SlideShare uma empresa Scribd logo
As imagens a seguir foram feitas com o intuito de ajudar os alunos a entenderem os princípios gerais das leis de Mendel, ou seja, os fundamentos da genética moderna. Alguns esquemas são muito sintéticos, portanto devem ser compreendidos com o auxílio de outras fontes, como o livro didático de biologia, ou de outras pessoas, como seu professor(a). (para os mais afeitos à biologia, talvez este material seja auto-explicável, não sei ao certo) As Leis de Mendel
Quem foi Mendel? Gregor Johann Mendel (1822-1884)
Monge  agostiniano, botânico  e meteorologista austríaco.
Considerado o ”pai” da genética
O que ele fez? Mendel cruzou plantas de ervilha entre si e observou como eram os filhos de cada cruzamento. Fez isso muitas vezes, de muitas formas diferentes.
Cruzando ervilhas Para quem nunca viu a ervilha fora da latinha...
Cruzando ervilhas Nome científico:  Pisum sativum Familia das Leguminosas (plantas com vagem, que possuem Rizóbios nas raízes, ajudando a fixação de nitrogênio)
As flores A ervilha é uma planta  monóica  (uma única forma com dois sexos, ou seja, hermafrodita). Por isso suas flores têm estruturas masculinas e femininas. Nas anteras está o pólen, que vai gerar o gameta masculino. O óvulo gera o gameta feminino (em plantas).
Para onde vão as flores? Você sabe o que acontece com as flores que não morrem? Não as flores de plástico. As flores que são polinizadas. O que acontece quando uma flor é polinizada? Reflita antes de prosseguir.
As flores viram frutos
Os frutos O fruto da ervilha é a vagem, dentro da qual estão as sementes.  As sementes em uma vagem são indivíduos geneticamente diferentes, e portanto podem apresentar variação de cor. Isto facilitou o trabalho de Mendel.
Cruzando ervilhas Veja ao lado como Mendel impedia a auto-fecundação (tesoura) e promovia a fecundação cruzada entre as ervilhas (pincel).
1a lei de Mendel Pois bem. Agora que você já conhece as ervilhas e os procedimentos, podemos começar. Vejamos como a criatividade deste monge, com tecnologia disponível desde o nascimento dos números (alguns milênios atrás), abriu caminhos para uma nova ciência. A ciência da herança.
1a lei de Mendel
1a lei de Mendel O que há de curioso nestes resultados?
1a lei de Mendel Como explicar estes curiosos resultados? Para isso, Mendel inventou um modelo, que veremos a seguir. Neste modelo, ele inclui dois elementos novos ao esquema anterior: os  gametas  e os ”fatores hereditários”, hoje conhecidos como  alelos,  as variações de um gene que são encontradas numa população. Vejamos o modelo com calma.
1a lei de mendel
1a lei de Mendel
1a lei de Mendel Pois bem. A 1a lei diz que temos 2 alelos para cada característica (um recebido da mãe outro do pai) e que só passamos um deles para cada um de nossos filhos (ou seja, eles se separam na produção dos gametas). Mendel descobriu isso apenas cruzando ervilhas e contando o número de filhos em cada cruzamento. Por isso dizemos que o conceito de gene, sua ideia, nasceu antes da descoberta de sua base física, os cromossomos.
1a lei de Mendel Vamos fazer um esforço para entender melhor a base física da 1a lei de Mendel. Lembrando: os alelos se separam na produção dos gametas. Qual é mesmo o nome do processo que produz gametas?  (Pensando em animais. Nas plantas é um pouco diferente, mas isto não importa agora)
1a lei de Mendel Sim, é a meiose.
Agora a pergunta que não quer calar.
Em que momento da meiose ocorre a separação dos dois alelos?
Reflita antes de ir adiante...
1a lei de Mendel
1a lei de Mendel Pois bem. Esta é a famosa 1a lei de Mendel, a origem de toda a genética moderna. Embora ela não seja universal (não vale para todos os casos de herança em todos os seres vivos conhecidos), seus princípios básicos se tornaram o fundamento matemático e conceitual de tudo que se faz hoje na área.
1a lei de Mendel A proporção de 3 para 1 prevista pela 1a lei depende da existência de um fenótipo determinado por um gene que possui duas variações na população, dois alelos, sendo um dominante (A) e o outro recessivo (a). É o que chamamos de  dominância  entre os alelos. Vejamos agora outros tipos de herança que seguem os mesmos princípios.
Relações entre alelos de um gene
Tipos Sanguíneos Como vimos, para analisar a herança dos tipos sanguíneos precisamos incluir dois genes, um que determina os tipos A, B, AB ou O (Sistema ABO), e outro que determina se é positivo ou negativo (Sistema Rh). Há também o sistema MN, menos utilizado. Com a 1a lei só podemos tratar de um gene, portanto precisamos de mais alguma coisa.
2a lei de Mendel Agora observaremos duas características ao mesmo tempo (cor e textura das sementes de ervilha). Cada característica é determinada por um gene com dois alelos em relação de dominância. Temos, portanto, 2 genes, 4 alelos e 4 fenótipos. Com a segunda lei de Mendel podemos analisar não apenas dois, mas  n  genes ao mesmo tempo.
2a lei de Mendel
2a lei de Mendel Nas palavras do próprio Mendel: “Em um cruzamento em que estejam envolvidos dois ou mais caracteres, os fatores que determinam cada um se separam (se segregam) de forma independente durante a formação dos gametas, se recombinam ao acaso e formam todas as combinações possíveis.”
As duas leis de Mendel
2a lei de Mendel Antes de ir adiante, tente prever as proporções fenotípicas de F2 utilizando o quadro de Punnet.
2a lei de Mendel Como podemos ver ao lado, a proporção esperada para um cruzamento de híbridos para 2 genes com 2 alelos em dominância é...
2a lei de Mendel 9:3:3:1 Esta é a proporção fenotípica. Se quiser descobrir qual é a proporção genotípica, volte ao slide anterior e observe com atenção. Ou então dê uma olhada no próximo slide, porque a tarefa não é das mais fáceis mesmo...
2a lei de Mendel Proporção genotípica de F2: 4:2:2:1:2:1:2:1:1 Bem complicado, dá um certo trabalho verificar. Vejamos agora um desafio mais produtivo, que além de estimular os neurônios, vai ajudar você nos estudos mais avançados de genética. Além disso, ao tentar entender o problema proposto a seguir, você entenderá melhor o significado da 2a lei de Mendel.
2a lei de Mendel
2a lei de Mendel Calma! Não busque a resposta tão cedo. Pense um pouco mais...
2a lei de Mendel Tudo bem, apenas uma dica. Lembre-se de que as leis de Mendel se referem a um evento biológico específico, que é a produção de células reprodutivas, os gametas. Você já estudou este processo, a meiose, e já sabe qual é a base física dos genes (os cromossomos). Mendel não sabia nada disso. Agora volte alguns slides e pense mais um pouco...
2a lei de Mendel Pois bem. A resposta é simples. A 2a lei de Mendel não funciona quando estamos tratando de dois genes que estão no mesmo cromossomo. Isso não acontece no caso dos genes para cor e textura de ervilhas, eles estão em cromossomos diferentes. Mas acontece em muitos outros casos. É o que chamamos de genes ligados.
Genes Ligados São genes que estão no mesmo cromossomo. Eles costumam caminhar juntos através das gerações, porque fazem parte do mesmo corpo físico, estão literalmente grudados. Podemos perceber, com isso, que os cromossomos são conjuntos de genes que tendem a não se separar ao longo da evolução. Mas, como de costume na biologia, esta regra também tem exceções...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à Genética
Introdução à GenéticaIntrodução à Genética
Introdução à Genética
Vinícia Becalli
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Turma Olímpica
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
giovannimusetti
 
19 bases da hereditariedade
19   bases da hereditariedade19   bases da hereditariedade
19 bases da hereditariedade
Rebeca Vale
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
UERGS
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
Adrianne Mendonça
 
8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA
Sarah Lemes
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
Gisele A. Barbosa
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
Fatima Comiotto
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
João Monteiro
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
Adrianne Mendonça
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
Iuri Fretta Wiggers
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
Hugo Martins
 
1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel
leupaty
 
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos. Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Silvana Sanches
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
cienciasdinamica
 

Mais procurados (20)

Introdução à Genética
Introdução à GenéticaIntrodução à Genética
Introdução à Genética
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Slide Genética
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
 
19 bases da hereditariedade
19   bases da hereditariedade19   bases da hereditariedade
19 bases da hereditariedade
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
 
8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA8 ano GENÉTICA BÁSICA
8 ano GENÉTICA BÁSICA
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
 
1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel1 Lei de Mendel
1 Lei de Mendel
 
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos. Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 

Destaque

Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
nteixeira
 
Classificação das raízes, quanto à forma
Classificação das raízes, quanto à formaClassificação das raízes, quanto à forma
Classificação das raízes, quanto à forma
00367p
 
Raiz
RaizRaiz
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
Tânia Reis
 
Característias hereditárias
Característias hereditáriasCaracterístias hereditárias
Característias hereditárias
Real Auto Ònibus
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
Andreia Maria
 
Transmissão das características hereditárias
Transmissão das características hereditáriasTransmissão das características hereditárias
Transmissão das características hereditárias
Ângelo Rafael
 
Noçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedadeNoçoes de hereditariedade
Heterocromia
HeterocromiaHeterocromia
Caracteristicas Hereditárias
Caracteristicas HereditáriasCaracteristicas Hereditárias
Caracteristicas Hereditárias
Francisco Pinheiro
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhos
isabelourenco
 
As descobertas de Mendel 8°ano
As descobertas de Mendel 8°anoAs descobertas de Mendel 8°ano
As descobertas de Mendel 8°ano
Neusa Hellaynne Carreiro
 
Introdução à genética mendeliana
Introdução à genética mendelianaIntrodução à genética mendeliana
Introdução à genética mendeliana
Felipe Cavalcante
 
Raiz
RaizRaiz
04 - Mendel
04 - Mendel04 - Mendel
04 - Mendel
Teresa Monteiro
 
Gregor mendel
Gregor mendelGregor mendel
Gregor mendel
verdesevermelhos
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Introdução genética 2013
Introdução   genética  2013Introdução   genética  2013
Introdução genética 2013
Simone Maia
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
emibio
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
Carlos Moutinho
 

Destaque (20)

Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Classificação das raízes, quanto à forma
Classificação das raízes, quanto à formaClassificação das raízes, quanto à forma
Classificação das raízes, quanto à forma
 
Raiz
RaizRaiz
Raiz
 
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
 
Característias hereditárias
Característias hereditáriasCaracterístias hereditárias
Característias hereditárias
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Transmissão das características hereditárias
Transmissão das características hereditáriasTransmissão das características hereditárias
Transmissão das características hereditárias
 
Noçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedadeNoçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedade
 
Heterocromia
HeterocromiaHeterocromia
Heterocromia
 
Caracteristicas Hereditárias
Caracteristicas HereditáriasCaracteristicas Hereditárias
Caracteristicas Hereditárias
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhos
 
As descobertas de Mendel 8°ano
As descobertas de Mendel 8°anoAs descobertas de Mendel 8°ano
As descobertas de Mendel 8°ano
 
Introdução à genética mendeliana
Introdução à genética mendelianaIntrodução à genética mendeliana
Introdução à genética mendeliana
 
Raiz
RaizRaiz
Raiz
 
04 - Mendel
04 - Mendel04 - Mendel
04 - Mendel
 
Gregor mendel
Gregor mendelGregor mendel
Gregor mendel
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Introdução genética 2013
Introdução   genética  2013Introdução   genética  2013
Introdução genética 2013
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
 

Semelhante a 1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio

II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCBII_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
Rinaldo Pereira
 
Resumo de biologia
Resumo de biologiaResumo de biologia
Resumo de biologia
vanessa962012
 
Conceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genéticaConceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genética
Andrea Cortelazzi
 
Biologia juciene
Biologia jucieneBiologia juciene
Biologia juciene
NTE
 
GENÉTICA.pptx
GENÉTICA.pptxGENÉTICA.pptx
GENÉTICA.pptx
JuliethAlmeidaC
 
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptxconceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
VictorGomes173122
 
(2) património genético
(2) património genético(2) património genético
(2) património genético
Hugo Martins
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
Jose Carlos Machado Cunha
 
A teoria sintética da evolução
A teoria sintética da evoluçãoA teoria sintética da evolução
A teoria sintética da evolução
Mikael Oliveira
 
Mendel
MendelMendel
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Allefe Lacerdah
 
Biologia 3ano
Biologia 3anoBiologia 3ano
Biologia 3ano
Isadora Aguiar
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
vaniele17
 
Leis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.pptLeis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.ppt
antoniojosdaschagas
 
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
MicheliZequim1
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
2- GENÉTICA.pptx
2- GENÉTICA.pptx2- GENÉTICA.pptx
2- GENÉTICA.pptx
RayanneKaroline
 
II_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de MendelII_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de Mendel
Rinaldo Pereira
 
LEIS DE MENDEL.pptx
LEIS DE MENDEL.pptxLEIS DE MENDEL.pptx
LEIS DE MENDEL.pptx
Orlandosilva360781
 
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
ssuserfae471
 

Semelhante a 1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio (20)

II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCBII_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
II_Os primórdios de uma nova disciplina - Genética Mendeliana - UCB
 
Resumo de biologia
Resumo de biologiaResumo de biologia
Resumo de biologia
 
Conceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genéticaConceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genética
 
Biologia juciene
Biologia jucieneBiologia juciene
Biologia juciene
 
GENÉTICA.pptx
GENÉTICA.pptxGENÉTICA.pptx
GENÉTICA.pptx
 
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptxconceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
conceitosestruturantesdagentica-210910205452 (1).pptx
 
(2) património genético
(2) património genético(2) património genético
(2) património genético
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
 
A teoria sintética da evolução
A teoria sintética da evoluçãoA teoria sintética da evolução
A teoria sintética da evolução
 
Mendel
MendelMendel
Mendel
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Biologia 3ano
Biologia 3anoBiologia 3ano
Biologia 3ano
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
 
Leis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.pptLeis de Mendel.ppt
Leis de Mendel.ppt
 
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos  -
Primeira e Segunda Leis de Mendel- conceitos -
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
2- GENÉTICA.pptx
2- GENÉTICA.pptx2- GENÉTICA.pptx
2- GENÉTICA.pptx
 
II_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de MendelII_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de Mendel
 
LEIS DE MENDEL.pptx
LEIS DE MENDEL.pptxLEIS DE MENDEL.pptx
LEIS DE MENDEL.pptx
 
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
9_ano_atividade_de_ciencias_007.pdf
 

Último

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 

Último (20)

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 

1a e 2a Leis de Mendel - Ensino Médio

  • 1. As imagens a seguir foram feitas com o intuito de ajudar os alunos a entenderem os princípios gerais das leis de Mendel, ou seja, os fundamentos da genética moderna. Alguns esquemas são muito sintéticos, portanto devem ser compreendidos com o auxílio de outras fontes, como o livro didático de biologia, ou de outras pessoas, como seu professor(a). (para os mais afeitos à biologia, talvez este material seja auto-explicável, não sei ao certo) As Leis de Mendel
  • 2. Quem foi Mendel? Gregor Johann Mendel (1822-1884)
  • 3. Monge agostiniano, botânico e meteorologista austríaco.
  • 4. Considerado o ”pai” da genética
  • 5. O que ele fez? Mendel cruzou plantas de ervilha entre si e observou como eram os filhos de cada cruzamento. Fez isso muitas vezes, de muitas formas diferentes.
  • 6. Cruzando ervilhas Para quem nunca viu a ervilha fora da latinha...
  • 7. Cruzando ervilhas Nome científico: Pisum sativum Familia das Leguminosas (plantas com vagem, que possuem Rizóbios nas raízes, ajudando a fixação de nitrogênio)
  • 8. As flores A ervilha é uma planta monóica (uma única forma com dois sexos, ou seja, hermafrodita). Por isso suas flores têm estruturas masculinas e femininas. Nas anteras está o pólen, que vai gerar o gameta masculino. O óvulo gera o gameta feminino (em plantas).
  • 9. Para onde vão as flores? Você sabe o que acontece com as flores que não morrem? Não as flores de plástico. As flores que são polinizadas. O que acontece quando uma flor é polinizada? Reflita antes de prosseguir.
  • 10. As flores viram frutos
  • 11. Os frutos O fruto da ervilha é a vagem, dentro da qual estão as sementes. As sementes em uma vagem são indivíduos geneticamente diferentes, e portanto podem apresentar variação de cor. Isto facilitou o trabalho de Mendel.
  • 12. Cruzando ervilhas Veja ao lado como Mendel impedia a auto-fecundação (tesoura) e promovia a fecundação cruzada entre as ervilhas (pincel).
  • 13. 1a lei de Mendel Pois bem. Agora que você já conhece as ervilhas e os procedimentos, podemos começar. Vejamos como a criatividade deste monge, com tecnologia disponível desde o nascimento dos números (alguns milênios atrás), abriu caminhos para uma nova ciência. A ciência da herança.
  • 14. 1a lei de Mendel
  • 15. 1a lei de Mendel O que há de curioso nestes resultados?
  • 16. 1a lei de Mendel Como explicar estes curiosos resultados? Para isso, Mendel inventou um modelo, que veremos a seguir. Neste modelo, ele inclui dois elementos novos ao esquema anterior: os gametas e os ”fatores hereditários”, hoje conhecidos como alelos, as variações de um gene que são encontradas numa população. Vejamos o modelo com calma.
  • 17. 1a lei de mendel
  • 18. 1a lei de Mendel
  • 19. 1a lei de Mendel Pois bem. A 1a lei diz que temos 2 alelos para cada característica (um recebido da mãe outro do pai) e que só passamos um deles para cada um de nossos filhos (ou seja, eles se separam na produção dos gametas). Mendel descobriu isso apenas cruzando ervilhas e contando o número de filhos em cada cruzamento. Por isso dizemos que o conceito de gene, sua ideia, nasceu antes da descoberta de sua base física, os cromossomos.
  • 20. 1a lei de Mendel Vamos fazer um esforço para entender melhor a base física da 1a lei de Mendel. Lembrando: os alelos se separam na produção dos gametas. Qual é mesmo o nome do processo que produz gametas? (Pensando em animais. Nas plantas é um pouco diferente, mas isto não importa agora)
  • 21. 1a lei de Mendel Sim, é a meiose.
  • 22. Agora a pergunta que não quer calar.
  • 23. Em que momento da meiose ocorre a separação dos dois alelos?
  • 24. Reflita antes de ir adiante...
  • 25. 1a lei de Mendel
  • 26. 1a lei de Mendel Pois bem. Esta é a famosa 1a lei de Mendel, a origem de toda a genética moderna. Embora ela não seja universal (não vale para todos os casos de herança em todos os seres vivos conhecidos), seus princípios básicos se tornaram o fundamento matemático e conceitual de tudo que se faz hoje na área.
  • 27. 1a lei de Mendel A proporção de 3 para 1 prevista pela 1a lei depende da existência de um fenótipo determinado por um gene que possui duas variações na população, dois alelos, sendo um dominante (A) e o outro recessivo (a). É o que chamamos de dominância entre os alelos. Vejamos agora outros tipos de herança que seguem os mesmos princípios.
  • 29. Tipos Sanguíneos Como vimos, para analisar a herança dos tipos sanguíneos precisamos incluir dois genes, um que determina os tipos A, B, AB ou O (Sistema ABO), e outro que determina se é positivo ou negativo (Sistema Rh). Há também o sistema MN, menos utilizado. Com a 1a lei só podemos tratar de um gene, portanto precisamos de mais alguma coisa.
  • 30. 2a lei de Mendel Agora observaremos duas características ao mesmo tempo (cor e textura das sementes de ervilha). Cada característica é determinada por um gene com dois alelos em relação de dominância. Temos, portanto, 2 genes, 4 alelos e 4 fenótipos. Com a segunda lei de Mendel podemos analisar não apenas dois, mas n genes ao mesmo tempo.
  • 31. 2a lei de Mendel
  • 32. 2a lei de Mendel Nas palavras do próprio Mendel: “Em um cruzamento em que estejam envolvidos dois ou mais caracteres, os fatores que determinam cada um se separam (se segregam) de forma independente durante a formação dos gametas, se recombinam ao acaso e formam todas as combinações possíveis.”
  • 33. As duas leis de Mendel
  • 34. 2a lei de Mendel Antes de ir adiante, tente prever as proporções fenotípicas de F2 utilizando o quadro de Punnet.
  • 35. 2a lei de Mendel Como podemos ver ao lado, a proporção esperada para um cruzamento de híbridos para 2 genes com 2 alelos em dominância é...
  • 36. 2a lei de Mendel 9:3:3:1 Esta é a proporção fenotípica. Se quiser descobrir qual é a proporção genotípica, volte ao slide anterior e observe com atenção. Ou então dê uma olhada no próximo slide, porque a tarefa não é das mais fáceis mesmo...
  • 37. 2a lei de Mendel Proporção genotípica de F2: 4:2:2:1:2:1:2:1:1 Bem complicado, dá um certo trabalho verificar. Vejamos agora um desafio mais produtivo, que além de estimular os neurônios, vai ajudar você nos estudos mais avançados de genética. Além disso, ao tentar entender o problema proposto a seguir, você entenderá melhor o significado da 2a lei de Mendel.
  • 38. 2a lei de Mendel
  • 39. 2a lei de Mendel Calma! Não busque a resposta tão cedo. Pense um pouco mais...
  • 40. 2a lei de Mendel Tudo bem, apenas uma dica. Lembre-se de que as leis de Mendel se referem a um evento biológico específico, que é a produção de células reprodutivas, os gametas. Você já estudou este processo, a meiose, e já sabe qual é a base física dos genes (os cromossomos). Mendel não sabia nada disso. Agora volte alguns slides e pense mais um pouco...
  • 41. 2a lei de Mendel Pois bem. A resposta é simples. A 2a lei de Mendel não funciona quando estamos tratando de dois genes que estão no mesmo cromossomo. Isso não acontece no caso dos genes para cor e textura de ervilhas, eles estão em cromossomos diferentes. Mas acontece em muitos outros casos. É o que chamamos de genes ligados.
  • 42. Genes Ligados São genes que estão no mesmo cromossomo. Eles costumam caminhar juntos através das gerações, porque fazem parte do mesmo corpo físico, estão literalmente grudados. Podemos perceber, com isso, que os cromossomos são conjuntos de genes que tendem a não se separar ao longo da evolução. Mas, como de costume na biologia, esta regra também tem exceções...
  • 43. Genes Ligados Se os genes ligados são uma exceção da 2a lei de Mendel, qual poderia ser a exceção dos genes ligados? Mais uma pergunta difícil. Para respondê-la, precisaremos novamente nos lembrar do que estamos falando. As leis de Mendel se referem à meiose. O que pode acontecer durante a meiose que faria dois alelos ligados se desligarem? Como uma única meiose pode separar dois alelos que caminhavam juntos há milhares de anos?
  • 44. Genes Ligados Um tempinho para reflexão...
  • 45. Desligando Genes ligados A resposta: Crossing-over Também conhecido como Recombinação genética
  • 46. Concluindo Bem, se você chegou até aqui, meus parabéns! Agora já conhece o começo do início da genética, coisa antiga, do século XIX, mas nem por isso ultrapassada. Como um bom filósofo grego. Daí aos trangênicos há um bocado de chão, e o caminho vai ficando tanto mais difícil quanto mais fascinante. Porque você vai descobrindo como a natureza faz as coisas de maneira bela, sendo ao mesmo tempo simples e complexa, múltipla e una.
  • 47. Créditos Este slideshow foi feito por Rodrigo Travitzki, professor de Biologia do Colégio Equipe (SP). Ele pode ser utilizado livremente com finalidades didáticas não comerciais. Boa parte das imagens utilizadas estão disponíveis em melhor resolução no site: Rizomas* portal de educação e cultura www.rizomas.net