CF1101Caso Belgo Bekaert: estratégia de inovaçãoCarlos Arruda, Nísia Werneck, Fabian Saluma gestão da inovaçãona Belgo Bek...
para outra propriedade2. Seu crescimento e a           Até 2007, a gestão da inovação na Belgo Bekaertampliação de sua pre...
Para responder a esse desafio, foram definidas       e de controle de projetos. O modelo é  como atividades:              ...
doutores, empregados em empresas para realizar                            Tabela 1atividades de pesquisa, desenvolvimento ...
Arames. Durante o ano de 2007, elas se dedicaram     participantes receberam esclarecimentos sobre oao conhecimento da Lei...
Ideias do Portal         de Inovação                          Demanda de         Aprovação e        Execução e            ...
No cadastramento, além das características           Existem formulários específicos para cada etapabásicas, são registrad...
cultura já presente nas empresas da joint venture,    referênCiasque criou um ambiente propício à inovação. Masdois outros...
Fundação Dom Cabral        55 3589-7300          www.fdc.org.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Caso Belgo Bekaert: - Estratégia de Inovação

2.116 visualizações

Publicada em

A gestão da inovação na Belgo Bekaert Arames. Por Carlos Arruda, Nísia Werneck, Fabian Salum

Publicada em: Educação, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.116
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso Belgo Bekaert: - Estratégia de Inovação

  1. 1. CF1101Caso Belgo Bekaert: estratégia de inovaçãoCarlos Arruda, Nísia Werneck, Fabian Saluma gestão da inovaçãona Belgo BekaertaramesU ma empresa formada por dois grupos líderesmundiais em seus mercados: a gigante siderúrgicaArcelorMittal e o grupo Bekaert, maior produtor nome da ArcelorMittal Aços Longos) e Bekaert nasceu em 1968 e foi consolidada em 1971, com um acordo para uso, pela Belgo, da marca dede arames de aço e derivados do mundo. Uma arame farpado Motto e para a transferência deempresa que herdou desses grupos o DNA da tecnologia da sua fabricação. Em 1975 e 1997,inovação, mas que inovava quando demandada novas parcerias deram origem à Belgo Mineirapor clientes e de maneira dispersa e pontual Bekaert Artefatos de Arame (BMB) e à Belgoem cada uma de suas oito unidades industriais. Bekaert Arames (BBA), respectivamente.Era também focada em produtos, com menos A BMB destaca-se como umas das poucasinvestimento na inovação de processos. produtoras de steel cord1 na América Latina.O desafio para a Belgo Bekaert Arames era reunir Localizadas em Itaúna e Vespasiano (MG), suasações isoladas de inovação em um programa, unidades industriais possuem capacidade paracom políticas definidas e gestão estruturada. produzir 60 mil toneladas/ano. A BBA é líder noMas que caminho seguir? Unir as experiências mercado brasileiro e produz mais de 1.500 tiposda ArcelorMittal Aços Longos e da Bekaert? de arames e atua ainda no segmento de cabosTransformá-las? Criar um novo caminho? O de aço. Possui unidades em Contagem e Sabaráimportante era inserir a inovação na gestão da (MG), Hortolândia e Osasco (SP). A BBN-Belgoempresa, identificando oportunidades, ganhando Bekaert Nordeste opera na unidade localizada emlongevidade e competitividade com resultados Feira de Santana (BA).financeiros e mercadológicos positivos. A resposta No total, a capacidade instalada é de 900 milsobre como fazer isso poderia estar dentro da toneladas/ano e as empresas atendem a 21própria empresa. segmentos de mercado, exportando cerca de 10% de sua produção.A empresaA Belgo Bekaert Arames, joint venture entre os A Inovação na Belgo Bekaert Aramesgrupos ArcelorMittal e Bekaert, possui oito unidadesindustriais no Brasil, nos estados de Minas Gerais, A Bekaert nasceu de uma inovação, quando LeoSão Paulo e Bahia. Sua capacidade de produção é Leander Bekaert patenteou sua criação de um tipode 840 mil toneladas por ano de trefilados, de arame farpado, para ser usado nas propriedadesutilizados na indústria, na agropecuária e na rurais, inibindo a passagem de animais de umaconstrução civil, além de cabos para aplicações 1 “Steel Cord” é uma cordoalha feita em aço, usadadiversas. A parceria entre Belgo Mineira (antigo como uma camada em pneus radiais. Contribui para aumentar sua estabilidade.
  2. 2. para outra propriedade2. Seu crescimento e a Até 2007, a gestão da inovação na Belgo Bekaertampliação de sua presença nos diversos países Arames era pouco estruturada e as inovaçõesonde atua está estreitamente ligada a uma outra de produtos e processos eram induzidas porinovação: o desenvolvimento da steel cord, usada demandas de clientes. Essa forma de atuar nãona estrutura de pneus, gerando mais segurança e condizia com a presença na parceria da Bekaert,mais economia no consumo de combustíveis. uma empresa que, segundo ela mesma, “tem aEntre suas crenças está a de que a inovação e a inovação em seu DNA”4. Disperso nas fábricas, obusca da excelência operacional formam a base de processo não facilitava o acesso de outros parceirossua vantagem competitiva. No seu Relatório Anual e, além disso, não havia uma sistematização quede 2009, ela declara que “estar na vanguarda da permitisse acessar as oportunidades de incentivosinovação tecnológica é um dos pilares da estratégia fiscais orientados para a inovação.da Bekaert para conseguir o crescimento rentável O primeiro passo para a estruturação da áreasustentável”. Suas atividades de pesquisa e de foi dado no segundo semestre de 2008, com adesenvolução visam ao desenvolvimento de criação da Gerência de P&D, GPED, com a missãoprodutos novos, de novas aplicações dos produtos, de responder a três desafios:assim como inovações nos processos de produçãoque reduzam os custos, o impacto ambiental e o • Dar suporte à estratégia da empresa de buscarconsumo de energia. soluções inovadoras para as necessidades dos nossos clientes.Hoje, a Bekaert também cria e projeta osequipamentos de produção, buscando torná- • Estruturar as atividades de pesquisa e olos cada vez mais eficientes e adequados aos desenvolvimento de projetos para inovaçãoprodutos novos e aos tradicionais, gerando de produtos e processos.ainda maior proteção ao conhecimento de seus • Contabilizar gastos com os projetos de inovaçãoprocessos produtivos. tecnológica para usufruir dos incentivos fiscaisA inovação está também entre as competências que do governo.esperam ver desenvolvidas por seus empregados. Os passos seguintes viriam com a atenção a cadaA empresa declara em seu “Modo de Trabalhar”, um um dos desafios, em forma de novas ações ou dados documentos de suas definições estratégicas: estruturação do que vinha sendo feito na Belgo“contamos com todos para apresentar novas Bekaert Arames de maneira desordenada.ideias que desafiam o que fazemos hoje para nostornarmos melhores amanhã”.Nos países onde atua, a Bekaert cria, integradas Desafio 1: Dar suporte à estratégia daàs fábricas, áreas de inovação responsáveis por empresa de buscar soluções inovadoras paradesenvolver pesquisa de tecnologias aplicadas, as necessidades dos nossos clientesfocadas em produtos e processos, e por “climatizar” As necessidades dos clientes eram há muitoprodutos, adequando-os às condições locais. A tempo o motor da inovação na Bekaert. AsBekaert fornece tecnologias e conhecimento à demandas eram estudadas e a empresa buscavaBelgo Bekaert, segundo critérios e princípios que solucionar os problemas apresentados por elesfazem parte de contratos de acesso e garantias ou oferecer produtos ainda mais vantajosos parade confidencialidade. setores e compradores específicos. A novidadeNa ArcelorMittal, a pesquisa e o desenvolvimento são com a criação de uma gerência de pesquisa evistos como o principal instrumento para concretizar desenvolvimento foi a transferência da inovação“as ambições da ArcelorMittal” e representam um para a esfera estratégica da empresa. A reativaapoio consistente à sua estratégia busca pela satisfação do cliente dava lugar à proativa identificação de oportunidades quede sustentabilidade e o crescimento futuro. A rendessem vantagens competitivas à empresaempresa declara que “a inovação é uma atitude e a seus compradores.na ArcelorMittal. Não só somos o maior produtorde aço em volume, mas oferecemos a mais amplagama de tipos de aço, novos produtos, soluções Desafio 2: Estruturar as atividades dee tecnologias de ponta”.3 pesquisa e o desenvolvimento de projetos para inovação de produtos e processos2 Annual Report 2009 e www.bekaert.com3 Annual Report 2009- Management Report e www.arcelormittal.com 4 Annual Report 2009- Bekaert Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1101 2
  3. 3. Para responder a esse desafio, foram definidas e de controle de projetos. O modelo é como atividades: construído compreendendo três etapas. A inicial, que é a etapa de definições, em que ▪ identificação de todos os projetos existentes se recomenda “pensar antes de fazer”. Ela de inovação de produtos e processos; é composta das fases de geração de ideias, ▪ implantação de gerenciamento de projetos pré-projeto e pesquisa. É concluída com a com abertura, acompanhamento e finalização avaliação do projeto. A segunda fase é a de formais; desenvolvimento, em que é recomendado que ▪ criação de banco de dados de conhecimentos se execute com excelência e se reveja com gerados dentro da Empresa. frequência. A etapa final, de fechamento, inclui a preocupação com a proteção aos resultados. O processo da Bekaert foi uma referência mais O processo é concluído com a introdução forte para a Belgo Bekaert Arames na definição do produto no mercado e sua inserção no do processo de gestão da inovação (Figura 1). portfólio da assistência técnica. A partir daí, é Foram utilizados como referência o BIP – recomendada a atenção às oportunidades de “Bekaert Innovation Process” – e a “Plant melhoria no produto ou processo. Project Sheet”, além das métricas gerenciaisFigura 1 – Processo de Inovação da BekaertDesafio 3: Contabilizar gastos com os projetos A Lei do Bem – uma política públicade inovação tecnológica para usufruir dos para a inovaçãoincentivos fiscais do governo Um marco nesse sentido é a Lei 11.196/2005, que O marco regulatório sobre inovação tecnológica ficou conhecida como Lei do Bem. Em seu Capítulo está organizado em torno de três vertentes: III, artigos 17 a 26, e regulamentada pelo Decreto ▪ Vertente 1: a constituição de ambiente nº 5.798, de 7 de junho de 2006, consolidou propício às parcerias estratégicas entre os incentivos fiscais que as pessoas jurídicas as universidades, institutos tecnológicos e podem usufruir de forma automática desde que empresas. realizem pesquisa tecnológica e desenvolvimento de inovação tecnológica. Esse Capítulo foi editado ▪ Vertente 2: estímulo à participação de por determinação da Lei n.º 10.973/2004 – Lei da instituições de ciência e tecnologia no Inovação, fortalecendo o novo marco legal para processo de inovação. apoio ao desenvolvimento tecnológico e inovação ▪ Vertente 3: incentivo à inovação na nas empresas brasileiras. empresa. Os benefícios do Capítulo III da Lei do Bem são É na vertente 3 que estão os aspectos mais baseados em incentivos fiscais ou subvenções relevantes para o atendimento a esse terceiro econômicas concedidas em virtude de contratações desafio. de pesquisadores, titulados como mestres ou Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1101 3
  4. 4. doutores, empregados em empresas para realizar Tabela 1atividades de pesquisa, desenvolvimento e Número de Empresas Cadastradas e Habilitadas,inovação tecnológica, regulamentada pela Portaria por regiãoMCT nº 557. Número de Número deEntre os incentivos fiscais estão as deduções empresas empresasde Imposto de Renda e da Contribuição sobre o cadastradas por habilitadas porLucro Líquido (CSLL) de dispêndios efetuados em região regiãoatividades de P&D e a redução do Imposto sobre 2006 2007 2008 2006 2007 2008Produtos Industrializados (IPI) na compra de Sudeste 73 192 310 73 163 245máquinas e equipamentos para P&D. Além disso,estão autorizadas a redução do Imposto de Renda Sul 52 120 204 52 117 161retido na fonte incidente sobre remessa ao Centro-exterior resultante de contratos de transferência 1 1 1 1 1 1 Oestede tecnologia e a isenção do Imposto de Rendaretido na fonte nas remessas efetuadas para o Norte 1 3 10 1 3 10exterior destinada ao registro e manutenção de Nordeste 3 16 27 3 15 24marcas, patentes e cultivares. Total 130 332 552 130 299 441Em dezembro de 2007, o fomento do GovernoFederal às atividades de Inovação Tecnológica Fonte: Relatório Anual da Utilização dos Incentivosganhou um reforço. Foram ampliados os incentivos Fiscais (ano base 2008)fiscais à inovação tecnológica, já previstosanteriormente na chamada Lei do Bem (Lei Para receber os incentivos tributários, as empresas11.196/05). Os novos incentivos privilegiam devem preencher um formulário até 31 deos projetos que envolvam conjuntamente julho de cada ano, informando os gastos comuniversidades (ICTs) e empresas, gerando maior P&D do ano anterior. Em 2008, ainda segundo orecuperação dos valores gastos com essas Relatório Anual da Utilização dos Incentivosparcerias, podendo chegar a até 51%, com Fiscais (ano base 2008), os investimentosredução do IRPJ/CSLL. somaram R$ 8,1 bilhões (0,28% do PIB), sendoQuase cinco anos depois da aprovação da Lei a maior parte utilizada em custeio. O valor totaln.º 11.196, investimentos em Pesquisa e da renúncia fiscal foi de R$ 1,54 bilhão.Desenvolvimento nas empresas continuam baixos O conceito de inovação considerado pela Lei estádevido à insegurança jurídica, desconhecimento no seu artigo 17, § 1º, que diz: “Considera-seou porque elas optam por outros incentivos. inovação tecnológica a concepção de novo produtoNo programa que, entre outros incentivos, ou processo de fabricação, bem como a agregaçãoconcede desconto no pagamento de Imposto de de novas funcionalidades ou características aoRenda para pessoas jurídicas que realizam pesquisa produto ou processo que implique melhoriase desenvolvimento de inovação tecnológica incrementais e efetivo ganho de qualidade ou(P&D), a adesão é crescente e foi de 552 empresas produtividade, resultando maior competitividadeaté 2008. Destas, 441 tiveram o pedido de no mercado”. Esse foi o conceito assumido tambémincentivo autorizado sem restrição pelo Ministério pela Belgo Bekaert Arames, revelando assim seuda Ciência e Tecnologia.5 compromisso com o terceiro desafio proposto.Esse número representa menos de 10% do Os gestores da área assumem que, além dauniverso das 6 mil empresas que poderiam se intenção e compromisso estratégicos com acandidatar aos benefícios. Esses dados constam inovação, o acesso aos incentivos foi um driverdo Relatório Anual da Utilização dos Incentivos relevante para o processo de desenvolvimentoFiscais (ano base 2008). Este relatório é elaborado de seu modelo de gestão e influenciou de formaanualmente pelo Ministério de Ciência e Tecnologia decisiva seu modelo.e divulgado no mês de dezembro do ano O atendimento às exigências para acesso aossubsequente. incentivos exigiu um esforço na criação de mecanismos de controle dos gastos. Por isso, a área de Contabilidade e a área Tributária estiveram muito envolvidas no processo de desenvolvimento5 Relatório Anual da Utilização dos Incentivos Fiscais, do modelo operacional de P&D na Belgo BekaertAno Base 2008 Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1101 4
  5. 5. Arames. Durante o ano de 2007, elas se dedicaram participantes receberam esclarecimentos sobre oao conhecimento da Lei, identificando os critérios papel reservado a cada área e conheceram algunsde inclusão dos projetos e sobre como apurar os exemplos.gastos para qualificá-los para o incentivo. Em Segundo o modelo de gestão da inovação da Belgo2008 foi cadastrado no Ministério de Ciência e Bekaert Arames, o desenvolvimento permaneceTecnologia um projeto e feita a sua apuração nas unidades, mas cada uma tem um Centrocomo piloto para os ajustes de procedimentos e a de Custo P&D e respectivas ordens coletoras,definição dos processos internos necessários. um número fornecido para cada projeto para lançamento dos gastos. Tal providência tem como objetivo separar os custos de desenvolvimento dos custos de produção.modelo de gestão As informações de projetos foram centralizadasEm setembro de 2008, teve início o processo de sem alterações na autonomia das áreas edefinição do modelo de gestão da inovação da líderes de projeto. Para desenvolver esseBelgo Bekaert Arames, concluído em dezembro trabalho de coordenação e gestão, foi criada ade 2008. Em janeiro de 2009, ele foi comunicado GPED – Gerência de Pesquisa e Desenvolvimento,à empresa, no Seminário de Inovação, do vinculada à GTEC – Gerência Técnica.qual participaram cerca de 80 pessoas, entre A figura 2 mostra a estrutura da área criada e suagerentes e engenheiros. Nesse encontro, tratou- vinculação:se do conceito da inovação, de sua importância,especialmente em momentos de crise. OsFigura 2 – Estrutura de GestãoA implantação do processo exigiu também implique melhorias incrementais e efetivouma ampliação do conceito de inovação. Era a ganho de qualidade ou produtividade, houve apartir de demandas identificadas pelos clientes necessidade de uma ampliação do conceito atéque se faziam “encomendas” às áreas para os então considerado.desenvolvimentos. Isso fazia com que o conceito As áreas de Marketing e Vendas, por seude inovação fosse marcadamente uma inovação conhecimento do mercado e proximidade comde produtos. o cliente, continua a ser uma importante fonteAo assumir a definição constante no artigo 17, de ideias, mas outras áreas têm tido maior§ 1º, da Lei 11.196/2005, que inclui, além da participação.criação de produtos, a inovação de processo de O desenvolvimento dos projetos segue estasfabricação, a agregação de novas funcionalidades etapas:ou características ao produto ou processo que Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1101 5
  6. 6. Ideias do Portal de Inovação Demanda de Aprovação e Execução e Encerramento projetos abertura acompanhamento X+1 e RoadmapFigura 3 – Etapas de desenvolvimento de Projetos de Inovação • Portal de ideias: canal aberto aos funcionários, disponível na Intranet, para registro de ideias.Foram introduzidos novos procedimentos para Normalmente, por esse canal são recebidasabertura, acompanhamento e encerramento dos sugestões de melhorias mais pontuais. Éprojetos e criado um Comitê Direcionador. possível também colocar problemas paraA área de P&D, responsável pela gestão, desempenha estimular o aparecimento de ideias e soluções.seu papel em três momentos principais: a abertura Já aconteceu de uma ideia que não foi aprovadado projeto, o acompanhamento do progresso do ter estimulado o aparecimento de uma outradesenvolvimento e o encerramento. solução que se transformou em um projeto.A captação de ideias é feita por meio de diversos As ideias são analisadas segundo alguns critérioscanais: tais como viabilidade técnica e econômica, interesse • Diálogo com os clientes, registrado nos do mercado, relevância estratégica. Também é relatórios de visita das áreas de Marketing, feita a pesquisa sobre a existência de alternativas Vendas e Assistência Técnica. São casos em que tecnológicas e identificada a possibilidade de ser são identificadas necessidades ou dificuldades enquadrado nos critérios da Lei n.º 11.196/2005. específicas dos clientes e que demandam É definido um líder para o projeto na área de alguma nova solução. Esses casos se referem Marketing, Pesquisa e Desenvolvimento, produção principalmente a desenvolvimento de produtos, ou Assistência Técnica. Quando o interesse e a embora isso possa, eventualmente, afetar viabilidade da ideia são muito evidentes, podem processos. Os clientes têm, principalmente ser queimadas algumas etapas. nesses casos, uma participação ativa no Uma preocupação do processo de implementação processo de desenvolvimento e testes das do modelo de inovação é buscar o equilíbrio ótimo inovações desenvolvidas. Tal participação entre a coordenação e a autonomia, entre manter dos clientes costuma ser significativa nas uma espinha dorsal estruturada, mas respeitar a empresas com grande participação de clientes liberdade das áreas. na modalidade B2B (Business to Business). Na própria Bekaert, mais de 70% das inovações são fruto de feedback ou sugestões de clientes.6 Fluxo de Projeto – Etapas de • X+1 e Roadmap: são ideias que nascem no Desenvolvimento e Encerramento processo de planejamento da empresa. São A Figura 4 mostra o fluxo de desenvolvimento de ideias tanto de produtos novos, em função do cada projeto a partir de seu cadastramento. acesso a novos mercados ou de internalização de alguma etapa de processo produtivo de clientes, quanto de processos, tendo em vista oportunidades ou necessidades de segurança, melhoria de qualidade e gestão de custos e de necessidades de reorganização do trabalho. Nos desenvolvimentos de processos há muitas vezes uma participação de fornecedores, especialmente quando a solução gera um impacto nos bens e serviços que eles oferecem à Belgo Bekaert Arames.6 Site www.bekaert.com Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1101 6
  7. 7. No cadastramento, além das características Existem formulários específicos para cada etapabásicas, são registrados alguns dos requerimentos de projeto, a inicial, o relatório de progresso e oque devem ser atendidos, entre eles algumas de encerramento. A Diretoria da empresa tambémconsiderações ambientais. Esse aspecto, da acompanha o progresso do desenvolvimento, porsustentabilidade como driver da inovação, meio de apresentações nas reuniões de rotina.aparece de forma mais evidente nas empresas Como consequência das parcerias para oque compõem a joint venture (Bekaert e desenvolvimento e da valorização da gestão doArcelorMittal). conhecimento, uma das preocupações constantesO fluxo mostra que a empresa não abandonou é a gestão da propriedade industrial. Tem sidoos projetos que não se enquadram nos atributos objeto de cuidado a garantia de confidencialidadeexigidos pelo incentivo, mas o seu projeto é das informações compartilhadas com os parceirostambém cadastrado. e dos resultados do processo de inovação. Para isso são feitos contratos, publicações e acordosO fluxo apresenta ainda os papéis dos quatro de exclusividade.principais gestores envolvidos no processo, olíder, a área de P&D, a área financeira e a decontabilidade. Por fimEm janeiro de 2009, existiam 50 projetos emandamento. Um ano depois, já eram 80 os A inovação é hoje um tema que tem despertadoprojetos em desenvolvimento. Desses, três não uma preocupação crescente nas empresas.eram elegíveis para os incentivos fiscais. A globalização dos mercados, o aumento da competitividade e as demandas pela maiorOs projetos são constantemente reavaliados, mas sustentabilidade dos produtos e de sua fabricaçãoos casos de mudança de decisão após o início têm imposto a necessidade crescente de busca porde desenvolvimento são raros, o que reforça a inovações que respondam a esses desafios.qualidade do processo de seleção das ideias. Aotodo, cinco projetos foram interrompidos, sendo A Belgo Bekaert Arames é um exemplo detrês projetos cancelados e dois suspensos, dois determinação e de coerência na busca de estruturarpor questões técnicas e três por decisão em função e integrar a inovação em sua estratégia, estruturado mercado. e operação. Um dos fatores de seu sucesso foi a Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1101 7
  8. 8. cultura já presente nas empresas da joint venture, referênCiasque criou um ambiente propício à inovação. Masdois outros fatores foram essenciais: Annual Report 2009 – Management Report. ArcelorMittal. Disponível em:- a integração das áreas relevantes para o processode inovação, orientadas por um objetivo comum, h t t p : / / w w w. a r c e l o r m i t t a l . c o m / r l s / d a t a /reconhecido e valorizado pela alta direção. upl/236-28-5-ArcelorMittalAnnualReport2009- ManagementReport.pdf. Acesso em: julho,- o cuidado na definição de um processo que 2010.introduzisse novos procedimentos sem confrontaros valores de autonomia das unidades e o papel Annual Report 2009 – Bekaert. Disponível em:central do marketing como porta-voz do cliente. h t t p : / / w w w. b e k a e r t . c o m / e n / I nve s t o r s /Esses são aspectos aos quais se deve sempre Datacenter%20and%20downloads/~/media/prestar atenção no desenvolvimento de novas Files/About%20us/Bekaert_AR2009.ashx. Acessopráticas de inovação nas empresas. Podem em: julho, 2010.ser listadas como “lições aprendidas” dessa Relatório Anual da Utilização dos Incentivos Fiscaisexperiência: – Ano Base 2008. Disponível em: • a definição da inovação como objetivo http://www.inei.org.br/inovateca/estudos- estratégico comum a toda a empresa; e - p e s q u i s a s - e m - i n o va c a o / M C T % 2 0 - % 2 0 • o apoio firme e o reconhecimento da alta Relatorio%20Anual%20da%20Utilizacao%20 direção; dos%20Incentivos%20Fiscais%202008.pdf/view. Acesso em: julho, 2010. • a integração de todas as áreas relevantes para o processo; • a preservação e integração da inovação www.arcelormittal.com na cultura e no modelo de operação da www.bekaert.com empresa, sem criar atritos desnecessários e dificultadores. www.belgobekaert.com.brA esses aspectos é necessário somar e enfatizara importância do conhecimento e do atendimento Entrevistas realizadas na empresa em janeiro deàs exigências de procedimentos da Lei do Bem. 2010:A sua implementação ajuda a definir um modelo • Maarten De Clercq – Gerente de P&Dde gestão integrada. A previsão no orçamento, noâmbito do planejamento tributário, assegura os • Roberto Milhomem Martins – Gerência Geralrecursos necessários e possibilita o planejamento de Mktdas atividades. • Elbia Starling Pessim – Gerência P&D&IUma boa política pública insere o tema na agenda • Frederico Tavares – Gerência de Exportaçãodas empresas e pode viabilizar recursos parasua implementação, por meio da concessão de • Rodrigo Guimarães Ricardo – Controladoriaincentivos fiscais, mas só uma ação decidida dasempresas pode transformar o cenário da inovaçãono Brasil. Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1101 8
  9. 9. Fundação Dom Cabral 55 3589-7300 www.fdc.org.br

×