SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
IMPÉRIO BIZANTINO E
CAROLÍNGIO
professoralu.historia@gma
il.com
IMPÉRIO
BIZANTINO
CONTEXTO DE
FORMAÇÃO:
• Crise do Império
Romano do Ocidente
• Bizâncio (colônia
grega) – conquistada
em 315.
• Constantinopla é
inaugurada em 330.
• Império Romano do
Oriente – 395
Império Romano do
Ocidente  CRISE
Crise do escravismo
Ruralização da economia
Invasões “bárbaras”
Cristianismo
Império Romano do
Oriente  sem crise
econômica  combateu
invasões
*subornos (diplomacia),
guerras e incorporação de
Império Romano do Oriente = Império Bizantino
• Sociedade urbana
• Herdeira da filosofia grega
• Localização estratégica (Estreito de
Bósforo - Europa e Ásia)
• Economia: comércio marítimo
• Agricultura: Latifúndios estatais e
algumas propriedades privadas
• Mão de obra servil (alguns colonos e
escravos – 20%)
• Controle Estatal (comércio,
agricultura, emissão de moeda)
• Sociedade estratificada
• Criou várias interpretações religiosas
 HERESIAS
IMPÉRIO
BIZANTINO
POLÍTICA
LEIS (Burocracia)
RELIGIÃO
ESTRUTUR
A DE
ESTUDOS
SOBRE
IMPÉRIO
BIZANTIN
O
POLÍTICA
Política – cópia do Império Romano do Ocidente
Imperador Política
Religião
CESAROPAPISM
O
CONFLITO COM A
IGREJA CATÓLICA
(ROMA)
Em Roma
desapareceu o
cargo de
Imperador e
permaneceu o
de Papa...
Em
Constantinopla...
Imperador
Autocrático/Despó
tico
CISMA DO ORIENTE
LEIS (BUROCRACIA)
O GOVERNO DE JUSTINIANO (527-565) 
RECONQUISTA
 Principais objetivos:
• consolidar a autoridade imperial no grande território por ele reconquistado;
• reconstruir o antigo Império Romano;
• manter o Mar Mediterrâneo com eixo da economia imperial.
 Principais Feitos:
• reestruturação do Direito Romano (Corpus Juris Civilis),
• dividido em 4 partes:
1) Códex ou Código de Justiniano – conjunto de leis;
2) Digesto ou Pandectas – leis comentadas;
3) Institutas – princípios fundamentais das leis;
4) Novelas ou Autênticas – novas leis de Justiniano;
Algumas normas do Código
Justiniano:
•Ninguém será obrigado a defender
uma causa contra sua vontade.
•Ninguém será punido pelo que
pensa.
•Ninguém poderá ser retirado de sua
casa à força.
•Quem acusa deve provar o que diz.
•Quando uma pena for aplicada,
deve-se levar em conta a idade e a
inexperiência do culpado.
x
OUTROS FEITOS DE
JUSTINIANO
Obras Públicas:
fortalezas e castelos,
Basílica de Santa Sofia
– representação da
grandiosidade do
Império;
Reconquistou a
Península Itálica,
Ibérica e o Norte da
África.
RELIGIÃOConflitos entre Imperador Bizantino e Papa Romano 
Cesaropapismo
•Influências do catolicismo primitivo
•Divergências em relação ao catolicismo romano
HERESIAS
MONOFISISMO (Síria e Egito)
ICONOCLASTIA
CISMA DO ORIENTE 1054
Formação da Igreja Ortodoxax
CISMA DO ORIENTE
(1054)
Distanciamento cultural; disputas políticas
Heresias e questões políticas (cesaropapismo ×
autoridade do papa e heresias) levaram a
separação da Igreja em:
Igreja Ortodoxa
Grega
(Patriarca
Bartolomeu I)
Igreja Católica
ApostólicA
Romana
(Papa Francisco)
Em 1453, o Império
Bizantino chega a seu
fim, quando os turcos
otomanos (povo
originário da Ásia central
e convertidos ao
islamismo) invadem a
capital Constantinopla.
Esse evento marca
também o fim da Idade
Média.
CULTURA BIZANTINA:
decoração de igrejas;
Planta da igrejas em cruz grega
(braços iguais);
Telhados em forma de cúpula,
predominavam as linhas curvas e
o interior era ricamente decorado.
Grande expoente: Basílica de
Santa Sofia.
 ausência de esculturas e
profusão de ícones.
Coleção Dolce & Gabana –
inverno 2013/2014
IMPÉRIO CAROLÍNGEO
OS “BÁRBAROS”
OS “BÁRBAROS”
Nome dado a diferentes grupos étnicos:
•Povos originários da Ásia (hunos),
• Leste europeu (eslavos).
• Norte da Europa (Germânicos)
Germânicos eram subdivididos em: Visigodos, Ostrogodos,
Burgúndios, Vikings, Vândalos, Suevos, Lombardos, Francos, etc...
Formaram reinos instáveis de curta duração;
Eram rivais: disputavam entre si os mesmos territórios;
CULTURA GERMÂNICA:
ORGANIZAÇÃO SOCIAL
 Estrutura Familiar bastante
sólida;
Prezavam por valores: honra, fidelidade
conjugal, lealdade...
 Comitatus – lealdade e
reciprocidade entre os
guerreiros
 Não possuíam um código de
leis escrito.
 Decisões jurídicas: Duelos ou
Ordálios.  Direito
CULTURA GERMÂNICA:
ECONOMIA
Predominava a atividade
agrícola; mas não eram
sedentários;
 Produziam principalmente cereais,
(aveia e o trigo) e trabalhavam
também com a pecuária.
Alguns viviam da pilhagem
(saques);
CULTURA GERMÂNICA:
RELIGIÃO
Politeísta;
Adoração fundamentada nas
forças da natureza.
Não construíam templos:
Rituais realizados em ao ar
livre.
Ofereciam como sacrifício
animais e até humanos.
REINO DOS FRANCOS:
Conseguiu unificar um vasto
território e manter um governo
estável;
Atuais Alemanha, Itália e França.
Fortalecimento do reino pela
aliança com a Igreja Católica.
• Clóvis (481-511): primeiro monarca a
se converter ao cristianismo após a
Dinastia Merovíngia (481-751).
 século VII, os reis merovíngios foram-se tornando
indolentes e displicentes, entregando os trabalhos
administrativos aos chamados prefeitos ou mordomos do
Paço (majordomus). O mais famoso prefeito do
Paço foi:
 Carlos Martel (714-741), que venceu os
árabes na Batalha de Poitiers, em 732,
impedindo a expansão dos árabes da
Espanha para a França.
Nessa ocasião, Carlos Martel
tornou-se rei dos francos. Seu
sucessor foi seu filho, Pepino, o
Breve, em 751. Pepino criou
a Dinastia Carolíngia. (751-987)
DINASTIA CAROLÍNGIA (751-
987)
 Auge: reinado de Carlos Magno (768-814).
Conhecido como o “Imperador do Ocidente”.
Também chamado de Império Carolíngio.
Campanhas militares apoiadas pela Igreja Católica possibilitaram a
expansão territorial e a difusão do Cristianismo (conversão forçada dos
demais povos bárbaros).
• A sagração de Carlos Magno por Leão III simbolizou a instauração do
Império do Ocidente como sucessor do Antigo Império Romano.
 SACRO IMPÉRIO ROMANO.
 Europa unificada sob um império Universal e Cristão.
Carlos
Magno
Organização político-
administrativa:
 Ducados, Condados e as Marcas.
 Sua direção cabia aos membros da aristocracia
territorial e guerreira do Império.
 Missi dominici ou enviados do Senhor:
funcionários reais que fiscalizavam os
governantes das divisões político-
administrativas
 Leis Capitulares = leis que valiam para todo o
império.
Artes:
 Decoração de livros (iluminuras);
 Arquitetura (domínio da pedra);
 Pinturas e os mosaicos.
Após a morte de Carlos Magno (814), Luis o
Piedoso, sucedeu-o no trono imperial. Em 843,
pelo tratado de Verdun, os netos de Carlos Magno
(Carlos, Lotário e Luís) dividiram o Império.
Em 987, Hugo Capeto, conde de Paris,
pôs fim à dinastia Carolíngia e deu
início à Dinastia Capetíngia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

A cultura do mosteiro
A cultura do mosteiroA cultura do mosteiro
A cultura do mosteiro
 
Revisão do conteúdo do 7º ano.
Revisão do conteúdo do 7º ano.Revisão do conteúdo do 7º ano.
Revisão do conteúdo do 7º ano.
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
A cristandade ocidental face ao islão parte 1
A cristandade ocidental face ao islão  parte 1A cristandade ocidental face ao islão  parte 1
A cristandade ocidental face ao islão parte 1
 
A alta idade média
A alta idade médiaA alta idade média
A alta idade média
 
Alta idade média ocidental
Alta idade média ocidentalAlta idade média ocidental
Alta idade média ocidental
 
1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos1° ano - Bizantinos
1° ano - Bizantinos
 
O IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINOO IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINO
 
RESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade médiaRESUMO Completo da Idade média
RESUMO Completo da Idade média
 
A idade média no ocidente
A idade média no ocidenteA idade média no ocidente
A idade média no ocidente
 
Idade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja CatólicaIdade Média: feudalismo e Igreja Católica
Idade Média: feudalismo e Igreja Católica
 
IDADE MÉDIA
IDADE MÉDIAIDADE MÉDIA
IDADE MÉDIA
 
Aula 04 idade média
Aula 04   idade médiaAula 04   idade média
Aula 04 idade média
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
A igreja-na-idade-média-e-as-cruzadas
A igreja-na-idade-média-e-as-cruzadasA igreja-na-idade-média-e-as-cruzadas
A igreja-na-idade-média-e-as-cruzadas
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
Alta Idade Média
Alta Idade MédiaAlta Idade Média
Alta Idade Média
 
A civilização bizantina
A civilização bizantinaA civilização bizantina
A civilização bizantina
 
3° ano EM - Bizantinos e Francos.
3° ano EM - Bizantinos e Francos.3° ano EM - Bizantinos e Francos.
3° ano EM - Bizantinos e Francos.
 

Destaque

Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasLú Carvalho
 
Idade Media1
Idade Media1Idade Media1
Idade Media1Semone
 
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francosLú Carvalho
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantinoIzaac Erder
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUALú Carvalho
 
00 la-historia-y-sus-etapas1
00 la-historia-y-sus-etapas100 la-historia-y-sus-etapas1
00 la-historia-y-sus-etapas1AB VeBa
 
Revolucion Francesa
Revolucion FrancesaRevolucion Francesa
Revolucion Francesacarlavalera_
 
Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)Lú Carvalho
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos euaLú Carvalho
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-HarringLú Carvalho
 
Restauración y revoluciones liberales
Restauración y revoluciones liberalesRestauración y revoluciones liberales
Restauración y revoluciones liberalespapefons Fons
 

Destaque (20)

Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Idade Media1
Idade Media1Idade Media1
Idade Media1
 
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francos
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
Rugendas I
Rugendas IRugendas I
Rugendas I
 
Ditadura parte1
Ditadura   parte1Ditadura   parte1
Ditadura parte1
 
Rugendas II
Rugendas IIRugendas II
Rugendas II
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
00 la-historia-y-sus-etapas1
00 la-historia-y-sus-etapas100 la-historia-y-sus-etapas1
00 la-historia-y-sus-etapas1
 
Revolucion Francesa
Revolucion FrancesaRevolucion Francesa
Revolucion Francesa
 
Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)Baixa idade média (séculos XI-XV)
Baixa idade média (séculos XI-XV)
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-Harring
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Brasil Regência
Brasil RegênciaBrasil Regência
Brasil Regência
 
Restauración y revoluciones liberales
Restauración y revoluciones liberalesRestauración y revoluciones liberales
Restauración y revoluciones liberales
 
Historia del Arte - Rafael Bolivar
Historia del Arte - Rafael BolivarHistoria del Arte - Rafael Bolivar
Historia del Arte - Rafael Bolivar
 

Semelhante a Império Bizantino e Carolingeo

Módulo 3 bizantinos e carolíngios
Módulo 3   bizantinos e carolíngiosMódulo 3   bizantinos e carolíngios
Módulo 3 bizantinos e carolíngiosLú Carvalho
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 anoOver Lane
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 anoOver Lane
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoPortal do Vestibulando
 
Imperio bizantino e islã 2013
Imperio bizantino e islã 2013Imperio bizantino e islã 2013
Imperio bizantino e islã 2013Fabio Salvari
 
Slides bizantinos 1º. ano
Slides bizantinos    1º. anoSlides bizantinos    1º. ano
Slides bizantinos 1º. anoFatima Freitas
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade médiavaldeck1
 
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).ppt
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).pptIdade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).ppt
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).pptDailsonDbMachado
 
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)eiprofessor
 
A europa da alta idade média
A europa da alta idade médiaA europa da alta idade média
A europa da alta idade médiaRamiro Bicca
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filémundica broda
 
Bizantinos bárbaros - árabes - 3º Ano
Bizantinos   bárbaros - árabes - 3º AnoBizantinos   bárbaros - árabes - 3º Ano
Bizantinos bárbaros - árabes - 3º AnoAuxiliadora
 

Semelhante a Império Bizantino e Carolingeo (20)

Módulo 3 bizantinos e carolíngios
Módulo 3   bizantinos e carolíngiosMódulo 3   bizantinos e carolíngios
Módulo 3 bizantinos e carolíngios
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
 
Bizantinos
BizantinosBizantinos
Bizantinos
 
Imperio bizantino e islã 2013
Imperio bizantino e islã 2013Imperio bizantino e islã 2013
Imperio bizantino e islã 2013
 
Slides bizantinos 1º. ano
Slides bizantinos    1º. anoSlides bizantinos    1º. ano
Slides bizantinos 1º. ano
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
 
Bizancio
BizancioBizancio
Bizancio
 
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).ppt
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).pptIdade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).ppt
Idade Média-Feudalismo (Completo - Muito Bom).ppt
 
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)
Alta Idade Média (Bizantinos e Muçulmanos)
 
5
55
5
 
Idade media
Idade mediaIdade media
Idade media
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A europa da alta idade média
A europa da alta idade médiaA europa da alta idade média
A europa da alta idade média
 
5. idade média
5. idade média5. idade média
5. idade média
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filé
 
Bizantinos bárbaros - árabes - 3º Ano
Bizantinos   bárbaros - árabes - 3º AnoBizantinos   bárbaros - árabes - 3º Ano
Bizantinos bárbaros - árabes - 3º Ano
 
Feudalimo 3
Feudalimo 3Feudalimo 3
Feudalimo 3
 
16.a.bizantino
16.a.bizantino16.a.bizantino
16.a.bizantino
 

Mais de Lú Carvalho

Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da AméricaLú Carvalho
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUALú Carvalho
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIILú Carvalho
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasLú Carvalho
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte ModernaLú Carvalho
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte modernaLú Carvalho
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da AméricaLú Carvalho
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaLú Carvalho
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima Lú Carvalho
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à HistóriaLú Carvalho
 
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesaMódulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesaLú Carvalho
 
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...Lú Carvalho
 
Como fazer um fanzine
Como fazer um fanzineComo fazer um fanzine
Como fazer um fanzineLú Carvalho
 
Alta idade média (séculos v x)
Alta idade média (séculos v x)Alta idade média (séculos v x)
Alta idade média (séculos v x)Lú Carvalho
 

Mais de Lú Carvalho (17)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Debret
DebretDebret
Debret
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesaMódulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
 
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...
Aula inaugural 2015: Je suis Charlie, mas nem tanto...
 
Como fazer um fanzine
Como fazer um fanzineComo fazer um fanzine
Como fazer um fanzine
 
Alta idade média (séculos v x)
Alta idade média (séculos v x)Alta idade média (séculos v x)
Alta idade média (séculos v x)
 

Último

Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 

Último (20)

Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 

Império Bizantino e Carolingeo

  • 2. IMPÉRIO BIZANTINO CONTEXTO DE FORMAÇÃO: • Crise do Império Romano do Ocidente • Bizâncio (colônia grega) – conquistada em 315. • Constantinopla é inaugurada em 330. • Império Romano do Oriente – 395
  • 3. Império Romano do Ocidente  CRISE Crise do escravismo Ruralização da economia Invasões “bárbaras” Cristianismo Império Romano do Oriente  sem crise econômica  combateu invasões *subornos (diplomacia), guerras e incorporação de
  • 4. Império Romano do Oriente = Império Bizantino • Sociedade urbana • Herdeira da filosofia grega • Localização estratégica (Estreito de Bósforo - Europa e Ásia) • Economia: comércio marítimo • Agricultura: Latifúndios estatais e algumas propriedades privadas • Mão de obra servil (alguns colonos e escravos – 20%) • Controle Estatal (comércio, agricultura, emissão de moeda) • Sociedade estratificada • Criou várias interpretações religiosas  HERESIAS
  • 5.
  • 7. POLÍTICA Política – cópia do Império Romano do Ocidente Imperador Política Religião CESAROPAPISM O CONFLITO COM A IGREJA CATÓLICA (ROMA) Em Roma desapareceu o cargo de Imperador e permaneceu o de Papa... Em Constantinopla... Imperador Autocrático/Despó tico CISMA DO ORIENTE
  • 8. LEIS (BUROCRACIA) O GOVERNO DE JUSTINIANO (527-565)  RECONQUISTA  Principais objetivos: • consolidar a autoridade imperial no grande território por ele reconquistado; • reconstruir o antigo Império Romano; • manter o Mar Mediterrâneo com eixo da economia imperial.  Principais Feitos: • reestruturação do Direito Romano (Corpus Juris Civilis), • dividido em 4 partes: 1) Códex ou Código de Justiniano – conjunto de leis; 2) Digesto ou Pandectas – leis comentadas; 3) Institutas – princípios fundamentais das leis; 4) Novelas ou Autênticas – novas leis de Justiniano;
  • 9. Algumas normas do Código Justiniano: •Ninguém será obrigado a defender uma causa contra sua vontade. •Ninguém será punido pelo que pensa. •Ninguém poderá ser retirado de sua casa à força. •Quem acusa deve provar o que diz. •Quando uma pena for aplicada, deve-se levar em conta a idade e a inexperiência do culpado. x
  • 10.
  • 11. OUTROS FEITOS DE JUSTINIANO Obras Públicas: fortalezas e castelos, Basílica de Santa Sofia – representação da grandiosidade do Império; Reconquistou a Península Itálica, Ibérica e o Norte da África.
  • 12. RELIGIÃOConflitos entre Imperador Bizantino e Papa Romano  Cesaropapismo •Influências do catolicismo primitivo •Divergências em relação ao catolicismo romano HERESIAS MONOFISISMO (Síria e Egito) ICONOCLASTIA CISMA DO ORIENTE 1054 Formação da Igreja Ortodoxax
  • 13. CISMA DO ORIENTE (1054) Distanciamento cultural; disputas políticas Heresias e questões políticas (cesaropapismo × autoridade do papa e heresias) levaram a separação da Igreja em: Igreja Ortodoxa Grega (Patriarca Bartolomeu I) Igreja Católica ApostólicA Romana (Papa Francisco)
  • 14. Em 1453, o Império Bizantino chega a seu fim, quando os turcos otomanos (povo originário da Ásia central e convertidos ao islamismo) invadem a capital Constantinopla. Esse evento marca também o fim da Idade Média.
  • 15.
  • 16. CULTURA BIZANTINA: decoração de igrejas; Planta da igrejas em cruz grega (braços iguais); Telhados em forma de cúpula, predominavam as linhas curvas e o interior era ricamente decorado. Grande expoente: Basílica de Santa Sofia.  ausência de esculturas e profusão de ícones.
  • 17.
  • 18. Coleção Dolce & Gabana – inverno 2013/2014
  • 21. OS “BÁRBAROS” Nome dado a diferentes grupos étnicos: •Povos originários da Ásia (hunos), • Leste europeu (eslavos). • Norte da Europa (Germânicos) Germânicos eram subdivididos em: Visigodos, Ostrogodos, Burgúndios, Vikings, Vândalos, Suevos, Lombardos, Francos, etc... Formaram reinos instáveis de curta duração; Eram rivais: disputavam entre si os mesmos territórios;
  • 22.
  • 23. CULTURA GERMÂNICA: ORGANIZAÇÃO SOCIAL  Estrutura Familiar bastante sólida; Prezavam por valores: honra, fidelidade conjugal, lealdade...  Comitatus – lealdade e reciprocidade entre os guerreiros  Não possuíam um código de leis escrito.  Decisões jurídicas: Duelos ou Ordálios.  Direito
  • 24. CULTURA GERMÂNICA: ECONOMIA Predominava a atividade agrícola; mas não eram sedentários;  Produziam principalmente cereais, (aveia e o trigo) e trabalhavam também com a pecuária. Alguns viviam da pilhagem (saques);
  • 25. CULTURA GERMÂNICA: RELIGIÃO Politeísta; Adoração fundamentada nas forças da natureza. Não construíam templos: Rituais realizados em ao ar livre. Ofereciam como sacrifício animais e até humanos.
  • 26. REINO DOS FRANCOS: Conseguiu unificar um vasto território e manter um governo estável; Atuais Alemanha, Itália e França. Fortalecimento do reino pela aliança com a Igreja Católica. • Clóvis (481-511): primeiro monarca a se converter ao cristianismo após a
  • 27. Dinastia Merovíngia (481-751).  século VII, os reis merovíngios foram-se tornando indolentes e displicentes, entregando os trabalhos administrativos aos chamados prefeitos ou mordomos do Paço (majordomus). O mais famoso prefeito do Paço foi:  Carlos Martel (714-741), que venceu os árabes na Batalha de Poitiers, em 732, impedindo a expansão dos árabes da Espanha para a França.
  • 28. Nessa ocasião, Carlos Martel tornou-se rei dos francos. Seu sucessor foi seu filho, Pepino, o Breve, em 751. Pepino criou a Dinastia Carolíngia. (751-987)
  • 29. DINASTIA CAROLÍNGIA (751- 987)  Auge: reinado de Carlos Magno (768-814). Conhecido como o “Imperador do Ocidente”. Também chamado de Império Carolíngio. Campanhas militares apoiadas pela Igreja Católica possibilitaram a expansão territorial e a difusão do Cristianismo (conversão forçada dos demais povos bárbaros). • A sagração de Carlos Magno por Leão III simbolizou a instauração do Império do Ocidente como sucessor do Antigo Império Romano.  SACRO IMPÉRIO ROMANO.  Europa unificada sob um império Universal e Cristão.
  • 31.
  • 32.
  • 33. Organização político- administrativa:  Ducados, Condados e as Marcas.  Sua direção cabia aos membros da aristocracia territorial e guerreira do Império.  Missi dominici ou enviados do Senhor: funcionários reais que fiscalizavam os governantes das divisões político- administrativas  Leis Capitulares = leis que valiam para todo o império. Artes:  Decoração de livros (iluminuras);  Arquitetura (domínio da pedra);  Pinturas e os mosaicos. Após a morte de Carlos Magno (814), Luis o Piedoso, sucedeu-o no trono imperial. Em 843, pelo tratado de Verdun, os netos de Carlos Magno (Carlos, Lotário e Luís) dividiram o Império.
  • 34. Em 987, Hugo Capeto, conde de Paris, pôs fim à dinastia Carolíngia e deu início à Dinastia Capetíngia.