SlideShare uma empresa Scribd logo
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA
VENTILAÇÃO MECÂNICA


    VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



↓ retorno venoso
↓ da pré-carga do VD
↓ da pós-carga do VE
↓ do trabalho respiratório e consumo de O2
Melhoras as trocas gasosas
VENTILAÇÃO MECÂNICA


    VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




                     Reduz a Pós-carga;
                     Aumenta o DC.




Reduz a
Pré-carga
VENTILAÇÃO MECÂNICA




                                      VE↓↓

                                                                                   ↑Dificuldade
                                                                                   respiratória

      600                       600
      500                       500
      400                       400
      300                       300
      200                       200
      100                       100
      90                        90
      80                        80
      70 100 300 500 700 900 00070 100 300 00 600 800 1000
       0   200 400 600 800 1      0  200 4 500 700 900
        S ole
        yst           iast
                        ole
                        D         S ole
                                  yst         iast
                                                ole
                                                D
                Br
                 as                       P
                                          oignet




↑P. Capilar Pulmonar
VENTILAÇÃO MECÂNICA




↓↓↓               ↓↓↓
VENTILAÇÃO MECÂNICA




                      • Melhoria das
                      trocas gasosas;

                      • Redução da FR;

                      • Redução da
                      dispneia.
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




                 Winck, PGVNI, 2009
VENTILAÇÃO MECÂNICA


                                  VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



                               Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP




PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure
ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
VENTILAÇÃO MECÂNICA


                                  VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



                               Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP




PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure
ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
VENTILAÇÃO MECÂNICA


                                  VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



                               Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP




PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure
ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
VENTILAÇÃO MECÂNICA


                            VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




Estudo realizado no S. Urgência do H. de S.to António, envolvendo 17 doentes com
diagnóstico de EAP.                       Carvalho et al, Rev Port Cardiol 2008; 27 (2): 191-198
VENTILAÇÃO MECÂNICA


         VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



A VNI:
  Conduz a uma mais rápida melhoria dos
sintomas de dificuldade respiratória;

  Conduz a uma mais rápida recuperação dos
distúrbios metabólicos;

 Mortalidade?
VENTILAÇÃO MECÂNICA


     VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



                                                     Ventilação Não
Terapêutica Standart
                                                        Invasiva



  Oxigénio a alto                                  Ventilador portátil,
débito por máscara                                especifico para VNI;
      de alta                                       Máscara facial;
  concentração.                                   PEEP 5* / PS 10**.




     Am. J. Respir. Crit. Care Med. Nava et al. 168 (12): 1432
VENTILAÇÃO MECÂNICA


           VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
VENTILAÇÃO MECÂNICA


           VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




                                                           VNI
                                                           TS

Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
VENTILAÇÃO MECÂNICA


           VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




                                                           VNI
                                                           TS

Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
VENTILAÇÃO MECÂNICA


       VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



Metanálise de 790 estudos até maio de 2005
Selecionados 17 estudos randomizados com EAP
cardiogênico, totalizando 938 pacientes
7 estudos – TC x CPAP
3 estudos – TC x NPPV
4 estudos – CPAP x NPPV
4 estudos – TC x CPAP x NPPV
PAP – Ventilação com pressão positiva contínua
NPPV – Ventilação com pressão positiva não invasiva
TC – Tratamento Clínico

                           Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
VENTILAÇÃO MECÂNICA


        VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



   CPAP x TC – Intubação ↓ 22% (p=0,0004)
                 Mortalidade ↓ 13% (p=0,0003)
                 Risco de infarto ↓ 1% (NS)
   NPPV x TC – Intubação ↓ 18% (p=0,01)
                 Mortalidade ↓ 7% (NS)
                 Risco de infarto ↓ 1% (NS)
   CPAP x NPPV – Intubação ↓ 3% (NS)
                 Mortalidade ↓ 2% (NS)
                 Risco de infarto ↓ 5% (NS)
Não houve diferenças entre os subgrupos com e sem hipercapnia
ou entre os com PSV < ou > 10 cmH2O.
                     Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
VENTILAÇÃO MECÂNICA


    VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



CPAP tem menor custo e é mais fácil de usar;
CPAP reduz significativamente a mortalidade;
CPAP e NPPV reduzem a necessidade de intubação
orotraqueal;
CPAP e NPPV não aumentam o risco de infarto do
miocárdio;
Em pacientes hipercápnicos não há diferenças entre CPAP
e NPPV.

                Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




                 MÁSCARA DE
                 BOUSSIGNAC
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA



                           Fluxo      Pressão
                          15l/min.   5-6cmH2O
                          25l/min.   >10cmH2O
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA
VENTILAÇÃO MECÂNICA


           VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA




BMC Cardiovascular Disorders , Dieperink et al, 2007, 7:40
VENTILAÇÃO MECÂNICA


           VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA


                Comparado com terapêutica standard:
                 Redução da FR e esforço respiratório
                após 30’ de tratamento; ( Eur J Emerg Med.Moritz, 2003)
                  Redução da taxa de intubações traqueais;
                  Ausência de complicações associadas;
                  Redução do tempo de hospitalização e
                internamento em cuidados intensivos;
                 Poupança de 3.787 € por doente
                comparado com a estratégia tradicional.

BMC Cardiovascular Disorders , Dieperink et al, 2007, 7:40
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA
VENTILAÇÃO MECÂNICA


VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noçoes de ventilação mecânica
Noçoes de ventilação mecânicaNoçoes de ventilação mecânica
Noçoes de ventilação mecânica
helciofonteles
 
VNI no intraooperatorio
VNI no intraooperatorioVNI no intraooperatorio
VNI no intraooperatorio
Anestesiador
 
Vm em pediatria
Vm em pediatriaVm em pediatria
Vm em pediatria
Carlos Lima
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânica
Fábio Falcão
 
Assincronias Ventilatórias
Assincronias VentilatóriasAssincronias Ventilatórias
Assincronias Ventilatórias
José Alexandre Pires de Almeida
 
ventilação mecanica fácil
ventilação mecanica fácilventilação mecanica fácil
ventilação mecanica fácil
Sandra Regina
 
Princípios da Assistência Ventilatória - UTI
Princípios da Assistência Ventilatória - UTIPrincípios da Assistência Ventilatória - UTI
Princípios da Assistência Ventilatória - UTI
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica BásicaVentilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
Felipe Patrocínio
 
Aula de ventilação mecânica
Aula de ventilação mecânicaAula de ventilação mecânica
Aula de ventilação mecânica
Jaime Fernandes
 
Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
Instituto Consciência GO
 
Aula I Rp A E Vm
Aula I Rp A E VmAula I Rp A E Vm
Aula I Rp A E Vm
galegoo
 
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica InvasivaAspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
Mariana Artuni Rossi
 
Vm
VmVm
Aula vm 1
Aula vm 1Aula vm 1
Ventilação Não Invasiva
Ventilação Não InvasivaVentilação Não Invasiva
Ventilação Não Invasiva
José Alexandre Pires de Almeida
 
Aula ventilação mecânica
Aula   ventilação mecânicaAula   ventilação mecânica
Aula ventilação mecânica
Delciane Ferreira
 
Ventilação Mecânica
Ventilação MecânicaVentilação Mecânica
Ventilação Mecânica
Abilio Cardoso Teixeira
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânica
suzana f suzuki
 
Modos ventilatórios
 Modos ventilatórios  Modos ventilatórios
Ventilação Mecânica: Princípios Básicos e Intervenções de Enfermagem
Ventilação Mecânica:  Princípios Básicos e  Intervenções de EnfermagemVentilação Mecânica:  Princípios Básicos e  Intervenções de Enfermagem
Ventilação Mecânica: Princípios Básicos e Intervenções de Enfermagem
pryloock
 

Mais procurados (20)

Noçoes de ventilação mecânica
Noçoes de ventilação mecânicaNoçoes de ventilação mecânica
Noçoes de ventilação mecânica
 
VNI no intraooperatorio
VNI no intraooperatorioVNI no intraooperatorio
VNI no intraooperatorio
 
Vm em pediatria
Vm em pediatriaVm em pediatria
Vm em pediatria
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânica
 
Assincronias Ventilatórias
Assincronias VentilatóriasAssincronias Ventilatórias
Assincronias Ventilatórias
 
ventilação mecanica fácil
ventilação mecanica fácilventilação mecanica fácil
ventilação mecanica fácil
 
Princípios da Assistência Ventilatória - UTI
Princípios da Assistência Ventilatória - UTIPrincípios da Assistência Ventilatória - UTI
Princípios da Assistência Ventilatória - UTI
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica BásicaVentilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
 
Aula de ventilação mecânica
Aula de ventilação mecânicaAula de ventilação mecânica
Aula de ventilação mecânica
 
Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
 
Aula I Rp A E Vm
Aula I Rp A E VmAula I Rp A E Vm
Aula I Rp A E Vm
 
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica InvasivaAspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
Aspiração endotraqueal em pacientes sob Ventilação Mecânica Invasiva
 
Vm
VmVm
Vm
 
Aula vm 1
Aula vm 1Aula vm 1
Aula vm 1
 
Ventilação Não Invasiva
Ventilação Não InvasivaVentilação Não Invasiva
Ventilação Não Invasiva
 
Aula ventilação mecânica
Aula   ventilação mecânicaAula   ventilação mecânica
Aula ventilação mecânica
 
Ventilação Mecânica
Ventilação MecânicaVentilação Mecânica
Ventilação Mecânica
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânica
 
Modos ventilatórios
 Modos ventilatórios  Modos ventilatórios
Modos ventilatórios
 
Ventilação Mecânica: Princípios Básicos e Intervenções de Enfermagem
Ventilação Mecânica:  Princípios Básicos e  Intervenções de EnfermagemVentilação Mecânica:  Princípios Básicos e  Intervenções de Enfermagem
Ventilação Mecânica: Princípios Básicos e Intervenções de Enfermagem
 

Destaque

Curso 42
Curso 42Curso 42
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásiaUso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
Mônica Firmida
 
III curso intensivo de eletrocardiografia básica liaga de cardiologia - hurnp
III curso intensivo de eletrocardiografia básica   liaga de cardiologia - hurnpIII curso intensivo de eletrocardiografia básica   liaga de cardiologia - hurnp
III curso intensivo de eletrocardiografia básica liaga de cardiologia - hurnp
Fernanda Roque Martins Honorato
 
Ventilação mecânica parte 1
Ventilação mecânica parte 1Ventilação mecânica parte 1
Ventilação mecânica parte 1
Grupo Ivan Ervilha
 
Ventilação mecânica parte 2
Ventilação mecânica parte 2Ventilação mecânica parte 2
Ventilação mecânica parte 2
Grupo Ivan Ervilha
 
Aplicabilidade de vni em pacientes adultos
Aplicabilidade de vni em pacientes adultosAplicabilidade de vni em pacientes adultos
Aplicabilidade de vni em pacientes adultos
Caio Veloso da Costa, ICU-PT
 
Assistência ao paciente em ventilação mecânica
Assistência ao paciente em ventilação mecânicaAssistência ao paciente em ventilação mecânica
Assistência ao paciente em ventilação mecânica
Caio Veloso da Costa, ICU-PT
 
Ventilação mecânica avançada
Ventilação mecânica avançadaVentilação mecânica avançada
Ventilação mecânica avançada
Grupo Ivan Ervilha
 
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiais
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiaisVentilação Mecânica 2013: tópicos especiais
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiais
Yuri Assis
 
Ventilação não invasiva no traumatizado medular
Ventilação não invasiva no traumatizado medularVentilação não invasiva no traumatizado medular
Ventilação não invasiva no traumatizado medular
Roberto Mendes
 
Edema e fibrose pulmonar
Edema e fibrose pulmonarEdema e fibrose pulmonar
Edema e fibrose pulmonar
Universidade Norte do Paraná
 
Eap + sara
Eap + saraEap + sara
Eap + sara
Natha Fisioterapia
 
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação MecânicaPrevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
Proqualis
 
FISIOLOGIA CARDÍACA 2
FISIOLOGIA CARDÍACA 2FISIOLOGIA CARDÍACA 2
FISIOLOGIA CARDÍACA 2
Paulo Cardoso
 
UTI coronariana - clinica
UTI coronariana - clinicaUTI coronariana - clinica
UTI coronariana - clinica
Marcela Mihessen
 
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultos
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultosSuporte avançado de vida em cardiologia em adultos
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultos
Aroldo Gavioli
 
Rx- Análise de Qualidade
Rx- Análise de QualidadeRx- Análise de Qualidade
Rx- Análise de Qualidade
PCare Fisioterapia
 
Fisiologia cardíaca 2013
Fisiologia cardíaca 2013  Fisiologia cardíaca 2013
Fisiologia cardíaca 2013
Grupo Ivan Ervilha
 
fisioterapia respiratoria
 fisioterapia respiratoria fisioterapia respiratoria
fisioterapia respiratoria
isabelmariagarciapomared
 
Ventilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
Ventilação Mecânica 2013: Princípios BásicosVentilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
Ventilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
Yuri Assis
 

Destaque (20)

Curso 42
Curso 42Curso 42
Curso 42
 
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásiaUso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
Uso de tecnologias, cuidados paliativos e distanásia
 
III curso intensivo de eletrocardiografia básica liaga de cardiologia - hurnp
III curso intensivo de eletrocardiografia básica   liaga de cardiologia - hurnpIII curso intensivo de eletrocardiografia básica   liaga de cardiologia - hurnp
III curso intensivo de eletrocardiografia básica liaga de cardiologia - hurnp
 
Ventilação mecânica parte 1
Ventilação mecânica parte 1Ventilação mecânica parte 1
Ventilação mecânica parte 1
 
Ventilação mecânica parte 2
Ventilação mecânica parte 2Ventilação mecânica parte 2
Ventilação mecânica parte 2
 
Aplicabilidade de vni em pacientes adultos
Aplicabilidade de vni em pacientes adultosAplicabilidade de vni em pacientes adultos
Aplicabilidade de vni em pacientes adultos
 
Assistência ao paciente em ventilação mecânica
Assistência ao paciente em ventilação mecânicaAssistência ao paciente em ventilação mecânica
Assistência ao paciente em ventilação mecânica
 
Ventilação mecânica avançada
Ventilação mecânica avançadaVentilação mecânica avançada
Ventilação mecânica avançada
 
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiais
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiaisVentilação Mecânica 2013: tópicos especiais
Ventilação Mecânica 2013: tópicos especiais
 
Ventilação não invasiva no traumatizado medular
Ventilação não invasiva no traumatizado medularVentilação não invasiva no traumatizado medular
Ventilação não invasiva no traumatizado medular
 
Edema e fibrose pulmonar
Edema e fibrose pulmonarEdema e fibrose pulmonar
Edema e fibrose pulmonar
 
Eap + sara
Eap + saraEap + sara
Eap + sara
 
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação MecânicaPrevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
Prevenção de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica
 
FISIOLOGIA CARDÍACA 2
FISIOLOGIA CARDÍACA 2FISIOLOGIA CARDÍACA 2
FISIOLOGIA CARDÍACA 2
 
UTI coronariana - clinica
UTI coronariana - clinicaUTI coronariana - clinica
UTI coronariana - clinica
 
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultos
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultosSuporte avançado de vida em cardiologia em adultos
Suporte avançado de vida em cardiologia em adultos
 
Rx- Análise de Qualidade
Rx- Análise de QualidadeRx- Análise de Qualidade
Rx- Análise de Qualidade
 
Fisiologia cardíaca 2013
Fisiologia cardíaca 2013  Fisiologia cardíaca 2013
Fisiologia cardíaca 2013
 
fisioterapia respiratoria
 fisioterapia respiratoria fisioterapia respiratoria
fisioterapia respiratoria
 
Ventilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
Ventilação Mecânica 2013: Princípios BásicosVentilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
Ventilação Mecânica 2013: Princípios Básicos
 

Semelhante a Vni no doente cardíaco

Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdfPonto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
Maycon Duarte
 
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatria
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatriaVentilação mecânica em neonatologia e pediatria
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatria
Fábio Falcão
 
Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)
JooSouza139
 
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
THIALYMARIASILVADACU
 
Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)
JooSouza139
 
Iv curso teórico prático vm ii situações especiais
Iv curso teórico prático vm ii   situações especiaisIv curso teórico prático vm ii   situações especiais
Iv curso teórico prático vm ii situações especiais
ctisaolucascopacabana
 
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPPOxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
Ivanilson Gomes
 
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
ThyagoSouza17
 
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
Gilmar Roberto Batista
 
Desmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação MecânicaDesmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação Mecânica
José Alexandre Pires de Almeida
 
Fisiopatologia ventilacao perfusão
Fisiopatologia ventilacao perfusãoFisiopatologia ventilacao perfusão
Fisiopatologia ventilacao perfusão
Anestesiador
 
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdfOxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
lica301
 
Ventilação não invasiva
Ventilação não invasivaVentilação não invasiva
Ventilação não invasiva
LdioBarbosa
 
Assistencia ventilatoria
Assistencia ventilatoriaAssistencia ventilatoria
Consenso de Ventilação Mecânica
Consenso de Ventilação MecânicaConsenso de Ventilação Mecânica
Consenso de Ventilação Mecânica
Neto_79
 
Sara
SaraSara
Recrutamento alveolar em anestesia
Recrutamento alveolar em anestesiaRecrutamento alveolar em anestesia
Recrutamento alveolar em anestesia
Anestesiador
 

Semelhante a Vni no doente cardíaco (17)

Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdfPonto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
Ponto%2052.Ventilac%CC%A7a%CC%83o%20meca%CC%82nica.pdf.pdf
 
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatria
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatriaVentilação mecânica em neonatologia e pediatria
Ventilação mecânica em neonatologia e pediatria
 
Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)
 
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
Ventilação Mecânica - PC.pptxinvasivaenaoinvasiva.
 
Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)Aula nava (2hrs)
Aula nava (2hrs)
 
Iv curso teórico prático vm ii situações especiais
Iv curso teórico prático vm ii   situações especiaisIv curso teórico prático vm ii   situações especiais
Iv curso teórico prático vm ii situações especiais
 
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPPOxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
Oxigenoterapia, Ventilação Mecânica, UPP
 
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
05 NOÇOES BASICAS VM.pptx
 
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
VMNI-Ventilação Mecânica Nao Invasiva
 
Desmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação MecânicaDesmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação Mecânica
 
Fisiopatologia ventilacao perfusão
Fisiopatologia ventilacao perfusãoFisiopatologia ventilacao perfusão
Fisiopatologia ventilacao perfusão
 
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdfOxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
Oxigenioterapia e ventilação mecânica.pdf
 
Ventilação não invasiva
Ventilação não invasivaVentilação não invasiva
Ventilação não invasiva
 
Assistencia ventilatoria
Assistencia ventilatoriaAssistencia ventilatoria
Assistencia ventilatoria
 
Consenso de Ventilação Mecânica
Consenso de Ventilação MecânicaConsenso de Ventilação Mecânica
Consenso de Ventilação Mecânica
 
Sara
SaraSara
Sara
 
Recrutamento alveolar em anestesia
Recrutamento alveolar em anestesiaRecrutamento alveolar em anestesia
Recrutamento alveolar em anestesia
 

Mais de Roberto Mendes

Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
Roberto Mendes
 
Introdução à monitorização eletrocardiográfica
Introdução à monitorização eletrocardiográficaIntrodução à monitorização eletrocardiográfica
Introdução à monitorização eletrocardiográfica
Roberto Mendes
 
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough AssistIn exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
Roberto Mendes
 
In exuflação mcânica em cuidados intensivos
In exuflação mcânica em cuidados intensivosIn exuflação mcânica em cuidados intensivos
In exuflação mcânica em cuidados intensivos
Roberto Mendes
 
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
Roberto Mendes
 
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivosAlterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
Roberto Mendes
 
VNI linhas de orientação
VNI linhas de orientaçãoVNI linhas de orientação
VNI linhas de orientação
Roberto Mendes
 

Mais de Roberto Mendes (7)

Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
Organização dos cuidados de reabilitação nas unidades de cuidados intensivos ...
 
Introdução à monitorização eletrocardiográfica
Introdução à monitorização eletrocardiográficaIntrodução à monitorização eletrocardiográfica
Introdução à monitorização eletrocardiográfica
 
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough AssistIn exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
In exuflação mecânica em cuidados intensivos / Cough Assist
 
In exuflação mcânica em cuidados intensivos
In exuflação mcânica em cuidados intensivosIn exuflação mcânica em cuidados intensivos
In exuflação mcânica em cuidados intensivos
 
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
Poster: Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados int...
 
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivosAlterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
Alterações da mobilidade após internamento prolongado em cuidados intensivos
 
VNI linhas de orientação
VNI linhas de orientaçãoVNI linhas de orientação
VNI linhas de orientação
 

Último

Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 

Último (8)

Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 

Vni no doente cardíaco

  • 2. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA ↓ retorno venoso ↓ da pré-carga do VD ↓ da pós-carga do VE ↓ do trabalho respiratório e consumo de O2 Melhoras as trocas gasosas
  • 3. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Reduz a Pós-carga; Aumenta o DC. Reduz a Pré-carga
  • 4. VENTILAÇÃO MECÂNICA VE↓↓ ↑Dificuldade respiratória 600 600 500 500 400 400 300 300 200 200 100 100 90 90 80 80 70 100 300 500 700 900 00070 100 300 00 600 800 1000 0 200 400 600 800 1 0 200 4 500 700 900 S ole yst iast ole D S ole yst iast ole D Br as P oignet ↑P. Capilar Pulmonar
  • 6. VENTILAÇÃO MECÂNICA • Melhoria das trocas gasosas; • Redução da FR; • Redução da dispneia.
  • 7. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Winck, PGVNI, 2009
  • 8. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
  • 9. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
  • 10. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Estudo randomizado envolvendo 26 doentes com EAP PARK, Marcelo et al. Oxygen therapy, continuous positive airway pressure, or noninvasive bilevel positive pressure ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2001, vol.76, n.3, pp. 226-230.
  • 11. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Estudo realizado no S. Urgência do H. de S.to António, envolvendo 17 doentes com diagnóstico de EAP. Carvalho et al, Rev Port Cardiol 2008; 27 (2): 191-198
  • 12. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA A VNI: Conduz a uma mais rápida melhoria dos sintomas de dificuldade respiratória; Conduz a uma mais rápida recuperação dos distúrbios metabólicos; Mortalidade?
  • 13. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Ventilação Não Terapêutica Standart Invasiva Oxigénio a alto Ventilador portátil, débito por máscara especifico para VNI; de alta Máscara facial; concentração. PEEP 5* / PS 10**. Am. J. Respir. Crit. Care Med. Nava et al. 168 (12): 1432
  • 14. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
  • 15. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA VNI TS Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
  • 16. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA VNI TS Am. J. Respir. Crit. Care Med.Nava et al. 168 (12): 1432
  • 17. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Metanálise de 790 estudos até maio de 2005 Selecionados 17 estudos randomizados com EAP cardiogênico, totalizando 938 pacientes 7 estudos – TC x CPAP 3 estudos – TC x NPPV 4 estudos – CPAP x NPPV 4 estudos – TC x CPAP x NPPV PAP – Ventilação com pressão positiva contínua NPPV – Ventilação com pressão positiva não invasiva TC – Tratamento Clínico Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
  • 18. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA CPAP x TC – Intubação ↓ 22% (p=0,0004) Mortalidade ↓ 13% (p=0,0003) Risco de infarto ↓ 1% (NS) NPPV x TC – Intubação ↓ 18% (p=0,01) Mortalidade ↓ 7% (NS) Risco de infarto ↓ 1% (NS) CPAP x NPPV – Intubação ↓ 3% (NS) Mortalidade ↓ 2% (NS) Risco de infarto ↓ 5% (NS) Não houve diferenças entre os subgrupos com e sem hipercapnia ou entre os com PSV < ou > 10 cmH2O. Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
  • 19. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA CPAP tem menor custo e é mais fácil de usar; CPAP reduz significativamente a mortalidade; CPAP e NPPV reduzem a necessidade de intubação orotraqueal; CPAP e NPPV não aumentam o risco de infarto do miocárdio; Em pacientes hipercápnicos não há diferenças entre CPAP e NPPV. Winck, J.C. et al. - Critical Care 2006, 10:R69
  • 20. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA MÁSCARA DE BOUSSIGNAC
  • 21. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Fluxo Pressão 15l/min. 5-6cmH2O 25l/min. >10cmH2O
  • 23. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA BMC Cardiovascular Disorders , Dieperink et al, 2007, 7:40
  • 24. VENTILAÇÃO MECÂNICA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA Comparado com terapêutica standard: Redução da FR e esforço respiratório após 30’ de tratamento; ( Eur J Emerg Med.Moritz, 2003) Redução da taxa de intubações traqueais; Ausência de complicações associadas; Redução do tempo de hospitalização e internamento em cuidados intensivos; Poupança de 3.787 € por doente comparado com a estratégia tradicional. BMC Cardiovascular Disorders , Dieperink et al, 2007, 7:40