SlideShare uma empresa Scribd logo
História 8º Ano Prof. Carla Freitas
Barroco
 Surge devido a:
 Combate ao protestantismo
 Ostentação do poder absolutista
 Clima de insegurança
 Características
 Irregularidade das formas
 Abundância de linhas curvas e contracurvas,
 Movimento
 Exagero de decoração e de sentimentos
 Horror ao vazio
 Dramatismo e emoção
 Sensualidade das formas
 Jogos de luz e sombra
 Contrastes de cor
 Ilusão de óptica.
Arquitetura
 Fachadas e interiores de linhas curvas e contracurvas
Igreja de Jesus, Roma de arquitetura de Giacomo VignolaFachada da Igreja de San Borromeo, em
Noto, Sicilia
Arquitetura
 Ilusão de movimento;
Fachada de San Carlo alle Quattro Fontane, Borromini Igreja de São Ivo, Roma, Borromini
Arquitetura
 Irregularidade das formas;
Palácio Barberini, escadaria elíptica,
sob o pórtico, Borromini
Santa Maria del Priorato, Roma,
Giovanni Battista Piranesi
Arquitetura
 Decoração exuberante :
 Pinturas nos tectos e paredes,
Catedral de Saint Isaak, Rússia, São Petersburgo
Giovanni Gaulli, Igreja de Il Gèsu. 1672-1685.
Arquitetura
 Decoração exuberante :
 Azulejos,
Azulejo representando a cidade de Lisboa em 1755
Azulejaria da Sé de Santarém:
Arquitetura
 Decoração exuberante :
 Mármore polícromo,
Igreja de Santa Catarina Palermo
Arquitetura
 Decoração exuberante :
 Talha dourada
Igreja de São Francisco, Porto
Catedral de Santa Sofia, Sevilha
Arquitetura
 Onde
 Edifícios religiosos destinados a atrair os
fieis
 Edifícios civis, como palácios, para
ostentação de poder
 Praças e fontes
 Características
 Fachadas e interiores de linhas curvas e
contracurvas
 Ilusão de movimento;
 Irregularidade das formas;
 Decoração exuberante :
 Pinturas nos tectos e paredes,
 Azulejos,
 Mármore,
 Talha dourada
 Principais arquitetos
 Borromini
 Bernini
Fontana di Trevi, Roma
Praça de São Pedro, Vaticano, Bernini
escultura
 Características
 Exuberância e sensualidade das
formas;
Êxtase de Santa Teresa, Bernini
Rapto de Proserpina, BerniniBeata Ludovica Albertoni, Bernini,
1624
escultura
 Características
 Movimento
Apollo e Daphne - Bernini.
David, BerniniJesucristo - Frantisek Preiss
escultura
 Características
 Dramatismo (figuras com expressões
teatrais);
Anima dannata, Bernini
Beata Ludovica Albertoni, Bernini,
1624 Êxtase de Santa Teresa, Bernini
David, Bernini
escultura
 Características
 Realismo.
Rapto de Proserpina, Bernini
Êxtase de Santa Teresa, Bernini
Leão, Bernini
escultura
 Características
 Exuberância das formas;
 Movimento;
 Dramatismo (figuras com
expressões teatrais);
 Realismo.
 Principais escultores
 Bernini
Balthasar Permoser
Pintura
 Características
 Utilização de cores intensas;
Jupiter and Callist, Amigoni
Dance of Italian Villagers, Paul Rubens
Pintura
 Características
 Jogo de luz e sombras para criar a ilusão de profundidade;
Ciro, o Grande, Peter Paul Rubens
As Meninas , Velázquez
Pintura
 Características
 Movimento;
O rapto das filhas de Leucipo,
Peter Paul Rubens
As consequências da guerra, Rubens, 1637-38.
Pintura
 Características
 Forte expressão de sentimentos / dramatismo;
“A Ascensão”, Tintoretto, 1515-1549
Pietà, Annibale Carracci
Pintura
 Características
 Composições assimétricas, na diagonal;
A queda de Faetonte, Rubens
Sacrificio de Isaac, Laurent de La Hire, 1606-1656
Pintura
 Características
 Natureza morta
Cesta com Cerejas, Queijos e Barros, Josefa
de Obidos
Natureza morta com queijos, alcachofra e cerejas, Clara
Peeters, 1625
Pintura
 Características
 Utilização de cores intensas;
 Jogo de luz e sombras para
criar a ilusão de profundidade;
 Movimento;
 Forte expressão de
sentimentos / dramatismo;
 Composições assimétricas, na
diagonal;
 Natureza-Morta
 Principais pintores
 Rembrandt,
 Rubens,
 Velásquez
 Caravaggio
O rico insensato, Rembrandt
Música
 Principais compositores
 Johan Sebastian Bach
 Domenico Scarlatti
 António Vivaldi
 Etc...
Antonio Vivaldi
J. S. Bach
Domenico Scarlatti
Em Portugal
 Teve início no século XVII, mas o período áureo
coincidiu com o reinado de D. João V, no século XVIII
 Na arquitectura :
 Frederico Ludovice, autor do Palácio-Convento de Mafra.
Em Portugal
 Na arquitectura :
 Nicolau Nasoni, autor da Igreja e da Torre dos Clérigos e do Palácio do
Freixo, no Porto, e do Solar de Mateus, em Vila Real,
Em Portugal
 Na escultura :
 Machado de Castro,
Estátua Elefante Diana e as Duas Ninfas
Estátua Equestre de D. José I
Em Portugal
 Na escultura :
 José de Almeida
Presépio, José de Almeida (atrib), séc. XVIII
Mártires de Marrocos
Em Portugal
 Na escultura :
 Frei Cipriano da Cruz Sousa
Pietá - Frei Cipriano da Cruz (Séc. XVIII)
São Miguel Arcanjo - Escultor: Frei Cipriano da Cru
Em Portugal
 Na pintura :
 Vieira Lusitano
Sagrada Família,D. Maria I
Em Portugal
 Artes decorativas:
 Talha dourada
Talha dourada da Igreja dos Jerónimos
Igreja de São Francisco 0
Em Portugal
 Artes decorativas:
 Ourivesaria
Em Portugal
 Artes decorativas:
 Azulejo
Em Portugal Teve início no século XVII, mas o período áureo
coincidiu com o reinado de D. João V, no século
XVIII
 Na arquitectura :
 Frederico Ludovice, autor do Palácio-Convento de Mafra.
 Nicolau Nasoni, autor da Igreja e da Torre dos Clérigos e
do Palácio do Freixo, no Porto, e do Solar de Mateus, em
Vila Real.
 Na escultura :
 Machado de Castro,
 José de Almeida
 Frei Cipriano da Cruz Sousa
 Na pintura :
 Vieira Lusitano
 Artes decorativas:
 Talha dourada
 Ourivesaria
 Azulejo
Barroco – Barroco é o nome dado
ao estilo artístico que floresceu entre o
final do século XVI e meados do século
XVIII, inicialmente na Itália,
difundindo-se em seguida pelos
países católicos da Europa e da
América, antes de atingir, em uma
forma modificada, as
áreas protestantes e alguns pontos do
Oriente.
Considerado como o estilo
correspondente ao absolutismo e
à Contra-Reforma, distingue-se pelo
esplendor exuberante.
Conceitos a Reter
Metas
O que deves saber desta matéria
1. Definir Barroco.
2. Caracterizar o estilo barroco
3. Caracterizar a arquitectura barroca
4. Caracterizar a escultura barroca
5. Caracterizar a pintura barroca
6. Identificar o período de maior desenvolvimento do barroco em
Portugal.
7. Identificar arquitetos, escultores e pintores do barroco na Europa e
em Portugal.
Não percas os próximos episódios da nossa História

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
Ana Barreiros
 
Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em Portugal
Carlos Vieira
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
kyzinha
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
Sandra Alves
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugal
Ana Barreiros
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
Hca Faro
 
Estilo manuelino
Estilo manuelinoEstilo manuelino
Estilo manuelino
berenvaz
 
Renascimento em Portugal
Renascimento em PortugalRenascimento em Portugal
Renascimento em Portugal
Carlos Vieira
 
Arte do Renascimento - Escultura
Arte do Renascimento - EsculturaArte do Renascimento - Escultura
Arte do Renascimento - Escultura
Carlos Vieira
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentista
Vítor Santos
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
Ana Barreiros
 
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na EsculturaA expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
Sara Coelho
 
A arte barroca em portugal
A arte barroca em portugalA arte barroca em portugal
A arte barroca em portugal
Pedro Silva
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
cindy1977
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Carlos Vieira
 
02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca
Vítor Santos
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
Carla Freitas
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
Ana Barreiros
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
HCA_10I
 
A cultura do palco
A cultura do palcoA cultura do palco
A cultura do palco
Carlos Pinheiro
 

Mais procurados (20)

Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
 
Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em Portugal
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugal
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 
Estilo manuelino
Estilo manuelinoEstilo manuelino
Estilo manuelino
 
Renascimento em Portugal
Renascimento em PortugalRenascimento em Portugal
Renascimento em Portugal
 
Arte do Renascimento - Escultura
Arte do Renascimento - EsculturaArte do Renascimento - Escultura
Arte do Renascimento - Escultura
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentista
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
 
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na EsculturaA expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
A expressão Naturalista na Pintura e na Escultura
 
A arte barroca em portugal
A arte barroca em portugalA arte barroca em portugal
A arte barroca em portugal
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
 
02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 
A cultura do palco
A cultura do palcoA cultura do palco
A cultura do palco
 

Destaque

30 absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
30   absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens30   absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
30 absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
Carla Freitas
 
28 reforma protestante e contra reforma
28   reforma protestante e contra reforma28   reforma protestante e contra reforma
28 reforma protestante e contra reforma
Carla Freitas
 
33 - O iluminismo
33  - O iluminismo33  - O iluminismo
33 - O iluminismo
Carla Freitas
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
Carla Freitas
 
29 crise, união ibérica, restauração
29   crise, união ibérica, restauração29   crise, união ibérica, restauração
29 crise, união ibérica, restauração
Carla Freitas
 
Mercantilismo
Mercantilismo Mercantilismo
Mercantilismo
Maria Gomes
 
O manuelino
O manuelinoO manuelino
O manuelino
Carla Teixeira
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
Maria Gomes
 
E2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogueE2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogue
Vítor Santos
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
cattonia
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Vítor Santos
 
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
Carla Freitas
 
Arte Barroca Arquitectura
Arte Barroca ArquitecturaArte Barroca Arquitectura
Arte Barroca Arquitectura
hcaslides
 
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
Carla Freitas
 
Cultura na idade média
Cultura na idade médiaCultura na idade média
Cultura na idade média
HCA_10I
 
A vida do homem no neolítico
A vida do homem no neolíticoA vida do homem no neolítico
A vida do homem no neolítico
amgmrodrigues
 
Portugal No Século XIII
Portugal No Século XIIIPortugal No Século XIII
Portugal No Século XIII
Ana Luísa
 
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Nelson Faustino
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
Rui Neto
 
A vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolíticoA vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolítico
amgmrodrigues
 

Destaque (20)

30 absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
30   absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens30   absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
30 absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
 
28 reforma protestante e contra reforma
28   reforma protestante e contra reforma28   reforma protestante e contra reforma
28 reforma protestante e contra reforma
 
33 - O iluminismo
33  - O iluminismo33  - O iluminismo
33 - O iluminismo
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
 
29 crise, união ibérica, restauração
29   crise, união ibérica, restauração29   crise, união ibérica, restauração
29 crise, união ibérica, restauração
 
Mercantilismo
Mercantilismo Mercantilismo
Mercantilismo
 
O manuelino
O manuelinoO manuelino
O manuelino
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
 
E2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogueE2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogue
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
 
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
37 B - Revolução demográfica e contrastes sociais.
 
Arte Barroca Arquitectura
Arte Barroca ArquitecturaArte Barroca Arquitectura
Arte Barroca Arquitectura
 
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais21 -  Cultura, Religião e Arte Medievais
21 - Cultura, Religião e Arte Medievais
 
Cultura na idade média
Cultura na idade médiaCultura na idade média
Cultura na idade média
 
A vida do homem no neolítico
A vida do homem no neolíticoA vida do homem no neolítico
A vida do homem no neolítico
 
Portugal No Século XIII
Portugal No Século XIIIPortugal No Século XIII
Portugal No Século XIII
 
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
 
A vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolíticoA vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolítico
 

Semelhante a 31 - Arte barroca

Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
Eugenia silva
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
borgia
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Ano
infoeducp2
 
21 barroco eurobras
21 barroco eurobras21 barroco eurobras
21 barroco eurobras
Denise Lugli
 
11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a
Felipe18b
 
Dokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasilDokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasil
YvesLunn
 
F4 A Arte Barroca
F4   A Arte BarrocaF4   A Arte Barroca
F4 A Arte Barroca
Rui Nobre
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
mirandakika
 
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
Hist8
 
Arte e mentalidade Barrocas
Arte e mentalidade BarrocasArte e mentalidade Barrocas
Arte e mentalidade Barrocas
Tatiana Simões Costa
 
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
LuanyChristina2
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
Carla Freitas
 
A cultura e o iluminismo em portugal face à europa
A cultura e o iluminismo em portugal face à europaA cultura e o iluminismo em portugal face à europa
A cultura e o iluminismo em portugal face à europa
Carolina Dinis Carneiro
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
ggmota93
 
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_20112C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
www.historiadasartes.com
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
CEF16
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
helenacompleto
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
CEF16
 
9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ
André Figundio
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
Maria Gomes
 

Semelhante a 31 - Arte barroca (20)

Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Ano
 
21 barroco eurobras
21 barroco eurobras21 barroco eurobras
21 barroco eurobras
 
11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a
 
Dokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasilDokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasil
 
F4 A Arte Barroca
F4   A Arte BarrocaF4   A Arte Barroca
F4 A Arte Barroca
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
1 A Mentalidade E A Arte Barrocas
 
Arte e mentalidade Barrocas
Arte e mentalidade BarrocasArte e mentalidade Barrocas
Arte e mentalidade Barrocas
 
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
ARTE BARROCA.pptx.. ARTE BARROCA.pptx...
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
 
A cultura e o iluminismo em portugal face à europa
A cultura e o iluminismo em portugal face à europaA cultura e o iluminismo em portugal face à europa
A cultura e o iluminismo em portugal face à europa
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_20112C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
 
9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 

Mais de Carla Freitas

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Carla Freitas
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
Carla Freitas
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
Carla Freitas
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
Carla Freitas
 

Mais de Carla Freitas (20)

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 

31 - Arte barroca

  • 1. História 8º Ano Prof. Carla Freitas
  • 2. Barroco  Surge devido a:  Combate ao protestantismo  Ostentação do poder absolutista  Clima de insegurança  Características  Irregularidade das formas  Abundância de linhas curvas e contracurvas,  Movimento  Exagero de decoração e de sentimentos  Horror ao vazio  Dramatismo e emoção  Sensualidade das formas  Jogos de luz e sombra  Contrastes de cor  Ilusão de óptica.
  • 3. Arquitetura  Fachadas e interiores de linhas curvas e contracurvas Igreja de Jesus, Roma de arquitetura de Giacomo VignolaFachada da Igreja de San Borromeo, em Noto, Sicilia
  • 4. Arquitetura  Ilusão de movimento; Fachada de San Carlo alle Quattro Fontane, Borromini Igreja de São Ivo, Roma, Borromini
  • 5. Arquitetura  Irregularidade das formas; Palácio Barberini, escadaria elíptica, sob o pórtico, Borromini Santa Maria del Priorato, Roma, Giovanni Battista Piranesi
  • 6. Arquitetura  Decoração exuberante :  Pinturas nos tectos e paredes, Catedral de Saint Isaak, Rússia, São Petersburgo Giovanni Gaulli, Igreja de Il Gèsu. 1672-1685.
  • 7. Arquitetura  Decoração exuberante :  Azulejos, Azulejo representando a cidade de Lisboa em 1755 Azulejaria da Sé de Santarém:
  • 8. Arquitetura  Decoração exuberante :  Mármore polícromo, Igreja de Santa Catarina Palermo
  • 9. Arquitetura  Decoração exuberante :  Talha dourada Igreja de São Francisco, Porto Catedral de Santa Sofia, Sevilha
  • 10. Arquitetura  Onde  Edifícios religiosos destinados a atrair os fieis  Edifícios civis, como palácios, para ostentação de poder  Praças e fontes  Características  Fachadas e interiores de linhas curvas e contracurvas  Ilusão de movimento;  Irregularidade das formas;  Decoração exuberante :  Pinturas nos tectos e paredes,  Azulejos,  Mármore,  Talha dourada  Principais arquitetos  Borromini  Bernini Fontana di Trevi, Roma Praça de São Pedro, Vaticano, Bernini
  • 11. escultura  Características  Exuberância e sensualidade das formas; Êxtase de Santa Teresa, Bernini Rapto de Proserpina, BerniniBeata Ludovica Albertoni, Bernini, 1624
  • 12. escultura  Características  Movimento Apollo e Daphne - Bernini. David, BerniniJesucristo - Frantisek Preiss
  • 13. escultura  Características  Dramatismo (figuras com expressões teatrais); Anima dannata, Bernini Beata Ludovica Albertoni, Bernini, 1624 Êxtase de Santa Teresa, Bernini David, Bernini
  • 14. escultura  Características  Realismo. Rapto de Proserpina, Bernini Êxtase de Santa Teresa, Bernini Leão, Bernini
  • 15. escultura  Características  Exuberância das formas;  Movimento;  Dramatismo (figuras com expressões teatrais);  Realismo.  Principais escultores  Bernini Balthasar Permoser
  • 16. Pintura  Características  Utilização de cores intensas; Jupiter and Callist, Amigoni Dance of Italian Villagers, Paul Rubens
  • 17. Pintura  Características  Jogo de luz e sombras para criar a ilusão de profundidade; Ciro, o Grande, Peter Paul Rubens As Meninas , Velázquez
  • 18. Pintura  Características  Movimento; O rapto das filhas de Leucipo, Peter Paul Rubens As consequências da guerra, Rubens, 1637-38.
  • 19. Pintura  Características  Forte expressão de sentimentos / dramatismo; “A Ascensão”, Tintoretto, 1515-1549 Pietà, Annibale Carracci
  • 20. Pintura  Características  Composições assimétricas, na diagonal; A queda de Faetonte, Rubens Sacrificio de Isaac, Laurent de La Hire, 1606-1656
  • 21. Pintura  Características  Natureza morta Cesta com Cerejas, Queijos e Barros, Josefa de Obidos Natureza morta com queijos, alcachofra e cerejas, Clara Peeters, 1625
  • 22. Pintura  Características  Utilização de cores intensas;  Jogo de luz e sombras para criar a ilusão de profundidade;  Movimento;  Forte expressão de sentimentos / dramatismo;  Composições assimétricas, na diagonal;  Natureza-Morta  Principais pintores  Rembrandt,  Rubens,  Velásquez  Caravaggio O rico insensato, Rembrandt
  • 23. Música  Principais compositores  Johan Sebastian Bach  Domenico Scarlatti  António Vivaldi  Etc... Antonio Vivaldi J. S. Bach Domenico Scarlatti
  • 24. Em Portugal  Teve início no século XVII, mas o período áureo coincidiu com o reinado de D. João V, no século XVIII  Na arquitectura :  Frederico Ludovice, autor do Palácio-Convento de Mafra.
  • 25. Em Portugal  Na arquitectura :  Nicolau Nasoni, autor da Igreja e da Torre dos Clérigos e do Palácio do Freixo, no Porto, e do Solar de Mateus, em Vila Real,
  • 26. Em Portugal  Na escultura :  Machado de Castro, Estátua Elefante Diana e as Duas Ninfas Estátua Equestre de D. José I
  • 27. Em Portugal  Na escultura :  José de Almeida Presépio, José de Almeida (atrib), séc. XVIII Mártires de Marrocos
  • 28. Em Portugal  Na escultura :  Frei Cipriano da Cruz Sousa Pietá - Frei Cipriano da Cruz (Séc. XVIII) São Miguel Arcanjo - Escultor: Frei Cipriano da Cru
  • 29. Em Portugal  Na pintura :  Vieira Lusitano Sagrada Família,D. Maria I
  • 30. Em Portugal  Artes decorativas:  Talha dourada Talha dourada da Igreja dos Jerónimos Igreja de São Francisco 0
  • 31. Em Portugal  Artes decorativas:  Ourivesaria
  • 32. Em Portugal  Artes decorativas:  Azulejo
  • 33. Em Portugal Teve início no século XVII, mas o período áureo coincidiu com o reinado de D. João V, no século XVIII  Na arquitectura :  Frederico Ludovice, autor do Palácio-Convento de Mafra.  Nicolau Nasoni, autor da Igreja e da Torre dos Clérigos e do Palácio do Freixo, no Porto, e do Solar de Mateus, em Vila Real.  Na escultura :  Machado de Castro,  José de Almeida  Frei Cipriano da Cruz Sousa  Na pintura :  Vieira Lusitano  Artes decorativas:  Talha dourada  Ourivesaria  Azulejo
  • 34. Barroco – Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI e meados do século XVIII, inicialmente na Itália, difundindo-se em seguida pelos países católicos da Europa e da América, antes de atingir, em uma forma modificada, as áreas protestantes e alguns pontos do Oriente. Considerado como o estilo correspondente ao absolutismo e à Contra-Reforma, distingue-se pelo esplendor exuberante. Conceitos a Reter
  • 35. Metas O que deves saber desta matéria 1. Definir Barroco. 2. Caracterizar o estilo barroco 3. Caracterizar a arquitectura barroca 4. Caracterizar a escultura barroca 5. Caracterizar a pintura barroca 6. Identificar o período de maior desenvolvimento do barroco em Portugal. 7. Identificar arquitetos, escultores e pintores do barroco na Europa e em Portugal.
  • 36. Não percas os próximos episódios da nossa História