SlideShare uma empresa Scribd logo
Noções sobre Economia
Santarém – Tapajós – Brasil
Fernando Monteiro D’Andrea
Economia – Contábeis 2013-01
Datas
• Dia de exercício baseado no “eu, o lápis”;
• Dia de exercício do livro do Roberts de 28 de
Fevereiro para 7 de Março;
▫ Valendo 1,5 pontos;
• Dia 4 de Abril exercícios sobre o livro do Hazllit;
▫ Valendo 2,5 pontos;
• Prova 1 dia 11 de Abril;
▫ Valendo 5 pontos;
• Prova 2 dia 13 de Junho;
▫ Exercícios para casa – valendo 3 pontos;
▫ Exercício extra - valendo 1 ponto – livro do Ballvè;
▫ Valendo 7 pontos;
Economia – Contábeis 2013-01
Aula Passada
• Sociedade baseada em sistemas:
▫ Político;
▫ Econômico;
▫ Ético-moral-cultural;
• Construtivismo x Racionalismo Crítico;
• Teorias da Economia:
▫ Liberalismo;
▫ Comunismo;
▫ Terceira Via;
Noções sobre Economia
Santarém – Tapajós – Brasil
Fernando Monteiro D’Andrea
Aula 3, 4 e 5 de 20
Quinta, 21 de Fevereiro de 2013
Introdução à MicroEconomia
Economia – Contábeis 2013-01
O que estudaremos
• O Que é Economia?
• Teorias da Economia;
• Micro e macroeconomia;
• Escassez
• Mercado;
• Preços;
• Oferta e demanda;
• Curvas de demanda;
• Oferta e equilíbrio;
• Noções de mercados e funcionamento dos sistemas
econômicos internacionais e nacional;
• Processo de Industrialização brasileiro;
• Modelo desenvolvimentista Nacional;
• Planos Econômicos;
• Análise e interpretação da política econômica nacional atual;
• Economia e a Região Amazônica;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia (1)
• Estuda como os recursos escassos são alocados
para uma quantidade de fins;
• Estuda-se o comportamento individual (das
pessoas, empresas ou grupos homogêneos);
• Serve como base para o estudo da economia
como um todo;
• É a base de todos os estudos sobre a Economia
pois estuda as relações fundamentais
▫ Relações entre pessoas e pessoas e/ou pessoas e
organizações;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia (2)
• Pessoas e famílias fornecem trabalho e
demandam produtos e serviços;
• As organizações fornecem produtos e serviços e
demandam trabalho;
• Os que demandam produtos e serviços buscam
aumentar a utilidade de seus recursos a partir de
um orçamento pré-determinado;
▫ Fazer o máximo possível com uma quantidade
limitada de dinheiro;
• As empresas buscam maximização do lucro
baseados em seus custos e receitas;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia (3)
• Busca entender como se formam os preços;
▫ Tanto de produtos finais como de fatores de
produção (máquinas, recursos humanos, etc.);
• Estuda:
▫ Teoria do consumidor:
 Quais suas preferências e porquê ele se comporta de
uma maneira específica;
 Como ele gera demanda e quais suas restrições;
 Dá origem à curva de demanda;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia (4)
• Estuda:
▫ Teoria da empresa:
 Concentra-se na estrutura economia (e não
simplesmente financeira) das empresas e como elas
buscam maximizar os lucros;
 A partir deste estudo tem-se a curva da oferta;
▫ Teoria de Produção:
 Estuda a transformação de fatores de produção em
produtos finais;
 Estuda como as variações nos fatores de produção
influenciam no produto final;
 Determina as curvas de custo que são usadas para
encontrar o volume de oferta ótimo;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia (5)
• Estuda:
▫ Práticas de Mercado:
 Oligopólio, Monopólio, concorrência perfeita,
concorrência monopolística;
• Busca entender se “os indivíduos na busca dos
seus interesses próprios contribuem para
promover os interesses da sociedade no seu
conjunto” como dizia Adam Smith;
• É a ciência que estuda os preços;
Economia – Contábeis 2013-01
MicroEconomia x Economia de Empresa
• Focam coisas distintas;
▫ Uma estuda o funcionamento de oferta e demanda
na formação do preço no mercado;
▫ A outra, além de estudar uma empresa específica,
tem enfoque na parte contábil-financeira da
formação do preço
 Baseia-se principalmente nos custos de produção;
• Para a Microeconomia devem ser considerados
inclusive os custos de oportunidade (que não
foram efetivamente incorridos) o que não
acontece na economia de empresa;
Economia – Contábeis 2013-01
Como Funciona? (1)
• Constrói modelos analíticos que ajudam a
descrever como o mercado busca conseguir o
equilíbrio entre o preço e a quantidade ofertada;
• Como este reage às alterações do mercado (em
oferta e demanda) ao longo do tempo;
▫ Lei da oferta e da demanda;
• Para simplificar as análises são usadas algumas
hipóteses:
▫ Racionalidade dos agentes;
 Ações ou inações advém de decisões racionais
humanas;
 Todas as ações visam aumentar a satisfação;
Economia – Contábeis 2013-01
Como Funciona? (2)
• Para simplificar as análises são usadas algumas
hipóteses:
▫ Equilíbrio parcial (todo o resto permanece
constante - coeteris paribus);
 Analisar o chamado “equilíbrio geral” é muito mais
realista e, ao mesmo tempo, muito mais complexo;
▫ Papel dos preços relativos:
 O preço absoluto é menos importante do que o
relativo;
▫ Objetivos da empresa
 Aumentar o lucro;
 Ganhar market share;
 Aumento da margem sobre os custos;
Economia – Contábeis 2013-01
Premissas Básicas
• A quantidade de recursos disponíveis para satisfazer
necessidades é finita:
▫ Não se pode ter tudo ao mesmo tempo;
▫ Dinheiro (e mais profundamente a riqueza) não é
gratuita, não nasce em árvores;
• Toda ação implica necessariamente em abrir mão de
outra ação:
▫ Custo de oportunidade;
▫ Ao agir estou deixando de não agir, o que já é uma
ação;
• Não se pode produzir tudo sozinho com eficiência;
▫ Eficiência econômica;
▫ Importância do comércio;
Economia – Contábeis 2013-01
CPP (1)
• Curva de Possibilidades de Produção;
• Também dita Fronteira das Possibilidades de
Produção (FPP):
• Ilustra através de um gráfico a escassez dos
fatores de produção;
▫ Dinheiro, maquinário, pessoas, terras, etc.;
• O gráfico apresenta o limite para a capacidade
produtiva de um determinado ente:
▫ Empresa, País, Pessoa, Fazenda, Sociedade, etc.;
Economia – Contábeis 2013-01
CPP (2)
Produto 1
Produto 2
A
B
Qualquer ponto
dentro da área
entre curva e os
eixos significa
produtividade
ineficiente
Qualquer
ponto além a
curva é
impossível
Pontos na curva
representam
produtividade
máxima (como A e B)
QtdP1A
QtdP1B
QtdP2A QtdP2B
Economia – Contábeis 2013-01
CPP (3)
• A Curva mostra o total de
riqueza que um determinado
ente pode gerar se usar
perfeitamente
(eficientemente) todos os
seus recursos;
• É impossível obter produção
fora da curva pois não há
recursos suficientes
(escassez);
• O normal é que se esteja
dentro da curva pois é
praticamente impossível
eliminar por completo o
desperdício;
Produto 1
Produto 2
A
B
QtdP1A
QtdP1B
QtdP2A QtdP2B
3 vídeos com
tradução
simultânea
Economia – Contábeis 2013-01
Custo de Oportunidade
• A parábola da janela quebrada:
▫ Vídeo ou leitura
▫ https://www.youtube.com/watch?v=J3IxaEonCG
Y
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta e Demanda (1)
• A relação entre oferta e demanda demonstra as
forças que agem na alocação dos recursos
escassos;
• Assim, em economias de mercado, tanto
demandantes quanto ofertantes irão alocar
recursos da maneira mais eficiente possível;
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta e Demanda (2)
Oferta
Trabalhador /
Pessoa
Mercado / Empresa
Demanda
Trabalho
Produtos & Serviços
Produtos & Serviços
Trabalho
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta e Demanda (3)
Trabalhador /
Pessoa
Mercado /
Empresa
Trabalho
Produtos &
Serviços
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta e Demanda (4)
Trabalhador /
Pessoa
Mercado /
Empresa
Trabalho
Produtos &
Serviços
Economia – Contábeis 2013-01
Lei da Demanda
• Diz que, dado
que todos os
outros fatores
permaneçam
constantes
(coeteris
paribus),
quanto maior
for o preço do
produto,
menos pessoas
irão se
interessar por
ele (demandá-
lo);
Preço
Qtd
A
B
P1
Q1 Q3
C
Q2
P2
P3
Curva de
demanda “D”
Economia – Contábeis 2013-01
Lei da Oferta
• Da mesma forma
que a anterior
esta lei
demonstra a
quantidade de
um dado produto
que serão
vendidas a um
preço
determinado.
• Esta curva,
porém, tem
tendência
ascendente.
Quanto maior o
preço, maior a
quantidade
ofertada.
Preço
Qtd
A
B
P1
Q1 Q3
C
Q2
P2
P3
Curva de Oferta
“O”
Economia – Contábeis 2013-01
Equilíbrio (1)
• Quando Oferta e demanda são iguais (quando as
curvas se tocam) se diz que a economia para
aquele bem está em equilíbrio;
• Neste ponto a economia atinge seu ponto mais
eficiente:
▫ A quantidade que é demandada é igual à ofertada;
▫ escassos;
• Neste caso hipotéticos todos (demandantes e
ofertantes) estão satisfeitos;
Economia – Contábeis 2013-01
Equilíbrio (2)
• No ponto de
equilíbrio não
há ineficiência
alocativa;
• No mundo real
é impossível
chegar à este
equilíbrio,
quantidades
demandas e
ofertadas
movem-se
continuamente;
Preço
Qtd
Equilíbrio
Qe
Pe
Curva de Oferta
“O”
Curva de
demanda “D”
Economia – Contábeis 2013-01
Desequilíbrio (1)
• Excesso de
oferta;
• Acontece
quando o preço
cobrado está
abaixo do preço
de equilíbrio,
assim muitos
consumidores
demandarão o
produto que
não será
adequadamente
fornecido pelos
produtores;
Preço
Qtd
Q1
P1
Curva de Oferta
“O”
Curva de
demanda “D”
Q2
Economia – Contábeis 2013-01
Desequilíbrio (2)
• Excesso de
demanda;
• Caso o preço
seja colocado a
um nível alto
demais será
criado um
excesso de
oferta e, por
consequência,
haverá
ineficiência
alocativa de
recursos;
Preço
Qtd
Q1
P1
Curva de Oferta
“O”
Curva de
demanda “D”
Q2
Economia – Contábeis 2013-01
Análise de Oferta e Demanda
• Para observar as possíveis revoluções dos
mercados com relação à Oferta e demanda
utilizam-se situações limite;
• Estas tem por objetivo apresentar um recorte da
realidade que será útil na análise dos mercados;
• Deve-se porém ter em mente a premissa
“coeteris paribus” (todo o resto permanecendo
constante);
▫ Quais as implicações disso nas análises?
▫ Não se pode generalizar as análises, elas servem
apenas para ter uma idéia das eventuais
consequências deste ou daquele movimento;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (1)
• A Elasticidade mede quanto a quantidade
demandada de algo (serviço / produto) irá variar
com a mudança de: preço, oferta e renda;
• Quando a mudança na quantidade demandada
muda muito quando o preço muda pouco o
produto é dito “elástico”;
▫ Em geral isso ocorre com produtos que tem
muitos substitutos, muitas alternativas;
▫ Os consumidores serão então mais sensíveis à
mudança de preço;
 Móveis para casa, carros, maquinário para
indústrias, serviços profissionais e de transporte;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (2)
• Quando, apesar da mudança grande no preço, a
demanda pouco muda, o produto é dito
“inelástico”;
▫ Ocorre para produtos que são dificilmente
substituídos;
 Gasolina é um exemplo, é muito difícil diminuir
muito a quantidade consumida pois todos
precisamos dela;
 Eletricidade, água, bebidas, roupas, cigarros, comida
e petróleo são outros exemplos bastante comuns;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (3)
• O conceito é muito importante pois descreve a
relação fundamental entre o preço cobrado e a
demanda por determinado produto;
• Quando, apesar da mudança grande no preço, a
demanda pouco muda, o produto é dito
“inelástico”;
• Elasticidade, enfim, nos diz quão responsivo é a
algo (demanda, oferta ou receita) a alterações no
em alguma outra coisa (preço, demanda, etc.);
Elasticidade = Responsividade
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (4)
• Elastico ou inelástico?
▫ O preço da gasolina é alto e você deve levar sua
filha doente ao hospital, o preço para você é:
 Inelástico;
▫ Há várias padarias concorrentes, uma, a que você
sempre visita, aumentou o preço do pão, a
demanda é:
 Elástica;
▫ Um paciente num hospital público tem que
receber medicação contra a dor:
 Inelástica;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (5)
• Elastico ou inelástico?
▫ O mesmo paciente foi mandado para casa e tem
uma receita, mas deve pagar pelo remédio:
 Elástico;
▫ O preço do frango aumenta;
 Elástico;
▫ O presidente da república se perde numa floresta
sozinho:
 Inelástica;
▫ Um drogado está sem a droga:
 Inelástica;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade e sua importância (6)
• Se a demanda pelo produto que você vende for
inelástica o que você deve fazer com o preço se
seu único objetivo for o lucro?
• Se há competidores no mercado e os
consumidores são cientes dos preços então a o
produto / serviço tenderá a ser mais elástico;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade: exemplos (1)
• Quando o preço da gasolina sobe 1% a
quantidade demandada diminui cerca de 0,2%, a
sensibilidade ao preço da gasolina não é muito
grande:
▫ Elasticidade da demanda é - 0,2.
• Quando o preço de joias em ouro sobe 1% a
quantidade demandada diminui 2,6%, assim a
demanda por joias em ouro é muito sensível ao
preço:
▫ Elasticidade da demanda é – 2,6.
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade: exemplos (2)
• Quando o preço de uma pintura de Da Vinci
sobe 1% a quantidade ofertada não muda, a
quantidade ofertada destas pinturas é
completamente insensível ao preço :
▫ Elasticidade da oferta é 0;
• Quando o preço da carne cresce 1% a quantidade
ofertada cresce 5%, a oferta deste produto é
muito sensível ao preço:
▫ Elasticidade da oferta é 5;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (1)
• É uma forma de se medir como a mudança na
demanda de um produto irá responder à uma
mudança no preço deste produto;
• A elasticidade da demanda é dada pelo
percentual de mudança na quantidade
demandada dada o percentual de mudança no
preço;
 Observar que a elasticidade da demanda independe
da direção em que muda o preço ou a quantidade;
𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 =
% 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎
% 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (2)
• Perfeitamente Inelástica:
▫ A quantidade demandada independe de variações no
preço;
• Inelástica:
▫ A resposta à variação de preço é relativamente fraca;
• Elasticidade Unitária:
▫ A variação percentual é idêntica para demanda e
preço;
• Elástica:
▫ A resposta à variação de preço é bastante grande;
• Perfeitamente Elástica:
▫ A quantidade demandada muda infinitamente com
qualquer mudança no preço;
Economia – Contábeis 2013-01
Demanda Perfeitamente Inelástica
A quantidade demandada
não irá mudar com a
variação no preço.
Elasticidade da Demanda = 0
Economia – Contábeis 2013-01
Demanda Perfeitamente Elástica
A quantidade
demandada irá
mudar infinitamente
caso ocorra qualquer
variação no preço.
Elasticidade da Demanda = ∞
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (3)
• Alguns fatores determinantes:
▫ Capacidade de ser substituído:
 Quanto maior o número de substitutos, maior a
elasticidade;
 Se o preço aumentar e houverem muitos substitutos a
consequência natural será a diminuição da demanda;
▫ Proporção da renda do cunsumidor:
 Quanto maior for o impacto do preço do produto na
renda total do consumidor, maior a elasticidade;
▫ Supérfulo ou necessário?
 Quanto mais o produto for percebido como supérfulo,
maior a elasticidade;
 Um produto necessário sofre menos com o aumento do
preço;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (4)
• Alguns fatores determinantes:
▫ Definição do mercado:
 Quanto mais estreita for a definição do que se considera o
mercado, maior a elasticidade;
▫ Tempo:
 A elasticidade tende a aumentar com o aumento do
período estudado;
 Se observarmos apenas um dia ou uma semana as
informações são menos relevantes, ao observarmos anos ou
décadas a situação fica mais clara;
▫ Urgência no consumo:
 Quanto mais urgente mais inelástico, menos sensível ao
preço;
▫ Itens aos quais o sujeito é viciado;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (5)
Preço Qtd
Faturamento
(PxQ)
% mudança
no preço
% mudança
na Qtd
Elasticidade Descrição
7 0 0
6 2 12 16,67% 100,00% 6,00 Elástico
5 4 20 20,00% 50,00% 2,50 Elástico
4 6 24 25,00% 33,33% 1,33 Elástico
3,5 7 24,5 14,29% 14,29% 1,00
Elasticidade
Unitária
3 8 24 16,67% 12,50% 0,75 Inelástico
2 10 20 50,00% 20,00% 0,40 Inelástico
1 12 12 100,00% 16,67% 0,17 Inelástico
0 14 0
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (6)
-
1.00
2.00
3.00
4.00
5.00
6.00
7.00
7 6 5 4 3.5 3 2 1 0
Elasticidade
Preço
Elasticidade da Demanda
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (7)
• O gasto que a sociedade como um todo tem com
um produto quando o preço unitário dele
aumenta também cresce?
• O aumento de preço unitário traz consigo um
maior gasto por unidade;
• Mas, ao mesmo tempo, a quantidade
demandada diminui com o aumento do preço;
• Portanto, para responder à esta pergunta deve-
se medir a elasticidade da demanda;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (8)
Perfeitamente
Inelástica
Preço
Quantidade Demandada
Inelástica
Unitária
Elástica
Perfeitamente
Elástica
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (9)
Preço
Quantidade
Demandada
Demanda Inelástica
mesmo uma grande
variação no preço não
afetará tanto a Demanda
pelo produto específico
Demanda Elástica
uma pequena
variação no preço
afetará bastante a
Demanda pelo
produto específico
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda: exemplo (1)
• O preço do peixe assado na brasa na ilha do
Amor em Alter-do-chão é, em média R$ 20 para
duas pessoas;
• Supondo que haja uma demanda constante nos
finais de semana por 3.000 peixes;
• Se a coeficiente que indica a elasticidade da
demanda por peixes na ilha do Amor nos finais
de semana for igual a 2,0 qual o efeito sobre a
demanda (e sobre o faturamento total das
barracas) do produto se o preço aumentar 25%
para R$ 25,00?
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda: exemplo (2)
• Elasticidade da demanda = 2,0;
• Aumento de 25% implica em uma queda de 50%
na quantidade demandada;
• A quantidade de peixes que era de 3.000 por
final de semana cairá para 1.500;
• O valor total gasto cairá de:
▫ 3000 peixes x R$20/peixe = R$ 60.000,00;
▫ 1500 peixes x R$25/peixe = R$ 37.500,00;
𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 =
% 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎
% 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda: exemplo (3)
• E se a elasticidade da demanda for 0,5;
• Aumento de 25% no preço implicará em uma
queda de 12,5% na quantidade demandada;
• A quantidade de peixes que era de 3.000 por
final de semana cairá para 2625;
• O valor total gasto aumentará de:
▫ 3000 peixes x R$20/peixe = R$ 60.000,00;
▫ 2625 peixes x R$25/peixe = R$ 65.625,00;
𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 =
% 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎
% 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda: exemplo (4)
•Assim, o total gasto pela
sociedade irá:
▫ Aumentar quando a elasticidade da
demanda estiver entre 0 e 1;
▫ Diminuir quando a elasticidade da
demanda for maior que 1;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda: exemplo (5)
Grau de
Elasticidade
Preço
Quantidade
demandada
Faturamento
Total
Elasticidade alta
(e>1)
Aumenta Diminui Diminui
Diminui Aumenta Aumenta
Elasticidade
Unitária (e=1)
Aumenta Diminui Não há mudança
Diminui Aumenta Não há mudança
Altamente
Inelástico (e<1)
Aumenta Diminui Aumenta
Diminui Aumenta Diminui
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Demanda (8)
Preço
Qtd
P
Qtd demandada
Pre
ço
Elasticidade = 1
O gasto total está no máximo
Elasticidade > 1:
Uma redução no preço irá aumentar o gasto total,
um aumento no preço diminuirá o gasto total
Elasticidade < 1
Uma redução no preço reduzirá o gasto total,
um aumento no preço aumentará também o
gasto total
Como se pode perceber a
elasticidade da demanda
diminui ao longo da curva
dirigindo-se para o eixo das
quantidades, ou seja, vai de ∞
(infinito) até 0 (zero)
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Oferta (1)
• Mede como a mudança no preço de um produto
irá afetar a oferta deste no mercado;
• A elasticidade da oferta é dada pelo percentual
de mudança na quantidade ofertada proveniente
de uma mudança percentual no preço de venda
do mercado;
 Observar que a elasticidade da oferta também
independe da direção em que muda o preço ou a
quantidade;
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Oferta (2)
• Oferta Elástica:
▫ O coeficiente é maior que 1;
• Oferta Inelástica:
▫ O coeficiênte é menor que 1;
• Elasticidade Unitária da Oferta:
▫ A variação percentual é idêntica para oferta e preço;
• Oferta perfeitamente inelástica:
▫ O coeficiente é igual a zero – não há mudança na
quantidade ofertada com mudança no preço;
• Oferta Perfeitamente Elástica:
▫ O valor coeficiente é infinito – uma pequena variação
no preço causa uma variação infinita na oferta;
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta Perfeitamente Elástica
A quantidade
Ofertada irá mudar
infinitamente caso
ocorra qualquer
variação no preço.
Elasticidade da Oferta = ∞
Economia – Contábeis 2013-01
Oferta Perfeitamente Inelástica
A quantidade Ofertada
não irá mudar com a
variação no preço.
Elasticidade da Oferta= 0
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Oferta (3)
• Fatores determinantes:
▫ Capacidade dos vendedores de mudar a quantidade
que eles ofertam e como isso afetará suas receitas;
 Terrenos na praia são inelásticos, a praia é finita, não se
pode aumentar o número de terrenos ali disponíveis;
 Carros, livros e produtos industriais, em geral, são mais
elásticos, pode-se aumentar a quantidade ofertada se o
marcado (através do aumento do preço) assim pedir;
• A Oferta é mais elástica num período mais longo, a
curto prazo tende a ser mais inelástica pois não é
fácil produzir de uma hora para outra para poder
ofertar:
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Oferta (4)
Perfeitamente
Inelástica
Preço
Quantidade Demandada
Inelástica
Unitária
Elástica
Perfeitamente
Elástica
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade da Oferta(5)
Preço
Quantidade
Demandada
Oferta Inelástica
mesmo uma grande
variação no preço não
afetará tanto a Oferta do
produto específico
Oferta Elástica
uma pequena
variação no preço
afetará bastante a
Oferta pelo produto
específico
Economia – Contábeis 2013-01
Elasticidade: Oferta e Demanda
• Elasticidade unitária: elasticidade é igual a um;
• Inelástico: elasticidade é menor que um;
• Elástico: elasticidade é maior que um;
0 1 2 3 4 5 ∞
[...]
Elasticidade Unitária
}
Inelástico
Elastico
Economia – Contábeis 2013-01
Concorrência (1)
• Competir implica em disputar pelo mesmo dinheiro
que o consumidor tem a gastar;
▫ Não é necessário que os produtos sejam diretamente
concorrentes;
 Pizza concorre com sanduíche;
 Uma viagem concorre com uma série de entretenimentos
diversos;
 Gêneros alimentícios concorrem com outros gêneros
alimentícios, não feijão A x feijão B, mas feijão x carne x
frutas x ...;
▫ Mais do que tudo a concorrência está relacionada à
possibilidade de substituição de determinado produto
por outro que atenda a mesma necessidade;
Economia – Contábeis 2013-01
Concorrência (2)
• Existem (ao menos em teoria) empresas - e
portanto industrias - que não sofrem
concorrência;
• Se um mercado tem um o poucos fornecedores
de um produto este poderá controlar os preços o
que diminui a capacidade de escolha do
consumidor que não poderá tirar o máximo de
seus recursos (terá baixa utilidade);
▫ A vontade do consumidor tem efeitos menores no
preço cobrado pelo produto;
Economia – Contábeis 2013-01
Formas ou Estruturas de Mercado (1)
• Estudam quantas empresas oferecem, no
mercado, produtos concorrentes;
Forma
Barreiras de
Entrada para
Vendedores
Quantidade de
Vendedores
Barreiras de
Entrada para
Compradores
Quantidade de
Compradores
Competição
perfeita
Não há Muitos Não há Muitas
Monopólio Existe Um Não há Muitas
Competição
Monopolística
Não há Muitos Não há Muitas
Oligopólio Existe Poucos Não há Muitas
Oligopsônio Não há Muitos Existem Poucas
Monopsônio Não há Muitos Existem Um
Economia – Contábeis 2013-01
Formas ou Estruturas de Mercado (2)
• Competição Perfeita:
▫ É uma das estruturas extremas, tem como oposto
o Monopólio;
▫ Tem como características:
 Grande quantidade de compradores e vendedores;
 Muitos produtos similares, muitos substitutos;
 Quando esta condição é satisfeita existem poucas ou
mesmo nenhuma barreira para a entrada de uma
nova competidora;
 Os preços são determinados somente pela oferta e
pela demanda;
Economia – Contábeis 2013-01
Formas ou Estruturas de Mercado (3)
• Monopólio::
▫ É a outra das estruturas extremas, é extrema à
Competição Perfeita;
▫ Neste caso uma empresa ou grupo tem a posse de todo
ou quase todo o mercado de um produto;
▫ Por definição o Monopólio é caracterizado pela
ausência de competição;
 Esta, em geral, resulta em preços maiores e produtos de
menor qualidade;
 Maximiza os lucros;
 Os preços são definidos pelo monopolista;
 Preço baixo e muito volume num mercado muito elástico
e preço maior e menor volume num mercado menos
elástico;
Como surge um monopólio?
Barreiras econômicas
(de escala, de capital, vantagens de
custo e superioridade tecnológica);
Barreiras Legais
(propriedade intelectual, e atuação
governamental, por exemplo)
Ações deliberadas
(lobby junto ao governo, venda
abaixo do custo para eliminar
competidores,(dumping) etc.)
Economia – Contábeis 2013-01
Formas ou Estruturas de Mercado (4)
• Competição Monopolística:
▫ Muitas empresas oferecem o produto;
▫ Uma ou poucas são líderes de mercado com
grande quota (geralmente acima de 80%);
▫ É possivelmente a estrutura mais comum nos
diferentes mercados;
• Oligopólio:
▫ Poucas empresas controlam o mercado;
▫ Barreiras de entrada muito grandes;
Economia – Contábeis 2013-01
Formas ou Estruturas de Mercado (5)
• Monopsônio:
▫ Diametralmente oposto ao Monopólio;
▫ Ao invés de apenas um fornecedor existe apenas
um consumidor;
▫ Neste caso ambos estão atrelados e o maior deles
tende a ditar os preços;
• Oligopsônio:
▫ Muito similar ao Monopsônio;
▫ Muitas empresas oferecem o mesmo produto para
um só consumidor;
▫ Ambos são comuns para empresas que fornecem
ao governo;
Economia – Contábeis 2013-01
Economia – Contábeis 2013-01
Bibliografia (1)
• Iório: Dez lições de economia austríaca para
iniciantes. Disponível em:
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1397
• Microeconomia: artigo Wikipedia visitado em 15-
02-2013. Disponível em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Microeconomia
• Microeconomics: apresentação disponível em
http://www.slideshare.net/shakev/microeconomics
-11172428 acesso em 15-02-2013. Acesso em
05/02/2013.
• Microeconomics: apresentação disponível em
http://www.slideshare.net/doanduytien/microecon
omics-15121692. Acesso em 05/02/2013.
• Bastiat: A Vidraça Quebrada. Disponível em:
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1202
Economia – Contábeis 2013-01
Bibliografia (2)
• Trade is made of win. Disponível em:
http://www.learnliberty.org/playlists/trade-is-
made-of-win-videos. Acesso em 5-12-2012.
• A falácia da janela quebrada. Disponível em:
• https://www.youtube.com/watch?v=J3IxaEonC
GY. Acesso em 5-12-2012.
• Curva de Possibilidades de Produção. Disponível
em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fronteira_de_poss
ibilidades_de_produ%C3%A7%C3%A3o .
Acesso em 13-2-2013.
Economia – Contábeis 2013-01
Bibliografia (3)
• Elasticity of supply and Demand. Disponível em:
www.slideshare.net/kaycock/elasticity-of-supply-
and-demand. Acesso em 10-02-2013.
• Elasticity. Disponível em:
http://www.investinganswers.com/financial-
dictionary/economics/elasticity-2873. Acesso em
10-02-2013.
• Elasticity: Disponível em:
http://www.sambaker.com/econ/elast/elast.html
Acesso em 10-02-2013.
• Microeconomics. Disponível em:
http://www.slideshare.net/doanduytien/microecon
omics-15121692 . Acesso em 10-02-2013.
Economia – Contábeis 2013-01
Bibliografia (3)
• Preço Justo é o de mercado. Disponível em:
http://blog.kanitz.com.br/2011/02/o-preço-justo-é-o-
de-mercado-.html . Acesso em 10 de fevereiro de 2013.
• The Fundamentals of Rent-Seeking
by Gordon Tullock, Professor of Economics, University
of Arizona.
http://www.thelockeinstitute.org/journals/luminary_v1
_n2_p2.html . Acesso em 15 de Fevereiro de 2013.
• Rent Seeking by David R. Henderson
http://www.econlib.org/library/Enc/RentSeeking.html
• Giving Away Money Costs More Than You Think
http://www.learnliberty.org/videos/giving-away-
money-costs-more-you-think. Acesso em 15 de Fevereiro
de 2013.
Microeconomia – Aulas 3-9
Santarém – Tapajós – Brasil
Fernando Monteiro D’Andrea

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Elasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicaçõesElasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicações
Luciano Pires
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
Luciano Pires
 
Demanda de Mercado
Demanda de MercadoDemanda de Mercado
Demanda de Mercado
Wagner Gonsalez
 
4.2indifference curve
4.2indifference curve4.2indifference curve
4.2indifference curve
Sajad Nazari
 
Elasticidade
ElasticidadeElasticidade
Elasticidade
isaacsales253
 
Price discrimination (made understandable)
Price discrimination (made understandable)Price discrimination (made understandable)
Price discrimination (made understandable)
Jose Giraldez
 
Seminário teoria do consumidor
Seminário teoria do consumidorSeminário teoria do consumidor
Seminário teoria do consumidor
Moruska
 
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Felipe Leo
 
Aula 02 oferta, demanda e equilíbrio
Aula 02   oferta, demanda e equilíbrioAula 02   oferta, demanda e equilíbrio
Aula 02 oferta, demanda e equilíbrio
petecoslides
 
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Egas Armando
 
Aula 04 oferta, demanda e políticas econômicas do governo
Aula 04   oferta, demanda e políticas econômicas do governoAula 04   oferta, demanda e políticas econômicas do governo
Aula 04 oferta, demanda e políticas econômicas do governo
petecoslides
 
Aula 10 - Preço
Aula 10 - PreçoAula 10 - Preço
Aula 10 - Preço
Andrea Fiuza
 
I lista de exercícios microeconomica -2011-1
I  lista de exercícios microeconomica -2011-1 I  lista de exercícios microeconomica -2011-1
I lista de exercícios microeconomica -2011-1
jucielima
 
Aula 10 concorrência monopolística
Aula 10   concorrência monopolísticaAula 10   concorrência monopolística
Aula 10 concorrência monopolística
petecoslides
 
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
Na Silva
 
Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolista
Luciano Pires
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
COTIDIANO CIVIL
 
Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1
Cátia Pascoal
 
Preço
PreçoPreço
Fundamentos de economia e mercado
Fundamentos de economia e mercadoFundamentos de economia e mercado
Fundamentos de economia e mercado
Denis Carlos Sodré
 

Mais procurados (20)

Elasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicaçõesElasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicações
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
 
Demanda de Mercado
Demanda de MercadoDemanda de Mercado
Demanda de Mercado
 
4.2indifference curve
4.2indifference curve4.2indifference curve
4.2indifference curve
 
Elasticidade
ElasticidadeElasticidade
Elasticidade
 
Price discrimination (made understandable)
Price discrimination (made understandable)Price discrimination (made understandable)
Price discrimination (made understandable)
 
Seminário teoria do consumidor
Seminário teoria do consumidorSeminário teoria do consumidor
Seminário teoria do consumidor
 
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
 
Aula 02 oferta, demanda e equilíbrio
Aula 02   oferta, demanda e equilíbrioAula 02   oferta, demanda e equilíbrio
Aula 02 oferta, demanda e equilíbrio
 
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
 
Aula 04 oferta, demanda e políticas econômicas do governo
Aula 04   oferta, demanda e políticas econômicas do governoAula 04   oferta, demanda e políticas econômicas do governo
Aula 04 oferta, demanda e políticas econômicas do governo
 
Aula 10 - Preço
Aula 10 - PreçoAula 10 - Preço
Aula 10 - Preço
 
I lista de exercícios microeconomica -2011-1
I  lista de exercícios microeconomica -2011-1 I  lista de exercícios microeconomica -2011-1
I lista de exercícios microeconomica -2011-1
 
Aula 10 concorrência monopolística
Aula 10   concorrência monopolísticaAula 10   concorrência monopolística
Aula 10 concorrência monopolística
 
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
Elasticidade - Macroeconomia e Microeconomia
 
Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolista
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
 
Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1
 
Preço
PreçoPreço
Preço
 
Fundamentos de economia e mercado
Fundamentos de economia e mercadoFundamentos de economia e mercado
Fundamentos de economia e mercado
 

Destaque

Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
Fernando Monteiro D'Andrea
 
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
Sidinei Da Silva Vidal
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
Patrícia Cruz Rodrigues Marion
 
A opção - Russel Roberts - Aula 5
A opção - Russel Roberts - Aula 5A opção - Russel Roberts - Aula 5
A opção - Russel Roberts - Aula 5
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Teorias da Economia - Aula 02
Teorias da Economia - Aula 02Teorias da Economia - Aula 02
Teorias da Economia - Aula 02
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Aula3 demanda e_oferta
Aula3 demanda e_ofertaAula3 demanda e_oferta
Aula3 demanda e_oferta
Emerson Alves
 
Introdução à Economia - Aula 01
Introdução à Economia - Aula 01Introdução à Economia - Aula 01
Introdução à Economia - Aula 01
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Aula 17 - a excelência na gestão de empresas
Aula 17 - a excelência na gestão de empresasAula 17 - a excelência na gestão de empresas
Aula 17 - a excelência na gestão de empresas
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Desenvolvimentismo - Aula 16
Desenvolvimentismo - Aula 16Desenvolvimentismo - Aula 16
Desenvolvimentismo - Aula 16
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Pequena aula sobre princípios de economia
Pequena aula sobre princípios de economiaPequena aula sobre princípios de economia
Pequena aula sobre princípios de economia
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Sistemas econômicos - Aula 14
Sistemas econômicos - Aula 14Sistemas econômicos - Aula 14
Sistemas econômicos - Aula 14
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelosAula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Planos econômicos no brasil - Aula 17
Planos econômicos no brasil - Aula 17Planos econômicos no brasil - Aula 17
Planos econômicos no brasil - Aula 17
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
Fernando Monteiro D'Andrea
 
O Advogado como empreendedor
O Advogado como empreendedorO Advogado como empreendedor
O Advogado como empreendedor
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Linguagem para bobos
Linguagem para bobosLinguagem para bobos
Linguagem para bobos
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Moeda e Inflação
Moeda e InflaçãoMoeda e Inflação
Moeda e Inflação
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPESApresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
Fernando Monteiro D'Andrea
 

Destaque (20)

Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
Falhas de mercado e Busca de Renda - Aula 11
 
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
 
A opção - Russel Roberts - Aula 5
A opção - Russel Roberts - Aula 5A opção - Russel Roberts - Aula 5
A opção - Russel Roberts - Aula 5
 
Teorias da Economia - Aula 02
Teorias da Economia - Aula 02Teorias da Economia - Aula 02
Teorias da Economia - Aula 02
 
Aula3 demanda e_oferta
Aula3 demanda e_ofertaAula3 demanda e_oferta
Aula3 demanda e_oferta
 
Introdução à Economia - Aula 01
Introdução à Economia - Aula 01Introdução à Economia - Aula 01
Introdução à Economia - Aula 01
 
Aula 17 - a excelência na gestão de empresas
Aula 17 - a excelência na gestão de empresasAula 17 - a excelência na gestão de empresas
Aula 17 - a excelência na gestão de empresas
 
Desenvolvimentismo - Aula 16
Desenvolvimentismo - Aula 16Desenvolvimentismo - Aula 16
Desenvolvimentismo - Aula 16
 
Pequena aula sobre princípios de economia
Pequena aula sobre princípios de economiaPequena aula sobre princípios de economia
Pequena aula sobre princípios de economia
 
Sistemas econômicos - Aula 14
Sistemas econômicos - Aula 14Sistemas econômicos - Aula 14
Sistemas econômicos - Aula 14
 
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
2012 11-05 - aula 13 - as normas da qualidade
 
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelosAula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos
 
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
Economia amazônica - facts and figures - Aula 20
 
Planos econômicos no brasil - Aula 17
Planos econômicos no brasil - Aula 17Planos econômicos no brasil - Aula 17
Planos econômicos no brasil - Aula 17
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
 
O Advogado como empreendedor
O Advogado como empreendedorO Advogado como empreendedor
O Advogado como empreendedor
 
Linguagem para bobos
Linguagem para bobosLinguagem para bobos
Linguagem para bobos
 
Moeda e Inflação
Moeda e InflaçãoMoeda e Inflação
Moeda e Inflação
 
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPESApresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
Apresentação do Projeto de Pesquisa 2013 - IESPES
 

Semelhante a Demanda, oferta, elasticidade e mercados - Aulas 3 a 7

Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Financas publicas tr
Financas publicas trFinancas publicas tr
Financas publicas tr
Edna1977
 
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
Ink_conteudos
 
Gestão SC x Gestão Negócio
Gestão SC x Gestão NegócioGestão SC x Gestão Negócio
Gestão SC x Gestão Negócio
Andre Duprat Chaulet
 
Capítulo 02
Capítulo 02Capítulo 02
Capítulo 02
WallaceZOO
 
Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
 Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
MILLENNIUM NETWORK®
 
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commercePlanejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
E-commerce Brasil
 
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
Samuel Gonsales
 
Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07Como reduzir custos logísticos07
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
Priscila Dionara Krambeck Braun
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidade
Felipe Pontes
 
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
Sistema CNC
 
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
Felipe Pontes
 
A Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-CommerceA Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-Commerce
MILLENNIUM NETWORK®
 
Estimando o valor por ação
Estimando o valor por açãoEstimando o valor por ação
Estimando o valor por ação
Felipe Pontes
 
O plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptxO plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptx
Ricardo Santos
 
Ge 8 como entender mercado
Ge 8 como entender mercadoGe 8 como entender mercado
Ge 8 como entender mercado
Simone Serra
 
Economia
EconomiaEconomia
Economia
Danilo Lopes
 
Apostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custosApostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custos
Néia Salomão
 
As Metricas ToC
As Metricas ToCAs Metricas ToC
As Metricas ToC
CLT Valuebased Services
 

Semelhante a Demanda, oferta, elasticidade e mercados - Aulas 3 a 7 (20)

Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
Macroeconomia, pib, pnb, per capta - Aula 15
 
Financas publicas tr
Financas publicas trFinancas publicas tr
Financas publicas tr
 
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
(Transformar 16) aspectos financeiros 2.1
 
Gestão SC x Gestão Negócio
Gestão SC x Gestão NegócioGestão SC x Gestão Negócio
Gestão SC x Gestão Negócio
 
Capítulo 02
Capítulo 02Capítulo 02
Capítulo 02
 
Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
 Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
Palestra Planejamento de Compras Como Vantagem Competitiva por Samuel Gonsales
 
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commercePlanejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
Planejamento de compras como vantagem competitiva para seu e-commerce
 
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
Apresentação – Fórum e-Commerce Brasil 2015 – Planejamento de Compras como Va...
 
Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07
 
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
Gerenciamento de projetos [modo de compatibilidade]
 
Análise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidadeAnálise prévia da contabilidade
Análise prévia da contabilidade
 
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
Slides prof carvalhal-workshopnegociaçãocoletiva-cnc-fecomerciosp- parte 1
 
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
 
A Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-CommerceA Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-Commerce
 
Estimando o valor por ação
Estimando o valor por açãoEstimando o valor por ação
Estimando o valor por ação
 
O plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptxO plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptx
 
Ge 8 como entender mercado
Ge 8 como entender mercadoGe 8 como entender mercado
Ge 8 como entender mercado
 
Economia
EconomiaEconomia
Economia
 
Apostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custosApostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custos
 
As Metricas ToC
As Metricas ToCAs Metricas ToC
As Metricas ToC
 

Mais de Fernando Monteiro D'Andrea

Futuro da Escola Austríaca no Brasil
Futuro da Escola Austríaca no BrasilFuturo da Escola Austríaca no Brasil
Futuro da Escola Austríaca no Brasil
Fernando Monteiro D'Andrea
 
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequênciasPEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
Fernando Monteiro D'Andrea
 
O que te move?
O que te move?O que te move?
Caminho para a servidão em quadrinhos
Caminho para a servidão em quadrinhosCaminho para a servidão em quadrinhos
Caminho para a servidão em quadrinhos
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Moeda e inflação
Moeda e inflaçãoMoeda e inflação
Moeda e inflação
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Inovação em modelos de negócios: O Canvas
Inovação em modelos de negócios: O CanvasInovação em modelos de negócios: O Canvas
Inovação em modelos de negócios: O Canvas
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPESApresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Macroeconomia - Inflação
Macroeconomia - Inflação Macroeconomia - Inflação
Macroeconomia - Inflação
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Elaboração de Currículum Vitae
Elaboração de Currículum VitaeElaboração de Currículum Vitae
Elaboração de Currículum Vitae
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Aulas 18-19 - Preço
Aulas 18-19 - PreçoAulas 18-19 - Preço
Aulas 18-19 - Preço
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Empreendedorismo e Advocacia no norte do País
Empreendedorismo e Advocacia no norte do PaísEmpreendedorismo e Advocacia no norte do País
Empreendedorismo e Advocacia no norte do País
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
Fernando Monteiro D'Andrea
 

Mais de Fernando Monteiro D'Andrea (13)

Futuro da Escola Austríaca no Brasil
Futuro da Escola Austríaca no BrasilFuturo da Escola Austríaca no Brasil
Futuro da Escola Austríaca no Brasil
 
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequênciasPEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
PEC 55 - Esclarecimentos e possíveis consequências
 
O que te move?
O que te move?O que te move?
O que te move?
 
Caminho para a servidão em quadrinhos
Caminho para a servidão em quadrinhosCaminho para a servidão em quadrinhos
Caminho para a servidão em quadrinhos
 
Moeda e inflação
Moeda e inflaçãoMoeda e inflação
Moeda e inflação
 
Inovação em modelos de negócios: O Canvas
Inovação em modelos de negócios: O CanvasInovação em modelos de negócios: O Canvas
Inovação em modelos de negócios: O Canvas
 
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPESApresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
Apresentação no XIII Encontro de Administração do IESPES
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Macroeconomia - Inflação
Macroeconomia - Inflação Macroeconomia - Inflação
Macroeconomia - Inflação
 
Elaboração de Currículum Vitae
Elaboração de Currículum VitaeElaboração de Currículum Vitae
Elaboração de Currículum Vitae
 
Aulas 18-19 - Preço
Aulas 18-19 - PreçoAulas 18-19 - Preço
Aulas 18-19 - Preço
 
Empreendedorismo e Advocacia no norte do País
Empreendedorismo e Advocacia no norte do PaísEmpreendedorismo e Advocacia no norte do País
Empreendedorismo e Advocacia no norte do País
 
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
2012 10-22 - aula 11 - dominando o processo
 

Último

epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 

Último (20)

epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 

Demanda, oferta, elasticidade e mercados - Aulas 3 a 7

  • 1. Noções sobre Economia Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea
  • 2. Economia – Contábeis 2013-01 Datas • Dia de exercício baseado no “eu, o lápis”; • Dia de exercício do livro do Roberts de 28 de Fevereiro para 7 de Março; ▫ Valendo 1,5 pontos; • Dia 4 de Abril exercícios sobre o livro do Hazllit; ▫ Valendo 2,5 pontos; • Prova 1 dia 11 de Abril; ▫ Valendo 5 pontos; • Prova 2 dia 13 de Junho; ▫ Exercícios para casa – valendo 3 pontos; ▫ Exercício extra - valendo 1 ponto – livro do Ballvè; ▫ Valendo 7 pontos;
  • 3. Economia – Contábeis 2013-01 Aula Passada • Sociedade baseada em sistemas: ▫ Político; ▫ Econômico; ▫ Ético-moral-cultural; • Construtivismo x Racionalismo Crítico; • Teorias da Economia: ▫ Liberalismo; ▫ Comunismo; ▫ Terceira Via;
  • 4. Noções sobre Economia Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea Aula 3, 4 e 5 de 20 Quinta, 21 de Fevereiro de 2013 Introdução à MicroEconomia
  • 5. Economia – Contábeis 2013-01 O que estudaremos • O Que é Economia? • Teorias da Economia; • Micro e macroeconomia; • Escassez • Mercado; • Preços; • Oferta e demanda; • Curvas de demanda; • Oferta e equilíbrio; • Noções de mercados e funcionamento dos sistemas econômicos internacionais e nacional; • Processo de Industrialização brasileiro; • Modelo desenvolvimentista Nacional; • Planos Econômicos; • Análise e interpretação da política econômica nacional atual; • Economia e a Região Amazônica;
  • 6. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia (1) • Estuda como os recursos escassos são alocados para uma quantidade de fins; • Estuda-se o comportamento individual (das pessoas, empresas ou grupos homogêneos); • Serve como base para o estudo da economia como um todo; • É a base de todos os estudos sobre a Economia pois estuda as relações fundamentais ▫ Relações entre pessoas e pessoas e/ou pessoas e organizações;
  • 7. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia (2) • Pessoas e famílias fornecem trabalho e demandam produtos e serviços; • As organizações fornecem produtos e serviços e demandam trabalho; • Os que demandam produtos e serviços buscam aumentar a utilidade de seus recursos a partir de um orçamento pré-determinado; ▫ Fazer o máximo possível com uma quantidade limitada de dinheiro; • As empresas buscam maximização do lucro baseados em seus custos e receitas;
  • 8. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia (3) • Busca entender como se formam os preços; ▫ Tanto de produtos finais como de fatores de produção (máquinas, recursos humanos, etc.); • Estuda: ▫ Teoria do consumidor:  Quais suas preferências e porquê ele se comporta de uma maneira específica;  Como ele gera demanda e quais suas restrições;  Dá origem à curva de demanda;
  • 9. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia (4) • Estuda: ▫ Teoria da empresa:  Concentra-se na estrutura economia (e não simplesmente financeira) das empresas e como elas buscam maximizar os lucros;  A partir deste estudo tem-se a curva da oferta; ▫ Teoria de Produção:  Estuda a transformação de fatores de produção em produtos finais;  Estuda como as variações nos fatores de produção influenciam no produto final;  Determina as curvas de custo que são usadas para encontrar o volume de oferta ótimo;
  • 10. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia (5) • Estuda: ▫ Práticas de Mercado:  Oligopólio, Monopólio, concorrência perfeita, concorrência monopolística; • Busca entender se “os indivíduos na busca dos seus interesses próprios contribuem para promover os interesses da sociedade no seu conjunto” como dizia Adam Smith; • É a ciência que estuda os preços;
  • 11. Economia – Contábeis 2013-01 MicroEconomia x Economia de Empresa • Focam coisas distintas; ▫ Uma estuda o funcionamento de oferta e demanda na formação do preço no mercado; ▫ A outra, além de estudar uma empresa específica, tem enfoque na parte contábil-financeira da formação do preço  Baseia-se principalmente nos custos de produção; • Para a Microeconomia devem ser considerados inclusive os custos de oportunidade (que não foram efetivamente incorridos) o que não acontece na economia de empresa;
  • 12. Economia – Contábeis 2013-01 Como Funciona? (1) • Constrói modelos analíticos que ajudam a descrever como o mercado busca conseguir o equilíbrio entre o preço e a quantidade ofertada; • Como este reage às alterações do mercado (em oferta e demanda) ao longo do tempo; ▫ Lei da oferta e da demanda; • Para simplificar as análises são usadas algumas hipóteses: ▫ Racionalidade dos agentes;  Ações ou inações advém de decisões racionais humanas;  Todas as ações visam aumentar a satisfação;
  • 13. Economia – Contábeis 2013-01 Como Funciona? (2) • Para simplificar as análises são usadas algumas hipóteses: ▫ Equilíbrio parcial (todo o resto permanece constante - coeteris paribus);  Analisar o chamado “equilíbrio geral” é muito mais realista e, ao mesmo tempo, muito mais complexo; ▫ Papel dos preços relativos:  O preço absoluto é menos importante do que o relativo; ▫ Objetivos da empresa  Aumentar o lucro;  Ganhar market share;  Aumento da margem sobre os custos;
  • 14. Economia – Contábeis 2013-01 Premissas Básicas • A quantidade de recursos disponíveis para satisfazer necessidades é finita: ▫ Não se pode ter tudo ao mesmo tempo; ▫ Dinheiro (e mais profundamente a riqueza) não é gratuita, não nasce em árvores; • Toda ação implica necessariamente em abrir mão de outra ação: ▫ Custo de oportunidade; ▫ Ao agir estou deixando de não agir, o que já é uma ação; • Não se pode produzir tudo sozinho com eficiência; ▫ Eficiência econômica; ▫ Importância do comércio;
  • 15. Economia – Contábeis 2013-01 CPP (1) • Curva de Possibilidades de Produção; • Também dita Fronteira das Possibilidades de Produção (FPP): • Ilustra através de um gráfico a escassez dos fatores de produção; ▫ Dinheiro, maquinário, pessoas, terras, etc.; • O gráfico apresenta o limite para a capacidade produtiva de um determinado ente: ▫ Empresa, País, Pessoa, Fazenda, Sociedade, etc.;
  • 16. Economia – Contábeis 2013-01 CPP (2) Produto 1 Produto 2 A B Qualquer ponto dentro da área entre curva e os eixos significa produtividade ineficiente Qualquer ponto além a curva é impossível Pontos na curva representam produtividade máxima (como A e B) QtdP1A QtdP1B QtdP2A QtdP2B
  • 17. Economia – Contábeis 2013-01 CPP (3) • A Curva mostra o total de riqueza que um determinado ente pode gerar se usar perfeitamente (eficientemente) todos os seus recursos; • É impossível obter produção fora da curva pois não há recursos suficientes (escassez); • O normal é que se esteja dentro da curva pois é praticamente impossível eliminar por completo o desperdício; Produto 1 Produto 2 A B QtdP1A QtdP1B QtdP2A QtdP2B 3 vídeos com tradução simultânea
  • 18. Economia – Contábeis 2013-01 Custo de Oportunidade • A parábola da janela quebrada: ▫ Vídeo ou leitura ▫ https://www.youtube.com/watch?v=J3IxaEonCG Y
  • 19. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta e Demanda (1) • A relação entre oferta e demanda demonstra as forças que agem na alocação dos recursos escassos; • Assim, em economias de mercado, tanto demandantes quanto ofertantes irão alocar recursos da maneira mais eficiente possível;
  • 20. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta e Demanda (2) Oferta Trabalhador / Pessoa Mercado / Empresa Demanda Trabalho Produtos & Serviços Produtos & Serviços Trabalho
  • 21. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta e Demanda (3) Trabalhador / Pessoa Mercado / Empresa Trabalho Produtos & Serviços
  • 22. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta e Demanda (4) Trabalhador / Pessoa Mercado / Empresa Trabalho Produtos & Serviços
  • 23. Economia – Contábeis 2013-01 Lei da Demanda • Diz que, dado que todos os outros fatores permaneçam constantes (coeteris paribus), quanto maior for o preço do produto, menos pessoas irão se interessar por ele (demandá- lo); Preço Qtd A B P1 Q1 Q3 C Q2 P2 P3 Curva de demanda “D”
  • 24. Economia – Contábeis 2013-01 Lei da Oferta • Da mesma forma que a anterior esta lei demonstra a quantidade de um dado produto que serão vendidas a um preço determinado. • Esta curva, porém, tem tendência ascendente. Quanto maior o preço, maior a quantidade ofertada. Preço Qtd A B P1 Q1 Q3 C Q2 P2 P3 Curva de Oferta “O”
  • 25. Economia – Contábeis 2013-01 Equilíbrio (1) • Quando Oferta e demanda são iguais (quando as curvas se tocam) se diz que a economia para aquele bem está em equilíbrio; • Neste ponto a economia atinge seu ponto mais eficiente: ▫ A quantidade que é demandada é igual à ofertada; ▫ escassos; • Neste caso hipotéticos todos (demandantes e ofertantes) estão satisfeitos;
  • 26. Economia – Contábeis 2013-01 Equilíbrio (2) • No ponto de equilíbrio não há ineficiência alocativa; • No mundo real é impossível chegar à este equilíbrio, quantidades demandas e ofertadas movem-se continuamente; Preço Qtd Equilíbrio Qe Pe Curva de Oferta “O” Curva de demanda “D”
  • 27. Economia – Contábeis 2013-01 Desequilíbrio (1) • Excesso de oferta; • Acontece quando o preço cobrado está abaixo do preço de equilíbrio, assim muitos consumidores demandarão o produto que não será adequadamente fornecido pelos produtores; Preço Qtd Q1 P1 Curva de Oferta “O” Curva de demanda “D” Q2
  • 28. Economia – Contábeis 2013-01 Desequilíbrio (2) • Excesso de demanda; • Caso o preço seja colocado a um nível alto demais será criado um excesso de oferta e, por consequência, haverá ineficiência alocativa de recursos; Preço Qtd Q1 P1 Curva de Oferta “O” Curva de demanda “D” Q2
  • 29. Economia – Contábeis 2013-01 Análise de Oferta e Demanda • Para observar as possíveis revoluções dos mercados com relação à Oferta e demanda utilizam-se situações limite; • Estas tem por objetivo apresentar um recorte da realidade que será útil na análise dos mercados; • Deve-se porém ter em mente a premissa “coeteris paribus” (todo o resto permanecendo constante); ▫ Quais as implicações disso nas análises? ▫ Não se pode generalizar as análises, elas servem apenas para ter uma idéia das eventuais consequências deste ou daquele movimento;
  • 30. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (1) • A Elasticidade mede quanto a quantidade demandada de algo (serviço / produto) irá variar com a mudança de: preço, oferta e renda; • Quando a mudança na quantidade demandada muda muito quando o preço muda pouco o produto é dito “elástico”; ▫ Em geral isso ocorre com produtos que tem muitos substitutos, muitas alternativas; ▫ Os consumidores serão então mais sensíveis à mudança de preço;  Móveis para casa, carros, maquinário para indústrias, serviços profissionais e de transporte;
  • 31. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (2) • Quando, apesar da mudança grande no preço, a demanda pouco muda, o produto é dito “inelástico”; ▫ Ocorre para produtos que são dificilmente substituídos;  Gasolina é um exemplo, é muito difícil diminuir muito a quantidade consumida pois todos precisamos dela;  Eletricidade, água, bebidas, roupas, cigarros, comida e petróleo são outros exemplos bastante comuns;
  • 32. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (3) • O conceito é muito importante pois descreve a relação fundamental entre o preço cobrado e a demanda por determinado produto; • Quando, apesar da mudança grande no preço, a demanda pouco muda, o produto é dito “inelástico”; • Elasticidade, enfim, nos diz quão responsivo é a algo (demanda, oferta ou receita) a alterações no em alguma outra coisa (preço, demanda, etc.); Elasticidade = Responsividade
  • 33. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (4) • Elastico ou inelástico? ▫ O preço da gasolina é alto e você deve levar sua filha doente ao hospital, o preço para você é:  Inelástico; ▫ Há várias padarias concorrentes, uma, a que você sempre visita, aumentou o preço do pão, a demanda é:  Elástica; ▫ Um paciente num hospital público tem que receber medicação contra a dor:  Inelástica;
  • 34. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (5) • Elastico ou inelástico? ▫ O mesmo paciente foi mandado para casa e tem uma receita, mas deve pagar pelo remédio:  Elástico; ▫ O preço do frango aumenta;  Elástico; ▫ O presidente da república se perde numa floresta sozinho:  Inelástica; ▫ Um drogado está sem a droga:  Inelástica;
  • 35. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade e sua importância (6) • Se a demanda pelo produto que você vende for inelástica o que você deve fazer com o preço se seu único objetivo for o lucro? • Se há competidores no mercado e os consumidores são cientes dos preços então a o produto / serviço tenderá a ser mais elástico;
  • 36. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade: exemplos (1) • Quando o preço da gasolina sobe 1% a quantidade demandada diminui cerca de 0,2%, a sensibilidade ao preço da gasolina não é muito grande: ▫ Elasticidade da demanda é - 0,2. • Quando o preço de joias em ouro sobe 1% a quantidade demandada diminui 2,6%, assim a demanda por joias em ouro é muito sensível ao preço: ▫ Elasticidade da demanda é – 2,6.
  • 37. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade: exemplos (2) • Quando o preço de uma pintura de Da Vinci sobe 1% a quantidade ofertada não muda, a quantidade ofertada destas pinturas é completamente insensível ao preço : ▫ Elasticidade da oferta é 0; • Quando o preço da carne cresce 1% a quantidade ofertada cresce 5%, a oferta deste produto é muito sensível ao preço: ▫ Elasticidade da oferta é 5;
  • 38. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (1) • É uma forma de se medir como a mudança na demanda de um produto irá responder à uma mudança no preço deste produto; • A elasticidade da demanda é dada pelo percentual de mudança na quantidade demandada dada o percentual de mudança no preço;  Observar que a elasticidade da demanda independe da direção em que muda o preço ou a quantidade; 𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 = % 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎 % 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
  • 39. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (2) • Perfeitamente Inelástica: ▫ A quantidade demandada independe de variações no preço; • Inelástica: ▫ A resposta à variação de preço é relativamente fraca; • Elasticidade Unitária: ▫ A variação percentual é idêntica para demanda e preço; • Elástica: ▫ A resposta à variação de preço é bastante grande; • Perfeitamente Elástica: ▫ A quantidade demandada muda infinitamente com qualquer mudança no preço;
  • 40. Economia – Contábeis 2013-01 Demanda Perfeitamente Inelástica A quantidade demandada não irá mudar com a variação no preço. Elasticidade da Demanda = 0
  • 41. Economia – Contábeis 2013-01 Demanda Perfeitamente Elástica A quantidade demandada irá mudar infinitamente caso ocorra qualquer variação no preço. Elasticidade da Demanda = ∞
  • 42. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (3) • Alguns fatores determinantes: ▫ Capacidade de ser substituído:  Quanto maior o número de substitutos, maior a elasticidade;  Se o preço aumentar e houverem muitos substitutos a consequência natural será a diminuição da demanda; ▫ Proporção da renda do cunsumidor:  Quanto maior for o impacto do preço do produto na renda total do consumidor, maior a elasticidade; ▫ Supérfulo ou necessário?  Quanto mais o produto for percebido como supérfulo, maior a elasticidade;  Um produto necessário sofre menos com o aumento do preço;
  • 43. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (4) • Alguns fatores determinantes: ▫ Definição do mercado:  Quanto mais estreita for a definição do que se considera o mercado, maior a elasticidade; ▫ Tempo:  A elasticidade tende a aumentar com o aumento do período estudado;  Se observarmos apenas um dia ou uma semana as informações são menos relevantes, ao observarmos anos ou décadas a situação fica mais clara; ▫ Urgência no consumo:  Quanto mais urgente mais inelástico, menos sensível ao preço; ▫ Itens aos quais o sujeito é viciado;
  • 44. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (5) Preço Qtd Faturamento (PxQ) % mudança no preço % mudança na Qtd Elasticidade Descrição 7 0 0 6 2 12 16,67% 100,00% 6,00 Elástico 5 4 20 20,00% 50,00% 2,50 Elástico 4 6 24 25,00% 33,33% 1,33 Elástico 3,5 7 24,5 14,29% 14,29% 1,00 Elasticidade Unitária 3 8 24 16,67% 12,50% 0,75 Inelástico 2 10 20 50,00% 20,00% 0,40 Inelástico 1 12 12 100,00% 16,67% 0,17 Inelástico 0 14 0
  • 45. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (6) - 1.00 2.00 3.00 4.00 5.00 6.00 7.00 7 6 5 4 3.5 3 2 1 0 Elasticidade Preço Elasticidade da Demanda
  • 46. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (7) • O gasto que a sociedade como um todo tem com um produto quando o preço unitário dele aumenta também cresce? • O aumento de preço unitário traz consigo um maior gasto por unidade; • Mas, ao mesmo tempo, a quantidade demandada diminui com o aumento do preço; • Portanto, para responder à esta pergunta deve- se medir a elasticidade da demanda;
  • 47. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (8) Perfeitamente Inelástica Preço Quantidade Demandada Inelástica Unitária Elástica Perfeitamente Elástica
  • 48. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (9) Preço Quantidade Demandada Demanda Inelástica mesmo uma grande variação no preço não afetará tanto a Demanda pelo produto específico Demanda Elástica uma pequena variação no preço afetará bastante a Demanda pelo produto específico
  • 49. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda: exemplo (1) • O preço do peixe assado na brasa na ilha do Amor em Alter-do-chão é, em média R$ 20 para duas pessoas; • Supondo que haja uma demanda constante nos finais de semana por 3.000 peixes; • Se a coeficiente que indica a elasticidade da demanda por peixes na ilha do Amor nos finais de semana for igual a 2,0 qual o efeito sobre a demanda (e sobre o faturamento total das barracas) do produto se o preço aumentar 25% para R$ 25,00?
  • 50. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda: exemplo (2) • Elasticidade da demanda = 2,0; • Aumento de 25% implica em uma queda de 50% na quantidade demandada; • A quantidade de peixes que era de 3.000 por final de semana cairá para 1.500; • O valor total gasto cairá de: ▫ 3000 peixes x R$20/peixe = R$ 60.000,00; ▫ 1500 peixes x R$25/peixe = R$ 37.500,00; 𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 = % 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎 % 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
  • 51. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda: exemplo (3) • E se a elasticidade da demanda for 0,5; • Aumento de 25% no preço implicará em uma queda de 12,5% na quantidade demandada; • A quantidade de peixes que era de 3.000 por final de semana cairá para 2625; • O valor total gasto aumentará de: ▫ 3000 peixes x R$20/peixe = R$ 60.000,00; ▫ 2625 peixes x R$25/peixe = R$ 65.625,00; 𝐸𝑙𝑎𝑠𝑡𝑖𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝐷𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎 = % 𝑚𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎 % 𝑀𝑢𝑑𝑎𝑛ç𝑎 𝑛𝑜 𝑃𝑟𝑒ç𝑜
  • 52. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda: exemplo (4) •Assim, o total gasto pela sociedade irá: ▫ Aumentar quando a elasticidade da demanda estiver entre 0 e 1; ▫ Diminuir quando a elasticidade da demanda for maior que 1;
  • 53. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda: exemplo (5) Grau de Elasticidade Preço Quantidade demandada Faturamento Total Elasticidade alta (e>1) Aumenta Diminui Diminui Diminui Aumenta Aumenta Elasticidade Unitária (e=1) Aumenta Diminui Não há mudança Diminui Aumenta Não há mudança Altamente Inelástico (e<1) Aumenta Diminui Aumenta Diminui Aumenta Diminui
  • 54. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Demanda (8) Preço Qtd P Qtd demandada Pre ço Elasticidade = 1 O gasto total está no máximo Elasticidade > 1: Uma redução no preço irá aumentar o gasto total, um aumento no preço diminuirá o gasto total Elasticidade < 1 Uma redução no preço reduzirá o gasto total, um aumento no preço aumentará também o gasto total Como se pode perceber a elasticidade da demanda diminui ao longo da curva dirigindo-se para o eixo das quantidades, ou seja, vai de ∞ (infinito) até 0 (zero)
  • 55. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Oferta (1) • Mede como a mudança no preço de um produto irá afetar a oferta deste no mercado; • A elasticidade da oferta é dada pelo percentual de mudança na quantidade ofertada proveniente de uma mudança percentual no preço de venda do mercado;  Observar que a elasticidade da oferta também independe da direção em que muda o preço ou a quantidade;
  • 56. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Oferta (2) • Oferta Elástica: ▫ O coeficiente é maior que 1; • Oferta Inelástica: ▫ O coeficiênte é menor que 1; • Elasticidade Unitária da Oferta: ▫ A variação percentual é idêntica para oferta e preço; • Oferta perfeitamente inelástica: ▫ O coeficiente é igual a zero – não há mudança na quantidade ofertada com mudança no preço; • Oferta Perfeitamente Elástica: ▫ O valor coeficiente é infinito – uma pequena variação no preço causa uma variação infinita na oferta;
  • 57. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta Perfeitamente Elástica A quantidade Ofertada irá mudar infinitamente caso ocorra qualquer variação no preço. Elasticidade da Oferta = ∞
  • 58. Economia – Contábeis 2013-01 Oferta Perfeitamente Inelástica A quantidade Ofertada não irá mudar com a variação no preço. Elasticidade da Oferta= 0
  • 59. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Oferta (3) • Fatores determinantes: ▫ Capacidade dos vendedores de mudar a quantidade que eles ofertam e como isso afetará suas receitas;  Terrenos na praia são inelásticos, a praia é finita, não se pode aumentar o número de terrenos ali disponíveis;  Carros, livros e produtos industriais, em geral, são mais elásticos, pode-se aumentar a quantidade ofertada se o marcado (através do aumento do preço) assim pedir; • A Oferta é mais elástica num período mais longo, a curto prazo tende a ser mais inelástica pois não é fácil produzir de uma hora para outra para poder ofertar:
  • 60. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Oferta (4) Perfeitamente Inelástica Preço Quantidade Demandada Inelástica Unitária Elástica Perfeitamente Elástica
  • 61. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade da Oferta(5) Preço Quantidade Demandada Oferta Inelástica mesmo uma grande variação no preço não afetará tanto a Oferta do produto específico Oferta Elástica uma pequena variação no preço afetará bastante a Oferta pelo produto específico
  • 62. Economia – Contábeis 2013-01 Elasticidade: Oferta e Demanda • Elasticidade unitária: elasticidade é igual a um; • Inelástico: elasticidade é menor que um; • Elástico: elasticidade é maior que um; 0 1 2 3 4 5 ∞ [...] Elasticidade Unitária } Inelástico Elastico
  • 63. Economia – Contábeis 2013-01 Concorrência (1) • Competir implica em disputar pelo mesmo dinheiro que o consumidor tem a gastar; ▫ Não é necessário que os produtos sejam diretamente concorrentes;  Pizza concorre com sanduíche;  Uma viagem concorre com uma série de entretenimentos diversos;  Gêneros alimentícios concorrem com outros gêneros alimentícios, não feijão A x feijão B, mas feijão x carne x frutas x ...; ▫ Mais do que tudo a concorrência está relacionada à possibilidade de substituição de determinado produto por outro que atenda a mesma necessidade;
  • 64. Economia – Contábeis 2013-01 Concorrência (2) • Existem (ao menos em teoria) empresas - e portanto industrias - que não sofrem concorrência; • Se um mercado tem um o poucos fornecedores de um produto este poderá controlar os preços o que diminui a capacidade de escolha do consumidor que não poderá tirar o máximo de seus recursos (terá baixa utilidade); ▫ A vontade do consumidor tem efeitos menores no preço cobrado pelo produto;
  • 65. Economia – Contábeis 2013-01 Formas ou Estruturas de Mercado (1) • Estudam quantas empresas oferecem, no mercado, produtos concorrentes; Forma Barreiras de Entrada para Vendedores Quantidade de Vendedores Barreiras de Entrada para Compradores Quantidade de Compradores Competição perfeita Não há Muitos Não há Muitas Monopólio Existe Um Não há Muitas Competição Monopolística Não há Muitos Não há Muitas Oligopólio Existe Poucos Não há Muitas Oligopsônio Não há Muitos Existem Poucas Monopsônio Não há Muitos Existem Um
  • 66. Economia – Contábeis 2013-01 Formas ou Estruturas de Mercado (2) • Competição Perfeita: ▫ É uma das estruturas extremas, tem como oposto o Monopólio; ▫ Tem como características:  Grande quantidade de compradores e vendedores;  Muitos produtos similares, muitos substitutos;  Quando esta condição é satisfeita existem poucas ou mesmo nenhuma barreira para a entrada de uma nova competidora;  Os preços são determinados somente pela oferta e pela demanda;
  • 67. Economia – Contábeis 2013-01 Formas ou Estruturas de Mercado (3) • Monopólio:: ▫ É a outra das estruturas extremas, é extrema à Competição Perfeita; ▫ Neste caso uma empresa ou grupo tem a posse de todo ou quase todo o mercado de um produto; ▫ Por definição o Monopólio é caracterizado pela ausência de competição;  Esta, em geral, resulta em preços maiores e produtos de menor qualidade;  Maximiza os lucros;  Os preços são definidos pelo monopolista;  Preço baixo e muito volume num mercado muito elástico e preço maior e menor volume num mercado menos elástico; Como surge um monopólio? Barreiras econômicas (de escala, de capital, vantagens de custo e superioridade tecnológica); Barreiras Legais (propriedade intelectual, e atuação governamental, por exemplo) Ações deliberadas (lobby junto ao governo, venda abaixo do custo para eliminar competidores,(dumping) etc.)
  • 68. Economia – Contábeis 2013-01 Formas ou Estruturas de Mercado (4) • Competição Monopolística: ▫ Muitas empresas oferecem o produto; ▫ Uma ou poucas são líderes de mercado com grande quota (geralmente acima de 80%); ▫ É possivelmente a estrutura mais comum nos diferentes mercados; • Oligopólio: ▫ Poucas empresas controlam o mercado; ▫ Barreiras de entrada muito grandes;
  • 69. Economia – Contábeis 2013-01 Formas ou Estruturas de Mercado (5) • Monopsônio: ▫ Diametralmente oposto ao Monopólio; ▫ Ao invés de apenas um fornecedor existe apenas um consumidor; ▫ Neste caso ambos estão atrelados e o maior deles tende a ditar os preços; • Oligopsônio: ▫ Muito similar ao Monopsônio; ▫ Muitas empresas oferecem o mesmo produto para um só consumidor; ▫ Ambos são comuns para empresas que fornecem ao governo;
  • 71. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (1) • Iório: Dez lições de economia austríaca para iniciantes. Disponível em: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1397 • Microeconomia: artigo Wikipedia visitado em 15- 02-2013. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Microeconomia • Microeconomics: apresentação disponível em http://www.slideshare.net/shakev/microeconomics -11172428 acesso em 15-02-2013. Acesso em 05/02/2013. • Microeconomics: apresentação disponível em http://www.slideshare.net/doanduytien/microecon omics-15121692. Acesso em 05/02/2013. • Bastiat: A Vidraça Quebrada. Disponível em: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1202
  • 72. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (2) • Trade is made of win. Disponível em: http://www.learnliberty.org/playlists/trade-is- made-of-win-videos. Acesso em 5-12-2012. • A falácia da janela quebrada. Disponível em: • https://www.youtube.com/watch?v=J3IxaEonC GY. Acesso em 5-12-2012. • Curva de Possibilidades de Produção. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fronteira_de_poss ibilidades_de_produ%C3%A7%C3%A3o . Acesso em 13-2-2013.
  • 73. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (3) • Elasticity of supply and Demand. Disponível em: www.slideshare.net/kaycock/elasticity-of-supply- and-demand. Acesso em 10-02-2013. • Elasticity. Disponível em: http://www.investinganswers.com/financial- dictionary/economics/elasticity-2873. Acesso em 10-02-2013. • Elasticity: Disponível em: http://www.sambaker.com/econ/elast/elast.html Acesso em 10-02-2013. • Microeconomics. Disponível em: http://www.slideshare.net/doanduytien/microecon omics-15121692 . Acesso em 10-02-2013.
  • 74. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (3) • Preço Justo é o de mercado. Disponível em: http://blog.kanitz.com.br/2011/02/o-preço-justo-é-o- de-mercado-.html . Acesso em 10 de fevereiro de 2013. • The Fundamentals of Rent-Seeking by Gordon Tullock, Professor of Economics, University of Arizona. http://www.thelockeinstitute.org/journals/luminary_v1 _n2_p2.html . Acesso em 15 de Fevereiro de 2013. • Rent Seeking by David R. Henderson http://www.econlib.org/library/Enc/RentSeeking.html • Giving Away Money Costs More Than You Think http://www.learnliberty.org/videos/giving-away- money-costs-more-you-think. Acesso em 15 de Fevereiro de 2013.
  • 75. Microeconomia – Aulas 3-9 Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea