FORMAÇÃO POR 
ALTERNÂNCIA 
MOTIVAÇÃO NAS 
ESCOLAS FAMILIARES RURAIS 
Francisco da Cruz Fernandes 
Fundamentos da Direcção ...
A MOTIVAÇÃO 
2 
A motivação é uma energia que orienta a conduta humana a um objectivo. PENSAMENTOS 
ESTRATÉGIAS 
SENTIMENT...
3 
TIPOS DE MOTIVAÇÃO 
TIPOS DE MOTIVAÇÕES NAS PESSOAS 
(estudo jovens) RELACIONADAS COM A AUTOESTIMA 
RELACIONADAS COM A ...
FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE 
Um trabalho de alta qualidade supõe uma das motivações mais altas. 
A satisfação de esta...
As experiências anteriores conformam o nosso autoconceito. 
A partir do autoconceito nós construímos expectativas em rel...
A MOTIVAÇÃO EXTRÍNSECA 
As recompensas externas, como as notas, as bolsas, os prémios, a promoção, o dinheiro, o diploma,...
7 
Sergio é novo na EFR. A entrada numa escola nova e com um sistema diferente, significa começar tudo de novo: colegas, f...
8 
MEIO ENVOLVENTE 
¿COM QUEM? 
¿QUANDO? ¿ONDE? 
ACTIVIDADES 
¿QUE? 
CAPACIDADES 
¿COMO? 
CRENÇAS-VALORES 
¿PARA QUÊ? 
IDE...
9 
O meio envolvente também educa e pode ser enormemente motivador, neutro ou fortemente desmotivador. Os murais, os livro...
10 
É de vital importância ......... 
AJUDAR AOS ALUNOS 
A ASSUMIR CAPACIDADES PROPORCIONAR-LHES CRENÇAS POTENCIADORAS
AS 5 LEIS DA MOTIVAÇÃO 
Predisposição / Efeito / Exercício Novidade / Vivência 
1.Lei da Predisposição Quando uma pessoa e...
AS 5 LEIS DA MOTIVAÇÃO (cont.) 
3. Lei do Exercício Quando um estímulo provoca uma reação determinada, o laço que une o es...
13 
Todas as pessoas captam as informações através dos cinco sentidos, mas, tendo em conta os sentidos que mais intervêem ...
AS MOTIVAÇÕES HUMANAS (alguns conceitos) 
•Motivo (o primeiro no intelecto; o “móbil”; incentivo; propósito; proporciona d...
Motivos (incentivo à realização da acção) 
Extrínsecos: atribuído por pessoa diferente daquela que a executa (remuneração...
Motivações (impulso, energia, disposição para actuar) 
Extrínsecas (procura de consequências externas à acção, que alguém...
Consequências (resultados da acção; necessidades que são preenchidas) 
Motivação Extrínseca 
(âmbito do ter: satisfazem-se...
Motivos + e – (conforme as consequências forem + ou – para quem as recebe) 
Extrínsecos +: salário, bónus, reconhecimento...
Unidade 
Identificação 
Ser 
Transcendente 
Comunicação e Participação 
Atractividade 
Adesão 
Saber 
Intrínseca 
Formação...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Motivação nas Escolas Profissionais F.R. de Moçambique ( Por: Francisco da Cruz). Tipos de Motivações, as 5 leis da motivação, os sentidos e as motivações humanas.

561 visualizações

Publicada em

Motivação nas Escolas Profissionais F.R. de Moçambique ( Por: Francisco da Cruz). Tipos de Motivações, as 5 leis da motivação, os sentidos e as motivações humanas.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Motivação nas Escolas Profissionais F.R. de Moçambique ( Por: Francisco da Cruz). Tipos de Motivações, as 5 leis da motivação, os sentidos e as motivações humanas.

  1. 1. FORMAÇÃO POR ALTERNÂNCIA MOTIVAÇÃO NAS ESCOLAS FAMILIARES RURAIS Francisco da Cruz Fernandes Fundamentos da Direcção de Empresas, J.A. Perez-Lopez, IESE Outcome-Based Theory of Work Motivation, P. Cardona, IESE GERMANS ESCOLES CRISTIANES Fundación Marzano.
  2. 2. A MOTIVAÇÃO 2 A motivação é uma energia que orienta a conduta humana a um objectivo. PENSAMENTOS ESTRATÉGIAS SENTIMENTOS ACTIVIDADES MOTIVAÇÃO 2
  3. 3. 3 TIPOS DE MOTIVAÇÃO TIPOS DE MOTIVAÇÕES NAS PESSOAS (estudo jovens) RELACIONADAS COM A AUTOESTIMA RELACIONADAS COM A TAREFA E CONSIGO MESMO (INTRÍNSECA) Devido ao desejo de fazer um trabalho de qualidade. Estimula para aprofundar na matéria e dominar os conceitos e procedimentos Os êxitos e fracassos vão definindo o auto-conceito. O auto conceito conforma as expectativas e estas têm tendência a confirmar-se. RELACIONADAS COM AS RECOMPENSAS EXTERNAS (EXTRÍNSECA) Trata-se da satisfação afectiva que produz tanto buscar a aceitação das outras pessoas ou de recompensas externas do tipo prémios, notas, elogios, etc.
  4. 4. FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Um trabalho de alta qualidade supõe uma das motivações mais altas. A satisfação de estar contente consigo mesmo é uma fonte importante de motivação. 4 4
  5. 5. As experiências anteriores conformam o nosso autoconceito. A partir do autoconceito nós construímos expectativas em relação às experiências futuras. 5 MOTIVAÇÃO E AUTOCONCEITO 5
  6. 6. A MOTIVAÇÃO EXTRÍNSECA As recompensas externas, como as notas, as bolsas, os prémios, a promoção, o dinheiro, o diploma, o assumir um trabalho ou uma responsabilidade ,... são factores de motivação extrínseca. 6 6
  7. 7. 7 Sergio é novo na EFR. A entrada numa escola nova e com um sistema diferente, significa começar tudo de novo: colegas, formadores, espaços,... Tenho-me que ir acostumando aos poucos. Estamos no início do ano e o Sérgio faz as primeiras provas. Na verdade, os livros não são o seu forte, e no dia em que o tutor dirá as notas não espera nada de bom. Exemplo: Sérgio tem dificuldades na EFR E assim foi. Como já sopunha, as notas não foram nada boas e quando o tutor comenta sobre o assunto, o Sérgio diz a si mesmo algumas das frases seguintes: 1.- “Fiz uma má prova”. 2.- “Não tenho culpa, no dia da prova estava meio doente”. 3.- “Sou um desastre como estudante”. 4.- “Na verdade é que sou um pouco preguiçoso, as minhas atitudes perante tudo são passivas”. 5.- “Ainda que coopere bastante nos trabalhos de grupo, acho que não é suficiente para passar. O formador já me disse que se não melhoro não passo”.
  8. 8. 8 MEIO ENVOLVENTE ¿COM QUEM? ¿QUANDO? ¿ONDE? ACTIVIDADES ¿QUE? CAPACIDADES ¿COMO? CRENÇAS-VALORES ¿PARA QUÊ? IDENTIDADE ¿QUEM?
  9. 9. 9 O meio envolvente também educa e pode ser enormemente motivador, neutro ou fortemente desmotivador. Os murais, os livros, as revistas, a televisão, o vídeo, os pósters, uma ambientação adequada,... Além de mais, os alunos motivados sabem superar-se, eles mesmos, criam os meios envolventes estimulantes. DISPOMOS DE UM MEIO ENVOLVENTE ESTIMULANTE Portanto, melhoraremos a motivação se... FAVORECEMOS AS ACTIVIDADES QUE AJUDAM À APRENDIZAGEM As condutas, ou situações de ensino-aprendizagem, constituem a componente nuclear da motivação e o formador sabe propô- las para conseguir uma qualidade destacada de ensino. Fomentar condutas como trabalhos grupais, exposições, audiovisuais, trabalhos de investigação, centros de interesse, noticias de actualidade, interesses dos alunos,... Contribuem a resultados positivos.
  10. 10. 10 É de vital importância ......... AJUDAR AOS ALUNOS A ASSUMIR CAPACIDADES PROPORCIONAR-LHES CRENÇAS POTENCIADORAS
  11. 11. AS 5 LEIS DA MOTIVAÇÃO Predisposição / Efeito / Exercício Novidade / Vivência 1.Lei da Predisposição Quando uma pessoa está predisposta a realizar uma tarefa, já constitui um ganho. Uma das nossas metas é conseguir esta predisposição. 2. Lei do Efeito O organismo tende a reproduzir as experiências agradáveis e a fugir às desagráveis. 11
  12. 12. AS 5 LEIS DA MOTIVAÇÃO (cont.) 3. Lei do Exercício Quando um estímulo provoca uma reação determinada, o laço que une o estímulo com a resposta pode ser reforçado mediante o exercício. 4. Lei da Novidade Em igualdade de condições, o último que se pratica será recordado com mais eficácia. 5. Lei da Vivência Ter vivências do que se estuda ajuda a fixar os conteúdos Envolver um máximo de sentidos é uma boa estratégia. 12
  13. 13. 13 Todas as pessoas captam as informações através dos cinco sentidos, mas, tendo em conta os sentidos que mais intervêem no ensino podemos falar de alunos: 1.- Visuais, que têm o sentido da vista como sentido prioritário (dizemos que têm uma memória fotográfica). 2.- Auditivos, que têm o sentido do ouvido como sentido fundamental. 3.- Cenestésicos, que recolhem a informação tanto pelo sentido do tacto como pelos sentimentos que esta informação os produz. OS SENTIDOS
  14. 14. AS MOTIVAÇÕES HUMANAS (alguns conceitos) •Motivo (o primeiro no intelecto; o “móbil”; incentivo; propósito; proporciona direccionalidade; expectativas sobre as consequências da acção; causa final); •Motivação (impulso; energia interna para a acção, disposição para actuar; causa eficiente); •Consequências (resultado da acção; desfecho; alcance; carência a cobrir como resultado da acção) 14
  15. 15. Motivos (incentivo à realização da acção) Extrínsecos: atribuído por pessoa diferente daquela que a executa (remuneração, reconhecimento, elogio, etc.) Intrínsecos: depende do facto de se realizar a acção (satisfação, realização, aprendizagem, segurança, empregabilidade, etc.) Transcendentes: pelo que provoca em pessoas diferentes de quem executa a acção (orientação ao cliente, ajuda a um colega, etc.) 15
  16. 16. Motivações (impulso, energia, disposição para actuar) Extrínsecas (procura de consequências externas à acção, que alguém atribui à acção, sejam ou não materiais) Intrínsecas (procura de consequências derivadas da própria acção: aprendizagem, satisfação, segurança) Transcendentes (procura de consequências que satisfaçam necessidades de outros) 16
  17. 17. Consequências (resultados da acção; necessidades que são preenchidas) Motivação Extrínseca (âmbito do ter: satisfazem-se fora da pessoa; materiais ou não); Motivação Intrínseca (âmbito do saber: ligadas às capacidades da pessoa; relacionado com conhecimento) Motivação Transcendente (âmbito do ser: ligadas ao relacionamento com os outros; desejo de contribuir, sentido de pertença; componente afectivo) 17
  18. 18. Motivos + e – (conforme as consequências forem + ou – para quem as recebe) Extrínsecos +: salário, bónus, reconhecimento Extrínsecos -: castigos, sanções físicas e emocionais; Intrínsecos +: projectos de elevado potencial, novos desafios; Intrínsecos -: tarefas rotineiras, aborrecidas; Transcendentes +: ajuda a outras pessoas, organização, sociedade; Transcendentes -: prejudicar outros por inveja, vingança. 18
  19. 19. Unidade Identificação Ser Transcendente Comunicação e Participação Atractividade Adesão Saber Intrínseca Formação Eficácia Interesse Ter Extrínseca Remunerativa Políticas, Motivações e Objectivos 19 (Quadro-resumo) Muito obrigado

×