SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
CNV
Comunicação
Não Violenta
Jorge Luiz dos Santos de Souza
O que é CNV?
●
Segundo Rosenberg (2006) “A Comunicação Não
Violenta é baseada nos princípios da não violência. A
CNV começa por assumir que somos todos
compassivos por natureza e que estratégias violentas
(verbais ou físicas) são aprendidas, ensinadas e
apoiadas pela cultura dominante.”
O que é CNV?
●
A Comunicação Não Violenta é baseada nos princípios
da não violência. A CNV começa por assumir que
somos todos compassivos por natureza e que
estratégias violentas (verbais ou físicas) são
aprendidas, ensinadas e apoiadas pela cultura
dominante. (Rosenberg, 2006)
CNV
CNV
●
Trata-se de um modo de vida baseado na compaixão
que, exercida por meio da comunicação, cria relações
pacíficas entre as pessoas.
CNV
●
Ela um excelente instrumento para resolver conflitos e
identificar as necessidades de si mesmo e do outro.
CNV
●
4 Passos:
– Observação;
– Sentimentos;
– Necessidades;
– Pedidos.
CNV
●
A CNV oferece três pontos de partida para nos
conectarmos com o outro:
– oferecer empatia;
– expressar suas próprias observações, sentimentos e
necessidades;
– e promover conexão consigo mesmo por meio da auto
empatia.
CNV na Prática
●
Faça observações que estão levando você a sentir
necessidade de dizer algo.
– Devem ser observações puramente factuais, sem julgamento
ou crítica.
CNV na Prática
●
Afirme o sentimento que a observação lhe desperta e
escute o que o outro está sentindo.
– Nomear a emoção, sem julgamento moral, permite que os
interlocutores se conectem e tenham respeito mútuo.
CNV na Prática
●
Declare a necessidade que é causa de seu sentimento ou
adivinhe a necessidade que causou o sentimento na outra
pessoa.
– Quando nossas necessidades se encontram, temos
sensações felizes e agradáveis; quando elas não se batem,
temos sensações desagradáveis. Ao compreender o
sentimento, você pode encontrar a necessidade subjetiva.
Afirmar a necessidade, sem julgá-la moralmente, lhe dá
clareza sobre o que ocorre no seu coração ou no do outro no
instante da conversa.
CNV na Prática
●
Faça um pedido concreto para que a ação encontre a
necessidade identificada.
– Peça de maneira clara e específica aquilo que você quer em
vez de dar dicas ou afirmar apenas o que não deseja.
– Para que o pedido seja realmente um pedido, e não uma
exigência, permita que a outra pessoa diga não ou proponha
alternativas.
Mas Lembre-se….
●
Nem sempre você pode adivinhar o que o outro precisa
ou sente.
– O fato de você escutar e querer compreender sem criticar,
julgar, analisar ou discutir fará com que o outro se abra mais.
Você pode ajudar alguém a se abrir ao compartilhar
honestamente os próprios sentimentos e necessidades.
– A técnica básica é se conectar emocionalmente para
identificar as necessidades do outro. Ir direto à resolução do
problema ou à discussão faz com que o outro se sinta
ignorado. (Mundo Maker, 2019)
Nossos sentimentos são nossa
responsabilidade.
– A tristeza que sinto quando alguém querido me decepciona e a raiva que me
consome quando alguém me agride são sentimentos que pertencem a mim.
– A agressão, ou o ato que serve como gatilho, pode vir de outra pessoa, mas
o sentimento é um sistema interno meu para me avisar que tem algo errado.
– A responsabilidade pelo que eu sinto é minha, de mais ninguém. Ninguém
me deixa triste. Não há pessoa que me dê raiva. Essas frases são ficções
que usamos para deslocar para longe de nós a responsabilidade por aquilo
que sentimos.
– Quando sinto raiva, tristeza, alegria, cabe a mim lidar com esses
sentimentos, reconhecer o que eles querem dizer e escolher o que fazer
com eles. Isso não significa que é fácil, mas algo que pode ajudar é
compreender a razão por trás dos nossos sentimentos.
Algumas Frases para se Pensar…
●
”Está se sentindo _____ por precisar de ____?” Enfatize
da melhor maneira possível seus sentimentos para
preencher os espaços. Você provavelmente conseguirá
enxergar a situação através dos olhos dos outros.
●
”Está nervoso por pensar em ____?” A raiva é ativada
pelos pensamentos, como “Eu acho que você mentiu”,
ou “Eu acho que mereço mais um aumento do que
fulano”. Descubra o pensamento e você conseguirá
encontrar a necessidade.
Leia!
Conheça
●
https://www.mundomaker.cc/
●
Escola Nacional de Conciliação e Mediação – ENAM;
●
Www.cvv.org.br
●
Canal Philos – YouTube;
●
CNV em Rede – YouTube;
●
Saber Coletivo- YouTube;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoLuis Paulo Barros
 
Apresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência EmocionalApresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência Emocionalanaediteaires
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoDenise Varela
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoDoroteiaSouza
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalCintia Meneghini
 
Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRPalestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRAlessandra Gonzaga
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalAlexandre Rivero
 
Comunicacao nao violenta
Comunicacao nao violentaComunicacao nao violenta
Comunicacao nao violentaKenia Lima
 
Mediacaodeconflitos cnv
Mediacaodeconflitos cnvMediacaodeconflitos cnv
Mediacaodeconflitos cnvFabiana Gomes
 
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoal
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoalAuto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoal
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoalCursos Profissionalizantes
 

Mais procurados (20)

Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Empatia slide share
Empatia slide shareEmpatia slide share
Empatia slide share
 
Apresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência EmocionalApresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência Emocional
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
 
Inteligencia emocional no trabalho
Inteligencia emocional no trabalhoInteligencia emocional no trabalho
Inteligencia emocional no trabalho
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
Comunicação Não Violenta - Prof. Roberto Lico
Comunicação Não Violenta - Prof. Roberto LicoComunicação Não Violenta - Prof. Roberto Lico
Comunicação Não Violenta - Prof. Roberto Lico
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Gestão conflitos
Gestão conflitosGestão conflitos
Gestão conflitos
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
 
Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRPalestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocional
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Palestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência EmocionalPalestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência Emocional
 
Comunicacao nao violenta
Comunicacao nao violentaComunicacao nao violenta
Comunicacao nao violenta
 
Mediacaodeconflitos cnv
Mediacaodeconflitos cnvMediacaodeconflitos cnv
Mediacaodeconflitos cnv
 
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoal
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoalAuto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoal
Auto-motivação auto-estima e desenvolvimento pessoal
 

Semelhante a Comunicação Não Violenta

Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptx
Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptxComunicação não violenta LIDI sugestão.pptx
Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptxAdriellySantiago2
 
Desenvolvendo sentimentos!
Desenvolvendo sentimentos!Desenvolvendo sentimentos!
Desenvolvendo sentimentos!Leonardo Pereira
 
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfcomunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfamandafonseca74
 
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfcomunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfamandafonseca74
 
10 comunicação assertiva
10 comunicação assertiva10 comunicação assertiva
10 comunicação assertivaAntónio Revez
 
Apresentação.pdf
Apresentação.pdfApresentação.pdf
Apresentação.pdfJabezSoares1
 
Lidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroLidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroNit Portal Social
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividadepsimais
 
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdf
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdfComunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdf
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdfKellyMarcolla
 
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional   as 5 chaves fundamentaisInteligência emocional   as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentaisManuela Selas
 
Ninguém Causa Emoção no Outro
Ninguém Causa Emoção no OutroNinguém Causa Emoção no Outro
Ninguém Causa Emoção no OutroAngelo Leandro
 
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.5 Passos para Você Controlar suas Emoções.
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.Eziquiel Ribeiro
 
Comunicação não violenta
Comunicação não violentaComunicação não violenta
Comunicação não violentaMateus Aloisio
 

Semelhante a Comunicação Não Violenta (20)

Treinamento_IE.pptx
Treinamento_IE.pptxTreinamento_IE.pptx
Treinamento_IE.pptx
 
Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptx
Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptxComunicação não violenta LIDI sugestão.pptx
Comunicação não violenta LIDI sugestão.pptx
 
PNL 02
PNL 02PNL 02
PNL 02
 
Desenvolvendo sentimentos!
Desenvolvendo sentimentos!Desenvolvendo sentimentos!
Desenvolvendo sentimentos!
 
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfcomunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
 
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdfcomunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
comunicacao_nao_violenta_apresentacao_maringa.pdf
 
Marcia Comunicação Não Violenta
Marcia Comunicação Não ViolentaMarcia Comunicação Não Violenta
Marcia Comunicação Não Violenta
 
10 comunicação assertiva
10 comunicação assertiva10 comunicação assertiva
10 comunicação assertiva
 
Apresentação.pdf
Apresentação.pdfApresentação.pdf
Apresentação.pdf
 
Lidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroLidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outro
 
Frequencia auto imagem
Frequencia auto imagemFrequencia auto imagem
Frequencia auto imagem
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Autoconsciência
AutoconsciênciaAutoconsciência
Autoconsciência
 
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdf
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdfComunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdf
Comunicação não Violenta - Flávia Mendes (2).pdf
 
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional   as 5 chaves fundamentaisInteligência emocional   as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
 
Ninguém Causa Emoção no Outro
Ninguém Causa Emoção no OutroNinguém Causa Emoção no Outro
Ninguém Causa Emoção no Outro
 
Como melhorar minha comunicação com as pessoas que amo?
Como melhorar minha comunicação com as pessoas que amo?Como melhorar minha comunicação com as pessoas que amo?
Como melhorar minha comunicação com as pessoas que amo?
 
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.5 Passos para Você Controlar suas Emoções.
5 Passos para Você Controlar suas Emoções.
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
Comunicação não violenta
Comunicação não violentaComunicação não violenta
Comunicação não violenta
 

Mais de jorge luiz dos santos de souza

EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS jorge luiz dos santos de souza
 
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...jorge luiz dos santos de souza
 
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...jorge luiz dos santos de souza
 
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...jorge luiz dos santos de souza
 
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...jorge luiz dos santos de souza
 
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...jorge luiz dos santos de souza
 
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SULEDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SULjorge luiz dos santos de souza
 
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...jorge luiz dos santos de souza
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdejorge luiz dos santos de souza
 
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...jorge luiz dos santos de souza
 

Mais de jorge luiz dos santos de souza (20)

NAAF Campus Vacaria
NAAF Campus VacariaNAAF Campus Vacaria
NAAF Campus Vacaria
 
Projeto Escuta!
Projeto Escuta!Projeto Escuta!
Projeto Escuta!
 
Princípios da Administração Pública
Princípios da Administração PúblicaPrincípios da Administração Pública
Princípios da Administração Pública
 
Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018
 
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde NeurofisiológicaCuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
 
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
 
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
 
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
 
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
 
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
 
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
 
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SULEDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
 
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
 
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufscPerímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
 
Educação Física Especial
Educação Física EspecialEducação Física Especial
Educação Física Especial
 
O Nado golfinho
O Nado golfinhoO Nado golfinho
O Nado golfinho
 
Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003
Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003
Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003
 
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
 
Hidroginástica para Idosos
Hidroginástica para IdososHidroginástica para Idosos
Hidroginástica para Idosos
 

Último

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 

Último (20)

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 

Comunicação Não Violenta

  • 2. O que é CNV? ● Segundo Rosenberg (2006) “A Comunicação Não Violenta é baseada nos princípios da não violência. A CNV começa por assumir que somos todos compassivos por natureza e que estratégias violentas (verbais ou físicas) são aprendidas, ensinadas e apoiadas pela cultura dominante.”
  • 3. O que é CNV? ● A Comunicação Não Violenta é baseada nos princípios da não violência. A CNV começa por assumir que somos todos compassivos por natureza e que estratégias violentas (verbais ou físicas) são aprendidas, ensinadas e apoiadas pela cultura dominante. (Rosenberg, 2006)
  • 4. CNV
  • 5. CNV ● Trata-se de um modo de vida baseado na compaixão que, exercida por meio da comunicação, cria relações pacíficas entre as pessoas.
  • 6. CNV ● Ela um excelente instrumento para resolver conflitos e identificar as necessidades de si mesmo e do outro.
  • 7. CNV ● 4 Passos: – Observação; – Sentimentos; – Necessidades; – Pedidos.
  • 8. CNV ● A CNV oferece três pontos de partida para nos conectarmos com o outro: – oferecer empatia; – expressar suas próprias observações, sentimentos e necessidades; – e promover conexão consigo mesmo por meio da auto empatia.
  • 9. CNV na Prática ● Faça observações que estão levando você a sentir necessidade de dizer algo. – Devem ser observações puramente factuais, sem julgamento ou crítica.
  • 10. CNV na Prática ● Afirme o sentimento que a observação lhe desperta e escute o que o outro está sentindo. – Nomear a emoção, sem julgamento moral, permite que os interlocutores se conectem e tenham respeito mútuo.
  • 11. CNV na Prática ● Declare a necessidade que é causa de seu sentimento ou adivinhe a necessidade que causou o sentimento na outra pessoa. – Quando nossas necessidades se encontram, temos sensações felizes e agradáveis; quando elas não se batem, temos sensações desagradáveis. Ao compreender o sentimento, você pode encontrar a necessidade subjetiva. Afirmar a necessidade, sem julgá-la moralmente, lhe dá clareza sobre o que ocorre no seu coração ou no do outro no instante da conversa.
  • 12. CNV na Prática ● Faça um pedido concreto para que a ação encontre a necessidade identificada. – Peça de maneira clara e específica aquilo que você quer em vez de dar dicas ou afirmar apenas o que não deseja. – Para que o pedido seja realmente um pedido, e não uma exigência, permita que a outra pessoa diga não ou proponha alternativas.
  • 13. Mas Lembre-se…. ● Nem sempre você pode adivinhar o que o outro precisa ou sente. – O fato de você escutar e querer compreender sem criticar, julgar, analisar ou discutir fará com que o outro se abra mais. Você pode ajudar alguém a se abrir ao compartilhar honestamente os próprios sentimentos e necessidades. – A técnica básica é se conectar emocionalmente para identificar as necessidades do outro. Ir direto à resolução do problema ou à discussão faz com que o outro se sinta ignorado. (Mundo Maker, 2019)
  • 14. Nossos sentimentos são nossa responsabilidade. – A tristeza que sinto quando alguém querido me decepciona e a raiva que me consome quando alguém me agride são sentimentos que pertencem a mim. – A agressão, ou o ato que serve como gatilho, pode vir de outra pessoa, mas o sentimento é um sistema interno meu para me avisar que tem algo errado. – A responsabilidade pelo que eu sinto é minha, de mais ninguém. Ninguém me deixa triste. Não há pessoa que me dê raiva. Essas frases são ficções que usamos para deslocar para longe de nós a responsabilidade por aquilo que sentimos. – Quando sinto raiva, tristeza, alegria, cabe a mim lidar com esses sentimentos, reconhecer o que eles querem dizer e escolher o que fazer com eles. Isso não significa que é fácil, mas algo que pode ajudar é compreender a razão por trás dos nossos sentimentos.
  • 15. Algumas Frases para se Pensar… ● ”Está se sentindo _____ por precisar de ____?” Enfatize da melhor maneira possível seus sentimentos para preencher os espaços. Você provavelmente conseguirá enxergar a situação através dos olhos dos outros. ● ”Está nervoso por pensar em ____?” A raiva é ativada pelos pensamentos, como “Eu acho que você mentiu”, ou “Eu acho que mereço mais um aumento do que fulano”. Descubra o pensamento e você conseguirá encontrar a necessidade.
  • 16. Leia!
  • 17. Conheça ● https://www.mundomaker.cc/ ● Escola Nacional de Conciliação e Mediação – ENAM; ● Www.cvv.org.br ● Canal Philos – YouTube; ● CNV em Rede – YouTube; ● Saber Coletivo- YouTube;