Dificuldades, Transtornos, Deficiências e Síndromes
O Aprendizado em Pauta
Conhecimentos essenciais para parceria entre Ed...
Cada um receberá um papel.
Solicitamos que identifique com sua turma:
Quantos alunos há em sua turma no total
Quantos apre...
1- Cada um receberá um giz e
uma folha em branco e deverá
realizar a ordem que será dada a
todos coletivamente.
Pra início...
• porte elevado
• olhos pequenos
• rabo comprido
• orelhas salientes
• pés enormes
• coberto de pêlos
Desenhe um animal qu...
Observando os trabalhos apresentados a que
conclusão podemos chegar?
Cada um reage de forma diferente, diante da mesma
ord...
Refletindo sobre o processo de
ensino aprendizagem
Há uma frase corrente, na qual se diz que para
entender o processo de e...
PENSAR EM INCLUSÃO É PENSAR NA DIFERENÇA, NA
DIVERSIDADE QUE NÃO NECESSARIAMENTE ESTA LIGADA A
PRESENÇA OU AUSÊNCIA DE DEF...
Heterogeneidade x Homogeneidade
nas turmas
Link:
http://www.youtube.com/watch?v=DA0eLEwNmAs&feature=share
&list=LLSSljle0surEIn63gc5l9XQ&index=40
MUDANDO PARADIGMAS ...
O ciclo de aprendizagem é visto como uma etapa da escolaridade de
pelo menos dois anos escolares, idealmente de três ou qu...
FONTE: http://slideplayer.com.br/slide/1241998/
1º ANO – O aluno deverá compreender o
funcionamento do sistema de leitura e da escrita
alfabética para ler e escrever pala...
2º ANO – O aluno deverá compreender e conhecer o uso da
escrita com diferentes funções, valorizando-a como prática
de inte...
3º ANO – O aluno deverá produzir textos escritos, com
coesão e coerência, organizando-o em parágrafos,
empregando regras d...
4º e 5º ANOS – O currículo é um instrumento de apoio á
reflexão e à prática do(a) professor(a) e deve ser utilizado
em fav...
Como trabalhar o conteúdo e atender às
necessidades diversas dos alunos ao mesmo
tempo?
E quando há aqueles que...
- não c...
É necessário...
- parar,
- repensar,
- observar,
- rever objetivos, metas, ações.
É preciso buscar parcerias...
- com outr...
Quem encaminhar à Equipe?
Alunos que apresentam atraso no desenvolvimento;
Alunos que, após esgotados todas as intervençõe...
Dificuldades, Transtornos de Aprendizagem,
Deficiências, TDG, Síndromes
40% 6% 2%
Transtorno – Esclarecimentos sobre o
tema
É usado de forma a evitar problemas ainda maiores inerentes
ao uso de termos tai...
Características importantes dos
transtornos de aprendizagem
Iniciam na infância;
Relacionam-se a um comprometimento ou atr...
O importante na democratização do ensino não é
fazer como se cada um houvesse aprendido, mas
permitir a cada um aprender. ...
Percebendo e lidando com NEE
Conhecendo o aluno tal qual é:
Observar e registrar as características dos alunos
Verificar a...
Um processo educativo que se aplica a
todos
Conhecer
o aluno
Proporcionar
adaptações
Avaliar o
processo
Como está o
aprendizado em sua
turma?
Cada um receberá um papel.
Solicitamos que identifique com sua turma:
1. Quantos alu...
O processo de ensino-
aprendizado como uma
moeda....
- Tem 2 faces
- Tem 1 lateral circular (não
tem cantos!)
- Tem seu va...
“Só desperta paixão
de aprender quem
tem paixão de ensinar.”
Paulo Freire
Obrigada pela atenção!
O aprendizado em pauta palestra da ec arniqueira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O aprendizado em pauta palestra da ec arniqueira

732 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada na formação realizada junto aos educadores da Escola Classe Arniqueira.
Elaborada por mim e Elizete Medeiros, como parte do trabalho da Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem da EC Arniqueira.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
732
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O aprendizado em pauta palestra da ec arniqueira

  1. 1. Dificuldades, Transtornos, Deficiências e Síndromes O Aprendizado em Pauta Conhecimentos essenciais para parceria entre Educadores e Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem Anaí Haeser Peña (psicóloga escolar) Elizete Ferreira Medeiros (pedagoga)
  2. 2. Cada um receberá um papel. Solicitamos que identifique com sua turma: Quantos alunos há em sua turma no total Quantos apresentam dificuldades ou problemas de aprendizado? Quantos têm transtorno de aprendizado? Quantos têm alguma deficiência, síndrome? Quantos têm altas habilidades? Como está o aprendizado em sua turma?
  3. 3. 1- Cada um receberá um giz e uma folha em branco e deverá realizar a ordem que será dada a todos coletivamente. Pra início de conversa... 2- Você não pode ver o trabalho do outro, nem mostrar o seu trabalho para ninguém enquanto estiver realizando a atividade. ESPERO QUE VOCÊ CONSIGA CONCLUIR!
  4. 4. • porte elevado • olhos pequenos • rabo comprido • orelhas salientes • pés enormes • coberto de pêlos Desenhe um animal que possua: Ao finalizar seu desenho entregue-o à Equipe para ser fixado no mural.
  5. 5. Observando os trabalhos apresentados a que conclusão podemos chegar? Cada um reage de forma diferente, diante da mesma ordem, pois cada um responde de acordo com suas experiências. Cada um vê o mundo de maneira diferente! A forma como planejamos e aplicamos atividades de ensino pode ter impactos variados entre os estudantes de uma mesma turma, gerar diferentes compreensões.
  6. 6. Refletindo sobre o processo de ensino aprendizagem Há uma frase corrente, na qual se diz que para entender o processo de ensino-aprendizagem é preciso compreender o homem na sua complexidade. Considerando essa frase e a experiência com a atividade dos desenhos reflita: Ao planejarmos nossa aula todos os alunos receberão a proposta do mesmo jeito? O resultado atingido será igual sempre?
  7. 7. PENSAR EM INCLUSÃO É PENSAR NA DIFERENÇA, NA DIVERSIDADE QUE NÃO NECESSARIAMENTE ESTA LIGADA A PRESENÇA OU AUSÊNCIA DE DEFICIÊNCIA! Também está relacionado a proporcionar adaptações, ajustes necessários para atender à demanda apresentada pelo estudante.
  8. 8. Heterogeneidade x Homogeneidade nas turmas
  9. 9. Link: http://www.youtube.com/watch?v=DA0eLEwNmAs&feature=share &list=LLSSljle0surEIn63gc5l9XQ&index=40 MUDANDO PARADIGMAS NA EDUCAÇÃO RSA ANIMATE Sr. KEN ROBINSON
  10. 10. O ciclo de aprendizagem é visto como uma etapa da escolaridade de pelo menos dois anos escolares, idealmente de três ou quatro. Os alunos que ingressam no ciclo o percorrem juntos, sob a responsabilidade dos mesmos professores. Os percursos de formação são individualizados, mas não há repetência nem qualquer seleção ou certificação durante o ciclo. A avaliação é formativa; ela permite comandar as aprendizagens e os percursos de formação de modo que todos os alunos atinjam: a- os objetivos de final de ciclo; b- os conhecimentos e, c- as habilidades e competências A ideia de ciclos na Educação
  11. 11. FONTE: http://slideplayer.com.br/slide/1241998/
  12. 12. 1º ANO – O aluno deverá compreender o funcionamento do sistema de leitura e da escrita alfabética para ler e escrever palavras e pequenos textos significativos que possuam encadeamento de ideias. Metas Dos Anos Iniciais
  13. 13. 2º ANO – O aluno deverá compreender e conhecer o uso da escrita com diferentes funções, valorizando-a como prática de interação social. Deverá produzir textos escritos de diferentes gêneros, adequados aos objetivos do destinatário e ao contexto, com ênfase na estruturação do texto (parágrafos e pontuação inicial). Interferir regras de uso da língua a partir da análise de regularidades e aplicá-las em produções escritas, revisões e leituras. Ler com desenvoltura diversos textos, adequando as estratégias de leitura aos objetivos da própria leitura. Metas Dos Anos Iniciais
  14. 14. 3º ANO – O aluno deverá produzir textos escritos, com coesão e coerência, organizando-o em parágrafos, empregando regras de pontuação e ortográficas aproximando-se das convenções gráficas; ler diversos gêneros textuais, com fluência e compreensão. Metas Dos Anos Iniciais
  15. 15. 4º e 5º ANOS – O currículo é um instrumento de apoio á reflexão e à prática do(a) professor(a) e deve ser utilizado em favor do aprendizado. (Circular n° 45/2012- COENF) Metas Dos Anos Iniciais
  16. 16. Como trabalhar o conteúdo e atender às necessidades diversas dos alunos ao mesmo tempo? E quando há aqueles que... - não conseguem acompanhar? - não desenvolveram pré-requisitos? - parecem “não progredir” no aprendizado?
  17. 17. É necessário... - parar, - repensar, - observar, - rever objetivos, metas, ações. É preciso buscar parcerias... - com outros colegas professores, - com a coordenação pedagógica, - com o Serviço de Orientação Educacional e Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem.
  18. 18. Quem encaminhar à Equipe? Alunos que apresentam atraso no desenvolvimento; Alunos que, após esgotados todas as intervenções da escola, continuam apresentando dificuldades de aprendizagem (que intervenções seriam?); Alunos com histórico de multirrepetência, defasagem idade/série; Alunos com suspeitas de serem portadores de deficiências ou transtornos.
  19. 19. Dificuldades, Transtornos de Aprendizagem, Deficiências, TDG, Síndromes 40% 6% 2%
  20. 20. Transtorno – Esclarecimentos sobre o tema É usado de forma a evitar problemas ainda maiores inerentes ao uso de termos tais como “doença” ou “enfermidade”. Indica a existência de um conjunto de sintomas ou comportamentos clinicamente reconhecível associado, na maioria dos casos, a sofrimento e interferência com funções pessoais (CID - 10, 1992, p. 5).
  21. 21. Características importantes dos transtornos de aprendizagem Iniciam na infância; Relacionam-se a um comprometimento ou atraso no desenvolvimento de funções que são fortemente relacionadas à maturação biológica do sistema nervoso central; Tem um curso estável que não envolve remissões (desaparecimentos) e recaídas que tendem a ser características de muitos transtornos mentais; Não são simples consequência da falta de oportunidade de aprender.
  22. 22. O importante na democratização do ensino não é fazer como se cada um houvesse aprendido, mas permitir a cada um aprender. Quando não se consegue isso, a solução não é esconder a cabeça na areia, mas reconhecer o fracasso (...) para retomar o trabalho. Aí está a verdadeira clivagem: frente a desigualdades de aquisições e de níveis escolares devidamente constatados, uns baixam os braços e invocam a fatalidade e os limites da natureza humana, outros buscam novas estratégias. (Perrenoud, 1995) Reflexão final sobre heterogeneidade
  23. 23. Percebendo e lidando com NEE Conhecendo o aluno tal qual é: Observar e registrar as características dos alunos Verificar a história educativa Conhecer fatores contextuais Sistematizar as necessidades que apresentam e as potencialidades Variar as estratégias e instrumentos de ensino e avaliação Buscando apoio: Essas características observadas começaram há muito tempo? Há fatores contextuais associados? Houve variação nas estratégias e instrumentos de ensino e isso influenciou no desempenho escolar?
  24. 24. Um processo educativo que se aplica a todos Conhecer o aluno Proporcionar adaptações Avaliar o processo
  25. 25. Como está o aprendizado em sua turma? Cada um receberá um papel. Solicitamos que identifique com sua turma: 1. Quantos alunos há em sua turma no total 2. Quantos apresentam dificuldades ou problemas de aprendizado? 3. Quantos têm transtorno de aprendizado? 4. Quantos têm alguma deficiência, síndrome? 5. Quantos têm altas habilidades?
  26. 26. O processo de ensino- aprendizado como uma moeda.... - Tem 2 faces - Tem 1 lateral circular (não tem cantos!) - Tem seu valor inscrito em um sistema monetário, - Tem seu sentido e significado elaborados em uma cultura...
  27. 27. “Só desperta paixão de aprender quem tem paixão de ensinar.” Paulo Freire
  28. 28. Obrigada pela atenção!

×