SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentacao anvisa
Quão perigoso é o serviço de saúde?
Prof. Gama, ZAS
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
Atenção
Centrada no
Paciente
Oportunidade
/ Acesso
Eficiência Equidade
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
Dimensões da Qualidade
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
Atenção
Centrada no
Paciente
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
Atenção
Centrada no
Paciente
Oportunidade
/ Acesso
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
Atenção
Centrada no
Paciente
Oportunidade
/ Acesso
Eficiência
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
Fontes:
Institute of Medicine (IOM), 2001.
Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006
Segurança Efetividade
Atenção
Centrada no
Paciente
Oportunidade
/ Acesso
Eficiência Equidade
QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE
Dimensões da Qualidade
Prof. Gama, ZAS
REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE
SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE
• Publicação das Resoluções de reprocessamento:
– RE 2606/06, que dispõe sobre as diretrizes para
elaboração, validação e implantação de
protocolos de reprocessamento de produtos
médicos;
– RE 2605/06,que estabelece a lista de produtos
médicos enquadrados como de uso único
proibidos de ser reprocessados;
– RDC Anvisa nº 156, de 11 de agosto de 2006,
que dispõe sobre o registro, rotulagem e
reprocessamento de produtos médicos
REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE
SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE
• Publicação da RDC 08/2009: medidas para
redução da ocorrência de infecções por
Micobactérias de Crescimento Rápido - MCR
em SS
• Publicação da RDC 02/2010: gerenciamento de
tecnologias em saúde em estabelecimentos
de saúde
• Publicação da RDC nº 06/2012:Boas Práticas de
Funcionamento para as Unidades de
Processamento de Roupas
REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE
SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE E
• Publicação da RDC nº 15/2012:
requisitos de Boas Práticas para
o processamento de produtos
para saúde
• RDC 42/2010: disponibilização de
preparação alcoólica para
fricção antisséptica das mãos em
serviços de saúde.
Novas Diretrizes de Regulamentação em
Serviços de Saúde
• Foco na adoção de Boas Práticas
• Encontrar a medida certa entre o Padrão Ouro X Padrão
Mínimo
• Foco nos processos de trabalho como Pontos Criticos de
Controle
• Considerar as diferenças regionais e a complexidade dos
riscos envolvidos no processo de produção
• Enfrentar a ilegalidade dos serviços de saúde
• Promover a ação discricionária das Vigilâncias Sanitárias
Uma oportunidade…..
Publicacao da RDC Nº. 63/2011,
que dispoe sobre as
Boas Práticas em Servicos de Saude
Foco na qualidade
CONSULTA PÚBLICA Nº 37
Introdução do conceito de Boas Práticas de
Funcionamento (BPF): componentes da Garantia
da Qualidade que asseguram que os serviços são
ofertados com padrões de qualidade adequados.
As BPF são orientadas primeiramente à
diminuição dos riscos inerentes a prestação de
serviços de saúde.
REQUISITOS PARA FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE (RDC 63/2011)
Uma oportunidade para a
seguranca do paciente.....
Art. 8º O serviço de Saude deve estabelecer estratégias e ações
direcionadas a segurança do paciente, tais como:
I. Mecanismos de identificação dos paciente;
II. Orientações para higienização das mãos ;
III. Ações de prevenção e controle de eventos
adversos relacionadas a assistência a saúde;
IV. Mecanismos para garantir Seguranca cirúrgica
;
Gerência de Tecnologia em Serviço de
Saúde
Uma oportunidade para a
segurança do paciente.....
V. Orientações para administração segura de
medicamentos, sangue e hemocomponentes;
VI. Mecanismos para prevenção de quedas dos
pacientes;
VII. Mecanismos para a prevenção de úlceras
por pressão;
VIII. Orientações para estimular a participação
do paciente na assistência oferecida .
Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de
Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção
de danos na assistência à saúde
Rede Sentinela
192 hospitais da Rede Sentinela
monitoram um conjunto de eventos adversos
no atendimento aos pacientes. A experiência
permitiu o lançamento do Programa Nacional
de Segurança do Paciente
A Rede responde por aproximadamente 60 mil leitos e
cerca de 40 mil atendimentos por dia
Os hospitais da rede realizam monitoramento sistemático:
 Infecção sanguínea adquirida na UTI do hospital
 Uso de medicamentos
 Uso do sangue
 Uso de produtos como próteses
Diagnóstico
Estudos apontam que de cada dez pacientes atendidos em um
hospital, um sofre pelo menos um evento adverso como:
 Queda
 Administração incorreta de medicamentos
 Falhas na identificação do paciente
 Erros em procedimentos cirúrgicos
 Infecções
 Mau uso de dispositivos e equipamentos médicos
*Fonte: Fiocruz - Revisão dos estudos de avaliação da ocorrência de eventos adversos em hospitais -
Mendes, W. et al. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(4): 393-406
Diagnóstico
A maior parte destas ocorrências poderia ser evitada com medidas
para ampliar a segurança do paciente no hospital
País Incidência (%) Evitáveis (%)
Brasil 7,6 66,7
Nova Zelândia 11,3 61,6
Austrália 16,6 50
Dinamarca 9 40,4
França 14,5 27,6
Espanha 14,5 42,8
Canadá 7,5 37
*Fonte: Fiocruz - Revisão dos estudos de avaliação da ocorrência de eventos adversos em hospitais -
Mendes, W. et al. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(4): 393-406
Programa Nacional de Segurança do Paciente
Ações
 Implementação de seis Protocolos de Segurança do Paciente com foco nos
problemas de maior incidência
 RDC da Anvisa que estabelece a obrigatoriedade de criação de Núcleos de
Segurança do Paciente nos serviços de saúde e da notificação de eventos
adversos associados à assistência do paciente
 Edital de Chamamento Público do setor produtivo da saúde para proposição
de medidas de ampliação da segurança dos pacientes em serviços de saúde
Comitê Implementação e monitoramento
Representantes do governo, entidades de classe, sociedade civil e
universidades
 Ministério da Saúde: ANVISA, ANS, FIOCRUZ, SE, SAS, SVS, SCTI, SGTES
 Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)
 Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS)
 Conselho Federal de Medicina (CFM)
 Conselho Federal de Enfermagem (COFEN)
 Conselho Federal de Odontologia (CFO)
 Conselho Federal de Farmácia (CFF)
 Organização Pan Americana de Saúde (OPAS)
 Pesquizadores com Notório Saber na área de Segurança do Paciente e
Qualidade em Saúde.
Protocolos de Segurança do Paciente
Seis protocolos vão orientar profissionais na ampliação da segurança
do paciente nos serviços de saúde
 Cirurgia segura
 Prática de Higiene das mãos em serviços de saúde
 Prevenção de úlceras por pressão
 Prevenção de quedas em pacientes hospitalizados
 Identificação do paciente
 Segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos
RDC da Anvisa em consulta pública
- Obriga a implantação dos Núcleos de Segurança do Paciente nos serviços
de saúde – públicos e privados – em até 120 dias
- Torna compulsória a notificação de eventos adversos pelos serviços de
saúde abrangidos pela norma
- Determina que os serviços de saúde que descumprirem a norma estarão
sujeitos às ações sanitárias previstas em lei, incluindo a suspensão do alvará
de funcionamento
Mobilização
Articulação do Ministério da Saúde com Estados, municípios,
conselhos e sociedades profissionais para:
 Aperfeiçoar e concluir protocolos de segurança do paciente, que entrarão em
consulta pública
 Criar Comitê Nacional para apoiar a implementação e monitoramento do
andamento do programa
 Montar plano de capacitação de profissionais de saúde, com base nas
considerando os protocolos e demandas dos serviços
Chamamento Público
 Dirigido às instituições; entidades representativas dos setores
produtivos e hospitalar; instituições e entidades de ensino e
pesquisa relacionadas à temática de segurança do paciente
 Força de Trabalho para propor medidas que visem a
promoção da segurança do paciente.
Outras atividades do PNSP
 Cartaz e Cubo dirigido aos profissionais de saúde
 Seminário Internacional sobre Segurança do Paciente - maio 2013 em Brasília
previsão de 200 participantes
 Termo de Cooperação com CFM para cursos de capacitação
 Edição da Série Cadernos de Segurança do Paciente MS/ANVISA-OPAS
 Hotsite – sobre Segurança do Paciente http://www.anvisa.gov.br/hotsite/segurancadopaciente/index.html
 Conferência Internacional de Qualidade em Saúde em outubro de 2014 no
Rio de Janeiro
 Cursos em parceria com instituições de referência e hospitais de excelência
que participam do PROADI-SUS para capacitação de profissionais
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
Segurança do Paciente em Serviços
de Saúde – CIRURGIA SEGURA
PROJETO ANVISA TERMO DE COOPERACAO/OPAS
GGTES/GVIMS
Ferramentas da OMS
• Manual Cirurgias Seguras Salvam Vidas
• Guia de Implantação
• Cartazes
• Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica
CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
ANVISA/TC/OPAS
• OBJETIVO GERAL
–Avaliar a aplicação da Lista de
Verificação de Segurança Cirúrgica
(checklist) nas salas de operação de
hospitais, utilizando-se os
instrumentos para cirurgia segura da
OMS para a segurança do paciente
• OBJETIVOS ESPECÍFICOS
– Criar mecanismos para a aplicação da Lista de
Verificação da Segurança Cirúrgica.
– Aplicar a Lista de Verificação da Segurança
Cirúrgica.
– Analisar os resultados obtidos.
– Relacionar complicações cirúrgicas e óbitos, antes
e após a aplicação da Lista.
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
ANVISA/TC/OPAS
• Hospitais da Rede Sentinela - 5 hospitais
(Distrito Federal)
• Coordenação Nacional (Anvisa/MS, OPAS/MS
e CBC) e Coordenação Distrital de Controle de
Infecção
• Público; federal; ensino; ≥ 1 sala de operação
– Assinatura de “Termo de Compromisso”, pelo
diretor da instituição.
– Formalização da CCIH ou Gerência de Risco, ou
Comissão de Segurança do Paciente ou Gerência
de Qualidade.
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
ANVISA/TC/OPAS
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
ANVISA/TC/OPAS
• Fase de planejamento e preparação da unidade
– Equipe condutora (formada no mínimo por cirurgião,
anestesiologista, enfermeiro, representante da CCIH ou da
Gerência de Risco, ou da Comissão de Segurança do
Paciente ou da Gerência de Qualidade)
– Coordenador local da Lista
– Capacitação da equipe condutora e do coordenador local,
incluindo chefes de departamento, serviço e equipes de
saúde (enfermeiros, chefes de cirurgia, equipe cirúrgica e
equipe do centro de recuperação anestésica), pela
Coordenação Nacional.
• Fase de implementação
– “Questionário para Avaliação da Unidade Antes da
Aplicação da Lista de Verificação da Segurança
Cirúrgica”
– Aplicação da Lista de Verificação da Segurança
Cirúrgica propriamente dita
– Reuniões à distância da Coordenação Nacional com
coordenadores locais e Coordenações de Controle de
Infecção Hospitalar – CECIH do estado ou Distrito
Federal
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
ANVISA/TC/OPAS
• Fase de avaliação
– Avaliação da aplicação da Lista de Verificação da
Segurança Cirúrgica
• Sustentação
– Estratégias
– Ampliação
• Notificação nacional dos indicadores de ISC
• Notificação de eventos adversos relacionados
aos procedimentos cirúrgicos
CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS: Avanços
Necessários
“A ÚNICA ESPERANÇA PARA
MELHORAR SUBSTANCIALMENTE A
ATENÇÃO À SAÚDE É UMA REVOLUÇÃO
INTERNA DA VELHA GUARDA”
Richard Bohmer, Harvard Business School
Prof. Gama, ZAS
Agência Nacional de Vigilância Sanitária
- Anvisa -
www.anvisa.gov.br
Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde
- GGTES -
ggtes@anvisa.gov.br
(61) 3462- 4014
• PORTARIA nº- 529, DE 1o- DE ABRIL
DE 2013: Institui o Programa Nacional
de Segurança do Paciente (PNSP).
– objetivo geral de contribuir para a
qualificação do cuidado em saúde em todos
os estabelecimentos de saúde do território
nacional
NOVAS PERSPECTIVAS
• Consulta Pública nº 09/2013: Institui as ações
de vigilância sanitária para segurança do
paciente em serviços de saúde e dá outras
providências.
• Principais Tópicos:
– Criação do Núcleo de Segurança do Paciente
– Plano de Segurança do Paciente
– Vigilância de Eventos Adversos Relacionados à
Assistência.
NOVAS PERSPECTIVAS
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa
Apresentacao anvisa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segurança do Paciente.pptx
Segurança do Paciente.pptxSegurança do Paciente.pptx
Segurança do Paciente.pptx
CecliaNatiellydaSilv
 
Aula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do PacienteAula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do Paciente
Proqualis
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
Proqualis
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
Aula de eventos adversos aspectos introdutorios
Aula de eventos adversos   aspectos introdutoriosAula de eventos adversos   aspectos introdutorios
Aula de eventos adversos aspectos introdutorios
Proqualis
 
Uti
UtiUti
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Will Nunes
 
Cartilha Urgência e Emergência
Cartilha Urgência e EmergênciaCartilha Urgência e Emergência
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzAula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Proqualis
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
gerenciamento de enfermagem
gerenciamento de enfermagemgerenciamento de enfermagem
gerenciamento de enfermagem
josi uchoa
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
resenfe2013
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
Danilo Nunes Anunciação
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
Wellington Moreira Ribeiro
 
Paciente internado
Paciente internadoPaciente internado
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Aline Bandeira
 
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentesAula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Proqualis
 
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Proqualis
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
resenfe2013
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
Jardiel7
 

Mais procurados (20)

Segurança do Paciente.pptx
Segurança do Paciente.pptxSegurança do Paciente.pptx
Segurança do Paciente.pptx
 
Aula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do PacienteAula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do Paciente
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Aula de eventos adversos aspectos introdutorios
Aula de eventos adversos   aspectos introdutoriosAula de eventos adversos   aspectos introdutorios
Aula de eventos adversos aspectos introdutorios
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Cartilha Urgência e Emergência
Cartilha Urgência e EmergênciaCartilha Urgência e Emergência
Cartilha Urgência e Emergência
 
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzAula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Aula Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Prontuário
 
gerenciamento de enfermagem
gerenciamento de enfermagemgerenciamento de enfermagem
gerenciamento de enfermagem
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
 
Paciente internado
Paciente internadoPaciente internado
Paciente internado
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentesAula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentes
 
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 

Destaque

Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Proqualis
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
Camila Melo
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
Adriana Dias Domingos
 
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Emmanuel Souza
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Robson Peixoto
 
Identificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamenteIdentificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamente
Proqualis
 
Disclosure (Abertura de Informação)
Disclosure  (Abertura de Informação)Disclosure  (Abertura de Informação)
Disclosure (Abertura de Informação)
Proqualis
 
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
Proqualis
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentos
Proqualis
 
Aula cultura de_seguranca
Aula cultura de_segurancaAula cultura de_seguranca
Aula cultura de_seguranca
Proqualis
 
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do pacienteComo avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
Proqualis
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
Ghiordanno Bruno
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Proqualis
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
Ailton Silva
 
Anvisa - Flávia Sobral
Anvisa - Flávia Sobral Anvisa - Flávia Sobral
Anvisa - Flávia Sobral
Oncoguia
 
My Complaint
My ComplaintMy Complaint
My Complaint
Nikhil Parekh
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Jornal do Commercio
 
Proceso de abstraccion feudos y comercio
Proceso de abstraccion feudos y comercioProceso de abstraccion feudos y comercio
Proceso de abstraccion feudos y comercio
Jesus Garcia
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Lorena Albuquerque Vieira
 
Reforma sanitaria 2012
Reforma sanitaria 2012Reforma sanitaria 2012
Reforma sanitaria 2012
EqpMigraciones
 

Destaque (20)

Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
 
Identificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamenteIdentificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamente
 
Disclosure (Abertura de Informação)
Disclosure  (Abertura de Informação)Disclosure  (Abertura de Informação)
Disclosure (Abertura de Informação)
 
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentos
 
Aula cultura de_seguranca
Aula cultura de_segurancaAula cultura de_seguranca
Aula cultura de_seguranca
 
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do pacienteComo avaliar a cultura de segurança do paciente
Como avaliar a cultura de segurança do paciente
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Anvisa - Flávia Sobral
Anvisa - Flávia Sobral Anvisa - Flávia Sobral
Anvisa - Flávia Sobral
 
My Complaint
My ComplaintMy Complaint
My Complaint
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
 
Proceso de abstraccion feudos y comercio
Proceso de abstraccion feudos y comercioProceso de abstraccion feudos y comercio
Proceso de abstraccion feudos y comercio
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 
Reforma sanitaria 2012
Reforma sanitaria 2012Reforma sanitaria 2012
Reforma sanitaria 2012
 

Semelhante a Apresentacao anvisa

A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
AlineRibeiro648347
 
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptxVigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
NgelaNascimento11
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Proqualis
 
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnnslide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
pamelacastro71
 
2. anvs hig das maos
2. anvs   hig das maos2. anvs   hig das maos
2. anvs hig das maos
Simone Cardoso
 
Manual cirurgias seguras salvam vidas
Manual cirurgias seguras salvam vidasManual cirurgias seguras salvam vidas
Manual cirurgias seguras salvam vidas
JlioAlmeida21
 
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzImplementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Proqualis
 
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manualSeguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Helena Vianna
 
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manualSeguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Ilanna Albuquerque
 
Cirurgias seguras salvam vidas
Cirurgias seguras salvam vidasCirurgias seguras salvam vidas
Cirurgias seguras salvam vidas
Kelly Jennifer Sales
 
Higienização das mãos
Higienização das mãos Higienização das mãos
Higienização das mãos
Solange Giaretta
 
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdfCamila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
VanessaGoncalves26
 
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
Proqualis
 
Segurança do Paciente em Unidades Neonatais
Segurança do Paciente em Unidades NeonataisSegurança do Paciente em Unidades Neonatais
Implantação da cirurgia segura
Implantação da cirurgia seguraImplantação da cirurgia segura
Implantação da cirurgia segura
cmecc
 
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde
 
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Luciana Nazaret
 
Segurança do pasciente
Segurança do pascienteSegurança do pasciente
Segurança do pasciente
IrYarasdp
 
Manual cirurgia segura
Manual cirurgia seguraManual cirurgia segura
Manual cirurgia segura
Letícia Spina Tapia
 
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptx
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptxAula 01 Qualidade RDC 63.pptx
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptx
Kelengomez
 

Semelhante a Apresentacao anvisa (20)

A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
A Segurança do Paciente e a Qualidade em Serviços de Saúde no Contexto Nacion...
 
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptxVigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
Vigilância Sanitária e Serviços de Saúde.pptx
 
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
Aula sobre Avaliação Nacional das Práticas de Segurança do Paciente - por Mar...
 
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnnslide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
 
2. anvs hig das maos
2. anvs   hig das maos2. anvs   hig das maos
2. anvs hig das maos
 
Manual cirurgias seguras salvam vidas
Manual cirurgias seguras salvam vidasManual cirurgias seguras salvam vidas
Manual cirurgias seguras salvam vidas
 
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzImplementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
 
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manualSeguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
 
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manualSeguranca paciente cirurgia_salva_manual
Seguranca paciente cirurgia_salva_manual
 
Cirurgias seguras salvam vidas
Cirurgias seguras salvam vidasCirurgias seguras salvam vidas
Cirurgias seguras salvam vidas
 
Higienização das mãos
Higienização das mãos Higienização das mãos
Higienização das mãos
 
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdfCamila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
Camila_Barcia_Nucleo_de_Seguranca_do_Paciente.pdf
 
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
Apresentação de Claudia Travassos no II Seminário Internacional sobre Qualida...
 
Segurança do Paciente em Unidades Neonatais
Segurança do Paciente em Unidades NeonataisSegurança do Paciente em Unidades Neonatais
Segurança do Paciente em Unidades Neonatais
 
Implantação da cirurgia segura
Implantação da cirurgia seguraImplantação da cirurgia segura
Implantação da cirurgia segura
 
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
 
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
 
Segurança do pasciente
Segurança do pascienteSegurança do pasciente
Segurança do pasciente
 
Manual cirurgia segura
Manual cirurgia seguraManual cirurgia segura
Manual cirurgia segura
 
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptx
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptxAula 01 Qualidade RDC 63.pptx
Aula 01 Qualidade RDC 63.pptx
 

Mais de 07082001

Manual gerenciamento residuos
Manual gerenciamento residuosManual gerenciamento residuos
Manual gerenciamento residuos
07082001
 
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301aLegislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
07082001
 
Aula recursos f+¡sicos
Aula recursos f+¡sicosAula recursos f+¡sicos
Aula recursos f+¡sicos
07082001
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
07082001
 
Aula arh [modo de compatibilidade]
Aula   arh [modo de compatibilidade]Aula   arh [modo de compatibilidade]
Aula arh [modo de compatibilidade]
07082001
 
Gerenciamento
GerenciamentoGerenciamento
Gerenciamento
07082001
 

Mais de 07082001 (6)

Manual gerenciamento residuos
Manual gerenciamento residuosManual gerenciamento residuos
Manual gerenciamento residuos
 
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301aLegislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
Legislacao f90aacbadd7e79660fc60e6c305b301a
 
Aula recursos f+¡sicos
Aula recursos f+¡sicosAula recursos f+¡sicos
Aula recursos f+¡sicos
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
 
Aula arh [modo de compatibilidade]
Aula   arh [modo de compatibilidade]Aula   arh [modo de compatibilidade]
Aula arh [modo de compatibilidade]
 
Gerenciamento
GerenciamentoGerenciamento
Gerenciamento
 

Último

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 

Apresentacao anvisa

  • 2. Quão perigoso é o serviço de saúde? Prof. Gama, ZAS
  • 4. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade Atenção Centrada no Paciente Oportunidade / Acesso Eficiência Equidade QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 5. Dimensões da Qualidade Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Prof. Gama, ZAS
  • 6. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 7. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade Atenção Centrada no Paciente QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 8. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade Atenção Centrada no Paciente Oportunidade / Acesso QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 9. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade Atenção Centrada no Paciente Oportunidade / Acesso Eficiência QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 10. Fontes: Institute of Medicine (IOM), 2001. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2006 Segurança Efetividade Atenção Centrada no Paciente Oportunidade / Acesso Eficiência Equidade QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Dimensões da Qualidade Prof. Gama, ZAS
  • 11. REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE • Publicação das Resoluções de reprocessamento: – RE 2606/06, que dispõe sobre as diretrizes para elaboração, validação e implantação de protocolos de reprocessamento de produtos médicos; – RE 2605/06,que estabelece a lista de produtos médicos enquadrados como de uso único proibidos de ser reprocessados; – RDC Anvisa nº 156, de 11 de agosto de 2006, que dispõe sobre o registro, rotulagem e reprocessamento de produtos médicos
  • 12. REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE • Publicação da RDC 08/2009: medidas para redução da ocorrência de infecções por Micobactérias de Crescimento Rápido - MCR em SS • Publicação da RDC 02/2010: gerenciamento de tecnologias em saúde em estabelecimentos de saúde • Publicação da RDC nº 06/2012:Boas Práticas de Funcionamento para as Unidades de Processamento de Roupas
  • 13. REGULAMENTAÇÃO: QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDES e SEGURANÇA DO PACIENTE E • Publicação da RDC nº 15/2012: requisitos de Boas Práticas para o processamento de produtos para saúde • RDC 42/2010: disponibilização de preparação alcoólica para fricção antisséptica das mãos em serviços de saúde.
  • 14. Novas Diretrizes de Regulamentação em Serviços de Saúde • Foco na adoção de Boas Práticas • Encontrar a medida certa entre o Padrão Ouro X Padrão Mínimo • Foco nos processos de trabalho como Pontos Criticos de Controle • Considerar as diferenças regionais e a complexidade dos riscos envolvidos no processo de produção • Enfrentar a ilegalidade dos serviços de saúde • Promover a ação discricionária das Vigilâncias Sanitárias
  • 15. Uma oportunidade….. Publicacao da RDC Nº. 63/2011, que dispoe sobre as Boas Práticas em Servicos de Saude Foco na qualidade
  • 16. CONSULTA PÚBLICA Nº 37 Introdução do conceito de Boas Práticas de Funcionamento (BPF): componentes da Garantia da Qualidade que asseguram que os serviços são ofertados com padrões de qualidade adequados. As BPF são orientadas primeiramente à diminuição dos riscos inerentes a prestação de serviços de saúde. REQUISITOS PARA FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE (RDC 63/2011)
  • 17. Uma oportunidade para a seguranca do paciente..... Art. 8º O serviço de Saude deve estabelecer estratégias e ações direcionadas a segurança do paciente, tais como: I. Mecanismos de identificação dos paciente; II. Orientações para higienização das mãos ; III. Ações de prevenção e controle de eventos adversos relacionadas a assistência a saúde; IV. Mecanismos para garantir Seguranca cirúrgica ; Gerência de Tecnologia em Serviço de Saúde
  • 18. Uma oportunidade para a segurança do paciente..... V. Orientações para administração segura de medicamentos, sangue e hemocomponentes; VI. Mecanismos para prevenção de quedas dos pacientes; VII. Mecanismos para a prevenção de úlceras por pressão; VIII. Orientações para estimular a participação do paciente na assistência oferecida .
  • 19. Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde
  • 20. Rede Sentinela 192 hospitais da Rede Sentinela monitoram um conjunto de eventos adversos no atendimento aos pacientes. A experiência permitiu o lançamento do Programa Nacional de Segurança do Paciente A Rede responde por aproximadamente 60 mil leitos e cerca de 40 mil atendimentos por dia Os hospitais da rede realizam monitoramento sistemático:  Infecção sanguínea adquirida na UTI do hospital  Uso de medicamentos  Uso do sangue  Uso de produtos como próteses
  • 21. Diagnóstico Estudos apontam que de cada dez pacientes atendidos em um hospital, um sofre pelo menos um evento adverso como:  Queda  Administração incorreta de medicamentos  Falhas na identificação do paciente  Erros em procedimentos cirúrgicos  Infecções  Mau uso de dispositivos e equipamentos médicos *Fonte: Fiocruz - Revisão dos estudos de avaliação da ocorrência de eventos adversos em hospitais - Mendes, W. et al. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(4): 393-406
  • 22. Diagnóstico A maior parte destas ocorrências poderia ser evitada com medidas para ampliar a segurança do paciente no hospital País Incidência (%) Evitáveis (%) Brasil 7,6 66,7 Nova Zelândia 11,3 61,6 Austrália 16,6 50 Dinamarca 9 40,4 França 14,5 27,6 Espanha 14,5 42,8 Canadá 7,5 37 *Fonte: Fiocruz - Revisão dos estudos de avaliação da ocorrência de eventos adversos em hospitais - Mendes, W. et al. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(4): 393-406
  • 23. Programa Nacional de Segurança do Paciente Ações  Implementação de seis Protocolos de Segurança do Paciente com foco nos problemas de maior incidência  RDC da Anvisa que estabelece a obrigatoriedade de criação de Núcleos de Segurança do Paciente nos serviços de saúde e da notificação de eventos adversos associados à assistência do paciente  Edital de Chamamento Público do setor produtivo da saúde para proposição de medidas de ampliação da segurança dos pacientes em serviços de saúde
  • 24. Comitê Implementação e monitoramento Representantes do governo, entidades de classe, sociedade civil e universidades  Ministério da Saúde: ANVISA, ANS, FIOCRUZ, SE, SAS, SVS, SCTI, SGTES  Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)  Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS)  Conselho Federal de Medicina (CFM)  Conselho Federal de Enfermagem (COFEN)  Conselho Federal de Odontologia (CFO)  Conselho Federal de Farmácia (CFF)  Organização Pan Americana de Saúde (OPAS)  Pesquizadores com Notório Saber na área de Segurança do Paciente e Qualidade em Saúde.
  • 25. Protocolos de Segurança do Paciente Seis protocolos vão orientar profissionais na ampliação da segurança do paciente nos serviços de saúde  Cirurgia segura  Prática de Higiene das mãos em serviços de saúde  Prevenção de úlceras por pressão  Prevenção de quedas em pacientes hospitalizados  Identificação do paciente  Segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos
  • 26. RDC da Anvisa em consulta pública - Obriga a implantação dos Núcleos de Segurança do Paciente nos serviços de saúde – públicos e privados – em até 120 dias - Torna compulsória a notificação de eventos adversos pelos serviços de saúde abrangidos pela norma - Determina que os serviços de saúde que descumprirem a norma estarão sujeitos às ações sanitárias previstas em lei, incluindo a suspensão do alvará de funcionamento
  • 27. Mobilização Articulação do Ministério da Saúde com Estados, municípios, conselhos e sociedades profissionais para:  Aperfeiçoar e concluir protocolos de segurança do paciente, que entrarão em consulta pública  Criar Comitê Nacional para apoiar a implementação e monitoramento do andamento do programa  Montar plano de capacitação de profissionais de saúde, com base nas considerando os protocolos e demandas dos serviços
  • 28. Chamamento Público  Dirigido às instituições; entidades representativas dos setores produtivos e hospitalar; instituições e entidades de ensino e pesquisa relacionadas à temática de segurança do paciente  Força de Trabalho para propor medidas que visem a promoção da segurança do paciente.
  • 29. Outras atividades do PNSP  Cartaz e Cubo dirigido aos profissionais de saúde  Seminário Internacional sobre Segurança do Paciente - maio 2013 em Brasília previsão de 200 participantes  Termo de Cooperação com CFM para cursos de capacitação  Edição da Série Cadernos de Segurança do Paciente MS/ANVISA-OPAS  Hotsite – sobre Segurança do Paciente http://www.anvisa.gov.br/hotsite/segurancadopaciente/index.html  Conferência Internacional de Qualidade em Saúde em outubro de 2014 no Rio de Janeiro  Cursos em parceria com instituições de referência e hospitais de excelência que participam do PROADI-SUS para capacitação de profissionais
  • 32. Segurança do Paciente em Serviços de Saúde – CIRURGIA SEGURA PROJETO ANVISA TERMO DE COOPERACAO/OPAS GGTES/GVIMS
  • 33. Ferramentas da OMS • Manual Cirurgias Seguras Salvam Vidas • Guia de Implantação • Cartazes • Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
  • 38. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS ANVISA/TC/OPAS • OBJETIVO GERAL –Avaliar a aplicação da Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica (checklist) nas salas de operação de hospitais, utilizando-se os instrumentos para cirurgia segura da OMS para a segurança do paciente
  • 39. • OBJETIVOS ESPECÍFICOS – Criar mecanismos para a aplicação da Lista de Verificação da Segurança Cirúrgica. – Aplicar a Lista de Verificação da Segurança Cirúrgica. – Analisar os resultados obtidos. – Relacionar complicações cirúrgicas e óbitos, antes e após a aplicação da Lista. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
  • 40. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS ANVISA/TC/OPAS • Hospitais da Rede Sentinela - 5 hospitais (Distrito Federal) • Coordenação Nacional (Anvisa/MS, OPAS/MS e CBC) e Coordenação Distrital de Controle de Infecção
  • 41. • Público; federal; ensino; ≥ 1 sala de operação – Assinatura de “Termo de Compromisso”, pelo diretor da instituição. – Formalização da CCIH ou Gerência de Risco, ou Comissão de Segurança do Paciente ou Gerência de Qualidade. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS ANVISA/TC/OPAS
  • 42. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS ANVISA/TC/OPAS • Fase de planejamento e preparação da unidade – Equipe condutora (formada no mínimo por cirurgião, anestesiologista, enfermeiro, representante da CCIH ou da Gerência de Risco, ou da Comissão de Segurança do Paciente ou da Gerência de Qualidade) – Coordenador local da Lista – Capacitação da equipe condutora e do coordenador local, incluindo chefes de departamento, serviço e equipes de saúde (enfermeiros, chefes de cirurgia, equipe cirúrgica e equipe do centro de recuperação anestésica), pela Coordenação Nacional.
  • 43. • Fase de implementação – “Questionário para Avaliação da Unidade Antes da Aplicação da Lista de Verificação da Segurança Cirúrgica” – Aplicação da Lista de Verificação da Segurança Cirúrgica propriamente dita – Reuniões à distância da Coordenação Nacional com coordenadores locais e Coordenações de Controle de Infecção Hospitalar – CECIH do estado ou Distrito Federal PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS
  • 44. PROJETO CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS ANVISA/TC/OPAS • Fase de avaliação – Avaliação da aplicação da Lista de Verificação da Segurança Cirúrgica • Sustentação – Estratégias – Ampliação
  • 45. • Notificação nacional dos indicadores de ISC • Notificação de eventos adversos relacionados aos procedimentos cirúrgicos CIRURGIAS SEGURAS SALVAM VIDAS: Avanços Necessários
  • 46. “A ÚNICA ESPERANÇA PARA MELHORAR SUBSTANCIALMENTE A ATENÇÃO À SAÚDE É UMA REVOLUÇÃO INTERNA DA VELHA GUARDA” Richard Bohmer, Harvard Business School Prof. Gama, ZAS
  • 47. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa - www.anvisa.gov.br Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde - GGTES - ggtes@anvisa.gov.br (61) 3462- 4014
  • 48. • PORTARIA nº- 529, DE 1o- DE ABRIL DE 2013: Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). – objetivo geral de contribuir para a qualificação do cuidado em saúde em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional NOVAS PERSPECTIVAS
  • 49. • Consulta Pública nº 09/2013: Institui as ações de vigilância sanitária para segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. • Principais Tópicos: – Criação do Núcleo de Segurança do Paciente – Plano de Segurança do Paciente – Vigilância de Eventos Adversos Relacionados à Assistência. NOVAS PERSPECTIVAS