SlideShare uma empresa Scribd logo

Cultura do Palco - Escultura Barroca

Carlos Vieira
Carlos Vieira
Carlos VieiraProfessor em Carlos Vieira

Cultura do Palco - Escultura Barroca

Cultura do Palco - Escultura Barroca

1 de 63
História da Cultura e das
Artes
Módulo VI – A Cultura do Palco
Escultura Barroca
Carlos Jorge Canto Vie
2
Escultura Barroca
• Princípios Básicos:
– Tipo de arte mais praticado e difundido;
– Associa-se à arquitectura e à pintura;
– Fácil adaptação a interiores e exteriores:
• Forte modelação de volumes;
• Criação de texturas;
• Dialéctica de contrastes;
• Movimento;
• Expressividade;
• Cenografia das composições.
Prof. Carlos Vieira
3
1 - Forte modelação dos volumes (realismo tridimensional)
Escultura Barroca
Prof. Carlos Vieira
4
2 – Criação de texturas
3 - Movimento
4 - Dialéctica de contrastes
(cheio/vazio, luz/sombra,
macio/rugoso)
Escultura Barroca
Prof. Carlos Vieira
5
5 - Cenografia das composições
Capela
Cornaro,
Roma
Escultura Barroca
Prof. Carlos Vieira
6
6 – Expressividade (pathos )
Escultura Barroca
Prof. Carlos Vieira
Anúncio

Recomendados

04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentistaVítor Santos
 
Neoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugalNeoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugalAna Barreiros
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacioAna Barreiros
 
Módulo 7 arquitetura neoclássica
Módulo 7   arquitetura neoclássicaMódulo 7   arquitetura neoclássica
Módulo 7 arquitetura neoclássicaCarla Freitas
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barrocaCarla Freitas
 
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3Hca Faro
 
Módulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaMódulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaCarla Freitas
 
02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca02 arquitetura barroca
02 arquitetura barrocaVítor Santos
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Carlos Vieira
 
Palácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoPalácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoHca Faro
 
Módulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioMódulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioCarlos Vieira
 
Pintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaPintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimentoCultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimentoCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCarlos Vieira
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCarlos Vieira
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
 
Cultura do palco
Cultura do palcoCultura do palco
Cultura do palco
 
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
 
Módulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura RenascentistaMódulo 5 - Pintura Renascentista
Módulo 5 - Pintura Renascentista
 
02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca02 arquitetura barroca
02 arquitetura barroca
 
A Arte Rococó
A Arte RococóA Arte Rococó
A Arte Rococó
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 
Palácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoPalácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso prático
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
Módulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioMódulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do Palácio
 
Pintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaPintura do Neoclássica
Pintura do Neoclássica
 
Cultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimentoCultura do Palácio - Pintura do renascimento
Cultura do Palácio - Pintura do renascimento
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Cultura do salao
Cultura do salaoCultura do salao
Cultura do salao
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura Barroca
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococo
 
Rococó
RococóRococó
Rococó
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"
 

Semelhante a Cultura do Palco - Escultura Barroca

Cultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura ManeiristaCultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura ManeiristaCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Escultura do renascimento
Cultura do Palácio - Escultura do renascimentoCultura do Palácio - Escultura do renascimento
Cultura do Palácio - Escultura do renascimentoCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCarlos Vieira
 
11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8aFelipe18b
 
Módulo 6 escultura barroca
Módulo 6   escultura barrocaMódulo 6   escultura barroca
Módulo 6 escultura barrocaCarla Freitas
 
Cultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romanaCultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romanaCarlos Vieira
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Anoinfoeducp2
 
Renascimento Artístico e Cultural
Renascimento Artístico e CulturalRenascimento Artístico e Cultural
Renascimento Artístico e CulturalZé Knust
 
Arte cristã primitiva
Arte cristã primitivaArte cristã primitiva
Arte cristã primitivaGrazi Schemes
 
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - bernini
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - berniniFilme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - bernini
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - berniniAnabel Aguiar
 
Arquitectura barroca
Arquitectura barrocaArquitectura barroca
Arquitectura barrocaangeldenis21
 
Arquitectura barroca
Arquitectura barrocaArquitectura barroca
Arquitectura barrocaangeldenis21
 
F4 A Arte Barroca
F4   A Arte BarrocaF4   A Arte Barroca
F4 A Arte BarrocaRui Nobre
 
Cultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura gregaCultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura gregaCarlos Vieira
 
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantina
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantinaCultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantina
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantinaCarlos Vieira
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barrocoHCA_10I
 

Semelhante a Cultura do Palco - Escultura Barroca (20)

Cultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura ManeiristaCultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
Cultura do Palácio - Arquitectura Maneirista
 
Cultura do Palácio - Escultura do renascimento
Cultura do Palácio - Escultura do renascimentoCultura do Palácio - Escultura do renascimento
Cultura do Palácio - Escultura do renascimento
 
Barroco slides
Barroco slidesBarroco slides
Barroco slides
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
 
11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a11 pp barroco_8a
11 pp barroco_8a
 
Módulo 6 escultura barroca
Módulo 6   escultura barrocaMódulo 6   escultura barroca
Módulo 6 escultura barroca
 
Cultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romanaCultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romana
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Ano
 
Arte barroca.pptx
Arte barroca.pptxArte barroca.pptx
Arte barroca.pptx
 
Renascimento Artístico e Cultural
Renascimento Artístico e CulturalRenascimento Artístico e Cultural
Renascimento Artístico e Cultural
 
HCA Módulo 6 - Escultura
HCA Módulo 6 - EsculturaHCA Módulo 6 - Escultura
HCA Módulo 6 - Escultura
 
Arte cristã primitiva
Arte cristã primitivaArte cristã primitiva
Arte cristã primitiva
 
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - bernini
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - berniniFilme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - bernini
Filme - Anjos e demônios - obra santa teresa em êxtase - bernini
 
Arquitectura barroca
Arquitectura barrocaArquitectura barroca
Arquitectura barroca
 
Arquitectura barroca
Arquitectura barrocaArquitectura barroca
Arquitectura barroca
 
F4 A Arte Barroca
F4   A Arte BarrocaF4   A Arte Barroca
F4 A Arte Barroca
 
Cultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura gregaCultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura grega
 
31 - Arte barroca
31  - Arte barroca31  - Arte barroca
31 - Arte barroca
 
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantina
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantinaCultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantina
Cultura do Mosteiro - Arte paleocristã e bizantina
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 

Mais de Carlos Vieira

Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Carlos Vieira
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacionalCultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacionalCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Maneirismo
Cultura do Palácio - ManeirismoCultura do Palácio - Maneirismo
Cultura do Palácio - ManeirismoCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentistaCultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentistaCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Humanismo
Cultura do Palácio - HumanismoCultura do Palácio - Humanismo
Cultura do Palácio - HumanismoCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - O Palácio
Cultura do Palácio - O PalácioCultura do Palácio - O Palácio
Cultura do Palácio - O PalácioCarlos Vieira
 

Mais de Carlos Vieira (20)

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
O Patriota
O PatriotaO Patriota
O Patriota
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Madame bovary
Madame bovaryMadame bovary
Madame bovary
 
Cavalo de guerra
Cavalo de guerraCavalo de guerra
Cavalo de guerra
 
Danton
DantonDanton
Danton
 
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococó
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacional
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococo
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
 
Cultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacionalCultura do Palácio - Maneirismo internacional
Cultura do Palácio - Maneirismo internacional
 
Cultura do Palácio - Maneirismo
Cultura do Palácio - ManeirismoCultura do Palácio - Maneirismo
Cultura do Palácio - Maneirismo
 
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentistaCultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
 
Cultura do Palácio - Humanismo
Cultura do Palácio - HumanismoCultura do Palácio - Humanismo
Cultura do Palácio - Humanismo
 
Cultura do Palácio - O Palácio
Cultura do Palácio - O PalácioCultura do Palácio - O Palácio
Cultura do Palácio - O Palácio
 

Último

PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...Colaborar Educacional
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLucineideDosSantos2
 
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...Colaborar Educacional
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 

Último (20)

PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
 
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdfAPOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
 
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 

Cultura do Palco - Escultura Barroca

  • 1. História da Cultura e das Artes Módulo VI – A Cultura do Palco Escultura Barroca Carlos Jorge Canto Vie
  • 2. 2 Escultura Barroca • Princípios Básicos: – Tipo de arte mais praticado e difundido; – Associa-se à arquitectura e à pintura; – Fácil adaptação a interiores e exteriores: • Forte modelação de volumes; • Criação de texturas; • Dialéctica de contrastes; • Movimento; • Expressividade; • Cenografia das composições. Prof. Carlos Vieira
  • 3. 3 1 - Forte modelação dos volumes (realismo tridimensional) Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 4. 4 2 – Criação de texturas 3 - Movimento 4 - Dialéctica de contrastes (cheio/vazio, luz/sombra, macio/rugoso) Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 5. 5 5 - Cenografia das composições Capela Cornaro, Roma Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 6. 6 6 – Expressividade (pathos ) Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 7. 7 Escultura Barroca • Encomendores – A Igreja • Transmissão da Fé e dos dogmas – Monarcas • Manifestação pública: – do seu poder; – da sua força; – Divulgação da ideologia. – Famílias Ricas (Burgueses) • Manifestação: – Individualismo; – Gosto pelo quotidiano; Prof. Carlos Vieira
  • 8. 8 Escultura Barroca • Expressão técnico-formal da escultura barroca: – Rigor da execução técnica • Domínio das técnicas do desbastar, cinzelar e modelar; Prof. Carlos Vieira
  • 9. 9 Escultura Barroca • Perfeição das formas – Proporções mais esguias – Modelados com pormenores de realismo e naturalismo levado ao exagero • Exploração das capacidades Expressivas – Acentuação dos gestos e das expressões faciais e corporais; – Dramaticidade dos conteúdos Prof. Carlos Vieira
  • 10. 10 Escultura Barroca • Representação de posições em movimento – Equilíbrio instável – Serpentinado em sentido ascendente • Utilização de panejamentos volumosos agitados e decompostos. – Favorece o contraste das texturas – Jogo luz/sombra Pierre PUGET S. Sebastião 1663-68 Mármore Igreja de Santa Maria Assunta di Carignano, GenovaProf. Carlos Vieira
  • 11. 11 Escultura Barroca • Composições livres e soltas – Organização segundo esquemas complexos – Formam grupos escultóricos Bernini, Gianlorenzo Eneias, Anquises, e Ascânio 1618-19 Mármore Branco Altura: 220 cm Galleria Borghese, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 12. 12 Escultura Barroca • Sentido cénico das obras Bernini, Gianlorenzo Fonte do Tritão 1624-43 Travertine, Praça Barberini, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 13. 13 Não esquecer que a escultura Barroca caracteriza-se pelo: -Rigor da execução técnica -Perfeição das formas -Exploração das capacidades expressivas -Preferência da representação de posições em movimento -Utilização de panejamentos volumosos, agitados, descompostos -Composições soltas, livres, organizadas segundo esquemas complexos -Grupos escultóricos interligando diferentes personagens captadas em acção -Sentido cénico das obras -Teatralidade dos gestos e movimentos -Preocupação com os enquadramentos Daí feitas para serem apreciadas de um, no máximo dois pontos de vista. Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 14. 14 • Iconografia Sacra – Sagrada Família – Imaculada Conceição – Cristo no Calvário – Cenas da Paixão – Triunfo da Eucaristia e das virtudes cristãs – Valorização da figura do Papa Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 15. 15 Escultura Barroca • Materiais Utilizados – Mármores – Bronze – Ouro e prata – Marfim – Estuque – Madeira policromada Prof. Carlos Vieira
  • 16. 16 Escultura Barroca • Formas e funções da escultura ornamental – Relevos – Escultura de vulto redondo Prof. Carlos Vieira
  • 17. 17 Escultura Barroca • Relevos – Volutas – Brasões – Cartelas – Vasos – Troféus – Festões – Coruchéus Prof. Carlos Vieira
  • 18. 18 Escultura Barroca • Escultura de tipo redondo – Nichos, consolas ou mísulas – Filas horizontais sobre os parapeitos das pontes, escadarias, colunatas ou muros de jardins Prof. Carlos Vieira
  • 19. 19 Escultura Barroca – Estátuas-colunas • Sustentam tectos e entablamentos (atlantes e cariátides) Pierre PUGET Porta do Hotel de Ville at Toulon 1656 Mármore Museu Naval, Toulon Prof. Carlos Vieira
  • 20. 20 Escultura Barroca – Monumentos escultórios • Misturam estatuária, relevos e elementos arquitectónicos Prof. Carlos Vieira
  • 21. 21 Bernini Baldaquino 1624 Bronze Basílica de S. Pedro, Vaticano Prof. Carlos Vieira
  • 22. 22 ►1623 Maffeo Barbieri é eleito Papa (Urbano VIII) ►O papa desejava que o novo altar fosse coberto por um enorme baldaquino. ► Feito em bronze, está apoiado numa base de mármore, de onde saem quatro colunas torsas que terminam num capitel com volutas apoiadas no dorso de um delfim, culminando com um globo e uma cruz. Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 23. 23 Êxtase de Santa Teresa • Santa Teresa de Ávila – Santa da Contra-Reforma – Um anjo trespassou-lhe o coração com uma seta de ouro flamejante; – Espaço cenográfico. Prof. Carlos Vieira
  • 24. “A dor foi tão intensa que gritei; mas ao mesmo tempo, senti uma tão infinita doçura que desejei que a dor jamais acabasse. Não foi uma dor física, mas mental, embora afectasse também, de alguma maneira, o corpo. Foi a mais doce carícia da alma por Deus”. Prof. Carlos Vieira 24 Escultura Barroca
  • 25. 25 Bernini O Êxtase de Santa Teresa 1647-52 Mármore, Alt: 350 cm Capela Cornaro, Santa Maria della Vittoria, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 26. 26 Êxtase… • Duas figuras numa nuvem flutuante • Iluminadas por uma janela escondida • O anjo sorri enquanto lhe levanta o vestido para desferir novos golpes • As vestes estão todas revoltas; • Exacerbação expressionista e pathos intenso Prof. Carlos Vieira
  • 27. 27 Bernini Beata Ludovica Albertoni 1671-74 Mármore Capela Altieri, San Francesco a Ripa, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 28. 28 • Uma das últimas esculturas feitas por Bernini • Ludovica morreu em 1533 e beatificada em 1671 • Encomendada pelo Cardeal Albertoni para comemorar o evento. • A escultura é colocada no altar da capela. • A cena teatral com a iluminação que vem de uma janela escondida do lado esquerda da cabeça. • O efeito da luz é multiplicado pelo tapete decorativo que divide a estátua dos crentes. • O rosto demonstra, a dor do sofrimento e a felicidade celestial em simultâneo. Prof. Carlos Vieira
  • 29. 29 Escultura Barroca Maderno, Stefano Santa Cecilia 1600 Mármore, comp. 102 cm Santa Cecilia in Trastevere, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 30. 30 – Esta estátua foi encomendada pelo Cardeal Paolo Sfondrato, em 1599. – Representa o corpo de uma jovem, em tamanho natural, deitada sobre o seu lado direito, com as pernas ligeiramente dobradas, como se estivesse na cama a dormir, com uma roupagem de traços suaves e com um profundo golpe no pescoço. – três abertos na mão direita e um esticado na mão esquerda. – representa a sua fé na Unidade e na Trindade de Deus Prof. Carlos Vieira
  • 31. 31 Escultura Barroca • Nova Iconografia – Retratos individuais – Mausoléus – Figuras ou grupos mitológicos Prof. Carlos Vieira
  • 32. 32 Escultura Barroca – Retratos individuais Bernini Paulo V 1617-18 Mármore de Carrara, Alt 34 cm Galleria Borghese, Roma Bernini Busto do Papa Urbano VIII 1632-33 Bronze, Alt 100 cm Museu Sacro, Museu do Vaticano, Roma Bernini Cardeal Armand de Richelieu 1640-41 Mármore Museu do Louvre, Paris Prof. Carlos Vieira
  • 33. 33 Escultura Barroca – Retratos individuais Bernini Busto de Luís XIV 1665 Mármore, Alt 80 cm Museu Nacional de Versalhes, Versalhes Cametti, Bernardino Busto de Giovanni Andrea Muti 1725 Mármore policromático, San Marcello al Corso, Roma FogginiI, Giambattista Busto de Fernando de' Medici c. 1685 Mármore, Alt: 80 cm Fürstliche Fürstenbergisches Schloss, Donaueschingen Prof. Carlos Vieira
  • 34. 34 Antonio CORRADINI, Busto de uma Mulher Velada (Pureza) 1717-25 Mármore Museu del Settecento Veneziano, Ca' Rezzonico, Veneza Prof. Carlos Vieira
  • 35. 35 – Mausoléus Bernini Túmulo do Papa Alexandre VII 1671-78 Mármore e bronze, Basílica de S. Pedro, Vaticano Prof. Carlos Vieira
  • 36. 36 • Composição Triangular • Quatro figuras: – Caridades – Prudência – justiças – verdades alegóricas. • porta simboliza a porta da morte • Encimado por um esqueleto que tem uma ampulheta (simboliza o tempo). Prof. Carlos Vieira
  • 37. 37 Camilo Rusconi Túmulo de Gregório XIII 1719-25 Mármore Basílica de S. Pedro, Vaticano Prof. Carlos Vieira
  • 38. 38 Alessandro ALGARDI Monumento ao Papa Leão XI 1634-44 Mármore Basílica de S. Pedro, Vaticano Prof. Carlos Vieira
  • 39. 39 Francois Girardon Túmulo de Richelieu 1675-94 Mármore Igreja da Sorbonne, Paris Prof. Carlos Vieira
  • 40. 40 • O cardeal no seu leito de morte • Ladeado pela Religião e pela Ciência. • Três figuras, unidas pelas linhas onduladas • Existência de pathos. Prof. Carlos Vieira
  • 41. 41 Figuras ou grupos mitológicos Francois Girardon Apolo e as Ninfas 1666-73 Mármore, escala humana Gruta de Apolo, Versalhes Prof. Carlos Vieira
  • 42. 42 • Obras Fundamentais – Baldaquino, Bernini – Êxtase de Santa Teresa, Bernini – David, Bernini – Apolo e Dafne, Bernini – Plutão e Proserpina, Bernini Escultura Barroca Prof. Carlos Vieira
  • 43. 43 David Bernini David 1623-24 Mármore de Carrara, Alt: 170 cm Galleria Borghese, Roma DONATELLO David c. 1430 Bronze, Alt: 158 cm Museo Nazionale del Bargello, Florença VERROCCHIO, Andrea del David 1473-75 Bronze, Alt: 125 cm Museo Nazionale del Bargello, Florença Miguyl Ângelo Buonarroti David 1504 Mámore, Alt: 434 cm Galeria da Academia, Florença Prof. Carlos Vieira
  • 44. 44 David • Sabia da possível comparação com outros trabalhos; • Em vez de descrever a figura de estática depois da morte de Golias (Donatello e Verrocchio) ou da tensão medida do próprio própria (Miguel Ângelo), Bernini criou uma a carga dinâmica em espiral. • Representado no momento que colocou a pedra na funda, e se presta para lança-la. Prof. Carlos Vieira
  • 45. 45 David • Posição do corpo em S; • Significa que as torções e as tensões do torso não são apenas físicas mas psicológicas; • Presença forte de pathos; • Seria um conjunto? Prof. Carlos Vieira
  • 46. 46 Inspira-se no gladiador chamado de Borghese; Prof. Carlos Vieira
  • 48. 48 Apolo e Dafne • Reflecte com realismo as diferentes texturas presentes: • a rugosidade do tronco de loureiro; • a macieza do tecido do manto de Apoio, • a transparência da pele de Dafne; • a seda dos seus cabelos que, na ponta se transformam já em caules e folhas... • Com posições em desequilíbrio, as personagens parecem pairar num movimento ascendente. Bemini, Apoio e Dafne, 1625, Mármore, Alt: 243 cm Galeria Borghese, Roma Prof. Carlos Vieira
  • 50. 50 Apolo e Dafne • Tema da mitologia clássica: • Apolo, apaixonado pela beleza de Dafne, corre atrás da musa para a enlaçar; • Apavorada, Dafne foge pedindo auxílio aos deuses; • Estes socorrem-na transformando-a em loureiro quando Apolo estava prestes a deitar-lhe a mão. Prof. Carlos Vieira
  • 51. 51 Plutão e Proserpina • Bemini reduz as perspectivas para os lados frontal e esquerdo, aí condensando mais informação temática e a plástica do conjunto. •Tema Mitológico •rapto da deusa do reino das sombras, segundo Ovídio e Claudiano. •Tal como em Dafne, o escultor explorou realisticamente o movimento e as texturas acentuando, aqui, o dramatismo. Bemini, Plutão e Proserpina, 1621-22, Mármore, Alt: 255 cm, Galeria Borghese, RomaProf. Carlos Vieira
  • 55. 55 As fontes • O espaço da água… Prof. Carlos Vieira
  • 56. 56 As fontes Prof. Carlos Vieira Gian Lorenzo Bernini Fonte do Tritão Praça Barberini 1643 Roma
  • 57. 57 As fontes Prof. Carlos Vieira Gian Lorenzo Bernini Fonte do Tritão Praça Barberini 1643 Roma
  • 58. 58 As fontes Prof. Carlos Vieira Pietro Bernini La Barcaccia Praça de Espanha 1627 Roma
  • 59. 59 As fontes Prof. Carlos Vieira Pietro Bernini La Barcaccia Praça de Espanha 1627 Roma
  • 60. 60 As fontes Prof. Carlos Vieira Gian Lorenzo Bernini Fonte dos 4 rios Praça Navona 1648-51 Roma
  • 61. 61 As fontes Prof. Carlos Vieira Gian Lorenzo Bernini Fonte dos 4 rios Praça Navona 1648-51 Roma
  • 62. 62 As fontes Prof. Carlos Vieira Nicola Salvi Fonte de Trevi Praça Trevi 1730 Roma
  • 63. 63 As fontes Prof. Carlos Vieira Nicola Salvi Fonte de Trevi Praça Trevi 1730 Roma