SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo 2- Cultura do Senado
Pintura Romana
HCA 10º Ano Prof. Carla Freitas
Influências
• Etruscas:
→ Arte funerária e dos templos
→ Vivacidade narrativa
→ Expressividade das linhas
• Egípcias:
→ Na arte do retrato
• Gregas:
→ Poucos vestígios
→ pintar imitando placas mármore coloridas
pintura a encaústica sobre madeira, séc. II, Egipto
Retratos funerários de El-Fayum, Egipto
Pintura mural, Frescos de Pompeia
Mosaico romano
A Tipologia:
• Pintura de cavalete / móvel:
→ Sobre madeira ou tela
→ Técnicas: encáustica e têmpera
• Pintura mural:
→ Técnicas: fresco; encáustica
• Mosaico:
→ 1º no chão
→ paredes
Fresco de Flora, Pompeia
Frescos das termas de Pompeia
Frescos do templo de Isis Pompeiana Templo de Herculano
Túmulo dos Leopardos, Tarquínia Túmulo do “Triclinium”, Etrúria
mosaico romano, Villa Romana del Casale,
Sicília
fresco do triclinium da Villa dos
Mistérios, Pompeia, séc. I a.C.
Frescos da Domus Aurea. Palácio de Nero
Casa dos Vécios, Pompeia Domus Transitoria, Pompeia
Os suportes:
• Edifícios Públicos: basílicas; termas
• Edifícios religiosos: Templos e túmulos
• Edifícios oficiais: Mansões, palácios
• Edifícios privados:
→ Em várias divisões (paredes),
sobretudo no triclinium
→ Adaptada à arquitetura Fresco de cubiculum (quarto), Villa de P.
Fannius Synistor, Boscoreale, período
republicano.
As características:
• Realismo
• Naturalismo
• Atenção ao pormenor e ao detalhe
• Noção de perspectiva
• Contrastes de claro-escuro
• Composições plenas de vivacidade,
delicadeza e harmonia; Perseu libertando Andrómeda, fresco de
Pompeia
“As bodas de Alexandre” (Roma)
“Neptuno e Anfitrite”
“Hércules encontrando seu filho Télefo”,
Herculano
“O jardim de Lívia”; Casa de Lívia, Primaporta, Roma, 20 a. C
“Pêssegos e jarra”, Herculano,
c. 50 a.C; 35x34 cm
Natureza-morta com ovos e tordos.
Pintura mural proveniente da
villa di Giulia Felice em Pompeia. Século I
.d.C.
“Ritual Matrimonial”,
Villa dos Mistérios,Pompeia
Jogadores de dardo, hospedaria da via de
Mercúrio, Pompeia
Poetisa, pintura mural de
Pompeia; séc. I
Terenciu Neo e esposa; c. 60, Pompeia, Villa di
Guilia Felice
Os temas:
• Pintura Triunfalista: cenas históricas;
função política, documental e
comemorativa
• Pintura mitológica: mistérios e vida dos
deuses
• Pintura Paisagística: de caráter bucólico e
poético
• Naturezas-mortas
• Cenas de Género (cenas do quotidiano)
• Retrato Eneias é curado,
Fresco de Pompeia
Mosaico da Casa de Menandro, em Pompeia
Mosaicos romanos da cidade de Pompeia
Mosaico de carácter mitológico representando a Deusa Diana, encontrado na antiga cidade
romana de Volubilis, Marrocos
Mosaicos romano de Mérida
Mosaicos romanos de Milão
Mosaico da Batalha de Isso, Pompeia, 79 a.C.
Mosaico do Nilo, Santuário de Fortuna Primigénia
Os Mosaicos
• Tradição oriental, egípcia e grega
• Vão buscar à pintura o estilo e o colorido
• Feito com tesselas de materiais coloridos como mármores, pedras várias e vidro
(quanto mais pequenas maior o detalhe)
• Inicialmente cobriam apenas o chão, depois estenderam-se às paredes e até aos
tectos de pequenas cúpulas;
• Temas foram os mesmos da pintura
• Desenvolveram-se em composições figurativas: episódios mitológicos, cenas de
caça, jogos, cenas de género, naturezas-mortas, cenas humorísticas e cenas em
trompe-l'oeil (ilusão de perspectiva);
• Decoração mais comum data dos sécs. II e II a.C. e é formada por composições
A Cidade
• Situada no pé do monte Vesúvio, a 22 Km de
Nápoles, Pompeia era uma cidade próspera, com
cerca de 25 mil moradores.
• Era muralhada e tinha uma área urbana (residências
e casas comerciais) e uma área rural com grandes
villae.
• Tinha um porto próspero onde se encontrava de tudo
(macacos africanos, canela, escravos )
• A 24 de agosto do ano 79, o comércio abriu as portas
como sempre.
• A erupção terá dado sinais mas só por volta da 13
horas as pessoas perceberam o que se estava a passar
e não houve tempo para fugir.
O que sucedeu a Pompeia?
https://www.youtube.com/watch?v=dsktvcddnTc
Como era a cidade?
https://www.youtube.com/watch?v=AX6p-tMwIdY
Como eram as casas?
https://www.youtube.com/watch?v=lAMD7xlnaXw
Casa de Salústio; Pompeia
Casa do Fauno; Pompeia
1º Estilo ou estilo de incrustação:
• Séc. II a.C
• Importado da Grécia e Mediterrâneo
Oriental
• Divisão da parede em 3 sectores
horizontais
• Imitação de mármores de várias cores e de
outros elementos arquitectónicos fingidos
• Ex.s casa de Salústio; casa do Fauno
casa Samnite ; Herculano; séc. II a .C
Villa dos Mistérios; Pompeia; c. 60 - 50 a .C
Villa dos Mistérios; Cenas dos Mistérios de Dionísio Pompeia; c. 60 - 50 a .C
Villa de P. Fannius Synistor, c. 40–30 a.C.
Villa de P. Fannius Synistor, c. 40–30 a.C.
Casa da Vénus Flutuante, Pompeia
Casa da Vénus Flutuante, Pompeia
2º Estilo ou estilo arquitetónico:
• de 80 a.C a Augusto (séc. I);
• Mantém as 3 faixas horizontais
• elementos arquitectónicos pintados a partir
do chão:
• Colunas, arcos, frisos, plintos, janelas
fingidas, abrindo sobre paisagens
• Molduras com cenas mitológicas ou
religiosas,
• Ex.s: Villa dos Mistérios; Villa de Fannius
Sinistor
Domus Aurea de Nero; Roma,; c. 64-68
Casa de Lucrecius Fronto; Pompeia; séc. I
Narciso; Pyramus e Thisbe; Casa de Loreius Tiburtinus, Pompeia
Casa do Centauro; Pompeia
3º Estilo ou estilo ornamental:
• Séc. I – evolui do estilo anterior
• Elementos arquitectónicos muito
decorados com motivos vegetalistas e
fundos de uma só cor (vermelho, verde,
preto)
• painéis (quadros) de reduzido tamanho,
com cenas mitológicas
• Simulação ilusionista de arquitectura
• Ex.s: Casa de Lucretius Fronto; casa de
Loreius Tiburtinus
Villa de Agrippa Postumus,
Boscotrecase, c. 10 a .C
Casa Vetti, Pompeia; c. 62-79
Casa Vetti, Pompeia; c. 62-79
Casa Vetti (lararium), Pompeia; c. 62-79
Casa Vetti (reconstituição), Pompeia; c. 62-79
Pêssegos e jarra; c. 62-79 a .C;
Herculano
Casa do Pomar, Pompeia
4º Estilo ou estilo cenográfico ou ilusionista:
• 60 d.C
• Combina os dois estilos anteriores: cenas
temáticas e arquitetura fingida
• Cores mais vivas, combinações mais
gritantes
• Teatralidade
• Ex. Casa dos Vetti Sala Ixion, Casa Vetti, Pompeia;
c. 70-79
• Distinguir os diferentes tipos de pintura roma
• Caracterizar a pintura romana (tipologia, influências, temas,
técnicas, etc.)
• Identificar os temas da pintura romana
• Caracterizar o mosaico romano
• Caracterizar os 4 estilos de Pompeia
• Avaliar a importância de Pompeia como fonte documental

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arquitetura grega
Arquitetura gregaArquitetura grega
Arquitetura grega
Ana Barreiros
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Carla Freitas
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
Ana Barreiros
 
Coluna de trajano[1]
Coluna de trajano[1]Coluna de trajano[1]
Coluna de trajano[1]
Ana Barreiros
 
Módulo 2 a cultura do senado
Módulo 2   a cultura do senadoMódulo 2   a cultura do senado
Módulo 2 a cultura do senado
TLopes
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
Carla Freitas
 
Cultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura gregaCultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura grega
Carlos Vieira
 
Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
Carla Freitas
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
Ana Barreiros
 
Ceramica grega
Ceramica gregaCeramica grega
Ceramica grega
Ana Barreiros
 
Cultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romanaCultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romana
Carlos Vieira
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
Vítor Santos
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
Ana Barreiros
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
Ana Barreiros
 
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Hca Faro
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
Carla Freitas
 
Módulo 1 arquitetura grega regular
Módulo 1   arquitetura grega regularMódulo 1   arquitetura grega regular
Módulo 1 arquitetura grega regular
Carla Freitas
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Andrea Dressler
 
Módulo 2 contexto histórico regular
Módulo 2   contexto histórico regularMódulo 2   contexto histórico regular
Módulo 2 contexto histórico regular
Carla Freitas
 

Mais procurados (20)

Arquitetura grega
Arquitetura gregaArquitetura grega
Arquitetura grega
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Coluna de trajano[1]
Coluna de trajano[1]Coluna de trajano[1]
Coluna de trajano[1]
 
Módulo 2 a cultura do senado
Módulo 2   a cultura do senadoMódulo 2   a cultura do senado
Módulo 2 a cultura do senado
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
 
Cultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura gregaCultura da Ágora - Escultura grega
Cultura da Ágora - Escultura grega
 
Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
 
Ceramica grega
Ceramica gregaCeramica grega
Ceramica grega
 
Cultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romanaCultura do Senado - Pintura romana
Cultura do Senado - Pintura romana
 
01 cultura da catedral
01 cultura da catedral01 cultura da catedral
01 cultura da catedral
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
 
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
 
Módulo 1 arquitetura grega regular
Módulo 1   arquitetura grega regularMódulo 1   arquitetura grega regular
Módulo 1 arquitetura grega regular
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Módulo 2 contexto histórico regular
Módulo 2   contexto histórico regularMódulo 2   contexto histórico regular
Módulo 2 contexto histórico regular
 

Semelhante a Módulo 2 pintura romana

4 grécia e roma
4 grécia e roma4 grécia e roma
4 grécia e roma
Luciana Estivalet
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Ana Beatriz Cargnin
 
5 arte cristã primitiva
5 arte cristã primitiva5 arte cristã primitiva
5 arte cristã primitiva
Luciana Estivalet
 
Cultura do senado
Cultura do senadoCultura do senado
Cultura do senado
Karyn XP
 
Pintura romana
Pintura romana  Pintura romana
Pintura romana
PedroAlmeid
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Joyce Santos
 
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados. Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
Maria Claudia F.Graca
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
www.historiadasartes.com
 
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade MédiaRevisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Maiara Giordani
 
Roma apresentação 3
Roma apresentação 3Roma apresentação 3
Roma apresentação 3
Vítor Santos
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Mateus Cardoso
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
Ana Barreiros
 
Arte em roma
Arte em romaArte em roma
Arte em roma
Isabella Neves Silva
 
Pintura romana
Pintura romanaPintura romana
Pintura romana
jojotyu
 
Romantismo grupo A
Romantismo grupo ARomantismo grupo A
Romantismo grupo A
becresforte
 
3º ano historia da arte- pdf
3º ano  historia da arte- pdf3º ano  historia da arte- pdf
3º ano historia da arte- pdf
Mariam Jenani
 
3º ano
3º ano3º ano
3º ano
Pedro Gomes
 
3 mesopotamia e egito
3 mesopotamia e egito3 mesopotamia e egito
3 mesopotamia e egito
Luciana Estivalet
 
Aula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_mediaAula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_media
Marcio Duarte
 
31 - Arte barroca
31  - Arte barroca31  - Arte barroca
31 - Arte barroca
Carla Freitas
 

Semelhante a Módulo 2 pintura romana (20)

4 grécia e roma
4 grécia e roma4 grécia e roma
4 grécia e roma
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
5 arte cristã primitiva
5 arte cristã primitiva5 arte cristã primitiva
5 arte cristã primitiva
 
Cultura do senado
Cultura do senadoCultura do senado
Cultura do senado
 
Pintura romana
Pintura romana  Pintura romana
Pintura romana
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados. Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
Pintura Mural. Das paredes das cavernas aos muros grafitados.
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
 
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade MédiaRevisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
 
Roma apresentação 3
Roma apresentação 3Roma apresentação 3
Roma apresentação 3
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Arte em roma
Arte em romaArte em roma
Arte em roma
 
Pintura romana
Pintura romanaPintura romana
Pintura romana
 
Romantismo grupo A
Romantismo grupo ARomantismo grupo A
Romantismo grupo A
 
3º ano historia da arte- pdf
3º ano  historia da arte- pdf3º ano  historia da arte- pdf
3º ano historia da arte- pdf
 
3º ano
3º ano3º ano
3º ano
 
3 mesopotamia e egito
3 mesopotamia e egito3 mesopotamia e egito
3 mesopotamia e egito
 
Aula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_mediaAula 02 arte-crista- id_media
Aula 02 arte-crista- id_media
 
31 - Arte barroca
31  - Arte barroca31  - Arte barroca
31 - Arte barroca
 

Mais de Carla Freitas

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Carla Freitas
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
Carla Freitas
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
Carla Freitas
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
Carla Freitas
 

Mais de Carla Freitas (20)

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
 

Último

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 

Último (20)

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 

Módulo 2 pintura romana

  • 1. Módulo 2- Cultura do Senado Pintura Romana HCA 10º Ano Prof. Carla Freitas
  • 2. Influências • Etruscas: → Arte funerária e dos templos → Vivacidade narrativa → Expressividade das linhas • Egípcias: → Na arte do retrato • Gregas: → Poucos vestígios → pintar imitando placas mármore coloridas
  • 3. pintura a encaústica sobre madeira, séc. II, Egipto Retratos funerários de El-Fayum, Egipto
  • 6. A Tipologia: • Pintura de cavalete / móvel: → Sobre madeira ou tela → Técnicas: encáustica e têmpera • Pintura mural: → Técnicas: fresco; encáustica • Mosaico: → 1º no chão → paredes Fresco de Flora, Pompeia
  • 7. Frescos das termas de Pompeia
  • 8. Frescos do templo de Isis Pompeiana Templo de Herculano
  • 9. Túmulo dos Leopardos, Tarquínia Túmulo do “Triclinium”, Etrúria
  • 10. mosaico romano, Villa Romana del Casale, Sicília fresco do triclinium da Villa dos Mistérios, Pompeia, séc. I a.C. Frescos da Domus Aurea. Palácio de Nero
  • 11. Casa dos Vécios, Pompeia Domus Transitoria, Pompeia
  • 12. Os suportes: • Edifícios Públicos: basílicas; termas • Edifícios religiosos: Templos e túmulos • Edifícios oficiais: Mansões, palácios • Edifícios privados: → Em várias divisões (paredes), sobretudo no triclinium → Adaptada à arquitetura Fresco de cubiculum (quarto), Villa de P. Fannius Synistor, Boscoreale, período republicano.
  • 13. As características: • Realismo • Naturalismo • Atenção ao pormenor e ao detalhe • Noção de perspectiva • Contrastes de claro-escuro • Composições plenas de vivacidade, delicadeza e harmonia; Perseu libertando Andrómeda, fresco de Pompeia
  • 14. “As bodas de Alexandre” (Roma)
  • 15. “Neptuno e Anfitrite” “Hércules encontrando seu filho Télefo”, Herculano
  • 16. “O jardim de Lívia”; Casa de Lívia, Primaporta, Roma, 20 a. C
  • 17. “Pêssegos e jarra”, Herculano, c. 50 a.C; 35x34 cm Natureza-morta com ovos e tordos. Pintura mural proveniente da villa di Giulia Felice em Pompeia. Século I .d.C.
  • 18. “Ritual Matrimonial”, Villa dos Mistérios,Pompeia Jogadores de dardo, hospedaria da via de Mercúrio, Pompeia
  • 19. Poetisa, pintura mural de Pompeia; séc. I Terenciu Neo e esposa; c. 60, Pompeia, Villa di Guilia Felice
  • 20. Os temas: • Pintura Triunfalista: cenas históricas; função política, documental e comemorativa • Pintura mitológica: mistérios e vida dos deuses • Pintura Paisagística: de caráter bucólico e poético • Naturezas-mortas • Cenas de Género (cenas do quotidiano) • Retrato Eneias é curado, Fresco de Pompeia
  • 21. Mosaico da Casa de Menandro, em Pompeia
  • 22. Mosaicos romanos da cidade de Pompeia
  • 23. Mosaico de carácter mitológico representando a Deusa Diana, encontrado na antiga cidade romana de Volubilis, Marrocos
  • 26. Mosaico da Batalha de Isso, Pompeia, 79 a.C.
  • 27. Mosaico do Nilo, Santuário de Fortuna Primigénia
  • 28. Os Mosaicos • Tradição oriental, egípcia e grega • Vão buscar à pintura o estilo e o colorido • Feito com tesselas de materiais coloridos como mármores, pedras várias e vidro (quanto mais pequenas maior o detalhe) • Inicialmente cobriam apenas o chão, depois estenderam-se às paredes e até aos tectos de pequenas cúpulas; • Temas foram os mesmos da pintura • Desenvolveram-se em composições figurativas: episódios mitológicos, cenas de caça, jogos, cenas de género, naturezas-mortas, cenas humorísticas e cenas em trompe-l'oeil (ilusão de perspectiva); • Decoração mais comum data dos sécs. II e II a.C. e é formada por composições
  • 29.
  • 30. A Cidade • Situada no pé do monte Vesúvio, a 22 Km de Nápoles, Pompeia era uma cidade próspera, com cerca de 25 mil moradores. • Era muralhada e tinha uma área urbana (residências e casas comerciais) e uma área rural com grandes villae. • Tinha um porto próspero onde se encontrava de tudo (macacos africanos, canela, escravos ) • A 24 de agosto do ano 79, o comércio abriu as portas como sempre. • A erupção terá dado sinais mas só por volta da 13 horas as pessoas perceberam o que se estava a passar e não houve tempo para fugir.
  • 31. O que sucedeu a Pompeia? https://www.youtube.com/watch?v=dsktvcddnTc Como era a cidade? https://www.youtube.com/watch?v=AX6p-tMwIdY Como eram as casas? https://www.youtube.com/watch?v=lAMD7xlnaXw
  • 33. Casa do Fauno; Pompeia
  • 34. 1º Estilo ou estilo de incrustação: • Séc. II a.C • Importado da Grécia e Mediterrâneo Oriental • Divisão da parede em 3 sectores horizontais • Imitação de mármores de várias cores e de outros elementos arquitectónicos fingidos • Ex.s casa de Salústio; casa do Fauno casa Samnite ; Herculano; séc. II a .C
  • 35. Villa dos Mistérios; Pompeia; c. 60 - 50 a .C
  • 36. Villa dos Mistérios; Cenas dos Mistérios de Dionísio Pompeia; c. 60 - 50 a .C
  • 37. Villa de P. Fannius Synistor, c. 40–30 a.C.
  • 38. Villa de P. Fannius Synistor, c. 40–30 a.C.
  • 39. Casa da Vénus Flutuante, Pompeia
  • 40. Casa da Vénus Flutuante, Pompeia
  • 41. 2º Estilo ou estilo arquitetónico: • de 80 a.C a Augusto (séc. I); • Mantém as 3 faixas horizontais • elementos arquitectónicos pintados a partir do chão: • Colunas, arcos, frisos, plintos, janelas fingidas, abrindo sobre paisagens • Molduras com cenas mitológicas ou religiosas, • Ex.s: Villa dos Mistérios; Villa de Fannius Sinistor
  • 42. Domus Aurea de Nero; Roma,; c. 64-68
  • 43. Casa de Lucrecius Fronto; Pompeia; séc. I
  • 44. Narciso; Pyramus e Thisbe; Casa de Loreius Tiburtinus, Pompeia
  • 45. Casa do Centauro; Pompeia
  • 46. 3º Estilo ou estilo ornamental: • Séc. I – evolui do estilo anterior • Elementos arquitectónicos muito decorados com motivos vegetalistas e fundos de uma só cor (vermelho, verde, preto) • painéis (quadros) de reduzido tamanho, com cenas mitológicas • Simulação ilusionista de arquitectura • Ex.s: Casa de Lucretius Fronto; casa de Loreius Tiburtinus Villa de Agrippa Postumus, Boscotrecase, c. 10 a .C
  • 49. Casa Vetti (lararium), Pompeia; c. 62-79
  • 50. Casa Vetti (reconstituição), Pompeia; c. 62-79
  • 51. Pêssegos e jarra; c. 62-79 a .C; Herculano Casa do Pomar, Pompeia
  • 52. 4º Estilo ou estilo cenográfico ou ilusionista: • 60 d.C • Combina os dois estilos anteriores: cenas temáticas e arquitetura fingida • Cores mais vivas, combinações mais gritantes • Teatralidade • Ex. Casa dos Vetti Sala Ixion, Casa Vetti, Pompeia; c. 70-79
  • 53. • Distinguir os diferentes tipos de pintura roma • Caracterizar a pintura romana (tipologia, influências, temas, técnicas, etc.) • Identificar os temas da pintura romana • Caracterizar o mosaico romano • Caracterizar os 4 estilos de Pompeia • Avaliar a importância de Pompeia como fonte documental