SlideShare uma empresa Scribd logo
4 FilomenaMorais
 No final deverás ser capaz de explicar o aparecimento dos movimentos heréticos
e das ordens dos mendicantes.
A crise da Igreja e os movimentos heréticos
Tempo: Séculos XI e XIII
Espaço: Europa
Com o desenvolvimento da economia muitos membros do clero acumularam bens e
riquezas.
Passaram a ter uma vida muito diferente da que era proposta pelo cristianismo.
Esta ostentação foi alvo de críticas.
Surgiram (França, Itália, Flandres e Países Baixos) seitas a proclamar que a igreja estava a
trair a mensagem de Cristo.
Principais seitas: Valdenses
Cátaros
Albigenses
Estas, conseguiram grande número de aderentes. Porém, foram consideradas heréticas
por negarem o valor dos sacramentos e a autoridade do papa. Assim, foram
excomungadas e consideradas heréticas (pessoas que põem em causa verdades tidas
como absolutas).
Para combater estas seitas a igreja criou no século XII (1184) a Inquisição-combatia os
inimigos da fé cristã. Em Portugal só terminou no século XIX. Os mais perseguidos foram
os Judeus.
A Inquisição foi fundada inicialmente no sul da França onde predominavam os
Albigenses foram depois para a Alemanha e nos finais do século XV, na Península Ibérica.
A fundação das Ordens Mendicantes
Nas cidades da idade Média havia um grande contraste entre a burguesia enriquecida
pelos negócios e muitos estratos do povo que viviam na pobreza.
Surgiram então Ordens que defendiam a pobreza e a pregação
Séc. ordem dos Mendicantes - ordem de Francisco criada por São
XIII Francisco de Assis
Ordem de Domingos fundada por S. Domingos de Gusmão
A Ordem de Domingos ou Dominicana preocupou-se em combater as heresias.
Dominicanos que se destacaram: São Alberto Magno
S. Tomás de Aquino Séc. XIII
1-Refere movimentos heréticos surgidos no séc. XII.
2-Explica o seu aparecimento
3-Que iniciativas surgiram, no seio da igreja, para renovar a vida religiosa?
As principais expressões da religião, cultura e arte do séc. XII ao séc. XIV pág.174

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
cattonia
 
A cultura do mosteiro
A cultura do mosteiroA cultura do mosteiro
A cultura do mosteiro
Carla Teixeira
 
Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)
Lú Carvalho
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crençaA identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3
Carla Teixeira
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
Carolina Medeiros
 
O Poder Absoluto Em Portugal
O Poder Absoluto Em PortugalO Poder Absoluto Em Portugal
O Poder Absoluto Em Portugal
Sílvia Mendonça
 
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Marco Aurélio Gondim
 
idade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedadeidade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedade
João Lima
 
Decadência do Império Romano
Decadência do Império RomanoDecadência do Império Romano
Decadência do Império Romano
Vítor Santos
 
O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2
Carla Teixeira
 
Feudalismo e crise
Feudalismo e criseFeudalismo e crise
Feudalismo e crise
cattonia
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Profdaltonjunior
 
D2 cultura arte_religião
D2 cultura arte_religiãoD2 cultura arte_religião
D2 cultura arte_religião
Vítor Santos
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
cattonia
 
1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos
Daniel Alves Bronstrup
 
Renascimento comercial idade média
Renascimento comercial idade médiaRenascimento comercial idade média
Renascimento comercial idade média
Isabel Aguiar
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
profcacocardozo
 
A sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em PortugalA sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em Portugal
Joana Filipa Rodrigues
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Maria Gomes
 

Mais procurados (20)

O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
 
A cultura do mosteiro
A cultura do mosteiroA cultura do mosteiro
A cultura do mosteiro
 
Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crençaA identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
 
A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
O Poder Absoluto Em Portugal
O Poder Absoluto Em PortugalO Poder Absoluto Em Portugal
O Poder Absoluto Em Portugal
 
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]Idade Média - História Geral -  Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
Idade Média - História Geral - Prof. Marco Aurélio Gondim [www.gondim.net]
 
idade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedadeidade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedade
 
Decadência do Império Romano
Decadência do Império RomanoDecadência do Império Romano
Decadência do Império Romano
 
O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2
 
Feudalismo e crise
Feudalismo e criseFeudalismo e crise
Feudalismo e crise
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
D2 cultura arte_religião
D2 cultura arte_religiãoD2 cultura arte_religião
D2 cultura arte_religião
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos
 
Renascimento comercial idade média
Renascimento comercial idade médiaRenascimento comercial idade média
Renascimento comercial idade média
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
A sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em PortugalA sociedade de antigo regime em Portugal
A sociedade de antigo regime em Portugal
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 

Destaque

Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade médiaAlterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Escola Luis de Freitas Branco
 
Cultura Medieval
Cultura Medieval Cultura Medieval
Cultura Medieval
Isaquel Silva
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
cattonia
 
Preparacao testes
Preparacao testesPreparacao testes
Preparacao testes
filomena morais
 
Manual 1 (2) geografia
Manual 1 (2) geografiaManual 1 (2) geografia
Manual 1 (2) geografia
filomena morais
 
A.1.1 ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
A.1.1   ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluçõesA.1.1   ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
A.1.1 ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
filomena morais
 
6 fa cacadores-recolectores_7a
6 fa cacadores-recolectores_7a6 fa cacadores-recolectores_7a
6 fa cacadores-recolectores_7a
filomena morais
 
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
filomena morais
 
Plano curricular 8o_c (1)
Plano curricular 8o_c (1)Plano curricular 8o_c (1)
Plano curricular 8o_c (1)
filomena morais
 
Metas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º AnoMetas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º Ano
khistoria
 
A.1.2 ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
A.1.2   ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluçõesA.1.2   ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
A.1.2 ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
filomena morais
 
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
filomena morais
 
2testerochas7ano 121210192237-phpapp01
2testerochas7ano 121210192237-phpapp012testerochas7ano 121210192237-phpapp01
2testerochas7ano 121210192237-phpapp01
filomena morais
 
68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna
filomena morais
 
Escrita hieroglifica
Escrita hieroglificaEscrita hieroglifica
Escrita hieroglifica
filomena morais
 
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8ºFichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
filomena morais
 
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
filomena morais
 
68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna
filomena morais
 
001 ft-sismos
001 ft-sismos001 ft-sismos
001 ft-sismos
filomena morais
 
Saberfazer 10
Saberfazer 10Saberfazer 10
Saberfazer 10
filomena morais
 

Destaque (20)

Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade médiaAlterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
Alterações na religiosidade e expansão do ensino na idade média
 
Cultura Medieval
Cultura Medieval Cultura Medieval
Cultura Medieval
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
Preparacao testes
Preparacao testesPreparacao testes
Preparacao testes
 
Manual 1 (2) geografia
Manual 1 (2) geografiaManual 1 (2) geografia
Manual 1 (2) geografia
 
A.1.1 ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
A.1.1   ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluçõesA.1.1   ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
A.1.1 ficha de trabalho - as primeiras sociedades recolectoras (2) - soluções
 
6 fa cacadores-recolectores_7a
6 fa cacadores-recolectores_7a6 fa cacadores-recolectores_7a
6 fa cacadores-recolectores_7a
 
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
003 estudo-do-estudo-do-fundo-dos-oceanos
 
Plano curricular 8o_c (1)
Plano curricular 8o_c (1)Plano curricular 8o_c (1)
Plano curricular 8o_c (1)
 
Metas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º AnoMetas Curriculares de História 7º Ano
Metas Curriculares de História 7º Ano
 
A.1.2 ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
A.1.2   ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluçõesA.1.2   ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
A.1.2 ficha de trabalho - as primeiras sociedades produtoras (1) - soluções
 
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
Testegeo8ano2teste1p 131230104926-phpapp01
 
2testerochas7ano 121210192237-phpapp01
2testerochas7ano 121210192237-phpapp012testerochas7ano 121210192237-phpapp01
2testerochas7ano 121210192237-phpapp01
 
68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna
 
Escrita hieroglifica
Escrita hieroglificaEscrita hieroglifica
Escrita hieroglifica
 
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8ºFichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
Fichatrabalhoreaccoesprecipitacao fq 8º
 
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
 
68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna68120276 estruturainterna
68120276 estruturainterna
 
001 ft-sismos
001 ft-sismos001 ft-sismos
001 ft-sismos
 
Saberfazer 10
Saberfazer 10Saberfazer 10
Saberfazer 10
 

Semelhante a As principais expressões da religião:as Ordens e a Inquisição

Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas
Coronel Mateus Mateus1966
 
08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante
Naira Oliveira
 
Renascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombianaRenascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombiana
daviprofessor
 
Invassoes barbaras mundo medieval
 Invassoes barbaras mundo medieval Invassoes barbaras mundo medieval
Invassoes barbaras mundo medieval
Professor: Ellington Alexandre
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
Andre Nascimento
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
Fatima Freitas
 
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
Marcos Mamute
 
08 história rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
08 história   rafael - invasões bárbaras e mundo medieval08 história   rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
08 história rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
Rafael Noronha
 
Aula de historia
Aula de historiaAula de historia
Aula de historia
Rose chaves
 
Aula 05 renascimento cultural
Aula 05   renascimento culturalAula 05   renascimento cultural
Aula 05 renascimento cultural
Jonatas Carlos
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
Marilia Pimentel
 
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e BrasilHistória da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
Andre Nascimento
 
Apostila protestantismo no brasil
Apostila protestantismo no brasilApostila protestantismo no brasil
Apostila protestantismo no brasil
uverlan
 
Ciência da sociedade
Ciência da sociedadeCiência da sociedade
Ciência da sociedade
Risalva Araujo Lima Veloso Veloso
 
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma ProtestanteAula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
Lucileida Castro
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
Vítor Santos
 
Historia II - M2
Historia II - M2Historia II - M2
Historia II - M2
semnazarenovirtual
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
Nefer19
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil
Seminário sobre a história da igreja. parte 3   as igrejas antigas e no brasilSeminário sobre a história da igreja. parte 3   as igrejas antigas e no brasil
Seminário sobre a história da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil
Robson Rocha
 
História da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasilHistória da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasil
Haroldo Xavier Silva
 

Semelhante a As principais expressões da religião:as Ordens e a Inquisição (20)

Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas
 
08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante
 
Renascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombianaRenascimento, reforma, e pre colombiana
Renascimento, reforma, e pre colombiana
 
Invassoes barbaras mundo medieval
 Invassoes barbaras mundo medieval Invassoes barbaras mundo medieval
Invassoes barbaras mundo medieval
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
 
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
Idade Média parte 1 (Cruzadas, Cultura, Política)
 
08 história rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
08 história   rafael - invasões bárbaras e mundo medieval08 história   rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
08 história rafael - invasões bárbaras e mundo medieval
 
Aula de historia
Aula de historiaAula de historia
Aula de historia
 
Aula 05 renascimento cultural
Aula 05   renascimento culturalAula 05   renascimento cultural
Aula 05 renascimento cultural
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
 
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e BrasilHistória da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
História da Igreja II: Aula 11: Protestantismo na AL e Brasil
 
Apostila protestantismo no brasil
Apostila protestantismo no brasilApostila protestantismo no brasil
Apostila protestantismo no brasil
 
Ciência da sociedade
Ciência da sociedadeCiência da sociedade
Ciência da sociedade
 
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma ProtestanteAula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
Aula 6 Expansão Ultramarina Renascimento Reforma Protestante
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
 
Historia II - M2
Historia II - M2Historia II - M2
Historia II - M2
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil
Seminário sobre a história da igreja. parte 3   as igrejas antigas e no brasilSeminário sobre a história da igreja. parte 3   as igrejas antigas e no brasil
Seminário sobre a história da igreja. parte 3 as igrejas antigas e no brasil
 
História da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasilHistória da igreja batista no brasil
História da igreja batista no brasil
 

Mais de filomena morais

As escolas medievais e as universidades
As escolas medievais e as universidadesAs escolas medievais e as universidades
As escolas medievais e as universidades
filomena morais
 
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
filomena morais
 
A vida nas cidades medievais pág
A vida nas cidades medievais págA vida nas cidades medievais pág
A vida nas cidades medievais pág
filomena morais
 
Testesumativo2 120320052955-phpapp01
Testesumativo2 120320052955-phpapp01Testesumativo2 120320052955-phpapp01
Testesumativo2 120320052955-phpapp01
filomena morais
 
Ficha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- portFicha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- port
filomena morais
 
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
filomena morais
 
Ficha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- portFicha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- port
filomena morais
 
Acordo ortografico pais_profrssores
Acordo ortografico pais_profrssoresAcordo ortografico pais_profrssores
Acordo ortografico pais_profrssores
filomena morais
 
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
filomena morais
 
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
filomena morais
 
Estrutura teste geo7º
Estrutura teste geo7ºEstrutura teste geo7º
Estrutura teste geo7º
filomena morais
 
Ue2
Ue2Ue2
Alargamentos da ue
Alargamentos da ueAlargamentos da ue
Alargamentos da ue
filomena morais
 
Ficha nº4 7º ano ue
Ficha nº4 7º ano  ueFicha nº4 7º ano  ue
Ficha nº4 7º ano ue
filomena morais
 
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
filomena morais
 
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
filomena morais
 
132021199 sinais-2012-aea
132021199 sinais-2012-aea132021199 sinais-2012-aea
132021199 sinais-2012-aea
filomena morais
 
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
filomena morais
 
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
filomena morais
 

Mais de filomena morais (19)

As escolas medievais e as universidades
As escolas medievais e as universidadesAs escolas medievais e as universidades
As escolas medievais e as universidades
 
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
A cultura monástica,cortesã e a cultura popular.
 
A vida nas cidades medievais pág
A vida nas cidades medievais págA vida nas cidades medievais pág
A vida nas cidades medievais pág
 
Testesumativo2 120320052955-phpapp01
Testesumativo2 120320052955-phpapp01Testesumativo2 120320052955-phpapp01
Testesumativo2 120320052955-phpapp01
 
Ficha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- portFicha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- port
 
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
Linguaportuguesa7ano 131126124512-phpapp01
 
Ficha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- portFicha1 pca-ortografia- port
Ficha1 pca-ortografia- port
 
Acordo ortografico pais_profrssores
Acordo ortografico pais_profrssoresAcordo ortografico pais_profrssores
Acordo ortografico pais_profrssores
 
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
47730165 ficha-8º-ano-recursos-naturais-e-residuos
 
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
26344289 ficha-de-avaliacao-de-cn-8º-ano-factores-abioticos-e-bioticos-fluxo-...
 
Estrutura teste geo7º
Estrutura teste geo7ºEstrutura teste geo7º
Estrutura teste geo7º
 
Ue2
Ue2Ue2
Ue2
 
Alargamentos da ue
Alargamentos da ueAlargamentos da ue
Alargamentos da ue
 
Ficha nº4 7º ano ue
Ficha nº4 7º ano  ueFicha nº4 7º ano  ue
Ficha nº4 7º ano ue
 
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
84967384 51663161-ficha-sumativa-sismos-vulcoes-1 (2)
 
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
Ficha de-coordenadas-e-escalas2 (1)
 
132021199 sinais-2012-aea
132021199 sinais-2012-aea132021199 sinais-2012-aea
132021199 sinais-2012-aea
 
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
240590660 2014-15-0-p-diagnostica-7º-geog-22-set-v1-rp
 
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
250597889 2014-15-3-teste-7ºa-geog-12-dez-v2-rp
 

Último

QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 

As principais expressões da religião:as Ordens e a Inquisição

  • 1. 4 FilomenaMorais  No final deverás ser capaz de explicar o aparecimento dos movimentos heréticos e das ordens dos mendicantes. A crise da Igreja e os movimentos heréticos Tempo: Séculos XI e XIII Espaço: Europa Com o desenvolvimento da economia muitos membros do clero acumularam bens e riquezas. Passaram a ter uma vida muito diferente da que era proposta pelo cristianismo. Esta ostentação foi alvo de críticas. Surgiram (França, Itália, Flandres e Países Baixos) seitas a proclamar que a igreja estava a trair a mensagem de Cristo. Principais seitas: Valdenses Cátaros Albigenses Estas, conseguiram grande número de aderentes. Porém, foram consideradas heréticas por negarem o valor dos sacramentos e a autoridade do papa. Assim, foram excomungadas e consideradas heréticas (pessoas que põem em causa verdades tidas como absolutas). Para combater estas seitas a igreja criou no século XII (1184) a Inquisição-combatia os inimigos da fé cristã. Em Portugal só terminou no século XIX. Os mais perseguidos foram os Judeus. A Inquisição foi fundada inicialmente no sul da França onde predominavam os Albigenses foram depois para a Alemanha e nos finais do século XV, na Península Ibérica. A fundação das Ordens Mendicantes Nas cidades da idade Média havia um grande contraste entre a burguesia enriquecida pelos negócios e muitos estratos do povo que viviam na pobreza. Surgiram então Ordens que defendiam a pobreza e a pregação Séc. ordem dos Mendicantes - ordem de Francisco criada por São XIII Francisco de Assis Ordem de Domingos fundada por S. Domingos de Gusmão A Ordem de Domingos ou Dominicana preocupou-se em combater as heresias. Dominicanos que se destacaram: São Alberto Magno S. Tomás de Aquino Séc. XIII 1-Refere movimentos heréticos surgidos no séc. XII. 2-Explica o seu aparecimento 3-Que iniciativas surgiram, no seio da igreja, para renovar a vida religiosa? As principais expressões da religião, cultura e arte do séc. XII ao séc. XIV pág.174