SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Gabriel Mendes
 A Genética é a parte da Biologia que estuda como as informações
dos genes são transmitidas através das gerações;
 Pelo estudo da genética, cientistas podem transplantar genes de um
organismo para outro obtendo variedades de animais e plantas
mais resistentes a pragas, por exemplo;
 Pode-se identificar ainda em um feto, a presença de genes que
causam doenças;
 A Terapia Genética pode corrigir defeitos genéticos inserindo genes
normais em células defeituosas;
 Genes humanos podem ser introduzidos em bactérias para que
essas produzam substâncias usadas no tratamento de doenças.
 Hoje sabemos que o veículo da hereditariedade são os genes;
 Antes dessa descoberta, as leia básicas da hereditariedade
começaram a ser desvendadas por Gregor Mendel em um
mosteiro da cidade de Brünn na Áustria (hoje Brno, na República
Theca);
 Uma das razões para o sucesso de Mendel, foi ele ter escolhido
para suas pesquisa a Pisum sativum (ervilha-de-cheiro), pois essa
apresenta:
• Fácil cultivo;
• Produz muitas sementes;
• Reproduz-se por autofecundação;
• Também pode fazer fecundação cruzada.
 Além dessas
características, as
ervilhas estudadas por
Mendel possuem
diversas características
facilmente observáveis
e distintas entre si;
 Mendel publicou seu
trabalho em 1866, mas
apenas em 1900 os
pesquisadores Correns,
Vries e Tschermak
redescobriram o seu
trabalho.
 A experiência de Mendel
 Mendel supôs que se a planta tem uma característica (por
exemplo, a cor da semente) ela deveria ter um “elemento”
ou “fator” responsável por determiná-la;
 Em um de seus experimentos, ele procurou cruzar plantas
de sementes amarelas com plantas de sementes verdes,
mas antes, selecionou plantas amarelas que só originavam
plantas amarelas e plantas verdes que só originavam
plantas verdes , por meio da autofecundação, ao longo de
6 gerações (cerca de 3 anos);
 Com as ervilhas “puras” Mendel fez um cruzamento entre
a parte masculina de uma planta de sementes amarelas,
com a feminina de uma planta de sementes verdes –
GERAÇÃO PARENTAL ou P;
 Na geração seguinte – F1 – todas as ervilhas apresentavam
sementes amarelas;
 O que teria acontecido com o fator para verde?
 Em seguida, Mendel realizou autofecundação com os
indivíduos F1 e analisando as plantas resultantes – F2 –
encontrou cerca de 75%(3/4) de plantas com sementes
amarelas e 25% (1/4) de plantas com sementes verdes, ou
seja, uma proporção de 3 amarelas para 1 verde.
 Com isso Mendel concluiu que o
fator verde não havia sumido,
apenas não se manifestava na
presença do amarelo;
 Com base nisso, ele nomeou de
Dominantes fatores como os da
semente amarela e de
Recessivos fatores como os da
semente verde.
 Conclusões de Mendel:
• Cada organismo possui um par de fatores responsável
pelo aparecimento de uma determinada característica;
• Cada ser parental contribui com apenas um fator de
cada par;
• Quando num mesmo par a dois fatores diferentes, pode
acontecer do indivíduo manifestar apenas um
(dominante) e outro não (recessivo);
• Os fatores de um par não se misturam. Durante a
formação dos gametas, os fatores aparecem em dose
simples.
 Interpretação atual da primeira lei de Mendel
 Como na maioria dos organismos, as células da ervilha são
diplóides (2n = há dois cromossomos de cada tipo);
 Os cromossomos de um mesmo par, são homólogos;
 Neles, os genes situados na mesma posição (lócus gênico)
controlam o mesmo tipo de característica e são chamados de
genes alelos ou simplesmente alelos;
 Esta última conclusão ficou conhecida como
primeira lei de Mendel ou lei da segregação de um
par de fatores;
 Costuma enunciá-la: “cada caráter é condicionado
por um par de fatores que se separam na formação
dos gametas, não quais ocorrem em dose simples”.
 Embora controlem o mesmo tipo de característica, eles
podem ter efeitos diferentes;
 Por convenção, usamos a letra inicial do caráter recessivo
para denominar os genes alelos;
 O gene dominante é indicado pela inicial maiúscula e o
recessivo pela inicial minúscula;
 Exemplo: alelo que determina a cor das sementes da
ervilha; usa-se V para o alelo que determina a cor amarela e
v para o verde.
 Genótipo e Fenótipo
 Genótipo: Conjunto de genes que o indivíduo possui;
 Fenótipo: Conjunto de características morfológicas que o
indivíduo apresenta.
Exemplos:
Genótipo: VV
Fenótipo: Amarelo
Genótipo: vv
Fenótipo: Verde
Genótipo: Vv
Fenótipo: Amarelo
 Homozigoto e Heterozigoto
 Homozigoto – Indivíduo que para determinada
característica apresenta dos alelos do mesmo tipo.
Exemplo: VV; vv
 Heterozigoto – indivíduo que em seu par de alelos
apresenta um de cada tipo.
Exemplo: Vv.
Observação: Não é difícil concluir que indivíduos que
apresentam característica recessiva serão sempre
homozigotos, já os que apresentarem característica
dominante poderão ser homozigotos ou heterozigotos.
 Cruzamento-teste
 Para saber se um indivíduo portador de uma característica
dominante é homozigoto ou heterozigoto, basta cruzá-lo
com um recessivo para a mesma característica;
 Se obtivermos um único tipo de descendente, ele é
dominante, se aparecem os descendentes com ambos
fenótipos, ele é recessivo;
 Usa-se também o cruzamento-teste para saber a
probabilidade de cada possível característica nos
descendentes da geração parental.
 Ausência de dominância
 Há casos em que o fenótipo do heterozigoto é diferente
dos dois homozigotos.
 Dominância incompleta: o fenótipo do heterozigoto é
intermediário em relação ao dos homozigotos.
Exemplo:
• A Flor Maravilha (Mirabilis jalapa) possui indivíduos
homozigotos vermelhos e brancos, o resultado do cruzamento
entre esses indivíduos entre si são descendentes com flores
brancas.
 Cô-dominância: Quando o indivíduo heterozigoto
apresenta em seu fenótipo ambas características de seus
alelos de tipos diferentes.
Exemplo:
• Sistema ABO de grupos sanguíneos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leis de mendel
Leis de mendelLeis de mendel
Leis de mendel
Gefferson Henrike
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
UERGS
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Turma Olímpica
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
giovannimusetti
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
emanuel
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
Mateus Domingos
 
Linkage
LinkageLinkage
Linkage
URCA
 
Hereditaridade De Mendel
Hereditaridade De MendelHereditaridade De Mendel
Hereditaridade De Mendel
Lugus
 
Lei da segregação independente
Lei da segregação independenteLei da segregação independente
Lei da segregação independente
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Teoria sintética da evolução
Teoria sintética da evoluçãoTeoria sintética da evolução
Teoria sintética da evolução
Felipe Haeberlin
 
1 Leis De Mendel
1 Leis De Mendel1 Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
Ana Paula Ribeiro
 
Aula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populaçõesAula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populações
João Monteiro
 
Linkage - Cristian
Linkage - CristianLinkage - Cristian
Linkage - Cristian
Turma Olímpica
 
1 Leis De Mendel
1  Leis De Mendel1  Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
Ana Paula Ribeiro
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
Marcionedes De Souza
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
nielimaia
 
19 bases da hereditariedade
19   bases da hereditariedade19   bases da hereditariedade
19 bases da hereditariedade
Rebeca Vale
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
paulogrillo
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
Adrianne Mendonça
 

Mais procurados (20)

Leis de mendel
Leis de mendelLeis de mendel
Leis de mendel
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
1ª lei de mendel
1ª lei de mendel1ª lei de mendel
1ª lei de mendel
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
 
Linkage
LinkageLinkage
Linkage
 
Hereditaridade De Mendel
Hereditaridade De MendelHereditaridade De Mendel
Hereditaridade De Mendel
 
Lei da segregação independente
Lei da segregação independenteLei da segregação independente
Lei da segregação independente
 
Teoria sintética da evolução
Teoria sintética da evoluçãoTeoria sintética da evolução
Teoria sintética da evolução
 
1 Leis De Mendel
1 Leis De Mendel1 Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
 
Aula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populaçõesAula I - Introdução á genética de populações
Aula I - Introdução á genética de populações
 
Linkage - Cristian
Linkage - CristianLinkage - Cristian
Linkage - Cristian
 
1 Leis De Mendel
1  Leis De Mendel1  Leis De Mendel
1 Leis De Mendel
 
Aula de genética 1 lei de mendel
Aula de genética   1 lei de mendelAula de genética   1 lei de mendel
Aula de genética 1 lei de mendel
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
 
19 bases da hereditariedade
19   bases da hereditariedade19   bases da hereditariedade
19 bases da hereditariedade
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
 

Destaque

Interpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de MendelInterpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de Mendel
Viviane Dilkin Endler
 
Genetica veterinaria
Genetica veterinariaGenetica veterinaria
Genetica veterinaria
Luis Jordano Chavez Vera
 
Genética aula I
Genética aula IGenética aula I
Genética aula I
Amanda Caroline
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
marilynabc
 
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 ejaConceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Hélida Mesquita
 
Ação gênica
Ação gênicaAção gênica
Ação gênica
Roulber Carvalho
 
Genética dominância incompleta e epistasia
Genética   dominância incompleta e epistasiaGenética   dominância incompleta e epistasia
Genética dominância incompleta e epistasia
Nuno Correia
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Adrianne Mendonça
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
Fabiano Reis
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
Angiología
AngiologíaAngiología
Angiología
Diego Estrada
 
Veterinária
VeterináriaVeterinária
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Caracteres qualitativos e quantitativos
Caracteres qualitativos e quantitativosCaracteres qualitativos e quantitativos
Caracteres qualitativos e quantitativos
Vanessa Holanda
 
Apostila de Anatomia Veterinária I
Apostila de Anatomia Veterinária I Apostila de Anatomia Veterinária I
Apostila de Anatomia Veterinária I
danthe05
 

Destaque (15)

Interpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de MendelInterpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de Mendel
 
Genetica veterinaria
Genetica veterinariaGenetica veterinaria
Genetica veterinaria
 
Genética aula I
Genética aula IGenética aula I
Genética aula I
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 ejaConceitos básicos de genética   aula 2 2012.2 eja
Conceitos básicos de genética aula 2 2012.2 eja
 
Ação gênica
Ação gênicaAção gênica
Ação gênica
 
Genética dominância incompleta e epistasia
Genética   dominância incompleta e epistasiaGenética   dominância incompleta e epistasia
Genética dominância incompleta e epistasia
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
 
Genética probabilidade slides
Genética probabilidade slidesGenética probabilidade slides
Genética probabilidade slides
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Angiología
AngiologíaAngiología
Angiología
 
Veterinária
VeterináriaVeterinária
Veterinária
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Slide Genética
 
Caracteres qualitativos e quantitativos
Caracteres qualitativos e quantitativosCaracteres qualitativos e quantitativos
Caracteres qualitativos e quantitativos
 
Apostila de Anatomia Veterinária I
Apostila de Anatomia Veterinária I Apostila de Anatomia Veterinária I
Apostila de Anatomia Veterinária I
 

Semelhante a Genética

Conceitos fundamentais em génetica
Conceitos fundamentais em géneticaConceitos fundamentais em génetica
Conceitos fundamentais em génetica
Lilian Monteiro
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
Jose Carlos Machado Cunha
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
vaniele17
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
Evelyn Soares
 
Biologia 3ano
Biologia 3anoBiologia 3ano
Biologia 3ano
Isadora Aguiar
 
7. Genética e hereditariedade.pdf
7. Genética e hereditariedade.pdf7. Genética e hereditariedade.pdf
7. Genética e hereditariedade.pdf
CarinaAmorim10
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
Silvana Sanches
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
DanielleSouza304612
 
Fundamentos da genética
Fundamentos da genéticaFundamentos da genética
Fundamentos da genética
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Aulão genética 3 em
Aulão genética 3 emAulão genética 3 em
Aulão genética 3 em
César Milani
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
Catir
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
Jonatas Carlos
 
Aula de recuperação Biologia 3º ano
Aula de recuperação Biologia 3º anoAula de recuperação Biologia 3º ano
Aula de recuperação Biologia 3º ano
Prof.PS CEET
 
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).pptGenética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
MarceloColodeti
 
Apres 1ªLei GenéTica
Apres 1ªLei GenéTicaApres 1ªLei GenéTica
Apres 1ªLei GenéTica
Albano Novaes
 
Genética 1 aula
Genética 1 aulaGenética 1 aula
Genética 1 aula
Professora Raquel
 
Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de Genética
Fatima Comiotto
 
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segundaTeorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
PhoenixSportFitness
 
Genética até intro expressão genica
Genética até intro expressão genicaGenética até intro expressão genica
Genética até intro expressão genica
Janaína Peres
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 

Semelhante a Genética (20)

Conceitos fundamentais em génetica
Conceitos fundamentais em géneticaConceitos fundamentais em génetica
Conceitos fundamentais em génetica
 
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
BIOLOGIA GENÉTICA DO CURSINHO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR DA UNIVERSIDADE FEDER...
 
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
1capitulo 1-primeira-lei-de-mendel
 
Primeira lei de mendel
Primeira lei de mendelPrimeira lei de mendel
Primeira lei de mendel
 
Biologia 3ano
Biologia 3anoBiologia 3ano
Biologia 3ano
 
7. Genética e hereditariedade.pdf
7. Genética e hereditariedade.pdf7. Genética e hereditariedade.pdf
7. Genética e hereditariedade.pdf
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
 
Genetica.pptx
Genetica.pptxGenetica.pptx
Genetica.pptx
 
Fundamentos da genética
Fundamentos da genéticaFundamentos da genética
Fundamentos da genética
 
Aulão genética 3 em
Aulão genética 3 emAulão genética 3 em
Aulão genética 3 em
 
Transmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditáriasTransmissão de características hereditárias
Transmissão de características hereditárias
 
Aula 13 lei da segregação
Aula 13   lei da segregaçãoAula 13   lei da segregação
Aula 13 lei da segregação
 
Aula de recuperação Biologia 3º ano
Aula de recuperação Biologia 3º anoAula de recuperação Biologia 3º ano
Aula de recuperação Biologia 3º ano
 
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).pptGenética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
 
Apres 1ªLei GenéTica
Apres 1ªLei GenéTicaApres 1ªLei GenéTica
Apres 1ªLei GenéTica
 
Genética 1 aula
Genética 1 aulaGenética 1 aula
Genética 1 aula
 
Fundamentos de Genética
Fundamentos de GenéticaFundamentos de Genética
Fundamentos de Genética
 
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segundaTeorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
Teorias pre mendelianas e leis de mendel primeira e segunda
 
Genética até intro expressão genica
Genética até intro expressão genicaGenética até intro expressão genica
Genética até intro expressão genica
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 

Mais de Gabriel Mendes de Almeida

Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Cloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossínteseCloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossíntese
Gabriel Mendes de Almeida
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
Gabriel Mendes de Almeida
 
Mitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celularMitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celular
Gabriel Mendes de Almeida
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
Gabriel Mendes de Almeida
 
Ácidos nucléicos
Ácidos nucléicosÁcidos nucléicos
Ácidos nucléicos
Gabriel Mendes de Almeida
 
Meiose
MeioseMeiose
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
Gabriel Mendes de Almeida
 

Mais de Gabriel Mendes de Almeida (9)

Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Cloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossínteseCloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossíntese
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
 
Mitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celularMitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celular
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Ácidos nucléicos
Ácidos nucléicosÁcidos nucléicos
Ácidos nucléicos
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 

Último

formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 

Último (20)

formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 

Genética

  • 2.  A Genética é a parte da Biologia que estuda como as informações dos genes são transmitidas através das gerações;  Pelo estudo da genética, cientistas podem transplantar genes de um organismo para outro obtendo variedades de animais e plantas mais resistentes a pragas, por exemplo;  Pode-se identificar ainda em um feto, a presença de genes que causam doenças;  A Terapia Genética pode corrigir defeitos genéticos inserindo genes normais em células defeituosas;  Genes humanos podem ser introduzidos em bactérias para que essas produzam substâncias usadas no tratamento de doenças.
  • 3.  Hoje sabemos que o veículo da hereditariedade são os genes;  Antes dessa descoberta, as leia básicas da hereditariedade começaram a ser desvendadas por Gregor Mendel em um mosteiro da cidade de Brünn na Áustria (hoje Brno, na República Theca);  Uma das razões para o sucesso de Mendel, foi ele ter escolhido para suas pesquisa a Pisum sativum (ervilha-de-cheiro), pois essa apresenta: • Fácil cultivo; • Produz muitas sementes; • Reproduz-se por autofecundação; • Também pode fazer fecundação cruzada.
  • 4.  Além dessas características, as ervilhas estudadas por Mendel possuem diversas características facilmente observáveis e distintas entre si;  Mendel publicou seu trabalho em 1866, mas apenas em 1900 os pesquisadores Correns, Vries e Tschermak redescobriram o seu trabalho.
  • 5.  A experiência de Mendel  Mendel supôs que se a planta tem uma característica (por exemplo, a cor da semente) ela deveria ter um “elemento” ou “fator” responsável por determiná-la;  Em um de seus experimentos, ele procurou cruzar plantas de sementes amarelas com plantas de sementes verdes, mas antes, selecionou plantas amarelas que só originavam plantas amarelas e plantas verdes que só originavam plantas verdes , por meio da autofecundação, ao longo de 6 gerações (cerca de 3 anos);
  • 6.  Com as ervilhas “puras” Mendel fez um cruzamento entre a parte masculina de uma planta de sementes amarelas, com a feminina de uma planta de sementes verdes – GERAÇÃO PARENTAL ou P;  Na geração seguinte – F1 – todas as ervilhas apresentavam sementes amarelas;  O que teria acontecido com o fator para verde?  Em seguida, Mendel realizou autofecundação com os indivíduos F1 e analisando as plantas resultantes – F2 – encontrou cerca de 75%(3/4) de plantas com sementes amarelas e 25% (1/4) de plantas com sementes verdes, ou seja, uma proporção de 3 amarelas para 1 verde.
  • 7.
  • 8.  Com isso Mendel concluiu que o fator verde não havia sumido, apenas não se manifestava na presença do amarelo;  Com base nisso, ele nomeou de Dominantes fatores como os da semente amarela e de Recessivos fatores como os da semente verde.
  • 9.  Conclusões de Mendel: • Cada organismo possui um par de fatores responsável pelo aparecimento de uma determinada característica; • Cada ser parental contribui com apenas um fator de cada par; • Quando num mesmo par a dois fatores diferentes, pode acontecer do indivíduo manifestar apenas um (dominante) e outro não (recessivo); • Os fatores de um par não se misturam. Durante a formação dos gametas, os fatores aparecem em dose simples.
  • 10.  Interpretação atual da primeira lei de Mendel  Como na maioria dos organismos, as células da ervilha são diplóides (2n = há dois cromossomos de cada tipo);  Os cromossomos de um mesmo par, são homólogos;  Neles, os genes situados na mesma posição (lócus gênico) controlam o mesmo tipo de característica e são chamados de genes alelos ou simplesmente alelos;  Esta última conclusão ficou conhecida como primeira lei de Mendel ou lei da segregação de um par de fatores;  Costuma enunciá-la: “cada caráter é condicionado por um par de fatores que se separam na formação dos gametas, não quais ocorrem em dose simples”.
  • 11.  Embora controlem o mesmo tipo de característica, eles podem ter efeitos diferentes;  Por convenção, usamos a letra inicial do caráter recessivo para denominar os genes alelos;  O gene dominante é indicado pela inicial maiúscula e o recessivo pela inicial minúscula;  Exemplo: alelo que determina a cor das sementes da ervilha; usa-se V para o alelo que determina a cor amarela e v para o verde.
  • 12.  Genótipo e Fenótipo  Genótipo: Conjunto de genes que o indivíduo possui;  Fenótipo: Conjunto de características morfológicas que o indivíduo apresenta. Exemplos: Genótipo: VV Fenótipo: Amarelo Genótipo: vv Fenótipo: Verde Genótipo: Vv Fenótipo: Amarelo
  • 13.  Homozigoto e Heterozigoto  Homozigoto – Indivíduo que para determinada característica apresenta dos alelos do mesmo tipo. Exemplo: VV; vv  Heterozigoto – indivíduo que em seu par de alelos apresenta um de cada tipo. Exemplo: Vv. Observação: Não é difícil concluir que indivíduos que apresentam característica recessiva serão sempre homozigotos, já os que apresentarem característica dominante poderão ser homozigotos ou heterozigotos.
  • 14.  Cruzamento-teste  Para saber se um indivíduo portador de uma característica dominante é homozigoto ou heterozigoto, basta cruzá-lo com um recessivo para a mesma característica;  Se obtivermos um único tipo de descendente, ele é dominante, se aparecem os descendentes com ambos fenótipos, ele é recessivo;  Usa-se também o cruzamento-teste para saber a probabilidade de cada possível característica nos descendentes da geração parental.
  • 15.
  • 16.  Ausência de dominância  Há casos em que o fenótipo do heterozigoto é diferente dos dois homozigotos.  Dominância incompleta: o fenótipo do heterozigoto é intermediário em relação ao dos homozigotos. Exemplo: • A Flor Maravilha (Mirabilis jalapa) possui indivíduos homozigotos vermelhos e brancos, o resultado do cruzamento entre esses indivíduos entre si são descendentes com flores brancas.  Cô-dominância: Quando o indivíduo heterozigoto apresenta em seu fenótipo ambas características de seus alelos de tipos diferentes. Exemplo: • Sistema ABO de grupos sanguíneos.