SlideShare uma empresa Scribd logo
Biologia

introdução ao estudo da
genética


Professora : Adrianne Mendonça
Conceitos Básicos em Genética
Caráter: Um certo aspecto do ser vivo, geralmente determinado
por um gene. Por exemplo: cor da flor, altura da planta (vegetais),
aspecto dos cabelos, albinismo (humanos), cor das asas
(insetos), etc.

Gene: É a unidade de transmissão hereditária formada por um
fragmento de DNA de um cromossomo e responsável pela
codificação de uma certa proteína. Essa proteína condiciona o
caráter.




                     http://www.montana.edu/wwwai/imsd/diabetes/genes.html
Cromossomos Homólogos: Pares cromossômicos que
        carregam os alelos para a determinação de um certo
        caráter. Cada um dos homólogos é transmitido por um
        dos pais.




http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm




                                                           http://www.biologica.hpg.ig.com.br/gen_conceitos.htm
Lócus: É o local ocupado pelo gene em cromossomos
homólogos e que determina o mesmo caráter.

Genes Alelos: Gene que ocupa o mesmo lócus em
cromossomos homólogos e que determina o mesmo
caráter. Exemplo: a cor da semente (caráter) é
determinada por dois alelos que condicionam a coloração
amarela ou verde.




                     http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm
Genótipo: Patrimônio genético do indivíduo. Todos os
genes que ele recebe de seus pais e que poderão ser
transmitidos para seus descendentes. Costuma-se
representar o genótipo com letras, indicando os genes
presentes nas células somáticas.

 Fenótipo: Características específicas do caráter
analisado. O fenótipo é determinado pelo genótipo
(genes) e pode ou não ser facilmente observado. Ex: tipo
sanguíneo (proteína produzida).
Homozigoto: Indivíduo que possui os dois genes iguais
em um certo lócus, sendo considerado puro para o
caráter. O genótipo do homozigoto é representado por
duas letras iguais (AA ou aa).

 Heterozigoto: Indivíduo que possui um gene diferente do
outro em um certo lócus. Cada um deles determina um
fenótipo diferente para o caráter considerado; são
impuros ou híbridos (Aa).




                 http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm
Gene recessivo: gene que só manifesta fenotipicamente
o caráter em homozigose (dois alelos iguais). Só se
manifesta quando estiver presente em dose dupla (aa).

 Gene dominante: Gene que manifesta o mesmo
fenótipo, tanto em homozigose (AA) como em
heterozigose (Aa).
 O desenvolvimento de um ser vivo depende tanto da
  hereditariedade quanto do ambiente. ambiente
    A hereditariedade e o
 Esses dois fatores se inter-relacionam.
 A hereditariedade é responsável pela formação do
  genótipo, e o ambiente age sobre ele.
 Os fatores ambientais podem interferir na aparência do
  indivíduo modificando o seu fenótipo, mas não o seu
  genótipo. Ex: pele exposta ao sol.
 FENÓTIPO: GENÓTIPO + AMBIENTE.
Genética: Ciência que estuda a
transmissão das características entre os
  Heranças Biológicas
descendentes.

 Gregor Mendel (1822-1884) – Monge
Austríaco que estudou genética por meio
da observação de seus experimentos
com plantas de ervilhas (Pisum sativum).

  Nos jardins de um mosteiro na
República Tcheca, entre 1856 e 1863
realizou cruzamentos genéticos com
essas plantas e chegou a brilhantes
conclusões, conhecidas nos dias atuais
como as leis de Mendel.
                                      http://history.nih.gov/exhibits/nirenberg/popup_htm/01_mendel.htm
Seu trabalho foi apresentado para a comunidade
científica em 1865, mas nessa época não foi
compreendido e nem valorizado.



 A partir de 1900 (dezesseis anos após sua morte),
Mendel teve seu mérito reconhecido e confirmado por
outros cientistas.
O sucesso das experiências de Mendel se deve muito
  ao fato de ter escolhido bem o material a ser pesquisado
   Experimentos de Mendel
  (plantas de ervilha).
 São de fácil cultivo em canteiros.
 Possuem várias características bem visíveis e de fácil
  observação.
 Apresentam ciclo reprodutivo curto, produzindo grande
  quantidade de descendentes em cada planta.
 Possuem flores hermafroditas. Isso possibilita a
  autofecundação e, consequentemente, a formação de
  linhagens puras.
Caracteres hereditários observados por Mendel




                           http://200.198.28.154/sistema_crv/banco_objetos_crv/%7BC43FF3AC-6E37-4873-B3FA-
                           183C6FE15B3A%7D_Figura1.jpg
Mendel iniciou seus experimentos com o cruzamento de
  O trabalho prático: cruzando as
plantas puras. Ex: planta com a flor de cor púrpura x
  ervilhas
planta com flor de cor branca.




                    http://einsteins43.blogspot.com/2009_01_01_archive.html
http://4.bp.blogspot.com/_PyUQ8MbgEgU/SN-syMs-
tXI/AAAAAAAAADs/aljOKqpWHKI/s400/ppp.jpg
http://einsteins43.blogspot.com/2009_01_01_archive.html
 Geração parental: Plantas puras que realizam
  cruzamento.

 F1: primeira geração filha. Representada por indivíduos
  heterozigotos para alguma característica e que
  manifestam somente um caráter.

 F2: segunda geração de sementes, resultante da
  autofecundação dos representantes da F1.
A 1ª Lei de Mendel: MONO-
HIBRIDISMO
  A análise e interpretação dos experimentos
 permitiram a Mendel que elaborasse as seguintes
 conclusões:

 As plantas devem possuir, no interior de suas células,
  certo “fatores” (atualmente, denominados genes) que
  determinam a cor amarela ou verde nas sementes.

 Cada planta possui dois desses fatores, dos quais um
  deles é transmitido pela parte masculina da flor e o
  outro, pela feminina. Assim, após a fecundação, esses
  “fatores” se unem e voltam a se apresentar aos pares;
 Nos organismos, os dois “fatores” para uma certa
  característica podem ser iguais (VV ou vv) ou diferentes
  (Vv). Os iguais são considerados puros ou homozigotos e
  os diferentes, híbridos ou heterozigotos.
 Se os organismos Vv possuem sementes amarelas,
  ocorre dominância no “fator” para a cor amarela e
  recessividade no “fator” para a cor verde.



  Essas conclusões levaram Mendel a elaborar uma das
 mais importantes generalizações da Biologia: A Primeira
 Lei de Mendel ou Lei da Segregação.
Nas células somáticas, os genes se encontram aos
pares, mas durante a formação dos gametas, eles se
separam, mostrando-se isolados ou segregados.




                    http://www.agostinhomonteiro.com.br/nws_dicas_030.php
Exemplos:
 Lóbulo solto da orelha é
   Genética humana
  uma característica
  determinada por gene
  dominante. Ex: A.
 Capacidade de dobrar a
  língua: característica
  determinada por gene
  dominante em relação a                       http://www.flickr.com/photos/cansada/60233200/


  não dobrar.
 Bico de Viúva: característica
  dominante.

                                  http://denisegw.blogspot.com/2008/08/voc-consegue-enrolar-sua-lngua-em-forma.html
Árvore genealógica
• Maneira mais utilizada para a análise do aspecto da
  herança biológica em caráter genético das
    Genealogias: O uma família.
    famílias
• Representação dos membros da família.




                             http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/heredo.htm
Obrigada !!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
Iuri Fretta Wiggers
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
Mateus Domingos
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
César Milani
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
emanuel
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
Marcionedes De Souza
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
UERGS
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
Rebeca Vale
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
UERGS
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
Gisele A. Barbosa
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Adriano Muniz
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Bio
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
Matheus Faria do Valle
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Fatima Comiotto
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
emanuel
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
César Milani
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 

Mais procurados (20)

Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Heranca ligada sexo
Heranca ligada sexoHeranca ligada sexo
Heranca ligada sexo
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 

Destaque

Conceitos básicos em genetica
Conceitos básicos em geneticaConceitos básicos em genetica
Conceitos básicos em genetica
Rita Viviane Brandao
 
Genética 3 ano
Genética   3 anoGenética   3 ano
Genética 3 ano
Letícia da Mata
 
Conceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genéticaConceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genética
Douglas Barreto
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
emibio
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
1 Leis De Mendel
1  Leis De Mendel1  Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
Ana Paula Ribeiro
 
Aula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecularAula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecular
Kristian Wessman
 
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 ejaConceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Hélida Mesquita
 
Principios basicos de genetica
Principios basicos de geneticaPrincipios basicos de genetica
Principios basicos de genetica
Giselecanindee
 
Introdução á genética
Introdução á genéticaIntrodução á genética
Introdução á genética
Thais Benicio
 
Aula 1 fundamentos de genética
Aula 1   fundamentos de genética  Aula 1   fundamentos de genética
Aula 1 fundamentos de genética
Marcelo Gomes
 
Genética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slidesGenética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slides
Fabiano Reis
 
(5) sistemática dos seres vivos
(5) sistemática dos seres vivos(5) sistemática dos seres vivos
(5) sistemática dos seres vivos
Hugo Martins
 
História da Genética em Quadrinhos
História da Genética em QuadrinhosHistória da Genética em Quadrinhos
História da Genética em Quadrinhos
UFPE
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
Carlos Moutinho
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
giovannimusetti
 
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
Rodrigo Travitzki
 
DNA -estrutura e função
DNA -estrutura e funçãoDNA -estrutura e função
DNA -estrutura e função
Isabel Lopes
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
Luciana Mendes
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
camaceio
 

Destaque (20)

Conceitos básicos em genetica
Conceitos básicos em geneticaConceitos básicos em genetica
Conceitos básicos em genetica
 
Genética 3 ano
Genética   3 anoGenética   3 ano
Genética 3 ano
 
Conceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genéticaConceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genética
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
1 Leis De Mendel
1  Leis De Mendel1  Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
 
Aula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecularAula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecular
 
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 ejaConceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
 
Principios basicos de genetica
Principios basicos de geneticaPrincipios basicos de genetica
Principios basicos de genetica
 
Introdução á genética
Introdução á genéticaIntrodução á genética
Introdução á genética
 
Aula 1 fundamentos de genética
Aula 1   fundamentos de genética  Aula 1   fundamentos de genética
Aula 1 fundamentos de genética
 
Genética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slidesGenética – leis de mendel slides
Genética – leis de mendel slides
 
(5) sistemática dos seres vivos
(5) sistemática dos seres vivos(5) sistemática dos seres vivos
(5) sistemática dos seres vivos
 
História da Genética em Quadrinhos
História da Genética em QuadrinhosHistória da Genética em Quadrinhos
História da Genética em Quadrinhos
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
 
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio
 
DNA -estrutura e função
DNA -estrutura e funçãoDNA -estrutura e função
DNA -estrutura e função
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
 

Semelhante a Conceitos basicos em genetica

2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
Colégio Batista de Mantena
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
Jose Carlos Machado Cunha
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
Jonatas Carlos
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
vaniele17
 
Genetica importante
Genetica importanteGenetica importante
Genetica importante
Lima Gomes
 
Leis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.pptLeis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.ppt
antoniojosdaschagas
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
MicheliZequim1
 
1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel
leupaty
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
Evelyn Soares
 
Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de Genética
Fatima Comiotto
 
Mendel
MendelMendel
As leis de mendel
As leis de mendelAs leis de mendel
As leis de mendel
Juliano Pratti
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
DanielleSouza304612
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
Silvana Sanches
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
Catir
 
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptxIntrodução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
ProfRenatoBrasil
 
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
ThiagoAlmeida458596
 
O.e 1
O.e 1 O.e 1
O.e 1
Sabina Tique
 
Genética
GenéticaGenética

Semelhante a Conceitos basicos em genetica (20)

2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
2016 Frente 1 Módulo 8 A Lei da Segregação
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
 
Genetica importante
Genetica importanteGenetica importante
Genetica importante
 
Leis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.pptLeis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.ppt
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
 
1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
 
Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de Genética
 
Mendel
MendelMendel
Mendel
 
As leis de mendel
As leis de mendelAs leis de mendel
As leis de mendel
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
 
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptxIntrodução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
Introdução a genética, evolução e biodiversidade.pptx
 
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
1. Aula-Princípios de Genética - GENETICA CLASSICA E MODERNA.pptx
 
O.e 1
O.e 1 O.e 1
O.e 1
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 

Mais de Adrianne Mendonça

Lei de hess
Lei de hessLei de hess
Lei de hess
Adrianne Mendonça
 
Fissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclearFissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclear
Adrianne Mendonça
 
Ponto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivávelPonto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivável
Adrianne Mendonça
 
Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)
Adrianne Mendonça
 
Alzheimer ppt
Alzheimer pptAlzheimer ppt
Alzheimer ppt
Adrianne Mendonça
 
Determinação de calcio no leite
Determinação de  calcio no leiteDeterminação de  calcio no leite
Determinação de calcio no leite
Adrianne Mendonça
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTA
Adrianne Mendonça
 
Cnidários ou celenterados
Cnidários  ou  celenteradosCnidários  ou  celenterados
Cnidários ou celenterados
Adrianne Mendonça
 
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
Adrianne Mendonça
 
Anagramas
AnagramasAnagramas
Produto de solubilidade
Produto de solubilidadeProduto de solubilidade
Produto de solubilidade
Adrianne Mendonça
 
Reaçoes quimicas
Reaçoes quimicasReaçoes quimicas
Reaçoes quimicas
Adrianne Mendonça
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
Adrianne Mendonça
 
Tecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdfTecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdf
Adrianne Mendonça
 
Ciclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdfCiclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdf
Adrianne Mendonça
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
Adrianne Mendonça
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
Adrianne Mendonça
 
Mruv – exercícios
Mruv – exercíciosMruv – exercícios
Mruv – exercícios
Adrianne Mendonça
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Adrianne Mendonça
 
Química orgânica módulo 2
Química  orgânica módulo 2Química  orgânica módulo 2
Química orgânica módulo 2
Adrianne Mendonça
 

Mais de Adrianne Mendonça (20)

Lei de hess
Lei de hessLei de hess
Lei de hess
 
Fissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclearFissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclear
 
Ponto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivávelPonto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivável
 
Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)
 
Alzheimer ppt
Alzheimer pptAlzheimer ppt
Alzheimer ppt
 
Determinação de calcio no leite
Determinação de  calcio no leiteDeterminação de  calcio no leite
Determinação de calcio no leite
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTA
 
Cnidários ou celenterados
Cnidários  ou  celenteradosCnidários  ou  celenterados
Cnidários ou celenterados
 
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
 
Anagramas
AnagramasAnagramas
Anagramas
 
Produto de solubilidade
Produto de solubilidadeProduto de solubilidade
Produto de solubilidade
 
Reaçoes quimicas
Reaçoes quimicasReaçoes quimicas
Reaçoes quimicas
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
 
Tecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdfTecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdf
 
Ciclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdfCiclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdf
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Mruv – exercícios
Mruv – exercíciosMruv – exercícios
Mruv – exercícios
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
 
Química orgânica módulo 2
Química  orgânica módulo 2Química  orgânica módulo 2
Química orgânica módulo 2
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

Conceitos basicos em genetica

  • 1. Biologia introdução ao estudo da genética Professora : Adrianne Mendonça
  • 2. Conceitos Básicos em Genética Caráter: Um certo aspecto do ser vivo, geralmente determinado por um gene. Por exemplo: cor da flor, altura da planta (vegetais), aspecto dos cabelos, albinismo (humanos), cor das asas (insetos), etc. Gene: É a unidade de transmissão hereditária formada por um fragmento de DNA de um cromossomo e responsável pela codificação de uma certa proteína. Essa proteína condiciona o caráter. http://www.montana.edu/wwwai/imsd/diabetes/genes.html
  • 3. Cromossomos Homólogos: Pares cromossômicos que carregam os alelos para a determinação de um certo caráter. Cada um dos homólogos é transmitido por um dos pais. http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm http://www.biologica.hpg.ig.com.br/gen_conceitos.htm
  • 4. Lócus: É o local ocupado pelo gene em cromossomos homólogos e que determina o mesmo caráter. Genes Alelos: Gene que ocupa o mesmo lócus em cromossomos homólogos e que determina o mesmo caráter. Exemplo: a cor da semente (caráter) é determinada por dois alelos que condicionam a coloração amarela ou verde. http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm
  • 5. Genótipo: Patrimônio genético do indivíduo. Todos os genes que ele recebe de seus pais e que poderão ser transmitidos para seus descendentes. Costuma-se representar o genótipo com letras, indicando os genes presentes nas células somáticas. Fenótipo: Características específicas do caráter analisado. O fenótipo é determinado pelo genótipo (genes) e pode ou não ser facilmente observado. Ex: tipo sanguíneo (proteína produzida).
  • 6. Homozigoto: Indivíduo que possui os dois genes iguais em um certo lócus, sendo considerado puro para o caráter. O genótipo do homozigoto é representado por duas letras iguais (AA ou aa). Heterozigoto: Indivíduo que possui um gene diferente do outro em um certo lócus. Cada um deles determina um fenótipo diferente para o caráter considerado; são impuros ou híbridos (Aa). http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/defini.htm
  • 7. Gene recessivo: gene que só manifesta fenotipicamente o caráter em homozigose (dois alelos iguais). Só se manifesta quando estiver presente em dose dupla (aa). Gene dominante: Gene que manifesta o mesmo fenótipo, tanto em homozigose (AA) como em heterozigose (Aa).
  • 8.  O desenvolvimento de um ser vivo depende tanto da hereditariedade quanto do ambiente. ambiente A hereditariedade e o  Esses dois fatores se inter-relacionam.  A hereditariedade é responsável pela formação do genótipo, e o ambiente age sobre ele.  Os fatores ambientais podem interferir na aparência do indivíduo modificando o seu fenótipo, mas não o seu genótipo. Ex: pele exposta ao sol.  FENÓTIPO: GENÓTIPO + AMBIENTE.
  • 9. Genética: Ciência que estuda a transmissão das características entre os Heranças Biológicas descendentes. Gregor Mendel (1822-1884) – Monge Austríaco que estudou genética por meio da observação de seus experimentos com plantas de ervilhas (Pisum sativum). Nos jardins de um mosteiro na República Tcheca, entre 1856 e 1863 realizou cruzamentos genéticos com essas plantas e chegou a brilhantes conclusões, conhecidas nos dias atuais como as leis de Mendel. http://history.nih.gov/exhibits/nirenberg/popup_htm/01_mendel.htm
  • 10. Seu trabalho foi apresentado para a comunidade científica em 1865, mas nessa época não foi compreendido e nem valorizado. A partir de 1900 (dezesseis anos após sua morte), Mendel teve seu mérito reconhecido e confirmado por outros cientistas.
  • 11. O sucesso das experiências de Mendel se deve muito ao fato de ter escolhido bem o material a ser pesquisado Experimentos de Mendel (plantas de ervilha).  São de fácil cultivo em canteiros.  Possuem várias características bem visíveis e de fácil observação.  Apresentam ciclo reprodutivo curto, produzindo grande quantidade de descendentes em cada planta.  Possuem flores hermafroditas. Isso possibilita a autofecundação e, consequentemente, a formação de linhagens puras.
  • 12. Caracteres hereditários observados por Mendel http://200.198.28.154/sistema_crv/banco_objetos_crv/%7BC43FF3AC-6E37-4873-B3FA- 183C6FE15B3A%7D_Figura1.jpg
  • 13. Mendel iniciou seus experimentos com o cruzamento de O trabalho prático: cruzando as plantas puras. Ex: planta com a flor de cor púrpura x ervilhas planta com flor de cor branca. http://einsteins43.blogspot.com/2009_01_01_archive.html
  • 16.  Geração parental: Plantas puras que realizam cruzamento.  F1: primeira geração filha. Representada por indivíduos heterozigotos para alguma característica e que manifestam somente um caráter.  F2: segunda geração de sementes, resultante da autofecundação dos representantes da F1.
  • 17. A 1ª Lei de Mendel: MONO- HIBRIDISMO A análise e interpretação dos experimentos permitiram a Mendel que elaborasse as seguintes conclusões:  As plantas devem possuir, no interior de suas células, certo “fatores” (atualmente, denominados genes) que determinam a cor amarela ou verde nas sementes.  Cada planta possui dois desses fatores, dos quais um deles é transmitido pela parte masculina da flor e o outro, pela feminina. Assim, após a fecundação, esses “fatores” se unem e voltam a se apresentar aos pares;
  • 18.  Nos organismos, os dois “fatores” para uma certa característica podem ser iguais (VV ou vv) ou diferentes (Vv). Os iguais são considerados puros ou homozigotos e os diferentes, híbridos ou heterozigotos.  Se os organismos Vv possuem sementes amarelas, ocorre dominância no “fator” para a cor amarela e recessividade no “fator” para a cor verde. Essas conclusões levaram Mendel a elaborar uma das mais importantes generalizações da Biologia: A Primeira Lei de Mendel ou Lei da Segregação.
  • 19. Nas células somáticas, os genes se encontram aos pares, mas durante a formação dos gametas, eles se separam, mostrando-se isolados ou segregados. http://www.agostinhomonteiro.com.br/nws_dicas_030.php
  • 20. Exemplos:  Lóbulo solto da orelha é Genética humana uma característica determinada por gene dominante. Ex: A.  Capacidade de dobrar a língua: característica determinada por gene dominante em relação a http://www.flickr.com/photos/cansada/60233200/ não dobrar.  Bico de Viúva: característica dominante. http://denisegw.blogspot.com/2008/08/voc-consegue-enrolar-sua-lngua-em-forma.html
  • 21. Árvore genealógica • Maneira mais utilizada para a análise do aspecto da herança biológica em caráter genético das Genealogias: O uma família. famílias • Representação dos membros da família. http://www.virtual.epm.br/cursos/genetica/htm/heredo.htm