intestino funcione de forma anormal.
CAUSA
Os motivos que levam uma pessoa a desenvolver
a Síndrome ainda são um pouco desconhecidos, já que
não se trata de uma doença ou de um defeito anatômico e
tão pouco pode causar outros males gastrointestinais. Na
realidade, estudos têm mostrado que o intestino pode ter a
sensibilidade aumentada em momentos de ansiedade e
estresse.
Agora você deve estar se perguntando, como uma
questão psicológica pode afetar diretamente nosso
intestino?
Isso acontece porque o estresse, a ansiedade e
até a raiva podem estimular o cólon, que apresenta nervos
ligados diretamente ao nosso cérebro que servem para
manter as contrações do intestino em ritmo normal. Ao se
sentir ansioso ou com estresse, essas vias ficam agitadas
e acabam causando desconforto abdominal ou diarreia.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 62 ]
SINTOMAS
Por ser uma condição crônica, os sintomas da SII
podem variar bastante de pessoa para pessoa, algumas
podem ter sintomas mais leves e outras um pouco mais
graves como febre, anemia e perda de peso. Veja outros
sintomas que você deve se atentar:
● Dor abdominal;
● Gás e inchaço excessivos;
● Mudança nos hábitos intestinais;
● Diarreia e/ou constipação.
TRATAMENTOS
É primordial saber, primeiro, em que circunstâncias
a síndrome ocorreu, para assim identificar o melhor
tratamento. Após passar por um médico especialista, o
tratamento pode ser feito a partir de medicações para
aliviar os possíveis sintomas, podendo ser eles laxantes,
probióticos ou calmantes para ajudar a reduzir as
contrações nos intestinos.
Caso você sinta que seu estado mental esteja
afetando o seu intestino, procure também um psicólogo
para conversar e ajudar com a ansiedade e estresse.
Assim você consegue fazer um acompanhamento também
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 63 ]
com um médico gastrointestinal para seguir com um
tratamento completo.
Para receber orientações personalizadas de uma
equipe especializada sobre a saúde de seu intestino, conte
com o Centro Paulista de Endoscopia! [15]
16 aula - Psico-oncologia
Ciência que estuda a relação do estado emocional
e o câncer.
A influência das emoções na saúde humana, já
apontada pelo grego Hipócrates no século IV a.C., recebe
atenção cada vez maior na área médica. Na Unesp, várias
pesquisas associam as condições emocionais dos
pacientes ao aparecimento e tratamento das doenças.
Uma das linhas de investigação destaca a relação do
câncer entre mulheres com problemas como estresse,
distúrbios familiares e conjugais.
A relação entre as emoções e o surgimento de
alguns tipos de câncer ou outras doenças devastadoras já
é estudada ultimamente com maior seriedade. O
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 64 ]
surgimento de doenças após longo períodos de estresse
não é raro. A imunidade baixa contribui para infecções e
vírus atacarem.
Evidências mostram que os sentimentos podem
ser um fator importante no desenvolvimento da doença.
Alguns estudos nessa linha estão publicados no livro
“Psico-Oncologia: Caminhos e Perspectivas”, organizado
pela psicóloga Carmen Maria Bueno Neme, pesquisadora
na área da saúde e desenvolvimento humano da
Faculdade de Ciências da Unesp de Bauru.
Algumas pesquisas sugerem que a ação do
estresse sobre o organismo humano pode provocar
modificações funcionais em células, diminuição de
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 65 ]
linfócitos e de imunoglobina, atuando na redução das
defesas do corpo.
Se a sua mente e coração não for blindado com
bons sentimentos e boas atitudes, o mal entra na sua
psiquê e logo ataca o corpo físico.
Hoje já sabemos que a maioria das doenças é
multideterminada e que há uma confluência de fatores
(genéticos, biológicos, psicológicos, ambientais,
alimentares, de comportamentos e hábitos, etc.)
envolvidos em seu surgimento”.
Segundo estudos, os tumores podem surgir como
um indicativo de problemas emocionais acumulados e mal
gerenciados, principalmente após um evento estressante
como a morte de um ente querido, um divórcio, uma
demissão, entre outras situações desgastantes.
O Dr. Silvio Bromberg escreveu o seguinte artigo
sobre este tema:
Compreender o adoecer é algo que fascina e
desafia o ser humano desde os tempos mais remotos. A
medicina moderna aceita há algum tempo a influência das
emoções no surgimento de doenças como o câncer, por
exemplo.
Segundo estudos, os tumores podem surgir como
um indicativo de problemas emocionais acumulados e mal
gerenciados, principalmente após um evento estressante
como a morte de um ente querido, um divórcio, uma
demissão, entre outras situações desgastantes.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 66 ]
De acordo com alguns especialistas, sentimentos
como raiva, desespero, tristeza, angústia e medo podem
disparar um conjunto de reações fisiológicas que derrubam
as defesas naturais do corpo, tornando o organismo
susceptível ao crescimento de células anormais. Esse
desequilíbrio é mental, hormonal, orgânico e psicológico.
No entanto, um dos fatores mais significativos no
processo de adoecimento é o estresse crônico,
consequência de uma rotina desgastante, pequenas
frustações, problemas financeiros, de relacionamento,
entre outros, que minam a saúde e podem gerar diversas
doenças, desde resfriados constantes até um câncer.
Sendo assim, é importante perceber que a maneira
com que lidamos com os problemas do dia a dia pode sim
influenciar a nossa saúde, gerando doenças e
desequilíbrios. Se adoecemos porque não conseguimos
gerenciar nossas emoções, podemos ficar saudáveis se
aprendermos a respeitar, compreender e lidar bem com os
nossos sentimentos.
Ter uma boa saúde e ficar longe do câncer e de
outras doenças depende da harmonia entre o corpo e a
mente. Aprenda a escutar o que seu corpo fala para você.
Uma febre, uma dor, um resfriado crônico, seja qual for o
sintoma físico, pode ter sido causado por uma emoção mal
gerenciada.
Dicas
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 67 ]
Faça uma faxina interior, liberte-se do passado,
viva o hoje e tenha uma perspectiva positiva para o futuro
Livre-se do estresse, encontre uma atividade que
lhe dê prazer como dançar, pintar, viajar, estudar ou
caminhar, etc.
Ame em primeiro lugar a pessoa mais importante
do mundo: VOCÊ!
Acredite que merece as coisas boas da vida
Faça todos os dias pelo menos uma coisa que te
deixe feliz
Invista no seu autoconhecimento
Cultive a felicidade [16]
17 aula - o ódio consome tudo
Ódio e rancor destrói o cérebro. Trava o cérebro e
não consegue pensar em outra coisa.
Libere perdão e você libertará sua mente.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 68 ]
Perdoar exige alguns passos e “previne”
hipertensão e obesidadeAlém de trazer estresse e
prejudicar a qualidade do sono, nutrir sentimentos
negativos influencia no desenvolvimento de doenças como
gastrite, hipertensão, diabete e obesidade
Raquel Derevecki em 13/01/2019 publicou o
seguinte artigo sobre este tópico:
Para perdoar, é necessário colocar-se no lugar da
pessoa que lhe magoou, sabendo que todos podem
cometer falhas.
Para muitas pessoas, perdoar membros do círculo
familiar, amigos ou colegas de trabalho que os
decepcionaram é quase impossível. Isso acontece quando
não há mais confiança ou quando os laços que os
aproximavam são cortados pelas ofensas. No entanto,
vencer a mágoa e oferecer perdão é necessário para
garantir a saúde de quem se sentiu ofendido.
Segundo a especialista em psicologia clínica
Patricia Santiago, isso ocorre porque, além de tirar a paz,
gerar estresse e prejudicar a qualidade do sono, o fato de
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 69 ]
nutrir sentimentos negativos influencia no desenvolvimento
de diversas doenças como gastrite, hipertensão, diabete e
obesidade. “Ou seja, o sofrimento é muito maior”, garante.
E para tratar essas e outras doenças
desencadeadas por sentimentos negativos é necessário
mais do que visitas constantes ao médico ou o uso de
medicamentos. “Tenho atendido pacientes que, após
diminuírem o estresse causado pela mágoa e pelo ódio,
melhoraram seus quadros de hipertensão e diabete, por
exemplo”. Essa melhora, segundo a especialista, ocorre
quando o paciente decide perdoar quem o magoou,
aliviando sua carga emocional. No entanto, o processo
para isso exige alguns passos. Veja quais são:
Passo 1: Reconhecer os sintomas
A Associação Americana do Coração e o Colégio
Americano de Cardiologia atualizaram os limites
considerados normais para a pressão arterial.
De acordo com a especialista, o processo de
perdão é tão intenso como o processo do luto. “Quando
nos magoamos, há o luto das nossas expectativas e ainda
há o luto pelo rompimento do relacionamento, já que o
individuo não quer mais falar com o outro”, afirma a
psicóloga.
Isso gera estresse e ativa a produção de
adrenalina, hormônio que prepara o organismo para
atividades que exigem esforço intenso. “Toda vez que nos
sentimos ameaçados ou descontentes, temos
sinalizadores internos que deixam o corpo pronto para
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 70 ]
ação. Com isso, suamos mais e o coração fica acelerado,
com sensação de disparo cardíaco”, afirma.
Essa reação corporal auxilia em casos de risco,
quando há necessidade fuga, ataque ou outro movimento
rápido. No entanto, não pode ser constante porque a alta
produção da adrenalina exige trabalho árduo do
organismo, aumentando a pressão sanguínea.
“Quando você pisa fundo no acelerador de um
carro, por exemplo, o veículo consumirá mais combustível
e exigirá muito mais da parte mecânica. O mesmo ocorre
com o corpo humano, onde a sobrecarga na pressão
sanguínea pode influenciar no desenvolvimento da
hipertensão e de outras doenças, conforme a genética e os
hábitos”, compara a psicóloga.
Aumento de peso e insônia também podem atingir
pessoas que nutrem sentimentos de mágoa, ódio, desejo
de vingança ou rancor, pois eles influenciam no descanso
e nos hábitos alimentares. “O cérebro passa a pedir
produtos energéticos, então há o desejo de comer o que é
rico em açúcar, como o chocolate”.
Para fazer o procedimento, os médicos avaliam
quatro critérios: idade, índice de massa corporal, outras
doenças associadas e o tempo de doença.
Passo 2: Conversar com alguém de confiança
Ao perceber que está nutrindo sentimentos
negativos ou reconhecer algum sintoma, é necessário falar
com alguém a respeito do assunto. “Os sentimentos são
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 71 ]
subjetivos, então não dá para organizá-los da forma como
fazemos com nossa escrivaninha, separando os objetos e
colocando de um lado para o outro. Por isso, falar é a
melhor maneira de o cérebro se organizar”, orienta Patricia.
Mas não dá para sair conversando com qualquer
um. Segundo a especialista, ao abrir seus sentimentos com
alguém, é necessário que a pessoa escolhida seja de
confiança, para evitar que os segredos se espalhem. “O
ideal é falar com alguém da família, um amigo íntimo ou
com um terapeuta, que é capacitado para ouvi-lo de forma
neutra”.
Passo 3: Ter empatia
Durante a conversa com esse familiar, amigo ou
terapeuta, é necessário colocar-se no lugar da pessoa que
lhe magoou, pois todos podem cometer falhas.
“Precisamos entender que não somos perfeitos o suficiente
nem mesmo para atender nossas próprias expectativas, e
que a situação é ainda mais difícil quando pensamos em
atender a expectativa do outro”, afirma a psicóloga.
Além disso, é necessário deixar o ego de lado,
deixando de lado a posição de “dono da razão”. “Enquanto
você estiver carregando toda a razão no seu colo, não
poderá enxergar o lado do outro porque há algo
prejudicando seu olhar. Então, antes de conseguir perdoar,
será necessário abdicar de ter razão e de engrandecer seu
ego”.
Passo 4: Conversar de forma assertiva
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 72 ]
Com empatia, será possível entrar em contato com
a pessoa que lhe magoou para ouvir o outro lado da
história. Isso o ajudará a entender os motivos que
causaram o desentendimento e poderá resolver a situação.
No entanto, essa conversa precisa ser assertiva,
transmitindo as ideias e sentimentos dos envolvidos de
forma segura, sem dúvidas ou falhas que tragam novos
conflitos ou mal-entendidos.
“Podem existir problemas na maneira como você
aprendeu a se comunicar. Talvez você não tenha
aprendido a ouvir ou só consegue falar de forma agressiva,
sempre acusando. Isso faz com que o outro não consiga
se comunicar com você”, esclarece Patricia.
Nesses casos, é necessário treinamento de
assertividade para corrigir as falhas de diálogo. Isso pode
ser realizado com o auxílio de um terapeuta, que também
ajudará na “tradução” do que realmente se queria dizer
quando as coisas fugiram do controle. “A pessoa pode ter
falado sem pensar, ter escolhido mal as palavras ou nem
ter falado aquilo, como ocorre na brincadeira ‘telefone sem
fio’, em que a informação muda completamente ao passar
de uma pessoa para outra”.
Como essa conversa assertiva não é possível nos
casos em que um dos indivíduos envolvidos já é falecido,
por exemplo, a explanação da mágoa também pode
ocorrer por meio de cartas. “Escreva como se fosse literal,
mostrando como aquilo o incomodou. Isso vai materializar
o que aconteceu e ajudá-lo a lidar com essas emoções”,
aconselha a especialista.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 73 ]
Passo 5: Escolher perdoar
Após dizer “eu te perdoo” é necessário escolher
perdoar e estar disposto a tratar as feridas até alcançar a
cura completa.
Apenas colocar-se no lugar do outro e ouvir o outro
lado da história podem não ser suficientes para enterrar a
mágoa e seguir em frente. Nesses casos, o maior passo a
ser alcançado é amar-se.
“O próprio Deus fala na Bíblia [em Isaías 43:25]
que nos perdoa por amor a Ele mesmo. Ou seja, nós
devemos perdoar os outros como uma forma de ter amor
próprio, deixando de lado aquilo que nos faz sofrer”, pontua
Patrícia.
Para isso, após dizer “eu te perdoo” é preciso
escolher perdoar e estar disposto a tratar as feridas até
alcançar a cura completa. “No início você ainda vai sentir a
mágoa e estará incomodado porque as coisas ainda não
estão organizadas”. No entanto, a especialista garante que
essa dor diminuirá com o tempo. “Primeiro proponha-se a
perdoar. Depois, os sentimentos mudarão e você não
sentirá mais esse incômodo ao lembrar do fato”, finaliza.
[17]
18 - Alegria é remédio
O coração alegre serve de bom remédio; mas o
espírito abatido seca os ossos. Provérbios 17.22
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 74 ]
Letícia Fontes teve o artigo abaixo publicado em 6
de outubro de 2020 sobre a importância de rir como
remédio.
Dizem que “rir é o melhor remédio”. A frase,
inclusive, poderia estar estampada em qualquer livro de
autoajuda. Você pode até ficar com preguiça, revirar os
olhos para o ditado popular e achar que isso é encarar o
mundo com os olhos de Pollyana, mas o famoso jargão tem
respaldo científico. A ciência tem provado, nos últimos
anos, que, para melhorar a saúde, não bastam apenas
hábitos saudáveis, como não fumar, ter uma dieta
balanceada e praticar exercícios físicos regularmente.
Segundo os especialistas, o bom humor fortalece o sistema
imunológico, ajuda na prevenção de doenças, aumenta a
energia e ainda é antídoto para o estresse e as dores. Um
estudo realizado por pesquisadores da Universidade de
Oxford, no Reino Unido, comprova: rir reduz em até 10% a
sensação de dor.
E tem mais: alguns estudiosos ainda garantem que
o riso e o bom humor protegem até o coração, melhorando
a ventilação pulmonar e o fluxo sanguíneo, protegendo
contra problemas cardiovasculares e melhorando até o
desempenho sexual. Uma pesquisa realizada com idosos
no Japão mostrou que pacientes mais bem-humorados
tinham menos riscos de doenças cardiovasculares graves.
Já outro levantamento publicado na Noruega revelou que
ter o senso de humor em dia está também diretamente
associado a uma maior expectativa de vida.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 75 ]
Mas, se você ainda não está convencido, calma.
Pesquisadores da Universidade Loma Linda, na Califórnia,
nos Estados Unidos, provaram que o bom humor é um forte
aliado até para o bem-estar profissional. Segundo o
estudo, pessoas bem-humoradas conseguem se adaptar e
lidar melhor com situações adversas. O riso, de acordo
com a pesquisa, ajuda, inclusive, a melhorar a memória e
o aprendizado uma vez que diminui os hormônios do
estresse. Não é à toa que a psiconeuroimunologia é uma
nova especialidade da medicina que estuda a maneira pela
qual as emoções influem no sistema imunológico.
Para Tatiana Mourão, professora do Departamento
de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG, a
boa notícia é que rir não tem preço nem contraindicação.
Segundo alguns estudos, um bom sorriso no rosto deixa os
músculos relaxados por até 45 minutos, aliviando a tensão
física e o estresse. Um estudo norte-americano ainda dá a
dica: três minutos de boas risadas equivalem a dez minutos
de exercício de remo.
“Quando damos uma boa gargalhada, isso é, uma
gargalhada de verdade, inúmeras alterações biológicas
ocorrem em nosso organismo, que vai de alterações em
hormônios, como a diminuição do cortisol, até alterações
biológicas no sistema cardiovascular e liberação de
endorfinas”, explica a especialista, que garante que o bom
humor auxilia até na capacidade de resiliência.
“Devemos sempre nos cercar de uma pitada de
humor, procurar enxergar perspectivas favoráveis a
despeito das dificuldades, saber que tudo passa, inclusive
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 76 ]
os momentos difíceis. Essa atitude de enfrentar as dores
de forma otimista e com senso de humor abre portas para
soluções criativas e é uma maneira de desenvolvermos
uma capacidade importante de enfrentar situações
adversas, ajuda na preservação da saúde mental e física;
além disso, permite que a pessoa tenha mais disposição
para procurar atividades, como exercícios e dieta, que
também ajudam a manter a saúde”, destaca.
Autoajuda
Se as pesquisas não te convenceram até agora e
você continua achando que isso é papo de livro de
autoajuda, temos outro argumento. A ciência já mostrou
que pessoas mal-humoradas liberam hormônios que
causam palpitações, dores de cabeça, arritmia e até
dificuldade de digestão. Em níveis extremos, o mau humor
pode até predispor derrame cerebral, infarto e câncer. E os
especialistas garantem que, se o bom humor contagia, o
peso de ser mal-humorado também afeta todos à nossa
volta.
“A saúde é um estado geral de bem-estar físico,
mental e social. A saúde não depende apenas da doença,
mas também de um estado de bem-estar. Por isso,
permanecer constantemente mal-humorado pode trazer
prejuízos às nossas relações sociais, aumentar os níveis
de estresse e aumentar a chance de quadros de depressão
e ansiedade”, avalia a psiquiatra, Kelly Robis, professora
da UFMG e da PUC Minas.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 77 ]
E a médica Tatiana Mourão reforça: “O mau humor
constante é um problema. A pessoa mal-humorada possui
dificuldades de lidar com suas próprias dores assim como
ser empática com outras pessoas. Já estamos num
período muito difícil, a pandemia traz inúmeras perdas,
seja morte de pessoas ao nosso redor, perda de um estilo
de vida com maior socialização, perdas econômicas e na
área da educação. Não se trata de negar tudo que está
acontecendo. Mas olhar com algum senso de humor
situações do nosso cotidiano, ler ou assistir a algo que nos
faça dar uma boa gargalhada. Podemos também ter
contato, mesmo que remoto, com pessoas que nos façam
rir um pouco apesar dos momentos sombrios”, pontua.
Porém, ser bem-humorado não é ser palhaço e rir
de tudo e de todos. A jornalista Leila Ferreira, autora do
livro “A Arte de Ser Leve”, entende que é difícil não ser
ranzinza e fechar a cara naqueles momentos em que tudo
parece dar errado. E tudo bem ter momentos de mau
humor e tristeza, os sentimentos também são inevitáveis,
garante Leila.
“Bom humor não é ficar rindo o tempo todo nem
viver uma alegria permanente, algo fabricado e de
aparência. A vida nos dá, sim, motivos para ter momentos
e até semanas de mau humor, mas ele é tóxico. Sou capaz
de passar uma vida com uma pessoa deprimida, mas
consigo conversar apenas dez minutos com uma pessoa
mal-humorada. Mas isso não é fingir que está bem quando
não está. É importante viver as tristezas e angústias; não
se trata de camuflar esses estados de espírito, mas é ter
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 78 ]
capacidade de entender que a vida é feita desses e de
tantos outros estados”, aconselha.
"O riso é altamente social e nos ajuda a nos
conectar com as outras pessoas, além de reduzir os níveis
de estresse e trazer sentimentos de satisfação. Por outro
lado, aceitar que as emoções, ainda que negativas, se
conectem com as nossas vivências, está relacionada a
uma maior sensação de felicidade e não uma redução. Na
nossa cultura, esperamos nos sentirmos bem o tempo
todo. Mesmo quando nos sentimos bem, nós ainda
pensamos que deveríamos estar ainda melhor. Essa
expectativa nos leva a uma constante frustração o que
pode nos tornar menos felizes no geral e isso pode ser
muito prejudicial à nossa saúde", completa a psiquiatra,
Kelly Robis.
Como ser bem-humorado
- O primeiro passo, segundo os especialistas, é
investir na produção dos hormônios que formam o
chamado “quarteto da felicidade”. A serotonina, a
endorfina, a ocitocina e a dopamina são os hormônios
responsáveis pela sensação de bem-estar e prazer. E,
para isso, a dica é se exercitar regularmente e manter uma
dieta balanceada. Os especialistas alertam que, quando
em desequilíbrio no organismo, o quarteto pode provocar
estresse, insônia, desânimo, ganho de peso e, claro, mau
humor.
- Alimentos ricos em vitamina B, como salmão,
batata, abacate e espinafre, além de ajudar na
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA
[ 79 ]
desintoxicação corporal, são excelentes aliados na
produção de serotonina. Já os alimentos ricos em
magnésio, a exemplo de feijão, banana, nozes, castanhas
e amêndoas, vão te ajudar até a regular os nervos e as
emoções. Os alimentos ajudam a melhorar o humor e são
antidepressivos naturais. E pode ficar despreocupado; o
chocolate não fica de fora desta lista. A versão amarga, que
possui 70% de cacau na composição, também está
liberada pelos médicos.
- Tenha momentos de respiro. A dica é da jornalista
Leila Ferreira, que garante que esquecer as obrigações por
alguns instantes e se dedicar ao descanso é essencial para
o bom funcionamento do organismo. E não precisa se
preocupar em se dedicar a grandes atividades para isso,
ouvir uma música, tomar sol, meditar ou passar cinco
minutos brincando com seu cachorro pode te garantir
momentos de alívio e bom humor durante todo o dia. “Faça
pausas nem que seja para ficar à toa cinco minutos e
silenciar a mente por dez. Desligue o celular, tenha
conversas presentes. As pessoas tentam ser
interessantes, mas é melhor ser interessada pelo outro e
pelo mundo. Quando não estiver bem ou se estiver mal-
humorado, fale, converse. Mostrar sua fragilidade faz com
que o próximo te entenda e te ajude”, aconselha a
palestrante.
- Agradeça pelas coisas boas que aconteceram em
sua vida. Fazer uma lista e lembrar de suas conquistas te
distância dos pensamentos negativos.
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]
MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]

O SEGREDO
O SEGREDOO SEGREDO
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
Arlen Xavier
 
O Segredo Completo
O Segredo   CompletoO Segredo   Completo
O Segredo Completo
FrancescoLopes
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
Mizuji Kajii
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
QSEJAETERNO
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
wolney
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
ernandof
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
JoaoPL
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
IARA FAGUNDES
 
O segredo - completo
O segredo - completoO segredo - completo
O segredo - completo
christall2009
 
O segredo completo
O segredo completoO segredo completo
O segredo completo
washington carlos vieira
 
O Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do DocumentrioO Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do Documentrio
Luis Barbosa
 
O Segredo - Apresentação do Documentário
O Segredo - Apresentação do DocumentárioO Segredo - Apresentação do Documentário
O Segredo - Apresentação do Documentário
🎯Renatho Sinuma MBA™®🎓
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
lauromarotta
 
Osegredo Completo
Osegredo CompletoOsegredo Completo
Osegredo Completo
Marlene Camargo
 
O Segredo Completo - The Secret - The Movie
O Segredo Completo - The Secret - The MovieO Segredo Completo - The Secret - The Movie
O Segredo Completo - The Secret - The Movie
Cir Premier Hospital
 
O Segredo Completo
O Segredo Completo O Segredo Completo
O Segredo Completo
Lord Phoenix
 
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION !
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION  !"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION  !
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION !
Diramar Costa
 
O Segredo Completo
O  Segredo  CompletoO  Segredo  Completo
O Segredo Completo
guestbca2da
 
Segredo : Lei De Atracao
Segredo :  Lei De AtracaoSegredo :  Lei De Atracao
Segredo : Lei De Atracao
Pupi Crystel
 

Semelhante a MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL] (20)

O SEGREDO
O SEGREDOO SEGREDO
O SEGREDO
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
 
O Segredo Completo
O Segredo   CompletoO Segredo   Completo
O Segredo Completo
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
 
O Segredo
O SegredoO Segredo
O Segredo
 
O segredo - completo
O segredo - completoO segredo - completo
O segredo - completo
 
O segredo completo
O segredo completoO segredo completo
O segredo completo
 
O Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do DocumentrioO Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do Documentrio
 
O Segredo - Apresentação do Documentário
O Segredo - Apresentação do DocumentárioO Segredo - Apresentação do Documentário
O Segredo - Apresentação do Documentário
 
O Segredo Completo
O Segredo CompletoO Segredo Completo
O Segredo Completo
 
Osegredo Completo
Osegredo CompletoOsegredo Completo
Osegredo Completo
 
O Segredo Completo - The Secret - The Movie
O Segredo Completo - The Secret - The MovieO Segredo Completo - The Secret - The Movie
O Segredo Completo - The Secret - The Movie
 
O Segredo Completo
O Segredo Completo O Segredo Completo
O Segredo Completo
 
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION !
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION  !"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION  !
"THE SECRET "THE LAW OF THE ATTRACTION !
 
O Segredo Completo
O  Segredo  CompletoO  Segredo  Completo
O Segredo Completo
 
Segredo : Lei De Atracao
Segredo :  Lei De AtracaoSegredo :  Lei De Atracao
Segredo : Lei De Atracao
 

Mais de ESCRIBA DE CRISTO

O EXÓTICO MAR MORTO [TERRAS BÍBLICAS]
O EXÓTICO MAR MORTO    [TERRAS BÍBLICAS]O EXÓTICO MAR MORTO    [TERRAS BÍBLICAS]
O EXÓTICO MAR MORTO [TERRAS BÍBLICAS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
ESCRIBA DE CRISTO
 
ガイドスタディバ 聖書研究ガイド - イブル: 神学とクリスチャン生活
ガイドスタディバ  聖書研究ガイド    -  イブル: 神学とクリスチャン生活ガイドスタディバ  聖書研究ガイド    -  イブル: 神学とクリスチャン生活
ガイドスタディバ 聖書研究ガイド - イブル: 神学とクリスチャン生活
ESCRIBA DE CRISTO
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A ERA DAS FAKE NEWS [COMUNICAÇÃO]
A ERA DAS FAKE NEWS        [COMUNICAÇÃO]A ERA DAS FAKE NEWS        [COMUNICAÇÃO]
A ERA DAS FAKE NEWS [COMUNICAÇÃO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
MÊNFIS NO EGITO [ EGIPTOLOGIA ]
MÊNFIS NO EGITO          [ EGIPTOLOGIA ]MÊNFIS NO EGITO          [ EGIPTOLOGIA ]
MÊNFIS NO EGITO [ EGIPTOLOGIA ]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMOA VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
ESCRIBA DE CRISTO
 
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Mais de ESCRIBA DE CRISTO (20)

O EXÓTICO MAR MORTO [TERRAS BÍBLICAS]
O EXÓTICO MAR MORTO    [TERRAS BÍBLICAS]O EXÓTICO MAR MORTO    [TERRAS BÍBLICAS]
O EXÓTICO MAR MORTO [TERRAS BÍBLICAS]
 
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
JERICÓ, A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO [TERRAS BÍBLICAS]
 
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [TERRAS BÍBLICAS]
 
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
OS BEDUÍNOS NA BÍBLIA E HOJE [ANTROPOLOGIA]
 
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
REFLEXÕES DO ESCRIBA DE CRISTO - VOLUME 2
 
ガイドスタディバ 聖書研究ガイド - イブル: 神学とクリスチャン生活
ガイドスタディバ  聖書研究ガイド    -  イブル: 神学とクリスチャン生活ガイドスタディバ  聖書研究ガイド    -  イブル: 神学とクリスチャン生活
ガイドスタディバ 聖書研究ガイド - イブル: 神学とクリスチャン生活
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
A ERA DAS FAKE NEWS [COMUNICAÇÃO]
A ERA DAS FAKE NEWS        [COMUNICAÇÃO]A ERA DAS FAKE NEWS        [COMUNICAÇÃO]
A ERA DAS FAKE NEWS [COMUNICAÇÃO]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
MÊNFIS NO EGITO [ EGIPTOLOGIA ]
MÊNFIS NO EGITO          [ EGIPTOLOGIA ]MÊNFIS NO EGITO          [ EGIPTOLOGIA ]
MÊNFIS NO EGITO [ EGIPTOLOGIA ]
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
Οδηγός Μελέτης της Bιβλoy [Θεολογία και χριστιανική ζωή]
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
CREATIONIST BIOLOGY - VOLUME 2 [CREATIONISM]
 
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMOA VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
A VITÓRIA DO JUDAISMO SOBRE O GERMANISMO
 
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
BELÉM ONDE JESUS NASCEU [TERRAS BÍBLICAS]
 
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
30 CONSELHOS DO SÁBIO SALOMÃO [BIBLIOLOGIA]
 
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
BASÍLICA DA NATIVIDADE EM BELÉM [CRISTIANISMO]
 

Último

Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
dantemalca
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
GleenseCartonilho
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 

Último (9)

Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 

MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [SAÚDE FÍSICA E MENTAL]

  • 2. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 2 ] FINALIDADE DESTA OBRA Este livro como os demais por mim publicados tem o intuito de levar os homens a se tornarem melhores, a amar a Deus acima de tudo e ao próximo com a si mesmo. Minhas obras não têm a finalidade de entretenimento, mas de provocar a reflexão sobre a nossa existência. Em Deus há resposta para tudo, mas a caminhada para o conhecimento é gradual e não alcançaremos respostas para tudo, porque nossa mente não tem espaço livre suficiente para suportar. Mas neste livro você encontrará algumas respostas para alguns dos dilemas de nossa existência. AUTOR: Escriba de Cristo é licenciado em Ciências Biológicas e História pela Universidade Metropolitana de Santos; possui curso superior em Gestão de Empresas pela UNIMONTE de Santos; é Bacharel em Teologia pela Faculdade das Assembléias de Deus de Santos; tem formação Técnica em Polícia Judiciária pela USP e dois diplomas de Harvard University dos EUA sobre Epístolas Paulinas e Manuscritos da Idade Média. Radialista profissional pelo SENAC de Santos, reconhecido pelo Ministério do Trabalho. Nasceu em Itabaiana/SE, em 1969. Em 1990 fundou o Centro de Evangelismo Universal; hoje se dedica a escrever livros e ao ministério de intercessão. Não tendo interesse em dar palestras ou participar de eventos, evitando convívio social.
  • 3. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 3 ] CONTRIBUIÇÃO PARA ESTA MISSÃO Esta versão do meu livro está disponível gratuitamente na internet. Se você a leu, gostou e lhe edificou, peço que faça uma doação ao meu ministério fazendo um pix, nem que seja de um dólar [ou cinco reais BR], assim continuaremos produzindo livros que edifiquem: PIX Valdemir Mota de Menezes, Banco do Brasil CPF 069 925 388 88 Este material literário do autor não tem fins lucrativos, nem lhe gera quaisquer tipos de receita. Sua satisfação consiste em contribuir para o bem da educação uma melhor qualidade de vida para todos os homens e seres vivos, e para glorificar o único Deus Todo-Poderoso. OBRIGADO PELA COLABORAÇÃO!
  • 4. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 4 ] CONTATO: Whatsapp Central de Ensinos Bíblicos com áudios, palestras e textos do Escriba de Cristo Grupo de estudo no whatsapp 55 13 996220766 com o Escriba de Cristo https://youtube.com/@escribadecristo Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP) M543 Central de Ensinos Bíblicos 1969 – MEDICINA PSICOSSOMÁTICA Canindé do São Francisco/SE, Livrorama Bibliomundi, Amazon.com, 2023, 119 p. ; 21 cm ISBN: 9798872805021 Edição 1° 1. Medicina psicossomática 2. Bíblia 3. Psicologia 4. Doenças 5.Emocional CDD 614 CDU 615.19
  • 5. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 5 ] Sumário Introdução ...............................................................................7 2 aula - Lei da atração .............................................................8 3 aula - O Medo.................................................................... 12 4 aula - Excesso de preocupação .......................................... 15 5 aula - Pessoas tristes........................................................... 21 6 aula - Tratamento hospitalar diferenciado.........................25 7 aula - Depressão .................................................................28 8 aula - Medicina psicossomática e sua aplicação................ 31 9 aula - Dor de cabeça...........................................................39 10 - perda de apetite............................................................... 41 11 aula - Diabete emocional ..................................................45 12 - Cure a alma e depois o corpo .........................................48 13 - Bom humor e saúde........................................................ 51 14 aula - Remorso ..................................................................54 15 - Nervosismo e o intestino................................................58 16 aula - Psico-oncologia.......................................................63
  • 6. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 6 ] 17 aula - o ódio consome tudo...............................................67 18 - Alegria é remédio............................................................73 19 - Paixão causa alteração no corpo ....................................85 20 aula - Adrenalina...............................................................90 21 aula - Rancor envelhece o corpo...................................... 91 22 aula - Cuidado ao dar má notícia. ....................................92 23 aula - Suspeita o mal.........................................................95 24 - Sistema respiratório........................................................96 25 aula - Sistema reprodutor feminino..................................99 26 aula - Sistema nervoso ......................................................99 27 aula - Reorganize sua vida, mente e coração ................. 103 28 - Esperança e otimismo.................................................. 104 29 aula - INSONIA.............................................................. 107 30 aula – Conclusão............................................................. 109
  • 7. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 7 ] Introdução A palavra PSICOSSOMATICA tem como raiz as palavras gregas: Psico (alma, mente), somática (corpo). É a parte da medicina que estuda os efeitos da mente sobre o corpo. Pessoas desajustadas emocionalmente tendem a ficarem mais doentes. Exemplo do efeito da mente sobre o corpo: uma pessoa recebe uma notícia da morte de um parente. O choque emocional é muitas vezes tão forte que o cérebro desarma o "disjuntor" e a pessoa desmaia. Em alguns casos a descarga de hormônios e adrenalina no coração é tão forte que a pessoa morre na hora ao receber uma notícia terrível. O que entra na sua mente ou coração pode em um instante te matar. Maus sentimentos de rancor e mágoa podem envenenar o organismo lentamente. A medicina psicossomática é uma concepção “holística” da medicina pluricausal que tem como objetivo estudar não a doença isolada, mas o homem doente, que é o paciente humanizado na sua mais completa perspectiva nosológica e ecológica. Numerosos argumentos parecem indicar a realidade das ligações clínicas e experimentais entre a vida emocional, os problemas psíquicos e o disfuncionamento de órgãos ou o aparecimento de lesões viscerais. Os estudos anatómicos e fisiológicos desempenham um papel capital ao nível do hipotálamo, do sistema límbico e dos diferentes sistemas neuroendocrinológicos (hipófise, corticoadrenal e
  • 8. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 8 ] medulloadrenal). No nível experimental, além de limitar as úlceras obtidas por diferentes técnicas no rato de laboratório, deve-se insistir nos experimentos de Weiss que mostraram que as úlceras pépticas do rato, sob certas condições, dependem de duas variáveis: o número de estímulos que o animal deve enfrentar e os feedbacks informativos mais ou menos úteis que recebe em troca. As investigações realizadas no doente mostram a importância dos problemas funcionais em relação às anomalias do sistema nervoso autônomo ou às anomalias dos gânglios intramurais, o que talvez explique a noção de órgãos-alvo dos problemas. Considerando os conceitos mais recentes que valorizam o papel dos fatores genéticos na determinação das doenças psicossomáticas, pode-se conceber que os determinantes psicológicos, afetivos ou ambientais, são cofatores que se integram a fatores somáticos, genéticos, constitucionais e nutricionais para produzir o quadro mórbido final. [1] 2 aula - Lei da atração Criminosos falam de crime com criminosos. Doentes falam de doenças com outros doentes. Sábios falam de sabedoria com outros sábios. Tolos falam tolices com outros tolos. Cristãos falam de Cristo com outros cristãos. Se você entrar no círculo vicioso de falar de dores e doenças, estas coisas vão potencializar em sua vida. A lei da atração é uma filosofia que sugere que pensamentos positivos trazem resultados positivos para a vida de uma pessoa, enquanto pensamentos negativos
  • 9. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 9 ] trazem resultados negativos. Baseia-se na crença de que os pensamentos são uma forma de energia e que a energia positiva atrai sucesso em todas as áreas da vida, incluindo saúde, finanças e relacionamentos. Com base nessas promessas grandiosas, surge a pergunta: a lei da atração é real? Embora a lei da atração tenha gerado atenção nos últimos anos devido a livros como “O Segredo”, ela carece de evidências científicas para suas afirmações e é geralmente vista como uma pseudociência. As Leis da Atração Como funciona a lei da atração? Essencialmente, a energia dos seus pensamentos manifesta as suas experiências. Portanto, pensamentos positivos manifestam experiências positivas e vice-versa. Existem princípios universais centrais que constituem a lei da atração: Semelhante atrai semelhante: Esta lei sugere que coisas semelhantes se atraem umas pelas outras. Significa que as pessoas tendem a atrair pessoas semelhantes a elas – mas também sugere que os pensamentos das pessoas tendem a atrair resultados semelhantes. Acredita- se que o pensamento negativo atrai experiências negativas, enquanto o pensamento positivo produz experiências desejáveis. A natureza abomina o vácuo: Esta lei da atração sugere que remover coisas negativas de sua vida pode abrir espaço para que coisas mais positivas tomem seu lugar. Baseia-se na noção de que é impossível ter um espaço completamente vazio na mente e na vida. Como
  • 10. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 10 ] algo sempre preencherá esse espaço, é importante preenchê-lo com positividade. O presente é sempre perfeito: Esta lei centra-se na ideia de que sempre há coisas que você pode fazer para melhorar o momento presente. Embora possa sempre parecer que o presente tem alguma falha, esta lei propõe que, em vez de sentir pavor ou infelicidade, você deve concentrar sua energia em encontrar maneiras de tornar o momento presente o melhor possível. Como usar a lei da atração Então, como você começa com a lei da atração? De acordo com esta filosofia, você cria sua própria realidade. Aquilo em que você se concentra é o que você atrai para sua vida. Sugere que o que você acredita que acontecerá em sua vida é o que acontece. Algumas coisas que você pode fazer para incorporar a lei da atração em sua vida incluem: Seja grato Visualize seus objetivos Procure os aspectos positivos de uma situação Aprenda como identificar o pensamento negativo Utilize afirmações positivas Reformule os eventos negativos de uma forma mais positiva Embora a lei da atração possa não ser uma solução imediata para todos os desafios da vida, ela pode ajudá-lo a aprender a cultivar uma visão mais otimista da
  • 11. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 11 ] vida. Também pode ajudá-lo a se manter motivado para continuar trabalhando em direção aos seus objetivos. Melhor bem-estar Utilizar a lei da atração também pode trazer impactos positivos no bem-estar mental. Ao focarmos em alcançar uma nova realidade e acreditarmos que ela é possível, tendemos a correr mais riscos, perceber mais oportunidades e nos abrir para novas possibilidades. Por outro lado, quando não acreditamos que algo está no campo das possibilidades para nós, tendemos a deixar as oportunidades passarem despercebidas. Quando acreditamos que não merecemos coisas boas, nos comportamos de maneiras que sabotam nossas chances de felicidade . Ao mudar nossa conversa interna e nossos sentimentos sobre a vida, revertemos os padrões negativos em nossas vidas e criamos padrões mais positivos, produtivos e saudáveis. Uma coisa boa leva a outra, e a direção de uma vida pode mudar de uma espiral descendente para uma ascensão ascendente. Um dos fundamentos de muitos tipos de terapia é que mudar sua conversa interna pode mudar sua vida em uma direção positiva. A terapia cognitivo-comportamental (TCC), um tratamento amplamente utilizado e eficaz para muitas condições, baseia-se na ideia de que identificar e alterar pensamentos negativos automáticos pode produzir efeitos positivos e ajudar as pessoas a alcançar um melhor bem-estar mental. Dicas para praticar a lei da atração
  • 12. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 12 ] Existem alguns exercícios que podem ajudá-lo a aprender a colocar em prática a lei da atração em sua vida. Algumas ideias incluem: Registro no diário: anotar seus pensamentos pode ajudá-lo a aprender melhor a reconhecer seus padrões habituais de pensamento para ver se você tende ao otimismo ou ao pessimismo e aprender mais sobre como mudar padrões negativos de pensamento. Faça um quadro de humor: crie um lembrete visual que o ajude a manter uma mentalidade positiva, permanecer motivado e focar em seus objetivos. Pratique a aceitação: em vez de focar no que está errado no presente ou no que precisa ser mudado, trabalhe para aceitar as coisas como elas são. Isso não significa que você não continuará a trabalhar em direção a um futuro melhor, significa apenas que não ficará atolado em desejar que as coisas sejam diferentes agora. Pratique o diálogo interno positivo: se você tem dificuldade em ser excessivamente autocrítico, estabeleça uma meta de se envolver em um diálogo interno positivo todos os dias. Com o tempo, isso pode acontecer com muito mais facilidade e você pode descobrir que é mais difícil manter uma mentalidade negativa. [2] 3 aula - O Medo
  • 13. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 13 ] Medo constante ou por qualquer coisa ataca o sistema nervoso, o sistema urinário, o sistema gástrico - intestinal, a visão etc. Já vi na delegacia policiais gritarem com um homem forte e ele urinou de fazer poça. Outro ao ser comunicado que ia ser preso, desmaiou. É comum as pessoas com medo a primeira coisa é o corpo se tremer. O sistema nervoso é afetado. Quando a pessoa está com muito medo em muitos casos a visão é afetada. Ou a pessoa fica com as pupilas abertas e passam a ficar por instantes com visão aguçada, ou passam a ficar com a visão embaraçada. Desregula momentaneamente o foco da visão. A medicina psicossomática estuda os efeitos fisiológicos dos sentimentos no corpo. O medo pode fazer que durante a descarga de hormônio a pessoa tenha força descomunal e possa fazer coisas que normalmente não faria como correr bastante ou escalar muro ou árvore. O medo é físico O medo é vivenciado em sua mente, mas desencadeia uma forte reação física em seu corpo. Assim que você reconhece o medo, sua amígdala (pequeno órgão no meio do cérebro) começa a funcionar. Ele alerta o sistema nervoso , o que aciona a resposta ao medo do corpo. Hormônios do estresse como cortisol e adrenalina são liberados. Sua pressão arterial e frequência cardíaca aumentam. Você começa a respirar mais rápido. Até
  • 14. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 14 ] mesmo o fluxo sanguíneo muda – o sangue realmente flui do coração para os membros, tornando mais fácil para você começar a dar socos ou correr para salvar sua vida. Seu corpo está se preparando para lutar ou fugir. O medo pode deixar você confuso À medida que algumas partes do seu cérebro aceleram, outras desligam. Quando a amígdala sente medo, o córtex cerebral (área do cérebro que controla o raciocínio e o julgamento) fica prejudicado – por isso agora é difícil tomar boas decisões ou pensar com clareza. Como resultado, você pode gritar e levantar as mãos quando for abordado por um ator em uma casa mal-assombrada, incapaz de racionalizar que a ameaça não é real. O medo pode se tornar prazer Mas por que as pessoas que amam montanhas- russas, casas mal-assombradas e filmes de terror gostam de ser apanhadas nesses momentos estressantes e de medo? Porque a emoção não termina necessariamente quando o passeio ou o filme termina. Através do processo de transferência de excitação , seu corpo e cérebro permanecem excitados mesmo após o término da experiência assustadora. “Durante uma experiência de medo encenada, seu cérebro produzirá mais de uma substância química chamada dopamina, que provoca prazer”, diz o Dr. Zachary Sikora. Medo não é fobia
  • 15. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 15 ] Se você está um pouco desconfortável em nadar no oceano depois de assistir “Tubarão”, o filme fez o que se propôs a fazer. Mas se você se sentir aterrorizado, traumatizado e incapaz de funcionar só de pensar em relaxar na praia, poderá estar sentindo mais do que apenas medo. A diferença entre medo e fobia é simples. Os medos são reações comuns a eventos ou objetos. Mas o medo se torna uma fobia quando interfere na sua capacidade de funcionar e manter uma qualidade de vida consistente. Se você começar a tomar medidas extremas para evitar água, aranhas ou pessoas, poderá ter uma fobia. O medo mantém você seguro “O medo é uma condição natural e biológica que todos nós experimentamos”, diz o Dr. Sikora. “É importante que sintamos medo porque ele nos mantém seguros.” O medo é uma emoção humana complexa que pode ser positiva e saudável, mas também pode ter consequências negativas. [3] 4 aula - Excesso de preocupação AVC e infarto são campeões em matar pessoas que não cuidam do emocional. Uma das virtudes cristãs é temperança.
  • 16. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 16 ] Efeitos da preocupação na saúde física e mental Se você já se perguntou se a preocupação pode deixá-lo doente, a resposta é um sonoro sim. Infelizmente, o termo doente preocupado é uma descrição bastante precisa do que está acontecendo. A preocupação crônica e constante pode causar problemas ao seu corpo, tanto física quanto mentalmente. Saúde física A preocupação excessiva pode afetar todos os sistemas do corpo, incluindo: Imune Respiratório Cardiovascular Gastrointestinal Musculoesquelético Endócrino Sistema nervoso Sistema reprodutivo Sistema imunológico Seu sistema imunológico é responsável por mantê- lo saudável. Um sistema imunológico funcional protege o corpo contra bactérias, vírus, fungos e toxinas. Quando o sistema imunológico é suprimido, o corpo fica mais suscetível a doenças. Infelizmente, muito estresse constante pode ter um impacto significativo no sistema imunológico. Estudos descobriram que o estresse crônico pode suprimir a imunidade humoral e celular. Isso significa que a
  • 17. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 17 ] ansiedade descontrolada pode tornar seu corpo incapaz de combater os patógenos e vírus habituais. Sistema respiratório O sistema respiratório inclui nariz, boca, pulmões e vias aéreas. Um sistema respiratório funcional permite que você respire e mova o ar para os pulmões. Infelizmente, além da imunidade reduzida, a preocupação crónica também está ligada ao aumento do risco de problemas respiratórios, incluindo asma e infecções respiratórias superiores. Além disso, estudos científicos associaram o stress crónico e a raiva à deterioração da função pulmonar . Sistema cardiovascular Seu sistema cardiovascular inclui coração, sangue e vasos sanguíneos. Sua principal função é transportar sangue rico em oxigênio para todas as partes do corpo. No entanto, o estresse crônico e a preocupação podem causar estragos no sistema cardiovascular, causando hipertensão e doenças cardiovasculares . Por exemplo, uma meta-análise de 20 estudos (incluindo mais de 250.000 indivíduos) descobriu que a ansiedade levou a um aumento de 26% no risco de doença arterial coronariana. Sistema gastrointestinal Seu sistema gastrointestinal (GI) tem uma função vital – digerir os alimentos que você ingere. Não só isso,
  • 18. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 18 ] mas também absorve os nutrientes necessários que o corpo necessita e excreta o restante pelo intestino. Quando ocorre o estresse, o corpo interrompe temporariamente o sistema digestivo para que a energia possa ir para a resposta de luta ou fuga do corpo. Durante um período de estresse crônico, o estômago não tem tempo para se recuperar, o que pode causar vários problemas gastrointestinais, como azia, indigestão ou prisão de ventre. Embora o estresse provavelmente não seja a causa da síndrome do intestino irritável (SII), altos níveis de preocupação crônica geralmente predizem o resultado clínico em pessoas que desenvolvem SII. Isso significa que pessoas com ansiedade mais consistente e grave podem apresentar os piores sintomas clínicos da SII. Sistema musculo-esquelético O sistema músculo-esquelético contém todas as partes móveis do corpo, incluindo ossos, músculos, ligamentos e tecido conjuntivo. Sua principal função é permitir o movimento e proteger os órgãos internos. O estresse crônico e a preocupação fazem com que seus músculos fiquem tensos por longos períodos e podem levar a problemas de saúde como dores de cabeça tensionais e enxaquecas. Sistema endócrino O sistema endócrino é responsável por regular os hormônios do corpo para o nível de energia, crescimento e
  • 19. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 19 ] desenvolvimento. Porém, quando o sistema está sob estresse extremo, ocorrem alterações nos níveis hormonais do corpo. Estresse e ansiedade consistentes podem resultar em distúrbios do sistema endócrino, como obesidade, disfunção gonadal ou doença de Graves. Sistema nervoso O sistema nervoso é um sistema de comunicação complexo que transmite sinais por todo o corpo. Quando o corpo sofre estresse prolongado, a ativação constante do sistema nervoso muitas vezes prejudica outros sistemas do corpo. Existe uma ligação entre desempenho cognitivo e estresse crônico. Quando o sistema nervoso está sob estresse ou ansiedade persistente, pode causar uma diminuição no desempenho cognitivo . Saúde mental Sua saúde mental é determinada por fatores genéticos, psicológicos, ambientais e de desenvolvimento. A preocupação crônica e o estresse podem desempenhar um papel importante na sua saúde mental e bem-estar geral. Transtorno de ansiedade generalizada (TAG) O transtorno de ansiedade generalizada , comumente conhecido como TAG, é a preocupação ou medo predominante na vida cotidiana. A preocupação constante está ligada ao TAG. A preocupação crônica
  • 20. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 20 ] geralmente começa com a preocupação com uma ou duas coisas importantes (por exemplo, dinheiro e trabalho), mas então seus padrões de pensamento se transformam em uma bola de neve e se tornam abrangentes. Como resultado, as pessoas com TAG estão frequentemente em constante estado de preocupação. Depressão A depressão é uma condição de saúde mental que afeta negativamente a maneira como você se sente em relação a si mesmo e ao ambiente. Algumas pesquisas sugerem que o estresse repetido pode tornar o cérebro suscetível à depressão. A preocupação constante leva a alterações neurodegenerativas no cérebro, deixando-o vulnerável a sintomas de depressão, incluindo, em casos extremos, pensamentos suicidas. Síndrome do pânico Pessoas com transtorno de pânico apresentam ataques de pânico frequentes e inesperados. Preocupar- se até ficar doente pode, na verdade, causar o desenvolvimento de transtorno de pânico em algumas pessoas. Embora o transtorno do pânico possa não ocorrer logo após um evento extremamente estressante, não é incomum que os sintomas ocorram semanas após a experiência. Às vezes, o transtorno do pânico leva a outras condições, como a agorafobia , que é o medo de sair de casa. Por exemplo, quando alguém tem um ataque de
  • 21. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 21 ] pânico inesperado num espaço público, pode começar a temer ter outro e, portanto, optar por ficar em casa na esperança de evitar o próximo ataque. Ansiedade social A ansiedade social é prevalente em pessoas que temem ambientes ou grupos sociais. A preocupação crônica pode levar à ansiedade social quando as pessoas não se sentem confortáveis perto de outras pessoas. [4] 5 aula - Pessoas tristes Você não sabe se a pessoa é triste e por isto está doente. Ou está triste porque ficou doente... Tristeza desarma o sistema imunológico e ativa a granada das doenças que pode explodir em qualquer órgão. A tristeza leva o organismo a autodestruição. As pessoas quando estão doentes uma das características é a queda do semblante. CARA DE TRISTEZA. Às vezes fingimos estar cansados, quando na realidade estamos tristes. Vamos ser sinceros, todos já experimentamos esse tipo de situação em algum momento. Quando somados ao cansaço com essa emoção contagiosa, lânguida e profunda que é tristeza, às vezes usamos o “médico do Google” para encontrar um possível
  • 22. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 22 ] diagnóstico. Vemos imediatamente termos como “depressão”, “anemia”, “hipotireoidismo” etc. Quando a tristeza se instala em nós, nós instantaneamente a concebemos como algo ruim, como algo patológico que devemos liberar instantaneamente, como aquele que sacode o pó ou a sujeira das roupas. Não gostamos e queremos nos defender sem sequer parar para entender sua anatomia, conhecer seus contornos melancólicos para adquirir um aprendizado muito mais profundo sobre nós mesmos. De fato, às vezes esquecemos que a tristeza não é um distúrbio, que tristeza e depressão não são idênticas. Enquanto essa emoção não se estender ao longo do tempo e não interferir continuamente em nosso modo de vida, temos uma boa oportunidade, por mais paradoxal que seja, para progredir e crescer como pessoas. Estamos constantemente cansados, mas sob esse cansaço muitas vezes existe outra coisa Às vezes, passamos por momentos como este, onde vamos para a cama cansados e acordamos no mesmo estado. Podemos consultar o médico, as análises dirão até que não há desequilíbrio hormonal, deficiência de ferro ou outras patologias de origem orgânica. É muito provável que o profissional de saúde nos diga que pode ser a mudança de estação, uma pequena distimia típica do outono ou da primavera. Algo muito leve e que será resolvido por meio de tratamento farmacológico pontual e com tempo limitado.
  • 23. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 23 ] Agora, existem estados emocionais que não exigem que o uso da farmacopeia seja resolvido. No entanto, quando sentimos seu impacto psicossomático em nosso corpo, é normal estarmos preocupados e cometemos o erro de tratar o sintoma sem antes abordar a fonte do problema: tristeza. Por que nos sentimos cansados quando estamos tristes? Os mecanismos cerebrais que governam nossos estados emocionais diferem consideravelmente um do outro. Embora a alegria ou derrame gere toda uma série de hiperatividade e conexões em nossas células e regiões do cérebro, a tristeza é muito mais austera e prefere economizar recursos. No entanto, faz isso com um objetivo muito específico. Vamos ver isso em detalhes. A tristeza gera em nosso organismo uma diminuição muito notável de energia. Além disso, sentimos a necessidade de limitar nossas relações sociais, que nos incomodam, o barulho pode até nos perturbar, até mesmo o de nosso próprio ambiente se torna algo ruim, e preferimos de longe a solidão. Também é interessante saber que a estrutura que assume o controle de nosso cérebro é a amígdala, mas cuidado, apenas uma parte dela, especialmente a parte correta. Essa pequena região do cérebro é a que induz esse sentimento de lembrança, inatividade, exaustão física … Toda essa descida de energia tem um fim em si: incentivar a introspecção.
  • 24. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 24 ] Além disso, estados de tristeza reduzem nossa capacidade de prestar atenção a todos os estímulos externos ao nosso redor. Isso é por uma razão mais do que óbvia: o cérebro tenta nos dizer que é hora de parar e pensar, pensar em certos aspectos de nossas vidas. O que precisamos aprender sobre esses estados ocasionais associados à tristeza A tristeza ocasional, que nos envolve por alguns dias e nos faz sentir cansados, arrependidos e desconectados de nossa realidade, é algo que não podemos ignorar. Tratar os sintomas, resolver nossa fadiga com vitaminas ou nossa dor de cabeça com analgésicos é inútil se não alcançarmos a verdadeira raiz do problema. Se não o fizermos, se não pararmos e não levarmos em conta o que nos incomoda ou nos preocupa, é possível que essa bola cresça e a tristeza se espalhe. Portanto, pode ser útil pensar em várias dimensões inerentes a essa emoção, o que sem dúvida esclarecerá alguns pequenos detalhes. Três “virtudes” da tristeza que devemos entender A Tristeza é um aviso. Como mencionado anteriormente, a perda de energia, a fadiga e a falta de recursos mentais para avançar diariamente são apenas os sintomas de um problema óbvio que devemos resolver. Tristeza como resultado do desapego. Às vezes, nosso próprio cérebro nos alerta sobre algo que nossa mente consciente falha em assumir: “É hora de terminar esse relacionamento”, “Esse objetivo que você tem em mente não se tornará realidade”, “Você não.” você não é
  • 25. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 25 ] feliz neste trabalho, se queima, o torna vulnerável: talvez você deva mudar isso “… Tristeza como instinto de conservação. Esses dados são curiosos e devemos lembrar: às vezes a tristeza nos convida a “hibernar”, a nos desconectar temporariamente de nossa realidade para conservar nossos recursos … Isso é frequente quando, por exemplo, estamos decepcionados; sempre será mais saudável refletir algum tempo em toda a intimidade, a fim de salvaguardar nossa auto-estima, nossa integridade … Para concluir, como podemos ver, há momentos em nossas vidas em que o cansaço não é físico, mas emocional. Longe de ver a tristeza como uma desordem a ser tratada, devemos considerá-la como uma voz interior para ouvir, como uma emoção preciosa e útil, essencial para o crescimento do ser humano. [6] 6 aula - Tratamento hospitalar diferenciado Em alguns hospitais a internação está sendo tratada de forma diferente. Principalmente em ala infantil. Tentando parecer mais com um parque de diversões com muitos brinquedos e jogos. As crianças tendo acompanhamento da família, carinho dos funcionários e diversão sua recuperação é mais rápida. Idosos tendem a perder o ânimo. Colocam na cabeça que já cumpriram sua missão e começa um processo mental "secreto" de autodestruição.
  • 26. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 26 ] Colocar na mente e no coração sonhos e objetivos é essencial para manter o sistema imunológico em prontidão. As células de defesa do organismo recebem mensagem do sistema nervoso central dizendo: o Alto Comando ainda tem uma missão na vida. Não baixem a guarda aos corpos estranhos. Pau neles!!!! Alguns centros de saúde já colocam psicólogos para ajudarem os pacientes que não estão colaborando com sua saúde por atitudes mentais negativas. Este estudo faz parte de um programa mais amplo de pesquisa, que examinou os fatores que influenciam as atitudes e percepções dos pacientes em relação aos ambientes construídos nos hospitais do NHS. Investigadores nos EUA e no Canadá sugerem que existem ligações claras entre a saúde e o bem-estar dos pacientes e o ambiente dos hospitais. Existem algumas evidências de que o ambiente construído do hospital pode influenciar o processo de cura e que pode ter um impacto direto nos resultados dos pacientes, incluindo, por exemplo, a redução dos níveis de ansiedade e estresse encurtando os períodos de recuperação após a cirurgia, permitindo vistas da natureza, aumentando a interação social através de um melhor posicionamento dos móveis e diminuindo significativamente o comportamento patológico através da criação de um ambiente estável e de apoio para os pacientes. 6 Há pouco histórico de trabalhos de pesquisa no Reino Unido sobre as percepções dos pacientes sobre as áreas internas dos hospitais. No entanto, as descobertas emergentes de Lawson e Phiri parecem apoiar a afirmação de estudos norte-americanos
  • 27. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 27 ] sobre uma ligação entre bons ambientes e resultados positivos para os pacientes. É necessário explorar as questões que envolvem as percepções e atitudes dos pacientes em relação aos ambientes hospitalares e determinar os fatores que contribuíram para a sua experiência nesse ambiente. A pesquisa foi realizada no Salford Royal Hospitals NHS Trust (SRHT), um grande hospital universitário em Salford, Grande Manchester, que fornece serviços locais, regionais e nacionais. Atualmente possui aproximadamente 900 leitos e emprega 3.500 funcionários. Edifícios vitorianos, stock de bairros obsoletos e redesenvolvimento fragmentado no local com uma combinação de infra-estruturas precárias e design desatualizado tipificam a qualidade global do ambiente construído do Trust. Estes fatores podem influenciar as percepções dos pacientes, visitantes e partes interessadas, as suas experiências e subsequentes visões e opiniões sobre o ambiente do hospital. O hospital está prestes a ser reconstruído no âmbito do projeto Salford Health Investment for Tomorrow (SHIFT). Este projeto de 190 milhões de libras envolverá uma remodelação substancial do principal hospital e a disponibilização de centros de cuidados primários em locais por toda a cidade de Salford, bem como uma 'mudança' na prestação de cuidados de saúde, que reunirá uma série de serviços primários, comunitários e serviços e instalações de assistência social. À luz destes desenvolvimentos planeados, é oportuno determinar as percepções dos pacientes sobre o ambiente construído dos hospitais, de modo a influenciar o design e planeamento futuros.
  • 28. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 28 ] Este artigo relata os dados qualitativos gerados através de entrevistas presenciais com pacientes atualmente internados no hospital. Ele detalha os relatos e opiniões dos pacientes sobre suas percepções e as experiências de seus familiares e visitantes no ambiente hospitalar. [7] 7 aula - Depressão O estado emocional influência tanto na saúde que a pessoa deprimida perde o principal: vitalidade. O deprimido só quer ficar deitado. Logo várias doenças oportunistas vão manifestar neste corpo. O subconsciente do depressivo fica emitindo sinal para que uma doença entre no corpo para poder justificar a falta de vontade para tudo. A depressão fica chamando doenças. A depressão de imediato deixa a pessoa com CARA DE DOENTE. A depressão é um distúrbio cerebral que pode causar muita angústia emocional. Mudanças no funcionamento do cérebro também podem ter um grande efeito no corpo. Não é de admirar, então, que a depressão contribua para uma ampla gama de problemas físicos que afetam tudo, desde o coração até o sistema imunológico? A depressão não causa apenas sintomas físicos; também pode aumentar o risco - ou piorar - certas doenças
  • 29. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 29 ] ou condições físicas. Por sua vez, algumas doenças também podem desencadear a depressão . Depressão causa sintomas físicos A depressão afeta muito mais do que o humor. Estes são alguns dos sintomas físicos mais comuns da depressão : Aumento de dores e sofrimentos, que ocorrem em cerca de duas em cada três pessoas com depressão Fadiga crônica Diminuição do interesse por sexo Diminuição do apetite Insônia, falta de sono profundo ou dormir demais O que causa esses sintomas de depressão ? Mudanças no cérebro afetam muitos sistemas do corpo. Por exemplo, o funcionamento anormal de mensageiros cerebrais (neurotransmissores), como a serotonina, pode alterar o limiar da dor. Isso significa que você se torna mais sensível à dor, especialmente nas costas. A serotonina também afeta o sono e reduz o desejo sexual – quase metade das pessoas com depressão tem problemas sexuais. Infelizmente, os indivíduos com depressão, bem como as suas famílias e profissionais de saúde, muitas vezes ignoram os sinais e sintomas físicos da depressão. Num caso, os investigadores descobriram que problemas de sono, fadiga e preocupações com a saúde são indicadores fiáveis de depressão em adultos mais velhos. Mas, descobriram eles, estes sinais são rotineira e
  • 30. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 30 ] incorretamente descartados como uma parte natural do envelhecimento. A depressão aumenta o risco de doenças físicas. A depressão aumenta o risco de uma série de doenças e outras condições, por exemplo, aumentando os níveis de hormônios do estresse, como o cortisol ou a adrenalina. A depressão pode afetar o sistema imunológico, tornando mais difícil para o corpo combater infecções. Algumas vacinas, como a vacina contra herpes zoster, podem até ser menos eficazes em idosos com depressão. A depressão também tem sido associada a doenças cardíacas e ao aumento do risco de abuso de substâncias. Depressão e doenças médicas: um ciclo vicioso Acredita -se que muitas das alterações físicas causadas pela depressão, como insônia ou falta de sono profundo, enfraquecem o sistema imunológico. Isso pode piorar as doenças existentes. Por sua vez, as alterações físicas causadas pela depressão ou por doenças crónicas podem desencadear ou agravar a depressão. Todas essas mudanças podem levar a um ciclo vicioso que é difícil de quebrar sem tratamento tanto para a depressão quanto para quaisquer outras doenças. Muitas doenças ou condições graves coexistem com a depressão. Eles incluem: Ataque cardíaco
  • 31. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 31 ] Doença arterial coronariana (sem ataque cardíaco) Mal de Parkinson Doenças autoimunes, como esclerose múltipla ou lúpus AIDS AVC Câncer Diabetes Doença renal Artrite A depressão aumenta o risco de algumas destas doenças, mas nem sempre. Por exemplo, não há evidências que apoiem a ideia de que a depressão leve ao câncer, embora as duas coexistam frequentemente. Ao mesmo tempo, é importante saber que a depressão não é um resultado inevitável de doenças graves como o cancro e o HIV, ou que não pode ser controlada. Depois que você fica doente, como a depressão influencia o curso da doença? Por um lado, é mais provável que você desenvolva complicações. Isso pode ser verdade porque a depressão amplia as mudanças físicas no cérebro e no corpo. Se você já tem uma doença cardíaca, por exemplo, níveis mais elevados de hormônios do estresse podem tornar mais difícil para o seu corpo realizar o reparo necessário dos tecidos. A depressão também pode tornar mais difícil seguir instruções, tomar medicamentos ou seguir outros aspectos de um regime de tratamento. [5] 8 aula - Medicina psicossomática e sua aplicação
  • 32. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 32 ] A medicina psicossomática é um campo científico cujo conceito central é que a mente e o corpo são aspectos integrais de todos os aspectos da função humana. Não se trata apenas de doença – inclusive, ao contrário do que muitos acreditam, a medicina psicossomática não é uma especialidade médica, e sim uma habilidade que deveria estar presente em todos os médicos – mas também da saúde. A medicina psicossomática estuda as relações do meio biopsicossocial do ser humano e sua relação com a saúde e a doença. A medicina psicossomática contribui de maneira muito importante para o cuidado de pacientes não só com doenças psiquiátricas, como outros comorbidades médicas de maneira geral A medicina psicossomática é um campo médico interdisciplinar que explora as relações entre fatores sociais, psicológicos e comportamentais nos processos corporais e na qualidade de vida em humanos e animais. O precursor acadêmico do campo moderno da medicina comportamental e uma parte da prática da psiquiatria de ligação de consulta, a medicina psicossomática integra avaliação e gestão interdisciplinar envolvendo diversas especialidades, incluindo psiquiatria, psicologia, neurologia, psicanálise, medicina interna, pediatria, cirurgia, alergia, dermatologia e psiconeuroimunologia. As situações clínicas em que os processos mentais atuam como um fator importante que afeta os resultados médicos são áreas em que a medicina psicossomática tem competência.
  • 33. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 33 ] Distúrbios psicossomáticos Transtorno de sintomas somáticos Acredita-se que algumas doenças físicas tenham um componente mental derivado do estresse e das tensões da vida cotidiana. Isto foi sugerido, por exemplo, em dores lombares e pressão alta, que alguns pesquisadores sugeriram que podem estar relacionadas ao estresse da vida cotidiana. A estrutura psicossomática também vê os estados mentais e emocionais como capazes de influenciar significativamente o curso de qualquer doença física. A psiquiatria tradicionalmente distingue entre transtornos psicossomáticos, transtornos nos quais os fatores mentais desempenham um papel significativo no desenvolvimento, expressão ou resolução de uma doença física, e transtornos somatoformes, transtornos nos quais os fatores mentais são a única causa de uma doença física. É difícil estabelecer com certeza se uma doença tem um componente psicossomático. Um componente psicossomático é frequentemente inferido quando há alguns aspectos da apresentação do paciente que não são explicados por fatores biológicos, ou em alguns casos em que não há explicação biológica alguma. Por exemplo, o Helicobacter pylori causa 80% das úlceras pépticas. No entanto, a maioria das pessoas que vivem com Helicobacter pylori não desenvolve úlceras e 20% dos pacientes com úlceras não apresentam infecção por H. pylori. Portanto, nestes casos, os fatores psicológicos ainda podem desempenhar algum papel. Da mesma forma,
  • 34. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 34 ] na síndrome do intestino irritável (SII), existem anormalidades no comportamento do intestino. No entanto, não existem alterações estruturais reais no intestino, pelo que o stress e as emoções ainda podem desempenhar um papel. A perspectiva mais forte sobre os transtornos psicossomáticos é que a tentativa de distinguir entre transtornos psicossomáticos puramente físicos e mistos é obsoleta, pois quase todas as doenças físicas têm fatores mentais que determinam seu início, apresentação, manutenção, suscetibilidade ao tratamento e resolução. De acordo com esta visão, mesmo o curso de doenças graves, como o câncer, pode ser potencialmente influenciado pelos pensamentos, sentimentos e estado geral de saúde mental de uma pessoa. Abordar tais fatores é competência do campo aplicado da medicina comportamental. Na sociedade moderna, os aspectos psicossomáticos da doença são frequentemente atribuídos ao estresse, tornando a remediação do estresse um fator importante no desenvolvimento, tratamento e prevenção de doenças psicossomáticas. Conotações do termo "doença psicossomática" O termo doença psicossomática foi provavelmente usado pela primeira vez por Paul D. MacLean em seu artigo seminal de 1949 'Doença psicossomática e o “cérebro visceral”; desenvolvimentos recentes relacionados à teoria das emoções de Papez. No campo da medicina
  • 35. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 35 ] psicossomática, a frase "doença psicossomática" é usada de forma mais restrita do que na população em geral. Por exemplo, na linguagem leiga, o termo muitas vezes abrange doenças sem qualquer base física, e até mesmo doenças que são falsas (simulação). Em contraste, na medicina psicossomática contemporânea, o termo é normalmente restrito às doenças que têm uma base física clara, mas onde se acredita que fatores psicológicos e mentais também desempenham um papel. Alguns pesquisadores da área acreditam que essa interpretação excessivamente ampla do termo pode ter feito com que a disciplina caísse em descrédito clínico. Por esta razão, entre outras, o campo da medicina comportamental assumiu grande parte da competência da medicina psicossomática na prática e existem grandes áreas de sobreposição na investigação científica. Tratamento Enquanto nos EUA a medicina psicossomática é considerada uma subespecialidade das áreas da psiquiatria e da neurologia, na Alemanha e noutros países europeus é considerada uma subespecialidade da medicina interna. Thure von Uexküll e os médicos contemporâneos que seguem o seu pensamento consideram a abordagem psicossomática como uma atitude central dos médicos, declarando-a assim não como uma subespecialidade, mas sim como uma parte integrada de cada especialidade. Tratamentos médicos e psicoterapia são usados para tratar doenças que se acredita terem um componente psicossomático.
  • 36. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 36 ] História No mundo islâmico medieval, os médicos- psicólogos persas Ahmed ibn Sahl al-Balkhi (falecido em 934) e Haly Abbas (falecido em 994) desenvolveram um modelo inicial de doença que enfatizava a interação da mente e do corpo. Ele propôs que a fisiologia e a psicologia de um paciente podem influenciar uma à outra. Ao contrário de Hipócrates e Galeno, Ahmed ibn Sahl al-Balkhi não acreditava que a mera regulação e modulação dos temperamentos do corpo e da medicação remediariam os distúrbios mentais porque as palavras desempenham um papel vital e necessário na regulação emocional. Para mudar esses comportamentos, ele usou técnicas como alteração de crenças, reflexão regular, ensaios de experiências e imaginação. No início do século XX, houve um interesse renovado pelos conceitos psicossomáticos. O psicanalista Franz Alexander tinha um profundo interesse em compreender a inter-relação dinâmica entre mente e corpo. Sigmund Freud buscou um profundo interesse pelas doenças psicossomáticas após sua correspondência com Georg Groddeck que estava, na época, pesquisando a possibilidade de tratar distúrbios físicos através de processos psicológicos. Hélène Michel-Wolfromm aplicou a medicina psicossomática ao campo da ginecologia e aos problemas sexuais vividos pelas mulheres.
  • 37. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 37 ] Na década de 1970, Thure von Uexküll e os seus colegas na Alemanha e noutros lugares propuseram uma teoria biosemiótica (o conceito de umwelt) que foi amplamente influente como quadro teórico para conceitualizar as relações mente-corpo. Este modelo mostra que a vida é um sistema funcional. Farzad Goli explica ainda em Medicina Biosemiótica (2016), como os sinais na forma de matéria (por exemplo, átomos, moléculas, células), energia (por exemplo, sinais elétricos no sistema nervoso), símbolos (por exemplo, palavras, imagens, códigos de máquina) e reflexões (por exemplo, momentos de atenção plena, metacognição) podem ser interpretados e traduzidos uns nos outros. Henri Laborit, um dos fundadores da neuropsicofarmacologia moderna, realizou experimentos na década de 1970 que mostraram que a doença ocorria rapidamente quando havia inibição da ação em ratos. Ratos exatamente nas mesmas situações estressantes, mas cujo comportamento não foi inibido (aqueles que podiam fugir ou lutar – mesmo que a luta fosse completamente ineficaz) não tiveram consequências negativas para a saúde. Ele propôs que as doenças psicossomáticas em humanos têm em grande parte sua origem nas restrições que a sociedade impõe aos indivíduos, a fim de manter estruturas hierárquicas de domínio. O filme My American Uncle, dirigido por Alain Resnais e influenciado por Laborit, explora a relação entre o eu e a sociedade e os efeitos da inibição da ação. Em fevereiro de 2005, o Sistema de Vigilância Sindrômica de Boston detectou um aumento de homens
  • 38. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 38 ] jovens que procuravam tratamento médico para acidente vascular cerebral. A maioria deles não sofreu um derrame, mas o maior número apresentou um dia depois que Tedy Bruschi, uma figura do esporte local, foi hospitalizado por causa de um derrame. Presumivelmente, começaram a interpretar mal os seus próprios sintomas inofensivos, um fenômeno de grupo agora conhecido como síndrome de Tedy Bruschi. Robert Adler é responsável por cunhar o termo Psiconeuroimunologia (PNI) para categorizar um novo campo de estudo também conhecido como medicina mente-corpo. Os princípios da medicina mente-corpo sugerem que a nossa mente e os pensamentos emocionais que produzimos têm um impacto incrível na nossa fisiologia, seja positivo ou negativo. O PNI integra o sistema mental/psicológico, nervoso e imunológico, e esses sistemas estão ainda ligados entre si por ligantes, que são hormônios, neurotransmissores e peptídeos. O PNI estuda como cada célula do nosso corpo está em constante comunicação – como elas estão literalmente conversando e são responsáveis por 98% de todos os dados transferidos entre o corpo e o cérebro. Candace Pert, professora e neurocientista que descobriu o receptor opiáceo, chamou essa comunicação entre nossas células de “Moléculas da Emoção” porque elas produzem sentimentos de felicidade, fome, raiva, relaxamento ou saciedade. Dr. Pert afirma que nosso corpo é nossa mente subconsciente, então o que está
  • 39. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 39 ] acontecendo na mente subconsciente está sendo representado por nosso corpo. [8] 9 aula - Dor de cabeça A cabeça é a CPU do nosso computador. Angústias e preocupações de cara afetam a cabeça, causando em algumas pessoas dores esporádicas ou crônicas. Surto de raiva também costuma gerar dores de cabeça. Se você não procurar controlar as emoções negativas, você vai detonar sua saúde.
  • 40. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 40 ] A cefaleia é uma doença crônica que ocorre com frequência variável e resulta em níveis variados de incapacidade. Até o momento, a maior parte da pesquisa e do foco clínico tem sido sobre o papel dos fatores biológicos na dor de cabeça e na incapacidade relacionada à dor de cabeça. Contudo, a confiança num modelo puramente biomédico de cefaleia não leva em conta todos os aspectos da cefaleia e da incapacidade associada. Usando uma estrutura biopsicossocial, o presente manuscrito expande a visão de quais fatores influenciam a dor de cabeça, considerando o papel que os fatores psicológicos (ou seja, cognitivos e afetivos) têm no desenvolvimento, no curso e nas consequências da dor de cabeça. O manuscrito inicialmente revisa evidências que mostram que os circuitos neurais responsáveis pelos fenômenos cognitivo-afetivos estão altamente interconectados com os circuitos responsáveis pela dor de cabeça. O manuscrito então revisa a influência que as cognições (locus de controle e autoeficácia) e os afetos negativos (depressão, ansiedade e raiva) têm no desenvolvimento de ataques de dor de cabeça, na percepção da dor de cabeça, na adesão ao tratamento prescrito, no resultado do tratamento da dor de cabeça, e incapacidade relacionada à dor de cabeça. O manuscrito conclui com uma discussão das implicações clínicas de considerar fatores psicológicos no tratamento da dor de cabeça. A dor de cabeça é atualmente conceituada como um distúrbio crônico com episódios agudos de dor que ocorrem de forma intermitente e duram de minutos a dias. Para um número significativo de pacientes, estes ataques ocorrem uma vez por mês ou mais e resultam em níveis
  • 41. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 41 ] variados de incapacidade. Os médicos precisam, portanto, considerar quais os fatores que influenciam o desenvolvimento, o curso e a gravidade das crises de cefaleia individuais e a incapacidade subsequente, a fim de minimizar a frequência das crises, reduzir a sua gravidade e limitar o seu impacto no funcionamento. Até o momento, a esmagadora maioria da pesquisa e do interesse clínico concentrou-se nas influências biológicas. Estes esforços resultaram em avanços significativos no tratamento e prevenção da dor de cabeça e da incapacidade relacionada; no entanto, esta investigação também revelou que os fatores biológicos por si só não conseguem explicar todos os aspectos da dor de cabeça e da incapacidade. Fatores psicológicos, como locus de controle e autoeficácia no manejo da dor de cabeça, e estados emocionais/afetos negativos podem alterar a probabilidade de um ataque de dor de cabeça ser desencadeado, a gravidade percebida da dor de cabeça, o impacto que a dor de cabeça tem no funcionamento e o prognóstico do tratamento. Infelizmente, os fatores psicológicos são normalmente considerados relevantes apenas nos casos em que o paciente apresenta psicopatologia significativa. O objetivo do presente manuscrito é descrever a justificativa para imaginar a dor de cabeça dentro de uma estrutura biopsicossocial, revisar as evidências que apoiam essa visão e considerar as implicações clínicas da consideração de fatores psicológicos no tratamento da dor de cabeça. [9] 10 - perda de apetite
  • 42. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 42 ] Segundo a pesquisa, a raiva faz você perder o apetite. “A exposição às violações morais reduz o consumo de comida, e destaca uma verdade psicológica na observação metafórica que violações morais 'deixam um gosto ruim' na boca de alguém”, explica Cindy Chan, uma das autoras do estudo. Fazer maldade provoca gosto ruim na boca. Diminui apetite.... Quando uma pessoa se sente muito estressada ou ansiosa, há a liberação de uma série de hormônios que despertam uma reação instintiva chamada de mecanismo de luta ou fuga. Dessa forma, o corpo se prepara para lidar com uma situação em que acredita existir um potencial risco. Um artigo produzido por pesquisadores da Universidade de Ciências da Saúde de Lahore, no Paquistão, sugere que elevados índices de estresse possam estar ligados a outro fator: perda de apetite. A pesquisa publicada no Cureus Journal of Medical Science explica que o hormônio responsável pela corticotrofina (CRH), que é liberado após situações de grande ansiedade, afeta diretamente o sistema digestório e suprime o apetite. Por fim, a causa da falta de apetite pode ser psicológica ou emocional. Fatores como depressão, ansiedade e estresse podem provocar desconforto gástrico e diminuir o ímpeto em se alimentar.
  • 43. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 43 ] Causas da perda de apetite A perda de apetite tem muitas causas. Podem não estar diretamente relacionadas à doenças ou sintomas. E muitas das vezes está ligada a sintomas emocionais como estresse e ansiedade elevados.
  • 44. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 44 ] Por fim, a perda de apetite que dura vários dias e não está relacionada a doenças deve ser investigada, podendo ser sintoma de anorexia e bulimia. 😵 5 Problemas emocionais que causam a perda de apetite Depressão O motivo da alteração do apetite nos quadros depressivos ainda não foi totalmente esclarecido. Se a falta de apetite permanece por mais de 14 dias, cresce a suspeita de depressão em uma pessoa que ainda está sendo avaliada por um profissional da área da saúde. Ansiedade A ansiedade torna algumas pessoas apáticas, elas perdem a vontade de comer com frequência resultando na perda de peso Anorexia Considerada umas das principais causas de perda de apetite, isso porque a pessoa se sente muito acima do peso e tem medo de comer, o que faz com que o apetite diminua. Estresse
  • 45. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 45 ] Elevados índices de estresse geram falta de apetite, isso acontece devido ao hormônio corticotrofina (CRH) que é liberado após situações de grande ansiedade e afeta diretamente o sistema digestório e suprime o apetite. Síndrome de Burnout A síndrome de burnout é causada pelo excesso de trabalho. Pode influenciar na sua relação com a comida devido a pressão e desânimo que chegam a um nível tão exaustivo que a pessoa perde o apetite. [10] 11 aula - Diabete emocional Diabetes emocional não é um dos tipos de diabetes descritos pela comunidade médica. Apesar de estresse e ansiedade afetarem os níveis de glicose no sangue em um indivíduo, os quais deveriam ser controlados pela insulina, problemas emocionais por si só não podem causar essa doença. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, os tipos de diabetes são o diabetes tipo 1 (DM1), o diabetes tipo 2 (DM2), o diabetes gestacional (DMG) e os outros tipos de diabetes. Resumo sobre diabetes emocional
  • 46. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 46 ] Diabetes é uma doença crônica que ocorre devido a problemas na secreção ou na ação da insulina. Diabetes emocional não é um dos tipos de diabetes reconhecidos. Problemas emocionais não podem causar diabetes, porém desequilibram os níveis de açúcar do sangue. Após o diagnóstico de diabetes, é fundamental realizar acompanhamento médico e mudar hábitos. A hiperglicemia pode afetar diferentes órgãos, causando danos, por exemplo, aos rins e olhos. O que é diabetes? Diabetes é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevação dos níveis de glicose no sangue, um quadro conhecido como hiperglicemia. A hiperglicemia pode ser resultado de uma deficiência na produção do hormônio insulina ou de sua ação. A insulina apresenta como função primordial garantir que a glicose entre nas células para que possa ser utilizada. Quando o hormônio é de alguma forma afetado, a glicose se acumula no sangue. A hiperglicemia deve ser controlada a fim de evitar complicações, como comprometimento dos rins, dos olhos e do coração. Para manter os níveis de glicose dentro dos padrões recomendados, o paciente diabético deve mudar seus hábitos, investindo, por exemplo, em uma
  • 47. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 47 ] alimentação de qualidade e praticando atividades físicas. Em algumas situações, medicamentos são recomendados. Diabetes emocional O termo diabetes emocional é uma denominação popular usada para se referir a situações em que episódios de ansiedade ou estresse ocorrem próximos ao diagnóstico de diabetes. Muitas pessoas consideram que esse efeito estressante pode ser o responsável pelo desenvolvimento da doença. Entretanto, não podemos afirmar que problemas emocionais podem causar diabetes. É importante ter em mente que um diagnóstico de diabetes associado a problemas emocionais deve ter uma avaliação mais ampla do indivíduo e não se deve considerar apenas o fator estressante. O fato de o paciente apresentar fatores de risco, como sedentarismo e excesso de peso, devem ser levados em conta. Além disso, outras causas de diabetes devem ser analisadas. O diabetes tipo 1, por exemplo, tem origem autoimune, e deve-se averiguar se o paciente apresenta esse tipo de diabetes. Apesar de problemas emocionais não serem responsáveis por causar diabetes, é importante deixar claro que o estresse pode alterar a glicemia de um indivíduo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, pessoas estressadas podem descuidar de sua saúde, alimentando-se inadequadamente ou abusando do álcool, por exemplo. Ademais, ainda de acordo com essa sociedade, os hormônios do estresse também podem afetar diretamente na glicemia. [11]
  • 48. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 48 ] 12 - Cure a alma e depois o corpo 1 E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa. 2 E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra. 3 E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. 4 E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. 6 E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:7 Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? 8 E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? 10 Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), 11 A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. 12 E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos. Marcos 2.1-12 A lição aqui é: primeiro limpou a alma, perdoando pecados, depois ele curou a paralisia. Poucas vezes Jesus agiu assim.
  • 49. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 49 ] Neste caso Jesus viu que havia necessidade de tirar um peso da alma deste homem. Perdoa os outros... Perdoe a si mesmo.... Restauração da saúde pode começar com o perdão. 0000 Nosso corpo e nossa alma são unidos; se a sua alma doer, seu corpo também vai, e vice-versa. Se você estiver cansado e entediado, faltará motivação, desaparecerá a alegria e você se apagará pouco a pouco. Seu corpo influencia seu estado de ânimo e seu estado de ânimo influencia seu corpo. Ao longo da vida, há situações e pessoas que nos ferem, física ou mentalmente, mas se nós não pudermos nos curar , a dor persistirá e não permitirá que nós vivamos uma vida plena e satisfatória. Aprenda a curar seu corpo e sua alma. A vida, às vezes, nos fere de mil formas, mas a passagem do tempo acaricia nossas feridas até que elas se fechem, embora possam ficar pequenas cicatrizes que são necessárias prestar um pouco de atenção, para que a dor não surja outra vez. Nós podemos fazer muitas coisas para curar o corpo e a mente, propomos as seguintes a você: Crie a sua realidade A física quântica parte da base de que a percepção de uma pessoa pode modificar a realidade a que esta se
  • 50. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 50 ] sujeita, e quer demonstrar que o universo é feito de energia, de vibração e que esta energia é influenciada pela mente em forma de pensamentos. Quando uma pessoa dirige sua atenção a uma coisa, essa coisa é criada por processos de pensamento da mente, e quando essa pessoa deixa de focalizar sua atenção, a energia “desfaz” o objeto, para ser outra vez energia com potencial e se transformar em uma outra coisa. Portanto, a física quântica afirma que somente se reconhecermos que algo existe, esse algo entra em existência. A lei da atração é a base para que uma pessoa possa criar sua própria realidade. A maior parte das pessoas criam sua realidade de forma inconsciente, enquanto um criador consciente se esforça para mudar sua realidade de forma criativa. Prove o efeito placebo O efeito placebo não é uma sugestão, não consiste em pensar que vou me curar, é uma atitude curativa, é acreditar que estou me curando, já que dessa forma são liberados analgésicos naturais e são alterados os padrões neuronais negativos, diminuindo a pressão sanguínea e ativando o sistema imunológico. Explore seu prazer Em nossa vida nós aprendemos a substituir o que nos apaixona por outras tarefas que sentimos como obrigatórias, porque decidimos que não temos tempo e
  • 51. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 51 ] deixamos de lado nossas paixões e prazeres, privando nossa alma de alimento. Diariamente devemos encontrar um momento para fazer algo que nos apaixone e nos proporcione prazer. Você pode começar fazendo uma lista de cinco coisas que você adora fazer: ir ao cinema, andar de bicicleta, tirar fotos, escrever, ler… Dedicar um momento diariamente a algo que lhe proporcione prazer é uma satisfação e é uma questão de dar prioridade, por um tempo, a enriquecer a sua alma. Mova seu corpo A prática regular de exercícios físicos é uma forma muito efetiva de prevenir doenças e manter uma boa saúde. Fazer esportes contribui para o bem-estar geral, melhorando a autoestima, o otimismo, a agilidade mental… Todas as atividades físicas devem ser praticadas de forma progressiva, baseadas em nossas capacidades. [12] PRESTE ATENÇÃO!!!! PESSOAS QUE NÃO FAZEM ATIVIDADE FÍSICA LABORAL OU POR DIVERSÃO E VIVE NO SEDENTARISMO, TEM MUITO MAIS PROBABILIDADE DE DESENVOLVER DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS. 13 - Bom humor e saúde Uma das coisas que ajuda a viver é dar risada. Ria das suas misérias e não chore por elas
  • 52. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 52 ] No filme A VIDA É BELA temos uma lição de como enfrentar o campo de concentração de nossas vidas Brinque, tente rir, dê gargalhadas. Você tem Jesus? Tem a vida eterna!!!!! Choroso por quê? As desordens do humor têm importante influência na evolução das doenças cardiovasculares. Por exemplo, pacientes que sofrem de depressão após um evento cardíaco apresentam maiores taxas de morbidade e mortalidade quando comparados aos não deprimidos O fruto do Espírito Santo é alegria. O fruto do pecado é tristeza, angústia, mau humor. Quando o bom humor e o riso são compartilhados eles unem as pessoas, aumentam a intimidade e, claro, contribuem com o estado de felicidade. Além disso, rir fortalece o sistema imunológico, aumenta a energia, diminui a dor, protege contra os efeitos do estresse e muito mais. A gerente do Serviço de Psicologia do HCor, Silvia Cury Ismael assegura: “rir é importante para a saúde mental, pois libera serotonina e endorfina, substâncias que trazem a sensação de bem-estar, prazer e alegria, diminuindo o risco de doenças psicossomáticas, como a depressão, ansiedade e estresse”, comenta. Crie oportunidades para rir. Assista filmes de comédia, shows de stand-up, procure pessoas e ambientes engraçados. Uma dose diária de sorriso é contagiante, pode mudar a sua vida e melhorar sua saúde. Compartilhe felicidade! 0000
  • 53. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 53 ] Em 2021 a cinesiologista Mariana Schamas publicou um artigo sobre o efeito benéfico do bom humor na saúde: Se olharmos para as descobertas da psicologia e da neurociência, veremos que tudo que pensamos e sentimos afeta nossas experiências de vida. Assim, se de um lado a dor influencia nosso estado emocional, o bom humor pode ajudar a aliviar. “A maior arma contra o estresse é nossa habilidade de escolher um pensamento em vez de outro”, já diria o psicólogo e filósofo William James. Num estudo publicado em 2020 com o título O riso tem um efeito de amortecimento do estresse na vida diária? os autores argumentam que, quando a gente dá uma risada, mudanças fisiológicas acontecem e elas podem ser positivas para o bem-estar. A título de curiosidade, estima- se que as pessoas riam, em média, 18 vezes ao dia. O mesmo artigo aponta que “indivíduos são mais capazes de suportar estímulos dolorosos quando estão assistindo a vídeos com conteúdo de humor.” Sim, rir é um jeito de enfrentar as adversidades do dia a dia, inclusive as dolorosas. Embora ainda existam controvérsias científicas a respeito, se multiplicam as evidências de que a falta de senso de humor possa piorar a saúde, repercutir na imunidade, no sistema cardiovascular e na percepção da dor. Ora, a sensação de dor vem do cérebro. Se o humor
  • 54. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 54 ] atua ali, é de se pensar que o corpo também colherá um benefício. Existem indícios, ainda, de que, após uma boa sessão de risos, relaxamos os grupos musculares e há uma redução na excitabilidade da medula espinhal, fatores que interferem na percepção da dor. É claro que não podemos negar a doença. O senso de humor não deve se tornar uma ferramenta de negação de sintomas e negligência da própria saúde. É disso que precisamos fugir. Como canta Frejat: “rir é bom, mas rir de tudo é desespero”. “Através do humor vemos no que parece racional, o irracional; no que parece importante, o insignificante. Ele também desperta o nosso sentido de sobrevivência e preserva a nossa saúde mental.” A frase de Charles Chaplin evoca justamente essa ideia, cada vez mais apoiada na neurociência, de que o estado de humor e a percepção das dores da vida estão conectados. Como anda o seu estado de humor? Pense nisso e sorria mais! [13] 14 aula - Remorso 10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. Apocalipse 12.10
  • 55. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 55 ] Culpa e remorso são duas emoções autoconscientes e que todos sentirão várias vezes ao longo da vida. A culpa é um sentimento que as pessoas costumam ter depois de fazer algo errado, intencionalmente ou acidentalmente. Assim, o remorso geralmente está relacionado sobretudo ao seu código moral. Entretanto, ambos são emoções negativas que fazem as pessoas se sentirem mal consigo mesmas. Porém, são componentes emocionais importantes. O remorso é tipicamente a emoção mais dolorosa e perturbadora porque o eu, e não apenas o comportamento, é o objeto de julgamento. Quando as pessoas sentem remorso, também se sentem “pequenas”, sem valor e sem poder. O que o remorso pode causar? Pode se tornar uma doença. Um grande desgaste como, por exemplo, as dores de cabeça que não sabemos
  • 56. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 56 ] a razão, ou mesmo a vesícula funcionar mal, as palpitações ou em casos mais extremos, pode desencadear ao indivíduo distúrbios emocionais tais como, depressão ou ansiedade. Você já sentiu vontade de voltar no tempo e fazer tudo diferente? Aceitar uma proposta de emprego, escolher outra pessoa para namorar, optar por um curso de graduação que realmente goste, sair da zona de conforto, ter mais paciência com os seus pais. Todos esses fatos fazem parte daquelas frases que muitas pessoas dizem ‘’Ah, se eu tivesse feito diferente…’’ ou ‘’Ah, se eu pudesse voltar no tempo’’. Infelizmente, não podemos voltar para o passado, mas temos a oportunidade de buscar por um futuro melhor.
  • 57. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 57 ] Por outro lado, quando tomamos decisões, temos a convicção de que elas são as melhores opções dentre todas que foram dadas. Mas se as coisas não acontecem como desejamos, essa certeza logo é substituída pelo remorso e arrependimento. Além disso, há pessoas que se torturam pelo resto da vida por não terem feito as coisas de uma forma diferente, passando a vida sem se perdoar. Elas sentem que tomaram decisões incorretas, vão acumulando remorsos e, no final, tudo acaba em tristeza e dor. Quais são as consequências do remorso? Embora sejam sentimentos difíceis de controlar, o remorso e o arrependimento geram consequências graves para a pessoa amargurada. Além de afetar a saúde mental e emocional, essas emoções impactam diretamente na estrutura física do indivíduo. De acordo com Dorli Kamkhagi, psicóloga e gerontóloga do Laboratório de Neurociências do IPq (Instituto de Psiquiatria) da USP (Universidade de São Paulo), quem guarda remorsos pode ter sérios problemas de saúde. Isso acontece porque a pessoa fica amarga, cheia de mágoas e com raiva de si mesma. O alto nível de estresse desenvolvido pelo remorso serve como um gatilho para o surgimento de doenças psíquicas e físicas, tais como medo crônico, fadiga, fobias e até tumores. [14]
  • 58. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 58 ] 15 - Nervosismo e o intestino Conexão entre o cérebro e o intestino Esses nervos estão constantemente enviando e recebendo sinais ao cérebro. "O estresse crônico e a ansiedade liberam, no cérebro, o CRH [hormônio liberador de corticotrofina], que tem efeitos como espasmos e diarreia, bem como dores crescentes". Ficar ansioso e tenso afeta diretamente o sistema gastrointestinal. O médico cardiologista ressalta que o intestino é considerado o nosso segundo cérebro e tem uma relação
  • 59. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 59 ] íntima com o sistema nervoso. “É responsável pela regulação de apetite, níveis de energia, emoções, atitudes, aprendizado e memória.” Desse modo, as pessoas costumam sentir o intestino mais “solto” quando estão ansiosas pelo simples fato desse órgão ter ligação direta com o cérebro. “Por isso quando em situações de estresse podemos perceber aquela dor de barriga, náuseas, episódios de diarreia, alterações de humor e irritabilidade e sensação de coração acelerado”, explica Dr. Carlos. Se você não buscar controlar suas emoções, o intestino acaba recebendo os impactos destas descargas hormonais. Talvez o crescente número de câncer no intestino tem relação com anos de abuso de descontrole emocional que geram anomalia na reprodução celular, surgindo células cancerígenas. 0000 Dr. Christiano Makoto Sakai em 20 de dez. de 2021 publicou o seguinte artigo: Como a ansiedade afeta a saúde do seu intestino. Afinal, a ansiedade pode ter relação com nosso intestino? Para responder essa questão, vamos primeiro pensar em situações reais. Você já sentiu que estava ansioso antes de ir para algum evento ou antes de realizar uma apresentação e isso acabou te causando uma dor forte na barriga, resultando em diarreia?
  • 60. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 60 ] São situações cotidianas com as quais muitas pessoas irão se identificar. Percebemos o quanto nossas emoções, incluindo a ansiedade, estão diretamente relacionadas com nosso intestino. Nesse artigo, vamos te explicar qual a relação do nosso intestino com as nossas emoções e porque, quando estamos ansiosos, o funcionamento desse órgão é alterado. Continue a leitura! Como o intestino reage quando estamos ansiosos Sabemos que a ansiedade é uma condição de saúde da mente que gera diversos sintomas, tanto mentais quanto físicos. Alguns exemplos destes sintomas são: calafrios, dor no peito, medo, insônia, angústia, tensão muscular, tontura e, até mesmo, a tão temida diarreia. O que, talvez, você ainda não saiba é que o intestino é considerado o nosso segundo cérebro, ou seja, o segundo centro de controle do corpo humano. Isso porque ele possui uma rede de neurotransmissores tão grande quanto o cérebro e é responsável, inclusive, pela produção de alguns hormônios como a serotonina (hormônio do bem-estar). Dessa forma, quando nos sentimos ansiosos e/ou angustiados os mensageiros químicos transmitem sinais para o nosso intestino e ele responde por meio de sintomas
  • 61. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 61 ] físicos como alguns dos citados acima, além de náuseas e suor nas mãos. A diarreia é mais frequente em quem sofre da síndrome do intestino irritável. Síndrome do Intestino Irritável (SII) e a ansiedade Você já ouviu falar da Síndrome do Intestino Irritável? É uma condição que pode afetar até 15% da população e que causa alterações no sistema digestivo, fazendo com que o intestino funcione de forma anormal. CAUSA Os motivos que levam uma pessoa a desenvolver a Síndrome ainda são um pouco desconhecidos, já que não se trata de uma doença ou de um defeito anatômico e tão pouco pode causar outros males gastrointestinais. Na realidade, estudos têm mostrado que o intestino pode ter a sensibilidade aumentada em momentos de ansiedade e estresse. Agora você deve estar se perguntando, como uma questão psicológica pode afetar diretamente nosso intestino? Isso acontece porque o estresse, a ansiedade e até a raiva podem estimular o cólon, que apresenta nervos ligados diretamente ao nosso cérebro que servem para manter as contrações do intestino em ritmo normal. Ao se sentir ansioso ou com estresse, essas vias ficam agitadas e acabam causando desconforto abdominal ou diarreia.
  • 62. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 62 ] SINTOMAS Por ser uma condição crônica, os sintomas da SII podem variar bastante de pessoa para pessoa, algumas podem ter sintomas mais leves e outras um pouco mais graves como febre, anemia e perda de peso. Veja outros sintomas que você deve se atentar: ● Dor abdominal; ● Gás e inchaço excessivos; ● Mudança nos hábitos intestinais; ● Diarreia e/ou constipação. TRATAMENTOS É primordial saber, primeiro, em que circunstâncias a síndrome ocorreu, para assim identificar o melhor tratamento. Após passar por um médico especialista, o tratamento pode ser feito a partir de medicações para aliviar os possíveis sintomas, podendo ser eles laxantes, probióticos ou calmantes para ajudar a reduzir as contrações nos intestinos. Caso você sinta que seu estado mental esteja afetando o seu intestino, procure também um psicólogo para conversar e ajudar com a ansiedade e estresse. Assim você consegue fazer um acompanhamento também
  • 63. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 63 ] com um médico gastrointestinal para seguir com um tratamento completo. Para receber orientações personalizadas de uma equipe especializada sobre a saúde de seu intestino, conte com o Centro Paulista de Endoscopia! [15] 16 aula - Psico-oncologia Ciência que estuda a relação do estado emocional e o câncer. A influência das emoções na saúde humana, já apontada pelo grego Hipócrates no século IV a.C., recebe atenção cada vez maior na área médica. Na Unesp, várias pesquisas associam as condições emocionais dos pacientes ao aparecimento e tratamento das doenças. Uma das linhas de investigação destaca a relação do câncer entre mulheres com problemas como estresse, distúrbios familiares e conjugais. A relação entre as emoções e o surgimento de alguns tipos de câncer ou outras doenças devastadoras já é estudada ultimamente com maior seriedade. O
  • 64. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 64 ] surgimento de doenças após longo períodos de estresse não é raro. A imunidade baixa contribui para infecções e vírus atacarem. Evidências mostram que os sentimentos podem ser um fator importante no desenvolvimento da doença. Alguns estudos nessa linha estão publicados no livro “Psico-Oncologia: Caminhos e Perspectivas”, organizado pela psicóloga Carmen Maria Bueno Neme, pesquisadora na área da saúde e desenvolvimento humano da Faculdade de Ciências da Unesp de Bauru. Algumas pesquisas sugerem que a ação do estresse sobre o organismo humano pode provocar modificações funcionais em células, diminuição de
  • 65. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 65 ] linfócitos e de imunoglobina, atuando na redução das defesas do corpo. Se a sua mente e coração não for blindado com bons sentimentos e boas atitudes, o mal entra na sua psiquê e logo ataca o corpo físico. Hoje já sabemos que a maioria das doenças é multideterminada e que há uma confluência de fatores (genéticos, biológicos, psicológicos, ambientais, alimentares, de comportamentos e hábitos, etc.) envolvidos em seu surgimento”. Segundo estudos, os tumores podem surgir como um indicativo de problemas emocionais acumulados e mal gerenciados, principalmente após um evento estressante como a morte de um ente querido, um divórcio, uma demissão, entre outras situações desgastantes. O Dr. Silvio Bromberg escreveu o seguinte artigo sobre este tema: Compreender o adoecer é algo que fascina e desafia o ser humano desde os tempos mais remotos. A medicina moderna aceita há algum tempo a influência das emoções no surgimento de doenças como o câncer, por exemplo. Segundo estudos, os tumores podem surgir como um indicativo de problemas emocionais acumulados e mal gerenciados, principalmente após um evento estressante como a morte de um ente querido, um divórcio, uma demissão, entre outras situações desgastantes.
  • 66. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 66 ] De acordo com alguns especialistas, sentimentos como raiva, desespero, tristeza, angústia e medo podem disparar um conjunto de reações fisiológicas que derrubam as defesas naturais do corpo, tornando o organismo susceptível ao crescimento de células anormais. Esse desequilíbrio é mental, hormonal, orgânico e psicológico. No entanto, um dos fatores mais significativos no processo de adoecimento é o estresse crônico, consequência de uma rotina desgastante, pequenas frustações, problemas financeiros, de relacionamento, entre outros, que minam a saúde e podem gerar diversas doenças, desde resfriados constantes até um câncer. Sendo assim, é importante perceber que a maneira com que lidamos com os problemas do dia a dia pode sim influenciar a nossa saúde, gerando doenças e desequilíbrios. Se adoecemos porque não conseguimos gerenciar nossas emoções, podemos ficar saudáveis se aprendermos a respeitar, compreender e lidar bem com os nossos sentimentos. Ter uma boa saúde e ficar longe do câncer e de outras doenças depende da harmonia entre o corpo e a mente. Aprenda a escutar o que seu corpo fala para você. Uma febre, uma dor, um resfriado crônico, seja qual for o sintoma físico, pode ter sido causado por uma emoção mal gerenciada. Dicas
  • 67. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 67 ] Faça uma faxina interior, liberte-se do passado, viva o hoje e tenha uma perspectiva positiva para o futuro Livre-se do estresse, encontre uma atividade que lhe dê prazer como dançar, pintar, viajar, estudar ou caminhar, etc. Ame em primeiro lugar a pessoa mais importante do mundo: VOCÊ! Acredite que merece as coisas boas da vida Faça todos os dias pelo menos uma coisa que te deixe feliz Invista no seu autoconhecimento Cultive a felicidade [16] 17 aula - o ódio consome tudo Ódio e rancor destrói o cérebro. Trava o cérebro e não consegue pensar em outra coisa. Libere perdão e você libertará sua mente.
  • 68. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 68 ] Perdoar exige alguns passos e “previne” hipertensão e obesidadeAlém de trazer estresse e prejudicar a qualidade do sono, nutrir sentimentos negativos influencia no desenvolvimento de doenças como gastrite, hipertensão, diabete e obesidade Raquel Derevecki em 13/01/2019 publicou o seguinte artigo sobre este tópico: Para perdoar, é necessário colocar-se no lugar da pessoa que lhe magoou, sabendo que todos podem cometer falhas. Para muitas pessoas, perdoar membros do círculo familiar, amigos ou colegas de trabalho que os decepcionaram é quase impossível. Isso acontece quando não há mais confiança ou quando os laços que os aproximavam são cortados pelas ofensas. No entanto, vencer a mágoa e oferecer perdão é necessário para garantir a saúde de quem se sentiu ofendido. Segundo a especialista em psicologia clínica Patricia Santiago, isso ocorre porque, além de tirar a paz, gerar estresse e prejudicar a qualidade do sono, o fato de
  • 69. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 69 ] nutrir sentimentos negativos influencia no desenvolvimento de diversas doenças como gastrite, hipertensão, diabete e obesidade. “Ou seja, o sofrimento é muito maior”, garante. E para tratar essas e outras doenças desencadeadas por sentimentos negativos é necessário mais do que visitas constantes ao médico ou o uso de medicamentos. “Tenho atendido pacientes que, após diminuírem o estresse causado pela mágoa e pelo ódio, melhoraram seus quadros de hipertensão e diabete, por exemplo”. Essa melhora, segundo a especialista, ocorre quando o paciente decide perdoar quem o magoou, aliviando sua carga emocional. No entanto, o processo para isso exige alguns passos. Veja quais são: Passo 1: Reconhecer os sintomas A Associação Americana do Coração e o Colégio Americano de Cardiologia atualizaram os limites considerados normais para a pressão arterial. De acordo com a especialista, o processo de perdão é tão intenso como o processo do luto. “Quando nos magoamos, há o luto das nossas expectativas e ainda há o luto pelo rompimento do relacionamento, já que o individuo não quer mais falar com o outro”, afirma a psicóloga. Isso gera estresse e ativa a produção de adrenalina, hormônio que prepara o organismo para atividades que exigem esforço intenso. “Toda vez que nos sentimos ameaçados ou descontentes, temos sinalizadores internos que deixam o corpo pronto para
  • 70. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 70 ] ação. Com isso, suamos mais e o coração fica acelerado, com sensação de disparo cardíaco”, afirma. Essa reação corporal auxilia em casos de risco, quando há necessidade fuga, ataque ou outro movimento rápido. No entanto, não pode ser constante porque a alta produção da adrenalina exige trabalho árduo do organismo, aumentando a pressão sanguínea. “Quando você pisa fundo no acelerador de um carro, por exemplo, o veículo consumirá mais combustível e exigirá muito mais da parte mecânica. O mesmo ocorre com o corpo humano, onde a sobrecarga na pressão sanguínea pode influenciar no desenvolvimento da hipertensão e de outras doenças, conforme a genética e os hábitos”, compara a psicóloga. Aumento de peso e insônia também podem atingir pessoas que nutrem sentimentos de mágoa, ódio, desejo de vingança ou rancor, pois eles influenciam no descanso e nos hábitos alimentares. “O cérebro passa a pedir produtos energéticos, então há o desejo de comer o que é rico em açúcar, como o chocolate”. Para fazer o procedimento, os médicos avaliam quatro critérios: idade, índice de massa corporal, outras doenças associadas e o tempo de doença. Passo 2: Conversar com alguém de confiança Ao perceber que está nutrindo sentimentos negativos ou reconhecer algum sintoma, é necessário falar com alguém a respeito do assunto. “Os sentimentos são
  • 71. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 71 ] subjetivos, então não dá para organizá-los da forma como fazemos com nossa escrivaninha, separando os objetos e colocando de um lado para o outro. Por isso, falar é a melhor maneira de o cérebro se organizar”, orienta Patricia. Mas não dá para sair conversando com qualquer um. Segundo a especialista, ao abrir seus sentimentos com alguém, é necessário que a pessoa escolhida seja de confiança, para evitar que os segredos se espalhem. “O ideal é falar com alguém da família, um amigo íntimo ou com um terapeuta, que é capacitado para ouvi-lo de forma neutra”. Passo 3: Ter empatia Durante a conversa com esse familiar, amigo ou terapeuta, é necessário colocar-se no lugar da pessoa que lhe magoou, pois todos podem cometer falhas. “Precisamos entender que não somos perfeitos o suficiente nem mesmo para atender nossas próprias expectativas, e que a situação é ainda mais difícil quando pensamos em atender a expectativa do outro”, afirma a psicóloga. Além disso, é necessário deixar o ego de lado, deixando de lado a posição de “dono da razão”. “Enquanto você estiver carregando toda a razão no seu colo, não poderá enxergar o lado do outro porque há algo prejudicando seu olhar. Então, antes de conseguir perdoar, será necessário abdicar de ter razão e de engrandecer seu ego”. Passo 4: Conversar de forma assertiva
  • 72. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 72 ] Com empatia, será possível entrar em contato com a pessoa que lhe magoou para ouvir o outro lado da história. Isso o ajudará a entender os motivos que causaram o desentendimento e poderá resolver a situação. No entanto, essa conversa precisa ser assertiva, transmitindo as ideias e sentimentos dos envolvidos de forma segura, sem dúvidas ou falhas que tragam novos conflitos ou mal-entendidos. “Podem existir problemas na maneira como você aprendeu a se comunicar. Talvez você não tenha aprendido a ouvir ou só consegue falar de forma agressiva, sempre acusando. Isso faz com que o outro não consiga se comunicar com você”, esclarece Patricia. Nesses casos, é necessário treinamento de assertividade para corrigir as falhas de diálogo. Isso pode ser realizado com o auxílio de um terapeuta, que também ajudará na “tradução” do que realmente se queria dizer quando as coisas fugiram do controle. “A pessoa pode ter falado sem pensar, ter escolhido mal as palavras ou nem ter falado aquilo, como ocorre na brincadeira ‘telefone sem fio’, em que a informação muda completamente ao passar de uma pessoa para outra”. Como essa conversa assertiva não é possível nos casos em que um dos indivíduos envolvidos já é falecido, por exemplo, a explanação da mágoa também pode ocorrer por meio de cartas. “Escreva como se fosse literal, mostrando como aquilo o incomodou. Isso vai materializar o que aconteceu e ajudá-lo a lidar com essas emoções”, aconselha a especialista.
  • 73. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 73 ] Passo 5: Escolher perdoar Após dizer “eu te perdoo” é necessário escolher perdoar e estar disposto a tratar as feridas até alcançar a cura completa. Apenas colocar-se no lugar do outro e ouvir o outro lado da história podem não ser suficientes para enterrar a mágoa e seguir em frente. Nesses casos, o maior passo a ser alcançado é amar-se. “O próprio Deus fala na Bíblia [em Isaías 43:25] que nos perdoa por amor a Ele mesmo. Ou seja, nós devemos perdoar os outros como uma forma de ter amor próprio, deixando de lado aquilo que nos faz sofrer”, pontua Patrícia. Para isso, após dizer “eu te perdoo” é preciso escolher perdoar e estar disposto a tratar as feridas até alcançar a cura completa. “No início você ainda vai sentir a mágoa e estará incomodado porque as coisas ainda não estão organizadas”. No entanto, a especialista garante que essa dor diminuirá com o tempo. “Primeiro proponha-se a perdoar. Depois, os sentimentos mudarão e você não sentirá mais esse incômodo ao lembrar do fato”, finaliza. [17] 18 - Alegria é remédio O coração alegre serve de bom remédio; mas o espírito abatido seca os ossos. Provérbios 17.22
  • 74. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 74 ] Letícia Fontes teve o artigo abaixo publicado em 6 de outubro de 2020 sobre a importância de rir como remédio. Dizem que “rir é o melhor remédio”. A frase, inclusive, poderia estar estampada em qualquer livro de autoajuda. Você pode até ficar com preguiça, revirar os olhos para o ditado popular e achar que isso é encarar o mundo com os olhos de Pollyana, mas o famoso jargão tem respaldo científico. A ciência tem provado, nos últimos anos, que, para melhorar a saúde, não bastam apenas hábitos saudáveis, como não fumar, ter uma dieta balanceada e praticar exercícios físicos regularmente. Segundo os especialistas, o bom humor fortalece o sistema imunológico, ajuda na prevenção de doenças, aumenta a energia e ainda é antídoto para o estresse e as dores. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, comprova: rir reduz em até 10% a sensação de dor. E tem mais: alguns estudiosos ainda garantem que o riso e o bom humor protegem até o coração, melhorando a ventilação pulmonar e o fluxo sanguíneo, protegendo contra problemas cardiovasculares e melhorando até o desempenho sexual. Uma pesquisa realizada com idosos no Japão mostrou que pacientes mais bem-humorados tinham menos riscos de doenças cardiovasculares graves. Já outro levantamento publicado na Noruega revelou que ter o senso de humor em dia está também diretamente associado a uma maior expectativa de vida.
  • 75. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 75 ] Mas, se você ainda não está convencido, calma. Pesquisadores da Universidade Loma Linda, na Califórnia, nos Estados Unidos, provaram que o bom humor é um forte aliado até para o bem-estar profissional. Segundo o estudo, pessoas bem-humoradas conseguem se adaptar e lidar melhor com situações adversas. O riso, de acordo com a pesquisa, ajuda, inclusive, a melhorar a memória e o aprendizado uma vez que diminui os hormônios do estresse. Não é à toa que a psiconeuroimunologia é uma nova especialidade da medicina que estuda a maneira pela qual as emoções influem no sistema imunológico. Para Tatiana Mourão, professora do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG, a boa notícia é que rir não tem preço nem contraindicação. Segundo alguns estudos, um bom sorriso no rosto deixa os músculos relaxados por até 45 minutos, aliviando a tensão física e o estresse. Um estudo norte-americano ainda dá a dica: três minutos de boas risadas equivalem a dez minutos de exercício de remo. “Quando damos uma boa gargalhada, isso é, uma gargalhada de verdade, inúmeras alterações biológicas ocorrem em nosso organismo, que vai de alterações em hormônios, como a diminuição do cortisol, até alterações biológicas no sistema cardiovascular e liberação de endorfinas”, explica a especialista, que garante que o bom humor auxilia até na capacidade de resiliência. “Devemos sempre nos cercar de uma pitada de humor, procurar enxergar perspectivas favoráveis a despeito das dificuldades, saber que tudo passa, inclusive
  • 76. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 76 ] os momentos difíceis. Essa atitude de enfrentar as dores de forma otimista e com senso de humor abre portas para soluções criativas e é uma maneira de desenvolvermos uma capacidade importante de enfrentar situações adversas, ajuda na preservação da saúde mental e física; além disso, permite que a pessoa tenha mais disposição para procurar atividades, como exercícios e dieta, que também ajudam a manter a saúde”, destaca. Autoajuda Se as pesquisas não te convenceram até agora e você continua achando que isso é papo de livro de autoajuda, temos outro argumento. A ciência já mostrou que pessoas mal-humoradas liberam hormônios que causam palpitações, dores de cabeça, arritmia e até dificuldade de digestão. Em níveis extremos, o mau humor pode até predispor derrame cerebral, infarto e câncer. E os especialistas garantem que, se o bom humor contagia, o peso de ser mal-humorado também afeta todos à nossa volta. “A saúde é um estado geral de bem-estar físico, mental e social. A saúde não depende apenas da doença, mas também de um estado de bem-estar. Por isso, permanecer constantemente mal-humorado pode trazer prejuízos às nossas relações sociais, aumentar os níveis de estresse e aumentar a chance de quadros de depressão e ansiedade”, avalia a psiquiatra, Kelly Robis, professora da UFMG e da PUC Minas.
  • 77. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 77 ] E a médica Tatiana Mourão reforça: “O mau humor constante é um problema. A pessoa mal-humorada possui dificuldades de lidar com suas próprias dores assim como ser empática com outras pessoas. Já estamos num período muito difícil, a pandemia traz inúmeras perdas, seja morte de pessoas ao nosso redor, perda de um estilo de vida com maior socialização, perdas econômicas e na área da educação. Não se trata de negar tudo que está acontecendo. Mas olhar com algum senso de humor situações do nosso cotidiano, ler ou assistir a algo que nos faça dar uma boa gargalhada. Podemos também ter contato, mesmo que remoto, com pessoas que nos façam rir um pouco apesar dos momentos sombrios”, pontua. Porém, ser bem-humorado não é ser palhaço e rir de tudo e de todos. A jornalista Leila Ferreira, autora do livro “A Arte de Ser Leve”, entende que é difícil não ser ranzinza e fechar a cara naqueles momentos em que tudo parece dar errado. E tudo bem ter momentos de mau humor e tristeza, os sentimentos também são inevitáveis, garante Leila. “Bom humor não é ficar rindo o tempo todo nem viver uma alegria permanente, algo fabricado e de aparência. A vida nos dá, sim, motivos para ter momentos e até semanas de mau humor, mas ele é tóxico. Sou capaz de passar uma vida com uma pessoa deprimida, mas consigo conversar apenas dez minutos com uma pessoa mal-humorada. Mas isso não é fingir que está bem quando não está. É importante viver as tristezas e angústias; não se trata de camuflar esses estados de espírito, mas é ter
  • 78. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 78 ] capacidade de entender que a vida é feita desses e de tantos outros estados”, aconselha. "O riso é altamente social e nos ajuda a nos conectar com as outras pessoas, além de reduzir os níveis de estresse e trazer sentimentos de satisfação. Por outro lado, aceitar que as emoções, ainda que negativas, se conectem com as nossas vivências, está relacionada a uma maior sensação de felicidade e não uma redução. Na nossa cultura, esperamos nos sentirmos bem o tempo todo. Mesmo quando nos sentimos bem, nós ainda pensamos que deveríamos estar ainda melhor. Essa expectativa nos leva a uma constante frustração o que pode nos tornar menos felizes no geral e isso pode ser muito prejudicial à nossa saúde", completa a psiquiatra, Kelly Robis. Como ser bem-humorado - O primeiro passo, segundo os especialistas, é investir na produção dos hormônios que formam o chamado “quarteto da felicidade”. A serotonina, a endorfina, a ocitocina e a dopamina são os hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar e prazer. E, para isso, a dica é se exercitar regularmente e manter uma dieta balanceada. Os especialistas alertam que, quando em desequilíbrio no organismo, o quarteto pode provocar estresse, insônia, desânimo, ganho de peso e, claro, mau humor. - Alimentos ricos em vitamina B, como salmão, batata, abacate e espinafre, além de ajudar na
  • 79. MEDICINA PSICOSSOMÁTICA [ 79 ] desintoxicação corporal, são excelentes aliados na produção de serotonina. Já os alimentos ricos em magnésio, a exemplo de feijão, banana, nozes, castanhas e amêndoas, vão te ajudar até a regular os nervos e as emoções. Os alimentos ajudam a melhorar o humor e são antidepressivos naturais. E pode ficar despreocupado; o chocolate não fica de fora desta lista. A versão amarga, que possui 70% de cacau na composição, também está liberada pelos médicos. - Tenha momentos de respiro. A dica é da jornalista Leila Ferreira, que garante que esquecer as obrigações por alguns instantes e se dedicar ao descanso é essencial para o bom funcionamento do organismo. E não precisa se preocupar em se dedicar a grandes atividades para isso, ouvir uma música, tomar sol, meditar ou passar cinco minutos brincando com seu cachorro pode te garantir momentos de alívio e bom humor durante todo o dia. “Faça pausas nem que seja para ficar à toa cinco minutos e silenciar a mente por dez. Desligue o celular, tenha conversas presentes. As pessoas tentam ser interessantes, mas é melhor ser interessada pelo outro e pelo mundo. Quando não estiver bem ou se estiver mal- humorado, fale, converse. Mostrar sua fragilidade faz com que o próximo te entenda e te ajude”, aconselha a palestrante. - Agradeça pelas coisas boas que aconteceram em sua vida. Fazer uma lista e lembrar de suas conquistas te distância dos pensamentos negativos.