SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE 
FACULDADE DE CIÊNCIA DA SAÚDE DO TRAIRI 
Componente curricular: Fisiopatologia da Nutrição 
Docente: Ricardo Bezerra 
Discentes: Anna Paula Mota; Fharlley Lohann de M. R. da Silva; Jarson Pedro da 
Costa Pereira; Luis Henrique Dantas Mendes; Renatha Celiana da Silva Brito
 É um dos grupos mais importantes e amplamente 
encontrados em diversos alimentos, tanto vegetal 
quanto animal. 
 As gorduras servem principalmente como 
fornecedores de energia, sendo degradadas nas 
células durante a respiração celular. 
 Os lipídeos podem ser sólidos ou líquidos, sendo 
que os lipídeos considerados gorduras têm 
origem animal e são sólidos enquanto que as 
gorduras líquidas são conhecidas como óleos, e 
têm origem vegetal.
 Os lipídeos se classificam em: 
1. Simples – Óleos, Gorduras e Ceras; 
2. Compostos – Fosfolipídeos e Glicolipídeos; 
3. Derivados – Ácidos graxos, Álcoois, Vitaminas 
Lipossolúveis, Hidrocarbonetos.
 Fornecer energia; 
 Auxiliar na absorção e transporte das 
vitaminas: A, E, D e K; 
 Precursor de hormônios; 
 Melhora a palatibilidade dos alimentos; 
 Isolante térmico; 
 Composição das membranas celulares; 
 Proteger os órgãos.
 A digestão se inicia na boca pela ação, mesmo 
que pouca, da lipase lingual. 
 No estômago, a gordura sofre alteração pela 
lipase gástrica, porém esta é inibida pelo pH 
ácido. 
 No duodeno é onde se inicia, de fato, a 
digestão, pois ocorre a interação entre os sais 
biliares + lipases pancreáticas e intestinal. 
Fazendo com que aconteça a solubilização.
Lipídeos
 Se inicia no enterócito, onde as micelas mistas 
levam os produtos da digestão dos lipídeos 
para membrana apical dos enterócitos. Ao 
entrar no polo apical, esse produtos são 
liberados e absorvidos. 
 Ácidos graxos de cadeia curta e média são 
absorvidos para a veia porta.
Lipídeos
Lipídeos
Quanto ao excesso: 
 Esteatose Hepática 
 Obesidade 
 Doenças Coronarianas 
 Aterosclerose 
 Aumento do colesterol sérico
Quanto à deficiência: 
 Depressão 
 Defícit de vitaminas lipossolúveis
VLDL produzidas 
pelo fígado 
Triacilgliceróis 
hidrolisados pela 
enzima Lipase de 
lipoprotepina 
Os AG são 
liberados para os 
tecidos e 
metabolizados 
VLDL diminui seu 
conteúdo de 
TAG e aumenta 
sua densidade 
Tranformando-se 
em IDL e 
posteriormente 
em LDL 
O mais relevante 
de LDL é o: 
Receptor B,E 
Tanto as VLDL e 
LDL serão 
removidas do 
fígado, por 
ligação com 
receptores 
Regulação da 
concentração 
sanguínea do 
Colesterol 
 Metabolismo de 
Lipoproteínas 
VLDL e LDL 
Contém 
apo B- 
100
 A Hipercolesterolemia Familiar (HF) é uma 
doença genética do metabolismo das 
lipoproteínas cujo modo de herança é 
autossômico codominante e que se caracteriza 
por níveis muito elevados do colesterol da 
lipoproteína de baixa densidade (LDL). 
 O fenótipo clínico de HF é geralmente decorrente 
de defeitos no gene LDLR, que codifica o receptor 
de LDL e pode também ser secundário a defeitos 
no gene APOB, que codifica a apo B-100 (Apo B- 
100), onde a Apo B-100 defeituosa possui menor 
afinidade pelo LDL.
 A HF possui penetrância de quase 100%, o que 
significa que a metade dos descendentes em 
primeiro grau de um indivíduo afetado serão 
portadores do defeito genético e irão 
apresentar níveis elevados de LDL desde o 
nascimento e ao longo de suas vidas, sendo 
homens e mulheres igualmente afetados.
 Os critérios clínicos e laboratoriais para o diagnóstico da 
Hipercolesterolemia Familiar (HF) são arbitrários e baseiam-se nos 
seguintes dados: 
• sinais clínicos de depósitos extravasculares de colesterol; 
• taxas elevadas de LDL-c ou colesterol total no plasma; 
• história familiar de hipercolesterolemia e/ou doença aterosclerótica 
prematura; 
• identificação de mutações e polimorfismos genéticos que 
favoreçam o desenvolvimento da HF.
 AIRES, Margarida de Mello et al. Fisiologia. 3.ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 
2008. il. Color. 
 DE ANGELIS, Rebeca Carlota. Fisiologia da Nutrição Humana: Aspectos Básicos, 
Aplicados e Funcionais. 2.ed. – São Paulo: Atheneu, 2007. 595 p. 
 GUYTON, Arthur C.; JOHN, E. Hall. Fisiologia humana e mecanismos das doenças. 
[Reimpr.]. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 652p.: il. 
 SANTOS, R.D.; GAGLIARDI, A.C.M.; XAVIER, H.T.; CASELLA FILHO, A.; ARAÚJO, D.B.; 
CESENA, F.Y.; ALVES, R.J. et al. I Diretriz Brasileira de Hipercolesterolemia Familiar (HF). 
Arq. Bras. Cardiol. vol.99 no.2 supl.2 São Paulo Aug. 2012. Disponível em: 
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2012001700001. 
Acesso em: 24 out. 2014. 
 http://users.med.up.pt/ruifonte/PDFs/PDFs_arquivados_anos_anteriores/2010- 
2011/G2010-2011/2G01_digestao_e_absorcao_de_lipideos_e_proteinas.pdf 
 http://www.infoescola.com/metabolismo/digestao-e-absorcao-de-lipidios/ 
 http://www.fsp.usp.br/~marlyac/lipideos.pdf 
 http://centrodeartigo.com/saude-e-dieta/artigo-4988.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
Aline Tonin
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
Paula Fletcher
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
emanuel
 
Lipidios
Lipidios Lipidios
Lipidios
cristinabio
 
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
PauloHenrique350
 
Lipídios - Bioquímica
Lipídios - Bioquímica Lipídios - Bioquímica
Lipídios - Bioquímica
Tales Junior
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínasAminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
Messias Miranda
 
Tipos de ácidos graxos
Tipos de ácidos graxosTipos de ácidos graxos
Tipos de ácidos graxos
Carlos Kramer
 
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
UERGS
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
naymarques
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
Lucas Roberto
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
Fernando Lucas
 
Aula carboidratos
Aula carboidratosAula carboidratos
Aula carboidratos
Tatiana Santos
 
42951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.201242951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.2012
Marcelo Roberto Lazzari
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
Emmanuel Souza
 
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e LipídeosBiomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
José Nunes da Silva Jr.
 
Lipídios - Geral
Lipídios - Geral Lipídios - Geral
Lipídios - Geral
Rodolfo Pimentel Oliveira
 
Proteinas
ProteinasProteinas
Proteinas
Lucas Roberto
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
naymarques
 

Mais procurados (20)

Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Lipidios
Lipidios Lipidios
Lipidios
 
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
 
Lipídios - Bioquímica
Lipídios - Bioquímica Lipídios - Bioquímica
Lipídios - Bioquímica
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínasAminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
 
Tipos de ácidos graxos
Tipos de ácidos graxosTipos de ácidos graxos
Tipos de ácidos graxos
 
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
 
Aula carboidratos
Aula carboidratosAula carboidratos
Aula carboidratos
 
42951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.201242951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.2012
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
 
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e LipídeosBiomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
Biomoleculas: Carboidratos, Aminoácidos e Lipídeos
 
Lipídios - Geral
Lipídios - Geral Lipídios - Geral
Lipídios - Geral
 
Proteinas
ProteinasProteinas
Proteinas
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 

Destaque

Quimica Alimentos Lipideos I
Quimica Alimentos Lipideos IQuimica Alimentos Lipideos I
Quimica Alimentos Lipideos I
Ricardo Stefani
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
Alessandro Pedro
 
Metrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidadeMetrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidade
Ythia Karla
 
Apr metrologia
Apr metrologiaApr metrologia
Apr metrologia
Jose Galdino da Silva
 
Bioquímica_Lipídeos
Bioquímica_LipídeosBioquímica_Lipídeos
Bioquímica_Lipídeos
comiest
 
Nh 2.3 - lipídeos
Nh   2.3 - lipídeosNh   2.3 - lipídeos
Nh 2.3 - lipídeos
Eric Liberato
 
Apresentação lipídeos
Apresentação lipídeosApresentação lipídeos
Apresentação lipídeos
Gabrielasoaresvss
 
15bioquimica metabolismo de_lipideos
15bioquimica metabolismo de_lipideos15bioquimica metabolismo de_lipideos
15bioquimica metabolismo de_lipideos
Renata Dantas
 
Aula8 lipídeos aa
Aula8 lipídeos aaAula8 lipídeos aa
Aula8 lipídeos aa
Milena Medeiros
 
0 sistema nacional de metrologia
0 sistema nacional de metrologia 0 sistema nacional de metrologia
0 sistema nacional de metrologia
Geisa Castro
 
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
Verakis
 
Empresas Certificadoras
Empresas CertificadorasEmpresas Certificadoras
Empresas Certificadoras
Instituto Monitor
 
Vim
VimVim
Vim
nanucha
 
Lipideos medicina famed 2014.2
Lipideos medicina famed 2014.2Lipideos medicina famed 2014.2
Lipideos medicina famed 2014.2
Rhomelio Anderson
 
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
Vania Lima "Somos Físicos"
 
Medindo com a historia
Medindo com a historiaMedindo com a historia
Medindo com a historia
escolajoao
 
Downloadfile 1
Downloadfile 1Downloadfile 1
Downloadfile 1
Pedro Henrique
 
metabolismo de Lipideos
metabolismo de Lipideosmetabolismo de Lipideos
metabolismo de Lipideos
Luan Moura
 
Lípidios
LípidiosLípidios
História da Metrologia
História da MetrologiaHistória da Metrologia
História da Metrologia
Alexandra Nobre
 

Destaque (20)

Quimica Alimentos Lipideos I
Quimica Alimentos Lipideos IQuimica Alimentos Lipideos I
Quimica Alimentos Lipideos I
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
 
Metrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidadeMetrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidade
 
Apr metrologia
Apr metrologiaApr metrologia
Apr metrologia
 
Bioquímica_Lipídeos
Bioquímica_LipídeosBioquímica_Lipídeos
Bioquímica_Lipídeos
 
Nh 2.3 - lipídeos
Nh   2.3 - lipídeosNh   2.3 - lipídeos
Nh 2.3 - lipídeos
 
Apresentação lipídeos
Apresentação lipídeosApresentação lipídeos
Apresentação lipídeos
 
15bioquimica metabolismo de_lipideos
15bioquimica metabolismo de_lipideos15bioquimica metabolismo de_lipideos
15bioquimica metabolismo de_lipideos
 
Aula8 lipídeos aa
Aula8 lipídeos aaAula8 lipídeos aa
Aula8 lipídeos aa
 
0 sistema nacional de metrologia
0 sistema nacional de metrologia 0 sistema nacional de metrologia
0 sistema nacional de metrologia
 
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
Qualidade de Alimentos - Verakis Madrid - 2015
 
Empresas Certificadoras
Empresas CertificadorasEmpresas Certificadoras
Empresas Certificadoras
 
Vim
VimVim
Vim
 
Lipideos medicina famed 2014.2
Lipideos medicina famed 2014.2Lipideos medicina famed 2014.2
Lipideos medicina famed 2014.2
 
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
"Somos Físicos" Gorduras e Polaridade
 
Medindo com a historia
Medindo com a historiaMedindo com a historia
Medindo com a historia
 
Downloadfile 1
Downloadfile 1Downloadfile 1
Downloadfile 1
 
metabolismo de Lipideos
metabolismo de Lipideosmetabolismo de Lipideos
metabolismo de Lipideos
 
Lípidios
LípidiosLípidios
Lípidios
 
História da Metrologia
História da MetrologiaHistória da Metrologia
História da Metrologia
 

Semelhante a Lipídeos

LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
grazii232005
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
URCA
 
Lipideos metabolismo.pptx
Lipideos metabolismo.pptxLipideos metabolismo.pptx
Lipideos metabolismo.pptx
AnaOrtiz731600
 
Dislipidemias
DislipidemiasDislipidemias
Dislipidemias
Denise Selegato
 
Aconselhamento alimentar na dislipidemia
Aconselhamento alimentar na dislipidemiaAconselhamento alimentar na dislipidemia
Aconselhamento alimentar na dislipidemia
Cláudia Sofia
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Laguat
 
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
Van Der Häägen Brazil
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
VictorGomes173122
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
gabrieladiogenes
 
Lipoproteínas
LipoproteínasLipoproteínas
Lipoproteínas
Silmara da Rocha Moura
 
Lipoproteinas aula
Lipoproteinas aulaLipoproteinas aula
Lipoproteinas aula
Ana Claudia Rodrigues
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compacto
emanuel
 
COLESTEROL
 COLESTEROL COLESTEROL
Introdução a Nutrição
Introdução a NutriçãoIntrodução a Nutrição
Introdução a Nutrição
Paulo Matias
 
Componentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: LipídiosComponentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: Lipídios
Werner Mendoza Blanco
 
Diagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidadeDiagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidade
Guilherme Santos
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES  A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
Van Der Häägen Brazil
 
Lipidose hepática
Lipidose hepáticaLipidose hepática
Lipidose hepática
Bergue Oliveira
 
Aula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
Aula de Bioquímica Clínica - DislipidemiasAula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
Aula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
Geraldo286325
 
Doenças Coronarianas
Doenças CoronarianasDoenças Coronarianas
Doenças Coronarianas
Jessica Schuster
 

Semelhante a Lipídeos (20)

LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
LIPIDOSE HEPÁTICA FELINA (TRABALHO RESUMIDO)
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
 
Lipideos metabolismo.pptx
Lipideos metabolismo.pptxLipideos metabolismo.pptx
Lipideos metabolismo.pptx
 
Dislipidemias
DislipidemiasDislipidemias
Dislipidemias
 
Aconselhamento alimentar na dislipidemia
Aconselhamento alimentar na dislipidemiaAconselhamento alimentar na dislipidemia
Aconselhamento alimentar na dislipidemia
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
Fisiopatologia síndrome metabólica resistência insulina papéis etiológicos ce...
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
 
Lipoproteínas
LipoproteínasLipoproteínas
Lipoproteínas
 
Lipoproteinas aula
Lipoproteinas aulaLipoproteinas aula
Lipoproteinas aula
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compacto
 
COLESTEROL
 COLESTEROL COLESTEROL
COLESTEROL
 
Introdução a Nutrição
Introdução a NutriçãoIntrodução a Nutrição
Introdução a Nutrição
 
Componentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: LipídiosComponentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: Lipídios
 
Diagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidadeDiagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidade
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES  A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 
Lipidose hepática
Lipidose hepáticaLipidose hepática
Lipidose hepática
 
Aula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
Aula de Bioquímica Clínica - DislipidemiasAula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
Aula de Bioquímica Clínica - Dislipidemias
 
Doenças Coronarianas
Doenças CoronarianasDoenças Coronarianas
Doenças Coronarianas
 

Mais de Luis Dantas

O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de MamaO papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
Luis Dantas
 
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNADPesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
Luis Dantas
 
Bioimpedância
BioimpedânciaBioimpedância
Bioimpedância
Luis Dantas
 
Epidemiologia: Estudos de coorte
Epidemiologia: Estudos de coorteEpidemiologia: Estudos de coorte
Epidemiologia: Estudos de coorte
Luis Dantas
 
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblasticaAnemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
Luis Dantas
 
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos SociológicosTranstornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Luis Dantas
 
Cinética do Escuremcimento Não-enzimático
Cinética do Escuremcimento Não-enzimáticoCinética do Escuremcimento Não-enzimático
Cinética do Escuremcimento Não-enzimático
Luis Dantas
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Luis Dantas
 
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção BásicaA Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
Luis Dantas
 
Patologia caso clínico (pancreatite aguda)
Patologia   caso clínico (pancreatite aguda)Patologia   caso clínico (pancreatite aguda)
Patologia caso clínico (pancreatite aguda)
Luis Dantas
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
Luis Dantas
 
Reflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentarReflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentar
Luis Dantas
 
Cuidados paliativos e nutrição
Cuidados paliativos e nutriçãoCuidados paliativos e nutrição
Cuidados paliativos e nutrição
Luis Dantas
 
Síndrome de von recklinghausen
Síndrome de von recklinghausenSíndrome de von recklinghausen
Síndrome de von recklinghausen
Luis Dantas
 
Gastrulação
GastrulaçãoGastrulação
Gastrulação
Luis Dantas
 
Carnitina
CarnitinaCarnitina
Carnitina
Luis Dantas
 
Alterações post mortem do pescado
Alterações post mortem do pescadoAlterações post mortem do pescado
Alterações post mortem do pescado
Luis Dantas
 
Caracterização bioquímica do amido
Caracterização bioquímica do amidoCaracterização bioquímica do amido
Caracterização bioquímica do amido
Luis Dantas
 

Mais de Luis Dantas (18)

O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de MamaO papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
O papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama
 
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNADPesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD
 
Bioimpedância
BioimpedânciaBioimpedância
Bioimpedância
 
Epidemiologia: Estudos de coorte
Epidemiologia: Estudos de coorteEpidemiologia: Estudos de coorte
Epidemiologia: Estudos de coorte
 
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblasticaAnemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
Anemias Nutricionais: Anemias ferropriva, talassemica e sideroblastica
 
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos SociológicosTranstornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
 
Cinética do Escuremcimento Não-enzimático
Cinética do Escuremcimento Não-enzimáticoCinética do Escuremcimento Não-enzimático
Cinética do Escuremcimento Não-enzimático
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção BásicaA Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
A Importância da Atuação do Nutricionista na Atenção Básica
 
Patologia caso clínico (pancreatite aguda)
Patologia   caso clínico (pancreatite aguda)Patologia   caso clínico (pancreatite aguda)
Patologia caso clínico (pancreatite aguda)
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
 
Reflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentarReflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentar
 
Cuidados paliativos e nutrição
Cuidados paliativos e nutriçãoCuidados paliativos e nutrição
Cuidados paliativos e nutrição
 
Síndrome de von recklinghausen
Síndrome de von recklinghausenSíndrome de von recklinghausen
Síndrome de von recklinghausen
 
Gastrulação
GastrulaçãoGastrulação
Gastrulação
 
Carnitina
CarnitinaCarnitina
Carnitina
 
Alterações post mortem do pescado
Alterações post mortem do pescadoAlterações post mortem do pescado
Alterações post mortem do pescado
 
Caracterização bioquímica do amido
Caracterização bioquímica do amidoCaracterização bioquímica do amido
Caracterização bioquímica do amido
 

Lipídeos

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE CIÊNCIA DA SAÚDE DO TRAIRI Componente curricular: Fisiopatologia da Nutrição Docente: Ricardo Bezerra Discentes: Anna Paula Mota; Fharlley Lohann de M. R. da Silva; Jarson Pedro da Costa Pereira; Luis Henrique Dantas Mendes; Renatha Celiana da Silva Brito
  • 2.  É um dos grupos mais importantes e amplamente encontrados em diversos alimentos, tanto vegetal quanto animal.  As gorduras servem principalmente como fornecedores de energia, sendo degradadas nas células durante a respiração celular.  Os lipídeos podem ser sólidos ou líquidos, sendo que os lipídeos considerados gorduras têm origem animal e são sólidos enquanto que as gorduras líquidas são conhecidas como óleos, e têm origem vegetal.
  • 3.  Os lipídeos se classificam em: 1. Simples – Óleos, Gorduras e Ceras; 2. Compostos – Fosfolipídeos e Glicolipídeos; 3. Derivados – Ácidos graxos, Álcoois, Vitaminas Lipossolúveis, Hidrocarbonetos.
  • 4.  Fornecer energia;  Auxiliar na absorção e transporte das vitaminas: A, E, D e K;  Precursor de hormônios;  Melhora a palatibilidade dos alimentos;  Isolante térmico;  Composição das membranas celulares;  Proteger os órgãos.
  • 5.  A digestão se inicia na boca pela ação, mesmo que pouca, da lipase lingual.  No estômago, a gordura sofre alteração pela lipase gástrica, porém esta é inibida pelo pH ácido.  No duodeno é onde se inicia, de fato, a digestão, pois ocorre a interação entre os sais biliares + lipases pancreáticas e intestinal. Fazendo com que aconteça a solubilização.
  • 7.  Se inicia no enterócito, onde as micelas mistas levam os produtos da digestão dos lipídeos para membrana apical dos enterócitos. Ao entrar no polo apical, esse produtos são liberados e absorvidos.  Ácidos graxos de cadeia curta e média são absorvidos para a veia porta.
  • 10. Quanto ao excesso:  Esteatose Hepática  Obesidade  Doenças Coronarianas  Aterosclerose  Aumento do colesterol sérico
  • 11. Quanto à deficiência:  Depressão  Defícit de vitaminas lipossolúveis
  • 12. VLDL produzidas pelo fígado Triacilgliceróis hidrolisados pela enzima Lipase de lipoprotepina Os AG são liberados para os tecidos e metabolizados VLDL diminui seu conteúdo de TAG e aumenta sua densidade Tranformando-se em IDL e posteriormente em LDL O mais relevante de LDL é o: Receptor B,E Tanto as VLDL e LDL serão removidas do fígado, por ligação com receptores Regulação da concentração sanguínea do Colesterol  Metabolismo de Lipoproteínas VLDL e LDL Contém apo B- 100
  • 13.  A Hipercolesterolemia Familiar (HF) é uma doença genética do metabolismo das lipoproteínas cujo modo de herança é autossômico codominante e que se caracteriza por níveis muito elevados do colesterol da lipoproteína de baixa densidade (LDL).  O fenótipo clínico de HF é geralmente decorrente de defeitos no gene LDLR, que codifica o receptor de LDL e pode também ser secundário a defeitos no gene APOB, que codifica a apo B-100 (Apo B- 100), onde a Apo B-100 defeituosa possui menor afinidade pelo LDL.
  • 14.  A HF possui penetrância de quase 100%, o que significa que a metade dos descendentes em primeiro grau de um indivíduo afetado serão portadores do defeito genético e irão apresentar níveis elevados de LDL desde o nascimento e ao longo de suas vidas, sendo homens e mulheres igualmente afetados.
  • 15.  Os critérios clínicos e laboratoriais para o diagnóstico da Hipercolesterolemia Familiar (HF) são arbitrários e baseiam-se nos seguintes dados: • sinais clínicos de depósitos extravasculares de colesterol; • taxas elevadas de LDL-c ou colesterol total no plasma; • história familiar de hipercolesterolemia e/ou doença aterosclerótica prematura; • identificação de mutações e polimorfismos genéticos que favoreçam o desenvolvimento da HF.
  • 16.  AIRES, Margarida de Mello et al. Fisiologia. 3.ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. il. Color.  DE ANGELIS, Rebeca Carlota. Fisiologia da Nutrição Humana: Aspectos Básicos, Aplicados e Funcionais. 2.ed. – São Paulo: Atheneu, 2007. 595 p.  GUYTON, Arthur C.; JOHN, E. Hall. Fisiologia humana e mecanismos das doenças. [Reimpr.]. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 652p.: il.  SANTOS, R.D.; GAGLIARDI, A.C.M.; XAVIER, H.T.; CASELLA FILHO, A.; ARAÚJO, D.B.; CESENA, F.Y.; ALVES, R.J. et al. I Diretriz Brasileira de Hipercolesterolemia Familiar (HF). Arq. Bras. Cardiol. vol.99 no.2 supl.2 São Paulo Aug. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2012001700001. Acesso em: 24 out. 2014.  http://users.med.up.pt/ruifonte/PDFs/PDFs_arquivados_anos_anteriores/2010- 2011/G2010-2011/2G01_digestao_e_absorcao_de_lipideos_e_proteinas.pdf  http://www.infoescola.com/metabolismo/digestao-e-absorcao-de-lipidios/  http://www.fsp.usp.br/~marlyac/lipideos.pdf  http://centrodeartigo.com/saude-e-dieta/artigo-4988.html

Notas do Editor

  1. Aqui é pra falar primeiro como acontece normal, ai depois mostra que quando há algum defeito nos receptores de LDL o restante do ciclo não ocorre. Ai tem uma doença que é caracterizada pelo defeito nos receptores, que é falada nos próximos slides. A apo B-100 é sintetizada no fígado, faz parte das principais frações lipoprotéicas consideradas aterogênicas (LDL, IDL, LDL pequenas e grandes), cujo conteúdo de colesterol é variável. Somente uma molécula de apo B-100 está presente em cada uma dessas frações. A apo B-100 é essencial para ligação das partículas de LDL aos receptores celulares, permitindo a entrada de LDL nas células; logo um excesso de apo B representa um fator desencadeante para o processo aterogênico.