Aquisição e Desenvolvimento
da Linguagem
Desenvolvimento típico
e
Desenvolvimento na multideficiência
Autor: Tiago Ferreir...
Índice
Desenvolvimento Típico
1. Primeiras considerações sobre as dimensões da comunicação humana;
• Comunicação -> Lingua...
Índice
Desenvolvimento em
crianças com incapacidades
4. Etiologia Das Alterações do Desenvolvimento da Linguagem
• Fatores...
Índice
Informação aos
Formandos
10.Informação aos Formandos:
• Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso d...
Comunicação Humana
• Emissor – Recetor
• Mensagem
• Código
• Canal de
Comunicação
• Contexto
Torre de Babel
-Não.
-A comun...
Comunicação, Linguagem e Fala
• Comunicação: Reação intencional de modo a afetar o
comportamento de outra pessoa na expect...
• A Língua é constituída pelas características especificas que a linguagem assume em cada
comunidade linguística.
• Traços...
Linguagem
Oral Não Oral
Verbal Fala Escrita
Língua Gestual
Braille
Morse
Não Verbal Sons
Gritos
Choro
Postura
Gestos
Mímic...
Componentes
da Linguagem
Linguagem
Forma
Fonologia
Morfologia
Sintaxe
Conteúdo
Semântica
Uso
Pragmática
Componentes da Linguagem
• Inclui os elementos linguísticos que ligam os sons e símbolos de uma
maneira significativa. Na ...
Forma
• Ramo da linguística que estuda o sistema sonoro de uma língua, isto é, o
sistema de regras que organiza a combinaç...
Forma
• Ramo da linguística que estuda a estrutura e formação das palavras.
Componentes da Linguagem
Morfologia
Forma
• Ramo da linguística que estuda a disposição das palavras na frase e das frases
no discurso, isto é, a estrutura da...
Componentes da Linguagem
• O conteúdo da linguagem envolve o significado. 
• Organiza o conhecimento acerca dos objetos, ...
Uso
• Esta componente abrange o uso da linguagem em contexto social.
• Pragmática: Inclui as regras que organizam as razõe...
Aquisição da Linguagem
• Aspetos Gerais da Aquisição da Linguagem:
1. Todas as crianças com um desenvolvimento padrão adqu...
Aquisição da Linguagem
Base
orgânica da
comunicação
Estruturas
Anatómicas e
fisiológicas
Desenvolvimento
neurológico
Meio
...
Desenvolvimento Global da Criança
• A comunicação está presente desde o nascimento – Bases de comunicação
precoce:
• O beb...
• Idades de desenvolvimento global apresentados posteriormente:
• Período pré-linguístico: Recém-nascido, 3 meses, 6 meses...
• Comportamento:
• Aumento gradual do período de alerta;
• Tipo de choro indica o seu temperamento;
• Motricidade Global:
...
Desenvolvimento Fonológico do Recém-nascido
• A criança vocaliza desde o primeiro momento através do choro e de
vocalizaçõ...
• Acalma-se em resposta ao som / reage mais prontamente à fala do que
a sons não verbais;
• Reage à aproximação do adulto ...
• http://www.youtube.com/watch?v=V7ywGJnC7cs
Desenvolvimento Global da Criança
Recém-nascido
• Comportamento:
• Passa já muito tempo com os seus
brinquedos, emitindo sons quando brinca;
• Exige a presença da mãe, me...
Desenvolvimento Fonológico ao 3º Mês
• Diminuição do choro por volta das 12 semanas, assim como os sons
vegetativos.
• Às ...
• Fixa o olhar na face de outras pessoas no seu campo de visão;
• Muito atento ao movimento no seu meio ambiente;
• Sorri ...
• Comportamento:
• Angustia do 8º mês – Má altura para entrar na
creche, não compreende que a mãe pode voltar
– sensação d...
Desenvolvimento Fonológico ao 6º Mês
• Fase da Expansão -serie de segmentos mais prolongados, transições rápidas
em intens...
Desenvolvimento Semântico ao 6º Mês
• Vocabulário Compreensivo
• Por volta dos 6 meses de idade a criança já consegue iden...
• Inicia vocalizações para outra pessoa;
• Gosta de brincar com companhia (4-8) meses;
• Reconhece pessoas familiares;
• D...
• Comportamento:
• Explora cada vez mais o ambiente, deslocando-se de
um lado para o outro;
• Necessidade de liberdade con...
Desenvolvimento Fonológico ao 9º Mês
• Balbucio não duplicado -produção de sílabas do tipo CVCV em que
mudam as consoantes...
Desenvolvimento Semântico ao 9º Mês
• Vocabulário Compreensivo
• Pelos 9 meses, já consegue identificar objetos ou pessoas...
• Acena a cabeça para dizer não e atira ao chão objetos que não quer;
• Diz adeus, abanando a mão e por vezes vocalizando ...
• Comportamento:
• Criança mais móvel, exigente e exploradora;
• Devido à crescente mobilidade a criança expõe-se
a uma ma...
Desenvolvimento Fonológico ao 12º Mês
• Discurso ininteligível à exceção de algumas palavras;
• A maior parte das produçõe...
Desenvolvimento Semântico ao 12º Mês
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende cerca de 50 palavras;
• Compreende ordens sim...
• Período Holofrásico
• Uma só palavra transmite toda a mensagem, que surge intimamente
relacionada com o contexto;
• Dife...
• Diz adeus e por vezes usa rituais conversacionais tais como: “olá”
• Reconhece o discurso do interlocutor, dando sinal c...
• Comportamento:
• Emocionalmente ainda muito dependente do adulto,
pedindo colo quando se sente ameaçada ou triste;
• Dev...
Desenvolvimento Fonológico ao 18º Mês
• Discurso ininteligível à exceção de algumas palavras;
• Imita corretamente algumas...
Desenvolvimento Semântico ao 18º Mês
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende cerca de 200 palavras, muitas delas fora do s...
• Período Telegráfico:
• Duas Palavras combinadas –expressão de relações;
• As primeiras combinações continuam muito relac...
• Diz “o que é aquilo” para chamar a atenção;
• Começa a usar palavras isoladas e frases de duas palavras para dar
ordens ...
• Comportamento:
• Grande curiosidade e interesse pelo ambiente.
Utiliza as birras quando é contrariada – importância
da m...
Desenvolvimento Fonológico ao 2º Ano
• São usadas 9 a 10 consoantes em posição inicial;
• Surgem palavras com duas sílabas...
Desenvolvimento Semântico ao 2º Ano
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende cerca de 300 palavras;
• Presta atenção a pequ...
• Aparecem artigos definidos e indefinidos nas frases;
• Começam a aparecer os plurais regulares;
• Começam a aparecer alg...
• Inicia-se em diálogos curtos;
• Verbalmente introduz e altera tópicos de conversa;
• Inicia-se o desenvolvimento da pré-...
• Comportamento:
• Mais maleável. Mais afetiva e mais confiante;
• Mostra-se afetivo com crianças pequenas. Necessita de
o...
Desenvolvimento Fonológico ao 3º Ano
• A maior parte dos fonemas são produzido corretamente (mais
perto dos 4 anos);
• Per...
Desenvolvimento Semântico ao 3º Ano
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende aproximadamente 900 palavras;
• Identifica ima...
• Enunciados de 4 ou mais elementos;
• Aparecimento da concordância da terceira pessoa do singular no presente –
“ele corr...
• Empenha-se em longos diálogos;
• Adequa a linguagem –usa uma linguagem mais simples quando fala com
crianças mais novas;...
• Comportamento:
• Mais independente e com forte desejo próprio;
• Idade de alguma impertinência verbal quando
contrariada...
Desenvolvimento Fonológico ao 4º Ano
• O discurso é praticamente 100% inteligível;
• Verifica-se, no entanto, algumas difi...
Desenvolvimento Semântico ao 4º Ano
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende 1200 palavras;
• Sabe “à frente de” e “atrás d...
• Uso consistente:
• dos pronomes possessivos (meu, minha, nosso, nossa);
• da concordância da terceira pessoa do singular...
• Faz pedidos indiretos;
• Usa sensivelmente o dobro das frases das crianças de 3 anos, para exprimir
emoções e sentimento...
• Comportamento:
• Mais sensata, controlada e independente;
• Entende a necessidade de arrumar mas é preciso lembrá-
la. E...
Desenvolvimento Fonológico ao 5º Ano
• O discurso é praticamente 100% inteligível.
• Quase todos os fonemas são produzidos...
Desenvolvimento Semântico ao 5º Ano
• Vocabulário Compreensivo
• Compreende mais de 2800 palavras;
• Compreende perguntas ...
• Início do aparecimento do futuro;
• Comprimento médio do enunciado 6,6 palavras;
• Todos os pronomes são usados consiste...
• O desenvolvimento da narrativa é caracterizado pela presença de
tema central e de personagem principal, com sequência ló...
Nota sobre o desenvolvimento da criança
• Apesar de os primeiros marcos linguísticos serem universais e com idades
identif...
Etiologia das Alterações da Linguagem
Etiologia das Alterações da Linguagem
Alterações da Linguagem
• Uma alteração da linguagem é uma aquisição não normal ao nível da
compreensão ou da expressão da...
Alterações da Linguagem
Alterações do Desenvolvimento da Linguagem
• Sem nunca ter existido evidência de
perda de capacidades. A alteração
pode to...
Desenvolvimento da Linguagem na
Multideficiência
• Défice Cognitivo
• Paralisia Cerebral
• Trissomia 21
• Perturbação do E...
Défice Cognitivo
• Inibição do desenvolvimento ou
desenvolvimento incompleto da mente,
caracterizado pelo prejuízo das apt...
Défice Cognitivo
• Geralmente as capacidades de compreensão e de expressão estão ao nível das
capacidades cognitivas;
• Po...
Défice Cognitivo
• Muitas vezes estas crianças mantêm-se num nível pré-linguístico,
comunicando com comportamentos informa...
Défice Cognitivo
• Inicio mais tardio do sorriso;
• Dificuldades na atenção conjunta;
• Dificuldades em explorar o meio.
C...
• Desenvolvimento dos fonemas mais lento;
• Dificuldade principalmente com os sons fricativos - [f] [s] [ʃ] [v] [z] [ʒ]
• ...
• Início tardio das primeiras palavras;
• Vocabulário pobre – mais concreto com poucos adjetivos e advérbios;
• O Léxico é...
• Omitem morfemas gramaticais;
• Dificuldade no uso e compreensão de frases complexas;
• Dificuldades de construção interr...
• Dificuldade em iniciar e manter o tópico de conversação;
• Uso de respostas inadequadas no tempo, pessoa e lugar;
• Difi...
Paralisia Cerebral
• “Perturbação persistente do controlo do
movimento e da postura causada por uma
lesão não evolutiva do...
Paralisia Cerebral
• Segundo Dederich (2000) em “O Desenvolvimento Cognitivo e Linguagem
na Paralisia Cerebral”:
• Ver alé...
Trissomia 21
• A Trissomia XXI define-se como “uma alteração da organização genética e
cromossómica do par 21, pela presen...
Trissomia 21
O desenvolvimento
cognitivo é superior ao da
linguagem
A compreensão é mais
efetiva que a expressão oral
da l...
Trissomia 21
• Apresenta dificuldades principalmente ao nível:
• Do domínio fonológico
• Do domínio morfossintático
• Caus...
Trissomia 21 -
Desenvolvimento Linguístico:
• Fase pré-linguística:
• Fase de palrar/balbuciar em idade cronológica semelh...
• Contudo, tem capacidade para utilizar a linguagem e desenvolve-la
melhor, desde que lhe sejam oferecidas as mais diversa...
Perturbação do Espetro do
Autismo (PEA)
• O autismo é uma perturbação global do desenvolvimento caracterizada por défices ...
Perturbação do Espetro do Autismo (PEA)
• As perturbações na linguagem nas crianças com autismo incluem atraso no
desenvol...
Perturbação do Espetro do Autismo (PEA)
• Características antes dos 3 anos de idade:
• Manifestam respostas sociais irregu...
Perturbação do Espetro do Autismo (PEA)
• Desenvolvimento da comunicação / linguagem
• Cerca de 50% das crianças autistas ...
Perturbação do Espetro do Autismo (PEA)
• O desenvolvimento fonológico começa mais tarde e desenvolve-se
lentamente no ent...
Perturbação do Espetro do
Autismo (PEA)
• Desenvolvimento semântico:
• Léxico composto por palavras referências, adquirind...
Informações Importantes a Reter
• Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem
• Processo de Sin...
Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou
Atraso da Linguagem
• Ao nível fonológico:
• Não palrar por volta dos 3...
• Ao nível da morfologia verbal:
• Só utiliza a 3.ª pessoa, o presente e formas impessoais (infinitivos e particípios) até...
Sinais de alerta para a presença de Perturbação
ou Atraso da Linguagem
• Ao nível da produção espontânea:
• Linguagem inin...
Idade Sinais de Alerta
0-6 meses  Não reagir à estimulação sonora;
 Não sorrir e não estabelecer contacto ocular.
6-12 (...
Processo de Sinalização e Encaminhamento
após identificação de possível problemática;
• A sinalização e consequente encami...
Processo de Sinalização e Encaminhamento
após identificação de possível problemática;
• Em relação à referenciação realiza...
Atividades e orientações na estimulação da
aquisição e desenvolvimento da linguagem.
Estratégias de Estimulação da Linguagem
Estratégia “Watch and Wait”
Modelar a imitação e o pegar a vez.
Período Pré-intenc...
Estratégias de Estimulação da Linguagem
Método - Prelinguistic Milieu Teaching (PMT).
Organizar o
meio ambiente
Partilhar ...
Estratégias de Estimulação da Linguagem
Situações Promotoras de Intencionalidade Comunicativa
Comer algo do agrado da cria...
• Monólogo/monólogo paralelo
• Extensão e Expansão do Enunciado
• Construção e desconstrução do Enunciado
• Modelagem
Estr...
• Espera Estruturada
• Pistas fonémicas
• Pistas silábicas
• “Responsive-naming”
• Repetição e Treino.
Estratégias de Esti...
Referências Bibliográficas
• Aguado, G. (2002). El desarrolo del lenguaje de 0 a 3 años, Bases para un diseño curricular e...
F
I
M
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aquisição e desenvolvimento da linguagem na multideficiência 2

2.121 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
135
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Ritmo mais rápido
  • Ritmo mais rápido
  • Precisa de brincar nos parques infantis, correr, rebolar e dar cambalhotas. É a possibilidade que tem de relacionar o seu corpo com o movimento e suas mudanças (maturidade vestibular). É também assim que aprende as regras dos jogos colectivos e a auto-disciplina, é difícil a criança saber esperar a sua vez.
  • Ritmo mais rápido
  • Ritmo mais rápido
  • Ritmo mais rápido
  • Modelosdevocalizações-combasenoreportóriodevocalizaçõesqueoadultosabequeacriançatem,estedeverádaromodelodecomoacriançapodeutiliza-losparaexpressarintenções.
  • Monólogo/monólogo paralelo
  • Aquisição e desenvolvimento da linguagem na multideficiência 2

    1. 1. Aquisição e Desenvolvimento da Linguagem Desenvolvimento típico e Desenvolvimento na multideficiência Autor: Tiago Ferreira Nº 5090298 Orientadora: Terapeuta da Fala - Graça Cruz 15/05/2014
    2. 2. Índice Desenvolvimento Típico 1. Primeiras considerações sobre as dimensões da comunicação humana; • Comunicação -> Linguagem -> Fala • Linguagem vs Língua 2. Linguagem • Componentes da Linguagem • Aquisição da Linguagem o Base orgânica, meio ambiente e mecanismos cognitivos 3. Desenvolvimento Global da Criança • Desenvolvimento Das Componentes da Linguagem o Desenvolvimento Fonológico o Desenvolvimento Semântico o Desenvolvimento Morfossintático o Desenvolvimento Pragmático
    3. 3. Índice Desenvolvimento em crianças com incapacidades 4. Etiologia Das Alterações do Desenvolvimento da Linguagem • Fatores Socio-Ambientais • Orgânicos 5. Alterações da Linguagem • Adquiridas o Afasia • De Desenvolvimento o Atraso do Desenvolvimento da Linguagem (ADL) o Perturbações Específicas do Desenvolvimento da Linguagem (P.E.D.L.) 6. Défice Cognitivo • Competências comunicativas e linguísticas 7. Paralisia Cerebral • Competências comunicativas e linguísticas 8. Trissomia 21 • Competências comunicativas e linguísticas 9. Perturbação do Espetro do Autismo • Competências comunicativas e linguísticas
    4. 4. Índice Informação aos Formandos 10.Informação aos Formandos: • Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem • Processo de Sinalização e Encaminhamento após identificação de possível problemática; • Estratégias e orientações na estimulação da aquisição e desenvolvimento da linguagem.
    5. 5. Comunicação Humana • Emissor – Recetor • Mensagem • Código • Canal de Comunicação • Contexto Torre de Babel -Não. -A comunicação faz parte da nossa condição de seres sociais. -A ação ou a imobilidade ou mesmo o silêncio contem uma mensagem que é percebida pelos pares da comunidade. - Reação intencional de modo a afetar o comportamento de outra pessoa na expectativa de que esta receba a mensagem e atue de determinado modo. PERGUNTA: Podemos não comunicar?
    6. 6. Comunicação, Linguagem e Fala • Comunicação: Reação intencional de modo a afetar o comportamento de outra pessoa na expectativa de que esta receba a mensagem e atue de determinado modo. • Linguagem: É um sistema complexo e dinâmico de símbolos convencionais, usado em modalidades diversas para o homem comunicar e pensar. • Fala: É um modo de comunicação que pressupõe a produção oral para transmissão de mensagens e envolve a coordenação precisa dos movimentos neuromusculares orais para a produção de unidades linguísticas.
    7. 7. • A Língua é constituída pelas características especificas que a linguagem assume em cada comunidade linguística. • Traços fundamentais comuns a todas as línguas, ou seja, universais, todas são: • Complexas – Capazes de exprimir qualquer ideia; • Mutáveis no tempo – Passiveis de evolução; • Passiveis de exprimir o passado, presente e futuro, a negação, interrogação e ordens; • Reguladas por regras; • Arbitrárias quanto à relação da cadeia de sons (palavra) e o respetivo significado. Linguagem vs Língua
    8. 8. Linguagem Oral Não Oral Verbal Fala Escrita Língua Gestual Braille Morse Não Verbal Sons Gritos Choro Postura Gestos Mímica As duas componentes implicadas no processamento da informação verbal são a compreensão e a produção.
    9. 9. Componentes da Linguagem Linguagem Forma Fonologia Morfologia Sintaxe Conteúdo Semântica Uso Pragmática
    10. 10. Componentes da Linguagem • Inclui os elementos linguísticos que ligam os sons e símbolos de uma maneira significativa. Na forma insere-se: • As regras que organizam os sons e a sua combinação;  • As regras que organizam internamente as palavras;  • As regras que especificam a ordem das palavras na produção de frases.  Forma Fonologia Morfologia Sintaxe
    11. 11. Forma • Ramo da linguística que estuda o sistema sonoro de uma língua, isto é, o sistema de regras que organiza a combinação dos sons; • Cada língua dispõe dos seus sons específicos  FONEMAS Componentes da Linguagem Fonologia A mais pequena unidade linguística da fala que marca a diferença de significado. Exemplo: “mão” e “pão”.“mão” “pão”
    12. 12. Forma • Ramo da linguística que estuda a estrutura e formação das palavras. Componentes da Linguagem Morfologia
    13. 13. Forma • Ramo da linguística que estuda a disposição das palavras na frase e das frases no discurso, isto é, a estrutura da frase. Permite que o indivíduo combine palavras em frases e que as transforme: • Exemplo: “o cão come o osso” • Interrogativa: “O cão come o osso? • Passiva: “O osso foi comido pelo cão.” • O conhecimento das regras sintáticas permite ao falante gerar um número infinito de frases e reconhecer a agramaticalidade. Componentes da Linguagem Sintaxe
    14. 14. Componentes da Linguagem • O conteúdo da linguagem envolve o significado.  • Organiza o conhecimento acerca dos objetos, eventos e pessoas e a relação estabelecida entre eles. • Remete para a área da Semântica que trata: • Significado individual das palavras; • Da relação entre as palavras; • Dicionário mental de cada individuo  Léxico Conteúdo Semântica
    15. 15. Uso • Esta componente abrange o uso da linguagem em contexto social. • Pragmática: Inclui as regras que organizam as razões da comunicação assim como as regras que organizam a escolha do código a ser usado quando comunicamos. • Inclui o estudo das funções comunicativas (objetivos do falante): cumprimentar, perguntar, responder, pedir ou dar informação, clarificar, expressar sentimentos, entre outras. Componentes da Linguagem Pragmática
    16. 16. Aquisição da Linguagem • Aspetos Gerais da Aquisição da Linguagem: 1. Todas as crianças com um desenvolvimento padrão adquirem linguagem; 2. A aquisição da linguagem não necessita de ensino especifico; 3. Na interação do dia-a-dia a criança é exposta a uma linguagem de estrutura superficial e no entanto ela consegue elaborar por si só um sistema linguístico de estrutura profunda; 4. A aquisição da linguagem faz-se num período de tempo curtíssimo. As crianças antes dos 5 anos aprendem a maior parte do sistema complexo de gramática da sua língua, sem qualquer ensino formal. Processo Inato ou adquirido?
    17. 17. Aquisição da Linguagem Base orgânica da comunicação Estruturas Anatómicas e fisiológicas Desenvolvimento neurológico Meio ambiente Estimulação. Processos de vinculação Motivação para comunicar Atenção Conjunta Imitação Mecanismo s cognitivos Relação bilateral entre linguagem e cognição
    18. 18. Desenvolvimento Global da Criança • A comunicação está presente desde o nascimento – Bases de comunicação precoce: • O bebé é capaz de discriminar, comparar e diferenciar padrões de entoação da mãe; • Diferencia vozes diferentes, evidenciadas na capacidade de prestar atenção; • Aprende o valor comunicativo dos gestos do rosto e dos movimentos da cabeça; • Até aos 3 ou 4 meses as interações baseadas no contacto ocular incluem-se nas trocas comunicativas;
    19. 19. • Idades de desenvolvimento global apresentados posteriormente: • Período pré-linguístico: Recém-nascido, 3 meses, 6 meses, 9 meses, 12 meses; • Período linguístico: 18 meses, 2 anos, 3 anos, 4 anos, 5 anos. Desenvolvimento Global da Criança
    20. 20. • Comportamento: • Aumento gradual do período de alerta; • Tipo de choro indica o seu temperamento; • Motricidade Global: • Funciona em bloco com pouca variação de movimentos. • Reflexos orais presentes. Desenvolvimento Global da Criança Recém-Nascida • Comunicação: • Chora quando se sente desconfortável, com fome e/ou cólicas; • Contacto, ocular e corporal, vocalizações e choro que evolui para o grito à medida que o desconforto aumenta; • Vocalizações: • Gritos monótonos e nasalados com gradual aumento da sua variabilidade ao longo do seu desenvolvimento. NOTA: Os bebés surdos também gritam e vocalizam, quando surdos profundos não respondem com reflexo de Moro ao ruído.
    21. 21. Desenvolvimento Fonológico do Recém-nascido • A criança vocaliza desde o primeiro momento através do choro e de vocalizações reflexivas (tossir, arrotar, espirrar…). Se estes sinais forem ignorados, não ocorrerá processo comunicativo, mas se o adulto responder a estes sinais, considerando as necessidades físicas e emocionais do bebé, presenciamos um processo comunicativo rudimentar.
    22. 22. • Acalma-se em resposta ao som / reage mais prontamente à fala do que a sons não verbais; • Reage à aproximação do adulto com quem mais convive; • Choro distinto, consoante está cansado, com fome, ou com dores; • Sossega quando se pega ao colo. Desenvolvimento Pragmático do Recém-nascido
    23. 23. • http://www.youtube.com/watch?v=V7ywGJnC7cs Desenvolvimento Global da Criança Recém-nascido
    24. 24. • Comportamento: • Passa já muito tempo com os seus brinquedos, emitindo sons quando brinca; • Exige a presença da mãe, medo de a perder; • Estabelecidas rotinas (sono, comer e banho). • Motricidade Global: • De barriga para baixo eleva a cabeça de forma inconsistente; • Reflexos orais pelo 4ª mês começam a ficar menos ativos. • Comunicação: • Grita quando tem fome e vocaliza muito quando está bem disposto. Chora menos e comunica mais; • Contacto ocular e corporal, vocalizações e choro que evolui para o grito à medida que o desconforto aumenta; • Vocalizações: • Sons muito guturais, nasalados. Desenvolvimento Global da Criança aos 3 meses NOTA: A criança surda assusta-se quando a mãe aparece de repente no seu campo de visão.
    25. 25. Desenvolvimento Fonológico ao 3º Mês • Diminuição do choro por volta das 12 semanas, assim como os sons vegetativos. • Às 16 semanas emerge o riso; • Produz sons com o contacto da língua na parte posterior da cavidade oral durante a vocalização, sendo que estes sons se aproximam de vogais e consoantes nasais.
    26. 26. • Fixa o olhar na face de outras pessoas no seu campo de visão; • Muito atento ao movimento no seu meio ambiente; • Sorri quando vê uma face familiar; Desenvolvimento Pragmático ao 3º Mês
    27. 27. • Comportamento: • Angustia do 8º mês – Má altura para entrar na creche, não compreende que a mãe pode voltar – sensação de abandono; • Estabelecidas rotinas (sono, comer e banho). • Motricidade Global: • Senta-se com apoio e revela um bom controlo da cabeça olhando à sua volta. • Manipula objetos grandes e transfere-os entre mãos; • Levar objetos à boca e morder voluntário é marco importante para as posterior capacidades articulatórias e de mastigação. • Comunicação: • Inicia vocalizações para outra pessoa que diferem conforme o seu estado emocional; • Pré-linguagem: • Lalação, variação entre ritmo, melodia e altura do som. • Os 1ºs dentes vão influenciar o aparecimento de novos sons. • Brincar • Repete atividades simples intencionalmente e compreende jogos de causa-efeito. Desenvolvimento Global da Criança aos 6 meses
    28. 28. Desenvolvimento Fonológico ao 6º Mês • Fase da Expansão -serie de segmentos mais prolongados, transições rápidas em intensidade, frequência e vozeamento. • Lalação ou balbucio reduplicado – prolonga-se até aos 9 / 10 meses. Reduplicação silábica –série de sílabas CVCVCV [ex.: mamama ou bababa]. Não é usada na comunicação mas sim como auto estimulador.
    29. 29. Desenvolvimento Semântico ao 6º Mês • Vocabulário Compreensivo • Por volta dos 6 meses de idade a criança já consegue identificar palavras extremamente familiares e usuais como ‘mãe’ ou ‘pai’, e palavras conhecidas no meio de uma sequência de sons;
    30. 30. • Inicia vocalizações para outra pessoa; • Gosta de brincar com companhia (4-8) meses; • Reconhece pessoas familiares; • Diferentes vocalizações consoante diferentes situações: irritado, contente, fome (4-8 meses). Desenvolvimento Pragmático ao 6º Mês
    31. 31. • Comportamento: • Explora cada vez mais o ambiente, deslocando-se de um lado para o outro; • Necessidade de liberdade controlada, as repreensões constantes são muito prejudiciais nesta idade. • Motricidade Global: • Senta-se sozinha, sem apoio, podendo inclinar-se para a frente para apanhar um brinquedo sem perder o equilíbrio.; • Inicio da capacidade de gatinhar, e de ficar de pé com ajuda; • Levar objetos à boca, morder voluntário e a amamentação são importantes para posteriores capacidades articulatórias e de mastigação. • Motricidade Orofacial: • Movimentos rotativos de mastigação, maior amplitude de movimento da língua; • Comunicação e pré-linguagem: • Palra para a sua satisfação, observa os movimentos da boca da mãe e tenta imitar; • Diz “não” abanando a cabeça e adeus com a mão; • Começa a tentar dizer as primeiras palavras já perto dos 12 meses tal como “mamã, papá, popó”. • Brincar • Brinca ao “cu-cu” e bate palminhas; • Repete atividades simples intencionalmente e compreende jogos de causa-efeito de forma mais consistente. Desenvolvimento Global da Criança aos 9 meses
    32. 32. Desenvolvimento Fonológico ao 9º Mês • Balbucio não duplicado -produção de sílabas do tipo CVCV em que mudam as consoantes e vogais de sílaba para sílaba. Surgem padrões de entoação diversificados que fazem lembrar uma língua estrangeira (gíria entoacional ou “jargão”); • Proto-palavras-utilização consistente de uma cadeia fónica sem correspondência no léxico do adulto, para designar um objecto ou situação. Ex.: “mo-mo” para chupeta.
    33. 33. Desenvolvimento Semântico ao 9º Mês • Vocabulário Compreensivo • Pelos 9 meses, já consegue identificar objetos ou pessoas familiares pelo nome, já reconhece o próprio nome e, ainda antes do primeiro aniversário consegue associar alguns significados a palavras (Berk, 2006; Castro & Santos, 2003).
    34. 34. • Acena a cabeça para dizer não e atira ao chão objetos que não quer; • Diz adeus, abanando a mão e por vezes vocalizando com valor de palavra; • Aproxima-se para pedir um objeto; • Repete ações que observa; • Começa a dirigir fisicamente o comportamento de terceiros (puxa e agarra o adulto); Desenvolvimento Pragmático ao 9º Mês
    35. 35. • Comportamento: • Criança mais móvel, exigente e exploradora; • Devido à crescente mobilidade a criança expõe-se a uma maior quantidade de situações perigosas (forno, ir buscar objetos perigosos, entre outros). • Motricidade Global: • Senta-se sozinha, sem apoio, podendo inclinar-se para a frente para apanhar um brinquedo sem perder o equilíbrio.; • Por volta dos 13-14 meses pode começar a andar sozinha e subir escadas de gatas; • Motricidade Orofacial: • Tenta alimentar-se sozinha com a mão ou colher e mastiga bem os alimentos desde que não sejam muito duros. • Comunicação e linguagem: • Utiliza o “jargão”, produzindo consoantes e vogais sem padrões de repetição; • Vira a cabeça quando ouve o seu nome; • Compreende entre 5 a 50 palavras; • Produz perto dos 14 meses algumas palavras consistentemente, exemplo: “já tá, olha, não”. • Brincar • Gosta muito de brinquedos com som e sabe pô-los a funcionar para ouvir o que produzem; • Vira folhas grossas de um livro. Desenvolvimento Global da Criança aos 12 meses
    36. 36. Desenvolvimento Fonológico ao 12º Mês • Discurso ininteligível à exceção de algumas palavras; • A maior parte das produções é composta por combinações CV ou CVCV, ex. ba ou mamã; • As consoantes oclusivas anteriores (/p/, /b/) e nasais (/m/) são as mais frequentes.
    37. 37. Desenvolvimento Semântico ao 12º Mês • Vocabulário Compreensivo • Compreende cerca de 50 palavras; • Compreende ordens simples; • Vocabulário Expressivo • Ao nível da expressão, o desenvolvimento semântico tem início com a produção da primeira palavra que ocorre por volta dos 12 meses, podendo por volta dos 14 meses usar cerca de 20 palavras; • Aos 14 meses utiliza palavras para nomear pessoas, objetos ou ações familiares; • Combina o uso de gestos e sons com valor de palavras para se expressar.
    38. 38. • Período Holofrásico • Uma só palavra transmite toda a mensagem, que surge intimamente relacionada com o contexto; • Diferentes entoações melódicas transmitem diferentes mensagens: perguntas, protestos, pedidos, comentários; • A mesma palavra pode assumir diferentes expressões sintácticas (sujeito/acção/objecto). Desenvolvimento Morfossintático ao 12º Mês
    39. 39. • Diz adeus e por vezes usa rituais conversacionais tais como: “olá” • Reconhece o discurso do interlocutor, dando sinal com o olhar, vocalizando ou repetindo a palavra dita; • Protesta através da palavra “não” associada a agitação motora ou gestos; Desenvolvimento Pragmático ao 12º Mês
    40. 40. • Comportamento: • Emocionalmente ainda muito dependente do adulto, pedindo colo quando se sente ameaçada ou triste; • Devido à crescente mobilidade a criança expõe-se a uma maior quantidade de situações perigosas (janelas e varandas). • Motricidade Global: • Começa a andar, para e recomeça. Corre com muito cuidado. Sobe e desce escadas apoiado com uma ou duas mãos ao corrimão ou com ajuda do adulto; • Motricidade Orofacial: • Mastiga bem os alimentos desde que não sejam muito duros, levando a colher à boca com segurança. • Comunicação e linguagem: • Utiliza um discurso ininteligível à exceção de algumas palavras. Imita palavras mono e dissilábicas. • Obedece a ordens simples; • Compreende cerca de 200 palavras; • Realiza a reduplicação silábica: CVCV - Consoante- vogal • Brincar • Inicio do brincar simbólico • Imita por breves momentos atividades simples diárias como dar de comer à boneca, ver um livro, varrer o chão, lavar a roupa, entre outros. Desenvolvimento Global da Criança aos 18 meses
    41. 41. Desenvolvimento Fonológico ao 18º Mês • Discurso ininteligível à exceção de algumas palavras; • Imita corretamente algumas palavras; • Usa maioritariamente a reduplicação de silabas no seu discurso, omitindo por vezes silabas de palavras polissilábicas “nana” em vez de “banana”; • A criança seleciona ou evita as palavras tendo por base os sons que consegue produzir. Sendo as vogais e as consoantes oclusivas anteriores (/p/, /b/) e nasais (/m/) as mais frequentes.
    42. 42. Desenvolvimento Semântico ao 18º Mês • Vocabulário Compreensivo • Compreende cerca de 200 palavras, muitas delas fora do seu contexto diário; • Compreende ordens simples; • Responde às questões: “o que é isto?” – Nomear e “onde está o …?” – Identificar (apontando) • Vocabulário Expressivo • Explosão de vocabulário – primeiro apenas palavras compreendidas pelos cuidadores, mais tarde por outros interlocutores devido à maior quantidade de sons que consegue produzir.
    43. 43. • Período Telegráfico: • Duas Palavras combinadas –expressão de relações; • As primeiras combinações continuam muito relacionadas com o contexto. Relação entre nome e verbo: transmitem ação, relações de localização, de posse, de não existência e de ausência; • 33% do discurso são nomes. Desenvolvimento Morfossintático ao 18º Mês
    44. 44. • Diz “o que é aquilo” para chamar a atenção; • Começa a usar palavras isoladas e frases de duas palavras para dar ordens e indicar posse (“é meu”); • Utiliza muito o “pegar a vez”. Desenvolvimento Pragmático ao 18º Mês
    45. 45. • Comportamento: • Grande curiosidade e interesse pelo ambiente. Utiliza as birras quando é contrariada – importância da mãe saber dizer não, de forma a não reforçar estes comportamentos; • Devido à crescente mobilidade a criança expõe-se a uma maior quantidade de situações perigosas (abre a porta sozinha e sai para a rua e varanda). • Motricidade Global: • Corre com o pé todo no chão, evita obstáculos, trepa os móveis para espreitar às janelas. Anda de triciclo facilmente e joga com uma bola grande; • Autonomia • Pede para comer e beber sozinha; • Calça os sapatos, por vezes trocados; • Diz com tempo que precisa de ir ao WC., não necessitando de fralda durante o dia. • Comunicação e linguagem: • Idade de explosão de vocabulário, utilizando frases de duas palavras; • Trata-se pelo seu próprio nome; • Pede oralmente o que pretende e obedece a ordens cada vez mais complexas; • Realiza a reduplicação silábica: CVCV - Consoante- vogal. • Brincar • Já admite a presença de outra criança, mas cada uma brinca com as suas coisas e no seu cantinho; • Acompanha uma canção com gestos. Desenvolvimento Global da Criança ao 2º Ano
    46. 46. Desenvolvimento Fonológico ao 2º Ano • São usadas 9 a 10 consoantes em posição inicial; • Surgem palavras com duas sílabas e grupos consonânticos em posição inicial; • 70% das consoantes são produzidas corretamente; • A fala é 50% inteligível.
    47. 47. Desenvolvimento Semântico ao 2º Ano • Vocabulário Compreensivo • Compreende cerca de 300 palavras; • Presta atenção a pequenas histórias. • Vocabulário Expressivo • O seu vocabulário expressivo encontra-se entre as 50 palavras reconhecíveis familiares; • Verbaliza necessidades fisiológicas e experiências imediatas; • Começa a usar alguns verbos e adjetivos.
    48. 48. • Aparecem artigos definidos e indefinidos nas frases; • Começam a aparecer os plurais regulares; • Começam a aparecer alguns verbos irregulares no pretérito; • 25% do discurso são nomes e 25% verbos; • Combina 3 elementos na frase aos 2 anos e 6 meses. Desenvolvimento Morfossintático ao 2º Ano
    49. 49. • Inicia-se em diálogos curtos; • Verbalmente introduz e altera tópicos de conversa; • Inicia-se o desenvolvimento da pré-narrativa: conjunto sequenciado de elementos não relacionados, ligados por um traço de união aos 2 anos e 6 meses. Desenvolvimento Pragmático ao 2º Ano
    50. 50. • Comportamento: • Mais maleável. Mais afetiva e mais confiante; • Mostra-se afetivo com crianças pequenas. Necessita de ordens firmes e estáveis, compreendendo os valores mau- bom. • Motricidade Global: • Sobe a escada sozinha com um pé em cada degrau, ao descer fá-lo com os dois pés no mesmo degrau. • Consegue atirar uma bola e consegue agarrá-la de braços estendidos. Dá pontapés na bola com algum esforço. • Autonomia • Come com garfo e colher. • Lava as mãos, mas precisa de supervisão quando as limpa. Vai sozinho ao WC. À noite pede ajuda. Poderá não usar fralda à noite; • Veste e despe as calças e cuecas, precisando de ajuda com botões. • Comunicação e linguagem: • 75% do seu discurso inteligível, realizando omissões e substituições de sons nas palavras; • É frequente nesta altura aparecer “gaguez” fisiológica porque não consegue exprimir-se como o pensamento o exige. Usa muito a pergunta “o que é isto?”. • Sabe o seu nome, género e idade; • Usa mais de 250 palavras, compreendendo muitas mais. • Brincar • Brinca ao faz de conta – idade do maravilhoso; • Gosta muito de ouvir histórias. Desenvolvimento Global da Criança ao 3º Ano
    51. 51. Desenvolvimento Fonológico ao 3º Ano • A maior parte dos fonemas são produzido corretamente (mais perto dos 4 anos); • Persistem estratégias de simplificação fonológica; • Discurso predominantemente inteligível.
    52. 52. Desenvolvimento Semântico ao 3º Ano • Vocabulário Compreensivo • Compreende aproximadamente 900 palavras; • Identifica imagens de 10 objetos descritos pelo uso; • Presta atenção a histórias de 20 minutos aproximadamente. • Vocabulário Expressivo • Usa 500 palavras inteligíveis; • Responde a perguntas simples tipo: quem, porquê, onde, quantos; • Pode fazer perguntas simples como: o que é isto?.
    53. 53. • Enunciados de 4 ou mais elementos; • Aparecimento da concordância da terceira pessoa do singular no presente – “ele corre”; • Usa pronomes –eu, meu, teu; • Usa frases compostas com “e”; • Uso do plural regular consistentemente. Desenvolvimento Morfossintático ao 3º Ano
    54. 54. • Empenha-se em longos diálogos; • Adequa a linguagem –usa uma linguagem mais simples quando fala com crianças mais novas; • Pede autorização; • Aparecimento das narrativas primitivas: os acontecimentos decorrem a partir de um tema central. Uso de inferências nas histórias (deduções ou conclusões) – mais perto dos 4 anos. Desenvolvimento Pragmático ao 3º Ano
    55. 55. • Comportamento: • Mais independente e com forte desejo próprio; • Idade de alguma impertinência verbal quando contrariada. • Motricidade Global: • Sobe e desce as escadas sozinha com um pé em cada degrau. • Salta, mantem-se nas pontas dos pés e é capaz de saltar à corda com algum treino. • Autonomia • Come com garfo e colher. • Lava as mãos, e vai ao WC sozinho de dia e noite. • Veste e despe as calças e cuecas, precisando de ajuda com botões. • Comunicação e linguagem: • Expressão linguística praticamente desenvolvida, maiores dificuldades na articulação verbal dos sons da língua; • A socialização promove o enriquecimento do seu vocabulário; • Descreve figuras corretamente, ordena uma sequência de 4-5 cartões corretamente e executa ordens complexas. • Brincar • Revela uma preferência cada vez maior pelos jogos com miniaturas. Descobre a TV e os desenhos animados. • Brinca no chão de forma elaborada, fazendo construções com qualquer material, mas tem ainda necessidade de se sujar. Gosta de puzzles. Desenvolvimento Global da Criança ao 4º Ano
    56. 56. Desenvolvimento Fonológico ao 4º Ano • O discurso é praticamente 100% inteligível; • Verifica-se, no entanto, algumas dificuldades nos fonemas mais difíceis (/s/, /l/, /r/).
    57. 57. Desenvolvimento Semântico ao 4º Ano • Vocabulário Compreensivo • Compreende 1200 palavras; • Sabe “à frente de” e “atrás de” quando o objeto é usado com lógica à frente e atrás; • Identifica: duro / mole, áspero / macio; E algumas formas geométricas simples; • Vocabulário Expressivo • Usa 800 palavras; • Responde a 2 ou 3 questões tipo: “o que fazes quando tens fome / sono / frio?” • Inicio da idade dos “porquês”: pergunta principalmente “o quê” e “quem”.
    58. 58. • Uso consistente: • dos pronomes possessivos (meu, minha, nosso, nossa); • da concordância da terceira pessoa do singular no presente; • do pretérito; • da negativa; • de todos os pronomes pessoais; • Uso frequente de frases complexas; • Comprimento médio do enunciado 4,4 palavras. Desenvolvimento Morfossintático ao 4º Ano
    59. 59. • Faz pedidos indiretos; • Usa sensivelmente o dobro das frases das crianças de 3 anos, para exprimir emoções e sentimentos; • O desenvolvimento da narrativa caracteriza-se por as histórias terem uma sequência de acontecimentos mas sem personagem central. Desenvolvimento Pragmático ao 4º Ano
    60. 60. • Comportamento: • Mais sensata, controlada e independente; • Entende a necessidade de arrumar mas é preciso lembrá- la. Escolhe os seus amigos. Compreende as horas em relação às rotinas diárias. • Motricidade Global: • Anda facilmente sobre uma linha; • Salta só sobre um pé facilmente. • Autonomia • Come com garfo e colher; • Lava as mãos, e vai ao WC sozinho de dia e noite; • Veste e despe-se sozinho. • Comunicação e linguagem: • Exprime-se corretamente com vocabulário adequado; • Compreende e expressa frases corretamente de forma cada vais mais consistente e a sua articulação é praticamente matura perto dos 6 anos; • Descreve figuras corretamente, ordena uma sequência de 5-6 cartões corretamente e executa ordens complexas. • Brincar • Distingue esquerda de direita; • A entrada na pré-primária modifica um pouco o seu brincar porque os números e as letras passam a ser um novo brinquedo; • Continua a brincar a jogos simbólicos, a construir de forma cada vez mais elaborada. Desenvolvimento Global da Criança ao 5º Ano
    61. 61. Desenvolvimento Fonológico ao 5º Ano • O discurso é praticamente 100% inteligível. • Quase todos os fonemas são produzidos corretamente, não se usando praticamente nenhum processo fonológico a partir desta idade.
    62. 62. Desenvolvimento Semântico ao 5º Ano • Vocabulário Compreensivo • Compreende mais de 2800 palavras; • Compreende perguntas com duas ordens complexas; • Faz classificações de acordo com a cor, forma e uso. • Vocabulário Expressivo • Usa 1500 a 2000 palavras; • Pergunta o significado das palavras; • Sabe contar corretamente histórias longas.
    63. 63. • Início do aparecimento do futuro; • Comprimento médio do enunciado 6,6 palavras; • Todos os pronomes são usados consistentemente aos 5 anos e meio; • O seu desenvolvimento morfossintático continuará a ser desenvolvido até cerca dos 7 anos de idade, continuando a aperfeiçoar a sua sintaxe ao longo dos anos. Desenvolvimento Morfossintático ao 5º Ano
    64. 64. • O desenvolvimento da narrativa é caracterizado pela presença de tema central e de personagem principal, com sequência lógica de factos mas terminando de forma pouco clara; • Faz ameaças, insultos, elogios, promessas, conta anedotas, entre outras competências sociais. Desenvolvimento Pragmático ao 5º Ano
    65. 65. Nota sobre o desenvolvimento da criança • Apesar de os primeiros marcos linguísticos serem universais e com idades identificadas (ex: inicio da lalação, pegar e dar a vez, 1ºs palavras…), à medida que a idade avança e as competências linguísticas evoluem torna-se mais difícil determinar qual a idade média de aquisição de determinada competência (ex: início das frases complexas). • A variabilidade cronológica de aquisição é cada vez maior.
    66. 66. Etiologia das Alterações da Linguagem
    67. 67. Etiologia das Alterações da Linguagem
    68. 68. Alterações da Linguagem • Uma alteração da linguagem é uma aquisição não normal ao nível da compreensão ou da expressão da linguagem oral e/ou escrita. A alteração poder envolver uma, algumas, ou todas as componentes do sistema linguístico, nomeadamente a componente fonológica, morfológica, semântica, sintática e pragmática (ASHA, 1993). • Alterações da Linguagem: Adquiridas Desenvolvimento
    69. 69. Alterações da Linguagem
    70. 70. Alterações do Desenvolvimento da Linguagem • Sem nunca ter existido evidência de perda de capacidades. A alteração pode tornar-se mais evidente à medida que o desenvolvimento global se produz. A sua avaliação é sempre em comparação com o desenvolvimento normal. • Ex: ADL, PEDL.
    71. 71. Desenvolvimento da Linguagem na Multideficiência • Défice Cognitivo • Paralisia Cerebral • Trissomia 21 • Perturbação do Espectro do Autismo (PEA)
    72. 72. Défice Cognitivo • Inibição do desenvolvimento ou desenvolvimento incompleto da mente, caracterizado pelo prejuízo das aptidões e da inteligência em geral em áreas como a cognição, linguagem, capacidades motoras e sociais. (OMS, 2001)
    73. 73. Défice Cognitivo • Geralmente as capacidades de compreensão e de expressão estão ao nível das capacidades cognitivas; • Poderão apresentar uma incapacidade comunicativa severa, sem muitas vezes terem atingido o nível simbólico da linguagem; • Os atos comunicativos têm uma importância funcional, promovendo posteriormente a linguagem.
    74. 74. Défice Cognitivo • Muitas vezes estas crianças mantêm-se num nível pré-linguístico, comunicando com comportamentos informais (vocalizações, expressões faciais, movimentos corporais, choro), que são interpretados pelos outros como atos intencionais de comunicação. • O grau de dificuldade na linguagem vai depender do: • Grau de défice cognitivo; • Qualidade do apoio educativo; • Início do apoio.
    75. 75. Défice Cognitivo • Inicio mais tardio do sorriso; • Dificuldades na atenção conjunta; • Dificuldades em explorar o meio. Comunicação Pré-verbal
    76. 76. • Desenvolvimento dos fonemas mais lento; • Dificuldade principalmente com os sons fricativos - [f] [s] [ʃ] [v] [z] [ʒ] • Fraca inteligibilidade Défice Cognitivo Aspetos Fonológicos
    77. 77. • Início tardio das primeiras palavras; • Vocabulário pobre – mais concreto com poucos adjetivos e advérbios; • O Léxico é mais facilmente aprendido do que a estrutura sintática; • A compreensão depende da palavra chave. Défice Cognitivo Aspetos Semânticos
    78. 78. • Omitem morfemas gramaticais; • Dificuldade no uso e compreensão de frases complexas; • Dificuldades de construção interrogativa. Défice Cognitivo Aspetos Morfossintáticos
    79. 79. • Dificuldade em iniciar e manter o tópico de conversação; • Uso de respostas inadequadas no tempo, pessoa e lugar; • Dificuldade em pedir clarificações; • Falta de consciência das suas incapacidades comunicativas. Défice Cognitivo Aspetos Pragmáticos
    80. 80. Paralisia Cerebral • “Perturbação persistente do controlo do movimento e da postura causada por uma lesão não evolutiva do SNC durante o período de desenvolvimento cerebral, limitado em geral aos três primeiros anos de vida” (Eicher & Batshaw, 1993).
    81. 81. Paralisia Cerebral • Segundo Dederich (2000) em “O Desenvolvimento Cognitivo e Linguagem na Paralisia Cerebral”: • Ver além do comprometimento dos órgãos fono-articuladores que dificultam e atrasam a aquisição e desenvolvimento de competências na fala; • Relação entre cognição e linguagem; • Défice cognitivo causado pela incapacidade em se movimentar e explorar o seu meio ambiente – causando um atraso no desenvolvimento da linguagem; • Considerações sobre o plano social e psicológico da criança.
    82. 82. Trissomia 21 • A Trissomia XXI define-se como “uma alteração da organização genética e cromossómica do par 21, pela presença total ou parcial de um cromossoma (autossoma) extra nas células do organismo, ou por alterações de um dos cromossomas do par 21 por permuta de partes com outro cromossoma de outro par de cromossomas” (Varela & Rodrigues, 1990). • Este síndrome engloba, além de um atraso do desenvolvimento psicomotor e intelectual, um conjunto de sinais físicos característicos.
    83. 83. Trissomia 21 O desenvolvimento cognitivo é superior ao da linguagem A compreensão é mais efetiva que a expressão oral da linguagem A linguagem não verbal exerce uma função importante
    84. 84. Trissomia 21 • Apresenta dificuldades principalmente ao nível: • Do domínio fonológico • Do domínio morfossintático • Causas: Duas hipóteses: • Défice de memória a curto prazo • Dificuldades de planeamento motor – alterações neuromusculares
    85. 85. Trissomia 21 - Desenvolvimento Linguístico: • Fase pré-linguística: • Fase de palrar/balbuciar em idade cronológica semelhante; • Diferenças ao nível do sorriso social, reatividade e iniciativa na interação social; • Fase linguística: • Primeiras palavras por volta dos 16 meses; • Até aos 3-4 anos – desenvolvimento lento do léxico (20 palavras), primeiras frases; • 5-6 anos – Alongamento dos enunciados (progressivo e lento) com pobre organização gramatical. • O desenvolvimento ocorre de forma mais lenta mas de forma semelhante.
    86. 86. • Contudo, tem capacidade para utilizar a linguagem e desenvolve-la melhor, desde que lhe sejam oferecidas as mais diversas oportunidades e estímulos, no seu contexto social e educacional Trissomia 21 - Desenvolvimento Linguístico:
    87. 87. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • O autismo é uma perturbação global do desenvolvimento caracterizada por défices na interação social e comunicação, e comportamentos repetitivos e interesses restritos. Esta perturbação é quatro a cinco vezes mais frequente no sexo masculino. • O atraso ou ausência total do desenvolvimento da linguagem é geralmente o primeiro sinal de alarme para a perturbação autística (geralmente nos primeiros três anos de vida) e está entre os principais critérios para diagnosticar a perturbação autística.
    88. 88. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • As perturbações na linguagem nas crianças com autismo incluem atraso no desenvolvimento da fala, diferentes défices na compreensão ou linguagem verbal, com padrões de discurso estereotipados e idiossincráticos ou dificuldades na leitura. • As dificuldades mais acentuadas geralmente são notadas na semântica e na pragmática.
    89. 89. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • Características antes dos 3 anos de idade: • Manifestam respostas sociais irregulares até ao 2º ano de vida. • Não procuram o adulto e observam-se poucos comportamentos antecipatórios; • Fracassam desde cedo na interação em tríade, quando têm que combinar a atenção entre um objeto e uma pessoa; • Prestam atenção aos aspetos “não-sociais” das pessoas (repete comportamentos sem procurar a interação). • Apresentam dificuldade em compreender emoções e sentimentos, reagindo de maneira diferente a situações semelhantes;
    90. 90. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • Desenvolvimento da comunicação / linguagem • Cerca de 50% das crianças autistas não desenvolvem linguagem oral funcional; • O prognóstico torna-se mais favorável se as 1ª palavras forem produzidas precocemente e se usadas de forma funcional; • A maioria das pessoas com autismo que desenvolvem linguagem oral terão limitações importantes, pois adquirem-na tardiamente e de forma mais lenta; • Contudo, a oralidade raramente é usada para a interação verbal;
    91. 91. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • O desenvolvimento fonológico começa mais tarde e desenvolve-se lentamente no entanto, verifica-se um atraso e não um desvio na aquisição. • O desenvolvimento morfossintático apresenta também um atraso na aquisição, verificando-se contudo a utilização limitada de estruturas. • Ao nível do desenvolvimento pragmático, é possível observar a falta de espontaneidade, o uso inadequado das normas sócio-comunicativas e pouca resposta às tentativas comunicativas das outras pessoas ao longo do crescimento da criança.
    92. 92. Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) • Desenvolvimento semântico: • Léxico composto por palavras referências, adquirindo primeiro palavras que denominam objetos estáticos. • Contrariamente ao desenvolvimento padrão, não adquirem primeiro “mamã, papã ou adeus”; • Linguagem com ecolália, que por vezes poderá ter função comunicativa. • (Excede capacidades da criança ou pretende concordar).
    93. 93. Informações Importantes a Reter • Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem • Processo de Sinalização e Encaminhamento após identificação de possível problemática; • Atividades e orientações na estimulação da aquisição e desenvolvimento da linguagem.
    94. 94. Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem • Ao nível fonológico: • Não palrar por volta dos 3-4 meses e não apontar aos 12 • meses; Não dizer palavras aos 16 meses, não formular expressões de duas palavras aos 2 anos e não construir frases aos 3 anos; • Desenvolvimento fonológico muito lento, com persistência das simplificações próprias do desenvolvimento, para além do tempo normal e características de fala infantil; • Ao nível da pragmática: • Estão apenas presentes a capacidade de intenção e de regulação, da conduta do outro e da satisfação das próprias necessidades;
    95. 95. • Ao nível da morfologia verbal: • Só utiliza a 3.ª pessoa, o presente e formas impessoais (infinitivos e particípios) até aos 5 anos; • Ao nível da semântica: • Vocabulário pobre e restrito, com palavras muito gerais; • Ao nível da sintaxe: • Justaposição de palavras na frase, sem elementos de relação, artigos, possessivos, pronomes pessoais, verbos auxiliares, até depois dos 4 anos; • Não combinar duas palavras para formar frases (ex: dá bola) aos 3 anos. Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem
    96. 96. Sinais de alerta para a presença de Perturbação ou Atraso da Linguagem • Ao nível da produção espontânea: • Linguagem ininteligível para os pais aos 2 anos e para estranhos aos 3 anos, associada a gestos naturais; • Defeitos na articulação das palavras aos 7 anos; • Não contar uma história aos 3 anos; • “Falar por falar” e não para estabelecer uma relação com o outro, aos 2 anos;
    97. 97. Idade Sinais de Alerta 0-6 meses  Não reagir à estimulação sonora;  Não sorrir e não estabelecer contacto ocular. 6-12 (meses)  Deixar de produzir sons;  Não reagir ao seu nome;  Não reagir a sons familiares (ex. telefone, campainha, porta). 12-18 (meses)  Não usar palavras isoladas;  Não reagir, olhando ou sorrindo quando brincam com ele. 18-24 (meses)  Não compreender instruções simples;  Ter vocabulário reduzido a 4/6 palavras. 24-36 (meses) 2-3 anos  Não combinar duas palavras para formar frases (ex. dá bola). 36-48 (meses) 3-4 anos  Utilizar discurso que não é compreendido por todos;  Usar mais gestos do que palavras para dizer o que quer. 48-60 (meses) 4-5 anos  Omitir e trocar sons nas palavras (ex. não diz o ‘s’, troca o ‘t’ pelo ‘q’ ou vice versa);  Não descrever acontecimentos do dia-a-dia.
    98. 98. Processo de Sinalização e Encaminhamento após identificação de possível problemática; • A sinalização e consequente encaminhamento para a Terapia da Fala pode ser realizada por educadores, professores, pais/cuidadores ou qualquer outra pessoa presente na vida quotidiana da criança que identifique uma possível problemática/atraso. • A avaliação por parte do Terapeuta da Fala poderá remover preocupações dos pais/cuidadores e identificar se existe ou não alguma problemática na aquisição ou desenvolvimento da linguagem da criança. (ou em qualquer outra área de intervenção de Terapia da Fala – Fala, Motricidade, Comunicação ou Voz.
    99. 99. Processo de Sinalização e Encaminhamento após identificação de possível problemática; • Em relação à referenciação realizada para acompanhamento pelo SNIPI (Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância): • É preenchido um documento, “Ficha de Referenciação”, com dados de identificação e descrição sumária do motivo da referenciação; • De seguida o documento é enviado para a o destinatário adequado (em Leiria a CERCILei) onde é decidido em reunião de equipa de IP se possuí critérios de elegibilidade para acompanhamento. • Critérios de elegibilidade: Alterações nas funções ou estruturas do corpo ou risco grave de atraso de desenvolvimento. • A decisão do técnico que acompanhará a criança é realizada em reunião de equipa. É tida em conta a área da problemática da criança aquando esta escolha. (Linguagem  Terapia da Fala)
    100. 100. Atividades e orientações na estimulação da aquisição e desenvolvimento da linguagem.
    101. 101. Estratégias de Estimulação da Linguagem Estratégia “Watch and Wait” Modelar a imitação e o pegar a vez. Período Pré-intencional
    102. 102. Estratégias de Estimulação da Linguagem Método - Prelinguistic Milieu Teaching (PMT). Organizar o meio ambiente Partilhar o foco de atenção Frequência Iniciativa Inicio do Período intencional
    103. 103. Estratégias de Estimulação da Linguagem Situações Promotoras de Intencionalidade Comunicativa Comer algo do agrado da criança sem lhe oferecer Mostrar como funciona um boneco de corda e depois dá-lo à criança Iniciar uma brincadeira familiar com a criança e depois parar Dar à criança uma comida do desagrado dela Colocar um brinquedo dentro de um recipiente transparente e fechá-lo. Inicio do Período intencional Warren & Yodder, 1998
    104. 104. • Monólogo/monólogo paralelo • Extensão e Expansão do Enunciado • Construção e desconstrução do Enunciado • Modelagem Estratégias de Estimulação da Linguagem Período intencional – Cerca de 36 Meses
    105. 105. • Espera Estruturada • Pistas fonémicas • Pistas silábicas • “Responsive-naming” • Repetição e Treino. Estratégias de Estimulação da Linguagem
    106. 106. Referências Bibliográficas • Aguado, G. (2002). El desarrolo del lenguaje de 0 a 3 años, Bases para un diseño curricular en la educación infantil. Madrid: CEPE. • Acosta V. et al. (2003). Avaliação da Linguagem, Teoria e prática do processo de avaliação do comportamento linguístico infantil. SãoPaulo: Livraria Santos Editora, Lta.1ªEd. • Cooke, J., Williams, D. Working with children language. London: Winslow Press. • Correia M., Serrano, A. (Orgs) (2000). Envolvimento Parental em Intervenção Precoce, Das práticas Centrada na Criança às praticas centradas na família. Porto: Porto Editora. • HOFF, E. (2001). Language development. Wadsworth: Thomson Learning, 2ª Ed. • Roth, F., Colleen, K. (1996). Treatment resource manual for speech and language pathology. San Diego: Singular Pub. • Sim-Sim, I. (1998). Desenvolvimento da Linguagem. Lisboa: Universidade Aberta.
    107. 107. F I M

    ×