SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
Filosofia do Direito: gregos, romanos e teocentrismo medieval LuciBonini
Sumário Pré socráticos	 Sofistas Sócrates Platão Aristóteles Cícero Cristo Santo Agostinho São Tomás de Aquino
Pré Socráticos Os pré-socráticos são filósofos que viveram na Grécia Antiga e nas suas colônias.  Assim são chamados, pois são os que vieram antes de Sócrates, considerado um divisor de águas na filosofia.  Muito pouco de suas obras está disponível, restando apenas fragmentos.
Uma sociedade racionalizada A Grécia entre os séculos VII e V a.C era uma sociedade justa, livre de preconceitos e democrata......?????? ERA????? Na verdade democracia era um equilíbrio entre as diferentes camadas sociais
A escrita Entre os gregos ela é de domínio comum  ideologicamente isso poderia significar que todos tinham acesso ao conhecimento, à ampla difusão das ideias Não há sacerdotes que tenham monopólio de livros sagrados, por exemplo
A religião É frágil  os deuses têm características humanas e pouco servem para inspirar um pensamento religioso
Antes de Sócrates Homero = Ilíada e Odisseia – narrativas épicas que mostravam as guerras entre gregos e outras cidades estados Ilíada narra a guerra de Tróia (Ílion em grego) Odisséia  narra as viagens de Ulisses
Péricles (c. 495/492 a.C.–429 a.C.) Justiça é a realização palpável da atividade humana O homem é responsável pelo seu destino A vontade humana deve conter o desejo de ser bom
Anaximandro (610 - 547 a.C.) Há uma lei que governa o cosmos (kosmos) Isso nos dá certeza e regularidade O Universo se governa pelo equilíbrio das forças contrárias ( ódio/amor; quente/frio; justo/injusto)
Heráclito de Éfeso(aprox. 540 a.C. - 470 a.C.) A todos os homens é compartilhado o conhecer-se a si mesmpo e pensar sensatamente A lei serve à cidade: deve ser re´peitada e conservada para a manutenção da ordem
Demócrito (cerca de 460 a.C. - 370 a.C.) Inimigo não é quem comete injustiça, mas o que quer cometê-la Não por medo, mas por dever, evitai os erros
Sofistas I (século IV a.C) Protágoras  o mais célebre advogado da relatividade de valores O que é bom para A pode ser mau para B O que é Bom para A em certas circunstâncias pode ser mau para ele em outras O que está na Lei é o que está dito pelo legislador, e esse é o começo, o meio e o fim de toda justiça.
Sofistas II Houve um avanço significativo na importância da oratória, da argumentação Se a lei é relativa, se ela se esvai com o tempo, se é modificada ou substituída por outra posterior, então com ela se encaminha também a justiça.
"Protágoras obrigou-se a ensinar a lei a Euatlo, combinando com este um determinado preço que só seria pago quando o aluno vencesse o seu primeiro caso. Concluída a formação acordada, Euatlo absteve-se de acompanhar qualquer processo e o impaciente Protágoras demandou-o judicialmente para que lhe fosse pago o que entendia ser devido. Raciocinou assim: se ganhasse, Euatlo teria de pagar o valor acordado; se perdesse, então Euatlo teria ganho o seu primeiro caso e ficava obrigado a pagar nos termos do contrato. Mas não foi este o raciocínio de Euatlo: argumentava este que se Protágoras ganhasse ele não seria obrigado a qualquer pagamento, porque só a tal seria obrigado quando tivesse ganho o primeiro caso; caso Protágoras perdesse também não pagaria, porque o tribunal decidira que ele nada tinha a pagar. Qual dos dois teria razão?"
Sócrates (469-399 a.C.) O pensamento socrático é  profundamente ético Conhece-te a ti mesmo Verdade, justiça e virtude devem ser buscadas para um fim maior (postmortem)
Leis  preceitos de obediência incontornável, instrumento de coesão social que visa à realização do Bem Comum O foro interior e individual deveria submeter-se ao exterior em benefício da coletividade
Platão (427-347 a.C.)
Corpo  O modusvivendi virtuoso faz o homem obter o favor dos deuses
Ordem e Política Necessária  para a realização da justiça Para o convívio social República (res –coisa; publica – de todos) Politeia– a constituição é o instrumento da justiça O estado ideal deve ser liderado por um filósofo
Tipos de Estado Timocracia(de timé, que significa honra) é uma forma introduzida por Platão para designar a transição entre a constituição ideal e as três formas más tradicionais (oligarquia, democracia e tirania) Oligarquia (do grego ολιγαρχία, de oligoi, poucos, e arche, governo) significa, literalmente, governo de poucos. No entanto, como  Aristocracia significa, também, governo de poucos - porém, os melhores -, tem-se, por oligarquia, o governo de poucos em benefício próprio, com amparo na riqueza pecuniária.
Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos Monarquia é uma forma de governo em que um indivíduo governa como chefe de Estado, geralmente de maneira vitalícia ou até sua abdicação, e "é totalmente separado de todos os outros membros do Estado“ Tirania: É caracterizada pelas ameaças às liberdades individuais e coletivas. É representada por políticos que não tendo mais o poder de matar ou mesmo prender o opositor, preferem usar métodos substituindo como processos judiciais por calúnia e difamação, compra da imprensa e dos órgãos de informação.
Paidéia (Educação em Platão)O mito da Caverna
Aristóteles (384-322 a.C.)
A Lei
JUSTO POLÍTICO X JUSTO FAMILIAR POLIS ISONOMIA Família  pai senhor Filho: regime monárquico Escravo: regime tirânico
Família Mulheres e escravos não se aplica a justiça pública  para eles não vige a lei As mulheres cuidam da organização do lar, da educação das crianças, gerencia os negócio familiares, cuidam da subsistência dos filhos e da família  gérmen da vida política
O justo legal deve ser construído com base no justo natural
Marcus Tulius Cícero (106 – 43 a.C)
Natureza: o bem e o mal na natureza nos leva à intuição da ética Das leis naturais surgem as leis humanas Direito na Natureza  ela preexiste o homem É com o DIREITO que se realizam o ESTADO, a REPÚBLICA,  o CIDADÃO e o HOMEM A REPÚBLICA PRESSUPÕE O DIREITO O DIREITO PRESSUPÕE AS LEIS LEIS PRESSUPÕEM LEIS NATURAIS LEIS NATURAIS PRESSUPÕEM DEUS
Justiça Cristã
Benevolência, tolerância, caridade, compreensão, amor..... A justiça humana é transitória, por vezes uma usurpação do poder..... Se a lei humana mandar algo diverso da Lei Divina, é licito ao homem desobedecer à lei humana?
Santo Agostinho Cristianizou Platão Fortalecimento do culto cristão Ascensão do poder eclesiástico Diluição da sociedade organizada ANIMA VIDA CONTEMPLATIVA, INTELECTUAL, DEDICAÇÃO A DEUS CORPO VIDA ATIVA
O que faz as leis humanas serem imperfeitas, corruptas, incorretas e até mesmo injustas é  a pobreza de espírito dos homens
Livre arbítrio A vontade governa o homem Atua contra ou a favor a Lei divina Você pode escolhar entre matar e não matar.... O Juízo Final mostrará quem usou o livre arbítrio de acordo com a Lei Divina
São Tomás de Aquino (1225-1274)
REFERÊNCIAS Abrão. Bernadete S. História da Filosofia, Nova Cultural. 2004 BittarE.C.B.; & Almeida, G.A.Curso de Filosofia do direito. Atlas. 2009 Nunes. Rizzato. Manual de Introdução ao estudo do direito. Saraiva. 2002

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia do direito
Filosofia do direitoFilosofia do direito
Filosofia do direitoJoao Carlos
 
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesDiego Sampaio
 
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do Direito
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do DireitoAula 1 - Temas básicos em Filosofia do Direito
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do DireitoFábio Nogueira, PhD
 
Kelsen. Uma Pequena Introdução.
Kelsen. Uma Pequena Introdução.Kelsen. Uma Pequena Introdução.
Kelsen. Uma Pequena Introdução.Rosângelo Miranda
 
Teoria tridimensional do Direito - Miguel Reale
Teoria tridimensional do Direito - Miguel RealeTeoria tridimensional do Direito - Miguel Reale
Teoria tridimensional do Direito - Miguel RealeLilian Moreira
 
Introdução à Ciência Política
Introdução à Ciência PolíticaIntrodução à Ciência Política
Introdução à Ciência Política17112011
 
Aula 01 aula de apresentação - filosofia do direito
Aula 01   aula de apresentação - filosofia do direitoAula 01   aula de apresentação - filosofia do direito
Aula 01 aula de apresentação - filosofia do direitoJucemar Morais
 
A diferença entre direito e justiça
A diferença entre direito e justiçaA diferença entre direito e justiça
A diferença entre direito e justiçaLaura Marcht
 
Introdução ao Estudo do Direito
Introdução ao Estudo do DireitoIntrodução ao Estudo do Direito
Introdução ao Estudo do DireitoElder Leite
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aulajovenniu
 
Introdução ao Estudo do Direito (IED)
Introdução ao Estudo do Direito (IED)Introdução ao Estudo do Direito (IED)
Introdução ao Estudo do Direito (IED)brigidoh
 

Mais procurados (20)

Filosofia do direito
Filosofia do direitoFilosofia do direito
Filosofia do direito
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
 
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do Direito
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do DireitoAula 1 - Temas básicos em Filosofia do Direito
Aula 1 - Temas básicos em Filosofia do Direito
 
Kelsen. Uma Pequena Introdução.
Kelsen. Uma Pequena Introdução.Kelsen. Uma Pequena Introdução.
Kelsen. Uma Pequena Introdução.
 
Teoria tridimensional do Direito - Miguel Reale
Teoria tridimensional do Direito - Miguel RealeTeoria tridimensional do Direito - Miguel Reale
Teoria tridimensional do Direito - Miguel Reale
 
Introdução à Ciência Política
Introdução à Ciência PolíticaIntrodução à Ciência Política
Introdução à Ciência Política
 
Aula 01 aula de apresentação - filosofia do direito
Aula 01   aula de apresentação - filosofia do direitoAula 01   aula de apresentação - filosofia do direito
Aula 01 aula de apresentação - filosofia do direito
 
Aula 3 - Ética, moral e Direito
Aula 3 - Ética, moral e DireitoAula 3 - Ética, moral e Direito
Aula 3 - Ética, moral e Direito
 
A diferença entre direito e justiça
A diferença entre direito e justiçaA diferença entre direito e justiça
A diferença entre direito e justiça
 
Zetética x Dogmática
Zetética x DogmáticaZetética x Dogmática
Zetética x Dogmática
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 9
 
100 anos da Teoria Pura do Direito
100 anos da Teoria Pura do Direito100 anos da Teoria Pura do Direito
100 anos da Teoria Pura do Direito
 
Teoria geral do direito
Teoria geral do direitoTeoria geral do direito
Teoria geral do direito
 
Introdução ao Estudo do Direito
Introdução ao Estudo do DireitoIntrodução ao Estudo do Direito
Introdução ao Estudo do Direito
 
Ser x Dever Ser
Ser x Dever SerSer x Dever Ser
Ser x Dever Ser
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula
 
Introdução ao Estudo do Direito (IED)
Introdução ao Estudo do Direito (IED)Introdução ao Estudo do Direito (IED)
Introdução ao Estudo do Direito (IED)
 

Destaque

Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...
Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...
Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...Nahor Lopes de Souza Junior
 
PNAB principais ações
PNAB principais açõesPNAB principais ações
PNAB principais açõestmunicipal
 
O problema da_filosofia_do_direito_ou_de
O problema da_filosofia_do_direito_ou_deO problema da_filosofia_do_direito_ou_de
O problema da_filosofia_do_direito_ou_deDaniele Moura
 
Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúdeAvaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúdeArare Carvalho Júnior
 
Giorgio del vecchio - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro Santos
Giorgio del vecchio  - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro SantosGiorgio del vecchio  - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro Santos
Giorgio del vecchio - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro SantosLeandro Santos
 
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativasCristiano Carrilho Medeiros
 
6. novas legislações port nova pnab
6. novas legislações port nova pnab6. novas legislações port nova pnab
6. novas legislações port nova pnabLeonardo Savassi
 
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E Deontologia
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E DeontologiaHumanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E Deontologia
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E DeontologiaLuci Bonini
 
Direito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídicoDireito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídicoYuri Silver
 
Jusnaturalismo 3
Jusnaturalismo 3Jusnaturalismo 3
Jusnaturalismo 3Allan Jacks
 
Avaliação e monitoramento da política de assistência social
Avaliação e monitoramento da política de assistência socialAvaliação e monitoramento da política de assistência social
Avaliação e monitoramento da política de assistência socialArare Carvalho Júnior
 
Apresentação Direito Econômico Brasileiro
Apresentação Direito Econômico BrasileiroApresentação Direito Econômico Brasileiro
Apresentação Direito Econômico BrasileiroSergio Souza
 
São tomás de aquino
São tomás de aquinoSão tomás de aquino
São tomás de aquinomasalas
 

Destaque (20)

Direito grego
Direito gregoDireito grego
Direito grego
 
A pólis grega e o direito
A pólis grega e o direitoA pólis grega e o direito
A pólis grega e o direito
 
Aumento Iptu
Aumento IptuAumento Iptu
Aumento Iptu
 
São tomas de aquino
São tomas de aquinoSão tomas de aquino
São tomas de aquino
 
Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...
Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...
Uma controversa bioética em Tomás de Aquino? Leitura a partir da perspectiva ...
 
PNAB principais ações
PNAB principais açõesPNAB principais ações
PNAB principais ações
 
O problema da_filosofia_do_direito_ou_de
O problema da_filosofia_do_direito_ou_deO problema da_filosofia_do_direito_ou_de
O problema da_filosofia_do_direito_ou_de
 
Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúdeAvaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
 
Giorgio del vecchio - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro Santos
Giorgio del vecchio  - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro SantosGiorgio del vecchio  - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro Santos
Giorgio del vecchio - Historia da Filosofia do Direito (2010) By Leandro Santos
 
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas
2.2 teoria do direito. jusnaturalismo. positivismo. ordens normativas
 
6. novas legislações port nova pnab
6. novas legislações port nova pnab6. novas legislações port nova pnab
6. novas legislações port nova pnab
 
Aula01 28jan
Aula01 28janAula01 28jan
Aula01 28jan
 
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E Deontologia
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E DeontologiaHumanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E Deontologia
Humanismo, Jusnaturalismo, Criticismo E Deontologia
 
Direito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídicoDireito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídico
 
Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Jusnaturalismo 3
Jusnaturalismo 3Jusnaturalismo 3
Jusnaturalismo 3
 
Avaliação e monitoramento da política de assistência social
Avaliação e monitoramento da política de assistência socialAvaliação e monitoramento da política de assistência social
Avaliação e monitoramento da política de assistência social
 
Apresentação Direito Econômico Brasileiro
Apresentação Direito Econômico BrasileiroApresentação Direito Econômico Brasileiro
Apresentação Direito Econômico Brasileiro
 
Exercicios iluminismo
Exercicios iluminismoExercicios iluminismo
Exercicios iluminismo
 
São tomás de aquino
São tomás de aquinoSão tomás de aquino
São tomás de aquino
 

Semelhante a Filosofia do Direito: dos gregos ao teocentrismo

Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesMarcos Goulart
 
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptx
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptxAULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptx
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptxLuanaAssuno7
 
Filosofia (eixos temáticos da uel)
Filosofia (eixos temáticos da uel)Filosofia (eixos temáticos da uel)
Filosofia (eixos temáticos da uel)Thiago Castro Bueno
 
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidade
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidadePrincipais pensamento politic na antiguidade e medievalidade
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidadeJoniel Abreu
 
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptxBillyRibas
 
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptx
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptxa-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptx
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptxJosKleberFernandes
 
Platão e a cidade ideal
Platão e a cidade idealPlatão e a cidade ideal
Platão e a cidade idealirenio soares
 
Finalidade Da Vida Política
Finalidade Da Vida PolíticaFinalidade Da Vida Política
Finalidade Da Vida PolíticaJorge Miklos
 
Aula 2 [1-2022-filo] - Contratualistas
Aula 2 [1-2022-filo] - ContratualistasAula 2 [1-2022-filo] - Contratualistas
Aula 2 [1-2022-filo] - ContratualistasGerson Coppes
 
História da universidade
História da universidadeHistória da universidade
História da universidadeLuci Bonini
 
Módulo 4 a filosofia das luzes
Módulo 4   a filosofia das luzesMódulo 4   a filosofia das luzes
Módulo 4 a filosofia das luzesEscoladocs
 
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Laboratório de História
 
Democracia Grega
Democracia GregaDemocracia Grega
Democracia GregaEscoladocs
 
Filosofia política 2º ano
Filosofia política   2º anoFilosofia política   2º ano
Filosofia política 2º anoEdirlene Fraga
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaCarson Souza
 

Semelhante a Filosofia do Direito: dos gregos ao teocentrismo (20)

Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e Aristóteles
 
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptx
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptxAULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptx
AULA FILOSOFIA - SOFISTAS SÓCRATES E PLATÃO - .pptx
 
Filosofia (eixos temáticos da uel)
Filosofia (eixos temáticos da uel)Filosofia (eixos temáticos da uel)
Filosofia (eixos temáticos da uel)
 
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidade
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidadePrincipais pensamento politic na antiguidade e medievalidade
Principais pensamento politic na antiguidade e medievalidade
 
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx
1º Aulão Filosofia - Cont. 2º.pptx
 
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptx
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptxa-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptx
a-origem-e-nascimento-da-filosofia1.pptx
 
Platão e a cidade ideal
Platão e a cidade idealPlatão e a cidade ideal
Platão e a cidade ideal
 
Finalidade Da Vida Política
Finalidade Da Vida PolíticaFinalidade Da Vida Política
Finalidade Da Vida Política
 
Política.pdf
Política.pdfPolítica.pdf
Política.pdf
 
Preplatao
PreplataoPreplatao
Preplatao
 
Aula 2 [1-2022-filo] - Contratualistas
Aula 2 [1-2022-filo] - ContratualistasAula 2 [1-2022-filo] - Contratualistas
Aula 2 [1-2022-filo] - Contratualistas
 
História da universidade
História da universidadeHistória da universidade
História da universidade
 
Política
PolíticaPolítica
Política
 
Módulo 4 a filosofia das luzes
Módulo 4   a filosofia das luzesMódulo 4   a filosofia das luzes
Módulo 4 a filosofia das luzes
 
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito
antonio inacio ferraz-Introduoaoestudododireito
 
Caderno diário a filosofia das luzes 1314
Caderno diário a filosofia das luzes 1314Caderno diário a filosofia das luzes 1314
Caderno diário a filosofia das luzes 1314
 
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
 
Democracia Grega
Democracia GregaDemocracia Grega
Democracia Grega
 
Filosofia política 2º ano
Filosofia política   2º anoFilosofia política   2º ano
Filosofia política 2º ano
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 

Mais de Luci Bonini

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressãoLuci Bonini
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaLuci Bonini
 
Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Luci Bonini
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALLuci Bonini
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaLuci Bonini
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeLuci Bonini
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraLuci Bonini
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio políticaLuci Bonini
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoLuci Bonini
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroLuci Bonini
 
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADEAtualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADELuci Bonini
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaLuci Bonini
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto TietêLuci Bonini
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaLuci Bonini
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócratesLuci Bonini
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Luci Bonini
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia GréciaLuci Bonini
 
FORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALFORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALLuci Bonini
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêLuci Bonini
 

Mais de Luci Bonini (20)

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressão
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
 
Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidade
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio política
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalização
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiro
 
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADEAtualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto Tietê
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócrates
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
FORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALFORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERAL
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
 

Último

ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 

Último (20)

ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 

Filosofia do Direito: dos gregos ao teocentrismo

  • 1. Filosofia do Direito: gregos, romanos e teocentrismo medieval LuciBonini
  • 2. Sumário Pré socráticos Sofistas Sócrates Platão Aristóteles Cícero Cristo Santo Agostinho São Tomás de Aquino
  • 3. Pré Socráticos Os pré-socráticos são filósofos que viveram na Grécia Antiga e nas suas colônias. Assim são chamados, pois são os que vieram antes de Sócrates, considerado um divisor de águas na filosofia. Muito pouco de suas obras está disponível, restando apenas fragmentos.
  • 4. Uma sociedade racionalizada A Grécia entre os séculos VII e V a.C era uma sociedade justa, livre de preconceitos e democrata......?????? ERA????? Na verdade democracia era um equilíbrio entre as diferentes camadas sociais
  • 5. A escrita Entre os gregos ela é de domínio comum  ideologicamente isso poderia significar que todos tinham acesso ao conhecimento, à ampla difusão das ideias Não há sacerdotes que tenham monopólio de livros sagrados, por exemplo
  • 6. A religião É frágil  os deuses têm características humanas e pouco servem para inspirar um pensamento religioso
  • 7. Antes de Sócrates Homero = Ilíada e Odisseia – narrativas épicas que mostravam as guerras entre gregos e outras cidades estados Ilíada narra a guerra de Tróia (Ílion em grego) Odisséia  narra as viagens de Ulisses
  • 8. Péricles (c. 495/492 a.C.–429 a.C.) Justiça é a realização palpável da atividade humana O homem é responsável pelo seu destino A vontade humana deve conter o desejo de ser bom
  • 9. Anaximandro (610 - 547 a.C.) Há uma lei que governa o cosmos (kosmos) Isso nos dá certeza e regularidade O Universo se governa pelo equilíbrio das forças contrárias ( ódio/amor; quente/frio; justo/injusto)
  • 10. Heráclito de Éfeso(aprox. 540 a.C. - 470 a.C.) A todos os homens é compartilhado o conhecer-se a si mesmpo e pensar sensatamente A lei serve à cidade: deve ser re´peitada e conservada para a manutenção da ordem
  • 11. Demócrito (cerca de 460 a.C. - 370 a.C.) Inimigo não é quem comete injustiça, mas o que quer cometê-la Não por medo, mas por dever, evitai os erros
  • 12. Sofistas I (século IV a.C) Protágoras  o mais célebre advogado da relatividade de valores O que é bom para A pode ser mau para B O que é Bom para A em certas circunstâncias pode ser mau para ele em outras O que está na Lei é o que está dito pelo legislador, e esse é o começo, o meio e o fim de toda justiça.
  • 13. Sofistas II Houve um avanço significativo na importância da oratória, da argumentação Se a lei é relativa, se ela se esvai com o tempo, se é modificada ou substituída por outra posterior, então com ela se encaminha também a justiça.
  • 14. "Protágoras obrigou-se a ensinar a lei a Euatlo, combinando com este um determinado preço que só seria pago quando o aluno vencesse o seu primeiro caso. Concluída a formação acordada, Euatlo absteve-se de acompanhar qualquer processo e o impaciente Protágoras demandou-o judicialmente para que lhe fosse pago o que entendia ser devido. Raciocinou assim: se ganhasse, Euatlo teria de pagar o valor acordado; se perdesse, então Euatlo teria ganho o seu primeiro caso e ficava obrigado a pagar nos termos do contrato. Mas não foi este o raciocínio de Euatlo: argumentava este que se Protágoras ganhasse ele não seria obrigado a qualquer pagamento, porque só a tal seria obrigado quando tivesse ganho o primeiro caso; caso Protágoras perdesse também não pagaria, porque o tribunal decidira que ele nada tinha a pagar. Qual dos dois teria razão?"
  • 15. Sócrates (469-399 a.C.) O pensamento socrático é profundamente ético Conhece-te a ti mesmo Verdade, justiça e virtude devem ser buscadas para um fim maior (postmortem)
  • 16. Leis  preceitos de obediência incontornável, instrumento de coesão social que visa à realização do Bem Comum O foro interior e individual deveria submeter-se ao exterior em benefício da coletividade
  • 18.
  • 19. Corpo O modusvivendi virtuoso faz o homem obter o favor dos deuses
  • 20. Ordem e Política Necessária para a realização da justiça Para o convívio social República (res –coisa; publica – de todos) Politeia– a constituição é o instrumento da justiça O estado ideal deve ser liderado por um filósofo
  • 21. Tipos de Estado Timocracia(de timé, que significa honra) é uma forma introduzida por Platão para designar a transição entre a constituição ideal e as três formas más tradicionais (oligarquia, democracia e tirania) Oligarquia (do grego ολιγαρχία, de oligoi, poucos, e arche, governo) significa, literalmente, governo de poucos. No entanto, como Aristocracia significa, também, governo de poucos - porém, os melhores -, tem-se, por oligarquia, o governo de poucos em benefício próprio, com amparo na riqueza pecuniária.
  • 22. Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos Monarquia é uma forma de governo em que um indivíduo governa como chefe de Estado, geralmente de maneira vitalícia ou até sua abdicação, e "é totalmente separado de todos os outros membros do Estado“ Tirania: É caracterizada pelas ameaças às liberdades individuais e coletivas. É representada por políticos que não tendo mais o poder de matar ou mesmo prender o opositor, preferem usar métodos substituindo como processos judiciais por calúnia e difamação, compra da imprensa e dos órgãos de informação.
  • 23.
  • 24. Paidéia (Educação em Platão)O mito da Caverna
  • 25.
  • 27. A Lei
  • 28.
  • 29.
  • 30. JUSTO POLÍTICO X JUSTO FAMILIAR POLIS ISONOMIA Família  pai senhor Filho: regime monárquico Escravo: regime tirânico
  • 31. Família Mulheres e escravos não se aplica a justiça pública  para eles não vige a lei As mulheres cuidam da organização do lar, da educação das crianças, gerencia os negócio familiares, cuidam da subsistência dos filhos e da família  gérmen da vida política
  • 32. O justo legal deve ser construído com base no justo natural
  • 33.
  • 34. Marcus Tulius Cícero (106 – 43 a.C)
  • 35. Natureza: o bem e o mal na natureza nos leva à intuição da ética Das leis naturais surgem as leis humanas Direito na Natureza  ela preexiste o homem É com o DIREITO que se realizam o ESTADO, a REPÚBLICA, o CIDADÃO e o HOMEM A REPÚBLICA PRESSUPÕE O DIREITO O DIREITO PRESSUPÕE AS LEIS LEIS PRESSUPÕEM LEIS NATURAIS LEIS NATURAIS PRESSUPÕEM DEUS
  • 36.
  • 38.
  • 39. Benevolência, tolerância, caridade, compreensão, amor..... A justiça humana é transitória, por vezes uma usurpação do poder..... Se a lei humana mandar algo diverso da Lei Divina, é licito ao homem desobedecer à lei humana?
  • 40. Santo Agostinho Cristianizou Platão Fortalecimento do culto cristão Ascensão do poder eclesiástico Diluição da sociedade organizada ANIMA VIDA CONTEMPLATIVA, INTELECTUAL, DEDICAÇÃO A DEUS CORPO VIDA ATIVA
  • 41. O que faz as leis humanas serem imperfeitas, corruptas, incorretas e até mesmo injustas é a pobreza de espírito dos homens
  • 42. Livre arbítrio A vontade governa o homem Atua contra ou a favor a Lei divina Você pode escolhar entre matar e não matar.... O Juízo Final mostrará quem usou o livre arbítrio de acordo com a Lei Divina
  • 43.
  • 44. São Tomás de Aquino (1225-1274)
  • 45.
  • 46.
  • 47. REFERÊNCIAS Abrão. Bernadete S. História da Filosofia, Nova Cultural. 2004 BittarE.C.B.; & Almeida, G.A.Curso de Filosofia do direito. Atlas. 2009 Nunes. Rizzato. Manual de Introdução ao estudo do direito. Saraiva. 2002