Porto do Sol

547 visualizações

Publicada em

Titulo: Porto do Sol
Alunos:Paulo Henrique Mendonça Lima Gomes,Paulo Henrique Mendonça Lima Gomes,João da Cruz,sergio alex gomes de andrade,José Diego Formiga Dantas,Valter Soares de Barros,
Cidade: João Pessoa
Disciplina: Aquisições
Turma: GP04
Data:20-03-2013
Hora:20:08
Comentarios:
Publico até ápos a correção

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Comentários
    Introdução: ok;
    Objetivo: sugere-se identificar o objetivo do trabalho;
    WBS: ok;
    Análise Make or Buy: ok;
    Mapa das Aquisições: ok;
    WBS revisada: ok;
    Registro de Riscos: ok;
    Processo Escolhido: ok;
    Declaração de Trabalho: ok;
    Critérios Eliminatórios: ok;
    Critérios Classificatórios: ok;
    Explicitar critérios: ok;
    Sistema de Pontuação: observar que uma empresa da concorrência só deve ir para o sistema de pontuação se passar pelos critérios eliminatórios; sugere-se destacar a empresa vencedora da concorrência;
    Documentos de Aquisições: ok;
    Meio: ok;
    Contrato: ok;
    Espécie do Contrato: ok;
    Tipo de Contrato: ok;
    Licitação ou Concorrência: ok;
    Fiscalização: ok;
    Relatórios: ok;
    Passo a passo administrar contratos: ok;
    Passo a passo encerrar contratos: ok;
    PGA: observar que o PGA não se restringe apenas aos itens solicitados neste trabalho;
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
547
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
64
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Porto do Sol

  1. 1. MBA em Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Aquisições Turma JP04
  2. 2. EM Nordeste Engenharia e ConstruçõesPRES Missão: Alcançar a excelência nas suas áreas de atuação como fator de diferenciação, promovendo compromissos de longo prazo com asA comunidades onde atua, baseando-se na confiança, na melhoria das condições de vida das pessoas, na redução dos impactos ambientais e na conservação dos recursos Visão: Desenvolver soluções inovadoras no âmbito da Engenharia, que contribuam para um mundo melhor.
  3. 3. João da Cruz Sérgio AlexDIRE FALTA FOTOT DE VALTERORIA José Diego Formiga Dantas Valter Soares de Barros Paulo Henrique Mendonça
  4. 4. PORTO DO SOLPROJETO O Porto do Sol é um projeto de desenvolvimento socioeconômico baseado na Descrição ampliação do Porto de Cabedelo, situado no Estado da Paraíba. Este projeto do Projeto será financiado pelo Governo Federal com participação do Governo do Estado da Paraíba e será executado pela Nordeste Engenharia e Construções. A ampliação do porto ocupará uma área de 102605,64 metros quadrados e possuirá galpões construídos com estruturas metálicas. Além disso, será realizado a dragagem do Rio Paraíba, possibilitando inclusão do Porto de Cabedelo nas rotas das embarcações de grande porte.
  5. 5. PORTO DO SOLPROJETO Ampliar o Porto de Cabedelo, aproveitando o calado já existente, Objetivo incentivando, assim,o futuro desenvolvimento das atividades do Projeto socioeconômicas da região
  6. 6. PORTO DO SOLPLANTADOPROJETO
  7. 7. MAKEBUY
  8. 8. Critérios Make or Buy da empresaPacote de Make or Critério EscolhidoTrabalho BuyGerenciamento do Make Gestor do projeto da empresa capacitado será responsável (Critério confiança)projetoCanteiro de Obras Buy Existência de fornecedores confiáveis; O core business da empresa; Restrições de prazoLimpeza Buy Acordo para fomento ao desenvolvimento das empresas locais;Central de Make Garantia de fornecimento; Redução custos e prazoConcretoPré-Moldado Make Necessidade de absorção da tecnologia / restrições de subcontrataçãoPórticos Buy Compartilhamento de riscos; Necessidade de fornecimento especializado; SegurançaQuebra-Mar Make Core business da empresa / Segurança ambientalDragagem Buy Fornecedor especializadoFundação Make Core business da empresa / Segurança ambiental / Restrições de custo e prazoEstrutura Metálica B uy Restrições de prazo; Fornecedor especializado; compartilhamentos de riscos/ CoberturaFechamento do Make Gestor do projeto da empresa capacitado será responsável (Critério confiança)projeto
  9. 9. Justificativas Make or Buy da empresaPacote de Trabalho Make or Buy JustificativasGerenciamento do Make Gestor do projeto da empresa capacitado será responsável (Critério confiança)projetoCanteiro de Obras Buy Decidiu-se constriur o canteiro de obras devido a obtenção de materiais, não é o core business da empresa, além do prazo do projeto.Limpeza Buy A empresa não possui equipamento alocado neste localCentral de Concreto Make A central de concreto se trata de uma estratégia quanto a garantia de fornecimento por conta da dificuldade de aquisição de concreto no mercado e o atendimento ao prazoPré-Moldado Make Os pré-moldados do cais o projeto será responsável por motivos de aquisição de novas tecnologias e garantir a qualidade das peçasPórticos Buy O pórtico é uma estrutura na qual não temos mão de obra especializada, nem conhecimento sobre sua montagem, precisamos de garantia de fornecimento, segurança no seu posicionamento e testes.Quebra-Mar Make O quebra-mar assim como os pré-moldados do cais o projeto será responsável por motivos de aquisição de novas tecnologias, garantir a qualidade das peças e assegurar a não ocorrencia de impactos ambientaisDragagem Buy Se trata de um serviço que necessita de equipamento específico (Draga) e mão de obra especializadaFundação Make O projeto será responsável por motivos de aquisição de novas tecnologias, garantir a qualidade das peças e assegurar a não ocorrencia de impactos ambientaisEstrutura Metálica / Buy A estrutura metálica e cobertura possuem volume considerável para nosso projeto, necessitamos de empresaCobertura especializada que nos atenda precisamente no prazo previsto. Negociaremos com fornecedores a entrega destes dois pacotes.Fechamento do Make Gestor do projeto da empresa capacitado será responsável (Critério confiança)projeto
  10. 10. Mapa das AquisiçõesNúmero Item a ser Referência Vendor List Orçamento Prazo contratado WBS (início ver item WBS no cronograma)1 Canteiro 1.2.1 Novo Espaço; R$ 600.018,00 60 dias de Obras Canteiros; Cerne2 Limpeza 1.2.2 SL; BPP; R$ 254.985,00 30 dias3 Pórticos 1.3.2 POC; PortAC R$ 50 dias 3.150.000,124 Dragage 1.4.1 DRAG; DHS R$ 903.784,50 12 meses m5 Estrutura 1.5.1 / Plain; Usinaço; R$ 90 dias Metálica 1.5.2 Projectaço 1.288.413,00 / Cobertur a
  11. 11. _REVISADA - Relatórios Terceiros MAKE BUY- Mapa de aquisições- Registro de Riscos- Plano de gerenciamentode riscos
  12. 12. RR - Registro de RiscosEvento do Risco Resposta ao Risco Momento de RespostaFalta de aço no mercado Realizar parceria com o fornecedor com fornecimento em grande PLAN quantidade. PQ SEL Realizar programações de suprimementos com visão de três meses para CONT frente com as principais bitolas, afim de não interromper a produçãoAtraso na Mobilização no Equipamento Multa contratual ESPda Dragagem PQ SEL Barganha CONT ADMEscoramento Metálico e Formas Deverá ser elaborado controle rigoroso do material de cimbramento e PLANIndustrializadas formas com conferência semanal do estoque destes equipamentos, SEL inclusive detectando possíveis perdas e/ou peças danificadas, através de ADM inventários emitidos semanalmente pelo Almoxarifado / Suprimentos para o ENC controle e ação pela chefia da obra. A obra deverá manter área de armazenamento e estoque, tanto no almoxarifado, quanto no campo, com cercas, para melhor controle destes materiaisContratações de Estruturas metálicas / Contratar fornecedor com fabricação e montagem das estruturas ESPCoberturas PQ SEL Multas contratuais pelo atraso atentando ao prazo de entrega e montagem CONT ADM Fiscalização do fornecedor quanto a qualidade das peças.
  13. 13. Concorrência EscolhidaEscolhemos a concorrência para os pacotes deestrutura metálica e cobertura referente ao Galpãoque serão avaliados e adquiridos em conjunto, ouseja, o fornecedor deverá atender a estas duasentregas.
  14. 14. DT - Declaração de Trabalho 1. OBJETIVO 2. INTRODUÇÃO 3. NORMAS, ESPECIFICAÇÕES E MÉTODOS DE ENSAIO 4. MATERIAIS 5. DESENHOS DE FABRICAÇÃO E MONTAGEM 6. FABRICAÇÃO 7. PINTURA 8. EMBALAGEM, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO 9. MONTAGEM 10. INSPEÇÃO 11. GARANTIA
  15. 15. DT - Declaração de Trabalho1-OBJETIVOO objetivo deste documento é estabelecer os critérios de projeto e construção aplicáveis às atividades deexecução de construção civil paraO Galpão sobre o Cais do projeto Porto do Sol.A execução dos serviços e projetos deverá seguir as normas vigentes (ABNT).2-INTRODUÇÃOA presente especificação tem por objetivo definir os requisitos mínimos que devem ser obedecidos nasatividades necessárias para o fornecimento, transporte, montagem e acabamento das estruturasmetálicas, destinadas à construção do Galpão sobre o cais.Nessas atividades estão incluídos o preparo dos desenhos de fabricação, a aquisição de materiais, afabricação, pintura, embalagem, transporte, montagem e acabamento das estruturas.3. NORMAS, ESPECIFICAÇÕES E MÉTODOS DE ENSAIODevem ser atendidas as normas, especificações e métodos indicados pela ABNT (Associação Brasileirade Normas Técnicas), complementadas por outras normas aceitas internacionalmente, conformetranscrito a seguir:NBR 7007 Aços para perfis laminados para uso estruturalNBR 8800 Projeto e execução de estruturas de aço de edifíciosNBR 6123 Forças devidas ao vento em edificaçõesNBR 6120 Cargas para o cálculo de estruturas de edificaçõesAISC-ASD American Institute for Steel Construction – nona ediçãoAISI Specification for the design of cold-formed steel structural membersANSI American National Standards InstituteAWS American Welding SocietyASTM American Society for Testing Materials
  16. 16. DT - Declaração de Trabalho4. MATERIAISConforme indicado nos desenhos de projeto, os perfis laminados não planos e aschapas deverão seguir as seguintes especificações:·ASTM A 36/ ASTM A 570/ ASTM A 572 / USI-SAC-300/ SAE 1020/ ASTM A 500/ ASTM A 513Somente poderão ser utilizados aços provenientes de usinas certificadas com garantia de qualidade,fornecidos com o seu certificado de qualidade, e que obedeçam às especificações citadas acima.5. DESENHOS DE FABRICAÇÃO E MONTAGEMOs desenhos de fabricação e montagem preferencialmente devem seguir o modelo de detalhamento defabricação indicado no manual do AISC – Structural Steel Detailing. O formato deve, de preferência, seguiro padrão A-1 da ABNT, podendo-se usar o padrão A-0, excepcionalmente, desde que aprovado peloContratante.Os símbolos de solda devem seguir o disposto no padrão da American Welding Society– AWS. Todos osdesenhos de fabricação e montagem deverão, de preferência, ser executados em computacionais gráficos,contendo a lista de materiais no corpo de cada desenho de fabricação e devem ser submetidos àaprovação do Contratante para verificação de sua conformidade com os desenhos de projeto estruturalfornecidos como referência.
  17. 17. DT - Declaração de Trabalho6. FABRICAÇÃO6.1. ESPECIFICAÇÃOTodas as atividades concernentes à fabricação das estruturas, em fábrica ou no campo, deverão atender o disposto nas normas erecomendações dos códigos da AISC – American Institute for Steel Construction – ASD – nona edição.6.2. IDENTIFICAÇÃO DO MATERIALOs perfis, chapas, chumbadores e parafusos utilizados na estrutura, deverão estar acompanhados de seu certificado de qualidade deusina (características físicas e químicas) e marcados de modo a permitir sua fácil identificação. Em caso contrário, aspartidas deverão à critério da Contratante, ser ensaiadas em laboratório idôneo conforme o item aplicável da especificação ASTM A6 ouA568, para se evidenciar sua conformidade com as características dos materiais especificados no projeto. Caso a Contratante queiraexecutar por sua conta testes adicionais, a Contratada deverá fornecer sem qualquer ônus, as amostras que se fizerem necessárias. Seo resultado dos testes aplicados for desfavorável, o custo dos mesmos correrão por conta da Contratada e o lote do material deverá sersubstituído na totalidade.6.3. CORTESOs cortes de chapas ou perfis serão feitos, de preferência, em tesouras guilhotinas ou em serras. Admite-se cortes à maçarico desdeque apresentem um acabamento com bom aspecto e sem irregularidades.Em caso contrário as superfícies devem sertratadas através de esmerilhamento.6.4. ABERTURA OU ALARGAMENTO DE FUROSNão será permitido a abertura ou alargamento de furos com maçaricos.6.5. ENCHIMENTOS COM SOLDAEnchimentos com solda dos furos locados em posição incorreta, somente serão admitidos quando analisados e aprovados pelaFiscalização.6.6. SOLDANo caso de construções soldadas, a técnica de soldagem, os soldadores, a aparência e a qualidade das soldas, assim como osmétodos a utilizar para a correção de não conformidades, devem estar de acordo com o estipulado nos capítulos “Workmanship”e “Technic” (secções 3 e 4) do código Structural Welding Code da American Welding Society – AWS – D 1.1.6.7. TOLERÂNCIAS DE FABRICAÇÃOAs tolerâncias de fabricação deverão atender aos limites fixados no “Code of Standard Practice” da AISC – American Institute for SteelConstruction, às especificações da ASTM A 6, podendo ser complementadas pelas especificações da Contratante.
  18. 18. DT - Declaração de Trabalho7. PINTURAEste procedimento visa estabelecer as condições mínimas de preparo de superfície e aplicação de tintaspara pintura das estruturas metálicas do Galpão metálico.Para efeito de tratamento das estruturas metálicas, nesta especificação foi considerado o micro clima comosendo de nível de corrosividade média, e o fato de que algumas estruturas metálicas ficarão expostas àintempérie.Na fase de licitação, é facultada ao proponente a apresentação de um esquema de proteção das estruturasmetálicas alternativo ao disposto no presente, ficando a único e exclusivo critério da Contratante suaaceitação.Todo serviço de preparo de superfícies e demãos de tinta, nas estruturas novas, serão necessariamenteexecutados nas instalações do fabricante, sendo facultada a aplicação de retoques no local da obra.Nas interfaces das novas estruturas com as estruturas existentes e principalmente onde for necessário oprocedimento de solda de campo e/ou enclausuramento de áreas, a pintura existente deverá ser refeita deacordo com a presente especificação.7.1. TINTAS PARA PINTURAEpóxi Mastic. Bi-componente de alto desempenho e alta espessura, podendo ser usado tanto como tinta de fundo como acabamento nossistemas epóxi. Espessura decamada seca: 100 micrometros.Fabricantes:·International Tintas – Interseal 670 HS·Sherwin Williams – Divisão Sumaré7.2. GARANTIA DA PINTURAA contratada deverá dar uma garantia de cinco (5) anos para a pintura, ficando sob sua responsabilidade quaisquer custos relativos aretoques ou repintura neste período.
  19. 19. DT - Declaração de Trabalho8. EMBALAGEM, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTOOs conjuntos fabricados, parafusos e conexões respectivas, deverão estar completos e prontos para embarque na fábrica emdata não posterior à estabelecida no cronograma, de modo a atender aos programas de inspeção e montagem.· As peças menores, como as que serão embutidas no concreto armado (insertos), parafusos, porcas, arruelas,eletrodos etc...,serão acondicionados em caixas com massa bruta de 50 à 100 kg.· Parafusos de tamanhos diferentes deverão ser condicionados em caixas separadas, antes da embalagem final, e conter aidentificação do conteúdo. Grupos de caixas poderão ser juntados em um só volume.· Todas as peças pertencentes a um mesmo tipo de estruturas deverão ser acondicionadas em volumes com a mesmaidentificação· Todo o material deve ser entregue completo no canteiro da obra, limpo e em perfeito estado, em data não posterior àestabelecida no cronograma.· Deverão ser tomadas precauções adequadas a fim de se evitar amassamentos, distorções, dobras e deformações das peçasdurante o manuseio, transporte e armazenamento.· O material que for danificado deverá ser corrigido, de acordo com as exigências dafiscalização, antes de ser montado.· Especial cuidado deve ser tomado com relação aos danos provocados pelo carregamento e descarregamento nas proteçõesanti-corrosivas e/ou pintura final as quais devem ser retocadas antes da montagem, observando-se os procedimentos de pinturaestabelecidos.· Os gabaritos, chumbadores e insertos (embutidos no concreto), deverão ser enviados ao canteiro da obra numa data tal queatenda ao cronograma de execução do concreto armado. Deverão sempre ser enviados com os respectivos diagramas demontagem.· A carga das estruturas na oficina assim como a descarga no canteiro de obras são exclusivamente de responsabilidade daContratada.
  20. 20. DT - Declaração de Trabalho9. MONTAGEMA Contratada deverá proceder à montagem das estruturas metálicas em estrita concordância com osdesenhos de montagem.· Dúvidas ou impasses que surjam no decorrer dos serviços de montagem, deverão ser reportados eesclarecidos com a fiscalização, a qual deverá estar de posse dos desenhos de fabricação.· No planejamento geral da montagem, a Contratada deverá fazer uma previsão dos diversos obstáculos eobstruções que encontrará no campo, devido a serviços executados por terceiros, que podem influenciar nocumprimento dos cronogramas e custos estabelecidos.· Os serviços de montagem somente serão iniciados com a autorização da fiscalização, e após a verificaçãopor parte da Contratada da locação de todos os eixos das estruturas, elevações de todas as superfíciesacabadas, locação e alinhamento dos chumbadores e insertos.· Estas verificações são consideradas parte do escopo de serviço da Contratada, e deverão ser executadascom todo o rigor, com o uso de instrumentos de medição apropriados.· A fiscalização deverá ser notificada por escrito da existência de qualquer erro encontrado nessasverificações, a fim de que os terceiros responsáveis possam fazer as correções necessárias e que sejamreconsiderados os cronogramas estabelecidos.Caso estas verificações e notificações não sejam feitas, aContratada estará sujeita a modificar as estruturas metálicas, a seu próprio custo, a fim de compensar oserros constatados, nos prazos previstos nos cronogramas originais.· Desde o início da montagem, a estabilidade geral da estrutura deverá ser assegurada através daseqüência lógica de montagem e colocação de contraventamentos e escoramentos.· A Contratada deverá fornecer e instalar todos os contraventamentos e escoramentos provisórios quesejam necessários para a colocação das estruturas em esquadro e prumo
  21. 21. DT - Declaração de Trabalho10. INSPEÇÃO· A Contratada não se oporá às inspeções que deverão ser realizadas em sua fábrica, com o objetivo deverificar os procedimentos de fabricação e a qualidade das estruturas produzidas.· A Contratada deverá assumir a responsabilidade por atrasos decorrentes das correções necessárias parasatisfazer os requisitos de projeto, se assim for exigido pela fiscalização.11. GARANTIAO fabricante dará garantia de cinco anos para todas as estruturas após a sua aceitaçãopela Contratante.
  22. 22. Critérios EliminatóriosAtende aos critérios eliminatórios PLAIN USINAÇO PROJE CTAÇOImplantar e manter Sistema de Segurança do Trabalho, após prévia aprovação da sim sim simCONTRATANTE, alocando o pessoal e provendo a infraestrutura pertinente durante oprazo do contratoImplantar e manter sistema de planejamento, programação e controle das suas sim sim nãoatividades, após prévia aprovação da CONTRATANTEReconhecimento judicial de solidariedade da CONTRATANTE, no cumprimento das sim não simobrigações de natureza trabalhista e/ou previdenciária da CONTRATADAPagamentos de débitos de natureza fiscal e/ou parafiscal, municipais, estaduais e sim sim simfederais, de responsabilidade da CONTRATADA.proceder à manipulação (carga, descarga e transporte) e custódia sim sim nãono canteiro de obras, dos materiais de construção
  23. 23. Critérios Classificatórios1 - Redução de Prazos2 - Preços e / ou condições de pagamento3 - Melhor técnica4 - Capacidade de gerenciamento5 - Qualificação do corpo técnico
  24. 24. Serão divulgado na DT os critérios de avaliação dos fornecedores, para objvetividade eatendimento as necessidades e expectativas do cliente.
  25. 25. Sistema de Pontuação Critério Peso (%) PLAIN USINAÇO PROJECTAÇO Nota Média Nota Média Nota MédiaPrazo de entrega 30% 10 3 9 2,7 9 2,7 Preço 25% 8 2 8 2 9 2,25 Qualificação do 20% 10 2 10 2 10 2 corpo técnicoSistema de QSMS 20% 9 1,8 5 1 8 1,6 Experiência 5% 10 0,5 9 0,45 9 0,45 Total 100% 9,3 8,15 9
  26. 26. Documentos de aquisiçãoSolicitação de proposta RFP.Mais completa e detalhada, necessitamos de analisar propostas consistentescom dados como capacidade técnica do fornecedor, cases de outros projetos,profissionais capacitados, experiência no mercado entre outras característicasque só uma proposta pode nos informar visto que temos todas ascaracterísticas implicitas a este fornecimento.
  27. 27. Meio adotado / JustificativaPara esta aquisição será adotada a divulgação de carta convite, pois seráenviado apenas para fornecedores com capacidade técnica e experiância.
  28. 28. ContratoO contrato será formal, pois haverão cláusulas que são passíveis a puniçõesfinanceiras no contrato e que devem ser bem administradas pelo fornecedor.
  29. 29. Espécie de contrato adotada / JustificativaO contrato será de empreitada mista, pois o fornecedor irá fornecer mão deobra e materiais necessárias para execução dos serviços.
  30. 30. Tipo de contrato adotado / JustificativaO contrato será em regime de preço unitário, para diminuir os custos dereversas de contigências do fornecedor e será pedido a Composição do Preçounitário (CPU).
  31. 31. Passo a passo para CONDUZIR
  32. 32. Atitudes e Fiscalizações a adotar para ADMINISTRAR Kick-off do Contrato Boletim de Medição / Controle de Qualidade Relatório Diário de Ocorrências Avaliação de fornecedores Auditorias Autorização de trabalhos Administrar Claims
  33. 33. Relatórios adotados para Administrar a Aquisição Relatório Diário de Ocorrências (RDO) Condições dos Trabalhos Atividades Realizadas Efetivo direto Efetivo indireto Relatório Mensal (RM) Comentários Relatório Fotofráfico Avanço do empreendimento Boletim de Medição de Serviços (BMS) Pendências Quantidades Principais atividades executadas no período preço unitários Valor medido no período Valor medido acumulado Custos extras Multas Faturamento direto
  34. 34. Passo a passo para ADMINISTRAR- Medir, acompanhar e controlar o desempenho,elaborando relatórios de progresso;- Administrar o processo de faturamento e pagamento;- Fazer o acompanhamento de todas as ações corretivas;- Documentar as comunicações relevantes;- Realizar reuniões produtivas;- Documentar as lições aprendidas e promover a suadifusão na empresa.
  35. 35. Passo a passo para ENCERRARSUPORTE AO PROCESSO EP_FDá suporte ao processo de encerrar o projeto (Integração) pois envolve aconfirmação de que todas as entregas foram aceitas.Este processo também envolve atividades administrativas, como aatualização de registros para refletir resultados finais e o arquivamento dasinformações para uso futuro.TERMINAÇÃO: RESILIÇÃO- Escopo completado Acordo mútuo entre as partes.- Pagamentos efetuados- Obriga~ções cumpridas RESCISÃO- Sem pendências outras Não-observância das obrigações- Termo de recebimento definitivo contratuais (rescisão)ARQUIVO DO CONTRATO:Todos os registros de administração e acompanhamento.Ex.: Contrato, Aditivos, Cronogramas, Solicitações de mudanças aprovadas,Documentações técnicas, Atas, Relatório diário de ocorrências, Boletins demedição, Faturas, Fiscalizações, Fichas de aceitação, Lições aprendidas.
  36. 36. PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições - SUMÁRIO

×