Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica

2.849 visualizações

Publicada em

Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica

Publicada em: Educação

Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica

  1. 1. Módulo 5 – Cultura da Catedral Arquitectura Gótica Carlos Jorge Canto Vieira
  2. 2. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Gótico primitivo – Definição de Princípios – Reconstrução da Abadia de Saint-Denis. • Gótico pleno – Aperfeiçoar das inovadoras técnicas de construção – Tempo das grandes catedrais. • Gótico tardio – A expressão artística torna-se menos ambiciosa – Crise económica e da Peste negra – Surgimento das ordens mendicantes. 2Prof. Carlos Vieira
  3. 3. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Fonte Representação simbólica dos valores sistematizados por S. Tomás de Aquino Harmonização da ordem racional com misticismo cristão e a metafísica da Luz Inspirada em “Saint Denis” 3Prof. Carlos Vieira
  4. 4. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • “O mundo supremo irradia a sua luz no mundo terreno, e, em coisas sensatas, é como um rastro de coisas puramente espirituais” (tradução livre) • S. Dionísio, o Areopagita 4Prof. Carlos Vieira
  5. 5. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Saint-Chapelle (1245/1248) 5Prof. Carlos Vieira
  6. 6. Prof. Carlos Vieira 6
  7. 7. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Simbologia – Fachada • Duas torres elevadas evocam a ascensão aos céus; – Planta • Caminho para a abside e para o altar (culto) – Cruzeiro com abobada, zimbório, … • Projecção no espaço sagrado da luz mística e sublime – Acentuação da verticalidade • Os restantes elementos acentuam a ascensão superior 7Prof. Carlos Vieira
  8. 8. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • St Denis 8Prof. Carlos Vieira
  9. 9. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Notre Dame 9Prof. Carlos Vieira
  10. 10. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Planta – Planta basilical em cruz latina com 3/5 nave – Transepto (dividido em 3/5 naves); • quase tão largo como o corpo principal • pouco ou nada saliente – A cabeceira tornou-se mais complexa • ocupa um terço da área da igreja. – O deambulatório prolonga-se até ao transepto; – O coro • maiores dimensões, colocando-se entre o altar–mor e o deambulatório; 10Prof. Carlos Vieira
  11. 11. Alta Gótica – O tempo das Catedrais – Pilares das arcadas interiores aumentam em numero • São colocados mais próximos uns dos outros; – tramos rectangulares e não quadrados; – ficam mais finos e altos; – em conjunto com a maior altura dos tectos, criava a noção de verticalidade. – As paredes laterais têm uma nova ordenação: • Apenas 3 níveis (desaparece a galeria). 11Prof. Carlos Vieira
  12. 12. Alta Gótica – O tempo das Catedrais – As janelas • mais alongadas • ocupavam quase toda a largura das paredes – As rosáceas das fachadas tornaram-se imponentes. – Revestidas por coloridos vitrais, permitiram uma melhor iluminação da igreja, cuja atmosfera convidava à comunhão mística com Deus – Luz 12Prof. Carlos Vieira
  13. 13. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Exterior – As entradas tornaram-se monumentais em todas as fachadas. • Na fachada oeste, o portal passou a ser triplo, traduzindo, no exterior, a estrutura interior. 13Prof. Carlos Vieira
  14. 14. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Novidade – Arco quebrado – Abóbada de cruzaria – Arcobotante 14Prof. Carlos Vieira
  15. 15. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 15Prof. Carlos Vieira
  16. 16. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Abóbada de cruzaria e arco quebrado 16Prof. Carlos Vieira
  17. 17. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 17Prof. Carlos Vieira
  18. 18. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Arcobotante 18Prof. Carlos Vieira
  19. 19. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 19Prof. Carlos Vieira
  20. 20. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Rosácea “O círculo - entre todas as figuras - e o movimento circular - entre todos os movimentos – são soberanamente perfeitos porque neles se verifica o retorno aos princípios” (St. Tomas – Suma Contra Gentis, II, 46-1). 20Prof. Carlos Vieira
  21. 21. ST DENIS E NOTRE DAME Prof. Carlos Vieira 21
  22. 22. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Abadia de Saint-Denis – Sistema Estrutural • Abóbadas ogivais; • arcobotantes; • pilares e contrafortes – Concepção Abade Suger – Estreita relação entre a monarquia francesa e a abadia de Saint-Denis – Saint-Denis: duplo significado: • santuário do apóstolo da França (protector do reino) • principal monumento da dinastia carolíngia 22Prof. Carlos Vieira
  23. 23. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 23Prof. Carlos Vieira
  24. 24. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Planta: – Igreja de peregrinação com 3 naves – Capela-mor absidal – Deambulatório – Capelas radiantes – As capelas da charola deixaram de ser independentes e tornaram-se num segundo deambulatório -> espaço contínuo – Cobertura em abóbada de nervuras quebradas (cruzaria de ogivas) 24Prof. Carlos Vieira
  25. 25. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Interior – Formas graciosas, quase sem peso – Janelas ampliadas -> ocupam quase toda a parede – Implica abundância de luz – Tudo suportado por contrafortes no exterior 25Prof. Carlos Vieira
  26. 26. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Catedral de Notre Dame (1163) – Sistema Estrutural • Abóbadas ogivais; • Arcobotantes; • pilares e contrafortes – Época da construção Séculos XII e XIII – Projecto de Maurice de Sully. 26Prof. Carlos Vieira
  27. 27. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Planta – Planta de eixo longitudinal bem acentuado – 5 naves – Dupla charola da cabeceira prolonga-se pelas naves laterais – Transepto muito curto; não ultrapassa largura da fachada 27Prof. Carlos Vieira
  28. 28. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 28Prof. Carlos Vieira
  29. 29. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Exterior – Botareus e contraforte visíveis – Por cima das naves laterais os contrafortes prolongam-se por arcobotantes até à zona do clerestório 29Prof. Carlos Vieira
  30. 30. 30Prof. Carlos Vieira
  31. 31. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 31Prof. Carlos Vieira
  32. 32. Alta Gótica – O tempo das Catedrais 32Prof. Carlos Vieira
  33. 33. Alta Gótica – O tempo das Catedrais • Fachada ocidental -> mais importante – Mantém o esquema da frontaria de St-Denis – Existência de contrafortes que reforçam os cunhais das torres e dividem a fachada em três zonas ; – A colocação dos portais e a divisão do alçado em três andares 33Prof. Carlos Vieira
  34. 34. OUTROS EXEMPLOS Prof. Carlos Vieira 34
  35. 35. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 35 Catedrais Góticas
  36. 36. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 36
  37. 37. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 37
  38. 38. Prof. Carlos Vieira 38
  39. 39. Prof. Carlos Vieira 39
  40. 40. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 40 Catedrais Góticas
  41. 41. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 41
  42. 42. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 42
  43. 43. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 43
  44. 44. Prof. Carlos Vieira 44
  45. 45. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 45 Catedrais Góticas
  46. 46. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 46
  47. 47. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 47
  48. 48. Prof. Carlos Vieira 48
  49. 49. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 49 Catedrais Góticas
  50. 50. Prof. Carlos Vieira 50
  51. 51. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 51
  52. 52. Prof. Carlos Vieira 52
  53. 53. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 53 Catedrais Góticas
  54. 54. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 54
  55. 55. Prof. Carlos Vieira 55
  56. 56. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 56 Catedrais Góticas
  57. 57. Prof. Carlos Vieira 57
  58. 58. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 58
  59. 59. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 59
  60. 60. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 60 Catedrais Góticas
  61. 61. Prof. Carlos Vieira 61
  62. 62. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 62
  63. 63. Prof. Carlos Vieira 63
  64. 64. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 64
  65. 65. Cultura da Catedral Prof. Carlos Vieira 65 Catedrais Góticas
  66. 66. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 66
  67. 67. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 67
  68. 68. Alta Gótica – O tempo das Catedrais Prof. Carlos Vieira 68
  69. 69. Prof. Carlos Vieira 69

×