Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista

5.541 visualizações

Publicada em

Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista

Publicada em: Educação
4 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
4
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista

  1. 1. Módulo 5 – Cultura do Palácio Arquitectura do Renascimento Carlos Jorge Canto Vie
  2. 2. Arquitectura Renascentista • Arquitectura Renascentista – Influências • Antiguidade Clássica (Grécia e Roma) – herda os princípios fundamentais de harmonia e equilíbrio. – Os arquitectos estudaram a arquitectura clássica: • através da observação de monumentos dessa época; • pelo estudo dos tratados de arquitectura clássica, revelando um grande interesse pelo coleccionismo e pela arqueologia; Prof. Carlos Vieira 2
  3. 3. Arquitectura Renascentista • Tipologia – Arquitectura religiosa; – Arquitectura civil: • Palácios; • Hospitais; • Villas. Prof. Carlos Vieira 3
  4. 4. Arquitectura Renascentista • Arquitectura religiosa: – séc. XV: • Utiliza a planta basilical em cruz latina. Prof. Carlos Vieira 4
  5. 5. Arquitectura Renascentista • Arquitectura religiosa: – Início séc. XVI: • Utiliza a planta centralizada (quadradas, circulares e em cruz grega); • em plantas intermédias onde a cabeceira da Igreja seguiu o modelo de planta centrada, no corpo principal, a nave central foi alongada e as naves laterais transformaram-se em pequenas capelas. Prof. Carlos Vieira 5
  6. 6. Arquitectura Renascentista • Arquitectura religiosa: – A partir do segundo quartel do séc. XVI: • devido orientações do Concílio de Trento, impôs-se progressivamente o tipo de igreja de uma única larga nave, coberta por uma enorme cúpula que, através da iluminação, criava a visão de espaço absoluto. Prof. Carlos Vieira 6
  7. 7. Arquitectura Renascentista • Paredes: – não serviam para sustentar as abóbadas; – Transformam-se apenas em elementos de apoio estreitos, usadas para colocar elementos decorativos como pinturas e estátuas. • Sistema de Cobertura: – Cúpulas; – Abóbadas de berço e de arestas. Prof. Carlos Vieira 7
  8. 8. Arquitectura Renascentista • A fachada e o portal das igrejas – continuam a ser entendidas como uma entrada triunfal para a casa do Senhor e por isso assemelhavam-se a arcos de triunfo. Prof. Carlos Vieira 8
  9. 9. Arquitectura Renascentista • Decoração – retirados da gramática clássica (colunas, arcos de volta perfeita, frontões triangulares e semicirculares, cúpulas e abóbadas de berço) sendo mais estruturantes do que decorativos; – No séc. XVI, a decoração tornou-se mais sóbria e contida, conferindo aos edifícios monumentalidade e grandeza; – A decoração interior consistia em pinturas murais, retábulos e ornamentação em estuque. Prof. Carlos Vieira 9
  10. 10. EXEMPLOS Prof. Carlos Vieira 10
  11. 11. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 11 Brunelleschi Cúpula de Santa Maria del Fiore 1420-1436 Florença
  12. 12. Prof. Carlos Vieira 12
  13. 13. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 13
  14. 14. Arquitectura Renascentista • Decoração – Pousada sobre pendentes ou sobre um tambor, permitia aberturas (óculos) para uma melhor iluminação do cruzeiro, em conjunto com a lanterna do topo. Era decorada interiormente com pinturas que provocavam ilusões ópticas no sentido da verticalidade, da ascensão aos céus. Prof. Carlos Vieira 14
  15. 15. Arquitectura Renascentista • Brunelleschi - Cúpula octogonal - 91 m de altura; - diâmetro de 45,5 m, em forma dupla, ou seja, duas cúpulas, uma interna e outra externa com 463 degraus no interior; - pesa aproximadamente 37000 toneladas; - É composta por mais de 4 milhões de tijolos; - Foi montada sem andaimes, a partir da estrutura do tambor até ao seu final, a 114,5m de altura, com os tijolos sendo intertravados sem nenhum tipo de apoio. - Os círculos que formam a cúpula foram subindo e fechando-se. Prof. Carlos Vieira 15
  16. 16. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 16
  17. 17. Prof. Carlos Vieira 17
  18. 18. Prof. Carlos Vieira 18 Leon Battista Alberti Templo Malatesta 1447-49
  19. 19. Prof. Carlos Vieira 19 Leon Battista Alberti Templo Malatesta 1447-49
  20. 20. Prof. Carlos Vieira 20
  21. 21. Prof. Carlos Vieira 21 Leon Batista Alberti Igreja de Santo André 1470, Mântua
  22. 22. Prof. Carlos Vieira 22 Leon Batista Alberti Igreja de Santo André 1470, Mântua
  23. 23. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 23 Leon Batista Alberti Igreja de Santo André 1470, Mântua
  24. 24. Prof. Carlos Vieira 24
  25. 25. Prof. Carlos Vieira 25 Brunelleschi Capela Pazzi, 1421 Florença
  26. 26. Arquitectura Renascentista Brunelleschi Capela Pazzi, 1421 Florença Prof. Carlos Vieira 26
  27. 27. Prof. Carlos Vieira 27
  28. 28. Arquitectura Renascentista • Capela estruturada segundo formas geométricas puras – Quadrados e círculos • É antecedida por um pórtico. Prof. Carlos Vieira 28
  29. 29. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 29
  30. 30. Leon Battista Alberti Igreja de Santa Maria Novella 1455-60 Prof. Carlos Vieira 30
  31. 31. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 31 Leon Battista Alberti Igreja de Santa Maria Novella Interior Gótico Florença, 1455-60
  32. 32. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 32 Brunelleschi Igreja do Espirito Santo Florença, 1455-60
  33. 33. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 33 Brunelleschi Igreja do Espirito Santo Florença, 1455-60
  34. 34. Prof. Carlos Vieira 34 Brunelleschi Basílica de S. Lourenço Florença, 1419-60
  35. 35. Prof. Carlos Vieira 35
  36. 36. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 36 Brunelleschi Basílica de S. Lourenço Interior e planta Florença, 1419-60
  37. 37. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 37 Brunelleschi Basílica de S. Lourenço Cúpula Florença, 1419-60
  38. 38. Bramante Tempietto de S. Pedro Roma, 1502 Prof. Carlos Vieira 38
  39. 39. Arquitectura Renascentista Templo de pequenas dimensões diâmetro interior: 5 m diâmetro total: 10 m. Altura máxima: 12,50 m. Prof. Carlos Vieira 39
  40. 40. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 40 Bramante Tempietto de S. Pedro Roma, 1502
  41. 41. Prof. Carlos Vieira 41 S. Pedro do Vaticano Roma
  42. 42. Prof. Carlos Vieira 42 Carlos Modena Fachada de S. Pedro do Vaticano 1640, Roma
  43. 43. Arquitectura Renascentista Planta de Bramante Planta de Carlo Modena Prof. Carlos Vieira 43
  44. 44. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 44 Miguel Ângelo Cúpula de S. Pedro do Vaticano 1546-1564 Roma
  45. 45. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 45
  46. 46. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 46
  47. 47. Prof. Carlos Vieira 47
  48. 48. EDIFÍCIOS PÚBLICOS Prof. Carlos Vieira 48
  49. 49. Arquitectura Renascentista • Instituições e edifícios públicos – foram edificadas segundo os mesmos princípios decorativos e de organização dos palácios; – exemplo hospitais e universidades. Prof. Carlos Vieira 49
  50. 50. Prof. Carlos Vieira 50 Brunelleschi Hospital dos Inocentes Florença, 1419-27
  51. 51. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 51 Brunelleschi Hospital dos Inocentes Florença, 1419-27
  52. 52. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 52 Brunelleschi Hospital dos Inocentes Florença, 1419-27
  53. 53. Prof. Carlos Vieira 53
  54. 54. VILLAE Prof. Carlos Vieira 54
  55. 55. Arquitectura Renascentista •As villae ou palácios rurais: – estruturas mais livres e inovadoras; – persistia a simetria; – o rigor geométrico; – a imitação das fachadas clássicas – ideal das plantas centradas. – os jardins eram organizados simetricamente à volta de fontes e repuxos. Prof. Carlos Vieira 55
  56. 56. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 56 Andrea Palladio Villa Rotonda ou Vila Capra Vicenza, séc. XVI
  57. 57. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 57
  58. 58. Prof. Carlos Vieira 58
  59. 59. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 59
  60. 60. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 60
  61. 61. URBANISMO Prof. Carlos Vieira 61
  62. 62. Arquitectura Renascentista • Leone Battista Alberti – De re aedificatoria – 1452: • dez volumes • traduzida em1565 para o italiano. • Baseou-se em manuscritos de Vitrúvio; • Propõs uma estética de harmonia e proporção, que tivesse como ponto de partida as contribuições e técnicas já dominadas pelos gregos e romanos. Prof. Carlos Vieira 62
  63. 63. Arquitectura Renascentista • Urbanismo – A nova ordem do desenho renascentista ampliou, em alguns centros urbanos a beleza da cidade medieval. – As principais marcas do desenho da cidade no Renascimento são: • ruas rectas; • ininterrupta linha horizontal dos tectos; • utilização do arco volta perfeita; • repetição de elementos uniformes (cornija, janelas, colunas, fachadas). Prof. Carlos Vieira 63
  64. 64. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 64 Piero della Francesca Citta ideal 1470. Óleo sobre Madeira. 60 x 200 cm. Galería Nacional de las Marcas. Urbino, Itália.
  65. 65. Prof. Carlos Vieira 65 Piero della Francesca Citta ideal 1470. Óleo sobre Madeira. 60 x 200 cm. Galería Nacional de las Marcas. Urbino, Itália.
  66. 66. Prof. Carlos Vieira 66 Miguel Ângelo Campidoglio 1536-1546, Roma
  67. 67. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 67 Miguel Ângelo Campidoglio 1536-1546, Roma
  68. 68. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 68 Miguel Ângelo Campidoglio 1536-1546, Roma
  69. 69. Arquitectura Renascentista • 3 Palácios: – Palácio dos Conservadores (Giacomo della Porta) - 1564 a 1568); – Museus Capitolinos: Palazzo Nuovo e do Palazzo dei Conservatori Prof. Carlos Vieira 69
  70. 70. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 70
  71. 71. Arquitectura Renascentista Prof. Carlos Vieira 71 Ludovico il Moro Praça Ducale 1492-1493, Vigevano
  72. 72. Prof. Carlos Vieira 72

×