SlideShare uma empresa Scribd logo
Direção
A direção é um das quatro funções da
administração e esta relacionada com todas as
atividades organizacionais que envolvem a
interação entre administradores e
trabalhadores.
Dirigir significa orientar os esforços individuais
para um propósito comum organizacional, para
isso é necessário entender as necessidades
individuais , motiva-las, lidera-las e criar
condições de trabalho para que elas se sintam
satisfeitas e comprometidas com a
organização.
 O sucesso da organização depende em
larga medida, da satisfação de
necessidades, desejos e expectativas das
pessoas que colaboram com a organização
e trabalhão nela.
 Assim e necessário que haja
compatibilização dos objetivos individuais
com os organizacionais.
 A direção é um processo inter pessoal e
esta relacionada com administração das
relações entre os membros organizacionais
e a organização.
 A direção envolve orientação, motivação,
comunicação e liderança.
 Cabe a ela desenvolver boas condições de
trabalho e um ambiente propício a
cooperação a resolução de eventuais
conflitos entre os membros organizacionais.
 McGregor, desenvolveu uma das primeiras
tentativas para entender o comportamento
das pessoas nas organizações
classificando as teorias organizacionais de
acordo com os pressupostos distintos a
cerca da natureza humana. ( Teoria “X” e
“y”)
 Teoria “X” resume uma visão da natureza
humana,segundo a qual as pessoas são
preguiçosas, evitam trabalho e não gostam
de assumir responsabilidades.
 Teoria “y” parte do pressuposto de que o
trabalho é inerente ás pessoas, as quais
obtêm satisfação intrínseca em suas
atividades.
 No entanto, apesar de seu apelo intuitivo,
a teoria de McGregor não encontrou
validação empírica.
 Não foi comprovado que se um
administrador aceita a teoria “y”, dirigirá
seus subordinados de uma forma mais
eficaz do que um que assuma os
pressupostos da teoria “x”.
 Comportamento organizacional: área de
conhecimento multidisciplinar, que analisa
as ações e comportamentos das pessoas
nas organizações.
 O comportamento organizacional divide-se
em: comportamento individual e em grupo:
 Comportamento individual abrange aspectos
como atitude, personalidade, percepção
aprendizagem pode ser entendido no prisma
da psicologia.
 Comportamento em grupo envolve aspectos
como os papeis, normas, status e coesão
pode ser compreendida no prima da
sociologia e psicologia social.
 Bases do comportamento individual nas
organizações.
 Atitudes
 Personalidades
 Percepção
 Aprendizagem
 Esses comportamentos são de essencial
importância para que o administrador
entenda o comportamento dos trabalhadores
para assim aumentar sua produtividade.
 Atitudes
 Representam predisposições do indivíduo
perante objetos, pessoas, eventos ou
situações. Dentre ela destaca-se :
 Componente cognitivo: corresponde ás
crenças, opiniões e informações.
 Componente afetivo: referente ás emoções e
sentimentos
 Componentes comportamental: relativo á
intenção comportamental
 Personalidade
 Refere-se ao conjunto de características
psicológicas estáveis que caracteriza a
diferença de outras pessoas, e que se refere
em seu comportamento.
 Modelo dos cinco fatores; é um construto
teórico que descreve a personalidade humana
com base em cinco dimensões: extroversão,
agradabilidade, senso de responsabilidade,
estabilidade emocional .
 Inteligência emocional uma arquitetura
conceitual da inteligência não cognitiva,
definida como habilidade de uma pessoa para
perceber e compreender e regular as
 A inteligência emocional divide-se em :
 Dimensão intrapessoal é o
autoconhecimento e autocontrole das
emoções que se refere a capacidade de
compreender e distinguir os impulsos
emocionais próprios e controlados em seu
beneficio.
 Dimensão interpessoal e a ligação só
indivíduos co os outros, empatia,‟sintonia
emocional‟ traduza pela capacidade de
compreender a natureza e as emoções dos
outros, a partir das perspectivas alheia
 Traços de personalidade:
 Lócus de controle
 Maquiavelismo
 Automonitoramento
 Percepção
 Processo cognitivo, por meio do qual as
pessoas organizam e interpretam suas
impressões sensoriais.
Estimulo Observação Triagem Interpretação comportamento
 Percepção seletiva : acontece quando a
pessoa separa certa informação que apoia
ou reforça um convicção anterior e filtra
uma informação que não confirma sua
opinião.
 Projeção : é a tendência para reconhecer,
nas outras pessoas, seus sentimentos ou
suas características.
 Efeito de halo: uma união geral sobre uma
pessoa, baseada apenas em uma
característica única. Como aparência ,
agressividade ou timidez.
Aprendizagem
 Se refere á mudanças no comportamento
com consequência da experiência.
 Teoria do condicionamento operante: o
comportamento e uma função de suas
consequências, e argumenta que as pessoas
apreendem a se comportar para conseguir
algo que desejam ou para evitar algo que as
pune ou traz satisfação.
 Teoria de aprendizagem social: os indivíduos
apreendem o que acontece com os outros e
pela experiência direta, ou seja, aprendem
pelas consequências da interação social.
 Tais teorias assumem que a aprendizagem é
um conceito consciente e analítico.
Grupos formais e informais
 Formais: se estrutura em torno de tarefas
especificas e busca alcançar objetivos
específicos, como base determinada na
distribuição de autoridade e
responsabilidade .(comissão, comitês,
conselhos)
 Informais: surge naturalmente no âmbito
das organizações por razoes diferentes das
instrumentais, tais como convívio social,
amizade, afetos, interesses.
 Grupo de referencia esta relacionado com o
grupo no qual o individuo se identifica.
(Esta relacionado com o grupo informal).
Conceitos básico s do comportamentos em
grupo.
 Papéis: padrões esperados de
comportamentos
 Ambiguidades de papéis;ocorrem quando o
funcionário não tem certeza do comportamento
esperado por parte da organização.
 Conflitos de papeis: são as expectativas
divergentes acerca do comportamento
esperando.
Normas: são padrões aceitáveis e desejáveis de
comportamento.
Status: é uma manifestação do poder no âmbito
de grupos que se refere a nível ou a posição de um
motivação
Motivação
Esforço
Metas
Organizacionais
Necessidades
A predisposição
individual para exercer
esforços que busquem
o alcance de metas
organizacionais,
condicionada pela a
capacidade de esses
pessoas satisfazerem
simultaneamente
alguma necessidade
individual;Nesta
definição destaca-si
três elementos.
 Perspectiva de conteúdo acerca da
motivação: conjunto de teorias que busca
entender as necessidades internas que
motivam as pessoas.
 Perspectivas de processos acerca da
motivação: reúnem as teorias que
enfatizam „como‟ da motivação.
 Perspectivas de reforço acerca da
motivação: teorias que enfatizam a forma
com se aprende o comportamento
desejado, analisando a relação
comportamento-consequências
Teorias de conteúdos da motivação
 Enfocam as necessidades internas dos
trabalhadores que motivam seu
comportamento.
 Teoria da hierarquia das necessidades:
comportamento individual e motivado por
estímulos internos que são estados de
carência e motivação. (Abraham Maslow).
 Teoria ERC: É uma ligeira motivação da teoria
de maslow que busca a avaliação empírica
(Clayton Aldefer).
 Necessidades existenciais: estão relacionadas ao
bem estar físico coresponde aos níveis baixos da
hierarquia de maslow
 Necessidades relacionais: a relação interpessoais
satisfatórias
Teoria de dois fatores
 Frederick Herzberg foi responsável por
desenvolver uma ampla pesquisa de
campo, o autor observou que os fatores
responsáveis pela motivação eram
substancialmente diferentes daqueles que
determinam a insatisfação e a
desmotivação no trabalho.
 Fatores Higiênicos: refere-sem ao conjunto
de fatores que são responsáveis pela a
insatisfação do trabalho, mas que, quando
observados, não levam a satisfação.
 Fatores motivacionais: são os que influenciam
a satisfação no trabalho.
A teoria de Herzberg tem sido criticada por
Realização
• Reconhecimento
• Exercício de responsabilidade
• Possibilidade de crescimento
• Possibilidade de aprendizagem
Supervisão
• Políticas de empresa
• Salários
• Relacionamento interpessoais
• Condições físicas de trabalho
• Segurança
Fatores
motivacionais
Fatores
higiênicos
Fatores que conduzem a
extrema satisfação do
trabalho.
Fatores que conduzem a
extrema insatisfação no
trabalho.
Teorias das três necessidades
 Desenvolvida por David McClelland, baseando-se
no modelo de John Atkinson, que relaciona o
comportamento a três impulsos básicos.
 Necessidades de realização: relativas ao desejo de
alcançar metas difíceis, realizar tarefas
desafiadoras e complexas e superar os outros.
 Necessidade de poder: desejo de influenciar e
controlar os outros, de ter poder e autoridade
sobre eles.
 Necessidade de afiliação: desejo de associação
com os outros, de ter relacionamentos íntimos, ter
amigos e evitar conflitos.
 Diferentemente de Maslow, McClelland defende
que a configuração dessas necessidades depende
do indivíduo, um vez que elas são aprendidas
durante a vida individual, diferenciando de todos
Criticas a perspectiva de conteúdo
 As teorias de conteúdo contribuirão para o
compreensão do objetivo da motivação,
destacando a importância que fatores internos –
as necessidades– que fazem com que os indivíduos
se comportem de determinada maneira. No
entanto tais teorias podem induzir o
administrador apensar que basta conhecer as
necessidades do funcionário para escolher o tipo
e as condições de trabalho que mais motivarão,
o que isso não se verifica.
Teoria de processo da motivação
 As teorias que fazem parte as perspectiva de
processo buscam compreender o „como‟ da
motivação, enfatizando, o pensamento por meio
dos quais as pessoas decidem agir, existindo três
teorias;
 Teoria da expectativa: O esforço de trabalho de
uma pessoa para alcançar determinado nível de
desempenho depende de sua expectativa em
relação ao resultado que esse desempenho terá
isto é, de sua avaliação se a recompensa vale o
esforço alocado, partindo dos seguintes
pressupostos;
 Comportamento é influenciado por uma combinação de
fatores individuais e ambientais;
 Os indivíduos tomam decisões conscientes sobre seu
comportamento organizacional;
 Os indivíduos apresentam necessidades e objetivos
diferentes;
Esforços
Individuais
Desempenho
Individual
Resultados
Objetivos
Individuais
Expectativa de esforço-
desempenho
Expectativa de desempenhos-
resultado
Valência
Expectativa de esforço-desempenho(esforço
leva ao desempenho)
 As expectativas de uma pessoa acerca do grau de
dificuldade de desempenho bem sucedido
influenciam suas decisões sobre o comportamento
desejado.
Expectativa de desempenho-
resultado(desempenho leva a resultados)
 Os indivíduos esperam certos resultados se seu
comportamento , é que o desempenho bem-sucedido
leve ao resultado desejado.
Valência( atratividade do resultado)
 o resultado do comportamento apresenta um poder
de motivar, uma valência apresenta um poder de
motivar, uma valência especifica, que varia de
individuo para individuo
Teoria da equidade
 Defende que um fator a ser considerado na
motivação é com relação á percepção dos funcionário
acerca da justiça – equidade– da recompensa
recebida pelos resultados alcançado, em comparação
com seus colegas,(Stacey Adams).
 Para Adams quando as pessoas avaliam o modo com
são tratadas no ambiente de trabalho, elas
consideram dois fatores fundamentais;
 Recompensas; refere-se ao que a pessoa recebe no
trabalho: reconhecimento, pagamento,
benefícios,satisfação;
 Insumos; correspondem á contribuição que a pessoa
oferece á organização: esforço, tempo, talento etc.
 A equidade pode ser definida como uma
relação(proporção) entre os insumos que a pessoa
dá e, seu trabalho e as recompensas que recebe.
 Os administradores não devem estar apenas
preocupado com as recompensas absolutas, mas
Teoria do estabelecimento de objetivos
 Defende que os funcionários precisam ter metas
consciente que os estimulem e que dirijam seu
comportamento ( Edwin Locke);
 Os objetivos devem ser simultaneamente
aceitáveis, desafiadores e alcançáveis, os
indivíduos devem compreender e aceitar os
objetivos especificados e sentir que possuem as
habilidades necessárias para atingi-los;
 Quanto mais específicos,
quantitativos,mensuráveis forem esses objetivos,
mais eficazes serão na motivação do funcionário.
Criticas ás perspectivas de processo
 Elas estabelecem relações mais complexas
entre as necessidades das pessoas, os
resultados de suas ações e as metas
organizacionais, é dessa complexidade que
decorre a dificuldades de implementá-las
na prática;
 A aplicação dessas teorias requer que o
administrador conheça profundamente os
funcionários, além de suas necessidades,
objetivos e habilidades.
Teorias de reforço da motivação
 Busca compreender como as consequências de
comportamento anteriores influenciam as
ações futuras, analisa a relação entre o
comportamento e suas consequências,
baseadas na concepção de uma aprendizagem
cíclica;
 A teoria do reforço apresenta um conjunto
de técnicas que procura modificar o
comportamento das pessoas;
 Lei do efeito, segundo a qual é de esperar
que o comportamento com consequências
positivas seja repetido no futuro, enquanto o
comportamento não reforçado positivamente
tendem a não ser repetidos;
 Lei de reforço, refere-se a uma tentativa de
 Reforço positivo:relativo á aplicação de
uma consequência positiva a
recompensadora quando um comportamento
desejado acontece,recebimento de bônus,
participação nos lucros...
 Aprendizagem da abstenção(ou reforço
negativo): corresponde á eliminação de
uma consequência negativa e desagradável
quando um comportamento desejado
acontece.
 Punição: refere-se á aplicação de medidas
negativas e desagradáveis quando ocorre
um comportamento indesejável.
 Extinção: trata-se da remoção das
recompensa positivas para evitar um
Criticas ás perspectivas do reforço
 É geralmente criticada por seu explicito
caráter instrumental, a ideias de modificar
o comportamento das pessoas pelas
tentativas de reforço contradiz os
pressupostos liberatórios, segundo os quais
os seres humanos são essencialmente livres
e escolhem suas ações.
 É o fato de que a teoria ignora
completamente os motivos e as
necessidades internas, tratando de forma
homogenias todos os funcionários.
Visão contemporânea da motivação
 Técnicas motivacionais contemporânea podem ser
aplicadas ao desenho do trabalho individual, em
busca do aumento da produtividade e da satisfação
dos trabalhadores;
 Rotativa de cargo: refere-se á motivação
sistemática dos funcionários de uma tarefa para
outra, como forma de reduzir os efeitos alienantes
da excessiva simplificação do trabalho;
 Expansão de cargo: consiste na adição de
tarefas novas e mais abrangentes ao cargo, de
forma a aumentar o desafio e a variedade ao
trabalho;
 Enriquecimento de cargos: inicio na adição de
responsabilidade de planejamento e avaliação á
simples execução de um trabalho, de forma alinhar
os motivadores materiais com motivadores.
 O Empowerment é um movimento que consiste na
delegação de autoridade para subordinados,
O conceito de liderança
 Pode ser definida como o processo social de
dirigir e influenciar o comportamento dos
membros da organização, levando-os á realização
de determinados objetivos, destacando três
elementos na definição de liderança.
 Liderança envolve pessoas com a disposição para
garantir as orientações de um líder.
 Liderança é um conceito relacionado ao uso do
poder por parte do líder e envolve uma
distribuição desigual desse último.
 Liderança é a capacidade de usar o poder para
influenciar o comportamento dos seguidores
Liderança
Pessoas
Poder
Influências
 Existe, assim, uma diferença substancial entre
administradores e líderes.
 Um bom administrador, apto a planejar,
organizar, organizar e controlar bem pessoas e
recursos, pode não ser um bom líder;
 Os líderes vão além da autoridade formal,
motivando as pessoas a desempenhar tarefas
além daquelas formalmente definidas;
 Essa capacidade de motivar,de gerar entusiasmo
e comprometimento por parte das pessoas
estabelece a diferença entre o líder e o
administrador.
Visão geral das teorias de liderança
 Assim como as teorias de motivação,a s
tentativas teóricas de compreensão do fenômeno
da liderança podem ser divididas e, várias
categorias que apresentam diferença conceituais
e metodológicas;
 Inicialmente focaram os traços internos dos
líderes, características únicas e singulares que
pudessem diferenciá-los de não-líderes, essa e a
perspectiva de liderança baseada nos traços;
 O fracasso dessas tentativas teóricas levou ao
desenvolvimento de uma nova abordagem, cujo
principal pressuposto era que o foco da teoria
deveria recair no comportamento do líder;
 Perspectiva comportamental da liderança
Responsável por desenvolver os estilos de
liderança, os quais especificam os padrões do
comportamento de um líder e orientar as
pesquisas até os dias de hoje.
 Teorias de liderança também buscaram
compreender a influência de fatores situacionais
na ação do líder, ficou conhecida como
Perspectiva contingencial da liderança.
Traços de Liderança
 Seu objetivo principal é a identificação dos
traços, das características individuais dos
líderes, partindo do pressuposto de que eles
nascem com tais características que os
diferenciam de outras pessoas;
 Diversos grupos de psicólogos e pesquisadores
tentaram comprovar essas teoria fazendo uso
de duas abordagens metodológicas;
 Comparação dos traços de liderança com os indivíduos
comuns;
 Comparação dos traços de líderes eficazes com os de
líderes ineficazes.
 As pesquisas revelam que os líderes têm
determinados traços de personalidade– como
determinação, iniciativa, autoconfiança,
inteligência, honestidade ou integridade– mas as
pessoas que têm esses traços não são ( e nem
Liderança comportamental
 Eles tentaram verificar não o que os líderes eram,
mas o que faziam, procurando isolar as
características comportamentais do líderes
eficazes.
 É uma diferença crucial da abordagem de traços– é
que o comportamento pode ser aprendido; logo, as
pessoas podem ser treinadas e formadas de modo a
se tronarem líderes eficazes.
 Função de liderança: conjunto de atividades
empreendidas pelo líder para promover o
desempenho eficaz do grupo.
 Paralelamente, existem líderes para os quais a
satisfação e o crescimento de seus subordinados
são o mais importante, eles procuram motivar os
trabalhadores, buscam sua participação no processo
Os estudos da universidade de Iowa
 Foram um dos primeira tentativa de
identificar os estilos de liderança de um
administrador.(três estilos foram
identificados).
 Estilo autocrático: caracteriza-se pela
centralização da autoridade e do processo de
tomada de decisão.
 Estilo democrático: distingue-se pela
participação e envolvimento dos funcionários
no processo de tomada de decisão em
conjunto da forma e dos métodos de
trabalho.
 Estilo laissez: evidencia-se pela total
liberdade dada aos funcionários para decidir
e executar o trabalho da forma como
acharem correto.
 No entanto, confirmaram que o estilo
democrático era capaz de capaz de conseguir
maiores níveis de satisfação dos funcionários do
que o estilo autocrático;
 Autores argumentam que, alongo prazo, o estilo
democrático era mais eficaz, no entanto, três
conjuntos de forças deveriam ser considerados
pelo administradores.
 Força do administrador: ele deve escolher os
estilo de liderança no qual se sente mais
confortável;
 Força dos subordinados: as características dos
funcionários também influenciam a adoção do
estilo de liderança mais adequado, ou seja, sua
maturidade, responsabilidade etc.
 Forças situacionais: características situacionais
internas e externas, como a cultura
organizacional a pressão do tempo e o grau de
Os estudos da Universidade de Ohio
 Representaram uma das mais importantes
contribuições na década de 1940, no que diz
respeito às teorias contemporâneas de
liderança;
 O Objetivo das pesquisas consistia em
compreender qual a eficácia dos comportamento
de liderança orientados para a tarefa(chamada
estrutura de iniciação) e para as pessoas
(denominada consideração);
 A estrutura de iniciação corresponde ao grau em
que um líder define o trabalho q realizar, as
relações entre pessoas, os canais de
comunicação e a forma como o trabalho é
realizado;
 A consideração refere-se ao grau em que um
líder propicia relacionamento de trabalho
Os estudos da Universidade de Michigan
 A identificação de características
comportamentais de liderança responsáveis
pela eficácia do desempenho, as duas
dimensões de comportamento de liderança
foram definidas como voltando para o
funcionários e voltando para a produção;
 Os líderes voltados para o funcionários
enfocam os relacionamentos interpessoais,
respeitam e consideram os indivíduos na
organização;
 Líderes voltados para a produção
enfatizam aspectos técnicos as tarefa e
consideram os membros organizacionais
apenas como um meio para esse fim.
A Grade gerencial de Blake e Mouton
 Partiram do pressuposto de que os estilos de
liderança eram opostos e antagônicos, ou seja,
um administrador era orientado para a tarefa ou
orientado para as pessoas, sendo que a
preocupação com as pessoas e a produção são
importantes para alcançar com desempenho;
 A grade gerencial foi desenvolvida por Robert
Blake e Jane Mouton, desenvolveram uma
tipologia de comportamento de liderança com
base em duas dimensões comportamentais:
preocupação com as pessoas e preocupação com a
produção.
 Cada uma dessas dimensões é medidas por meio
de uma escala de 1 a 9, cuja combinação
 Líderança-pessoas (1,9): orientado para as
necessidades dos funcionários, promover um
ambiente amigável e um timo de trabalho
confortável;
 Líder-tarefas (9,1): orientado a produção e
eficiência das operações, defende a
interferência mínima do elemento humano;
 Lider-negligente (1,1): aquele que abdica de
seu papel de liderança, exercendo um esforço
mínimo para justificar sua permanência na
organização
 Líder meio-termo (5,5): moderadamente
orientado para as pessoas e a produção,
procura um equilíbrio entre a satisfação das
pessoas e as necessidades da produção;
 Líder-equipe (9,9): simultaneamente
orientado para as pessoas e a produção,
procura o comprometimento das pessoas com
Blake e Mouton
concluem que o
lider-equipe é o
estilo de
liderança mais
eficaz, uma vez
que proporciona
maior
desempenho,
maior satisfação,
menor
obsenteísmo e
menor
rotatividade.
Liderança contingencial
 Permitiram concluir que a relação entre
liderança e eficácia era muito mais complexa do
que a simples identificação dos traços ou dos
comportamentos dos líderes;
 Segundo a perspectiva situacional ou
contingencial, não existem traços
comportamentos universalmente importados com
relação á liderança, entre outros fatores
situacionais mais utilizados para descrever a
situação estão;
 A personalidade, os valores, a experiência e as
expectativas do líder;
 A maturidade, a responsabilidade, a personalidade e as
expectativas dos subordinados;
 as expectativas dos superiores hierárquicos e dos
Teoria de contingência de Fiedler
 Segundo o autor, o desempenha eficaz do grupo
depende da combinação do estilo do líder com a
situação organizacional mais favorável para seu
sucesso;
 Assim, existem apenas duas maneiras de melhorar a
eficácia do líder: mudar o líder para que ele encaixe
na situação ou modificar a situação para que se
torne adequada ao líder.
 O modelo de Fiedler busca relacionar dois estilos de
licença com três característica;
 Relações Líder-subordinado: qualidade da interação
entre líder e subordinados, medida pelo grau de
aceitação, confiança e respeito que os subordinados
têm em relação ao líder;
 Estrutura da tarefa: grau de estruturação das
tarefas, de especialização de procedimento e normas
de definição de metas
De acordo com o delo de Fiedler, líderes voltados
para a tarefa são mais eficazes em situações
muitos favoráveis ou desfavoráveis, ao passo que
líderes voltados para relacionamentos são mais
eficazes em situações intermediária.
Teoria situacional de Hersey e Blanchard
 Conhecida como teoria da liderança
situacional, enfatiza as características dos
funcionários para determinar o
comportamento dos funcionários para
determinar o comportamento de liderança
apropriando;
 O nível de prontidão do subordinado,
avaliando em termos do grau de capacidade e
interesse em desempenhar uma tarefa
especifica, é a principal variável situacional
que todo líder enfrenta;
 Hersey e Blanchard identificam quatro
comportamentos de liderança: diretivo,
persuasivo, participativo e delegador;
 No entanto, Ambos acreditam que o
relacionamento entre um líder e seus
subordinados deve passar por quatro fases(
Comportamento orientado para
a tarefa
AutoBaixo
Comportamentoorientadoparao
relacionamento
Teoria caminho-meta de Evens e House
 Propõe que o trabalho de líder consiste em
ajudar os funcionários a obter recompensas
individuais, por meio do esclarecimento do
caminho que deverão percorrer para atingir
elevado nível de desempenho que lhes permita
alcançar, simultaneamente, as recompensas
individuais e as metas organizacionais;
 A teoria trabalha com quatro estilos de
liderança:
Líder diretivo, especifica as tarefas e define as
metas;
Líder compreensivo, é amigável e preocupado com
as necessidades dos funcionários;
Líder participativo, é democrático, consultando os
funcionários e descentralizando a tomada de
decisão;
• Estrutura da tarefa
• Sistemas de
autonomia formal
• Grupo de trabalho
Fatores
ambientais
• Lócus de controle
• Experiência
• Capacidade
percebida
Características
dos seguidores
• Divertido
• Compreensivo
• Participativo
• realizador
Estilos de
liderança
Maior esforço
Alto desempenho
Maior satisfação
Substitutos de Liderança
 Sugere que as variáveis situacionais possam
ser tão poderosas que substituem ou
neutralizam a necessidade de liderança;
 Que tem como objetivo ajudar os
administradores a definir quais são os
comportamentos de liderança mais eficazes
em cada situação;
Teoria da liderança transformacional
 Focalizam não o comportamento dos
líderes perante os seguidores, mas sim o
tipo recompensa e demonstrar
preocupação;
 O líder transacional é que guia e motiva
seus subordinados na direção dos
objetivos, esclarecimento o papel destes e
as exigências da tarefa, proporciona
recompensas e demonstra preocupação com
as necessidades dos subordinados.
 O líder transformacional é definido por
sua habilidade especial realizar inovações
no contexto organizacional;
Teoria da liderança carismática
 Caracterizados pela habilidade de motivar
os funcionários a se transcenderem;
 Desenvolvida por House, um dos autores as
teoria caminho-meta, a teoria defende que
os líderes carismáticos influenciam seus
seguidores porque.
Declaram uma visão que cria um senso de
pertença e de comunidade, que inspirara os
seguidores e garante seu comportamento;
Estão dispostas a fazer sacrifícios e a correr
riscos para demonstrar coragem e convicção
com relação á sua visão.
Direção

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
admetz01
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamental
guestbeeeda
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
carlossono
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
guest06f340
 
119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo
Pelo Siro
 
Psicologia do comportamento
Psicologia do comportamentoPsicologia do comportamento
Psicologia do comportamento
Liliane Ennes
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria Behaviorismo
Adm Unime
 
Grh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacionalGrh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacional
beirario
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacional
Cadernos PPT
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivação
PUC Minas
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
Prof. Leonardo Rocha
 
Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administração
angelaadan
 
Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slide
Sabrina Suellen
 
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-15a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
Ana Gabriela Ribeiro Dezan
 
A importância da Motivação no âmbito organizacional
A importância da Motivação no âmbito organizacionalA importância da Motivação no âmbito organizacional
A importância da Motivação no âmbito organizacional
Maryanne Monteiro
 
Teoria da Atribuição
Teoria da AtribuiçãoTeoria da Atribuição
Teoria da Atribuição
Adm Unime
 
Comportamento organizacional aula4
Comportamento organizacional aula4Comportamento organizacional aula4
Comportamento organizacional aula4
Niraldo Nascimento
 
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 -  A Psicologia do Comportamento OrganizacionalAula 2 -  A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
Aula 4   comportamento mesoorganizacionalAula 4   comportamento mesoorganizacional
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Teorias da-motivacao
Teorias da-motivacaoTeorias da-motivacao
Teorias da-motivacao
Agnes Gibert
 

Mais procurados (20)

Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamental
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
 
119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo
 
Psicologia do comportamento
Psicologia do comportamentoPsicologia do comportamento
Psicologia do comportamento
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria Behaviorismo
 
Grh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacionalGrh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacional
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacional
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivação
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administração
 
Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slide
 
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-15a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
 
A importância da Motivação no âmbito organizacional
A importância da Motivação no âmbito organizacionalA importância da Motivação no âmbito organizacional
A importância da Motivação no âmbito organizacional
 
Teoria da Atribuição
Teoria da AtribuiçãoTeoria da Atribuição
Teoria da Atribuição
 
Comportamento organizacional aula4
Comportamento organizacional aula4Comportamento organizacional aula4
Comportamento organizacional aula4
 
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 -  A Psicologia do Comportamento OrganizacionalAula 2 -  A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
 
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
Aula 4   comportamento mesoorganizacionalAula 4   comportamento mesoorganizacional
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
 
Teorias da-motivacao
Teorias da-motivacaoTeorias da-motivacao
Teorias da-motivacao
 

Destaque

Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Antonio Pinto Pereira
 
Direção Segundo Chiavenato
Direção Segundo Chiavenato Direção Segundo Chiavenato
Direção Segundo Chiavenato
E. AQUINO
 
A necessidade de uma gestão de recursos humanos
A necessidade de uma gestão de recursos humanosA necessidade de uma gestão de recursos humanos
A necessidade de uma gestão de recursos humanos
Samuel Moreira
 
Org adm parte 1.ppt
Org adm parte 1.pptOrg adm parte 1.ppt
Nocoes de organizacao e gestao de pessoas
Nocoes de organizacao e gestao de pessoasNocoes de organizacao e gestao de pessoas
Nocoes de organizacao e gestao de pessoas
Adriana Vasconcelos
 
Autismo guia pratico1
Autismo guia pratico1Autismo guia pratico1
Autismo guia pratico1
cronixas
 
Capítulo 1: O Avião e sua História
Capítulo 1: O Avião e sua HistóriaCapítulo 1: O Avião e sua História
Capítulo 1: O Avião e sua História
Lab. de Sistemas Embarcados Críticos - ICMC/USP
 
História da aviação
História da aviaçãoHistória da aviação
História da aviação
aviadores10
 
As leis da lideranca
As leis da liderancaAs leis da lideranca
As leis da lideranca
Ismael
 
5 grandes teorias sobre liderança
5 grandes teorias sobre liderança5 grandes teorias sobre liderança
5 grandes teorias sobre liderança
Luis Branco, PMP
 
Liderança e Gestão de pessoas
Liderança e Gestão de pessoasLiderança e Gestão de pessoas
Liderança e Gestão de pessoas
Adriana Reis
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Luis Henrique
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
guestcda5ca
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Gustavo Zimmermann
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
Rodneync
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Rui Loureiro
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Carlos Benjoino Bidu
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Renato Martinelli
 
Slides sobre Lideranca
Slides sobre LiderancaSlides sobre Lideranca
Slides sobre Lideranca
guest99f679
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
Rodrigo Ribeiro
 

Destaque (20)

Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
 
Direção Segundo Chiavenato
Direção Segundo Chiavenato Direção Segundo Chiavenato
Direção Segundo Chiavenato
 
A necessidade de uma gestão de recursos humanos
A necessidade de uma gestão de recursos humanosA necessidade de uma gestão de recursos humanos
A necessidade de uma gestão de recursos humanos
 
Org adm parte 1.ppt
Org adm parte 1.pptOrg adm parte 1.ppt
Org adm parte 1.ppt
 
Nocoes de organizacao e gestao de pessoas
Nocoes de organizacao e gestao de pessoasNocoes de organizacao e gestao de pessoas
Nocoes de organizacao e gestao de pessoas
 
Autismo guia pratico1
Autismo guia pratico1Autismo guia pratico1
Autismo guia pratico1
 
Capítulo 1: O Avião e sua História
Capítulo 1: O Avião e sua HistóriaCapítulo 1: O Avião e sua História
Capítulo 1: O Avião e sua História
 
História da aviação
História da aviaçãoHistória da aviação
História da aviação
 
As leis da lideranca
As leis da liderancaAs leis da lideranca
As leis da lideranca
 
5 grandes teorias sobre liderança
5 grandes teorias sobre liderança5 grandes teorias sobre liderança
5 grandes teorias sobre liderança
 
Liderança e Gestão de pessoas
Liderança e Gestão de pessoasLiderança e Gestão de pessoas
Liderança e Gestão de pessoas
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do Líder
 
Slides sobre Lideranca
Slides sobre LiderancaSlides sobre Lideranca
Slides sobre Lideranca
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
 

Semelhante a Direção

Administracao unidade06
Administracao unidade06Administracao unidade06
Administracao unidade06
koddyrj2011
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
Aldo Pereira Costa
 
A teoria das necessidades de david mc clelland
A teoria das necessidades de david mc clellandA teoria das necessidades de david mc clelland
A teoria das necessidades de david mc clelland
Ronne Seles
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
Leon Pires
 
Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
Grupo OT5
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
Laura Malate
 
Abordagem comportamental
Abordagem comportamentalAbordagem comportamental
Abordagem comportamental
Fabiano Augusto
 
MOTIVATION
MOTIVATION MOTIVATION
MOTIVATION
jeffersonvinicios1
 
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
alanahmar15
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Psicologia_2015
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Miguel Neves
 
Teorias motivacionais
Teorias motivacionaisTeorias motivacionais
Teorias motivacionais
Alcides Cabral PMP
 
Apresentação Motivação e Liderança de Grupos
Apresentação Motivação e Liderança de GruposApresentação Motivação e Liderança de Grupos
Apresentação Motivação e Liderança de Grupos
brunomiguelsoliveira
 
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento OrganizacionalAula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula 2 adminis
Aula 2 adminisAula 2 adminis
Aula 2 adminis
Marluce Filipe
 
Aula rodrigo estruturalismo - comportamentalismo
Aula rodrigo   estruturalismo - comportamentalismoAula rodrigo   estruturalismo - comportamentalismo
Aula rodrigo estruturalismo - comportamentalismo
Cassia da Silva
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Élida Tavares
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
Ivan Celio
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
Coach Prof. Cesar Rufino
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
Maria Domingas de Souza
 

Semelhante a Direção (20)

Administracao unidade06
Administracao unidade06Administracao unidade06
Administracao unidade06
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
 
A teoria das necessidades de david mc clelland
A teoria das necessidades de david mc clellandA teoria das necessidades de david mc clelland
A teoria das necessidades de david mc clelland
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
 
Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Abordagem comportamental
Abordagem comportamentalAbordagem comportamental
Abordagem comportamental
 
MOTIVATION
MOTIVATION MOTIVATION
MOTIVATION
 
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Teorias motivacionais
Teorias motivacionaisTeorias motivacionais
Teorias motivacionais
 
Apresentação Motivação e Liderança de Grupos
Apresentação Motivação e Liderança de GruposApresentação Motivação e Liderança de Grupos
Apresentação Motivação e Liderança de Grupos
 
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento OrganizacionalAula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
 
Aula 2 adminis
Aula 2 adminisAula 2 adminis
Aula 2 adminis
 
Aula rodrigo estruturalismo - comportamentalismo
Aula rodrigo   estruturalismo - comportamentalismoAula rodrigo   estruturalismo - comportamentalismo
Aula rodrigo estruturalismo - comportamentalismo
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 

Mais de Matias Silva

Globalização aula 3 significados basicos
Globalização aula 3 significados basicosGlobalização aula 3 significados basicos
Globalização aula 3 significados basicos
Matias Silva
 
Karl Max
Karl MaxKarl Max
Karl Max
Matias Silva
 
weber
 weber  weber
weber
Matias Silva
 
Durkheim ADM
 Durkheim  ADM Durkheim  ADM
Durkheim ADM
Matias Silva
 
Aula durkheim 2011
Aula durkheim 2011Aula durkheim 2011
Aula durkheim 2011
Matias Silva
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
Matias Silva
 
durkheim
 durkheim  durkheim
durkheim
Matias Silva
 

Mais de Matias Silva (8)

Globalização aula 3 significados basicos
Globalização aula 3 significados basicosGlobalização aula 3 significados basicos
Globalização aula 3 significados basicos
 
Karl Max
Karl MaxKarl Max
Karl Max
 
weber
 weber  weber
weber
 
Durkheim ADM
 Durkheim  ADM Durkheim  ADM
Durkheim ADM
 
Aula durkheim 2011
Aula durkheim 2011Aula durkheim 2011
Aula durkheim 2011
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
durkheim
 durkheim  durkheim
durkheim
 

Direção

  • 2. A direção é um das quatro funções da administração e esta relacionada com todas as atividades organizacionais que envolvem a interação entre administradores e trabalhadores. Dirigir significa orientar os esforços individuais para um propósito comum organizacional, para isso é necessário entender as necessidades individuais , motiva-las, lidera-las e criar condições de trabalho para que elas se sintam satisfeitas e comprometidas com a organização.
  • 3.  O sucesso da organização depende em larga medida, da satisfação de necessidades, desejos e expectativas das pessoas que colaboram com a organização e trabalhão nela.  Assim e necessário que haja compatibilização dos objetivos individuais com os organizacionais.  A direção é um processo inter pessoal e esta relacionada com administração das relações entre os membros organizacionais e a organização.
  • 4.  A direção envolve orientação, motivação, comunicação e liderança.  Cabe a ela desenvolver boas condições de trabalho e um ambiente propício a cooperação a resolução de eventuais conflitos entre os membros organizacionais.
  • 5.  McGregor, desenvolveu uma das primeiras tentativas para entender o comportamento das pessoas nas organizações classificando as teorias organizacionais de acordo com os pressupostos distintos a cerca da natureza humana. ( Teoria “X” e “y”)  Teoria “X” resume uma visão da natureza humana,segundo a qual as pessoas são preguiçosas, evitam trabalho e não gostam de assumir responsabilidades.  Teoria “y” parte do pressuposto de que o trabalho é inerente ás pessoas, as quais obtêm satisfação intrínseca em suas atividades.
  • 6.  No entanto, apesar de seu apelo intuitivo, a teoria de McGregor não encontrou validação empírica.  Não foi comprovado que se um administrador aceita a teoria “y”, dirigirá seus subordinados de uma forma mais eficaz do que um que assuma os pressupostos da teoria “x”.
  • 7.  Comportamento organizacional: área de conhecimento multidisciplinar, que analisa as ações e comportamentos das pessoas nas organizações.  O comportamento organizacional divide-se em: comportamento individual e em grupo:  Comportamento individual abrange aspectos como atitude, personalidade, percepção aprendizagem pode ser entendido no prisma da psicologia.  Comportamento em grupo envolve aspectos como os papeis, normas, status e coesão pode ser compreendida no prima da sociologia e psicologia social.
  • 8.  Bases do comportamento individual nas organizações.  Atitudes  Personalidades  Percepção  Aprendizagem  Esses comportamentos são de essencial importância para que o administrador entenda o comportamento dos trabalhadores para assim aumentar sua produtividade.
  • 9.  Atitudes  Representam predisposições do indivíduo perante objetos, pessoas, eventos ou situações. Dentre ela destaca-se :  Componente cognitivo: corresponde ás crenças, opiniões e informações.  Componente afetivo: referente ás emoções e sentimentos  Componentes comportamental: relativo á intenção comportamental
  • 10.  Personalidade  Refere-se ao conjunto de características psicológicas estáveis que caracteriza a diferença de outras pessoas, e que se refere em seu comportamento.  Modelo dos cinco fatores; é um construto teórico que descreve a personalidade humana com base em cinco dimensões: extroversão, agradabilidade, senso de responsabilidade, estabilidade emocional .  Inteligência emocional uma arquitetura conceitual da inteligência não cognitiva, definida como habilidade de uma pessoa para perceber e compreender e regular as
  • 11.  A inteligência emocional divide-se em :  Dimensão intrapessoal é o autoconhecimento e autocontrole das emoções que se refere a capacidade de compreender e distinguir os impulsos emocionais próprios e controlados em seu beneficio.  Dimensão interpessoal e a ligação só indivíduos co os outros, empatia,‟sintonia emocional‟ traduza pela capacidade de compreender a natureza e as emoções dos outros, a partir das perspectivas alheia
  • 12.  Traços de personalidade:  Lócus de controle  Maquiavelismo  Automonitoramento
  • 13.  Percepção  Processo cognitivo, por meio do qual as pessoas organizam e interpretam suas impressões sensoriais. Estimulo Observação Triagem Interpretação comportamento
  • 14.  Percepção seletiva : acontece quando a pessoa separa certa informação que apoia ou reforça um convicção anterior e filtra uma informação que não confirma sua opinião.  Projeção : é a tendência para reconhecer, nas outras pessoas, seus sentimentos ou suas características.  Efeito de halo: uma união geral sobre uma pessoa, baseada apenas em uma característica única. Como aparência , agressividade ou timidez.
  • 15. Aprendizagem  Se refere á mudanças no comportamento com consequência da experiência.  Teoria do condicionamento operante: o comportamento e uma função de suas consequências, e argumenta que as pessoas apreendem a se comportar para conseguir algo que desejam ou para evitar algo que as pune ou traz satisfação.  Teoria de aprendizagem social: os indivíduos apreendem o que acontece com os outros e pela experiência direta, ou seja, aprendem pelas consequências da interação social.  Tais teorias assumem que a aprendizagem é um conceito consciente e analítico.
  • 16. Grupos formais e informais  Formais: se estrutura em torno de tarefas especificas e busca alcançar objetivos específicos, como base determinada na distribuição de autoridade e responsabilidade .(comissão, comitês, conselhos)  Informais: surge naturalmente no âmbito das organizações por razoes diferentes das instrumentais, tais como convívio social, amizade, afetos, interesses.  Grupo de referencia esta relacionado com o grupo no qual o individuo se identifica. (Esta relacionado com o grupo informal).
  • 17. Conceitos básico s do comportamentos em grupo.  Papéis: padrões esperados de comportamentos  Ambiguidades de papéis;ocorrem quando o funcionário não tem certeza do comportamento esperado por parte da organização.  Conflitos de papeis: são as expectativas divergentes acerca do comportamento esperando. Normas: são padrões aceitáveis e desejáveis de comportamento. Status: é uma manifestação do poder no âmbito de grupos que se refere a nível ou a posição de um
  • 18. motivação Motivação Esforço Metas Organizacionais Necessidades A predisposição individual para exercer esforços que busquem o alcance de metas organizacionais, condicionada pela a capacidade de esses pessoas satisfazerem simultaneamente alguma necessidade individual;Nesta definição destaca-si três elementos.
  • 19.  Perspectiva de conteúdo acerca da motivação: conjunto de teorias que busca entender as necessidades internas que motivam as pessoas.  Perspectivas de processos acerca da motivação: reúnem as teorias que enfatizam „como‟ da motivação.  Perspectivas de reforço acerca da motivação: teorias que enfatizam a forma com se aprende o comportamento desejado, analisando a relação comportamento-consequências
  • 20. Teorias de conteúdos da motivação  Enfocam as necessidades internas dos trabalhadores que motivam seu comportamento.  Teoria da hierarquia das necessidades: comportamento individual e motivado por estímulos internos que são estados de carência e motivação. (Abraham Maslow).  Teoria ERC: É uma ligeira motivação da teoria de maslow que busca a avaliação empírica (Clayton Aldefer).  Necessidades existenciais: estão relacionadas ao bem estar físico coresponde aos níveis baixos da hierarquia de maslow  Necessidades relacionais: a relação interpessoais satisfatórias
  • 21. Teoria de dois fatores  Frederick Herzberg foi responsável por desenvolver uma ampla pesquisa de campo, o autor observou que os fatores responsáveis pela motivação eram substancialmente diferentes daqueles que determinam a insatisfação e a desmotivação no trabalho.  Fatores Higiênicos: refere-sem ao conjunto de fatores que são responsáveis pela a insatisfação do trabalho, mas que, quando observados, não levam a satisfação.  Fatores motivacionais: são os que influenciam a satisfação no trabalho. A teoria de Herzberg tem sido criticada por
  • 22. Realização • Reconhecimento • Exercício de responsabilidade • Possibilidade de crescimento • Possibilidade de aprendizagem Supervisão • Políticas de empresa • Salários • Relacionamento interpessoais • Condições físicas de trabalho • Segurança Fatores motivacionais Fatores higiênicos Fatores que conduzem a extrema satisfação do trabalho. Fatores que conduzem a extrema insatisfação no trabalho.
  • 23. Teorias das três necessidades  Desenvolvida por David McClelland, baseando-se no modelo de John Atkinson, que relaciona o comportamento a três impulsos básicos.  Necessidades de realização: relativas ao desejo de alcançar metas difíceis, realizar tarefas desafiadoras e complexas e superar os outros.  Necessidade de poder: desejo de influenciar e controlar os outros, de ter poder e autoridade sobre eles.  Necessidade de afiliação: desejo de associação com os outros, de ter relacionamentos íntimos, ter amigos e evitar conflitos.  Diferentemente de Maslow, McClelland defende que a configuração dessas necessidades depende do indivíduo, um vez que elas são aprendidas durante a vida individual, diferenciando de todos
  • 24. Criticas a perspectiva de conteúdo  As teorias de conteúdo contribuirão para o compreensão do objetivo da motivação, destacando a importância que fatores internos – as necessidades– que fazem com que os indivíduos se comportem de determinada maneira. No entanto tais teorias podem induzir o administrador apensar que basta conhecer as necessidades do funcionário para escolher o tipo e as condições de trabalho que mais motivarão, o que isso não se verifica.
  • 25. Teoria de processo da motivação  As teorias que fazem parte as perspectiva de processo buscam compreender o „como‟ da motivação, enfatizando, o pensamento por meio dos quais as pessoas decidem agir, existindo três teorias;  Teoria da expectativa: O esforço de trabalho de uma pessoa para alcançar determinado nível de desempenho depende de sua expectativa em relação ao resultado que esse desempenho terá isto é, de sua avaliação se a recompensa vale o esforço alocado, partindo dos seguintes pressupostos;  Comportamento é influenciado por uma combinação de fatores individuais e ambientais;  Os indivíduos tomam decisões conscientes sobre seu comportamento organizacional;  Os indivíduos apresentam necessidades e objetivos diferentes;
  • 27. Expectativa de esforço-desempenho(esforço leva ao desempenho)  As expectativas de uma pessoa acerca do grau de dificuldade de desempenho bem sucedido influenciam suas decisões sobre o comportamento desejado. Expectativa de desempenho- resultado(desempenho leva a resultados)  Os indivíduos esperam certos resultados se seu comportamento , é que o desempenho bem-sucedido leve ao resultado desejado. Valência( atratividade do resultado)  o resultado do comportamento apresenta um poder de motivar, uma valência apresenta um poder de motivar, uma valência especifica, que varia de individuo para individuo
  • 28. Teoria da equidade  Defende que um fator a ser considerado na motivação é com relação á percepção dos funcionário acerca da justiça – equidade– da recompensa recebida pelos resultados alcançado, em comparação com seus colegas,(Stacey Adams).  Para Adams quando as pessoas avaliam o modo com são tratadas no ambiente de trabalho, elas consideram dois fatores fundamentais;  Recompensas; refere-se ao que a pessoa recebe no trabalho: reconhecimento, pagamento, benefícios,satisfação;  Insumos; correspondem á contribuição que a pessoa oferece á organização: esforço, tempo, talento etc.  A equidade pode ser definida como uma relação(proporção) entre os insumos que a pessoa dá e, seu trabalho e as recompensas que recebe.  Os administradores não devem estar apenas preocupado com as recompensas absolutas, mas
  • 29. Teoria do estabelecimento de objetivos  Defende que os funcionários precisam ter metas consciente que os estimulem e que dirijam seu comportamento ( Edwin Locke);  Os objetivos devem ser simultaneamente aceitáveis, desafiadores e alcançáveis, os indivíduos devem compreender e aceitar os objetivos especificados e sentir que possuem as habilidades necessárias para atingi-los;  Quanto mais específicos, quantitativos,mensuráveis forem esses objetivos, mais eficazes serão na motivação do funcionário.
  • 30. Criticas ás perspectivas de processo  Elas estabelecem relações mais complexas entre as necessidades das pessoas, os resultados de suas ações e as metas organizacionais, é dessa complexidade que decorre a dificuldades de implementá-las na prática;  A aplicação dessas teorias requer que o administrador conheça profundamente os funcionários, além de suas necessidades, objetivos e habilidades.
  • 31. Teorias de reforço da motivação  Busca compreender como as consequências de comportamento anteriores influenciam as ações futuras, analisa a relação entre o comportamento e suas consequências, baseadas na concepção de uma aprendizagem cíclica;  A teoria do reforço apresenta um conjunto de técnicas que procura modificar o comportamento das pessoas;  Lei do efeito, segundo a qual é de esperar que o comportamento com consequências positivas seja repetido no futuro, enquanto o comportamento não reforçado positivamente tendem a não ser repetidos;  Lei de reforço, refere-se a uma tentativa de
  • 32.  Reforço positivo:relativo á aplicação de uma consequência positiva a recompensadora quando um comportamento desejado acontece,recebimento de bônus, participação nos lucros...  Aprendizagem da abstenção(ou reforço negativo): corresponde á eliminação de uma consequência negativa e desagradável quando um comportamento desejado acontece.  Punição: refere-se á aplicação de medidas negativas e desagradáveis quando ocorre um comportamento indesejável.  Extinção: trata-se da remoção das recompensa positivas para evitar um
  • 33. Criticas ás perspectivas do reforço  É geralmente criticada por seu explicito caráter instrumental, a ideias de modificar o comportamento das pessoas pelas tentativas de reforço contradiz os pressupostos liberatórios, segundo os quais os seres humanos são essencialmente livres e escolhem suas ações.  É o fato de que a teoria ignora completamente os motivos e as necessidades internas, tratando de forma homogenias todos os funcionários.
  • 34. Visão contemporânea da motivação  Técnicas motivacionais contemporânea podem ser aplicadas ao desenho do trabalho individual, em busca do aumento da produtividade e da satisfação dos trabalhadores;  Rotativa de cargo: refere-se á motivação sistemática dos funcionários de uma tarefa para outra, como forma de reduzir os efeitos alienantes da excessiva simplificação do trabalho;  Expansão de cargo: consiste na adição de tarefas novas e mais abrangentes ao cargo, de forma a aumentar o desafio e a variedade ao trabalho;  Enriquecimento de cargos: inicio na adição de responsabilidade de planejamento e avaliação á simples execução de um trabalho, de forma alinhar os motivadores materiais com motivadores.  O Empowerment é um movimento que consiste na delegação de autoridade para subordinados,
  • 35. O conceito de liderança  Pode ser definida como o processo social de dirigir e influenciar o comportamento dos membros da organização, levando-os á realização de determinados objetivos, destacando três elementos na definição de liderança.  Liderança envolve pessoas com a disposição para garantir as orientações de um líder.  Liderança é um conceito relacionado ao uso do poder por parte do líder e envolve uma distribuição desigual desse último.  Liderança é a capacidade de usar o poder para influenciar o comportamento dos seguidores
  • 37.  Existe, assim, uma diferença substancial entre administradores e líderes.  Um bom administrador, apto a planejar, organizar, organizar e controlar bem pessoas e recursos, pode não ser um bom líder;  Os líderes vão além da autoridade formal, motivando as pessoas a desempenhar tarefas além daquelas formalmente definidas;  Essa capacidade de motivar,de gerar entusiasmo e comprometimento por parte das pessoas estabelece a diferença entre o líder e o administrador.
  • 38. Visão geral das teorias de liderança  Assim como as teorias de motivação,a s tentativas teóricas de compreensão do fenômeno da liderança podem ser divididas e, várias categorias que apresentam diferença conceituais e metodológicas;  Inicialmente focaram os traços internos dos líderes, características únicas e singulares que pudessem diferenciá-los de não-líderes, essa e a perspectiva de liderança baseada nos traços;  O fracasso dessas tentativas teóricas levou ao desenvolvimento de uma nova abordagem, cujo principal pressuposto era que o foco da teoria deveria recair no comportamento do líder;
  • 39.  Perspectiva comportamental da liderança Responsável por desenvolver os estilos de liderança, os quais especificam os padrões do comportamento de um líder e orientar as pesquisas até os dias de hoje.  Teorias de liderança também buscaram compreender a influência de fatores situacionais na ação do líder, ficou conhecida como Perspectiva contingencial da liderança.
  • 40. Traços de Liderança  Seu objetivo principal é a identificação dos traços, das características individuais dos líderes, partindo do pressuposto de que eles nascem com tais características que os diferenciam de outras pessoas;  Diversos grupos de psicólogos e pesquisadores tentaram comprovar essas teoria fazendo uso de duas abordagens metodológicas;  Comparação dos traços de liderança com os indivíduos comuns;  Comparação dos traços de líderes eficazes com os de líderes ineficazes.  As pesquisas revelam que os líderes têm determinados traços de personalidade– como determinação, iniciativa, autoconfiança, inteligência, honestidade ou integridade– mas as pessoas que têm esses traços não são ( e nem
  • 41. Liderança comportamental  Eles tentaram verificar não o que os líderes eram, mas o que faziam, procurando isolar as características comportamentais do líderes eficazes.  É uma diferença crucial da abordagem de traços– é que o comportamento pode ser aprendido; logo, as pessoas podem ser treinadas e formadas de modo a se tronarem líderes eficazes.  Função de liderança: conjunto de atividades empreendidas pelo líder para promover o desempenho eficaz do grupo.  Paralelamente, existem líderes para os quais a satisfação e o crescimento de seus subordinados são o mais importante, eles procuram motivar os trabalhadores, buscam sua participação no processo
  • 42. Os estudos da universidade de Iowa  Foram um dos primeira tentativa de identificar os estilos de liderança de um administrador.(três estilos foram identificados).  Estilo autocrático: caracteriza-se pela centralização da autoridade e do processo de tomada de decisão.  Estilo democrático: distingue-se pela participação e envolvimento dos funcionários no processo de tomada de decisão em conjunto da forma e dos métodos de trabalho.  Estilo laissez: evidencia-se pela total liberdade dada aos funcionários para decidir e executar o trabalho da forma como acharem correto.
  • 43.  No entanto, confirmaram que o estilo democrático era capaz de capaz de conseguir maiores níveis de satisfação dos funcionários do que o estilo autocrático;  Autores argumentam que, alongo prazo, o estilo democrático era mais eficaz, no entanto, três conjuntos de forças deveriam ser considerados pelo administradores.  Força do administrador: ele deve escolher os estilo de liderança no qual se sente mais confortável;  Força dos subordinados: as características dos funcionários também influenciam a adoção do estilo de liderança mais adequado, ou seja, sua maturidade, responsabilidade etc.  Forças situacionais: características situacionais internas e externas, como a cultura organizacional a pressão do tempo e o grau de
  • 44. Os estudos da Universidade de Ohio  Representaram uma das mais importantes contribuições na década de 1940, no que diz respeito às teorias contemporâneas de liderança;  O Objetivo das pesquisas consistia em compreender qual a eficácia dos comportamento de liderança orientados para a tarefa(chamada estrutura de iniciação) e para as pessoas (denominada consideração);  A estrutura de iniciação corresponde ao grau em que um líder define o trabalho q realizar, as relações entre pessoas, os canais de comunicação e a forma como o trabalho é realizado;  A consideração refere-se ao grau em que um líder propicia relacionamento de trabalho
  • 45. Os estudos da Universidade de Michigan  A identificação de características comportamentais de liderança responsáveis pela eficácia do desempenho, as duas dimensões de comportamento de liderança foram definidas como voltando para o funcionários e voltando para a produção;  Os líderes voltados para o funcionários enfocam os relacionamentos interpessoais, respeitam e consideram os indivíduos na organização;  Líderes voltados para a produção enfatizam aspectos técnicos as tarefa e consideram os membros organizacionais apenas como um meio para esse fim.
  • 46. A Grade gerencial de Blake e Mouton  Partiram do pressuposto de que os estilos de liderança eram opostos e antagônicos, ou seja, um administrador era orientado para a tarefa ou orientado para as pessoas, sendo que a preocupação com as pessoas e a produção são importantes para alcançar com desempenho;  A grade gerencial foi desenvolvida por Robert Blake e Jane Mouton, desenvolveram uma tipologia de comportamento de liderança com base em duas dimensões comportamentais: preocupação com as pessoas e preocupação com a produção.  Cada uma dessas dimensões é medidas por meio de uma escala de 1 a 9, cuja combinação
  • 47.  Líderança-pessoas (1,9): orientado para as necessidades dos funcionários, promover um ambiente amigável e um timo de trabalho confortável;  Líder-tarefas (9,1): orientado a produção e eficiência das operações, defende a interferência mínima do elemento humano;  Lider-negligente (1,1): aquele que abdica de seu papel de liderança, exercendo um esforço mínimo para justificar sua permanência na organização  Líder meio-termo (5,5): moderadamente orientado para as pessoas e a produção, procura um equilíbrio entre a satisfação das pessoas e as necessidades da produção;  Líder-equipe (9,9): simultaneamente orientado para as pessoas e a produção, procura o comprometimento das pessoas com
  • 48. Blake e Mouton concluem que o lider-equipe é o estilo de liderança mais eficaz, uma vez que proporciona maior desempenho, maior satisfação, menor obsenteísmo e menor rotatividade.
  • 49. Liderança contingencial  Permitiram concluir que a relação entre liderança e eficácia era muito mais complexa do que a simples identificação dos traços ou dos comportamentos dos líderes;  Segundo a perspectiva situacional ou contingencial, não existem traços comportamentos universalmente importados com relação á liderança, entre outros fatores situacionais mais utilizados para descrever a situação estão;  A personalidade, os valores, a experiência e as expectativas do líder;  A maturidade, a responsabilidade, a personalidade e as expectativas dos subordinados;  as expectativas dos superiores hierárquicos e dos
  • 50. Teoria de contingência de Fiedler  Segundo o autor, o desempenha eficaz do grupo depende da combinação do estilo do líder com a situação organizacional mais favorável para seu sucesso;  Assim, existem apenas duas maneiras de melhorar a eficácia do líder: mudar o líder para que ele encaixe na situação ou modificar a situação para que se torne adequada ao líder.  O modelo de Fiedler busca relacionar dois estilos de licença com três característica;  Relações Líder-subordinado: qualidade da interação entre líder e subordinados, medida pelo grau de aceitação, confiança e respeito que os subordinados têm em relação ao líder;  Estrutura da tarefa: grau de estruturação das tarefas, de especialização de procedimento e normas de definição de metas
  • 51. De acordo com o delo de Fiedler, líderes voltados para a tarefa são mais eficazes em situações muitos favoráveis ou desfavoráveis, ao passo que líderes voltados para relacionamentos são mais eficazes em situações intermediária.
  • 52. Teoria situacional de Hersey e Blanchard  Conhecida como teoria da liderança situacional, enfatiza as características dos funcionários para determinar o comportamento dos funcionários para determinar o comportamento de liderança apropriando;  O nível de prontidão do subordinado, avaliando em termos do grau de capacidade e interesse em desempenhar uma tarefa especifica, é a principal variável situacional que todo líder enfrenta;  Hersey e Blanchard identificam quatro comportamentos de liderança: diretivo, persuasivo, participativo e delegador;  No entanto, Ambos acreditam que o relacionamento entre um líder e seus subordinados deve passar por quatro fases(
  • 53. Comportamento orientado para a tarefa AutoBaixo Comportamentoorientadoparao relacionamento
  • 54. Teoria caminho-meta de Evens e House  Propõe que o trabalho de líder consiste em ajudar os funcionários a obter recompensas individuais, por meio do esclarecimento do caminho que deverão percorrer para atingir elevado nível de desempenho que lhes permita alcançar, simultaneamente, as recompensas individuais e as metas organizacionais;  A teoria trabalha com quatro estilos de liderança: Líder diretivo, especifica as tarefas e define as metas; Líder compreensivo, é amigável e preocupado com as necessidades dos funcionários; Líder participativo, é democrático, consultando os funcionários e descentralizando a tomada de decisão;
  • 55. • Estrutura da tarefa • Sistemas de autonomia formal • Grupo de trabalho Fatores ambientais • Lócus de controle • Experiência • Capacidade percebida Características dos seguidores • Divertido • Compreensivo • Participativo • realizador Estilos de liderança Maior esforço Alto desempenho Maior satisfação
  • 56. Substitutos de Liderança  Sugere que as variáveis situacionais possam ser tão poderosas que substituem ou neutralizam a necessidade de liderança;  Que tem como objetivo ajudar os administradores a definir quais são os comportamentos de liderança mais eficazes em cada situação;
  • 57. Teoria da liderança transformacional  Focalizam não o comportamento dos líderes perante os seguidores, mas sim o tipo recompensa e demonstrar preocupação;  O líder transacional é que guia e motiva seus subordinados na direção dos objetivos, esclarecimento o papel destes e as exigências da tarefa, proporciona recompensas e demonstra preocupação com as necessidades dos subordinados.  O líder transformacional é definido por sua habilidade especial realizar inovações no contexto organizacional;
  • 58. Teoria da liderança carismática  Caracterizados pela habilidade de motivar os funcionários a se transcenderem;  Desenvolvida por House, um dos autores as teoria caminho-meta, a teoria defende que os líderes carismáticos influenciam seus seguidores porque. Declaram uma visão que cria um senso de pertença e de comunidade, que inspirara os seguidores e garante seu comportamento; Estão dispostas a fazer sacrifícios e a correr riscos para demonstrar coragem e convicção com relação á sua visão.