Condições Psicológicas da Aprendizagem~Motivação

1.985 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.985
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Condições Psicológicas da Aprendizagem~Motivação

  1. 1.  Motivação da aprendizagem significa causar ou produzir a aprendizagem, estimular o aluno, despertar o interesse ou entusiasmo pela aprendizagem;  Grande parte das dificuldades da escola têm sua origem nos problemas da motivação, ou seja, na tarefa de diagnosticar os interesses e necessidades dos alunos;  A falta de motivação conduzirá a aumento de tensão emocional, problemas disciplinares, aborrecimento, fadiga e aprendizagem pouco eficiente da classe.
  2. 2.  Motivos são as forças fisiológicas (fome, fadiga, doença, etc.) e sociais (desejo de agradar as pessoas) que levam o ser humano a agir; aquilo que faz mover;  O motivo envolve as necessidades e desejos existentes no indivíduo que impelem o indivíduo a agir em determinada direção;  Os desejos, necessidades e interesses existentes no indivíduo, o levam a se comportar desta ou daquela forma, visando alcançar o objetivo que satisfaz ao motivo;  O motivo pode ser definido como uma condição interna.
  3. 3. Os motivos podem ser classificados como:  Desejo de segurança: Este é o motivo que leva o indivíduo a atender necessidades físicas: tratar da saúde, adquirir propriedades, etc.;
  4. 4.  Desejo de correspondência ou resposta: Por este motivo, o ser humano procura contatos sociais e sexuais. Há a necessidade de relacionar-se com pessoas cujos sentimentos, ideais, modo de pensar etc. tenham afinidade;
  5. 5.  Desejo de reconhecimento, prestígio ou aprovação: é o que leva o indivíduo a praticar atos que sejam aprovados pelo grupo social e a evitar as ações reprovadoras;
  6. 6.  Desejo de novas experiências: por este motivo, o indivíduo quebra a rotina, tem prazer na aventura, procura variar as experiências e fugir a monotonia;
  7. 7.  Idade;  Sexo;  Inteligência;  Experiência anterior;  Classe social;  Traços de personalidade;  Condições do lar, etc.
  8. 8.  Aparência;  Naturalidade;  Entusiasmo pelo ensino;  Bom humor;  Cordialidade, etc.
  9. 9.  Mapas;  Álbuns ilustrados;  Projeções;  Filmes;  Quadro bem utilizado, etc.
  10. 10.  Jogos;  Dramatizações;  Projetos;  Exposições;  Excursões;  Grupos de Trabalho;  Competições, etc.
  11. 11.  Necessidade de atividade: A atividade, não envolve necessariamente movimento muscular. Ouvir uma exposição oral é atividade, mas envolver-se em uma dramatização ou participar de uma discussão, envolve mais atividade e requer maior participação do aprendiz.
  12. 12.  Intenção deliberada para aprender: As pesquisas evidenciam que na maioria das situações escolares, o mero esclarecimento sobre a importância do material a ser aprendido já resulta em alguma vantagem para a aprendizagem.
  13. 13.  Envolvimento do EU: O envolvimento do EU, significa que o estudante sente e aceita um certo desafio. O EU está envolvido quando o estudante sente que uma parte importante de si mesmo está envolvida nos resultados da tarefa a executar ou quando em sua mente, o fracasso na tarefa levará a alguma perda de auto-estima ou desvalorização individual.
  14. 14.  Desafio do emprego frequente de testes ou outros processos de verificação da aprendizagem: Muitos professores acreditam nos testes, como motivação para encorajar os alunos a estudarem. Contudo, no nível universitário as investigações mostram que depois de um teste semanal ou bissemanal, os estudantes esquecem do material do teste. Os resultados sugerem também, que os alunos aprendem menos com testes dados de surpresa.
  15. 15.  Conhecimento dos resultados do trabalho: Manter os alunos informados de seu trabalho exerce considerável influência sobre os resultados da aprendizagem, cria incentivos de auto estima e auto realização.
  16. 16.  Fracasso e censura versus sucesso e elogio:  O fracasso ou censura é pior para pessoas muito tensas, mas pode ajudar a pessoas que mostram pouca ansiedade;  Referente ao ajustamento social, um sequência ininterrupta de fracassos pode ser prejudicial. Da mesma forma, que para alguns estudantes muitos sucessos é aborrecedor e alienante;  Uma série ininterrupta de sucessos, seguida por um grande fracasso, pode ser altamente perturbador;  O ideal é o equilíbrio de fracassos e sucessos, predominando estes últimos;
  17. 17.  Fracasso e censura versus sucesso e elogio: O elogio produz sempre melhores resultados com alunos mais jovens, e a censura impressiona muito menos a rapazes que a moças; o elogio é sempre mais facilmente interpretado como indicativo de interesse e consideração, por parte do professor. Além disso, uma censura reservada, sem ser deprimente, mas mostrando interesse pelo trabalho do aluno, produz bons resultados.
  18. 18.  Competição: Do ponto de vista social a melhor competição é aquela que o indivíduo tenta ultrapassar a si mesmo. Entretanto, do ponto de vista da produção, o melhor tipo de competição é o realizado entre dois indivíduos. Os alunos trabalham de modo diferente, quando em situação competitiva. A competição em grupos exerce melhor efeito, como força motivadora, quando os grupos são organizados por livre escolha.
  19. 19.  Necessidade de um padrão a ser alcançado (expectativas, metas): A maioria das pessoas se esforça para satisfazer a um padrão que lhe foi proposto. Cada um faz aquilo que se pensa que esperam dele. Os padrões devem ser fixados apara cada estudante, na base de suas possibilidades pessoais. Os estudantes podem ser incentivados a estabelecerem seus próprios padrões de realização, em cada etapa da atividade.
  20. 20.  Necessidade de realização (liderança, desejo de sucesso): Ainda no EFI muitas crianças já começam a desenvolver o desejo do sucesso ou de se tornar líder do grupo ou da classe. Este desejo de realização é muito mais forte em alguns alunos do que em outros. Os estudantes altamente impulsionados por esta necessidade conseguirão muito mais nas tarefas escolares do que os moderadamente afetados.
  21. 21.  Manipulação, curiosidade, jogo (prazer em estimular a mente): Um dos motivos intrínsecos mais comuns é o da pura manipulação física.
  22. 22.  Necessidade de segurança ou aceitação social: As relações sociais do professor com seus alunos, metodologia, sistema de provas, postura mais flexível ou severa, exercem influencia de motivos de segurança, assim, incentivam, inibem ou desorganizam atitudes favoráveis à aprendizagem.

×