SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA ESTADUAL “JOSÉ ALVES RIBEIRO”
Profª. Fatima Freitas
A CONTRARREFORMA
A Contrarreforma ou Reforma
Católica
 A expansão do protestantismo abalou
seriamente a tradicional hegemonia religiosa de
Roma sobre o continente europeu.
Para conter a difusão das idéias protestantes
surgiu um movimento denominado
Contrarreforma, que ao mesmo tempo buscava
fortalecer a Igreja papal e moralizá-la, adotando
medidas que compuseram a Reforma católica.
 O catolicismo foi obrigado a adequar-se aos
novos valores, decorrentes do desenvolvimento
do capitalis-mo comercial, dentre os quais
citamos:
Criação da Companhia de Jesus, idealizada pelo
espanhol Ignácio de Loyola, onde os jesuítas seguiam
disciplina militar, constituindo um grupo bem formado
e disciplinado, cuja missão principal era combater
infiéis e protestantes.
A importância que esses religiosos atribuíram à
educação fez com que monopolizassem as instituições
de ensino de diversas regiões, visando
primordialmente difundir a ideologia católica romana.
• O Concílio de Trento
(1545-1563), convocado
pelo papa Paulo III, no
qual se discutiram os
problemas do
cristianismo e se definiu
a atuação da Igreja
diante da expansão
protestante, também fez
parte do movimento
contra-reformista e de
Reforma católica.
• Reorganização do
Tribunal do Santo Ofício:
e consistia em vigiar e
normatizar a f é e a vida
dos fiéis. A perseguição
inquisitorial a todos os
que, de acordo com seus
critérios, pusessem em
risco a fé em Cristo
assumiu muitas vezes urn
caráter de tortura e
morte de milhares de
pessoas.
• Publicação do
catecismo: resumo da
doutrina católica, usada
para orientar os fiéis,
principalmente crianças
e jovens, nas escolas de
evangelização.
A elaboração do índex (relação de livros
proibidos aos católicos), a igreja católica buscava
impedir a difusão das idéias pro-testantes e das
vozes discordantes do seu ideário religioso.
Dele constavam as bíblias luterana, calvinista e
anglicana e diversas obras de intelectuais da
época, como Galileu Galilei, Giordano Bruno,
Isaac Newton, etc.
A censura estabelecida com o Index ao longo do
tempo revelou-se um sério entrave ao progresso
cultural e científico da Idade Moderna.
A Europa se divide
 Em meados do século XVI, a cristandade na
Europa estava dividida em várias igrejas.
 Dentro de cada país as pessoas eram
obrigadas a seguir a religião do rei.
 Por exemplo, nas regiões da Alemanha em
que o luteranismo havia sido adotado, os
católicos foram perseguidos.
 Na Espanha e em Portugal, a Inquisição
perseguiu protestantes, judeus, cristãos-novos
e muçulmanos.
A EUROPA APÓS A REFORMA
Católicos e calvinistas na França
 Na França, a divisão entre católicos e
protestantes se manifestou de forma violenta.
 A divisão mais acirrada opunha os católicos
aos calvinistas, chamados na França de
huguenotes.
 Apesar da perseguição movida pelo governo
católico, os protestantes se expandiram pelo
reino, concentrando-se nos centros comerciais
mais importantes, como Paris, Lion e Orleans.
 As tensões entre católicos e calvinistas se
agravaram no reinado de Carlos IX (1560-1574).
 O momento mais grave da crise ocorreu em 24
de agosto de 1572, a chamada Noite de São
Bartolomeu, quando cerca de 3 mil huguenotes
foram massacrados em Paris a mando da mãe do
rei, a católica Catarina de Médicis.
 O terrível episódio desencadeou uma onda de
guerras religiosas na França que provocou a
morte de milhares de pessoas.
O conflito só terminou com a promulgação do
Edito de Nantes, em 1598, que concedeu
liberdade de culto no país.
NOITE DE SÃO BARTOLOMEU
Na Escócia, os calvinistas tiveram como principal
pregador John Knox e adotaram o nome de
presbiterianos, por organizarem sua Igreja a
partir de conselhos, chamados presbíteros.
Na Inglaterra, os calvinistas foram chamados de
puritanos, os predestinados, e na França,
huguenotes.
Em outros países, como Holanda e Dinamarca, o
calvinismo ganhou inúmeros adeptos,
confirmando o sucesso da doutrina diante do
progresso econômico capitalista.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 História Global – Cotrim Gilberto
 História e Vida – Pilletti Nelson e Pilleti
Claudino
 Imagens google
SUGESTÕES DE FILMES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
Luiz Henrique Ferreira
 
Conquista e colonização da América
Conquista e colonização da AméricaConquista e colonização da América
Conquista e colonização da América
Elton Zanoni
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
Edenilson Morais
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
Aulas de História
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
Ramiro Bicca
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
Nefer19
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
Manuel Pereira Gonçalves
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Fabiana Tonsis
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
harlissoncarvalho
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
Daniel Alves Bronstrup
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Professor de História
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Ramiro Bicca
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
Jerry Guimarães
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 

Mais procurados (20)

Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
 
Conquista e colonização da América
Conquista e colonização da AméricaConquista e colonização da América
Conquista e colonização da América
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 

Destaque

A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
Marcela Marangon Ribeiro
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
historiando
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Professora Natália de Oliveira
 
A reforma católica
A reforma católicaA reforma católica
A reforma católica
CAvancar
 
Barroco nota de aula -
Barroco nota de aula    - Barroco nota de aula    -
Barroco nota de aula -
Péricles Penuel
 
Reforma católica
Reforma católica Reforma católica
Reforma católica
RaQuel Oliveira
 
Contrarreforma2
Contrarreforma2Contrarreforma2
Contrarreforma2
Alfredo Rocha
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
Fatima Freitas
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Fatima Freitas
 
Revolucao Industrial
Revolucao  Industrial   Revolucao  Industrial
Revolucao Industrial
Fatima Freitas
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
Fatima Freitas
 
Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
Fatima Freitas
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
Fatima Freitas
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Fatima Freitas
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
Fatima Freitas
 
Direitos étnicos e raciais
Direitos étnicos e raciaisDireitos étnicos e raciais
Direitos étnicos e raciais
Fatima Freitas
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Fatima Freitas
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
Fatima Freitas
 
O EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGOO EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGO
Fatima Freitas
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
Fatima Freitas
 

Destaque (20)

A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
A reforma católica
A reforma católicaA reforma católica
A reforma católica
 
Barroco nota de aula -
Barroco nota de aula    - Barroco nota de aula    -
Barroco nota de aula -
 
Reforma católica
Reforma católica Reforma católica
Reforma católica
 
Contrarreforma2
Contrarreforma2Contrarreforma2
Contrarreforma2
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
 
Revolucao Industrial
Revolucao  Industrial   Revolucao  Industrial
Revolucao Industrial
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
 
Direitos étnicos e raciais
Direitos étnicos e raciaisDireitos étnicos e raciais
Direitos étnicos e raciais
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
O EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGOO EGITO ANTIGO
O EGITO ANTIGO
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
 

Semelhante a A contrarreforma

08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante
Naira Oliveira
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Alexandre Guanaes Buongermino
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Guilherme Cardozo
 
Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas
Coronel Mateus Mateus1966
 
Reforma protestante e contra reforma
Reforma protestante e contra reformaReforma protestante e contra reforma
Reforma protestante e contra reforma
Fatima Freitas
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
Andre Nascimento
 
Historia II - M2
Historia II - M2Historia II - M2
Historia II - M2
semnazarenovirtual
 
História do cristianismo v da página 328 a 452
História do cristianismo v da página 328 a 452História do cristianismo v da página 328 a 452
História do cristianismo v da página 328 a 452
Ivan De Oliveira Santos
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Janete Garcia de Freitas
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
Reforma protestante. mudou a visão das pessoas entender a religião
Reforma protestante. mudou a   visão das pessoas entender a religiãoReforma protestante. mudou a   visão das pessoas entender a religião
Reforma protestante. mudou a visão das pessoas entender a religião
Ricardo Diniz campos
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Péricles Penuel
 
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
Reformas 1 serie
Reformas   1 serieReformas   1 serie
Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1
Valkuiria Andrade
 
Reforma e Contra Reforma
Reforma e Contra ReformaReforma e Contra Reforma
Reforma e Contra Reforma
Marcos Aurélio
 
Revisão 3º bi
Revisão 3º biRevisão 3º bi
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reformaReforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
rakeloliveiraborges
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
josepinho
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
seixasmarianas
 

Semelhante a A contrarreforma (20)

08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante08 reforma%20protestante
08 reforma%20protestante
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
 
Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas Resumo tempo de reformas
Resumo tempo de reformas
 
Reforma protestante e contra reforma
Reforma protestante e contra reformaReforma protestante e contra reforma
Reforma protestante e contra reforma
 
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas CatólicasHistória da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
História da Igreja II: Aula 6: Reformas Católicas
 
Historia II - M2
Historia II - M2Historia II - M2
Historia II - M2
 
História do cristianismo v da página 328 a 452
História do cristianismo v da página 328 a 452História do cristianismo v da página 328 a 452
História do cristianismo v da página 328 a 452
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
 
Reforma protestante. mudou a visão das pessoas entender a religião
Reforma protestante. mudou a   visão das pessoas entender a religiãoReforma protestante. mudou a   visão das pessoas entender a religião
Reforma protestante. mudou a visão das pessoas entender a religião
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
 
Reformas 1 serie
Reformas   1 serieReformas   1 serie
Reformas 1 serie
 
Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1
 
Reforma e Contra Reforma
Reforma e Contra ReformaReforma e Contra Reforma
Reforma e Contra Reforma
 
Revisão 3º bi
Revisão 3º biRevisão 3º bi
Revisão 3º bi
 
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reformaReforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 

Mais de Fatima Freitas

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
Fatima Freitas
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
Fatima Freitas
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
Fatima Freitas
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
Fatima Freitas
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
Fatima Freitas
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
Fatima Freitas
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
Fatima Freitas
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
Fatima Freitas
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
Fatima Freitas
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
Fatima Freitas
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
Fatima Freitas
 
Atividade2,1
Atividade2,1Atividade2,1
Atividade2,1
Fatima Freitas
 
A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789
Fatima Freitas
 
O método das ciencias da natureza
O método das ciencias da naturezaO método das ciencias da natureza
O método das ciencias da natureza
Fatima Freitas
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
Fatima Freitas
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
Fatima Freitas
 

Mais de Fatima Freitas (18)

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
 
Atividade2,1
Atividade2,1Atividade2,1
Atividade2,1
 
A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789
 
O método das ciencias da natureza
O método das ciencias da naturezaO método das ciencias da natureza
O método das ciencias da natureza
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 

A contrarreforma

  • 1. ESCOLA ESTADUAL “JOSÉ ALVES RIBEIRO” Profª. Fatima Freitas A CONTRARREFORMA
  • 2. A Contrarreforma ou Reforma Católica  A expansão do protestantismo abalou seriamente a tradicional hegemonia religiosa de Roma sobre o continente europeu. Para conter a difusão das idéias protestantes surgiu um movimento denominado Contrarreforma, que ao mesmo tempo buscava fortalecer a Igreja papal e moralizá-la, adotando medidas que compuseram a Reforma católica.  O catolicismo foi obrigado a adequar-se aos novos valores, decorrentes do desenvolvimento do capitalis-mo comercial, dentre os quais citamos:
  • 3. Criação da Companhia de Jesus, idealizada pelo espanhol Ignácio de Loyola, onde os jesuítas seguiam disciplina militar, constituindo um grupo bem formado e disciplinado, cuja missão principal era combater infiéis e protestantes. A importância que esses religiosos atribuíram à educação fez com que monopolizassem as instituições de ensino de diversas regiões, visando primordialmente difundir a ideologia católica romana.
  • 4. • O Concílio de Trento (1545-1563), convocado pelo papa Paulo III, no qual se discutiram os problemas do cristianismo e se definiu a atuação da Igreja diante da expansão protestante, também fez parte do movimento contra-reformista e de Reforma católica.
  • 5. • Reorganização do Tribunal do Santo Ofício: e consistia em vigiar e normatizar a f é e a vida dos fiéis. A perseguição inquisitorial a todos os que, de acordo com seus critérios, pusessem em risco a fé em Cristo assumiu muitas vezes urn caráter de tortura e morte de milhares de pessoas.
  • 6. • Publicação do catecismo: resumo da doutrina católica, usada para orientar os fiéis, principalmente crianças e jovens, nas escolas de evangelização.
  • 7. A elaboração do índex (relação de livros proibidos aos católicos), a igreja católica buscava impedir a difusão das idéias pro-testantes e das vozes discordantes do seu ideário religioso. Dele constavam as bíblias luterana, calvinista e anglicana e diversas obras de intelectuais da época, como Galileu Galilei, Giordano Bruno, Isaac Newton, etc. A censura estabelecida com o Index ao longo do tempo revelou-se um sério entrave ao progresso cultural e científico da Idade Moderna.
  • 8. A Europa se divide  Em meados do século XVI, a cristandade na Europa estava dividida em várias igrejas.  Dentro de cada país as pessoas eram obrigadas a seguir a religião do rei.  Por exemplo, nas regiões da Alemanha em que o luteranismo havia sido adotado, os católicos foram perseguidos.  Na Espanha e em Portugal, a Inquisição perseguiu protestantes, judeus, cristãos-novos e muçulmanos.
  • 9. A EUROPA APÓS A REFORMA
  • 10. Católicos e calvinistas na França  Na França, a divisão entre católicos e protestantes se manifestou de forma violenta.  A divisão mais acirrada opunha os católicos aos calvinistas, chamados na França de huguenotes.  Apesar da perseguição movida pelo governo católico, os protestantes se expandiram pelo reino, concentrando-se nos centros comerciais mais importantes, como Paris, Lion e Orleans.
  • 11.  As tensões entre católicos e calvinistas se agravaram no reinado de Carlos IX (1560-1574).  O momento mais grave da crise ocorreu em 24 de agosto de 1572, a chamada Noite de São Bartolomeu, quando cerca de 3 mil huguenotes foram massacrados em Paris a mando da mãe do rei, a católica Catarina de Médicis.  O terrível episódio desencadeou uma onda de guerras religiosas na França que provocou a morte de milhares de pessoas. O conflito só terminou com a promulgação do Edito de Nantes, em 1598, que concedeu liberdade de culto no país.
  • 12. NOITE DE SÃO BARTOLOMEU
  • 13. Na Escócia, os calvinistas tiveram como principal pregador John Knox e adotaram o nome de presbiterianos, por organizarem sua Igreja a partir de conselhos, chamados presbíteros. Na Inglaterra, os calvinistas foram chamados de puritanos, os predestinados, e na França, huguenotes. Em outros países, como Holanda e Dinamarca, o calvinismo ganhou inúmeros adeptos, confirmando o sucesso da doutrina diante do progresso econômico capitalista.
  • 14.
  • 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  História Global – Cotrim Gilberto  História e Vida – Pilletti Nelson e Pilleti Claudino  Imagens google