SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 82
Profa. Dra. Luci Bonini
 Compreender   o conceito de políticas
  públicas e como ele se entretece nas
  questões primordiais da formação do ser
  humano
 Compreender o conceito de
  responsividade nas políticas públicas
   Do grego: ‘pólis’ que significa cidade.
     Para  os gregos a cidade era o Estado.
     Política é a arte de viver harmoniosamente em
      comunidade.
        Foio filósofo grego Aristóteles que primeiro nos deu as
        primeiras lições de política: "se todas as comunidades
        visam a algum bem, é evidente que a mais importante
        de todas elas, e, que inclui todas as outras e tem mais
        que todas este objetivo e visa ao mais importante de
        todos os bens; ela se chama cidade e é a comunidade
        política" .
   Nas últimas décadas, felizmente, o Brasil vem
    consolidando a democracia em sincronia com
    outros países da América Latina.
     Depois de uma longa história de autoritarismo
      percebe-se uma maior participação da população
      nas decisões em geral.
   Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela
    união indissolúvel dos Estados e Municípios e do
    Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de
    Direito e tem como fundamentos:
   I - a soberania;
   II - a cidadania;
   III - a dignidade da pessoa humana;
   IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
   V - o pluralismo político.
       Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce
        por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos
        termos desta Constituição.
   Do latim civitas, que significa "cidade".
   Pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente
    articulada – um país – e que lhe atribui um conjunto de direitos e
    obrigações, sob vigência de uma constituição.
   Conforme o direito internacional, indicativo de nacionalidade, de
    pertencimento a um Estado-Nação
   Em segundo lugar, na ciência política e sociologia o termo adquire
    sentido mais amplo, a cidadania substantiva é definida como a posse
    de direitos civis, políticos e sociais
   Direitos civis, políticos e sociais para toda a população de uma nação.
    com a criação do Estado de Bem-Estar Social
        Princípios mais coletivistas e igualitários.
        Os movimentos sociais e a efetiva participação da população em geral
         foram fundamentais para que houvesse uma ampliação significativa dos
         direitos políticos, sociais e civis alçando um nível geral suficiente de bem-
         estar econômico, lazer, educação e político.
   O resgate da dignidade humana no cenário
    nacional é um processo irreversível desde a
    promulgação da Constituição Federal de 88 e
    tem sido princípio fundamental para a
    construção da cidadania e da nossa
    democracia.
   Numa democracia
    representativa, que é o
    caso brasileiro, uma
    pessoa é eleita com certa
    quantidade de votos para
    ‘representar o povo’,
    decidir em nome do povo.
    O eleitor dá uma
    procuração para o
    candidato poder trabalhar
    em seu benefício e em
    benefício de uma
    coletividade, pelo menos
    em tese.
 Respeito incondicional pela essência do ser
  humano
 Cada um é um e é a humanidade ao mesmo
  tempo
 Formação Humana crescimento conjunto
  (pedagógica, política, filosófica e estética de
  transformação da sociedade)
 Transformação amorosa e individual, do micro
  para o macro.
 despertar a essência
 Tecer uma nova realidade, proporcionando a
  consciência de unidade corpo-mente e unidade
  com outros seres.
 O Ser Humano como uma realidade viva, mutável,
  pulsante, complexa  novos significados e novas
  consciências
 Autoconhecimento, criatividade e percepção
  individual, o olhar sobre si mesmo
 Despertar a resiliência
   Nos conduz a uma nova forma de
    responsabilizar-se pela nossa própria
    existência, nosso aqui e agora
   Eça de Queiroz  “Políticos e fraldas devem
    ser trocados de tempos em tempos pelo
    mesmo motivo.”
   Quando se fala em políticas públicas e seus
    efeitos
     Pensamos   em avaliar as demandas, seus
      impactos nos setores econômicos, sociais,
      tecnológicos, científicos e, em seguida,
      compreender se esses resultados que vêm
      surgindo nas últimas décadas trouxeram, de
      alguma forma, uma melhoria na tomada de
      decisões importantes para a superação das
      desigualdades sociais.
   É preciso entender como a sociedade, o
    cidadão, as organizações e até mesmo os
    representantes do povo exercem suas
    atividades lutando em favor ou
    contra o estabelecimento de metas que
    realmente conduzam a uma
    mudança da realidade , a um
    desper tar de consciência de que
    a realidade sócio-econômico-
    cultural pode ser transformada em
    benefício de muitos.
29
•   O meu pai era paulista        •   Vi cidades, vi dinheiro
    Meu avô, pernambucano             Bandoleiros, vi hospícios
    O meu bisavô, mineiro             Moças feito passarinho
    Meu tataravô, baiano              Avoando de edifícios
    Meu maestro soberano              Fume Ari, cheire Vinícius
    Foi Antonio Brasileiro            Beba Nelson Cavaquinho
•   Foi Antonio Brasileiro        •   Para um coração mesquinho
    Quem soprou esta toada            Contra a solidão agreste
    Que cobri de redondilhas          Luiz Gonzaga é tiro certo
    Pra seguir minha jornada          Pixinguinha é inconteste
    E com a vista enevoada            Tome Noel, Cartola, Orestes
    Ver o inferno e maravilhas        Caetano e João Gilberto
•   Nessas tortuosas trilhas      •   Viva Erasmo, Ben, Roberto
    A viola me redime                 Gil e Hermeto, palmas para
    Creia, ilustre cavalheiro         Todos os instrumentistas
    Contra fel, moléstia, crime       Salve Edu, Bituca, Nara
    Use Dorival Caymmi                Gal, Bethania, Rita, Clara
    Vá de Jackson do Pandeiro         Evoé, jovens à vista
   Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo
      Contextos raciais: homens de uma mesma
       nacionalidade pertencentes às etnias diferentes,
       diferentes culturas;
      Contextos econômicos: instabilidade de uma economia
       sob interesses alheios;
      Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas se
       incorporaram em práticas culturais e religiosas;
      Contextos de desajustamento cronológico: retardamento
       da chegada de bens intelectuais, científicos idéias
       políticas etc;
      Contextos culturais: absorve teorias e práticas diferentes
      Contextos políticos: golpes militares, esquerda tardia e
       caduca
 O fenômeno do multiculturalismo força as
  origens a se esconder porque são
  consideradas menores e vergonhosas diante
  do padrão imposto pela mídia, pelos ‘mais
  evoluídos’
 Bolsões culturais, estratos semióticos são
  descaradamente negados em nome da
  qualidade da Educação (cujo padrão foi forjado
  nas culturas ‘superiores’
 Democracia hoje vontade da maioria com
respeito às minorias




                                           33
   Direitos Humanos vão além: os
    seres humanos são portadores de
    direitos inalienáveis, independente
    da delimitação geopolítica.
Democracia:  maioria escolhe seus governantes.
Minorias: não podem ser oprimidas pela
maioria, todos têm direitos.




                                             35
   Mas... se todos são considerados iguais
    em suas necessidades, desrespeitamos
    as necessidades específicas dos grupos
    ou indivíduos. Ex: crianças, jovens,
    idosos, mulheres, homossexuais,
    índios, sem-teto, agricultores,
    aposentados, deficientes...
O  direito à diferença expressa-se nas diferenças
individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e
dar espaço para estas diferenças se manifestarem é
uma atitude democrática e desejável.
Grau de desenvolvimento de uma democracia pode
ser medido por este respeito.




                                                      37
•   É social, criada nas
    relações de
    injustiças sociais.
    –   Ex: ricos têm direito
        à educação e saúde
        de qualidade, pobres
        não; a sinalização
        nas ruas é pensada
        apenas para os
        “videntes”.


                            38
Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito
de ir e vir. Mas... tratar a todos, sem considerar
suas necessidades específicas, gera a desigualdade.




                                                 40
Eqüidade: é a diferença dentro da
igualdade.  sem eqüidade não existe
democracia.




                                       41
Boaventura Souza
Santos, sociólogo
português: "temos
direito a reivindicar
a igualdade sempre
que a diferença nos
inferioriza e temos
direito de reivindicar
a diferença sempre
que a igualdade nos
descaracteriza."
                         42
   O multi-culturalismo latino americano, e por
    extensão, o brasileiro, aumenta a complexidade na
    escola
   a responsabilidade recai sobre o professor 
    precisa trabalhar conteúdos legitimados pela
    ciência, dentro dos padrões de qualidade erigidos
    pela cultura capitalista e valores regulamentados
    pela cultura dominante
   o professor é um dos primeiros agentes de
    negação dos processos semióticos latentes das
    camadas culturais herdadas do processo evolutivo
    da América Latina  do qual ele mesmo é filho
 objetivar uma transformação social
 comporta e tolera a integralidade dos
  indivíduos e sua história única, mas ao mesmo
  tempo plural
 tolerar e compartilhar um conjunto de
  conhecimentos, competências, habilidades e
  valores tanto da cultura dominante quanto dos
  processos semióticos negados
 concebendo a aprendizagem do ponto de vista
  dos que aprendem
   Fazer emergir os processos semióticos negados por meio
    de:
       pesquisas, entrevistas, debates, exercícios orais com as
        famílias e comunidades, como uma oportunidade de reelaborar
        imagens
       criar mapas onde constem árvores genealógicas de todos
       organizar visitas a museus e centros de cultura
       promover pesquisas sobre as diferentes vertentes artísticas
        -pinturas e artesanato, trabalhos orais, poesia, trabalhos
        musicais (folclore e atuais), variantes da culinária.
       destacar a questão do negro e do índio e dos portadores de
        necessidades especiais
   Utilizar linguagens verbais, não verbais e
    sincréticas:jornal mural, cartazes publicitários,
    programas de rádio, biografias, histórias de vida,
    descrições, filmes etc. para esclarecer o prejuízo do
    preconceito
   Propor a elaboração de documentos sobre ações que
    possam erradicar qualquer tipo de preconceito na
    escola e na comunidade
   Utilizar o ruído como agente promotor de mudança 
    atingir o princípio da ordem pelo ruído, devolver a
    integridade de um sistema, sem precisar negar as
    identidades complexas
   Promover a interdisciplinaridade de modo a:
      resgatar as memórias históricas, reafirmar identidades
       étnicas
      valorizar conhecimentos, discursos e informações de
       fontes alternativas
      desenvolver currículos, programas e materiais didáticos
        valorizando nossa riqueza cultural, os movimentos de
       apoio a minorias étnicas e culturais, portadores de
       necessidades especiais
      as multilinguagens da mídia de expressão nacional
      adaptar produtos tecnológicos às necessidades culturais
       e educacionais nacionais
      propor modelos arquitetônicos de prédios escolares mais
       adaptados ao clima tropical
      gestão educacional vislumbrando a identidade complexa
A solidariedade é mais ativa porque os indivíduos solidários têm entre si
   energia, compaixão e recursos - se não tiverem recursos, irão buscar
                             recursos, pois têm muita energia para isso.
   Habilitado a intervir com diversas populações:
    crianças, jovens, adultos, idosos
       em contextos sociais, culturais e educativos diversos.
   O Educador Social não trabalha só com indivíduos
    em situação de vulnerabilidade, mas também com
    pessoas, independentemente da etapa de vida em
    que se encontram, estejam ou não em situação de
    vulnerabilidade social.
   Um Educador Social é um profissional que está apto
    para intervir nas mais diversas situações, é
    importante salientar que apesar desta profissão não
    ser muito divulgada e conhecida, é um profissional
    competente para intervir e educar a sociedade lá
    fora.
 Promover a socialização de uma cultura em
  direitos humanos;
 Afetar a naturalidade e normalidade das
  violações;
 Ter uma intervenção sistemática na formação
  de valores, hábitos e atitudes;
 Fortalecer as estratégias dos movimentos e a
  dimensão axiológica da ação transformadora;
 Promover o pluralismo e o regime
  democrático e erradicar o autoritarismo;
 Formar sujeitos para o reconhecimento da
  dignidade e para o exercício ativo da
  cidadania democrática;
 Promover o respeito à diversidade
  sociocultural exercitando e estimulando
  convivências e relações de solidariedade;
   Nenhum ser humano pode viver sozinho,
    fora de qualquer comunidade. Pertencer a
    grupos sociais, da família à sociedade
    planetária, é um princípio não apenas de
    nossa sobrevivência material, mas também
    de nossa identidade, de nosso
    desenvolvimento intelectual, de nosso
    equilíbrio afetivo. Isto é verdade inclusive; e
    talvez sobretudo; em uma sociedade
    individualista. (Perrenoud, 2003)
1. Incorpora a visão crítica e política de
    educação;
2. Promove uma ética e uma cultura democrática
    e republicana;
3. Cria multiplicidades de possibilidades de
    ações e metodologias de ação;
4. Permeia e atravessa as relações de poder
5. Desenvolve-se de modo desigual na
    construção do processo de democratização
    social
6. Potencial crítico e transformador da realidade
   pedagógica, da realidade social e institucional
7. Atravessa os conteúdos e as práticas
   educacionais e sociais, ressignificando os
   métodos, os conteúdos, as relações, os
   projetos de vida e de trabalho, o clima e a
   cultura.
8. Flexibiliza a interrelação entre temas e
   conteúdos
9. Promove o diálogo intercultural, valorizando as
   diferenças socioculturais inserindo-as no
   currículo;
10. Permeia e atua no cotidiano, articulando o
 vivencial com o abstrato, o prático com o
 teórico;
11. Possibilita a construção e formação de
 sujeitos capazes de reconhecer, respeitar e
 solidarizar-se com as diferenças;
12. Integraliza as concepções históricas dos
 direitos humanos;
13. Adota os princípios metodológicos da
 educação popular – dialogicidade-
 solidariedade- autonomia – indignação-
 discursividade;
 A política tem a nobre missão de se empenhar
  na realização do bem comum.
 O poder de decisão que conferimos aos que
  nós elegemos não dá a esse indivíduo o direito
  de usar esse poder em seu benefício.
   É verdadeira a frase: Não deve dar o peixe,
    mas ensinar a pescar. É a educação que faz
    com que o povo revolucione o país. Já tivemos
    grandes movimentos éticos no país: o
    movimento contra a ditadura militar, os caras-
    pintadas e as recentes passeatas contra a
    corrupção.
   Educar em Direitos Humanos é fomentar
    processos de educação formal e não formal, de
    modo a contribuir para a construção da
    cidadania, o conhecimento dos direitos
    fundamentais, o respeito à pluralidade e à
    diversidade sexual, étnica, racial, cultural, de
    gênero e de crenças religiosas.
 Para Bakhtin (2010), responsividade é uma
  resposta responsável.
 Na medida em que a resposta conduz à idéia
  de diálogo responsável entre o EU e o OUTRO,
  neste percurso espelhados tanto no cidadão
  quanto no governo.
   No caso brasileiro, a diversidade cultural
    resultado de um processo de colonização
    autoritário, revoluções abafadas,
    impedimento de nascimento de uma
    identidade nacional, acarretou um sem-
    número de cruzamentos de diferentes
    signos.
     Por esta razão, vítimas de diversas formas de
      espoliações e humilhações o povo brasileiro
      carrega uma fenda imensa quando se trata de
      discutir política.
   A consciência política precisa ser despertada
    ou ensinada de alguma forma, a participação
    da escola, dos representantes das
    comunidades e outros formadores de opinião
    desempenham um papel importante na
    construção da consciência de ser-estar no
    mundo em relação a si mesmo e ao meio em
    que vive, tendo tutelados seus direitos e
    garantias individuais.
Imagina que não há céu, é fácil se tentares,

Imagine there’s no heaven, it’s easy if you try,
Sem inferno sob nós, sobre nós apenas céu,

  No hell below us, above us only sky,
Imagina toda a gente que hoje vive...

Imagine all the people living for today...
Imagina que não há países, não é difícil de fazer,

Imagine there’s no countries, It isn’t hard to do,
Nada por que matar ou morrer,

Nothing to kill or die for,
e também sem religião,
 and no religion too,
Imagina toda a gente vivendo a vida em paz...

Imagine all the people living life in peace...
Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único,

You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one,
Espero que um dia te juntes a nós,e o Mundo será como um só

   I hope some day you’ll join us, and the World will be as one
Imagina que não há bens, não sei se és capaz,

 Imagine no posessions, I wonder if you can,
Sem necessidade de ganância ou fome

    No need for greed or hunger
Uma irmandade dos Homens




 A brotherhood of Man
Imagina toda a gente partilhando o Mundo inteiro...
  Imagine all the people sharing all the World
Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único

You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one
Espero que um dia te juntes a nós, e o Mundo viverá como um só.

    I hope some day you’ll join us, and the World will live as one
Facebook: Luci Bonini
  Twitter: @lucibonini

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cidadania e-democracia
Cidadania e-democraciaCidadania e-democracia
Cidadania e-democracia
Silvania souza
 
Filosofia na cidade
Filosofia na cidadeFilosofia na cidade
Filosofia na cidade
Lipinha_13
 
Educação em direitos humanos
Educação em direitos humanosEducação em direitos humanos
Educação em direitos humanos
escolamuller
 
Lazer e minorias sociais
Lazer e minorias sociaisLazer e minorias sociais
Lazer e minorias sociais
Luciene Gomes
 

Mais procurados (20)

Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Cidadania e-democracia
Cidadania e-democraciaCidadania e-democracia
Cidadania e-democracia
 
Filosofia na cidade
Filosofia na cidadeFilosofia na cidade
Filosofia na cidade
 
Cidadania e participação social
Cidadania e participação socialCidadania e participação social
Cidadania e participação social
 
cidadania
cidadaniacidadania
cidadania
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Educação em direitos humanos
Educação em direitos humanosEducação em direitos humanos
Educação em direitos humanos
 
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O RacismoAlgumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
 
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
 
Semi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira FrancaSemi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira Franca
 
Movimentos Sociais e Cidadania
Movimentos Sociais e CidadaniaMovimentos Sociais e Cidadania
Movimentos Sociais e Cidadania
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 
Aula Cidadania
Aula CidadaniaAula Cidadania
Aula Cidadania
 
Cidadania e Política
Cidadania e PolíticaCidadania e Política
Cidadania e Política
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
 
Sociologia - Cidadania
Sociologia - CidadaniaSociologia - Cidadania
Sociologia - Cidadania
 
Lazer e minorias sociais
Lazer e minorias sociaisLazer e minorias sociais
Lazer e minorias sociais
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
A Construção do Público
A Construção do PúblicoA Construção do Público
A Construção do Público
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 

Destaque

Formação humana
Formação humanaFormação humana
Formação humana
RCCPBJovem
 
Trabajo de la tutora
Trabajo de la tutoraTrabajo de la tutora
Trabajo de la tutora
angie Acosta
 
When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !
Xebia IT Architects
 
Historia de la mensajería instantánea
Historia de la mensajería instantáneaHistoria de la mensajería instantánea
Historia de la mensajería instantánea
NeftisLis
 
Tcc sistema controle-equipamento
Tcc sistema controle-equipamentoTcc sistema controle-equipamento
Tcc sistema controle-equipamento
Zózimo Rodrigues
 
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banksA universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
Alexander Decker
 

Destaque (20)

Formação humana
Formação humanaFormação humana
Formação humana
 
Mannualshaii
MannualshaiiMannualshaii
Mannualshaii
 
Presentacion mafe
Presentacion mafePresentacion mafe
Presentacion mafe
 
Servicio Comunitario
Servicio ComunitarioServicio Comunitario
Servicio Comunitario
 
El ozono como eliminador de moho
El ozono como eliminador de mohoEl ozono como eliminador de moho
El ozono como eliminador de moho
 
Trabajo de la tutora
Trabajo de la tutoraTrabajo de la tutora
Trabajo de la tutora
 
Obesidad infanto juvenil
Obesidad infanto juvenilObesidad infanto juvenil
Obesidad infanto juvenil
 
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidadLos hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
 
Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual
 
When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !
 
Aula 1 -_sig_evolução_históric
Aula 1 -_sig_evolução_históricAula 1 -_sig_evolução_históric
Aula 1 -_sig_evolução_históric
 
Farmacos
FarmacosFarmacos
Farmacos
 
El valor de la profesionalidad
El valor de la profesionalidadEl valor de la profesionalidad
El valor de la profesionalidad
 
Negocios Verdes, Panel política pública - presentación Min. Ambiente Carlos C...
Negocios Verdes, Panel política pública - presentación Min. Ambiente Carlos C...Negocios Verdes, Panel política pública - presentación Min. Ambiente Carlos C...
Negocios Verdes, Panel política pública - presentación Min. Ambiente Carlos C...
 
Historia de la mensajería instantánea
Historia de la mensajería instantáneaHistoria de la mensajería instantánea
Historia de la mensajería instantánea
 
Tcc sistema controle-equipamento
Tcc sistema controle-equipamentoTcc sistema controle-equipamento
Tcc sistema controle-equipamento
 
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banksA universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
A universal model for managing the marketing executives in nigerian banks
 
4 Key Social Media Considerations For 2014 Brand Planning
4 Key Social Media Considerations For 2014 Brand Planning  4 Key Social Media Considerations For 2014 Brand Planning
4 Key Social Media Considerations For 2014 Brand Planning
 
Ch8
Ch8Ch8
Ch8
 
Prtáctica ecosistema
Prtáctica ecosistemaPrtáctica ecosistema
Prtáctica ecosistema
 

Semelhante a Políticas públicas e formação humana

Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadania
Colegio GGE
 
Cidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanosCidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanos
Maxwell de Souza
 

Semelhante a Políticas públicas e formação humana (20)

Sociologia iv
Sociologia ivSociologia iv
Sociologia iv
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cidadania e Empregabilidade .pdf
Cidadania e Empregabilidade .pdfCidadania e Empregabilidade .pdf
Cidadania e Empregabilidade .pdf
 
Cidadania e Empregabilidade .pdf
Cidadania e Empregabilidade .pdfCidadania e Empregabilidade .pdf
Cidadania e Empregabilidade .pdf
 
Educação em direitos humanos 1
Educação em direitos humanos 1Educação em direitos humanos 1
Educação em direitos humanos 1
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadania
 
Pluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaPluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e Etnia
 
Direitos e cidadania
Direitos e cidadaniaDireitos e cidadania
Direitos e cidadania
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
 
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
 
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.pptAula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
 
Cidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanosCidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanos
 
Aula 3 com e cidadania
Aula 3  com e cidadaniaAula 3  com e cidadania
Aula 3 com e cidadania
 
Cidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoCidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar Crítico
 
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
 
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
 
Antrop. contêmp
Antrop. contêmpAntrop. contêmp
Antrop. contêmp
 
Direitos Culturais_Aula 5 (1).pptx
Direitos Culturais_Aula 5 (1).pptxDireitos Culturais_Aula 5 (1).pptx
Direitos Culturais_Aula 5 (1).pptx
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 

Mais de Luci Bonini

DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
Luci Bonini
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
Luci Bonini
 

Mais de Luci Bonini (20)

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressão
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
 
Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidade
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio política
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalização
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiro
 
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADEAtualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto Tietê
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócrates
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
FORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALFORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERAL
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
 
Latim e o direito
Latim e o direito Latim e o direito
Latim e o direito
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 

Políticas públicas e formação humana

  • 2.  Compreender o conceito de políticas públicas e como ele se entretece nas questões primordiais da formação do ser humano  Compreender o conceito de responsividade nas políticas públicas
  • 3. Do grego: ‘pólis’ que significa cidade.  Para os gregos a cidade era o Estado.  Política é a arte de viver harmoniosamente em comunidade.  Foio filósofo grego Aristóteles que primeiro nos deu as primeiras lições de política: "se todas as comunidades visam a algum bem, é evidente que a mais importante de todas elas, e, que inclui todas as outras e tem mais que todas este objetivo e visa ao mais importante de todos os bens; ela se chama cidade e é a comunidade política" .
  • 4. Nas últimas décadas, felizmente, o Brasil vem consolidando a democracia em sincronia com outros países da América Latina.  Depois de uma longa história de autoritarismo percebe-se uma maior participação da população nas decisões em geral.
  • 5. Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:  I - a soberania;  II - a cidadania;  III - a dignidade da pessoa humana;  IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;  V - o pluralismo político.  Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
  • 6.
  • 7. Do latim civitas, que significa "cidade".  Pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente articulada – um país – e que lhe atribui um conjunto de direitos e obrigações, sob vigência de uma constituição.  Conforme o direito internacional, indicativo de nacionalidade, de pertencimento a um Estado-Nação  Em segundo lugar, na ciência política e sociologia o termo adquire sentido mais amplo, a cidadania substantiva é definida como a posse de direitos civis, políticos e sociais  Direitos civis, políticos e sociais para toda a população de uma nação. com a criação do Estado de Bem-Estar Social  Princípios mais coletivistas e igualitários.  Os movimentos sociais e a efetiva participação da população em geral foram fundamentais para que houvesse uma ampliação significativa dos direitos políticos, sociais e civis alçando um nível geral suficiente de bem- estar econômico, lazer, educação e político.
  • 8.
  • 9. O resgate da dignidade humana no cenário nacional é um processo irreversível desde a promulgação da Constituição Federal de 88 e tem sido princípio fundamental para a construção da cidadania e da nossa democracia.
  • 10. Numa democracia representativa, que é o caso brasileiro, uma pessoa é eleita com certa quantidade de votos para ‘representar o povo’, decidir em nome do povo. O eleitor dá uma procuração para o candidato poder trabalhar em seu benefício e em benefício de uma coletividade, pelo menos em tese.
  • 11.
  • 12.  Respeito incondicional pela essência do ser humano  Cada um é um e é a humanidade ao mesmo tempo  Formação Humana crescimento conjunto (pedagógica, política, filosófica e estética de transformação da sociedade)  Transformação amorosa e individual, do micro para o macro.
  • 13.
  • 14.  despertar a essência  Tecer uma nova realidade, proporcionando a consciência de unidade corpo-mente e unidade com outros seres.  O Ser Humano como uma realidade viva, mutável, pulsante, complexa  novos significados e novas consciências  Autoconhecimento, criatividade e percepção individual, o olhar sobre si mesmo  Despertar a resiliência
  • 15. Nos conduz a uma nova forma de responsabilizar-se pela nossa própria existência, nosso aqui e agora
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Eça de Queiroz  “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.”
  • 23. Quando se fala em políticas públicas e seus efeitos  Pensamos em avaliar as demandas, seus impactos nos setores econômicos, sociais, tecnológicos, científicos e, em seguida, compreender se esses resultados que vêm surgindo nas últimas décadas trouxeram, de alguma forma, uma melhoria na tomada de decisões importantes para a superação das desigualdades sociais.
  • 24. É preciso entender como a sociedade, o cidadão, as organizações e até mesmo os representantes do povo exercem suas atividades lutando em favor ou contra o estabelecimento de metas que realmente conduzam a uma mudança da realidade , a um desper tar de consciência de que a realidade sócio-econômico- cultural pode ser transformada em benefício de muitos.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29. 29
  • 30. O meu pai era paulista • Vi cidades, vi dinheiro Meu avô, pernambucano Bandoleiros, vi hospícios O meu bisavô, mineiro Moças feito passarinho Meu tataravô, baiano Avoando de edifícios Meu maestro soberano Fume Ari, cheire Vinícius Foi Antonio Brasileiro Beba Nelson Cavaquinho • Foi Antonio Brasileiro • Para um coração mesquinho Quem soprou esta toada Contra a solidão agreste Que cobri de redondilhas Luiz Gonzaga é tiro certo Pra seguir minha jornada Pixinguinha é inconteste E com a vista enevoada Tome Noel, Cartola, Orestes Ver o inferno e maravilhas Caetano e João Gilberto • Nessas tortuosas trilhas • Viva Erasmo, Ben, Roberto A viola me redime Gil e Hermeto, palmas para Creia, ilustre cavalheiro Todos os instrumentistas Contra fel, moléstia, crime Salve Edu, Bituca, Nara Use Dorival Caymmi Gal, Bethania, Rita, Clara Vá de Jackson do Pandeiro Evoé, jovens à vista
  • 31. Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo  Contextos raciais: homens de uma mesma nacionalidade pertencentes às etnias diferentes, diferentes culturas;  Contextos econômicos: instabilidade de uma economia sob interesses alheios;  Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas se incorporaram em práticas culturais e religiosas;  Contextos de desajustamento cronológico: retardamento da chegada de bens intelectuais, científicos idéias políticas etc;  Contextos culturais: absorve teorias e práticas diferentes  Contextos políticos: golpes militares, esquerda tardia e caduca
  • 32.  O fenômeno do multiculturalismo força as origens a se esconder porque são consideradas menores e vergonhosas diante do padrão imposto pela mídia, pelos ‘mais evoluídos’  Bolsões culturais, estratos semióticos são descaradamente negados em nome da qualidade da Educação (cujo padrão foi forjado nas culturas ‘superiores’
  • 33.  Democracia hoje vontade da maioria com respeito às minorias 33
  • 34. Direitos Humanos vão além: os seres humanos são portadores de direitos inalienáveis, independente da delimitação geopolítica.
  • 35. Democracia: maioria escolhe seus governantes. Minorias: não podem ser oprimidas pela maioria, todos têm direitos. 35
  • 36. Mas... se todos são considerados iguais em suas necessidades, desrespeitamos as necessidades específicas dos grupos ou indivíduos. Ex: crianças, jovens, idosos, mulheres, homossexuais, índios, sem-teto, agricultores, aposentados, deficientes...
  • 37. O direito à diferença expressa-se nas diferenças individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e dar espaço para estas diferenças se manifestarem é uma atitude democrática e desejável. Grau de desenvolvimento de uma democracia pode ser medido por este respeito. 37
  • 38. É social, criada nas relações de injustiças sociais. – Ex: ricos têm direito à educação e saúde de qualidade, pobres não; a sinalização nas ruas é pensada apenas para os “videntes”. 38
  • 39.
  • 40. Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito de ir e vir. Mas... tratar a todos, sem considerar suas necessidades específicas, gera a desigualdade. 40
  • 41. Eqüidade: é a diferença dentro da igualdade.  sem eqüidade não existe democracia. 41
  • 42. Boaventura Souza Santos, sociólogo português: "temos direito a reivindicar a igualdade sempre que a diferença nos inferioriza e temos direito de reivindicar a diferença sempre que a igualdade nos descaracteriza." 42
  • 43.
  • 44. O multi-culturalismo latino americano, e por extensão, o brasileiro, aumenta a complexidade na escola  a responsabilidade recai sobre o professor  precisa trabalhar conteúdos legitimados pela ciência, dentro dos padrões de qualidade erigidos pela cultura capitalista e valores regulamentados pela cultura dominante  o professor é um dos primeiros agentes de negação dos processos semióticos latentes das camadas culturais herdadas do processo evolutivo da América Latina  do qual ele mesmo é filho
  • 45.  objetivar uma transformação social  comporta e tolera a integralidade dos indivíduos e sua história única, mas ao mesmo tempo plural  tolerar e compartilhar um conjunto de conhecimentos, competências, habilidades e valores tanto da cultura dominante quanto dos processos semióticos negados  concebendo a aprendizagem do ponto de vista dos que aprendem
  • 46. Fazer emergir os processos semióticos negados por meio de:  pesquisas, entrevistas, debates, exercícios orais com as famílias e comunidades, como uma oportunidade de reelaborar imagens  criar mapas onde constem árvores genealógicas de todos  organizar visitas a museus e centros de cultura  promover pesquisas sobre as diferentes vertentes artísticas -pinturas e artesanato, trabalhos orais, poesia, trabalhos musicais (folclore e atuais), variantes da culinária.  destacar a questão do negro e do índio e dos portadores de necessidades especiais
  • 47. Utilizar linguagens verbais, não verbais e sincréticas:jornal mural, cartazes publicitários, programas de rádio, biografias, histórias de vida, descrições, filmes etc. para esclarecer o prejuízo do preconceito  Propor a elaboração de documentos sobre ações que possam erradicar qualquer tipo de preconceito na escola e na comunidade  Utilizar o ruído como agente promotor de mudança  atingir o princípio da ordem pelo ruído, devolver a integridade de um sistema, sem precisar negar as identidades complexas
  • 48. Promover a interdisciplinaridade de modo a:  resgatar as memórias históricas, reafirmar identidades étnicas  valorizar conhecimentos, discursos e informações de fontes alternativas  desenvolver currículos, programas e materiais didáticos  valorizando nossa riqueza cultural, os movimentos de apoio a minorias étnicas e culturais, portadores de necessidades especiais  as multilinguagens da mídia de expressão nacional  adaptar produtos tecnológicos às necessidades culturais e educacionais nacionais  propor modelos arquitetônicos de prédios escolares mais adaptados ao clima tropical  gestão educacional vislumbrando a identidade complexa
  • 49. A solidariedade é mais ativa porque os indivíduos solidários têm entre si energia, compaixão e recursos - se não tiverem recursos, irão buscar recursos, pois têm muita energia para isso.
  • 50. Habilitado a intervir com diversas populações: crianças, jovens, adultos, idosos  em contextos sociais, culturais e educativos diversos.  O Educador Social não trabalha só com indivíduos em situação de vulnerabilidade, mas também com pessoas, independentemente da etapa de vida em que se encontram, estejam ou não em situação de vulnerabilidade social.
  • 51. Um Educador Social é um profissional que está apto para intervir nas mais diversas situações, é importante salientar que apesar desta profissão não ser muito divulgada e conhecida, é um profissional competente para intervir e educar a sociedade lá fora.
  • 52.  Promover a socialização de uma cultura em direitos humanos;  Afetar a naturalidade e normalidade das violações;  Ter uma intervenção sistemática na formação de valores, hábitos e atitudes;  Fortalecer as estratégias dos movimentos e a dimensão axiológica da ação transformadora;
  • 53.  Promover o pluralismo e o regime democrático e erradicar o autoritarismo;  Formar sujeitos para o reconhecimento da dignidade e para o exercício ativo da cidadania democrática;  Promover o respeito à diversidade sociocultural exercitando e estimulando convivências e relações de solidariedade;
  • 54. Nenhum ser humano pode viver sozinho, fora de qualquer comunidade. Pertencer a grupos sociais, da família à sociedade planetária, é um princípio não apenas de nossa sobrevivência material, mas também de nossa identidade, de nosso desenvolvimento intelectual, de nosso equilíbrio afetivo. Isto é verdade inclusive; e talvez sobretudo; em uma sociedade individualista. (Perrenoud, 2003)
  • 55.
  • 56. 1. Incorpora a visão crítica e política de educação; 2. Promove uma ética e uma cultura democrática e republicana; 3. Cria multiplicidades de possibilidades de ações e metodologias de ação; 4. Permeia e atravessa as relações de poder 5. Desenvolve-se de modo desigual na construção do processo de democratização social
  • 57. 6. Potencial crítico e transformador da realidade pedagógica, da realidade social e institucional 7. Atravessa os conteúdos e as práticas educacionais e sociais, ressignificando os métodos, os conteúdos, as relações, os projetos de vida e de trabalho, o clima e a cultura. 8. Flexibiliza a interrelação entre temas e conteúdos 9. Promove o diálogo intercultural, valorizando as diferenças socioculturais inserindo-as no currículo;
  • 58. 10. Permeia e atua no cotidiano, articulando o vivencial com o abstrato, o prático com o teórico; 11. Possibilita a construção e formação de sujeitos capazes de reconhecer, respeitar e solidarizar-se com as diferenças; 12. Integraliza as concepções históricas dos direitos humanos; 13. Adota os princípios metodológicos da educação popular – dialogicidade- solidariedade- autonomia – indignação- discursividade;
  • 59.  A política tem a nobre missão de se empenhar na realização do bem comum.  O poder de decisão que conferimos aos que nós elegemos não dá a esse indivíduo o direito de usar esse poder em seu benefício.
  • 60. É verdadeira a frase: Não deve dar o peixe, mas ensinar a pescar. É a educação que faz com que o povo revolucione o país. Já tivemos grandes movimentos éticos no país: o movimento contra a ditadura militar, os caras- pintadas e as recentes passeatas contra a corrupção.
  • 61. Educar em Direitos Humanos é fomentar processos de educação formal e não formal, de modo a contribuir para a construção da cidadania, o conhecimento dos direitos fundamentais, o respeito à pluralidade e à diversidade sexual, étnica, racial, cultural, de gênero e de crenças religiosas.
  • 62.
  • 63.  Para Bakhtin (2010), responsividade é uma resposta responsável.  Na medida em que a resposta conduz à idéia de diálogo responsável entre o EU e o OUTRO, neste percurso espelhados tanto no cidadão quanto no governo.
  • 64. No caso brasileiro, a diversidade cultural resultado de um processo de colonização autoritário, revoluções abafadas, impedimento de nascimento de uma identidade nacional, acarretou um sem- número de cruzamentos de diferentes signos.  Por esta razão, vítimas de diversas formas de espoliações e humilhações o povo brasileiro carrega uma fenda imensa quando se trata de discutir política.
  • 65. A consciência política precisa ser despertada ou ensinada de alguma forma, a participação da escola, dos representantes das comunidades e outros formadores de opinião desempenham um papel importante na construção da consciência de ser-estar no mundo em relação a si mesmo e ao meio em que vive, tendo tutelados seus direitos e garantias individuais.
  • 66.
  • 67. Imagina que não há céu, é fácil se tentares, Imagine there’s no heaven, it’s easy if you try,
  • 68. Sem inferno sob nós, sobre nós apenas céu, No hell below us, above us only sky,
  • 69. Imagina toda a gente que hoje vive... Imagine all the people living for today...
  • 70. Imagina que não há países, não é difícil de fazer, Imagine there’s no countries, It isn’t hard to do,
  • 71. Nada por que matar ou morrer, Nothing to kill or die for,
  • 72. e também sem religião, and no religion too,
  • 73. Imagina toda a gente vivendo a vida em paz... Imagine all the people living life in peace...
  • 74. Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único, You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one,
  • 75. Espero que um dia te juntes a nós,e o Mundo será como um só I hope some day you’ll join us, and the World will be as one
  • 76. Imagina que não há bens, não sei se és capaz, Imagine no posessions, I wonder if you can,
  • 77. Sem necessidade de ganância ou fome No need for greed or hunger
  • 78. Uma irmandade dos Homens A brotherhood of Man
  • 79. Imagina toda a gente partilhando o Mundo inteiro... Imagine all the people sharing all the World
  • 80. Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one
  • 81. Espero que um dia te juntes a nós, e o Mundo viverá como um só. I hope some day you’ll join us, and the World will live as one
  • 82. Facebook: Luci Bonini Twitter: @lucibonini