Arquitetura renascentista

88.582 visualizações

Publicada em

4 comentários
130 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
88.582
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.762
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
4
Gostaram
130
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquitetura renascentista

  1. 1. A ARQUITETURA RENASCENTISTA
  2. 2. Heranças do período clássico• Na leitura de • Os arquitectos procuram tratados antigos, novos motivos como os cadernos decorativos de Arquitectura do romano Vitrúvio • Buscam proporções ideais, formas• Na observação equilibradas e simétricas das ruínas e monumentos do • Recebem inspiração para fórum romano novas composições- Arquitetura momumental- Arquitetura subordinada ao princípio “o homem é amedida de todas as coisas”
  3. 3. ARQUITECTURASéc.XV Séc.XV e XVI – Fllipo Brunelleschi – Periodo da Alta – Uma arquitectura que se renascença pretende classicista, mas – Donnato Bramante que não tem ainda o – Leon Battista Alberti suporte teórico Séc.XVI – Maneirismo •Miguel Angelo • Andreia Palladio • Giullio Romano
  4. 4. Catedral de Santa Maria das Flores - primeira grande obra doRenascimento arquitectónico - levanta-se sobre um tambor octogonal e é de elegantes proporções. - a cúpula exterior é pontiaguda, o que permite ganhar altura e resistir às forças laterais.
  5. 5. Catedral de Santa Maria das Flores Casco interior Casco exterior- reaparecimento da cúpula,esquecida durante o Gótico- os óculos e a lanterna no topopermitiam a iluminação docruzeiro óculo
  6. 6. Catedral de Santa Maria das Flores- decoração do interior dacúpula, criando ilusão deóptica no sentido daverticalidade, deascensão aos céus
  7. 7. Filippo BrunelleschiBrunelleschi - Arquiteto e escultor italiano. - Estudou na sua juventude os monumentos clássicos de Roma. - Construtor de: - cúpula da Catedral de Florença. -Sacristia de San Lorenzo (capela funerária dos Médicis) - reconstrução da Igreja do Santo Espírito -Capela dos Pazzi
  8. 8. Filippo Brunelleschi Sacristia de San Lorenzo (capela dos Médicis)Santa Maria dei Fiore
  9. 9. Filippo BrunelleschiIgreja de Santo Espirito, Florença
  10. 10. Filippo BrunelleschiPerspectiva espacial.As diferentes linhas convergem para um ponto único
  11. 11. Filippo Brunelleschi Ponto de fuga Preocupação pelo equilíbrio geométrico + Rigorosa simetria na distribuição dos volumes Procura de uma ordem matemáticaIgreja de Santo Espirito, Florença
  12. 12. Filippo Brunelleschi Capela Pazzi
  13. 13. Filippo BrunelleschiOrdem e simetria
  14. 14. Filippo Brunelleschi -Capela estruturada segundo formas geométricas puras: quadrados e círculos - pórtico -Cúpula sobre pendentes
  15. 15. Leon Battista Alberti Restauro da Igreja de Santa Maria Novella
  16. 16. Leon Battista Alberti Frontão VolutasArco de volta perfeitaPilastras Arcos decorativos Restauro da Igreja de Santa Maria Novella
  17. 17. Leon Battista Alberti-Traçados geométricosrigorosos- volutas como formade disfarçar averticalidade gótica dafachada da igrejaprimitiva Restauro da Igreja de Santa Maria Novella
  18. 18. Leon Battista Alberti- Planta de igreja-salão, comcapelas laterais- Fachada com um frontão,inspirado-se nos arcos de triunfo(entrada nas igrejas como umaentrada triunfal)- introdutor da ordem colossal (aaltura das colunas ou pilastrasatinge um ou mais andares) Igreja de Santo André, Mântua
  19. 19. Donato Bramante- Arquitecto e pintor italiano.- Foi considerado uma grandefigura da arquitectura noRenascimento.- Em 1500 transferiu-se de Milãopara Roma.- Em 1503 projetou a Igreja de S.Pedro in Montorio e a Basílica deS. Pedro do Vaticano.O projecto original foi modificadopor Miguel Ângelo e Rafael. Tempieto de S. Pedro
  20. 20. Donato Bramante- Edifício harmonioso- Planta centrada- Semelhante ao temploromano dedicado a Vesta- Utilização de: - colunas dórico- toscanas - pórtico contínuo de 3 degraus - balaustrada - corpo central cilíndrico com nichos encravados - cúpula semiesférica Tempieto de S. Pedro
  21. 21. Donato Bramante- Edifício harmonioso- Planta centrada- Semelhante ao temploromano dedicado a Vesta- Utilização de: - colunas dórico- toscanas - pórtico contínuo de 3 degraus - balaustrada - corpo central cilíndrico com nichos encravados - cúpula semiesférica Tempieto de S. Pedro
  22. 22. Donato BramanteIgreja de uma só nave,de planta centrada,larga, coberta com umacúpula, que através dailuminação criava umavisão do espaço absoluto Projeto para a Basílica de S. Pedro
  23. 23. Miguel Ângelo-Na sua obra é constante areferência e citação doselementos e princípios clássicos,de forma a quebrar oestabelecido.- Janelas voltadas para o interior- Brinca-se com os efeitos deilusão óptica proporcionados pelaperspectiva, através de jogosdimensionais fora de propósito Projeto para a Basílica de S. Pedro
  24. 24. Basílica de S. Pedro Elementos decorativos inspirados na arquitectura clássica Cúpula FrontãoBalaustrada Arco de Ordens volta Clássicas perfeita Abóbada de berço
  25. 25. Síntese da arquitetura religiosa- a ocupação do espaço pelo edifício baseia-se em relações matemáticas: - ideal de simetria absoluta - ponto de fuga- inspirou-se nas obras greco-romanas – classismo: - Abóbadas de berço - cúpulas - frontões nas portas e nas janelas - arcos de volta perfeita - Pilastras e colunas encimadas por capitéis clássicos (dóricos, jónicos ou coríntios);- planta: - evoluiu de planta basilical em cruz latina para plantas quadradas ou de cruz centrada - no corpo principal a nave central alonga-se e nas capelas laterais surgem pequenas capelas
  26. 26. Arquitetura civilPalácio enquanto representaçãoe exaltação do Homem Palácio Rucellai
  27. 27. Arquitetura civilPalácio enquanto representação -Estrutura cúbica ou paralelepipédicae exaltação do Homem - Três andares separados por entablamentos fingidos; por vezes com um “andar de ático” (4º andar atrás do ático) - porta centrada - janelas alinhadas e rodeadas por colunas ou por pilastras, cujos capitéis apresentam as ordens arquitetónicas sobrepostas - decoração exterior sóbria - interior organizado em torno de um pátio central aberto (o cortile) e ladeado por 4 arcadas (loggia) Palácio Rucellai
  28. 28. Arquitetura civilVillae ou palácios rurais: estruturas mais livres e inovadoras Villa Rotonda, Vicenza (Andrea Palladio, século XVI)
  29. 29. Arquitetura civil - Simetria - rigor geométrico - imitação das fachadas antigas - plantas centradas - jardins à volta de fontes e repuxos
  30. 30. O novo urbanismoCidades organizadas segundo uma malha regular Praça concebida para ser o local nobre da cidade espaço rectangular, cercado por uma arcada. Praça Ducal de Vigevano (Leonardo da Vinci)
  31. 31. O novo urbanismo Praça do Capitólio, Roma (Miguel Ângelo, Palácio dos iniciada em 1546) SenadoresPalácio dos MuseuConservadores Capitolino PavimentoEstátua emequestre mármore (elipses eromana losangosde irregularesMarcoAurélio Monumental Planta trapezoidal escadaria
  32. 32. A cidade ideal Projecto de Piero della Francesca-Casas proporcionadas ao espaço;- igrejas circulares e organizadasnuma perspectiva linear;- cidade organizada dentro de umcírculo e de uma estrela.
  33. 33. Renascimento: arte de síntese?Os homens do Renascimento aliavam de modo bastante espantoso aadmiração pelo mundo greco-romano a uma falta de respeito por vezesmuito evidente para com as obras legadas pela Antiguidade à posteridade.(…) Inspirar-se nos Antigos para fazer coisas novas, eis o propósito (…).Brunelleschi foi, em arquitetura, o iniciador do regresso à estética greco-romana e pôs em voga a simetria, o uso sistemático do módulo de base.Mas Santa Maria dei Fiori (1434) é ainda gótica pelo perfil e pelotravejamento com tirantes de ferro. Noutros monumentos – como naHospedaria dos Inocentes - foi buscar às basílicas romanas as arcadassobre colunas. E, no peristilo deste edifício, substituiu as nervuras porcupulazinhas de inspiração bizantina.. Mas a planta central, associada àcúpula, não era apenas romana: a alta Idade Média e Bizâncio também atinham utilizado.Arte de síntese a do Renascimento?Jean Delumeau, A Civilização do Renascimento
  34. 34. FIM

×