SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
A pintura barroca
A pintura barroca
Maneirismo Rococó
Barroco
(início séc. XVII
a meados
Séc. XVIII)
Itália
+
Igreja da Contra-Reforma
Sedução
pelos
sentimentos
Captação da atenção
e da fé
A pintura barroca
Barroco
(início séc. XVII
a meados
Séc. XVIII)Sedução
pelos
sentimentos
Captação da atenção
e da fé
-Deslumbramento
- Surpresa
- encenação
- luz
Reflexos sobre a pintura barroca:
-Irracionalidade
- contrastes
- exuberância
-Dramatismo
- ambientes grandiosos
A pintura barroca móvel
Pintura sobre tela
Diferentes tendências
- Classicismo: Carraci + Poussin + Lorrain
- Naturalismo: Caravaggio + Ribera
- Realismo: Vermeer + Rembrandt
Grande variedade cultural, social e
estética da Europa
+
Atributos estéticos de cada pintor
A pintura barroca móvel
Diversidade temática:
-Temas religiosos
-Temas profanos
- temas mitológicos
- retratos
- paisagens
- naturezas mortas
Ribera
Rubens
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
- Representação do momento
Ênfase ao acontecimento e à
ação
- Linha do horizonte delineada
abaixo do normal para dar
primazia aos elementos
representados e destacar as
figuras representadas
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
- Composição ?
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
-Composição aberta, de dentro
para fora
- sobreposição de formas para
conseguir a profundidade, sem
descontinuidades, preservando a
unidade do espaço
- formas dinâmicas e sinuosas,
enquadradas ou combinadas com
estruturas poligonais (triângulo,
quadrado e sosango) e com
formas circulares ou ovaladas
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
-Composição aberta, de dentro
para fora
- sobreposição de formas para
conseguir a profundidade, sem
descontinuidades, preservando a
unidade do espaço
- formas dinâmicas e sinuosas,
enquadradas ou combinadas com
estruturas poligonais (triângulo,
quadrado e sosango) e com
formas circulares ou ovaladas
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
- Luz/sombra
- Cor ?
A pintura barroca móvel
Características técnico-formais
Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo,
1618, óleo sobre tela
- União plástica da luz/sombra e
da cor para focalizar a atenção
nos principais elementos da
composição (por vezes de forma
artificial); os restantes elementos
ficam diluídos na penumbra:
- a luz rasante chama a
atenção para determinadas
zonas do quadro, orientando
a leitura
- a cor pura e cálida tem
como objetivo captar e
sensibilizar o espectador
A pintura barroca móvel
Caravaggio, A morte da Virgem
Caravaggio, aliás, Michelangelo
Merisi, nasceu em Caravaggio, Itália,
no dia 28 de Setembro de 1573,
ficando a dever o nome à sua terra
natal.
É o primeiro grande representante do
estilo barroco. Iniciou sua carreira
como assistente de pintor aos 15
anos.
Era o chamado período da contra-
reforma e o clero católico investia na
produção artística , a fim de
combater as ideias dos protestantes.
A pintura barroca móvel
A adivinha, c. 1596,óleo sobre tela, 99 x 131 cm,
Musée du Louvre, Paris
Inovador pela forma
original como tratava os
temas
Procurou a realidade
tangível e concreta
Uilização de mulheres e
homens comuns como
modelos
Nunca utilizou modelos
belos
A pintura barroca móvel
Vocação de S. Mateus, 1599-
1600,
óleo sobre tela, Contarelli
Chapel, San Luigi dei Francesi,
Roma
Retrata o primeiro
encontro entre Jesus e
Mateus, um coletor de
impostos que abandona
o emprego para seguir
Jesus.
A pintura barroca móvel
Vocação de S. Mateus, 1599-
1600,
óleo sobre tela, Contarelli
Chapel, San Luigi dei Francesi,
Roma
Todos estão vestidos com
roupas modernas, em uso
na época de Caravaggio
É uma das primeiras
vezes em que foi
representado um evento
sagrado no presente e
com grande realismo.
A pintura barroca móvel
Vocação de S. Mateus, 1599-
1600,
óleo sobre tela, Contarelli
Chapel, San Luigi dei Francesi,
Roma
Utilizou pela primeira
vez a luz rasante e
descontínua
iluminação forte de
alguns pormenores ou
personagens
importantes da cena,
deixando o resto da
composição numa
semipenumbra
A pintura barroca móvel
São Mateus com o dedo
voltado para si
Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia
o expectador
A pintura barroca móvel
São Mateus com o dedo
voltado para si
Mateus, com o dedo apontado para si
mesmo, surpreso, parece perguntar a
Cristo: "Estais me chamando? Eu
mesmo?"
A pintura barroca móvel
Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia
o expectador
A iluminação torna-se
direcional: a luz perfura a
escuridão com uma
violenta intensidade
dramática.
+
A obra ganha vida e
movimento por causa da
luz
ou não o caminho salvação.
A pintura barroca móvel
Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia
o expectador
A luz é o símbolo da Graça
Divina que afeta todos os
homens: Mateus, no entanto, é o
único a atender o chamado de
Jesus. Ele é a transposição
pictórica do conceito do livre-
arbítrio: Cada homem pode optar
por seguir ou não o caminho
salvação.
A pintura barroca móvel
Detalhe Jesus e São Pedro
A pintura barroca móvel
Detalhe Jesus e São Pedro
Criação de Adão, Michelangelo
Buonarroti - Capela Sistina
A pintura barroca móvel
Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x
92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica,
Roma
A pintura barroca móvel
Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x
92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica,
Roma
Retira o belo Narciso da
Antiguidade clássica, para
retratá-lo como um jovem da
época do pintor.
A pintura barroca móvel
O aspeto mais notável da sua
obra é o tratamento da luz
Tenebrismo
Consiste em projetar a luz
sobre as formas, por vezes
com violência, e em contraste
intenso e brusco com as
sombras.
+
As figuras, as cenas
sobressaem num fundo sem
fundo.
Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x
92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica,
Roma
A pintura barroca móvel
As primeiras obras barrocas
O tocador de alaúde, 1596 Baco, 1590
A pintura barroca móvel
Ceia de Emaús, 1596-98,
óleo sobre tela
A pintura barroca móvel
Ceia de Emaús, 1596-98,
óleo sobre tela
-Reduziu os elementos
do cenário ao mínimo,
assim como as cores
- tenebrismo fortemente
acentuado permite
realçar o silêncio
poético, quase solene,
da composição
A pintura barroca móvel
A conversão de S. Paulo, c. 1596
A pintura barroca móvel
A conversão de S. Paulo, c. 1596
- A luz focalizada atribui-lhe um
caráter irreal
- A composição é orientada pelas
linhas, formadas pelos braços
estendidos do apóstolo e pelo
dorso do cavalo
- As cores, quentes e terrosas
acentuam o caráter vigoroso da
cena
- a ausência de detalhes
supérfluos vira a atenção para o
dramatismo da cena
A pintura barroca móvel
A pintura barroca móvel
A pintura barroca móvel
A morte da Virgem, 1605-06
Caravaggio representou uma Maria
‘inchada ´’, num ambiente de
pobreza.
Terá usado como modelo uma
prostituta, que, estando grávida, se
suicidara, atirando-se às águas do
rioTibre.
A pintura barroca móvel
A morte da Virgem, 1605-06
- A cor densa e a forte intensidade
luminosa que se abate, brutalmente,
sobre o cadáver de aspeto vulgar
chocaram o público da época.
- Transparece uma dualidade entre
luz/trevas, bem/mal, vida/morte.
trouxe o profano para a vida sagrada,
cultivando um grande realismo
A pintura barroca móvel
A deposição do túmulo, 1602-03,
A pintura barroca móvel
A deposição do túmulo, 1602-03,
A deposição no Túmulo constituiu a
única obra devota que foi aceite sem
hesitação pela Igreja , apesar da
utilização de modelos com profissões
duvidosas.
A utilização de uma luz artificial e
brutal, que suspende os movimentos,
acentua os gestos e evidencia o drama
que se desenrola na cena
A pintura barroca móvel
A dúvida de S. Tomé, 1602-03
A pintura barroca móvel
A dúvida de S. Tomé, 1602-03
Os protagonistas são
representados como homens
comuns do povo, em toda a
sua simplicidade natural
Reflexão profunda sobre o
modo de tratar os temas
religiosos
A pintura barroca móvel
Nápoles
Artemisia Gentileschi, Judite e
Holofernes, c. 1630
- Salvatore Rosa
- Luca Giordano
- Jiusepe Recco
- Giovanni Battista
Ruoppola
- Paolo Porpora
Naturezas
mortas
A pintura barroca móvel
Nápoles
José de Ribera, Martírio de S.
Batolomeu, c. 1630
- Salvatore Rosa
- Luca Giordano
- Jiusepe Recco
- Giovanni Battista
Ruoppola
- Paolo Porpora
Naturezas
mortas
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
A pintura barroca mural
Técnicas
- trompe-l’oeil - truques de
perspetiva que criam uma ilusão
óptica de objetos ou formas que
não existem realmente
- soto in sú – perspetiva vista de
baixo para cima
- Quadri riportati – Imitação dos
quadros de cavalete inscritos
nas paredes ou nos tetos
Paredes e tetos das
igrejas e dos palácios
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo
Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Glória de Santo Inácio, frescos do teto
da Igreja de Santo Inácio, Andrea
Pozzo, Roma, 1684
Objetivo: na sua luta contra o protestantismo,
a Igreja procurava glorificar e enaltecer
os seus santos
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo
Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
No centro da nave,
Santo Inácio,
guiado pela luz
divina, ilumina as
quatro partes do
mundo
representadas
pelas alegorias,
em cada canto da
composição
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo
Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
Efeitos de trompe
l’oeil sotto in sú
O espaço, visto de
baixo para cima,
estende-se para o
infinito
Transmite a noção
de espaço místico
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo
Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Pietro da Cortona, O triundo da Divina Providência
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Pietro da Cortona, O triundo da Divina
Providência
- objetivo desta obra: a glorificação papal
- tónica profundamente decorativa
- composição dinâmica, grandiosa, mesmo
espetacular e esmagadora, devido à
perspetiva, à figuração e ao cromatismo
A pintura barroca mural
Annibale Carracci, As
metamorfoses de Ovídeo,
frescos do teto da Gallleria
Farnese, Roma, 1597-1600
Técnica de Quadri riportati –
Imitação dos quadros de
cavalete inscritos nas paredes
ou nos tetos
Tromp d’oeil
A pintura barroca mural
Annibale Carracci,
As metamorfoses de
Ovídeo, frescos do
teto da Gallleria
Farnese, Roma,
1597-1600
Dentro de cada quadro, as composições são dinâmicas, embora não
nitidamente barrocas na composição
Rubens
Vermeer
Rembrant
Ribera

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3Hca Faro
 
Rococó da Europa para o mundo
Rococó da Europa para o mundoRococó da Europa para o mundo
Rococó da Europa para o mundoAna Barreiros
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacioAna Barreiros
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto históricoCarla Freitas
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barrocaCarla Freitas
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Carlos Vieira
 
Palácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoPalácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoHca Faro
 
Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barrocacattonia
 
Arte ao redor de 1900
Arte ao redor de 1900Arte ao redor de 1900
Arte ao redor de 1900Ana Barreiros
 
Pintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaPintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaCarlos Vieira
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoCarla Freitas
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaCarla Freitas
 

Mais procurados (20)

A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
A Morte de Marat, David - A Cultura do Salão: caso prático 3
 
Rococó da Europa para o mundo
Rococó da Europa para o mundoRococó da Europa para o mundo
Rococó da Europa para o mundo
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
Rococó
RococóRococó
Rococó
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
 
Rococó, HCA 11º
Rococó, HCA 11ºRococó, HCA 11º
Rococó, HCA 11º
 
Módulo 6 arquitetura barroca
Módulo 6   arquitetura barrocaMódulo 6   arquitetura barroca
Módulo 6 arquitetura barroca
 
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 
Palácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso práticoPalácio da Pena - caso prático
Palácio da Pena - caso prático
 
Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 
Arte ao redor de 1900
Arte ao redor de 1900Arte ao redor de 1900
Arte ao redor de 1900
 
A Arte Neoclássica
A Arte NeoclássicaA Arte Neoclássica
A Arte Neoclássica
 
Barroco em portugal
Barroco em portugalBarroco em portugal
Barroco em portugal
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Pintura do Neoclássica
Pintura do NeoclássicaPintura do Neoclássica
Pintura do Neoclássica
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Módulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura GóticaMódulo 4 - Escultura Gótica
Módulo 4 - Escultura Gótica
 

Semelhante a Pintura barroca (20)

A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
Aula barroco
Aula barrocoAula barroco
Aula barroco
 
1182
11821182
1182
 
Do renascimento ao Barroco
Do renascimento ao BarrocoDo renascimento ao Barroco
Do renascimento ao Barroco
 
Arte Barroca na Europa
Arte Barroca na EuropaArte Barroca na Europa
Arte Barroca na Europa
 
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
Tendências da pintura barroca apresentação julho 2009
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
 
Barroco 2019ok
Barroco 2019okBarroco 2019ok
Barroco 2019ok
 
Conhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barrocaConhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barroca
 
Módulo 6 pintura barroca
Módulo 6   pintura barrocaMódulo 6   pintura barroca
Módulo 6 pintura barroca
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco atualizado
Barroco atualizadoBarroco atualizado
Barroco atualizado
 
Aula 09 barroco
Aula 09 barrocoAula 09 barroco
Aula 09 barroco
 
Arte barroca.pptx
Arte barroca.pptxArte barroca.pptx
Arte barroca.pptx
 
Seminários história da arte 01
Seminários história da arte   01Seminários história da arte   01
Seminários história da arte 01
 
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia JuniorHistória da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
 
Caravaggio
CaravaggioCaravaggio
Caravaggio
 
Historia da arte net (1)
Historia da arte net (1)Historia da arte net (1)
Historia da arte net (1)
 

Mais de Ana Barreiros

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaAna Barreiros
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Ana Barreiros
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Ana Barreiros
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaAna Barreiros
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoAna Barreiros
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaAna Barreiros
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaAna Barreiros
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGAna Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ana Barreiros
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesAna Barreiros
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoAna Barreiros
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoAna Barreiros
 

Mais de Ana Barreiros (20)

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na Europa
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Casa Sommer
Casa SommerCasa Sommer
Casa Sommer
 
Bairro dos museus
Bairro dos museusBairro dos museus
Bairro dos museus
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura Barroca
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocento
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 

Último (20)

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 

Pintura barroca

  • 2. A pintura barroca Maneirismo Rococó Barroco (início séc. XVII a meados Séc. XVIII) Itália + Igreja da Contra-Reforma Sedução pelos sentimentos Captação da atenção e da fé
  • 3. A pintura barroca Barroco (início séc. XVII a meados Séc. XVIII)Sedução pelos sentimentos Captação da atenção e da fé -Deslumbramento - Surpresa - encenação - luz Reflexos sobre a pintura barroca: -Irracionalidade - contrastes - exuberância -Dramatismo - ambientes grandiosos
  • 4. A pintura barroca móvel Pintura sobre tela Diferentes tendências - Classicismo: Carraci + Poussin + Lorrain - Naturalismo: Caravaggio + Ribera - Realismo: Vermeer + Rembrandt Grande variedade cultural, social e estética da Europa + Atributos estéticos de cada pintor
  • 5. A pintura barroca móvel Diversidade temática: -Temas religiosos -Temas profanos - temas mitológicos - retratos - paisagens - naturezas mortas Ribera Rubens
  • 6. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela
  • 7. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela - Representação do momento Ênfase ao acontecimento e à ação - Linha do horizonte delineada abaixo do normal para dar primazia aos elementos representados e destacar as figuras representadas
  • 8. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela - Composição ?
  • 9. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela -Composição aberta, de dentro para fora - sobreposição de formas para conseguir a profundidade, sem descontinuidades, preservando a unidade do espaço - formas dinâmicas e sinuosas, enquadradas ou combinadas com estruturas poligonais (triângulo, quadrado e sosango) e com formas circulares ou ovaladas
  • 10. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela -Composição aberta, de dentro para fora - sobreposição de formas para conseguir a profundidade, sem descontinuidades, preservando a unidade do espaço - formas dinâmicas e sinuosas, enquadradas ou combinadas com estruturas poligonais (triângulo, quadrado e sosango) e com formas circulares ou ovaladas
  • 11. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela - Luz/sombra - Cor ?
  • 12. A pintura barroca móvel Características técnico-formais Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo, 1618, óleo sobre tela - União plástica da luz/sombra e da cor para focalizar a atenção nos principais elementos da composição (por vezes de forma artificial); os restantes elementos ficam diluídos na penumbra: - a luz rasante chama a atenção para determinadas zonas do quadro, orientando a leitura - a cor pura e cálida tem como objetivo captar e sensibilizar o espectador
  • 13. A pintura barroca móvel Caravaggio, A morte da Virgem Caravaggio, aliás, Michelangelo Merisi, nasceu em Caravaggio, Itália, no dia 28 de Setembro de 1573, ficando a dever o nome à sua terra natal. É o primeiro grande representante do estilo barroco. Iniciou sua carreira como assistente de pintor aos 15 anos. Era o chamado período da contra- reforma e o clero católico investia na produção artística , a fim de combater as ideias dos protestantes.
  • 14. A pintura barroca móvel A adivinha, c. 1596,óleo sobre tela, 99 x 131 cm, Musée du Louvre, Paris Inovador pela forma original como tratava os temas Procurou a realidade tangível e concreta Uilização de mulheres e homens comuns como modelos Nunca utilizou modelos belos
  • 15. A pintura barroca móvel Vocação de S. Mateus, 1599- 1600, óleo sobre tela, Contarelli Chapel, San Luigi dei Francesi, Roma Retrata o primeiro encontro entre Jesus e Mateus, um coletor de impostos que abandona o emprego para seguir Jesus.
  • 16. A pintura barroca móvel Vocação de S. Mateus, 1599- 1600, óleo sobre tela, Contarelli Chapel, San Luigi dei Francesi, Roma Todos estão vestidos com roupas modernas, em uso na época de Caravaggio É uma das primeiras vezes em que foi representado um evento sagrado no presente e com grande realismo.
  • 17. A pintura barroca móvel Vocação de S. Mateus, 1599- 1600, óleo sobre tela, Contarelli Chapel, San Luigi dei Francesi, Roma Utilizou pela primeira vez a luz rasante e descontínua iluminação forte de alguns pormenores ou personagens importantes da cena, deixando o resto da composição numa semipenumbra
  • 18. A pintura barroca móvel São Mateus com o dedo voltado para si Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia o expectador
  • 19. A pintura barroca móvel São Mateus com o dedo voltado para si Mateus, com o dedo apontado para si mesmo, surpreso, parece perguntar a Cristo: "Estais me chamando? Eu mesmo?"
  • 20. A pintura barroca móvel Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia o expectador A iluminação torna-se direcional: a luz perfura a escuridão com uma violenta intensidade dramática. + A obra ganha vida e movimento por causa da luz ou não o caminho salvação.
  • 21. A pintura barroca móvel Detalhe do feixe de luz que ilumina a cena e guia o expectador A luz é o símbolo da Graça Divina que afeta todos os homens: Mateus, no entanto, é o único a atender o chamado de Jesus. Ele é a transposição pictórica do conceito do livre- arbítrio: Cada homem pode optar por seguir ou não o caminho salvação.
  • 22. A pintura barroca móvel Detalhe Jesus e São Pedro
  • 23. A pintura barroca móvel Detalhe Jesus e São Pedro Criação de Adão, Michelangelo Buonarroti - Capela Sistina
  • 24. A pintura barroca móvel Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x 92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica, Roma
  • 25. A pintura barroca móvel Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x 92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica, Roma Retira o belo Narciso da Antiguidade clássica, para retratá-lo como um jovem da época do pintor.
  • 26. A pintura barroca móvel O aspeto mais notável da sua obra é o tratamento da luz Tenebrismo Consiste em projetar a luz sobre as formas, por vezes com violência, e em contraste intenso e brusco com as sombras. + As figuras, as cenas sobressaem num fundo sem fundo. Narciso,1598-99, óleo sobre tela, 110 x 92 cm, Galleria Nazionale d'Arte Antica, Roma
  • 27. A pintura barroca móvel As primeiras obras barrocas O tocador de alaúde, 1596 Baco, 1590
  • 28. A pintura barroca móvel Ceia de Emaús, 1596-98, óleo sobre tela
  • 29. A pintura barroca móvel Ceia de Emaús, 1596-98, óleo sobre tela -Reduziu os elementos do cenário ao mínimo, assim como as cores - tenebrismo fortemente acentuado permite realçar o silêncio poético, quase solene, da composição
  • 30. A pintura barroca móvel A conversão de S. Paulo, c. 1596
  • 31. A pintura barroca móvel A conversão de S. Paulo, c. 1596 - A luz focalizada atribui-lhe um caráter irreal - A composição é orientada pelas linhas, formadas pelos braços estendidos do apóstolo e pelo dorso do cavalo - As cores, quentes e terrosas acentuam o caráter vigoroso da cena - a ausência de detalhes supérfluos vira a atenção para o dramatismo da cena
  • 34. A pintura barroca móvel A morte da Virgem, 1605-06 Caravaggio representou uma Maria ‘inchada ´’, num ambiente de pobreza. Terá usado como modelo uma prostituta, que, estando grávida, se suicidara, atirando-se às águas do rioTibre.
  • 35. A pintura barroca móvel A morte da Virgem, 1605-06 - A cor densa e a forte intensidade luminosa que se abate, brutalmente, sobre o cadáver de aspeto vulgar chocaram o público da época. - Transparece uma dualidade entre luz/trevas, bem/mal, vida/morte. trouxe o profano para a vida sagrada, cultivando um grande realismo
  • 36. A pintura barroca móvel A deposição do túmulo, 1602-03,
  • 37. A pintura barroca móvel A deposição do túmulo, 1602-03, A deposição no Túmulo constituiu a única obra devota que foi aceite sem hesitação pela Igreja , apesar da utilização de modelos com profissões duvidosas. A utilização de uma luz artificial e brutal, que suspende os movimentos, acentua os gestos e evidencia o drama que se desenrola na cena
  • 38. A pintura barroca móvel A dúvida de S. Tomé, 1602-03
  • 39. A pintura barroca móvel A dúvida de S. Tomé, 1602-03 Os protagonistas são representados como homens comuns do povo, em toda a sua simplicidade natural Reflexão profunda sobre o modo de tratar os temas religiosos
  • 40. A pintura barroca móvel Nápoles Artemisia Gentileschi, Judite e Holofernes, c. 1630 - Salvatore Rosa - Luca Giordano - Jiusepe Recco - Giovanni Battista Ruoppola - Paolo Porpora Naturezas mortas
  • 41. A pintura barroca móvel Nápoles José de Ribera, Martírio de S. Batolomeu, c. 1630 - Salvatore Rosa - Luca Giordano - Jiusepe Recco - Giovanni Battista Ruoppola - Paolo Porpora Naturezas mortas
  • 42. Tromp d’oeil A pintura barroca mural
  • 43. A pintura barroca mural Técnicas - trompe-l’oeil - truques de perspetiva que criam uma ilusão óptica de objetos ou formas que não existem realmente - soto in sú – perspetiva vista de baixo para cima - Quadri riportati – Imitação dos quadros de cavalete inscritos nas paredes ou nos tetos Paredes e tetos das igrejas e dos palácios
  • 44. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
  • 45. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684 Objetivo: na sua luta contra o protestantismo, a Igreja procurava glorificar e enaltecer os seus santos
  • 46. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684 No centro da nave, Santo Inácio, guiado pela luz divina, ilumina as quatro partes do mundo representadas pelas alegorias, em cada canto da composição
  • 47. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684 Efeitos de trompe l’oeil sotto in sú O espaço, visto de baixo para cima, estende-se para o infinito Transmite a noção de espaço místico
  • 48. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Glória de Santo Inácio, frescos do teto da Igreja de Santo Inácio, Andrea Pozzo, Roma, 1684
  • 49. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Pietro da Cortona, O triundo da Divina Providência
  • 50. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Pietro da Cortona, O triundo da Divina Providência - objetivo desta obra: a glorificação papal - tónica profundamente decorativa - composição dinâmica, grandiosa, mesmo espetacular e esmagadora, devido à perspetiva, à figuração e ao cromatismo
  • 51. A pintura barroca mural Annibale Carracci, As metamorfoses de Ovídeo, frescos do teto da Gallleria Farnese, Roma, 1597-1600 Técnica de Quadri riportati – Imitação dos quadros de cavalete inscritos nas paredes ou nos tetos
  • 52. Tromp d’oeil A pintura barroca mural Annibale Carracci, As metamorfoses de Ovídeo, frescos do teto da Gallleria Farnese, Roma, 1597-1600 Dentro de cada quadro, as composições são dinâmicas, embora não nitidamente barrocas na composição