SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 72
POLÍTICAS PÚBLICAS,
DIGNIDADE HUMANA E
   RESPONSIVIDADE
       PÚBLICA
     Profa. Dra. Luci Bonini
Objetivos
Compreender o conceito de políticas
 públicas e como ele se entretece nas
 questões primordiais da dignidade
 humana e da justiça
Compreender o conceito de
 responsividade nas políticas públicas
Política
 Do grego: ‘pólis’ que significa cidade.
  Para os gregos a cidade era o Estado.
  Política é a arte de viver harmoniosamente em
    comunidade.
    Foi o filósofo grego Aristóteles que primeiro nos deu
      as primeiras lições de política: "se todas as
      comunidades visam a algum bem, é evidente que a
      mais importante de todas elas, e, que inclui todas as
      outras e tem mais que todas este objetivo e visa ao
      mais importante de todos os bens; ela se chama
      cidade e é a comunidade política" .
Democracia brasileira
 Nas últimas décadas, felizmente, o Brasil vem
  consolidando a democracia em sincronia com outros
  países da América Latina.
   Depois de uma longa história de autoritarismo percebe-se
     uma maior participação da população nas decisões em
     geral.
Constituição Federal de 1988
 Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união
   indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal,
   constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como
   fundamentos:
 I - a soberania;
 II - a cidadania;
 III - a dignidade da pessoa humana;
 IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
 V - o pluralismo político.
    Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por
     meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta
     Constituição.
Cidadania
 Do latim civitas, que significa "cidade".
 Pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente
   articulada – um país – e que lhe atribui um conjunto de direitos e
   obrigações, sob vigência de uma constituição.
 Conforme o direito internacional, indicativo de nacionalidade, de
   pertencimento a um Estado-Nação
 Em segundo lugar, na ciência política e sociologia o termo adquire
   sentido mais amplo, a cidadania substantiva é definida como a posse
   de direitos civis, políticos e sociais
 Direitos civis, políticos e sociais para toda a população de uma nação.
   com a criação do Estado de Bem-Estar Social
    Princípios mais coletivistas e igualitários.
    Os movimentos sociais e a efetiva participação da população em geral
      foram fundamentais para que houvesse uma ampliação significativa dos
      direitos políticos, sociais e civis alçando um nível geral suficiente de bem-
      estar econômico, lazer, educação e político.
Dignidade Humana
O resgate da dignidade humana no
 cenário nacional é um processo irreversível
 desde a promulgação da Constituição
 Federal de 88 e tem sido princípio
 fundamental para a construção da
 cidadania e da nossa democracia.
Políticas Públicas e Dignidade Humana
 Numa democracia
  representativa, que é o
  caso brasileiro, uma
  pessoa é eleita com certa
  quantidade de votos
  para ‘representar o
  povo’, decidir em nome
  do povo. O eleitor dá
  uma procuração para o
  candidato poder
  trabalhar em seu
  benefício e em benefício
  de uma coletividade,
  pelo menos em tese.
Leonel Brizola disse uma vez: “Estou
pensando em criar um vergonhódromo para políticos sem-
  vergonha, que ao verem a chance de chegar ao poder
       esquecem os compromissos com o povo.”
Impostômetro
 Pagar mais de 1.489.911.777 salários mínimos
 Comprar mais de 11.512.127 ambulâncias equipadas
 Plantar 185.345.384.126 de árvores
 Construir mais de 805.850 km asfaltado de estradas
 Construir mais de 10.073.135 km de redes de esgoto
 Fornecer cestas básicas para toda a população brasileira
  por 15 meses

 Contratar mais de 69.469.995 professores do ensino
  fundamental por ano
Ronald Reagan, disse uma vez que:
 "O contribuinte é o único cidadão
 que trabalha para o governo sem ter
 de prestar concurso.”
 Fica aí a dica, se trabalhamos para o
   governo, vamos cobrar nosso salário em
   hospitais, bibliotecas, escolas, museus,
   asfalto, esgoto e água tratada, transporte
   e muito mais.
CONSTRUÇÃO DA DIGNIDADE
         HUMANA
Respeito incondicional pela essência do ser
  humano
Cada um é um e é a humanidade ao mesmo
  tempo
Formação Humana crescimento conjunto
  (pedagógica, política, filosófica e estética de
  transformação da sociedade)
 Transformação amorosa e individual, do micro
  para o macro.
Ser planetário  raça humana
SER INTEGRAL
Despertar a essência
Tecer uma nova realidade, proporcionando a
  consciência de unidade corpo-mente e unidade
  com outros seres.
O Ser Humano como uma realidade viva,
  mutável, pulsante, complexa  novos
  significados e novas consciências
Autoconhecimento, criatividade e percepção
  individual, o olhar sobre si mesmo
Despertar a resiliência
Nós fomos formados
    para pensar
    em política?
Eça de Queiroz  “Políticos e
 fraldas devem ser trocados de
 tempos em tempos pelo mesmo
 motivo.”
Quando se fala em políticas públicas e seus
 efeitos
 Pensamos em avaliar as demandas, seus
   impactos nos setores econômicos, sociais,
   tecnológicos, científicos e, em seguida,
   compreender se esses resultados que vêm
   surgindo nas últimas décadas trouxeram, de
   alguma forma, uma melhoria na tomada de
   decisões importantes para a superação das
   desigualdades sociais.
 É preciso entender como a sociedade, o cidadão, as
  organizações e até mesmo os representantes do povo
  exercem suas atividades lutando        em favor
  ou contra o estabelecimento de metas que
  realmente conduzam a uma mudança
  da realidade , a um despertar de
  consciência de que a realidade
  sócio-econômico-cultural pode ser
  transformada em benefício de muitos.
CONSCIÊNCIA POLÍTICA
 Nos conduz a uma nova forma de responsabilizar-se pela
  nossa própria existência, nosso aqui e agora
Violência contra o
      idoso
Violência contra a criança
Violência
Doméstica
HABITAÇÃO
SEGURANÇA
SAÚDE
Doação de órgãos
Multiculturalismo,
Políticas Públicas e
       Justiça
Paratodos
                       Chico Buarque
• O meu pai era paulista         • Vi cidades, vi dinheiro
   Meu avô, pernambucano            Bandoleiros, vi hospícios
   O meu bisavô, mineiro            Moças feito passarinho
   Meu tataravô, baiano             Avoando de edifícios
   Meu maestro soberano             Fume Ari, cheire Vinícius
   Foi Antonio Brasileiro           Beba Nelson Cavaquinho
• Foi Antonio Brasileiro         • Para um coração mesquinho
   Quem soprou esta toada           Contra a solidão agreste
   Que cobri de redondilhas         Luiz Gonzaga é tiro certo
   Pra seguir minha jornada         Pixinguinha é inconteste
   E com a vista enevoada           Tome Noel, Cartola, Orestes
   Ver o inferno e maravilhas       Caetano e João Gilberto
• Nessas tortuosas trilhas       • Viva Erasmo, Ben, Roberto
   A viola me redime                Gil e Hermeto, palmas para
   Creia, ilustre cavalheiro        Todos os instrumentistas
   Contra fel, moléstia, crime      Salve Edu, Bituca, Nara
   Use Dorival Caymmi               Gal, Bethania, Rita, Clara
   Vá de Jackson do Pandeiro        Evoé, jovens à vista
Multiculturalismo latino-
            americano
Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo
 Contextos raciais: homens de uma mesma
   nacionalidade pertencentes às etnias diferentes,
   diferentes culturas;
  Contextos econômicos: instabilidade de uma
   economia sob interesses alheios;
  Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas
   se incorporaram em práticas culturais e
   religiosas;
  Contextos políticos: golpes militares, esquerda
   tardia e caduca
DEMOCRACIA E
              IGUALDADE
 Democracia hoje vontade da maioria com
respeito às minorias




                                           37
Globalização
 O fenômeno do multiculturalismo força as origens a se
  esconder porque são consideradas menores e
  vergonhosas diante do padrão imposto pela mídia, pelos
  ‘mais evoluídos’
 Bolsões culturais, estratos semióticos são descaradamente
  negados em nome da qualidade da Educação (cujo
  padrão foi forjado nas culturas ‘superiores’
 Direitos Humanos vão além: os seres humanos
 são portadores de direitos inalienáveis,
 independente da delimitação geopolítica.
MAIORIAS E MINORIAS
Democracia: maioria escolhe seus
governantes.
Minorias: não podem ser oprimidas pela
maioria, todos têm direitos.




                                          40
Mas... se todos são considerados
 iguais em suas necessidades,
 desrespeitamos as necessidades
 específicas dos grupos ou
 indivíduos. Ex: crianças, jovens,
 idosos, mulheres, homossexuais,
 índios, sem-teto, agricultores,
 aposentados, deficientes...
DIFERENÇA
O direito à diferença expressa-se nas diferenças
individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e
dar espaço para estas diferenças se manifestarem é
uma atitude democrática e desejável.
Grau de desenvolvimento de uma democracia
pode ser medido por este respeito.




                                                    42
DESIGUALDADE
       • É social, criada nas
         relações de
         injustiças sociais.
         – Ex: ricos têm direito
           à educação e saúde
           de qualidade, pobres
           não; a sinalização
           nas ruas é pensada
           apenas para os
           “videntes”.



                               43
Tolerância
EQUIDADE
Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito
de ir e vir. Mas... tratar a todos, sem considerar
suas necessidades específicas, gera a desigualdade.




                                               45
Segundo o IBGE, 45,6
milhões de brasileiros
têm pelo menos uma
     deficiência.
EQUIDADE
Equidade: é a diferença dentro da
igualdade.  sem eqüidade não existe
democracia.




                                       47
DESIGUALDADE
Boaventura Souza
Santos, sociólogo
português: "temos
direito a reivindicar
a igualdade sempre
que a diferença nos
inferioriza e temos
direito de reivindicar
a diferença sempre
que a igualdade nos
descaracteriza."
                         48
Rui Barbosa disse uma vez: “De tanto ver
 triunfar as nulidades; de tanto ver
 prosperar a desonra, de tanto ver crescer a
 injustiça, de tanto ver agigantarem-se os
 poderes nas mãos dos maus, o homem
 chega a desanimar-se da virtude, a rir-se
 da honra e a ter vergonha de ser
 honesto.”
IPC (Índice de Percepção da
              Corrupção)
 Dos 183 países e territórios avaliados a Suíça, A
  Dinamarca, a Finlândia, a Suécia e a Nova Zelândia
  tiveram excelentes notas que foram do 8.8 ao 9.5.
   a nota foi calculada entre 0 – muito corrupto e 10 –
     completamente limpo.

 O Brasil ficou em 73º lugar com a nota 3,8.
"A grandeza de um ser humano não está
 no quanto ele sabe, mas no quanto ele
 tem consciência que não sabe. O destino
 não é frequentemente inevitável, mas uma
 questão de escolha. Quem faz escolha,
 escreve sua própria história, constrói seus
 próprios caminhos". Augusto Cury
Responsividade
 Para Bakhtin (2010), responsividade é uma resposta
  responsável.

 Na medida em que a resposta conduz à idéia de diálogo
  responsável entre o EU e o OUTRO, neste percurso
  espelhados tanto no cidadão quanto no governo.
No caso brasileiro, a diversidade cultural
  resultado de um processo de colonização
  autoritário, revoluções abafadas,
  impedimento de nascimento de uma
  identidade nacional, acarretou um sem-
  número de cruzamentos de diferentes
  signos.
  Por esta razão, vítimas de diversas formas de
    espoliações e humilhações o povo brasileiro
    carrega uma fenda imensa quando se trata de
    discutir política.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 A consciência política precisa ser despertada ou ensinada
  de alguma forma, a participação da escola, dos
  representantes das comunidades e outros formadores de
  opinião desempenham um papel importante na
  construção da consciência de ser-estar no mundo em
  relação a si mesmo e ao meio em que vive, tendo
  tutelados seus direitos e garantias individuais.
Imagina que não há céu, é fácil se tentares,


Imagine there’s no heaven, it’s easy if you try,
Sem inferno sob nós, sobre nós apenas céu,

     No hell below us, above us only sky,
Imagina toda a gente que hoje vive...

Imagine all the people living for today...
Imagina que não há países, não é difícil de fazer,

Imagine there’s no countries, It isn’t hard to do,
Nada por que matar ou morrer,

Nothing to kill or die for,
e também sem religião,
 and no religion too,
Imagina toda a gente vivendo a vida em paz...

Imagine all the people living life in peace...
Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único,




You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one,
Espero que um dia te juntes a nós,e o Mundo será como um só

   I hope some day you’ll join us, and the World will be as one
Imagina que não há bens, não sei se és capaz,

 Imagine no posessions, I wonder if you can,
Sem necessidade de ganância ou fome

    No need for greed or hunger
Uma irmandade dos Homens




 A brotherhood of Man
Imagina toda a gente partilhando o Mundo inteiro...
  Imagine all the people sharing all the World
Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único

You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one
Espero que um dia te juntes a nós, e o Mundo viverá como um só.

    I hope some day you’ll join us, and the World will live as one
OBRIGADA!
Facebook: Professora Luci Bonini
      Twitter: @lucibonini

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cidadania e participação social
Cidadania e participação socialCidadania e participação social
Cidadania e participação socialEdenilson Morais
 
Direitos humanos na mídia comunitária unesco
Direitos humanos na mídia comunitária   unescoDireitos humanos na mídia comunitária   unesco
Direitos humanos na mídia comunitária unescoLuara Schamó
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Sociologia atitudes de cidadania
Sociologia   atitudes de cidadaniaSociologia   atitudes de cidadania
Sociologia atitudes de cidadaniaGustavo Soares
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...Prof. Noe Assunção
 
Politicas publicas atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...
Politicas publicas   atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...Politicas publicas   atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...
Politicas publicas atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...Atividades Diversas Cláudia
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Delziene Jesus
 
Filosofia na Cidade 11º ano
Filosofia na Cidade 11º anoFilosofia na Cidade 11º ano
Filosofia na Cidade 11º anoAna Isabel
 
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALLuci Bonini
 
A Construção do Público
A Construção do PúblicoA Construção do Público
A Construção do PúblicoAmarribo
 
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 

Mais procurados (20)

Cidadania e participação social
Cidadania e participação socialCidadania e participação social
Cidadania e participação social
 
Direitos humanos na mídia comunitária unesco
Direitos humanos na mídia comunitária   unescoDireitos humanos na mídia comunitária   unesco
Direitos humanos na mídia comunitária unesco
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Sociologia atitudes de cidadania
Sociologia   atitudes de cidadaniaSociologia   atitudes de cidadania
Sociologia atitudes de cidadania
 
Livro 01
Livro 01Livro 01
Livro 01
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Politicas publicas atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...
Politicas publicas   atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...Politicas publicas   atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...
Politicas publicas atividade interdisciplinar portugues, geografia, ensino ...
 
Direitos e Deveres
Direitos e DeveresDireitos e Deveres
Direitos e Deveres
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
 
Filosofia na Cidade 11º ano
Filosofia na Cidade 11º anoFilosofia na Cidade 11º ano
Filosofia na Cidade 11º ano
 
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação democracia e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIALDIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA À LUZ DO ESTADO DE PROTEÇÃO SOCIAL
 
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
 
A Construção do Público
A Construção do PúblicoA Construção do Público
A Construção do Público
 
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Aula Cidadania
Aula CidadaniaAula Cidadania
Aula Cidadania
 
Movimentos Sociais e Cidadania
Movimentos Sociais e CidadaniaMovimentos Sociais e Cidadania
Movimentos Sociais e Cidadania
 
Sociologia - Cidadania
Sociologia - CidadaniaSociologia - Cidadania
Sociologia - Cidadania
 
Cidadania bom
Cidadania bomCidadania bom
Cidadania bom
 

Destaque

A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileira
A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileiraA dignidade da pessoa humana e a realidade brasileira
A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileiraLuci Bonini
 
DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…
 DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER… DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…
DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…Igor Ribeiro
 
Dignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanaDignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanaLeticias2
 
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no Brasil
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no BrasilA dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no Brasil
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no BrasilLuci Bonini
 
9 ul1 Dignidade da vida Humana
9 ul1 Dignidade da vida Humana9 ul1 Dignidade da vida Humana
9 ul1 Dignidade da vida HumanaRicardo Fernandes
 
A dignidade da Pessoa Humana no Alto Tietê
A dignidade da Pessoa Humana no Alto TietêA dignidade da Pessoa Humana no Alto Tietê
A dignidade da Pessoa Humana no Alto TietêLuci Bonini
 
Dignidade humana
Dignidade humanaDignidade humana
Dignidade humanaPedro Paulo
 
Principios da dignidade da pessoa humana
Principios da dignidade da pessoa humanaPrincipios da dignidade da pessoa humana
Principios da dignidade da pessoa humanaIvo de Oliveira
 
Dignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanaDignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanavaltermn
 
1ª aula, dignidade da vida
1ª aula, dignidade da vida1ª aula, dignidade da vida
1ª aula, dignidade da vidaMoralitoAGVL
 
Direito ao respeito e à dignidade
Direito ao respeito e à dignidadeDireito ao respeito e à dignidade
Direito ao respeito e à dignidadeJoão Silva
 
Trabajo de la tutora
Trabajo de la tutoraTrabajo de la tutora
Trabajo de la tutoraangie Acosta
 
Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual Esteban Renzi
 
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidadLos hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidadEuler
 
When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !Xebia IT Architects
 

Destaque (20)

A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileira
A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileiraA dignidade da pessoa humana e a realidade brasileira
A dignidade da pessoa humana e a realidade brasileira
 
DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…
 DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER… DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…
DIGNIDADE HUMANA EVOLUÇÃO HISTÓRICO-FILOSÓFICA DO CONCEITO E DE SUA INTER…
 
Dignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanaDignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humana
 
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no Brasil
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no BrasilA dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no Brasil
A dignidade da pessoa humana - a consolidação da democracia no Brasil
 
9 ul1 Dignidade da vida Humana
9 ul1 Dignidade da vida Humana9 ul1 Dignidade da vida Humana
9 ul1 Dignidade da vida Humana
 
A dignidade da Pessoa Humana no Alto Tietê
A dignidade da Pessoa Humana no Alto TietêA dignidade da Pessoa Humana no Alto Tietê
A dignidade da Pessoa Humana no Alto Tietê
 
Dignidade humana
Dignidade humanaDignidade humana
Dignidade humana
 
Principios da dignidade da pessoa humana
Principios da dignidade da pessoa humanaPrincipios da dignidade da pessoa humana
Principios da dignidade da pessoa humana
 
Dignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humanaDignidade da pessoa humana
Dignidade da pessoa humana
 
1ª aula, dignidade da vida
1ª aula, dignidade da vida1ª aula, dignidade da vida
1ª aula, dignidade da vida
 
Direito ao respeito e à dignidade
Direito ao respeito e à dignidadeDireito ao respeito e à dignidade
Direito ao respeito e à dignidade
 
Mannualshaii
MannualshaiiMannualshaii
Mannualshaii
 
Obesidad infanto juvenil
Obesidad infanto juvenilObesidad infanto juvenil
Obesidad infanto juvenil
 
El ozono como eliminador de moho
El ozono como eliminador de mohoEl ozono como eliminador de moho
El ozono como eliminador de moho
 
Trabajo de la tutora
Trabajo de la tutoraTrabajo de la tutora
Trabajo de la tutora
 
Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual Trabajo audiovisual
Trabajo audiovisual
 
Presentacion mafe
Presentacion mafePresentacion mafe
Presentacion mafe
 
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidadLos hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
Los hombres que con sus ideas cambiaron a la humanidad
 
When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !When elephants dance , enterprise goes mobile !
When elephants dance , enterprise goes mobile !
 
Servicio Comunitario
Servicio ComunitarioServicio Comunitario
Servicio Comunitario
 

Semelhante a Políticas públicas e dignidade humana

Jorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanos
Jorge Floriano - MP/RS - Direitos HumanosJorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanos
Jorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanosalexrrosaueja
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismoLuciana Melo
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismoLuciana Melo
 
Semi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira FrancaSemi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira FrancaProfa. Janaíra França
 
Capacitacao liderancas participacao-politica
Capacitacao liderancas participacao-politicaCapacitacao liderancas participacao-politica
Capacitacao liderancas participacao-politicaJader Araujo
 
Cidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoCidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoKerol Brombal
 
Ética e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxÉtica e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxAnderson Cezar
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadaniaColegio GGE
 
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA CIDADANIA E DEMOCRACIA
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA  CIDADANIA E DEMOCRACIAHISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA  CIDADANIA E DEMOCRACIA
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA CIDADANIA E DEMOCRACIAAllan Vieira
 
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e história
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e históriaCIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e história
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e históriaTutorLinnecker
 
Cidadania.ppt
Cidadania.pptCidadania.ppt
Cidadania.pptMister B
 
26052021135434Cidadania (1).ppt
26052021135434Cidadania (1).ppt26052021135434Cidadania (1).ppt
26052021135434Cidadania (1).pptDomingasMariaRomao
 
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.ppt
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.pptCidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.ppt
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.pptJanaina Diniz
 
Aula 3 com e cidadania
Aula 3  com e cidadaniaAula 3  com e cidadania
Aula 3 com e cidadaniaUFSM
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialL T
 

Semelhante a Políticas públicas e dignidade humana (20)

Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Jorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanos
Jorge Floriano - MP/RS - Direitos HumanosJorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanos
Jorge Floriano - MP/RS - Direitos Humanos
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
Semi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira FrancaSemi Cidadania e Minorias Janaira Franca
Semi Cidadania e Minorias Janaira Franca
 
Capacitacao liderancas participacao-politica
Capacitacao liderancas participacao-politicaCapacitacao liderancas participacao-politica
Capacitacao liderancas participacao-politica
 
Cidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoCidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar Crítico
 
Ética e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxÉtica e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptx
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadania
 
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA CIDADANIA E DEMOCRACIA
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA  CIDADANIA E DEMOCRACIAHISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA  CIDADANIA E DEMOCRACIA
HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA CIDADANIA E DEMOCRACIA
 
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
 
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e história
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e históriaCIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e história
CIDADANIA e DIREITOS HUMANOS - conceito e história
 
Cidadania.ppt
Cidadania.pptCidadania.ppt
Cidadania.ppt
 
26052021135434Cidadania (1).ppt
26052021135434Cidadania (1).ppt26052021135434Cidadania (1).ppt
26052021135434Cidadania (1).ppt
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.ppt
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.pptCidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.ppt
Cidadania DIREITOS E DEVERES DO CIDADÃO.ppt
 
Aula 3 com e cidadania
Aula 3  com e cidadaniaAula 3  com e cidadania
Aula 3 com e cidadania
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
 

Mais de Luci Bonini

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressãoLuci Bonini
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaLuci Bonini
 
Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Luci Bonini
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaLuci Bonini
 
Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Luci Bonini
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeLuci Bonini
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraLuci Bonini
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio políticaLuci Bonini
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoLuci Bonini
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroLuci Bonini
 
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADEAtualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADELuci Bonini
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto TietêLuci Bonini
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócratesLuci Bonini
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Luci Bonini
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia GréciaLuci Bonini
 
FORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALFORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALLuci Bonini
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêLuci Bonini
 
Latim e o direito
Latim e o direito Latim e o direito
Latim e o direito Luci Bonini
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaLuci Bonini
 

Mais de Luci Bonini (20)

Comunicação e expressão
Comunicação e expressãoComunicação e expressão
Comunicação e expressão
 
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - MandelaUma longa caminhada para a liberdade - Mandela
Uma longa caminhada para a liberdade - Mandela
 
Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013Formação geral - ENADE 2013
Formação geral - ENADE 2013
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014Filosofia do Direito 2014
Filosofia do Direito 2014
 
O pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidadeO pacto federativo e a educação de qualidade
O pacto federativo e a educação de qualidade
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
 
Eu odeio política
Eu odeio políticaEu odeio política
Eu odeio política
 
Federalismo e regionalização
Federalismo e regionalizaçãoFederalismo e regionalização
Federalismo e regionalização
 
Federalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiroFederalismo fiscal brasileiro
Federalismo fiscal brasileiro
 
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADEAtualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
Atualidades: conteúdos de formação Geral ENADE
 
Dignidade humana no Alto Tietê
Dignidade humana  no Alto TietêDignidade humana  no Alto Tietê
Dignidade humana no Alto Tietê
 
A apologia de sócrates
A apologia de sócratesA apologia de sócrates
A apologia de sócrates
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
FORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERALFORMAÇÃO GERAL
FORMAÇÃO GERAL
 
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto TietêCidadania e dignidade humana no Alto Tietê
Cidadania e dignidade humana no Alto Tietê
 
Latim e o direito
Latim e o direito Latim e o direito
Latim e o direito
 
Apostila de Filosofia
Apostila de FilosofiaApostila de Filosofia
Apostila de Filosofia
 

Último

QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 

Último (20)

QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Políticas públicas e dignidade humana

  • 1. POLÍTICAS PÚBLICAS, DIGNIDADE HUMANA E RESPONSIVIDADE PÚBLICA Profa. Dra. Luci Bonini
  • 2. Objetivos Compreender o conceito de políticas públicas e como ele se entretece nas questões primordiais da dignidade humana e da justiça Compreender o conceito de responsividade nas políticas públicas
  • 3.
  • 4. Política  Do grego: ‘pólis’ que significa cidade. Para os gregos a cidade era o Estado. Política é a arte de viver harmoniosamente em comunidade. Foi o filósofo grego Aristóteles que primeiro nos deu as primeiras lições de política: "se todas as comunidades visam a algum bem, é evidente que a mais importante de todas elas, e, que inclui todas as outras e tem mais que todas este objetivo e visa ao mais importante de todos os bens; ela se chama cidade e é a comunidade política" .
  • 5. Democracia brasileira  Nas últimas décadas, felizmente, o Brasil vem consolidando a democracia em sincronia com outros países da América Latina.  Depois de uma longa história de autoritarismo percebe-se uma maior participação da população nas decisões em geral.
  • 6. Constituição Federal de 1988  Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:  I - a soberania;  II - a cidadania;  III - a dignidade da pessoa humana;  IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;  V - o pluralismo político.  Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
  • 7.
  • 8. Cidadania  Do latim civitas, que significa "cidade".  Pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente articulada – um país – e que lhe atribui um conjunto de direitos e obrigações, sob vigência de uma constituição.  Conforme o direito internacional, indicativo de nacionalidade, de pertencimento a um Estado-Nação  Em segundo lugar, na ciência política e sociologia o termo adquire sentido mais amplo, a cidadania substantiva é definida como a posse de direitos civis, políticos e sociais  Direitos civis, políticos e sociais para toda a população de uma nação. com a criação do Estado de Bem-Estar Social  Princípios mais coletivistas e igualitários.  Os movimentos sociais e a efetiva participação da população em geral foram fundamentais para que houvesse uma ampliação significativa dos direitos políticos, sociais e civis alçando um nível geral suficiente de bem- estar econômico, lazer, educação e político.
  • 9.
  • 10. Dignidade Humana O resgate da dignidade humana no cenário nacional é um processo irreversível desde a promulgação da Constituição Federal de 88 e tem sido princípio fundamental para a construção da cidadania e da nossa democracia.
  • 11. Políticas Públicas e Dignidade Humana  Numa democracia representativa, que é o caso brasileiro, uma pessoa é eleita com certa quantidade de votos para ‘representar o povo’, decidir em nome do povo. O eleitor dá uma procuração para o candidato poder trabalhar em seu benefício e em benefício de uma coletividade, pelo menos em tese.
  • 12.
  • 13. Leonel Brizola disse uma vez: “Estou pensando em criar um vergonhódromo para políticos sem- vergonha, que ao verem a chance de chegar ao poder esquecem os compromissos com o povo.”
  • 15.  Pagar mais de 1.489.911.777 salários mínimos  Comprar mais de 11.512.127 ambulâncias equipadas  Plantar 185.345.384.126 de árvores  Construir mais de 805.850 km asfaltado de estradas  Construir mais de 10.073.135 km de redes de esgoto  Fornecer cestas básicas para toda a população brasileira por 15 meses  Contratar mais de 69.469.995 professores do ensino fundamental por ano
  • 16. Ronald Reagan, disse uma vez que: "O contribuinte é o único cidadão que trabalha para o governo sem ter de prestar concurso.” Fica aí a dica, se trabalhamos para o governo, vamos cobrar nosso salário em hospitais, bibliotecas, escolas, museus, asfalto, esgoto e água tratada, transporte e muito mais.
  • 17. CONSTRUÇÃO DA DIGNIDADE HUMANA Respeito incondicional pela essência do ser humano Cada um é um e é a humanidade ao mesmo tempo Formação Humana crescimento conjunto (pedagógica, política, filosófica e estética de transformação da sociedade)  Transformação amorosa e individual, do micro para o macro.
  • 18. Ser planetário  raça humana
  • 19. SER INTEGRAL Despertar a essência Tecer uma nova realidade, proporcionando a consciência de unidade corpo-mente e unidade com outros seres. O Ser Humano como uma realidade viva, mutável, pulsante, complexa  novos significados e novas consciências Autoconhecimento, criatividade e percepção individual, o olhar sobre si mesmo Despertar a resiliência
  • 20. Nós fomos formados para pensar em política?
  • 21. Eça de Queiroz  “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.”
  • 22. Quando se fala em políticas públicas e seus efeitos Pensamos em avaliar as demandas, seus impactos nos setores econômicos, sociais, tecnológicos, científicos e, em seguida, compreender se esses resultados que vêm surgindo nas últimas décadas trouxeram, de alguma forma, uma melhoria na tomada de decisões importantes para a superação das desigualdades sociais.
  • 23.  É preciso entender como a sociedade, o cidadão, as organizações e até mesmo os representantes do povo exercem suas atividades lutando em favor ou contra o estabelecimento de metas que realmente conduzam a uma mudança da realidade , a um despertar de consciência de que a realidade sócio-econômico-cultural pode ser transformada em benefício de muitos.
  • 24. CONSCIÊNCIA POLÍTICA  Nos conduz a uma nova forma de responsabilizar-se pela nossa própria existência, nosso aqui e agora
  • 28.
  • 32.
  • 35. Paratodos Chico Buarque • O meu pai era paulista • Vi cidades, vi dinheiro Meu avô, pernambucano Bandoleiros, vi hospícios O meu bisavô, mineiro Moças feito passarinho Meu tataravô, baiano Avoando de edifícios Meu maestro soberano Fume Ari, cheire Vinícius Foi Antonio Brasileiro Beba Nelson Cavaquinho • Foi Antonio Brasileiro • Para um coração mesquinho Quem soprou esta toada Contra a solidão agreste Que cobri de redondilhas Luiz Gonzaga é tiro certo Pra seguir minha jornada Pixinguinha é inconteste E com a vista enevoada Tome Noel, Cartola, Orestes Ver o inferno e maravilhas Caetano e João Gilberto • Nessas tortuosas trilhas • Viva Erasmo, Ben, Roberto A viola me redime Gil e Hermeto, palmas para Creia, ilustre cavalheiro Todos os instrumentistas Contra fel, moléstia, crime Salve Edu, Bituca, Nara Use Dorival Caymmi Gal, Bethania, Rita, Clara Vá de Jackson do Pandeiro Evoé, jovens à vista
  • 36. Multiculturalismo latino- americano Alejo Carpentier (1969): terceiro estilo Contextos raciais: homens de uma mesma nacionalidade pertencentes às etnias diferentes, diferentes culturas; Contextos econômicos: instabilidade de uma economia sob interesses alheios; Contextos ctônicos: crenças e práticas antigas se incorporaram em práticas culturais e religiosas; Contextos políticos: golpes militares, esquerda tardia e caduca
  • 37. DEMOCRACIA E IGUALDADE  Democracia hoje vontade da maioria com respeito às minorias 37
  • 38. Globalização  O fenômeno do multiculturalismo força as origens a se esconder porque são consideradas menores e vergonhosas diante do padrão imposto pela mídia, pelos ‘mais evoluídos’  Bolsões culturais, estratos semióticos são descaradamente negados em nome da qualidade da Educação (cujo padrão foi forjado nas culturas ‘superiores’
  • 39.  Direitos Humanos vão além: os seres humanos são portadores de direitos inalienáveis, independente da delimitação geopolítica.
  • 40. MAIORIAS E MINORIAS Democracia: maioria escolhe seus governantes. Minorias: não podem ser oprimidas pela maioria, todos têm direitos. 40
  • 41. Mas... se todos são considerados iguais em suas necessidades, desrespeitamos as necessidades específicas dos grupos ou indivíduos. Ex: crianças, jovens, idosos, mulheres, homossexuais, índios, sem-teto, agricultores, aposentados, deficientes...
  • 42. DIFERENÇA O direito à diferença expressa-se nas diferenças individuais: crença, gênero, idade...  respeitar e dar espaço para estas diferenças se manifestarem é uma atitude democrática e desejável. Grau de desenvolvimento de uma democracia pode ser medido por este respeito. 42
  • 43. DESIGUALDADE • É social, criada nas relações de injustiças sociais. – Ex: ricos têm direito à educação e saúde de qualidade, pobres não; a sinalização nas ruas é pensada apenas para os “videntes”. 43
  • 45. EQUIDADE Portanto, todos são iguais em direitos. Ex: direito de ir e vir. Mas... tratar a todos, sem considerar suas necessidades específicas, gera a desigualdade. 45
  • 46. Segundo o IBGE, 45,6 milhões de brasileiros têm pelo menos uma deficiência.
  • 47. EQUIDADE Equidade: é a diferença dentro da igualdade.  sem eqüidade não existe democracia. 47
  • 48. DESIGUALDADE Boaventura Souza Santos, sociólogo português: "temos direito a reivindicar a igualdade sempre que a diferença nos inferioriza e temos direito de reivindicar a diferença sempre que a igualdade nos descaracteriza." 48
  • 49. Rui Barbosa disse uma vez: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”
  • 50. IPC (Índice de Percepção da Corrupção)  Dos 183 países e territórios avaliados a Suíça, A Dinamarca, a Finlândia, a Suécia e a Nova Zelândia tiveram excelentes notas que foram do 8.8 ao 9.5.  a nota foi calculada entre 0 – muito corrupto e 10 – completamente limpo.  O Brasil ficou em 73º lugar com a nota 3,8.
  • 51. "A grandeza de um ser humano não está no quanto ele sabe, mas no quanto ele tem consciência que não sabe. O destino não é frequentemente inevitável, mas uma questão de escolha. Quem faz escolha, escreve sua própria história, constrói seus próprios caminhos". Augusto Cury
  • 53.  Para Bakhtin (2010), responsividade é uma resposta responsável.  Na medida em que a resposta conduz à idéia de diálogo responsável entre o EU e o OUTRO, neste percurso espelhados tanto no cidadão quanto no governo.
  • 54. No caso brasileiro, a diversidade cultural resultado de um processo de colonização autoritário, revoluções abafadas, impedimento de nascimento de uma identidade nacional, acarretou um sem- número de cruzamentos de diferentes signos. Por esta razão, vítimas de diversas formas de espoliações e humilhações o povo brasileiro carrega uma fenda imensa quando se trata de discutir política.
  • 55. CONSIDERAÇÕES FINAIS  A consciência política precisa ser despertada ou ensinada de alguma forma, a participação da escola, dos representantes das comunidades e outros formadores de opinião desempenham um papel importante na construção da consciência de ser-estar no mundo em relação a si mesmo e ao meio em que vive, tendo tutelados seus direitos e garantias individuais.
  • 56.
  • 57. Imagina que não há céu, é fácil se tentares, Imagine there’s no heaven, it’s easy if you try,
  • 58. Sem inferno sob nós, sobre nós apenas céu, No hell below us, above us only sky,
  • 59. Imagina toda a gente que hoje vive... Imagine all the people living for today...
  • 60. Imagina que não há países, não é difícil de fazer, Imagine there’s no countries, It isn’t hard to do,
  • 61. Nada por que matar ou morrer, Nothing to kill or die for,
  • 62. e também sem religião, and no religion too,
  • 63. Imagina toda a gente vivendo a vida em paz... Imagine all the people living life in peace...
  • 64. Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único, You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one,
  • 65. Espero que um dia te juntes a nós,e o Mundo será como um só I hope some day you’ll join us, and the World will be as one
  • 66. Imagina que não há bens, não sei se és capaz, Imagine no posessions, I wonder if you can,
  • 67. Sem necessidade de ganância ou fome No need for greed or hunger
  • 68. Uma irmandade dos Homens A brotherhood of Man
  • 69. Imagina toda a gente partilhando o Mundo inteiro... Imagine all the people sharing all the World
  • 70. Dirás que sou um sonhador, mas não sou o único You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one
  • 71. Espero que um dia te juntes a nós, e o Mundo viverá como um só. I hope some day you’ll join us, and the World will live as one
  • 72. OBRIGADA! Facebook: Professora Luci Bonini Twitter: @lucibonini