SlideShare uma empresa Scribd logo
Escultura renascentista

http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
Estátuas da época clássica (Roma e Grécia)

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

2
Túlio Lombardo, Adão, c. 1490, Veneza, Mármore, 1,90 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

3
Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

4
Escultura Renascentista. Entre o Gótico e o retorno ao
Antigo

A escultura renascentista foi fruto do:
Desenvolvimento e aperfeiçoamento da escultura gótica;
Contacto dos artistas com a escultura clássica.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

5
Nasceu em Florença, no século XV:
Lorenzo Ghiberti (1378-14559;
Donato Donatello (1386-1466);
Luca della Robia (1400-1482);
Jacopo della Quercia (1346-1458)
Andrea Verrocchio (1436-1488);
Antonio Pollaiuolo (1431-1498).
Atinge o apogeu no século XVI, com Miguel Ângelo
Buonnaroti (1475-1564)

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

6
A influência clássica, é mais visível na
escultura do que na arquitetura e sobretudo
na pintura;
No século XV, a escultura é a mais
prestigiada das artes;
Aprendizagem rápida dos modelos
clássicos;
O Homem é “a medida de todas as coisas”;
A escultura copia a natureza em todas as
suas proporções.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

7
Donatello, busto de Nicola de Uzano, terracota;
Mino de Fiesole, busto de João de Médicis, mármore;
Benedetto de Maiano, busto de Pietro Mellini, mármore

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

8
Representação do Homem com fidelidade:
Aspetos físicos e anatómicos;
Expressão.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

9
Reaparece o nu;
Retrato (corpo inteiro ou busto);
Estátuas equestres.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

10
Nanni di Banco,1414, relevo, mármore, interior da Igreja de Or
San Michele, Florença

Relevo aplicado a superfícies arquitetónicas continua a ser
utilizado;
Maior realismo e verismo.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

11
Donatello, David, c. 1430, bronze, 1,58 m.

Os modelos são muitas vezes
contemporâneos;
Aparecem pormenores da
atualidade (armas, joias,
vestuários, etc.)

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

12
Pollaiuolo, Hércules e Anteu, bronze

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

13
Donatello, S. João Baptista, mármore, 2 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

14
Representações da Antiguidade Clássica (Roma e Grécia),
fascínio pela História;
O modelo clássico é utilizado até para representar figuras
bíblicas;
Esculturas de pequeno formato (colecionadores privados).

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

15
Andrea Verrocchio, B. Colleoni, bronze, 1479/88

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

16
Autonomia da escultura em relação à arquitetura;
Predomínio da escultura de vulto redondo;
Escultura como monumento individual;
Expostas no meio de praças, jardins ou edifícios;
A escultura torna-se independente.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

17
Estas características resultam da mudança de gosto, e de
sentido estético;
Fruto de uma mentalidade mais racional e objetiva, virada
para o quotidiano.

Verrocchio, David

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

18
Maior liberdade criadora para o artista;
O artista concebe e executa a obra, à qual pretende dar
um cunho individual (originalidade);
O autor passa a ser reconhecido;
Há uma grande produção escultórica no século XV.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

19
Século XV,
Quattrocento,
Primeiro Renascimento

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

20/58
Florença, Piazza Duomo

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

21
Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

22
Lorenzo Ghiberti, Porta do
Paraíso,
1425-1452,
Bronze,
Porta leste do batistério
de Florença,

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

23
Ghiberti, Portas do Paraíso (pormenores)

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

24
Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

25
Lorenzo Ghiberti, escultor de transição entre o Gótico e o
Renascimento;
Obra mais importante são os relevos;
Influências clássicas;
As figuras são representadas num cenário, com
tridimensionalidade e perspetiva;
Realismo anatómico.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

26
Donato Donatello
Donatello, David,
1430/40, bronze, 1,58 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

27
Donatello, Profeta, 1427/36,
mármore, 1,95 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

28
Donatello, condotieri Gattamelata, 1444/53, bronze, 3,40 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

29
Donato Donatello: aprendiz de Ghiberti,
Primeiro escultor renascentista;
Autor do primeiro nu, desde o fim do Império Romano;
Primeira estátua equestre;
Grande capacidade técnica e expressiva.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

30
Donatello, O milagre do
coração do avarento, Basílica
de Santo Ambrósio, Pádua

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

31
Donatello, O festim
de Herodes, S. João,
Siena

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

32
Donatello inventou uma técnica no relevo:
O esbatido (schiacciato);
Permitia aumentar o número de planos possíveis e
Ajuda a criar uma sensação de maior profundidade.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

33
Verrocchio, David, 1465/75,
bronze, 1,26 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

34
Verrocchio, B. Colleoni, bronze, 1479/88

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

35
Andrea Verrocchio:
Trabalhou sobretudo em Veneza:
Grande capacidade técnica .

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

36
Jacopo della Quercia, Expulsão do Paraíso, mármore,
1408/20, Siena

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

37
Jacopo della Quercia:
Mestre do relevo;
Expressividade;
Composição simples.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

38
Luca della Robia, Cantoria da Catedral de Florença, mármore
A Virgem e o Menino, mármore, 1455, 0,79 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

39
Especializou-se na escultura do barro policromado;
Estes trabalhos iniciaram uma moda e contribuíram para
desenvolver o consumo privado de arte.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

40
Antonio Pollaiuollo, desenho projetual para a estátua de
Francesco Sforza, 1480/85
Hércules e Anteu, bronze

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

41
Pollaiuolo:
As obras anunciam o Maneirismo, pela sua expressividade
e dinamismo.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

42
O século XVI foi menos rico em escultura;
Miguel Ângelo Buonnaroti foi um dos maiores escultores de
todos os tempos;

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

43
Foi escultor, pintor, arquiteto e poeta;
Considerava-se um escultor;
Não fazia desenhos de projeto,
Segundo ele as formas já estavam na pedra competia-lhe
extrair essas formas.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

44
M. Ângelo, David, 1501/03, mármore, 2,50 m

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

45
Miguel Ângelo, Tondo
Pitti, mármore, 1503/04,
85x82 cm

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

46
Miguel Ângelo, Tondo Pitti,
mármore (pormenor) 1503/04

Inventou uma técnica (non
finito), inacabado, deixando
visíveis as marcas do cinzel

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

47
M. Ângelo, Escravo que desperta,
mármore, 1533

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

48
Pietà do Vaticano (1498/1501; Pietà de Florença
(1535/50); Pietà Rondanini (1552/64)

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

49
A sua obra evoluiu:
Abandonou a representação clássica (realismo racional);
Passou a expressar-se de uma maneira mais emotiva
(expressividade) e mais dinâmica;
Prenunciava o Maneirismo e o Barroco e movimento da
arte do futuro.

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

50
Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

51
M. Ângelo, Túmulo de Lourenço de Médicis, Florença,
1524/34
Túmulo de Júlio II, Vaticano

Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

52
M. Ângelo, Combate dos Centauros, mármore,
1490/92, Florença

Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, História da
Cultura e das Artes,, Ana Lídia Pinto e outros, Porto Editora, 2011
Curso de Turismo, HCA, Módulo 5

53

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
Ana Barreiros
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
Ana Barreiros
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura Renascentista
DeaaSouza
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
Ana Barreiros
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
Carlos Vieira
 
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquitetura
Carlos Vieira
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
cindy1977
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
Ana Barreiros
 
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentistaCultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Carlos Vieira
 
A Escultura Renascentista
A Escultura RenascentistaA Escultura Renascentista
A Escultura Renascentista
Susana Simões
 
03 escultura barroca
03 escultura barroca03 escultura barroca
03 escultura barroca
Vítor Santos
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
Hca Faro
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
Ana Barreiros
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
Ana Barreiros
 
Módulo 4 - Pintura Gótica
Módulo 4 - Pintura GóticaMódulo 4 - Pintura Gótica
Módulo 4 - Pintura Gótica
Carla Freitas
 
Neoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugalNeoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugal
Ana Barreiros
 
A Cultura do Salão
A Cultura do SalãoA Cultura do Salão
A Cultura do Salão
Tânia Domingos
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
Ana Barreiros
 
Manuelino em portugal
Manuelino em portugalManuelino em portugal
Manuelino em portugal
Ana Luisa
 
01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio
Vítor Santos
 

Mais procurados (20)

Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura Renascentista
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
 
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquitetura
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Escultura barroca
Escultura barrocaEscultura barroca
Escultura barroca
 
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentistaCultura do Palácio - Arquitectura renascentista
Cultura do Palácio - Arquitectura renascentista
 
A Escultura Renascentista
A Escultura RenascentistaA Escultura Renascentista
A Escultura Renascentista
 
03 escultura barroca
03 escultura barroca03 escultura barroca
03 escultura barroca
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 
Módulo 4 - Pintura Gótica
Módulo 4 - Pintura GóticaMódulo 4 - Pintura Gótica
Módulo 4 - Pintura Gótica
 
Neoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugalNeoclassicismo em portugal
Neoclassicismo em portugal
 
A Cultura do Salão
A Cultura do SalãoA Cultura do Salão
A Cultura do Salão
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Manuelino em portugal
Manuelino em portugalManuelino em portugal
Manuelino em portugal
 
01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio01 a cultura do palácio
01 a cultura do palácio
 

Destaque

Pintura renascentista
Pintura renascentistaPintura renascentista
Pintura renascentista
Karyn XP
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
Ana Barreiros
 
Arte e arquitectura renascentista
Arte e arquitectura renascentistaArte e arquitectura renascentista
Arte e arquitectura renascentista
Sofia Pais
 
Arte Renascentista
Arte RenascentistaArte Renascentista
Arte Renascentista
Maria Gomes
 
A Arte Maneirista
A Arte ManeiristaA Arte Maneirista
A Arte Maneirista
Beatriz Mariano
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Natália Cabral
 
A anunciação
A anunciaçãoA anunciação
A anunciação
cattonia
 
A Arte Renascentista
A  Arte RenascentistaA  Arte Renascentista
A Arte Renascentista
Hist8
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
cattonia
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
João Lima
 
Escultura renacentista italiana
Escultura renacentista italianaEscultura renacentista italiana
Escultura renacentista italiana
Alida Espert
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Os sforza
Os sforzaOs sforza
Os sforza
berenvaz
 
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 BO Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
ricardocostacruz
 
Pieta Miguelangelo
Pieta MiguelangeloPieta Miguelangelo
Pieta Miguelangelo
preciosidade
 
Renascimento Arquitectura
Renascimento ArquitecturaRenascimento Arquitectura
Renascimento Arquitectura
Sílvia Mendonça
 
InquisiçãO
InquisiçãOInquisiçãO
InquisiçãO
Sandra Alves
 
Escultura do neoclássico
Escultura do neoclássicoEscultura do neoclássico
Escultura do neoclássico
Carlos Vieira
 
Arquitetura no Renascimento
Arquitetura no RenascimentoArquitetura no Renascimento
Arquitetura no Renascimento
João Coutinho
 
02 pintura renascentista
02 pintura renascentista02 pintura renascentista
02 pintura renascentista
Vítor Santos
 

Destaque (20)

Pintura renascentista
Pintura renascentistaPintura renascentista
Pintura renascentista
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
 
Arte e arquitectura renascentista
Arte e arquitectura renascentistaArte e arquitectura renascentista
Arte e arquitectura renascentista
 
Arte Renascentista
Arte RenascentistaArte Renascentista
Arte Renascentista
 
A Arte Maneirista
A Arte ManeiristaA Arte Maneirista
A Arte Maneirista
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
A anunciação
A anunciaçãoA anunciação
A anunciação
 
A Arte Renascentista
A  Arte RenascentistaA  Arte Renascentista
A Arte Renascentista
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Escultura renacentista italiana
Escultura renacentista italianaEscultura renacentista italiana
Escultura renacentista italiana
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Os sforza
Os sforzaOs sforza
Os sforza
 
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 BO Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
O Busto Da RepúBlica Daniela Pinto Tatiana LourençO 6 B
 
Pieta Miguelangelo
Pieta MiguelangeloPieta Miguelangelo
Pieta Miguelangelo
 
Renascimento Arquitectura
Renascimento ArquitecturaRenascimento Arquitectura
Renascimento Arquitectura
 
InquisiçãO
InquisiçãOInquisiçãO
InquisiçãO
 
Escultura do neoclássico
Escultura do neoclássicoEscultura do neoclássico
Escultura do neoclássico
 
Arquitetura no Renascimento
Arquitetura no RenascimentoArquitetura no Renascimento
Arquitetura no Renascimento
 
02 pintura renascentista
02 pintura renascentista02 pintura renascentista
02 pintura renascentista
 

Semelhante a 04 escultura renascentista

05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
Vítor Santos
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica
Vítor Santos
 
05 maneirismo
05 maneirismo05 maneirismo
05 maneirismo
Vítor Santos
 
arte
artearte
Renascença
RenascençaRenascença
Renascença
Sandro Bottene
 
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
A arte renascentista   power-point de história. iva leão.A arte renascentista   power-point de história. iva leão.
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
Iva Leão
 
03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista
Vítor Santos
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
Isidro Santos
 
A arte gótica
A arte góticaA arte gótica
A arte gótica
ma.no.el.ne.ves
 
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdfHISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
jarbas5
 
02 arte rococó
02 arte rococó02 arte rococó
02 arte rococó
vitormbsantos
 
arte renascentista - Historia 8º ano 2024
arte renascentista - Historia  8º ano  2024arte renascentista - Historia  8º ano  2024
arte renascentista - Historia 8º ano 2024
Cludia899915
 
3 renascimento e arte grega
3 renascimento e arte grega3 renascimento e arte grega
3 renascimento e arte grega
Clarice Dall Acqua
 
A Arte renascentista
A Arte renascentista A Arte renascentista
A Arte renascentista
Miryan Carneiro
 
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumoHistoria da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Andrea Dressler
 
Renascençapp2012
Renascençapp2012Renascençapp2012
Renascençapp2012
Matheus Leandro
 
Renascimento: A arte e a ciência
Renascimento: A arte e a ciênciaRenascimento: A arte e a ciência
Renascimento: A arte e a ciência
João Lima
 
Hca
HcaHca
Renascimento intelectual
Renascimento intelectualRenascimento intelectual
Renascimento intelectual
Ócio do Ofício
 
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
Rafaelaguimaraes
 

Semelhante a 04 escultura renascentista (20)

05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica
 
05 maneirismo
05 maneirismo05 maneirismo
05 maneirismo
 
arte
artearte
arte
 
Renascença
RenascençaRenascença
Renascença
 
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
A arte renascentista   power-point de história. iva leão.A arte renascentista   power-point de história. iva leão.
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
 
03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
 
A arte gótica
A arte góticaA arte gótica
A arte gótica
 
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdfHISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO ENEM 1.pdf
 
02 arte rococó
02 arte rococó02 arte rococó
02 arte rococó
 
arte renascentista - Historia 8º ano 2024
arte renascentista - Historia  8º ano  2024arte renascentista - Historia  8º ano  2024
arte renascentista - Historia 8º ano 2024
 
3 renascimento e arte grega
3 renascimento e arte grega3 renascimento e arte grega
3 renascimento e arte grega
 
A Arte renascentista
A Arte renascentista A Arte renascentista
A Arte renascentista
 
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumoHistoria da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumo
 
Renascençapp2012
Renascençapp2012Renascençapp2012
Renascençapp2012
 
Renascimento: A arte e a ciência
Renascimento: A arte e a ciênciaRenascimento: A arte e a ciência
Renascimento: A arte e a ciência
 
Hca
HcaHca
Hca
 
Renascimento intelectual
Renascimento intelectualRenascimento intelectual
Renascimento intelectual
 
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
Arterenascentista2 110226062956-phpapp01
 

Mais de Vítor Santos

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
Vítor Santos
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
Vítor Santos
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
Vítor Santos
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
Vítor Santos
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
Vítor Santos
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
Vítor Santos
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
Vítor Santos
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
Vítor Santos
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
Vítor Santos
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
Vítor Santos
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf
Vítor Santos
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
Vítor Santos
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
Vítor Santos
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
Vítor Santos
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
Vítor Santos
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
Vítor Santos
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
Vítor Santos
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf
Vítor Santos
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
Vítor Santos
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
Vítor Santos
 

Mais de Vítor Santos (20)

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
 

Último

planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 

Último (20)

planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 

04 escultura renascentista

  • 2. Estátuas da época clássica (Roma e Grécia) Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 2
  • 3. Túlio Lombardo, Adão, c. 1490, Veneza, Mármore, 1,90 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 3
  • 4. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 4
  • 5. Escultura Renascentista. Entre o Gótico e o retorno ao Antigo A escultura renascentista foi fruto do: Desenvolvimento e aperfeiçoamento da escultura gótica; Contacto dos artistas com a escultura clássica. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 5
  • 6. Nasceu em Florença, no século XV: Lorenzo Ghiberti (1378-14559; Donato Donatello (1386-1466); Luca della Robia (1400-1482); Jacopo della Quercia (1346-1458) Andrea Verrocchio (1436-1488); Antonio Pollaiuolo (1431-1498). Atinge o apogeu no século XVI, com Miguel Ângelo Buonnaroti (1475-1564) Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 6
  • 7. A influência clássica, é mais visível na escultura do que na arquitetura e sobretudo na pintura; No século XV, a escultura é a mais prestigiada das artes; Aprendizagem rápida dos modelos clássicos; O Homem é “a medida de todas as coisas”; A escultura copia a natureza em todas as suas proporções. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 7
  • 8. Donatello, busto de Nicola de Uzano, terracota; Mino de Fiesole, busto de João de Médicis, mármore; Benedetto de Maiano, busto de Pietro Mellini, mármore Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 8
  • 9. Representação do Homem com fidelidade: Aspetos físicos e anatómicos; Expressão. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 9
  • 10. Reaparece o nu; Retrato (corpo inteiro ou busto); Estátuas equestres. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 10
  • 11. Nanni di Banco,1414, relevo, mármore, interior da Igreja de Or San Michele, Florença Relevo aplicado a superfícies arquitetónicas continua a ser utilizado; Maior realismo e verismo. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 11
  • 12. Donatello, David, c. 1430, bronze, 1,58 m. Os modelos são muitas vezes contemporâneos; Aparecem pormenores da atualidade (armas, joias, vestuários, etc.) Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 12
  • 13. Pollaiuolo, Hércules e Anteu, bronze Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 13
  • 14. Donatello, S. João Baptista, mármore, 2 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 14
  • 15. Representações da Antiguidade Clássica (Roma e Grécia), fascínio pela História; O modelo clássico é utilizado até para representar figuras bíblicas; Esculturas de pequeno formato (colecionadores privados). Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 15
  • 16. Andrea Verrocchio, B. Colleoni, bronze, 1479/88 Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 16
  • 17. Autonomia da escultura em relação à arquitetura; Predomínio da escultura de vulto redondo; Escultura como monumento individual; Expostas no meio de praças, jardins ou edifícios; A escultura torna-se independente. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 17
  • 18. Estas características resultam da mudança de gosto, e de sentido estético; Fruto de uma mentalidade mais racional e objetiva, virada para o quotidiano. Verrocchio, David Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 18
  • 19. Maior liberdade criadora para o artista; O artista concebe e executa a obra, à qual pretende dar um cunho individual (originalidade); O autor passa a ser reconhecido; Há uma grande produção escultórica no século XV. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 19
  • 20. Século XV, Quattrocento, Primeiro Renascimento Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 20/58
  • 21. Florença, Piazza Duomo Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 21
  • 22. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 22
  • 23. Lorenzo Ghiberti, Porta do Paraíso, 1425-1452, Bronze, Porta leste do batistério de Florença, Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 23
  • 24. Ghiberti, Portas do Paraíso (pormenores) Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 24
  • 25. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 25
  • 26. Lorenzo Ghiberti, escultor de transição entre o Gótico e o Renascimento; Obra mais importante são os relevos; Influências clássicas; As figuras são representadas num cenário, com tridimensionalidade e perspetiva; Realismo anatómico. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 26
  • 27. Donato Donatello Donatello, David, 1430/40, bronze, 1,58 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 27
  • 28. Donatello, Profeta, 1427/36, mármore, 1,95 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 28
  • 29. Donatello, condotieri Gattamelata, 1444/53, bronze, 3,40 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 29
  • 30. Donato Donatello: aprendiz de Ghiberti, Primeiro escultor renascentista; Autor do primeiro nu, desde o fim do Império Romano; Primeira estátua equestre; Grande capacidade técnica e expressiva. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 30
  • 31. Donatello, O milagre do coração do avarento, Basílica de Santo Ambrósio, Pádua Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 31
  • 32. Donatello, O festim de Herodes, S. João, Siena Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 32
  • 33. Donatello inventou uma técnica no relevo: O esbatido (schiacciato); Permitia aumentar o número de planos possíveis e Ajuda a criar uma sensação de maior profundidade. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 33
  • 34. Verrocchio, David, 1465/75, bronze, 1,26 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 34
  • 35. Verrocchio, B. Colleoni, bronze, 1479/88 Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 35
  • 36. Andrea Verrocchio: Trabalhou sobretudo em Veneza: Grande capacidade técnica . Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 36
  • 37. Jacopo della Quercia, Expulsão do Paraíso, mármore, 1408/20, Siena Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 37
  • 38. Jacopo della Quercia: Mestre do relevo; Expressividade; Composição simples. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 38
  • 39. Luca della Robia, Cantoria da Catedral de Florença, mármore A Virgem e o Menino, mármore, 1455, 0,79 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 39
  • 40. Especializou-se na escultura do barro policromado; Estes trabalhos iniciaram uma moda e contribuíram para desenvolver o consumo privado de arte. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 40
  • 41. Antonio Pollaiuollo, desenho projetual para a estátua de Francesco Sforza, 1480/85 Hércules e Anteu, bronze Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 41
  • 42. Pollaiuolo: As obras anunciam o Maneirismo, pela sua expressividade e dinamismo. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 42
  • 43. O século XVI foi menos rico em escultura; Miguel Ângelo Buonnaroti foi um dos maiores escultores de todos os tempos; Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 43
  • 44. Foi escultor, pintor, arquiteto e poeta; Considerava-se um escultor; Não fazia desenhos de projeto, Segundo ele as formas já estavam na pedra competia-lhe extrair essas formas. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 44
  • 45. M. Ângelo, David, 1501/03, mármore, 2,50 m Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 45
  • 46. Miguel Ângelo, Tondo Pitti, mármore, 1503/04, 85x82 cm Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 46
  • 47. Miguel Ângelo, Tondo Pitti, mármore (pormenor) 1503/04 Inventou uma técnica (non finito), inacabado, deixando visíveis as marcas do cinzel Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 47
  • 48. M. Ângelo, Escravo que desperta, mármore, 1533 Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 48
  • 49. Pietà do Vaticano (1498/1501; Pietà de Florença (1535/50); Pietà Rondanini (1552/64) Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 49
  • 50. A sua obra evoluiu: Abandonou a representação clássica (realismo racional); Passou a expressar-se de uma maneira mais emotiva (expressividade) e mais dinâmica; Prenunciava o Maneirismo e o Barroco e movimento da arte do futuro. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 50
  • 51. Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 51
  • 52. M. Ângelo, Túmulo de Lourenço de Médicis, Florença, 1524/34 Túmulo de Júlio II, Vaticano Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 52
  • 53. M. Ângelo, Combate dos Centauros, mármore, 1490/92, Florença Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, História da Cultura e das Artes,, Ana Lídia Pinto e outros, Porto Editora, 2011 Curso de Turismo, HCA, Módulo 5 53