SlideShare uma empresa Scribd logo
Controle Estatístico de Processo PROF. DR. JOSÉ PAULO ALVES FUSCO FEB – FACULDADE DE ENGENHARIA DE BAURU UNESP JPAF
Controle Estatístico de Processo -CEP- JPAF
CONCEITOS BÁSICOS Controle   É o acompanhamento contínuo de um fluxo de atividades, onde podem ser realizados ajustes, para que o resultado do esforço esteja em conformidade com um padrão definido. JPAF
Qualidade É o grau de utilidade de um produto para os fins que se destina e que é possível de ser avaliad a  através de um conjunto de características apropriadas. JPAF
Controle de Qualidade   É o procedimento de verificação sistemática da obediência de um produto, ou processo, ao seu padrão, e de realização dos ajustes necessários para se atingir esse objetivo. JPAF
Qualidade Absoluta   É o conjunto de características que define o produto perfeito, ou seja, o produto com 0% de defeitos. JPAF
Qualidade Aceitável   É aquela que pode ser alcançada, em função das limitações impostas pelas seguintes variáveis: matérias primas; recursos humanos; recursos tecnológicos; custos finais do produto. JPAF
JPAF Curva dos Custos em função da Qualidade C = kQ 2  + b Onde: C:  custos finais do produto; Q:  qualidade; K:  constante; b:  constante – custo inicial
Curva dos Custos em função da Qualidade JPAF
Padrão de Identidade e Qualidade  É o conjunto de características qualitativas e/ou quantitativas que define a  qualidade aceitável  do produto ou processo, para os fins que se destina. JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Produtos ou processos a serem controlados Definição dos respectivos Padrões de Identidade e Qualidade e Procedimentos Operacionais Definições de defeitos críticos e toleráveis Métodos validados para avaliação das características de qualidade JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Infraestrutura e recursos, próprios ou de terceiros, para a execução dos métodos de avaliação das características: instalações equipamentos reagentes outros materiais de consumo recursos humanos recursos financeiros JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição do Plano estatístico de amostragem: avaliação dos riscos de amostragem que possam ser admitidos critérios de aceitação e rejeição tamanho dos lotes de inspeção JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição do método de inspeção: inspeção 100% inspeção por amostragem lotes contínuos lotes isolados JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade: Definição dos Pontos Críticos de Controle Definição dos Procedimentos de Inspeção e de tomada de amostra Definição dos procedimentos para a identificação, acondicionamento, transporte da amostra para o local de inspeção/análise e guarda da amostra JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição dos Documentos para o registro de resultados e de observações: relatórios e/ou laudos Definição dos Procedimentos de re - análise e de esclarecimento de litígios Definição dos procedimentos para reaproveitamento ou descarte de produtos JPAF
Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição dos mecanismos de interação com as entidades oficiais para os casos de agravos à saúde da população JPAF
Responsabilidades das partes envolvidas na cadeia produção consumo: Responsabilidades do cliente/consumidor: Estabelecer padrões de qualidade compatíveis com: custos finais do produto riscos associados com a aceitação de um produto de baixa qualidade capacidade tecnológica dos fornecedores JPAF
Responsabilidades das partes envolvidas na cadeia produção consumo Responsabilidades do cliente/consumidor: Implantar programas de verificação de qualidade Manter um sistema de registro  de arquivo de dados que possam contribuir para o aperfeiçoamento do produto/processo JPAF
DISTRIBUIÇÃO NORMAL DE PROBABILIDADE E SUA APLICAÇÃO NOS PROCESSOS DE QUALIDADE JPAF
Distribuição Normal CARACTERÍSTICAS Mensurações repetidas de uma mesma quantidade tendem a variar Coletando um número maior dessas mensurações obtemos uma Distribuição Normal em forma de sino O gráfico desta distribuição é suave, unimodal e simétrico em relação a média. Esta distribuição é especificada por dois parâmetros  sua média  e  o desvio padrão JPAF
JPAF
Aplicação no processo decisório Repetitividade (REPÊ) Reprodutibilidade (REPRÔ) Processo Centralizado (sob Controle) JPAF
Repetitividade  (Repê) Definição É a variação resultante da incapacidade de um instrumento de medição de obter repetidamente um mesmo resultado, devido a inúmeros fatores que afetam esse processo e da incapacidade do inspetor de operar e ler o instrumento da mesma forma a cada vez. A sua variação, 6σ, deve ser pequena quando comparada com a tolerância total: LSE – LIE. JPAF
Repetitividade  (Repê) JPAF LEI (Limite Inferior da Especificação) LSI (Limite Superior da Especificação) Distribuição da Repê
Reprodutibilidade  (Reprô) : Definição É a variação dos resultados entre pessoas diferentes fazendo medição ou inspeção dos mesmos itens, usando os mesmos métodos ou equipamentos. Também indica a variação entre instrumentos de medição idênticos, utilizados pela mesma pessoa JPAF
Reprodutibilidade  (Reprô) JPAF Distribuição da Reprô LSI (Limite Superior da Especificação) LEI (Limite Inferior da Especificação)
Controle da Inspeção Definição É o procedimento matemático que permite verificar se o método da  inspeção realizada foi aceitável, marginal ou inaceitável, de acordo com critérios determinados. O procedimento matemático utiliza os dados de Repê e Reprô, mas não será objeto desta apresentação, pois necessita de abordagem específica.  JPAF
Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Descrever o processo cuja história será documentada Definir os parâmetros a serem controlados; Definir os critérios referentes à condição de controle  (linha central) e a condição  fora de controle ( limites de controle) dos parâmetros selecionados Definir quais, como, quando e onde os dados serão coletados e registrados JPAF
Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Definir os gráficos, as formas e a freqüência de registro dos dados Definir os procedimentos a serem executados quando ocorrerem condições fora de controle Definir as atribuições e responsabilidades pelo procedimentos de controle dos processos JPAF
Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Treinar a equipe para lançar e interpretar corretamente os dados nos gráficos Ter concluído os estudos sobre Capacidade de Inspeção, cujos resultados devem indicar que a capacidade é “aceitável”, numa escala “aceitável, marginal e inaceitável” Disponibilizar todas as planilhas de registro de dados nos locais apropriados ou próximos a eles JPAF
Gráficos de controle São empregados para evitar, reduzir ou eliminar não conformidades em tempo real (durante o processo de produção);  Utiliza os dados de uma série de amostras pequenas chamadas de “grupos racionais”, para estimar onde o processo está centralizado e quanto ele está variando em torno desse centro; Os parâmetros estatísticos a serem utilizados são a Média Estimada e a Variabilidade do processo; JPAF
Gráficos de controle Média do Processo : é um valor desconhecido estimado pela média da amostra; Variação do Processo : todo o processo seja natural ou artificial sofre variações; Variação Admissível : consiste no valor nominal do parâmetro a ser controlado, mais ou menos a tolerância aceitável.  Ex.  Umidade= 4,0%  +  0,2%;  - valor nominal: 4,0%; variação admissível: 3,8% a 4,2%  JPAF
Gráficos de controle Medidas para quantificar a variação: Amplitude  (A ou R): R = Maior leitura – menor leitura Desvio padrão  (s):informa quanto os dados estão dispersos em torno da média. Para variações pequenas o desvio padrão  é pequeno. JPAF
Gráficos de controle Distribuição normal (simétrica): a maioria das medições em processos produtivos se apresenta como uma distribuição normal: JPAF
Gráficos de controle: Os gráficos de controle fornecem informações sobre um processo através dos resultados de pequenas amostras (grupos) coletadas periodicamente. Cada grupo fornece a imagem do que o processo está fazendo ou produzindo naquele momento O intervalo entre os grupos depende da taxa de produção e da ocorrência de tendências de desvio da média. JPAF
Processo Centralizado (sob controle) É aquele cujos resultados de medição apresentam variação dentro  dos limites aceitáveis da amplitude da especificação. JPAF
Processo Centralizado (sob controle) JPAF Variação de um processo sob controle
Processo ideal É aquele cujos resultados da medição apresentam a amplitude coincidente com a amplitude admissível  da especificação JPAF
Processo ideal JPAF
Gráfico padrão Eixo vertical : registra os valores das medidas obtidas nos grupos coletados periodicamente Eixo horizontal : registra o intervalo de tempo entre os grupos ou a sua seqüência numérica JPAF
Gráfico padrão JPAF Gráfico de controle com linha central e com limites de controle
Controle da qualidade Para eliminar as causas fundamentais dos problemas Análise de processo Padronização Itens de controle Para identificar as causas fundamentais dos problemas Para prender as causas fundamentais numa jaula Para vigiar as causas fundamentais e confirmar que estão presas na jaula Para manter sob controle JPAF

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação cep
Apresentação cepApresentação cep
Apresentação cep
emc5714
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
Claudio Correa
 
Cep apres dvs
Cep apres dvsCep apres dvs
Cep apres dvs
Divino Silva .'.
 
Introdução ao CEP
Introdução ao CEPIntrodução ao CEP
Introdução ao CEP
Harbor Inf. Indl.
 
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrialProf.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Nilo Sampaio
 
Controle estatistico unijorge
Controle estatistico unijorgeControle estatistico unijorge
Controle estatistico unijorge
nigr0 s
 
Curso CEP Operadores
Curso CEP  OperadoresCurso CEP  Operadores
Curso CEP Operadores
Sergio Canossa
 
Graficos de controle e Brainstorm
Graficos de controle e BrainstormGraficos de controle e Brainstorm
Graficos de controle e Brainstorm
Gabriel Xavier
 
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Sampaio
 
Graficos de controle e aperfeicoamento do processo
Graficos de controle e aperfeicoamento do processoGraficos de controle e aperfeicoamento do processo
Graficos de controle e aperfeicoamento do processo
nigr0 s
 
Apostila controle processo
Apostila controle processoApostila controle processo
Apostila controle processo
nigr0 s
 
Quando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveisQuando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveis
Cassiano Augusto
 
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
silvioxavierjunior
 
Qualidade
Qualidade Qualidade
Qualidade
Bruno Lagarto
 
Cep e graficos de controle (1)
Cep e graficos de controle (1)Cep e graficos de controle (1)
Cep e graficos de controle (1)
MiltonQuintinoRios
 
Controle estatístico de processo (trabal ho0
Controle estatístico de processo (trabal ho0Controle estatístico de processo (trabal ho0
Controle estatístico de processo (trabal ho0
rjmoura
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Universidade Federal Fluminense
 
FMEA apostila
FMEA apostilaFMEA apostila
FMEA apostila
Ariadna Moreira
 
Equipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorizaçãoEquipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorização
Bruno Lagarto
 

Mais procurados (19)

Apresentação cep
Apresentação cepApresentação cep
Apresentação cep
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
 
Cep apres dvs
Cep apres dvsCep apres dvs
Cep apres dvs
 
Introdução ao CEP
Introdução ao CEPIntrodução ao CEP
Introdução ao CEP
 
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrialProf.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
Prof.Dr. Nilo Antonio de Souza Sampaio - CEP na área industrial
 
Controle estatistico unijorge
Controle estatistico unijorgeControle estatistico unijorge
Controle estatistico unijorge
 
Curso CEP Operadores
Curso CEP  OperadoresCurso CEP  Operadores
Curso CEP Operadores
 
Graficos de controle e Brainstorm
Graficos de controle e BrainstormGraficos de controle e Brainstorm
Graficos de controle e Brainstorm
 
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
Nilo Antonio de Souza Sampaio - Controle estatístico de processos
 
Graficos de controle e aperfeicoamento do processo
Graficos de controle e aperfeicoamento do processoGraficos de controle e aperfeicoamento do processo
Graficos de controle e aperfeicoamento do processo
 
Apostila controle processo
Apostila controle processoApostila controle processo
Apostila controle processo
 
Quando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveisQuando construir uma carta de controle por variáveis
Quando construir uma carta de controle por variáveis
 
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]Controle+estatístico+da+qualidade[1]
Controle+estatístico+da+qualidade[1]
 
Qualidade
Qualidade Qualidade
Qualidade
 
Cep e graficos de controle (1)
Cep e graficos de controle (1)Cep e graficos de controle (1)
Cep e graficos de controle (1)
 
Controle estatístico de processo (trabal ho0
Controle estatístico de processo (trabal ho0Controle estatístico de processo (trabal ho0
Controle estatístico de processo (trabal ho0
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
 
FMEA apostila
FMEA apostilaFMEA apostila
FMEA apostila
 
Equipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorizaçãoEquipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorização
 

Destaque

Anemia falciforme
Anemia falciformeAnemia falciforme
Anemia falciforme
Brenna Lourrany
 
Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02
guest2b559
 
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios EspecializadosProjeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Fernando Berlitz
 
BossControl na Gestão de Laboratórios
BossControl na Gestão de LaboratóriosBossControl na Gestão de Laboratórios
BossControl na Gestão de Laboratórios
Felipe Goulart
 
Aula 6 curso básico cep fusco2
Aula 6 curso básico cep fusco2Aula 6 curso básico cep fusco2
Aula 6 curso básico cep fusco2
José Paulo Alves Fusco
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
Gestão e Experimentação Laboratorial
Gestão e Experimentação LaboratorialGestão e Experimentação Laboratorial
Gestão e Experimentação Laboratorial
Ricardo Zara
 
Corrosão de metais
Corrosão de metaisCorrosão de metais
Corrosão de metais
vanessaquimica
 
Corrosão: Conceito e Introdução
Corrosão: Conceito e IntroduçãoCorrosão: Conceito e Introdução
Corrosão: Conceito e Introdução
Yerdwa
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
Anemia falciforme apresentação
Anemia falciforme apresentaçãoAnemia falciforme apresentação
Anemia falciforme apresentação
Sonara Pereira
 
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Sustentare Escola de Negócios
 

Destaque (12)

Anemia falciforme
Anemia falciformeAnemia falciforme
Anemia falciforme
 
Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02
 
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios EspecializadosProjeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
 
BossControl na Gestão de Laboratórios
BossControl na Gestão de LaboratóriosBossControl na Gestão de Laboratórios
BossControl na Gestão de Laboratórios
 
Aula 6 curso básico cep fusco2
Aula 6 curso básico cep fusco2Aula 6 curso básico cep fusco2
Aula 6 curso básico cep fusco2
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
Corrosão
 
Gestão e Experimentação Laboratorial
Gestão e Experimentação LaboratorialGestão e Experimentação Laboratorial
Gestão e Experimentação Laboratorial
 
Corrosão de metais
Corrosão de metaisCorrosão de metais
Corrosão de metais
 
Corrosão: Conceito e Introdução
Corrosão: Conceito e IntroduçãoCorrosão: Conceito e Introdução
Corrosão: Conceito e Introdução
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
Corrosão
 
Anemia falciforme apresentação
Anemia falciforme apresentaçãoAnemia falciforme apresentação
Anemia falciforme apresentação
 
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
 

Semelhante a Cepqualidadefusco2010

Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
Euripedes Barbosa
 
Processos (2)
Processos (2)Processos (2)
Processos (2)
Fernanda Carvalho
 
CQ
CQCQ
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptxcapacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
AMO - Assessoria Médica Ocupacional
 
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Fernando Berlitz
 
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdfMSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
DoutorgestoJaqueline
 
MSA - Análise dos sistemas de medição
MSA - Análise dos sistemas de mediçãoMSA - Análise dos sistemas de medição
MSA - Análise dos sistemas de medição
Carlos Ernesto Natali
 
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Rafael Lima
 
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipeMETROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
Diego Vieira de Souza
 
Validação de métodos analíticos
Validação de métodos analíticosValidação de métodos analíticos
Validação de métodos analíticos
Publicações Weinmann
 
Gráficos de Controle
Gráficos de ControleGráficos de Controle
Gráficos de Controle
Ramon Santos
 
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Rubia Soraya Rabello
 
Análise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdfAnálise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdf
EricksonMendes
 
6 sigmas
6 sigmas6 sigmas
6 sigmas
Enock Viana
 
Controle estratégico- tatico
Controle estratégico- taticoControle estratégico- tatico
Controle estratégico- tatico
kyrie24
 
Controle estratégico- tatico e operacional
Controle estratégico- tatico e operacionalControle estratégico- tatico e operacional
Controle estratégico- tatico e operacional
kyrie24
 
2ª aula qualidade, controle e metodos analiticos
2ª aula   qualidade, controle e metodos analiticos2ª aula   qualidade, controle e metodos analiticos
2ª aula qualidade, controle e metodos analiticos
Lilian Keila Alves
 
Teste de Software
Teste de SoftwareTeste de Software
Teste de Software
Wagner Zaparoli
 
Analista garantia-de-qualidade-2
Analista garantia-de-qualidade-2Analista garantia-de-qualidade-2
Analista garantia-de-qualidade-2
jmfel fernandez
 
Aula 6 POP
Aula 6   POPAula 6   POP
Aula 6 POP
José Vitor Alves
 

Semelhante a Cepqualidadefusco2010 (20)

Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
Capacitacao de Laboratorios - VISA Parana (CQI e CQE)
 
Processos (2)
Processos (2)Processos (2)
Processos (2)
 
CQ
CQCQ
CQ
 
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptxcapacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
capacitacaodelaboratoriosvisaparanaciqeceq-130705100044-phpapp01.pptx
 
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
 
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdfMSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
MSA_Teoria_Implantacao_ProFicient.pdf
 
MSA - Análise dos sistemas de medição
MSA - Análise dos sistemas de mediçãoMSA - Análise dos sistemas de medição
MSA - Análise dos sistemas de medição
 
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
Dsn05 s1 valcimarcosta_rafaellima_orleanribeiro_tpo2
 
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipeMETROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
METROLOGIA 2015_Validação AP diego e filipe
 
Validação de métodos analíticos
Validação de métodos analíticosValidação de métodos analíticos
Validação de métodos analíticos
 
Gráficos de Controle
Gráficos de ControleGráficos de Controle
Gráficos de Controle
 
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
Apresentação Ferramentas da Qualidade Hospital
 
Análise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdfAnálise do Sistema de Medição.pdf
Análise do Sistema de Medição.pdf
 
6 sigmas
6 sigmas6 sigmas
6 sigmas
 
Controle estratégico- tatico
Controle estratégico- taticoControle estratégico- tatico
Controle estratégico- tatico
 
Controle estratégico- tatico e operacional
Controle estratégico- tatico e operacionalControle estratégico- tatico e operacional
Controle estratégico- tatico e operacional
 
2ª aula qualidade, controle e metodos analiticos
2ª aula   qualidade, controle e metodos analiticos2ª aula   qualidade, controle e metodos analiticos
2ª aula qualidade, controle e metodos analiticos
 
Teste de Software
Teste de SoftwareTeste de Software
Teste de Software
 
Analista garantia-de-qualidade-2
Analista garantia-de-qualidade-2Analista garantia-de-qualidade-2
Analista garantia-de-qualidade-2
 
Aula 6 POP
Aula 6   POPAula 6   POP
Aula 6 POP
 

Mais de José Paulo Alves Fusco

Tcc daniel 2015 mapeamento processos celulose
Tcc daniel 2015   mapeamento processos celuloseTcc daniel 2015   mapeamento processos celulose
Tcc daniel 2015 mapeamento processos celulose
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 7 b qualidade em servicos fusco
Aula 7 b qualidade em servicos fuscoAula 7 b qualidade em servicos fusco
Aula 7 b qualidade em servicos fusco
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 7 a necessidade de foco no cliente aula 10
Aula 7 a necessidade de foco no cliente   aula 10Aula 7 a necessidade de foco no cliente   aula 10
Aula 7 a necessidade de foco no cliente aula 10
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 5 c caracteristicas de processos
Aula 5 c caracteristicas de processosAula 5 c caracteristicas de processos
Aula 5 c caracteristicas de processos
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 5 b sensores
Aula 5 b sensoresAula 5 b sensores
Aula 5 b sensores
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 5 a metas clientes especificações
Aula 5 a metas clientes especificaçõesAula 5 a metas clientes especificações
Aula 5 a metas clientes especificações
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 4 c custos da qualidade
Aula 4 c custos da qualidadeAula 4 c custos da qualidade
Aula 4 c custos da qualidade
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 4 b dimensões da qualidade
Aula 4 b dimensões da qualidadeAula 4 b dimensões da qualidade
Aula 4 b dimensões da qualidade
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 4 a o que é controle
Aula 4 a o que é controleAula 4 a o que é controle
Aula 4 a o que é controle
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 3 fusc omasp juran_2
Aula 3 fusc omasp juran_2Aula 3 fusc omasp juran_2
Aula 3 fusc omasp juran_2
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 2 iso 9000
Aula 2 iso 9000Aula 2 iso 9000
Aula 2 iso 9000
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 1 6sigma fusco
Aula 1 6sigma fuscoAula 1 6sigma fusco
Aula 1 6sigma fusco
José Paulo Alves Fusco
 
Aula 0 cq um breve histórico
Aula 0 cq um breve históricoAula 0 cq um breve histórico
Aula 0 cq um breve histórico
José Paulo Alves Fusco
 
Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016
José Paulo Alves Fusco
 
Apostila ad qual fusco cap5 2016
Apostila ad qual fusco cap5 2016Apostila ad qual fusco cap5 2016
Apostila ad qual fusco cap5 2016
José Paulo Alves Fusco
 
Comportamentoconsumidor rae1995
Comportamentoconsumidor rae1995Comportamentoconsumidor rae1995
Comportamentoconsumidor rae1995
José Paulo Alves Fusco
 
Admopersvisãoestrategicafunção2004
Admopersvisãoestrategicafunção2004Admopersvisãoestrategicafunção2004
Admopersvisãoestrategicafunção2004
José Paulo Alves Fusco
 
Admopersintrodução2004
Admopersintrodução2004Admopersintrodução2004
Admopersintrodução2004
José Paulo Alves Fusco
 
Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006
José Paulo Alves Fusco
 
Administracaomateriaisabordagemlogistica
AdministracaomateriaisabordagemlogisticaAdministracaomateriaisabordagemlogistica
Administracaomateriaisabordagemlogistica
José Paulo Alves Fusco
 

Mais de José Paulo Alves Fusco (20)

Tcc daniel 2015 mapeamento processos celulose
Tcc daniel 2015   mapeamento processos celuloseTcc daniel 2015   mapeamento processos celulose
Tcc daniel 2015 mapeamento processos celulose
 
Aula 7 b qualidade em servicos fusco
Aula 7 b qualidade em servicos fuscoAula 7 b qualidade em servicos fusco
Aula 7 b qualidade em servicos fusco
 
Aula 7 a necessidade de foco no cliente aula 10
Aula 7 a necessidade de foco no cliente   aula 10Aula 7 a necessidade de foco no cliente   aula 10
Aula 7 a necessidade de foco no cliente aula 10
 
Aula 5 c caracteristicas de processos
Aula 5 c caracteristicas de processosAula 5 c caracteristicas de processos
Aula 5 c caracteristicas de processos
 
Aula 5 b sensores
Aula 5 b sensoresAula 5 b sensores
Aula 5 b sensores
 
Aula 5 a metas clientes especificações
Aula 5 a metas clientes especificaçõesAula 5 a metas clientes especificações
Aula 5 a metas clientes especificações
 
Aula 4 c custos da qualidade
Aula 4 c custos da qualidadeAula 4 c custos da qualidade
Aula 4 c custos da qualidade
 
Aula 4 b dimensões da qualidade
Aula 4 b dimensões da qualidadeAula 4 b dimensões da qualidade
Aula 4 b dimensões da qualidade
 
Aula 4 a o que é controle
Aula 4 a o que é controleAula 4 a o que é controle
Aula 4 a o que é controle
 
Aula 3 fusc omasp juran_2
Aula 3 fusc omasp juran_2Aula 3 fusc omasp juran_2
Aula 3 fusc omasp juran_2
 
Aula 2 iso 9000
Aula 2 iso 9000Aula 2 iso 9000
Aula 2 iso 9000
 
Aula 1 6sigma fusco
Aula 1 6sigma fuscoAula 1 6sigma fusco
Aula 1 6sigma fusco
 
Aula 0 cq um breve histórico
Aula 0 cq um breve históricoAula 0 cq um breve histórico
Aula 0 cq um breve histórico
 
Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016
 
Apostila ad qual fusco cap5 2016
Apostila ad qual fusco cap5 2016Apostila ad qual fusco cap5 2016
Apostila ad qual fusco cap5 2016
 
Comportamentoconsumidor rae1995
Comportamentoconsumidor rae1995Comportamentoconsumidor rae1995
Comportamentoconsumidor rae1995
 
Admopersvisãoestrategicafunção2004
Admopersvisãoestrategicafunção2004Admopersvisãoestrategicafunção2004
Admopersvisãoestrategicafunção2004
 
Admopersintrodução2004
Admopersintrodução2004Admopersintrodução2004
Admopersintrodução2004
 
Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006Cadeiasdefornecimentos2006
Cadeiasdefornecimentos2006
 
Administracaomateriaisabordagemlogistica
AdministracaomateriaisabordagemlogisticaAdministracaomateriaisabordagemlogistica
Administracaomateriaisabordagemlogistica
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 

Último (20)

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 

Cepqualidadefusco2010

  • 1. Controle Estatístico de Processo PROF. DR. JOSÉ PAULO ALVES FUSCO FEB – FACULDADE DE ENGENHARIA DE BAURU UNESP JPAF
  • 2. Controle Estatístico de Processo -CEP- JPAF
  • 3. CONCEITOS BÁSICOS Controle É o acompanhamento contínuo de um fluxo de atividades, onde podem ser realizados ajustes, para que o resultado do esforço esteja em conformidade com um padrão definido. JPAF
  • 4. Qualidade É o grau de utilidade de um produto para os fins que se destina e que é possível de ser avaliad a através de um conjunto de características apropriadas. JPAF
  • 5. Controle de Qualidade É o procedimento de verificação sistemática da obediência de um produto, ou processo, ao seu padrão, e de realização dos ajustes necessários para se atingir esse objetivo. JPAF
  • 6. Qualidade Absoluta É o conjunto de características que define o produto perfeito, ou seja, o produto com 0% de defeitos. JPAF
  • 7. Qualidade Aceitável É aquela que pode ser alcançada, em função das limitações impostas pelas seguintes variáveis: matérias primas; recursos humanos; recursos tecnológicos; custos finais do produto. JPAF
  • 8. JPAF Curva dos Custos em função da Qualidade C = kQ 2 + b Onde: C: custos finais do produto; Q: qualidade; K: constante; b: constante – custo inicial
  • 9. Curva dos Custos em função da Qualidade JPAF
  • 10. Padrão de Identidade e Qualidade É o conjunto de características qualitativas e/ou quantitativas que define a qualidade aceitável do produto ou processo, para os fins que se destina. JPAF
  • 11. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Produtos ou processos a serem controlados Definição dos respectivos Padrões de Identidade e Qualidade e Procedimentos Operacionais Definições de defeitos críticos e toleráveis Métodos validados para avaliação das características de qualidade JPAF
  • 12. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Infraestrutura e recursos, próprios ou de terceiros, para a execução dos métodos de avaliação das características: instalações equipamentos reagentes outros materiais de consumo recursos humanos recursos financeiros JPAF
  • 13. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição do Plano estatístico de amostragem: avaliação dos riscos de amostragem que possam ser admitidos critérios de aceitação e rejeição tamanho dos lotes de inspeção JPAF
  • 14. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição do método de inspeção: inspeção 100% inspeção por amostragem lotes contínuos lotes isolados JPAF
  • 15. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade: Definição dos Pontos Críticos de Controle Definição dos Procedimentos de Inspeção e de tomada de amostra Definição dos procedimentos para a identificação, acondicionamento, transporte da amostra para o local de inspeção/análise e guarda da amostra JPAF
  • 16. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição dos Documentos para o registro de resultados e de observações: relatórios e/ou laudos Definição dos Procedimentos de re - análise e de esclarecimento de litígios Definição dos procedimentos para reaproveitamento ou descarte de produtos JPAF
  • 17. Fatores necessários para a implantação de um Programa de Avaliação e Controle de Qualidade Definição dos mecanismos de interação com as entidades oficiais para os casos de agravos à saúde da população JPAF
  • 18. Responsabilidades das partes envolvidas na cadeia produção consumo: Responsabilidades do cliente/consumidor: Estabelecer padrões de qualidade compatíveis com: custos finais do produto riscos associados com a aceitação de um produto de baixa qualidade capacidade tecnológica dos fornecedores JPAF
  • 19. Responsabilidades das partes envolvidas na cadeia produção consumo Responsabilidades do cliente/consumidor: Implantar programas de verificação de qualidade Manter um sistema de registro de arquivo de dados que possam contribuir para o aperfeiçoamento do produto/processo JPAF
  • 20. DISTRIBUIÇÃO NORMAL DE PROBABILIDADE E SUA APLICAÇÃO NOS PROCESSOS DE QUALIDADE JPAF
  • 21. Distribuição Normal CARACTERÍSTICAS Mensurações repetidas de uma mesma quantidade tendem a variar Coletando um número maior dessas mensurações obtemos uma Distribuição Normal em forma de sino O gráfico desta distribuição é suave, unimodal e simétrico em relação a média. Esta distribuição é especificada por dois parâmetros sua média e o desvio padrão JPAF
  • 22. JPAF
  • 23. Aplicação no processo decisório Repetitividade (REPÊ) Reprodutibilidade (REPRÔ) Processo Centralizado (sob Controle) JPAF
  • 24. Repetitividade (Repê) Definição É a variação resultante da incapacidade de um instrumento de medição de obter repetidamente um mesmo resultado, devido a inúmeros fatores que afetam esse processo e da incapacidade do inspetor de operar e ler o instrumento da mesma forma a cada vez. A sua variação, 6σ, deve ser pequena quando comparada com a tolerância total: LSE – LIE. JPAF
  • 25. Repetitividade (Repê) JPAF LEI (Limite Inferior da Especificação) LSI (Limite Superior da Especificação) Distribuição da Repê
  • 26. Reprodutibilidade (Reprô) : Definição É a variação dos resultados entre pessoas diferentes fazendo medição ou inspeção dos mesmos itens, usando os mesmos métodos ou equipamentos. Também indica a variação entre instrumentos de medição idênticos, utilizados pela mesma pessoa JPAF
  • 27. Reprodutibilidade (Reprô) JPAF Distribuição da Reprô LSI (Limite Superior da Especificação) LEI (Limite Inferior da Especificação)
  • 28. Controle da Inspeção Definição É o procedimento matemático que permite verificar se o método da inspeção realizada foi aceitável, marginal ou inaceitável, de acordo com critérios determinados. O procedimento matemático utiliza os dados de Repê e Reprô, mas não será objeto desta apresentação, pois necessita de abordagem específica. JPAF
  • 29. Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Descrever o processo cuja história será documentada Definir os parâmetros a serem controlados; Definir os critérios referentes à condição de controle (linha central) e a condição fora de controle ( limites de controle) dos parâmetros selecionados Definir quais, como, quando e onde os dados serão coletados e registrados JPAF
  • 30. Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Definir os gráficos, as formas e a freqüência de registro dos dados Definir os procedimentos a serem executados quando ocorrerem condições fora de controle Definir as atribuições e responsabilidades pelo procedimentos de controle dos processos JPAF
  • 31. Condições para se implantar um Controle Estatístico de Processo - CEP Treinar a equipe para lançar e interpretar corretamente os dados nos gráficos Ter concluído os estudos sobre Capacidade de Inspeção, cujos resultados devem indicar que a capacidade é “aceitável”, numa escala “aceitável, marginal e inaceitável” Disponibilizar todas as planilhas de registro de dados nos locais apropriados ou próximos a eles JPAF
  • 32. Gráficos de controle São empregados para evitar, reduzir ou eliminar não conformidades em tempo real (durante o processo de produção); Utiliza os dados de uma série de amostras pequenas chamadas de “grupos racionais”, para estimar onde o processo está centralizado e quanto ele está variando em torno desse centro; Os parâmetros estatísticos a serem utilizados são a Média Estimada e a Variabilidade do processo; JPAF
  • 33. Gráficos de controle Média do Processo : é um valor desconhecido estimado pela média da amostra; Variação do Processo : todo o processo seja natural ou artificial sofre variações; Variação Admissível : consiste no valor nominal do parâmetro a ser controlado, mais ou menos a tolerância aceitável. Ex. Umidade= 4,0% + 0,2%; - valor nominal: 4,0%; variação admissível: 3,8% a 4,2% JPAF
  • 34. Gráficos de controle Medidas para quantificar a variação: Amplitude (A ou R): R = Maior leitura – menor leitura Desvio padrão (s):informa quanto os dados estão dispersos em torno da média. Para variações pequenas o desvio padrão é pequeno. JPAF
  • 35. Gráficos de controle Distribuição normal (simétrica): a maioria das medições em processos produtivos se apresenta como uma distribuição normal: JPAF
  • 36. Gráficos de controle: Os gráficos de controle fornecem informações sobre um processo através dos resultados de pequenas amostras (grupos) coletadas periodicamente. Cada grupo fornece a imagem do que o processo está fazendo ou produzindo naquele momento O intervalo entre os grupos depende da taxa de produção e da ocorrência de tendências de desvio da média. JPAF
  • 37. Processo Centralizado (sob controle) É aquele cujos resultados de medição apresentam variação dentro dos limites aceitáveis da amplitude da especificação. JPAF
  • 38. Processo Centralizado (sob controle) JPAF Variação de um processo sob controle
  • 39. Processo ideal É aquele cujos resultados da medição apresentam a amplitude coincidente com a amplitude admissível da especificação JPAF
  • 41. Gráfico padrão Eixo vertical : registra os valores das medidas obtidas nos grupos coletados periodicamente Eixo horizontal : registra o intervalo de tempo entre os grupos ou a sua seqüência numérica JPAF
  • 42. Gráfico padrão JPAF Gráfico de controle com linha central e com limites de controle
  • 43. Controle da qualidade Para eliminar as causas fundamentais dos problemas Análise de processo Padronização Itens de controle Para identificar as causas fundamentais dos problemas Para prender as causas fundamentais numa jaula Para vigiar as causas fundamentais e confirmar que estão presas na jaula Para manter sob controle JPAF