SlideShare uma empresa Scribd logo
A IMPORTÂNCIA DA
MOTIVAÇÃO NO ÂMBITO
ORGANIZACIONAL
• José Francisco
• Carolina
• Maryanne
• Keucilene
• Marygiane
• Albert
• Âmbito
Esfera de um espaço em que acontece algum
tipo de trabalho, ocupação ou diversas
atividades.
• Organizacional
Como é organizada uma empresa.
Ambiente Organizacional
BALATA
Ambiente Organizacional
• Ambiente Organizacional
O conjunto de todos os fenômenos externos à
população de organizações em análise que a
influenciam de forma real e/ou potencial.
R. Hall em “Organizações: estrutura e processos”.
BALATA
Ambiente Organizacional
• Herzberg:
• 1 condições de trabalho;
• 2 cargo e a função desempenhada.
• Maslow:
• Autoestima e auto realização.
BALATA
Ambiente Organizacional
• Ambiente
• Foco principal dos administradores.
• Variáveis
• Recursos disponíveis (conhecimentos e experiências);
• Cultura organizacional;
• Gestão;
• Características estruturais (burocracia, hierarquia);
• Comportamento organizacional (explicação, previsão e
controle).
BALATA
Ambiente Organizacional
“A grande questão é encontrar o estímulo
correto que levará o colaborador a sentir-se
motivado, proativo, disposto a entregar à
empresa aquilo que ele tem de melhor – sua
capacidade, sua habilidade, seu interesse,
seu conhecimento.”
Sandro Cantidio
Engenheiro de Desenvolvimento de
Produtos e Processos, Melhoria de
Produtividade, Ferramentas da
Qualidade e Produção Enxuta
BALATA
Teorias que explicam a motivação
humana
• BEHAVIORISMO:
• Skinner –O ambiente atua em relação ao indivíduo como
disposição ou como consequência;
• Privação/reforçamento;
• Os comportamentos são motivados por eventos que
ocorrem no mundo circundante;
• Há uma ligação necessária entre o estímulo externo e a
resposta comportamental.
Reforçadores
Observação
permanente
Resposta
MARYANNE
Cognitismo
• Dimensão intrínseca da motivação;
• Ação intencional do sujeito;
• Heckhausen: motivação para a realização;
• Os indivíduos tendem a buscar o prazer e se afastarem
do sofrimento;
• A motivação representa o fator externo ou interno que
dirige e integra o comportamento de uma pessoa;
• Programas para elevar o nível de motivação dos
sujeitos para o oferecimento de situações que permitam
conhecer sua própria capacidade.
MARYANNE
Humanismo
• Teoria da Administração (Escola de RH): Satisfação do
empregado, questões afetivas e pessoais;
• A motivação humana está estreitamente relacionada a
desejos, carências e anseios;
• Contribuição de Maslow: Hierarquia das Necessidades
Humanas.
• Fatores desmotivadores a partir da teoria proposta por
Maslow (SARDINHA):
• Falta de perspectiva de futuro da empresa, falta de benefícios
básicos, como plano de saúde, vale transporte etc., muita
individualidade na área, layout ruim, distante dos gerentes com
quem trabalham, e falta de treinamento básico.
MARYANNE
Teoria das Necessidades:
Pirâmide de Maslow
MARYANNE
Mc Gregor (1960)
psicólogo (EUA)
TEORIA X ( ex: nada
ambicioso) e Y (ex:
criativo),
essa teoria mostra duas
formas de “ver” o
trabalhador e “ser” do
trabalhador.
Tanto pode ser visto do
próprio individuo como ao
ver do gerente que o
observa e avalia.
HERZBERRG (1959)
Dois tipos de fatores:
1- Que causam satisfação:
fatores motivadores
(realização; reconhecimento pela
realização; o trabalho em si;
responsabilidade; desenvolvimento
pessoal; possibilidade de
crescimento).
2- Fatores Higiênicos
(Supervisão; Políticas empresariais;
Condições ambientais; Relações
interpessoais; Status;
Remuneração; Vida pessoal).
CAROLINA
Psicanálise fatores fisiológicos e
psicológicos
O motivo social é um dos
primeiro a ser privilegiado,
ainda que pouco divulgado
e estudado. Toma-se como
base de argumentação o
pressuposto de q eu os
motivos sociais são os
responsáveis pela visão
administrativa acerca da
motivação, no contexto
atual:
FREUD, ALLPORT,
MILLER, E DOLLAR
Miller e Dollar: Admitem os
motivos sociais como adquiridos.
A força de cada motivo depende
das condições especificas da
aprendizagem que podem variar
de acordo com a família, classe
social ou sociedade- visão
psicológica .
“A relação entre líder e adeptos
na relação em ter pais e filhos,
enquanto a dedicação mútua dos
componentes do grupo
representa a relação entre
irmãos”(Freud (?)).
CAROLINA
A fenomenologia existencial e a questão
do conhecimento
• O homem preocupado com as mesquinharias do dia-a-
dia abre mão de suas individualidades torna-se
inautêntico.
• Homem, autentico: “quando escolhe a sim mesmo,
quando decide encontrar-se e conquistar-se quando faz
suas próprias escolhas” ( LESSA,1999).
CAROLINA
TEORIA DO AGENTE
Todos os
indivíduos(diretores ou
agentes) preocupam-se
não só como saúde ou
compensação financeira
mas também com
privilégios no emprego, tais
como: condições de
trabalho, flexibilidade de
horários etc.
Universo Organizacional
• Multifuncionalidade:
• Visibilidade no mercado;
• Visão estratégica;
• Capacidade de
inovação;
• Autoparabens;
• interpessoalidade
CAROLINA
(parte de Keucilene)
5.3 –Padrões e Processos e
Comportamento
• As pessoas tendem a reagir de modo semelhante diante
do estímulo que as tarefas lhes provocam.
• Uma pessoa motivada a aprender e não apenas a
cumprir uma determinação organizacional evidencia um
comportamento da busca de estratégias para a resolução
do problema.
MARYGIANE
• Ao iniciar uma tarefa, faz-se preocupado em preservar
sua autoestima diante do grupo, mostrando-se tenso,
inseguro e nervoso.
MARYGIANE
5.4 –Condicionantes contextuais da
Motivação para aprender
a) Curiosidade –Estimula-se a compreensão dos
fenômenos não a memorização dos fatos por meio da
valorização do conhecimento prévio do sujeito;
b) Interesse –Segundo uma atividade orientada para a
exploração dele que facilite seu conhecimento e
compreensão, interesse depende da facilidade com que
a informação se relaciona com o que já se sabe;
c) Importância dos conteúdos –A maneira como o
instrutor inicia uma atividade de treinamento é decisiva
para que o treinando perceba a importância do
conteúdo a ser apresentado mesmo das tarefas
propostas.
MARYGIANE
Parte de Albert
Referências
• MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos
humanos: do operacional ao estratégivo.-3ª ed. São
Paulo:Futura,2000.
• RIBEIRO, Amélia Escotto do Amaral. Temais atuais em
pedagogia empresarial: aprender para ser
competitivo.-3ª ed. Rio de Janeiro:Wak.Ed,2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
Anatolie Pirgaru
 
Aula MotivaçãO Humana
Aula MotivaçãO HumanaAula MotivaçãO Humana
Aula MotivaçãO Humana
eloychaves
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
Maria Luiza Vaz
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
Cleber Bezerra
 
119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo
Pelo Siro
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
Luiz Siles
 
Teorias contemporaneas de motivação
Teorias contemporaneas de motivaçãoTeorias contemporaneas de motivação
Teorias contemporaneas de motivação
Ana Paula Bittencourt Okamoto
 
Teorias da Motivação - Administração de Empresas
Teorias da Motivação - Administração de EmpresasTeorias da Motivação - Administração de Empresas
Teorias da Motivação - Administração de Empresas
Romário Souto
 
24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes
pintcruz
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivação
PUC Minas
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
Maria Domingas de Souza
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
Ludmila Moura
 
A influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalhoA influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalho
Luciane Zuanazzi
 
Tcc
TccTcc
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Ligia Coppetti
 
Motivação intrínseca e motivação extrínseca
Motivação intrínseca e motivação extrínsecaMotivação intrínseca e motivação extrínseca
Motivação intrínseca e motivação extrínseca
Ronne Seles
 
Motivação bergamini
Motivação bergaminiMotivação bergamini
Motivação bergamini
Liliane Ennes
 
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresasA Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
Paulo Consul
 
18 motivacao
18 motivacao18 motivacao
18 motivacao
SARAJAQUELINEAIRESCA
 
Cartilha de motivação
Cartilha de motivaçãoCartilha de motivação
Cartilha de motivação
Natali Carvalho
 

Mais procurados (20)

Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
Motivação do trabalho no contexto hoteleiro e desempenho profissional dos emp...
 
Aula MotivaçãO Humana
Aula MotivaçãO HumanaAula MotivaçãO Humana
Aula MotivaçãO Humana
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
 
119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
 
Teorias contemporaneas de motivação
Teorias contemporaneas de motivaçãoTeorias contemporaneas de motivação
Teorias contemporaneas de motivação
 
Teorias da Motivação - Administração de Empresas
Teorias da Motivação - Administração de EmpresasTeorias da Motivação - Administração de Empresas
Teorias da Motivação - Administração de Empresas
 
24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivação
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
 
A influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalhoA influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalho
 
Tcc
TccTcc
Tcc
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Motivação intrínseca e motivação extrínseca
Motivação intrínseca e motivação extrínsecaMotivação intrínseca e motivação extrínseca
Motivação intrínseca e motivação extrínseca
 
Motivação bergamini
Motivação bergaminiMotivação bergamini
Motivação bergamini
 
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresasA Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
A Pirâmide de Maslow aplicada nas empresas
 
18 motivacao
18 motivacao18 motivacao
18 motivacao
 
Cartilha de motivação
Cartilha de motivaçãoCartilha de motivação
Cartilha de motivação
 

Destaque

Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Ronaldo Mullan
 
Mudança organizacional
Mudança organizacionalMudança organizacional
Mudança organizacional
RafaelaLemosGaspar
 
Satisfação no trabalho
Satisfação no trabalhoSatisfação no trabalho
Satisfação no trabalho
Lucio Rubens
 
Motivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalhoMotivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalho
Universidade Pedagogica
 
Liderança, Mudança e Comunicação
Liderança, Mudança e ComunicaçãoLiderança, Mudança e Comunicação
Liderança, Mudança e Comunicação
USP e Plexus
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
weronicasdj
 
Mudança Organizacional
Mudança OrganizacionalMudança Organizacional
Mudança Organizacional
Rodrigo Cristóvão
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Rebeca Pereira
 
Clima Organizacional
Clima OrganizacionalClima Organizacional
Clima Organizacional
Dayane Menezes
 
Mudança organizacional.
Mudança organizacional.Mudança organizacional.
Mudança organizacional.
Beth Chaves
 
Mudança Organizacional
Mudança OrganizacionalMudança Organizacional
Motivação de equipes nas organizações
Motivação de equipes nas organizaçõesMotivação de equipes nas organizações
Motivação de equipes nas organizações
Viviane Carolina
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
Larissa Estevão
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
Rodneync
 
MUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONALMUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONAL
Prof. Leonardo Rocha
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
bia_chersoni
 

Destaque (16)

Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Mudança organizacional
Mudança organizacionalMudança organizacional
Mudança organizacional
 
Satisfação no trabalho
Satisfação no trabalhoSatisfação no trabalho
Satisfação no trabalho
 
Motivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalhoMotivacao e satisfacao no trabalho
Motivacao e satisfacao no trabalho
 
Liderança, Mudança e Comunicação
Liderança, Mudança e ComunicaçãoLiderança, Mudança e Comunicação
Liderança, Mudança e Comunicação
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
Mudança Organizacional
Mudança OrganizacionalMudança Organizacional
Mudança Organizacional
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
 
Clima Organizacional
Clima OrganizacionalClima Organizacional
Clima Organizacional
 
Mudança organizacional.
Mudança organizacional.Mudança organizacional.
Mudança organizacional.
 
Mudança Organizacional
Mudança OrganizacionalMudança Organizacional
Mudança Organizacional
 
Motivação de equipes nas organizações
Motivação de equipes nas organizaçõesMotivação de equipes nas organizações
Motivação de equipes nas organizações
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
MUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONALMUDANÇA ORGANIZACIONAL
MUDANÇA ORGANIZACIONAL
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
 

Semelhante a A importância da Motivação no âmbito organizacional

Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
vitoraugustomb
 
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptxPsicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
LuisGabrielSantos6
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
carlossono
 
Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
Cursos Profissionalizantes
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saude
admcontabil
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Psicologia_2015
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
wesleysenaigo
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Nildo Guimaraes
 
339
339339
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
Prof. Leonardo Rocha
 
Motivação e Sucesso no Marketing Multinível
Motivação e Sucesso no Marketing MultinívelMotivação e Sucesso no Marketing Multinível
Motivação e Sucesso no Marketing Multinível
Manoel Miguel
 
Rh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rhRh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rh
admcontabil
 
Teorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergTeorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzberg
alesilvajesus
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
Aldo Pereira Costa
 
.10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional..10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional.
Governo do Estado do Ceará
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
Debora Miceli
 
Aula_-_Cap_6_e_7.pdf
Aula_-_Cap_6_e_7.pdfAula_-_Cap_6_e_7.pdf
Aula_-_Cap_6_e_7.pdf
AloideXadrequeBucuan
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
Pedro Luis Moraes
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Juliana Gulka
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
RosineiaSantos8
 

Semelhante a A importância da Motivação no âmbito organizacional (20)

Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
 
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptxPsicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
Psicologia_e_Trabalho_ -_Motivacao_e_Trabalho.pptx
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
 
Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saude
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
 
339
339339
339
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Motivação e Sucesso no Marketing Multinível
Motivação e Sucesso no Marketing MultinívelMotivação e Sucesso no Marketing Multinível
Motivação e Sucesso no Marketing Multinível
 
Rh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rhRh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rh
 
Teorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergTeorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzberg
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
 
.10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional..10.10.intelig.emocional.
.10.10.intelig.emocional.
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
 
Aula_-_Cap_6_e_7.pdf
Aula_-_Cap_6_e_7.pdfAula_-_Cap_6_e_7.pdf
Aula_-_Cap_6_e_7.pdf
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
 

Mais de Maryanne Monteiro

AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVAAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
Maryanne Monteiro
 
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
Maryanne Monteiro
 
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempoO sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
Maryanne Monteiro
 
Resenha do filme Black
Resenha do filme BlackResenha do filme Black
Resenha do filme Black
Maryanne Monteiro
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
Maryanne Monteiro
 
O professor educador
O professor educadorO professor educador
O professor educador
Maryanne Monteiro
 
Resumo EJA filme Narradores de Javé
Resumo EJA filme Narradores de JavéResumo EJA filme Narradores de Javé
Resumo EJA filme Narradores de Javé
Maryanne Monteiro
 
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento ruralO papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
Maryanne Monteiro
 
Artigo sobre Educação étnica
Artigo sobre Educação étnicaArtigo sobre Educação étnica
Artigo sobre Educação étnica
Maryanne Monteiro
 
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamenteBraile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Maryanne Monteiro
 
A educação de surdos no mundo
A educação de surdos no mundoA educação de surdos no mundo
A educação de surdos no mundo
Maryanne Monteiro
 
A forma como eixo
A forma como eixoA forma como eixo
A forma como eixo
Maryanne Monteiro
 
Pedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
Pedagogia empresarial - Proposta de TrabalhoPedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
Pedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
Maryanne Monteiro
 
Cultura afro brasileira
Cultura afro brasileiraCultura afro brasileira
Cultura afro brasileira
Maryanne Monteiro
 
Aula Montessoriana - Prática
Aula Montessoriana - PráticaAula Montessoriana - Prática
Aula Montessoriana - Prática
Maryanne Monteiro
 
Apagões
ApagõesApagões
Os quilombolas do Maranhão
Os quilombolas do MaranhãoOs quilombolas do Maranhão
Os quilombolas do Maranhão
Maryanne Monteiro
 
Planejamento educacional
Planejamento educacionalPlanejamento educacional
Planejamento educacional
Maryanne Monteiro
 
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de MonografiaA educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
Maryanne Monteiro
 
A educação moral no ambiente escolar
A educação moral no ambiente escolarA educação moral no ambiente escolar
A educação moral no ambiente escolar
Maryanne Monteiro
 

Mais de Maryanne Monteiro (20)

AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVAAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NUMA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
 
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
A PARTICIPAÇÃO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL EM RELAÇÃO AO APROVEITAMENTO ESCOLAR...
 
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempoO sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
O sistema Braile no Brasil - Linha do tempo
 
Resenha do filme Black
Resenha do filme BlackResenha do filme Black
Resenha do filme Black
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
O professor educador
O professor educadorO professor educador
O professor educador
 
Resumo EJA filme Narradores de Javé
Resumo EJA filme Narradores de JavéResumo EJA filme Narradores de Javé
Resumo EJA filme Narradores de Javé
 
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento ruralO papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
O papel da educação do campo na construção do desenvolvimento rural
 
Artigo sobre Educação étnica
Artigo sobre Educação étnicaArtigo sobre Educação étnica
Artigo sobre Educação étnica
 
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamenteBraile - Como tratar deficientes visuais corretamente
Braile - Como tratar deficientes visuais corretamente
 
A educação de surdos no mundo
A educação de surdos no mundoA educação de surdos no mundo
A educação de surdos no mundo
 
A forma como eixo
A forma como eixoA forma como eixo
A forma como eixo
 
Pedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
Pedagogia empresarial - Proposta de TrabalhoPedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
Pedagogia empresarial - Proposta de Trabalho
 
Cultura afro brasileira
Cultura afro brasileiraCultura afro brasileira
Cultura afro brasileira
 
Aula Montessoriana - Prática
Aula Montessoriana - PráticaAula Montessoriana - Prática
Aula Montessoriana - Prática
 
Apagões
ApagõesApagões
Apagões
 
Os quilombolas do Maranhão
Os quilombolas do MaranhãoOs quilombolas do Maranhão
Os quilombolas do Maranhão
 
Planejamento educacional
Planejamento educacionalPlanejamento educacional
Planejamento educacional
 
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de MonografiaA educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
A educação moral no ambiente escolar - Pojeto de Monografia
 
A educação moral no ambiente escolar
A educação moral no ambiente escolarA educação moral no ambiente escolar
A educação moral no ambiente escolar
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

A importância da Motivação no âmbito organizacional

  • 1. A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ÂMBITO ORGANIZACIONAL • José Francisco • Carolina • Maryanne • Keucilene • Marygiane • Albert
  • 2. • Âmbito Esfera de um espaço em que acontece algum tipo de trabalho, ocupação ou diversas atividades. • Organizacional Como é organizada uma empresa. Ambiente Organizacional BALATA
  • 3. Ambiente Organizacional • Ambiente Organizacional O conjunto de todos os fenômenos externos à população de organizações em análise que a influenciam de forma real e/ou potencial. R. Hall em “Organizações: estrutura e processos”. BALATA
  • 4. Ambiente Organizacional • Herzberg: • 1 condições de trabalho; • 2 cargo e a função desempenhada. • Maslow: • Autoestima e auto realização. BALATA
  • 5. Ambiente Organizacional • Ambiente • Foco principal dos administradores. • Variáveis • Recursos disponíveis (conhecimentos e experiências); • Cultura organizacional; • Gestão; • Características estruturais (burocracia, hierarquia); • Comportamento organizacional (explicação, previsão e controle). BALATA
  • 6. Ambiente Organizacional “A grande questão é encontrar o estímulo correto que levará o colaborador a sentir-se motivado, proativo, disposto a entregar à empresa aquilo que ele tem de melhor – sua capacidade, sua habilidade, seu interesse, seu conhecimento.” Sandro Cantidio Engenheiro de Desenvolvimento de Produtos e Processos, Melhoria de Produtividade, Ferramentas da Qualidade e Produção Enxuta BALATA
  • 7. Teorias que explicam a motivação humana • BEHAVIORISMO: • Skinner –O ambiente atua em relação ao indivíduo como disposição ou como consequência; • Privação/reforçamento; • Os comportamentos são motivados por eventos que ocorrem no mundo circundante; • Há uma ligação necessária entre o estímulo externo e a resposta comportamental. Reforçadores Observação permanente Resposta MARYANNE
  • 8. Cognitismo • Dimensão intrínseca da motivação; • Ação intencional do sujeito; • Heckhausen: motivação para a realização; • Os indivíduos tendem a buscar o prazer e se afastarem do sofrimento; • A motivação representa o fator externo ou interno que dirige e integra o comportamento de uma pessoa; • Programas para elevar o nível de motivação dos sujeitos para o oferecimento de situações que permitam conhecer sua própria capacidade. MARYANNE
  • 9. Humanismo • Teoria da Administração (Escola de RH): Satisfação do empregado, questões afetivas e pessoais; • A motivação humana está estreitamente relacionada a desejos, carências e anseios; • Contribuição de Maslow: Hierarquia das Necessidades Humanas. • Fatores desmotivadores a partir da teoria proposta por Maslow (SARDINHA): • Falta de perspectiva de futuro da empresa, falta de benefícios básicos, como plano de saúde, vale transporte etc., muita individualidade na área, layout ruim, distante dos gerentes com quem trabalham, e falta de treinamento básico. MARYANNE
  • 11. Mc Gregor (1960) psicólogo (EUA) TEORIA X ( ex: nada ambicioso) e Y (ex: criativo), essa teoria mostra duas formas de “ver” o trabalhador e “ser” do trabalhador. Tanto pode ser visto do próprio individuo como ao ver do gerente que o observa e avalia. HERZBERRG (1959) Dois tipos de fatores: 1- Que causam satisfação: fatores motivadores (realização; reconhecimento pela realização; o trabalho em si; responsabilidade; desenvolvimento pessoal; possibilidade de crescimento). 2- Fatores Higiênicos (Supervisão; Políticas empresariais; Condições ambientais; Relações interpessoais; Status; Remuneração; Vida pessoal). CAROLINA
  • 12. Psicanálise fatores fisiológicos e psicológicos O motivo social é um dos primeiro a ser privilegiado, ainda que pouco divulgado e estudado. Toma-se como base de argumentação o pressuposto de q eu os motivos sociais são os responsáveis pela visão administrativa acerca da motivação, no contexto atual: FREUD, ALLPORT, MILLER, E DOLLAR Miller e Dollar: Admitem os motivos sociais como adquiridos. A força de cada motivo depende das condições especificas da aprendizagem que podem variar de acordo com a família, classe social ou sociedade- visão psicológica . “A relação entre líder e adeptos na relação em ter pais e filhos, enquanto a dedicação mútua dos componentes do grupo representa a relação entre irmãos”(Freud (?)). CAROLINA
  • 13. A fenomenologia existencial e a questão do conhecimento • O homem preocupado com as mesquinharias do dia-a- dia abre mão de suas individualidades torna-se inautêntico. • Homem, autentico: “quando escolhe a sim mesmo, quando decide encontrar-se e conquistar-se quando faz suas próprias escolhas” ( LESSA,1999). CAROLINA
  • 14. TEORIA DO AGENTE Todos os indivíduos(diretores ou agentes) preocupam-se não só como saúde ou compensação financeira mas também com privilégios no emprego, tais como: condições de trabalho, flexibilidade de horários etc. Universo Organizacional • Multifuncionalidade: • Visibilidade no mercado; • Visão estratégica; • Capacidade de inovação; • Autoparabens; • interpessoalidade CAROLINA
  • 16. 5.3 –Padrões e Processos e Comportamento • As pessoas tendem a reagir de modo semelhante diante do estímulo que as tarefas lhes provocam. • Uma pessoa motivada a aprender e não apenas a cumprir uma determinação organizacional evidencia um comportamento da busca de estratégias para a resolução do problema. MARYGIANE
  • 17. • Ao iniciar uma tarefa, faz-se preocupado em preservar sua autoestima diante do grupo, mostrando-se tenso, inseguro e nervoso. MARYGIANE
  • 18. 5.4 –Condicionantes contextuais da Motivação para aprender a) Curiosidade –Estimula-se a compreensão dos fenômenos não a memorização dos fatos por meio da valorização do conhecimento prévio do sujeito; b) Interesse –Segundo uma atividade orientada para a exploração dele que facilite seu conhecimento e compreensão, interesse depende da facilidade com que a informação se relaciona com o que já se sabe; c) Importância dos conteúdos –A maneira como o instrutor inicia uma atividade de treinamento é decisiva para que o treinando perceba a importância do conteúdo a ser apresentado mesmo das tarefas propostas. MARYGIANE
  • 20. Referências • MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégivo.-3ª ed. São Paulo:Futura,2000. • RIBEIRO, Amélia Escotto do Amaral. Temais atuais em pedagogia empresarial: aprender para ser competitivo.-3ª ed. Rio de Janeiro:Wak.Ed,2010.