SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Motivação
do Latim movere, move
o impulso
interno que
leva à ação
Para o cérebro pensamentos
(imaginação) é realidade
Teste de
Motivação
• 1 – Que sentimento e/ou atitude você tem sobre
a aposentadoria?
a) Desde que começou a trabalhar, você conta os
dias que faltam para a GRANDE DATA
b) Está louco para que chegue este DIA DE
LIBERTAÇÃO
c) Tem projetos alternativos para sua vida pessoal
e profissional
d) Você acha que no dia que sair da empresa
morre antes de dormir
• 2 – Você está jantando com sua família e começa
a falar sobre seu chefe:
a) Imediatamente pede um remédio para o
estômago
b) Esta cena jamais ocorreria, pois assuntos
profissionais não entram em casa
c) Combinam convidá-lo para um próximo jantar
d) Você guarda um pedaço da torta de chocolate
para levar para ele no dia seguinte
• 3 – Você ganha 5 milhões na mega-sena:
a) Imediatamente redige uma carta para sua
empresa "dizendo o que nunca teve coragem
para dizer"
b) Fica feliz com sua independência
c) Começa a pensar em uma nova relação de
trabalho com sua própria empresa (parceria)
d) Compra os 5 milhões de reais em ações da
sua organização
• 4 – Ao dormir Domingo à noite e lembrar que
o dia seguinte é Segunda-Feira:
a) Você começa a tremer e toma um Lexotan
b) Passa por você uma certa sensação esquisita
c) Você mentaliza que se inicia mais uma
semana de criação e desenvolvimento
d) Você dá graças a Deus e sonha com os anjos
• 5 – Quando seu chefe o chama para trabalhar no
final de semana para terminar um projeto:
a) Você toma um litro de uísque para "esquecer a
desgraça"
b) Você vai com uma pesada sensação de que está
caminhando para a forca
c) Você pensa que é um sacrifício eventual que
vale para o desenvolvimento da empresa
d) Você propõe que a equipe se mude para um
hotel para trabalhar 24 horas por dia
• 6 – Quando você está trabalhando com sua equipe:
a) Você percebe que ficam todos encostados na parede
com medo da "ação do próximo"
b) Você percebe que seus companheiros de trabalho se
sentem com a obrigação de se entenderem bem
c) Você se sente em um time cujos membros são unidos
pelo respeito e até pela admiração mútua
d) Você considera esta turma muito mais importante
que sua família
• 7 – Semana que vem, o feriado cai na Quinta-Feira e a
empresa vai "emendar":
a) Você acha que o Presidente da República deveria assinar
uma lei que tornasse feriado toda Quinta ou Terça
b) Desde o início do ano você já tem planos de viagem para
esta data
c) Você gosta, mas se preocupa com os impactos negativos
nos resultados do seu trabalho e no desempenho da
empresa
d) Você se rebela contra a "emenda", vai trabalhar na
Quinta, na Sexta e, para dar o exemplo, também no
Sábado até às 9 horas da noite
• 8 – Fora da empresa e do horário de trabalho:
a) Você deleta a empresa da sua mente e não
admite confundir as coisas
b) Esporadicamente você faz algum comentário
sobre "o local do sacrifício"
c) Sem exageros você busca conexões entre o
mundo, o ambiente externo e o lugar onde você
se desenvolve como ser humano e profissional
d) Quem está fora da empresa é seu corpo, pois
seu cérebro pertence 24 horas à organização
• 9 – Ao se imaginar daqui a dez anos na
mesma empresa:
a) Você chega a pensar em suicídio
b) Você começa a chorar
c) Você planeja como será o seu
desenvolvimento pessoal dentro da
organização neste período
d) Você não tem dúvida de que esta é a única
opção que você admite para sua vida
• 10 – Qual a sua relação com o trabalho:
a) Um castigo de Deus
b) Uma relação burocrático-jurídica, em que você
troca dez horas do seu dia por um cheque no
final do mês.
c) Uma oportunidade para você cumprir sua
missão terrena, agregando valor ao universo e
recebendo uma justa remuneração material em
troca
d) A única coisa importante na sua vida
• 11 – No almoço de trabalho ou no elevador da
empresa você se junta a mais quatro ou cinco colegas:
a) Tem sempre um advogado junto, ajudando a
"tchurma" a entrar na Justiça para receber direitos
trabalhistas do passado
b) O papo se concentra no próximo aumento salarial
c) Idéias são trocadas para melhorar a integração
pessoal, o ambiente humano e o desempenho da
empresa
d) Discutem-se o corte de custos e a próxima demissão
de pessoal
• 12 – Você recebe um convite para sair da
empresa. Em que situação você recusa ou aceita
a nova oportunidade?
a) Sai agora até por menos vinte por cento do
salário que ganha hoje
b) Pelo mesmo salário você aceita
c) Depende de vários fatores, incluindo o ambiente
humano da nova organização, a perspectiva de
desenvolvimento oferecida e, claro, uma justa
remuneração
d) Você quer dinheiro, dinheiro, dinheiro.
Some:
• 1 ponto para cada resposta (a)
• 2 pontos para cada resposta (b)
• 3 pontos para cada resposta (c)
• 4 pontos para cada resposta (d)
• É o processo psicofisiológico responsável pelo
desencadeamento, pela manutenção e pela
cessação de um comportamento.
Corresponde a um estado interior que
induz o indivíduo a assumir um
comportamento,
podendo ser analisada pela direção,
intensidade e persistência do
comportamento.
Está diretamente ligada aos nossos
desejos, necessidades e vontades.
A motivação é uma das chaves para a
compreensão do comportamento humano;
age sobre o pensamento, a atenção, a emoção
e a ação.
Envolve anseios, desejo, esforço, sonho e
esperanças.
motivo + ação
a força (motivo) que me leva a agir...
Teorias da Motivação
Teorias de Conteúdo
foco nas necessidades
(o comportamento é orientado
para sua satisfação).
• “Teoria da Hierarquia de
Necessidades”, de Abraham
Maslow (1954)
• A motivação humana é
complexa!
– Atribuiu cinco necessidades;
– Estabeleceu uma hierarquia para
as necessidades;
– Idealizou uma Pirâmide para
mostrar a dimensão das
necessidades.
Hierarquia de Necessidades
Necessidades
Fisiológicas
Necessidades de
Segurança
Necessidades
Sociais
Necessidade
de Estima
Necessidade de
Auto-realização
Necessidades
primárias
Necessidades
secundárias
Hierarquia das necessidades humanas de A. Maslow
Hierarquia das Necessidades
(Maslow)
• Necessidades Primárias
1. Fisiológicas: alimentação, abrigo, repouso,
alívio da dor, ar, bebida.
2. Segurança: proteção contra perigos,
privações e ameaças, ou seja, contra a
guerra, violência, doença, pobreza.
Hierarquia das necessidades de Maslow
• Necessidades Secundárias
3. Sociais: amor, amizade, aceitação pelos
grupos e pelos outros.
4. Estima: reputação, reconhecimento, auto
respeito, admiração.
5. Auto realização: Realização do potencial de
cada indivíduo, maximizando o uso das suas
capacidades e potencialidades.
Hierarquia das necessidades de Maslow
• Herzberg Estudou a
satisfação e a insatisfação
no trabalho:
– Descobriu que a satisfação
e a insatisfação não são
opostas, são pólos
diferentes.
– Criou os dois fatores:
higiênicos e motivacionais:
• Na administração, os fatores
higiênicos devem ser vistos
como prevenção, profilaxia.
Teoria dos dois Fatores de Herzberg
• Fatores higiênicos – ou extrínsecos,
• Fatores motivacionais – ou intrínsecos.
• Estes dois fatores são independentes
SATISFAÇÃO E INSATISFAÇÃO NO
TRABALHO (HERZBERG)
f. higiênicos
INSATISFAÇÃO ------------------------ NÃO INSATISFAÇÃO
f. motivacionais
NÃO SATISFAÇÃO --------------------------------SATISFAÇÃO
• Fatores higiênicos – relacionados ao ambiente humano,
funcionando para impedir a insatisfação no trabalho. Ex:
remuneração, segurança, relações interpessoais.
• Fatores motivacionais – relacionados à tarefa, funcionando para
promover a satisfação no trabalho. Ex: características específicas
do trabalho, concretização da tarefa, reconhecimento,
responsabilidade, desenvolvimento.
• Higiênicos ou extrínsecos.
– São fatores localizados no ambiente que rodeia os indivíduos na
organização.
– São administrados e decididos pela empresa.
• Salários
• Benefícios
• Tipos de supervisão,
• Condições físicas e ambientais de trabalho,
• Políticas da empresa,
• Clima de relacionamento entre funcionários e empresa.
Teoria dos dois Fatores de Herzberg
• Motivacionais ou intrínsecos.
– São fatores que estão sob o controle do indivíduo.
– Referem-se ao conteúdo do cargo e às tarefas executadas
pelos empregados.
• Conquistas
• Reconhecimento
• Trabalho sendo realizado
• Responsabilidades
• Avançar na carreira
• Crescimento pessoal
Teoria dos dois Fatores de Herzberg
Teoria dos dois fatores de Frederick
Herzberg
32
Teoria X e Y de Mc Gregor
• Essa teoria surgiu a
partir da prática
norte-americana,
em que o autor
apresenta a
associação negativa
entre o homem e o
trabalho.
• Seu trabalho mais conhecido é sua teoria
motivacional apresentada no seu livro The
Human Side of Enterprise (O lado humano da
empresa), de 1960, ele defende a ideia de que
existem dois tipos fundamentais de pessoas,
dois perfis de personalidade e
comportamento, chamados por ele
de Teoria X e Y.
Teoria X e Y de Mc Gregor
Teoria X de Mc Gregor
Princípios básicos:
• aversão do homem ao trabalho;
• necessidade de controle e punição, para cumprir os objetivos;
• esquiva-se das responsabilidades, pois o funcionário está interessado em ganhos
financeiros e pessoais;
• A gestão pautada na teoria de Mc Gregor [10] diverge da teoria de Maslow, pois
ignora os estudos da teoria das necessidades em que a motivação é dada
hierarquicamente. Na teoria X o homem é considerado estático por ele próprio ser
desmotivado, e somente quando é supervisionado se esforça para atingir os
objetivos. Alguns administradores possuem outro ponto de vista, o que o autor Mc
Gregor nomeou de Teoria Y, nesta teoria os problemas motivacionais possuem
caráter gerencial. A teoria Y possui três princípios:
• a fonte de satisfação ou punição depende do contexto;
• o funcionário está disposto a enfrentar as responsabilidades, aprender,
autogerenciar
• colocar em prática suas ideias e habilidades;
Teoria X de Mc Gregor
• Nesta teoria, chamada por McGregor de "Hipótese da
mediocridade das massas", ele parte do pressuposto de que os
trabalhadores possuem uma aversão nata à responsabilidade e às
tarefas do trabalho, necessitando sempre de ordens superiores
para render alguma coisa no trabalho.
• Estas ordens vêm sempre acompanhadas de punição, elogios,
dinheiro, coação etc.; artifícios utilizados pelos gestores para tentar
gerar um empenho maior do colaborador.
• McGregor acreditava que as necessidades de ordem inferior na
escala de Maslow dominavam as pessoas nesta Teoria. Assim, as
organizações precisavam colocar a ênfase de sua gestão na
satisfação dos fatores higiênicos dos trabalhadores, conforme
estudamos na Teoria dos Dois Fatores de Herzberg.
Teoria X de Mc Gregor
Princípios básicos:
• aversão do homem ao trabalho;
• necessidade de controle e punição, para
cumprir os objetivos;
• esquiva-se das responsabilidades, pois o
funcionário está interessado em ganhos
financeiros e pessoais;
Teoria Y de Mc Gregor
Nesta teoria a coisa muda de figura.
Aqui os trabalhadores são encarados como pessoas
altamente competentes, responsáveis e criativas, que
gostam de trabalhar e o fazem como diversão.
Aqui é necessário que as empresas proporcionem
meios para que estas pessoas possam dar o melhor de
si, com mais desafios, participações e influências na
tomada de decisão.
McGregor acreditava que as necessidades de ordem
superior na escala de Maslow dominavam as pessoas
nesta Teoria.
Teoria Y de Mc Gregor
Princípios básicos da Teoria Y são:
• 1. O esforço físico e mental empregado no trabalho é tão natural
quanto o empregado em momentos de lazer;
• 2. O esforço de atingir os objetivos da organização está ligado às
recompensas decorrentes e não ao controle rígido e às punições;
• 3. O indivíduo comum não só aceita a responsabilidade do trabalho,
como também as procura.
• 4. Os indivíduos são criativos e inventivos, buscam sempre a
solução para os problemas da empresa;
• 5. Os trabalhadores têm a capacidade de se auto-gerirem nas
tarefas que visam atingir objetivos pessoais e estratégicos da
organização, sem a necessidade de ameaças ou punições;
• 6. O trabalhador normalmente não faz aquilo que não acredita. Por
isso exige cada vez mais benefícios para compensar o incômodo de
desempenhar uma função desagradável.
Teoria Y de Mc Gregor
Nesta teoria a coisa muda de figura.
Aqui os trabalhadores são encarados como pessoas
altamente competentes, responsáveis e criativas, que
gostam de trabalhar e o fazem como diversão.
Aqui é necessário que as empresas proporcionem
meios para que estas pessoas possam dar o melhor de
si, com mais desafios, participações e influências na
tomada de decisão.
McGregor acreditava que as necessidades de ordem
superior na escala de Maslow dominavam as pessoas
nesta Teoria.
Teste de
Motivação
Resultado
• Entre 12 e 17 pontos:
Deve estar difícil viver. Uma boa solução é realmente jogar na mega-sena e em todas as loterias ou
então torcer para aquela velha tia rica morrer e deixá-lo como único herdeiro. Apesar de tudo,
tente rever sua relação com o trabalho e as crenças que construíram esta raiva tão grande que você
tem do trabalho.
• Entre 18 e 27 pontos:
Você caminha todo o dia para o sacrifício, mas em alguns momentos há uma luz no fim do túnel
onde a motivação começa a aparecer. Uma boa solução talvez seja a troca da empresa. Não deixe,
também, de rever suas crenças em relação ao trabalho.
• Entre 28 e 39 pontos:
Parabéns! Você é um exemplo de motivação e apresenta um excelente equilíbrio entre a vida
pessoal e a profissional. Você entende que o trabalho (especificamente na sua empresa) é um
importante instrumento de desenvolvimento e evolução. Tente mostrar aos outros suas crenças em
relação a ele.
• Entre 40 e 45 pontos:
Mais do que motivado, você é dependente do trabalho. Workaholic é seu estado de espírito. Você
deve estar com sua família de centro de custo e se comunicando por e-mail com seus filhos. Tente
voltar à faixa dos 36 pontos.
• Mais de 45 pontos:
Você não é um ser humano. Você é um robô. A vida para você é um fluxo de caixa e as palavras
humanas escrevem da seguinte forma: @mor; $entimento, Feli$$idade.
CURTIGRAMA
Teorias da Motivação no Trabalho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorInteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorYonara Mateus
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeDenisia Teixeira
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalLeandro Lopes
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipeEduardo Maróstica
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipeaavbatista
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalCintia Meneghini
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDertati_spazziano
 
Grupos e Equipes
Grupos e EquipesGrupos e Equipes
Grupos e EquipesJOSUE DIAS
 
Gestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta PerformanceGestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta PerformanceThiago Villaça
 

Mais procurados (20)

Palestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - VixPalestra Motivação - Vix
Palestra Motivação - Vix
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorInteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipe
 
Como lidar com_mudancas_e_enfretar_desafios
Como lidar com_mudancas_e_enfretar_desafiosComo lidar com_mudancas_e_enfretar_desafios
Como lidar com_mudancas_e_enfretar_desafios
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDer
 
Grupos e Equipes
Grupos e EquipesGrupos e Equipes
Grupos e Equipes
 
As Emoções e a Inteligência Emocional
As Emoções e a Inteligência EmocionalAs Emoções e a Inteligência Emocional
As Emoções e a Inteligência Emocional
 
Gestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta PerformanceGestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta Performance
 
Como tornar-se um lider
Como tornar-se um liderComo tornar-se um lider
Como tornar-se um lider
 

Destaque

Motivação para o desempenho
Motivação para o desempenhoMotivação para o desempenho
Motivação para o desempenhophysiopaulo
 
Sessao 1 pso ecm d pl
Sessao 1 pso ecm d plSessao 1 pso ecm d pl
Sessao 1 pso ecm d plAndreecm
 
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...Eduardo Araujo
 
Psicossociologia das organizações
Psicossociologia das organizaçõesPsicossociologia das organizações
Psicossociologia das organizaçõesArlindo Oliveira
 
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015 Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015 Marcos Magnanti
 
Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)Tiago Reis
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Rebeca Pereira
 
Apresentação Produtividade e Desempenho
Apresentação Produtividade e DesempenhoApresentação Produtividade e Desempenho
Apresentação Produtividade e DesempenhoHugo Rodrigues
 
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 -  A Psicologia do Comportamento OrganizacionalAula 2 -  A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento OrganizacionalFelipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 MotivaçãoLuiz Siles
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOLudmila Moura
 
Liderança e Motivação
Liderança e  MotivaçãoLiderança e  Motivação
Liderança e MotivaçãoVania Cardoso
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioMike Barria
 

Destaque (16)

Produtividade
ProdutividadeProdutividade
Produtividade
 
Motivação para o desempenho
Motivação para o desempenhoMotivação para o desempenho
Motivação para o desempenho
 
Sessao 1 pso ecm d pl
Sessao 1 pso ecm d plSessao 1 pso ecm d pl
Sessao 1 pso ecm d pl
 
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...
Fatores de motivação na participação dos componentes da fanfarra colégio padr...
 
Psicossociologia das organizações
Psicossociologia das organizaçõesPsicossociologia das organizações
Psicossociologia das organizações
 
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015 Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015
Aulas Gestão da Qualidade & Produtividade 2015
 
Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)Motivation Theories (Teorias da motivação)
Motivation Theories (Teorias da motivação)
 
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
Motivação e Satisfação organizacionais -- Motivação e satisfação no ambiente ...
 
Apresentação Produtividade e Desempenho
Apresentação Produtividade e DesempenhoApresentação Produtividade e Desempenho
Apresentação Produtividade e Desempenho
 
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 -  A Psicologia do Comportamento OrganizacionalAula 2 -  A Psicologia do Comportamento Organizacional
Aula 2 - A Psicologia do Comportamento Organizacional
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
 
Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
 
Liderança e Motivação
Liderança e  MotivaçãoLiderança e  Motivação
Liderança e Motivação
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
 

Semelhante a Teorias da Motivação no Trabalho

motivao-150923124818-lva1-app6891.pptx
motivao-150923124818-lva1-app6891.pptxmotivao-150923124818-lva1-app6891.pptx
motivao-150923124818-lva1-app6891.pptxRobertoBoyadjian1
 
Apostila empreendedorismo 2010 2
Apostila empreendedorismo   2010 2Apostila empreendedorismo   2010 2
Apostila empreendedorismo 2010 2Carolinerocha70
 
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...Gleison Guimarães
 
Assistente Administrativo
Assistente AdministrativoAssistente Administrativo
Assistente AdministrativoLiberty Ensino
 
21p, segredos da motivação
21p, segredos da motivação21p, segredos da motivação
21p, segredos da motivaçãoValentina Silva
 
Os segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacaoOs segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacao123nonato
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCadernos PPT
 
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amory
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amoryContra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amory
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amoryAmory Serviços Ltda.
 
Ambiente de trabalho
Ambiente de trabalhoAmbiente de trabalho
Ambiente de trabalhoelisabatista7
 
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfvitoraugustomb
 
Tema_3_Abordagem comportamental.pdf
Tema_3_Abordagem comportamental.pdfTema_3_Abordagem comportamental.pdf
Tema_3_Abordagem comportamental.pdfHamersonFirmino1
 
Os Segredos da motivação
Os Segredos da motivaçãoOs Segredos da motivação
Os Segredos da motivaçãoNome Sobrenome
 
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e AtualidadeElder Moraes
 
Resumo das questóes de hpa 2
Resumo das questóes de hpa 2Resumo das questóes de hpa 2
Resumo das questóes de hpa 2Carolina Souza
 

Semelhante a Teorias da Motivação no Trabalho (20)

motivao-150923124818-lva1-app6891.pptx
motivao-150923124818-lva1-app6891.pptxmotivao-150923124818-lva1-app6891.pptx
motivao-150923124818-lva1-app6891.pptx
 
Apostila empreendedorismo 2010 2
Apostila empreendedorismo   2010 2Apostila empreendedorismo   2010 2
Apostila empreendedorismo 2010 2
 
Avaliando oportunidades
Avaliando oportunidadesAvaliando oportunidades
Avaliando oportunidades
 
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...
Seu patrão é arrogante? Já gritou com você? Quantas vezes falou que você não ...
 
Assistente Administrativo
Assistente AdministrativoAssistente Administrativo
Assistente Administrativo
 
Biz miz o1 m2_u2.2_r7_pt
Biz miz o1 m2_u2.2_r7_ptBiz miz o1 m2_u2.2_r7_pt
Biz miz o1 m2_u2.2_r7_pt
 
Teste de Empreendedorismo
Teste de EmpreendedorismoTeste de Empreendedorismo
Teste de Empreendedorismo
 
Thinking Hack - in 18 minutes
Thinking Hack - in 18 minutesThinking Hack - in 18 minutes
Thinking Hack - in 18 minutes
 
21p, segredos da motivação
21p, segredos da motivação21p, segredos da motivação
21p, segredos da motivação
 
Os segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacaoOs segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacao
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacional
 
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amory
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amoryContra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amory
Contra o relógio, a inercia e o comodismo, por federico amory
 
Ambiente de trabalho
Ambiente de trabalhoAmbiente de trabalho
Ambiente de trabalho
 
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
 
Tema_3_Abordagem comportamental.pdf
Tema_3_Abordagem comportamental.pdfTema_3_Abordagem comportamental.pdf
Tema_3_Abordagem comportamental.pdf
 
Os Segredos da motivação
Os Segredos da motivaçãoOs Segredos da motivação
Os Segredos da motivação
 
Os segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacaoOs segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacao
 
Os segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacaoOs segredos da_motivacao
Os segredos da_motivacao
 
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade
10 Mandamentos - Aula 01 - Liberdade e Atualidade
 
Resumo das questóes de hpa 2
Resumo das questóes de hpa 2Resumo das questóes de hpa 2
Resumo das questóes de hpa 2
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 

Teorias da Motivação no Trabalho

  • 2. do Latim movere, move o impulso interno que leva à ação
  • 3. Para o cérebro pensamentos (imaginação) é realidade
  • 5. • 1 – Que sentimento e/ou atitude você tem sobre a aposentadoria? a) Desde que começou a trabalhar, você conta os dias que faltam para a GRANDE DATA b) Está louco para que chegue este DIA DE LIBERTAÇÃO c) Tem projetos alternativos para sua vida pessoal e profissional d) Você acha que no dia que sair da empresa morre antes de dormir
  • 6. • 2 – Você está jantando com sua família e começa a falar sobre seu chefe: a) Imediatamente pede um remédio para o estômago b) Esta cena jamais ocorreria, pois assuntos profissionais não entram em casa c) Combinam convidá-lo para um próximo jantar d) Você guarda um pedaço da torta de chocolate para levar para ele no dia seguinte
  • 7. • 3 – Você ganha 5 milhões na mega-sena: a) Imediatamente redige uma carta para sua empresa "dizendo o que nunca teve coragem para dizer" b) Fica feliz com sua independência c) Começa a pensar em uma nova relação de trabalho com sua própria empresa (parceria) d) Compra os 5 milhões de reais em ações da sua organização
  • 8. • 4 – Ao dormir Domingo à noite e lembrar que o dia seguinte é Segunda-Feira: a) Você começa a tremer e toma um Lexotan b) Passa por você uma certa sensação esquisita c) Você mentaliza que se inicia mais uma semana de criação e desenvolvimento d) Você dá graças a Deus e sonha com os anjos
  • 9. • 5 – Quando seu chefe o chama para trabalhar no final de semana para terminar um projeto: a) Você toma um litro de uísque para "esquecer a desgraça" b) Você vai com uma pesada sensação de que está caminhando para a forca c) Você pensa que é um sacrifício eventual que vale para o desenvolvimento da empresa d) Você propõe que a equipe se mude para um hotel para trabalhar 24 horas por dia
  • 10. • 6 – Quando você está trabalhando com sua equipe: a) Você percebe que ficam todos encostados na parede com medo da "ação do próximo" b) Você percebe que seus companheiros de trabalho se sentem com a obrigação de se entenderem bem c) Você se sente em um time cujos membros são unidos pelo respeito e até pela admiração mútua d) Você considera esta turma muito mais importante que sua família
  • 11. • 7 – Semana que vem, o feriado cai na Quinta-Feira e a empresa vai "emendar": a) Você acha que o Presidente da República deveria assinar uma lei que tornasse feriado toda Quinta ou Terça b) Desde o início do ano você já tem planos de viagem para esta data c) Você gosta, mas se preocupa com os impactos negativos nos resultados do seu trabalho e no desempenho da empresa d) Você se rebela contra a "emenda", vai trabalhar na Quinta, na Sexta e, para dar o exemplo, também no Sábado até às 9 horas da noite
  • 12. • 8 – Fora da empresa e do horário de trabalho: a) Você deleta a empresa da sua mente e não admite confundir as coisas b) Esporadicamente você faz algum comentário sobre "o local do sacrifício" c) Sem exageros você busca conexões entre o mundo, o ambiente externo e o lugar onde você se desenvolve como ser humano e profissional d) Quem está fora da empresa é seu corpo, pois seu cérebro pertence 24 horas à organização
  • 13. • 9 – Ao se imaginar daqui a dez anos na mesma empresa: a) Você chega a pensar em suicídio b) Você começa a chorar c) Você planeja como será o seu desenvolvimento pessoal dentro da organização neste período d) Você não tem dúvida de que esta é a única opção que você admite para sua vida
  • 14. • 10 – Qual a sua relação com o trabalho: a) Um castigo de Deus b) Uma relação burocrático-jurídica, em que você troca dez horas do seu dia por um cheque no final do mês. c) Uma oportunidade para você cumprir sua missão terrena, agregando valor ao universo e recebendo uma justa remuneração material em troca d) A única coisa importante na sua vida
  • 15. • 11 – No almoço de trabalho ou no elevador da empresa você se junta a mais quatro ou cinco colegas: a) Tem sempre um advogado junto, ajudando a "tchurma" a entrar na Justiça para receber direitos trabalhistas do passado b) O papo se concentra no próximo aumento salarial c) Idéias são trocadas para melhorar a integração pessoal, o ambiente humano e o desempenho da empresa d) Discutem-se o corte de custos e a próxima demissão de pessoal
  • 16. • 12 – Você recebe um convite para sair da empresa. Em que situação você recusa ou aceita a nova oportunidade? a) Sai agora até por menos vinte por cento do salário que ganha hoje b) Pelo mesmo salário você aceita c) Depende de vários fatores, incluindo o ambiente humano da nova organização, a perspectiva de desenvolvimento oferecida e, claro, uma justa remuneração d) Você quer dinheiro, dinheiro, dinheiro.
  • 17. Some: • 1 ponto para cada resposta (a) • 2 pontos para cada resposta (b) • 3 pontos para cada resposta (c) • 4 pontos para cada resposta (d)
  • 18. • É o processo psicofisiológico responsável pelo desencadeamento, pela manutenção e pela cessação de um comportamento. Corresponde a um estado interior que induz o indivíduo a assumir um comportamento, podendo ser analisada pela direção, intensidade e persistência do comportamento.
  • 19. Está diretamente ligada aos nossos desejos, necessidades e vontades. A motivação é uma das chaves para a compreensão do comportamento humano; age sobre o pensamento, a atenção, a emoção e a ação. Envolve anseios, desejo, esforço, sonho e esperanças. motivo + ação a força (motivo) que me leva a agir...
  • 20. Teorias da Motivação Teorias de Conteúdo foco nas necessidades (o comportamento é orientado para sua satisfação).
  • 21. • “Teoria da Hierarquia de Necessidades”, de Abraham Maslow (1954) • A motivação humana é complexa! – Atribuiu cinco necessidades; – Estabeleceu uma hierarquia para as necessidades; – Idealizou uma Pirâmide para mostrar a dimensão das necessidades.
  • 22. Hierarquia de Necessidades Necessidades Fisiológicas Necessidades de Segurança Necessidades Sociais Necessidade de Estima Necessidade de Auto-realização Necessidades primárias Necessidades secundárias Hierarquia das necessidades humanas de A. Maslow
  • 24. • Necessidades Primárias 1. Fisiológicas: alimentação, abrigo, repouso, alívio da dor, ar, bebida. 2. Segurança: proteção contra perigos, privações e ameaças, ou seja, contra a guerra, violência, doença, pobreza. Hierarquia das necessidades de Maslow
  • 25. • Necessidades Secundárias 3. Sociais: amor, amizade, aceitação pelos grupos e pelos outros. 4. Estima: reputação, reconhecimento, auto respeito, admiração. 5. Auto realização: Realização do potencial de cada indivíduo, maximizando o uso das suas capacidades e potencialidades. Hierarquia das necessidades de Maslow
  • 26. • Herzberg Estudou a satisfação e a insatisfação no trabalho: – Descobriu que a satisfação e a insatisfação não são opostas, são pólos diferentes. – Criou os dois fatores: higiênicos e motivacionais: • Na administração, os fatores higiênicos devem ser vistos como prevenção, profilaxia.
  • 27. Teoria dos dois Fatores de Herzberg • Fatores higiênicos – ou extrínsecos, • Fatores motivacionais – ou intrínsecos. • Estes dois fatores são independentes
  • 28. SATISFAÇÃO E INSATISFAÇÃO NO TRABALHO (HERZBERG) f. higiênicos INSATISFAÇÃO ------------------------ NÃO INSATISFAÇÃO f. motivacionais NÃO SATISFAÇÃO --------------------------------SATISFAÇÃO • Fatores higiênicos – relacionados ao ambiente humano, funcionando para impedir a insatisfação no trabalho. Ex: remuneração, segurança, relações interpessoais. • Fatores motivacionais – relacionados à tarefa, funcionando para promover a satisfação no trabalho. Ex: características específicas do trabalho, concretização da tarefa, reconhecimento, responsabilidade, desenvolvimento.
  • 29. • Higiênicos ou extrínsecos. – São fatores localizados no ambiente que rodeia os indivíduos na organização. – São administrados e decididos pela empresa. • Salários • Benefícios • Tipos de supervisão, • Condições físicas e ambientais de trabalho, • Políticas da empresa, • Clima de relacionamento entre funcionários e empresa. Teoria dos dois Fatores de Herzberg
  • 30. • Motivacionais ou intrínsecos. – São fatores que estão sob o controle do indivíduo. – Referem-se ao conteúdo do cargo e às tarefas executadas pelos empregados. • Conquistas • Reconhecimento • Trabalho sendo realizado • Responsabilidades • Avançar na carreira • Crescimento pessoal Teoria dos dois Fatores de Herzberg
  • 31.
  • 32. Teoria dos dois fatores de Frederick Herzberg 32
  • 33.
  • 34. Teoria X e Y de Mc Gregor • Essa teoria surgiu a partir da prática norte-americana, em que o autor apresenta a associação negativa entre o homem e o trabalho.
  • 35. • Seu trabalho mais conhecido é sua teoria motivacional apresentada no seu livro The Human Side of Enterprise (O lado humano da empresa), de 1960, ele defende a ideia de que existem dois tipos fundamentais de pessoas, dois perfis de personalidade e comportamento, chamados por ele de Teoria X e Y. Teoria X e Y de Mc Gregor
  • 36. Teoria X de Mc Gregor Princípios básicos: • aversão do homem ao trabalho; • necessidade de controle e punição, para cumprir os objetivos; • esquiva-se das responsabilidades, pois o funcionário está interessado em ganhos financeiros e pessoais; • A gestão pautada na teoria de Mc Gregor [10] diverge da teoria de Maslow, pois ignora os estudos da teoria das necessidades em que a motivação é dada hierarquicamente. Na teoria X o homem é considerado estático por ele próprio ser desmotivado, e somente quando é supervisionado se esforça para atingir os objetivos. Alguns administradores possuem outro ponto de vista, o que o autor Mc Gregor nomeou de Teoria Y, nesta teoria os problemas motivacionais possuem caráter gerencial. A teoria Y possui três princípios: • a fonte de satisfação ou punição depende do contexto; • o funcionário está disposto a enfrentar as responsabilidades, aprender, autogerenciar • colocar em prática suas ideias e habilidades;
  • 37. Teoria X de Mc Gregor • Nesta teoria, chamada por McGregor de "Hipótese da mediocridade das massas", ele parte do pressuposto de que os trabalhadores possuem uma aversão nata à responsabilidade e às tarefas do trabalho, necessitando sempre de ordens superiores para render alguma coisa no trabalho. • Estas ordens vêm sempre acompanhadas de punição, elogios, dinheiro, coação etc.; artifícios utilizados pelos gestores para tentar gerar um empenho maior do colaborador. • McGregor acreditava que as necessidades de ordem inferior na escala de Maslow dominavam as pessoas nesta Teoria. Assim, as organizações precisavam colocar a ênfase de sua gestão na satisfação dos fatores higiênicos dos trabalhadores, conforme estudamos na Teoria dos Dois Fatores de Herzberg.
  • 38. Teoria X de Mc Gregor Princípios básicos: • aversão do homem ao trabalho; • necessidade de controle e punição, para cumprir os objetivos; • esquiva-se das responsabilidades, pois o funcionário está interessado em ganhos financeiros e pessoais;
  • 39. Teoria Y de Mc Gregor Nesta teoria a coisa muda de figura. Aqui os trabalhadores são encarados como pessoas altamente competentes, responsáveis e criativas, que gostam de trabalhar e o fazem como diversão. Aqui é necessário que as empresas proporcionem meios para que estas pessoas possam dar o melhor de si, com mais desafios, participações e influências na tomada de decisão. McGregor acreditava que as necessidades de ordem superior na escala de Maslow dominavam as pessoas nesta Teoria.
  • 40. Teoria Y de Mc Gregor Princípios básicos da Teoria Y são: • 1. O esforço físico e mental empregado no trabalho é tão natural quanto o empregado em momentos de lazer; • 2. O esforço de atingir os objetivos da organização está ligado às recompensas decorrentes e não ao controle rígido e às punições; • 3. O indivíduo comum não só aceita a responsabilidade do trabalho, como também as procura. • 4. Os indivíduos são criativos e inventivos, buscam sempre a solução para os problemas da empresa; • 5. Os trabalhadores têm a capacidade de se auto-gerirem nas tarefas que visam atingir objetivos pessoais e estratégicos da organização, sem a necessidade de ameaças ou punições; • 6. O trabalhador normalmente não faz aquilo que não acredita. Por isso exige cada vez mais benefícios para compensar o incômodo de desempenhar uma função desagradável.
  • 41. Teoria Y de Mc Gregor Nesta teoria a coisa muda de figura. Aqui os trabalhadores são encarados como pessoas altamente competentes, responsáveis e criativas, que gostam de trabalhar e o fazem como diversão. Aqui é necessário que as empresas proporcionem meios para que estas pessoas possam dar o melhor de si, com mais desafios, participações e influências na tomada de decisão. McGregor acreditava que as necessidades de ordem superior na escala de Maslow dominavam as pessoas nesta Teoria.
  • 43. Resultado • Entre 12 e 17 pontos: Deve estar difícil viver. Uma boa solução é realmente jogar na mega-sena e em todas as loterias ou então torcer para aquela velha tia rica morrer e deixá-lo como único herdeiro. Apesar de tudo, tente rever sua relação com o trabalho e as crenças que construíram esta raiva tão grande que você tem do trabalho. • Entre 18 e 27 pontos: Você caminha todo o dia para o sacrifício, mas em alguns momentos há uma luz no fim do túnel onde a motivação começa a aparecer. Uma boa solução talvez seja a troca da empresa. Não deixe, também, de rever suas crenças em relação ao trabalho. • Entre 28 e 39 pontos: Parabéns! Você é um exemplo de motivação e apresenta um excelente equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional. Você entende que o trabalho (especificamente na sua empresa) é um importante instrumento de desenvolvimento e evolução. Tente mostrar aos outros suas crenças em relação a ele. • Entre 40 e 45 pontos: Mais do que motivado, você é dependente do trabalho. Workaholic é seu estado de espírito. Você deve estar com sua família de centro de custo e se comunicando por e-mail com seus filhos. Tente voltar à faixa dos 36 pontos. • Mais de 45 pontos: Você não é um ser humano. Você é um robô. A vida para você é um fluxo de caixa e as palavras humanas escrevem da seguinte forma: @mor; $entimento, Feli$$idade.