SlideShare uma empresa Scribd logo
DIFICULDADE E DISTÚRBIO DE
      APRENDIZAGEM

Fonoaudióloga e Psicopedagoga
     Renata F. Mamede
       CRFa 1763 - Go
CONCEITO DE APRENDIZAGEM

   “Melhor adaptação do indivíduo a seu meio por
 mudanças mais ou menos permanentes no SNC com
  modificações funcionais em resposta a uma ação
                   ambiental”.
                            Rotta &Guardiola, 1996
Para que haja       Contínua
 aprendizagem        Global
 significativa é     Dinâmica
 preciso que haja    Pessoal
 mudança.            Gradativa
     APRENDIZAGEM:
                     Cumulativa
Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem
CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:

1. Motivação:

    Intrínsica – geradora de satisfação

    Extrínseca – resposta ao exterior
CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:

2. Retenção ou Apreensão:


Construção de um conjunto
 relacional de uma rede
 (cumulativa)
CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:

3. Transferência:
Depende:

- currículo
- Disponibilidade do aluno
- Competência docente
ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DA
         LINGUAGEM:
1. Aquisição do significado: a criança adquire
   a noção e a função dos objetos que a
   rodeiam atribuindo-lhes um significado
   social.

* Observação e da experimentação
2. Compreensão da linguagem falada: os
  objetos aquiriridos são associados aos seus
  nomes.

 * Objeto ↔ imagem mental
3. Expressão da palavra falada: sons ainda não
   se assemelham ao adulto.
     * A partir daqui o comportamento vocal
   (fala) da criança começa a se assemelhar à
   fala do adulto pela comparação.

    *A fala se desenvolve por imitação.
4. Compreensão da palavra impressa:



    LEITURA
5. Expressão da palavra impressa:

      ESCRITA
PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS(ZORZI,
                1998)
1. Erros por representações múltiplas -
    serviço/cevico

2. Apoio na oralidade – cadeira/cadera

3. Omissão – compraram/copraram

4. Confusão am/ão – tanque/tãoqui
5. Trocas surdas/sonoras – machucado/majucado

6. Acréscimo de letras – caçador/cacaçador

7. Confusão entre letras parecidas – cimento/cineto

8. Inversão de letras – enxugar/nijucar
9. Outras alterações:

• Falhas por processamento fonológico

• Correspondência fonema / grafema

Ex: zelador/velador
AQUISIÇÃO DA LEITURA:

• Envolve dois processos básicos:
DECODIFICAÇÃO ↔ COMPREENSÃO

• Aprender a ler não significa somente
  associar letra e som/palavra e significado;
Uma pesquisa científica identificou seis dimensões
    importantes para o sucesso da leitura( National Research
                Council, Reading Panel, 2000):




•   Motivação
•   Vocabulário
•   Compreensão
•   Fluência
•   Consciência Fonológica
•   Princípio Alfabético
• Aprender a ler implica: perceber, reconhecer, elaborar e interpretar símbolos através de
associações sucessivas e simultâneas:



                                 visoauditivas




          visomotoras                                   visoespaciais




                                  audiovisuais
Hemisférios cerebrais:
• Direito:                • Esquerdo:
- Reconhecimento da       - Processa dados
  palavra como um todo;     simbólicos;
- Recolhe dados           - Compara com os pré –
  sensoriais e forma        existentes;
  imagens;                - Analítico e regido pela
- Anárquico e funciona      lógica.
  pela intuição.
Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem
ROTAS PARA LEITURA:
Fonológica, indireta:          Lexical / visual /direta:
• Baseia-se na segmentação     • Mais rápida -
  fonológica das palavras        reconhecimento global da
  escritas, por meio da          palavra e sua
  consciência fonológica.        pronunciação imediata
  Análise entre som e letra/     sem necessidade de
  grafema;                       análise.
• Permite o reconhecimento
  das letras das palavras e    • Permite o reconhecimento
  sua transformação em           de palavras familiares.
  sons.
ROTAS DE LEITURA:
fonológica ← Palavra Escrita →         lexical


decodificação(fonema)



reconhec. auditivo       reconhec. visual (léxico)


                                         significado


                                 pronúncia ou fala
• PNEUMOULTRAMICROSCOPICOSSILICOVULCANIÓTICO




•   MNEUMOULTRASILICERCOMASTERVULCARICÓISE
• De aocdo com uma pesqsiusa de uma
  uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul
  odrem as lteras de uma plravaa etãso, a
  úncia csioa iprotmatne é que a piremria e
  útmlia lteras etejasm no lgaur crteo.O rseto
  pdoe ser uma bçguana ttoal,que vcôe anida
  pdoe ler sem pobrlmea.
• Itso é poqrue nós não lmeos cdaa Ltera
  isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.
Distúrbio/Transtorno


            X


Dificuldade de Aprendizagem
Com que se
              aprende



    O
ambiente                   Quem
no qual se                aprende
 aprende



              Como se
              aprende
Fatores a considerar no
                  diagnóstico




Orgânicos        Emocionais           Ambientais
Orgânicos
• Integridade dos órgãos
sensoriais;
• Aspectos neurológicos:            equilíbrio

  - pré - natal
  - perinatal               ritmo
  - pós - natal
                                        flexibilidade
Fatores Orgânicos:
• Gravidez:
- Desenvolvimento cerebral pode ser
  interrompido:
     1. Primeiro trimestre – morte ou profundos
  déficits ao nascer( atraso mental);
     2. Após o primeiro trimestre –
  especialização das células neuronais – erros
  de localização ou conexão( lesão ou disfunção)
Pré – natais:    Perinatais:     Pós – natais:
* Genético        * Anoxia
*                ou hipoxia      *traumatismo
Ototóxico                        * Doenças
                 * traumas       infecciosas
* Álcool


 *Tabagismo
 * Aspectos      *baixo peso     * Intoxicação
 nutricionais   *prematuridade
                                 *desnutrição
   *drogas        * infecções
Fatores Emocionais:
• Interação e estrutura familiar;

• Maturidade;

• Hábitos deletérios;

• Mudança de comportamento após trauma.
Fatores Ambientais:
• Relação aprendente – ensinante afeta
  diretamente a subjetividade do outro;
• Estímulos variados;
• Condições das salas de aula;
• Flexibilidade no uso de recursos que
  propiciem aprendizagem;
• Ambiente familiar.
FRANÇA apud NUTTI (2002):

         DISTÚRBIO          DIFICULDADE

- Sugere a existência de     - relacionada a
  comprometimento              problemas de ordem
  neurológico em funções       psicopedagógica
  corticais específicas      e/ou sócio - culturais

- perspectiva clínica ou
  remediativa                - Perspectiva preventiva
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
A DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM
             PODE DESIGNAR:

•   Não aprender
•   Aprender lentamente
•   Não revelar o que aprendeu
•   Fugir das situações de possíveis
    aprendizagens
GOIÂNIA, 20098

• 42.346 crianças avaliadas:


• 74% abaixo do esperado pela série.

                        Profa. Josetti de Parada
● Visuo-espacial             ● Auditivo-linguística
  (dificuldades na             (surdez, que pode ir de
  percepção da leitura de      um grau ligeiro a um
  "b/d" e p/q“),               grau severo),
                             ● Acadêmica (é a mais
● Organizacional               comum; a criança pode
  (dificuldades em cumprir     apresentar
  tarefas com sequência),      dificuldades na área da
                               matemática e/ou da
                               leitura/escrita),
● Motora (problemas na
         SOUZA(2007):
  coordenação global ou
  fina, por exemplo, a       ● Socioemocional
                              (dificuldade no
  nível da escrita),          cumprimentos de
                              normas sociais).
PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:

* Causas internas à      * Causas externas à
  estrutura familiar e      estrutura familiar e
  individual (desejo        individual
  inconsciente de não    ( confronto entre o aluno
  aprender) .               e escola) ;
DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM
PREVALÊNCIA ESTIMADA


• 5 a 10% das pessoas em idade escolar



• Predomínio no sexo masculino:
         5:1
CID – 10: Organização Mundial de Saúde -
                OMS/1992
• ..."grupos de transtornos manifestados por
  comprometimentos específicos e significativos no
  aprendizado de habilidades escolares. Estes
  comprometimentos no aprendizado não são resultados
  diretos de outros transtornos (tais como retardo mental,
  déficits neurológicos grosseiros, problemas visuais ou
  auditivos não corrigidos ou perturbações emocionais)
  embora eles possam ocorrer simultaneamente em tais
  condições"... (1993, p. 237)
. DSM – IV: Associação Psiquiátrica
               Americana/1995

• “Os transtornos de aprendizagem são diagnosticados
  quando os resultados do indivíduo em testes padronizados
  e individualmente administrados de leitura, matemática
  ou expressão escrita estão substancialmente abaixo do
  esperado para sua idade, escolarização ou nível de
  inteligência...Os transtornos de aprendizagem podem
  persistir até a idade adulta” (1995, p. 46)
3 TIPOS DE TRANSTORNOS:

• Leitura (oral/silenciosa/compreensão)

• Escrita (disgrafia e/ou disortografia)

• Habilidades matemáticas (discalculia).
PRÉ REQUISITOS:
• Ausência de comprometimento intelectual,
  neurológico evidente ou sensorial;

• Adequadas condições de escolarização;

• Início obrigatoriamente na primeira ou
  início da segunda infância;
DISTÚRBIOS DE ESCRITA

• Escrever significa relacionar o signo verbal a
  um signo gráfico;



• Relação: audição (palavra falada),
  o significado (vivência da criança) e a palavra
  escrita.
DISGRAFIA

• Perturbação da escrita quanto ao traçado
  das letras e à disposição dos conjuntos
  gráficos no espaço utilizado, tornando a
  grafia praticamente indecifrável.

• Dificuldades motoras e espaciais.
“Será considerada disgráfica toda
criança cuja escrita seja defeituosa,
quando ela não tiver um importante
  déficit neurológico ou intelectual
       que a justifique. Crianças
    intelectualmente normais que
     escrevem devagar e de forma
 ilegível o que atrasa seu progresso
               escolar”
                  Ajuriaguerra, 1977.
Disgrafia
• É a soma da praxia e da linguagem e só pode ser realizada a
  partir de certo grau de organização espacial global;

• O ato de escrever une literalmente o corpo à palavra:
  Insistir em corrigir a letra esquecendo – se da problemática
  corporal que ela expressa não faz mais que fixar o sintoma.
 DISGRAFIA MOTORA                DISGRAFIA PERCEPTIVA:
  (DISCALIGRAFIA):
                                    Não consegue fazer
   A criança consegue falar        relação entre o sistema
 e ler, mas tem dificuldades       simbólico e as grafias que
 na coordenação motora             representam os sons, as
 fina para escrever as             palavras e frases.
 letras, palavras e números.
                                       Características da dislexia
       TIPOS DE DISGRAFIA:
                                   .
Modelos de disgráficos:

• Escrita rápida – esquecem     • Micrografia – dificuldade na
  de se ater a forma ou           compreensão do escrito(
  proporção das letras            emocional??)
  →organização espacial
  defeituosa;
• Escrita lenta – se perde na
  lentidão e produz
  pseudopalavras → memória
  visual defeituosa;
PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS:

●   Movimentos contrários aos   ● Apresentação desordenada
    da escrita convencional       do texto

                                ● Margens malfeitas ou
● Separação inadequada das        inexistentes
  letras
                                ● Espaço irregular entre
                                  palavras, linhas e
● Traçados de má qualidade,       entrelinhas
  tamanho pequeno ou
  grande,                       ● Distorção da forma da letra
  pressão leve ou forte           e a substituição de curvas
                                  por ângulos
PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:
• Distúrbios de motricidade ampla e
  especialmente fina,

• Distúrbios de coordenação visomotora,

• Deficiência da organização temporoespacial,

• Problemas de lateralidade.
DISORTOGRAFIA


• Conjunto de erros da escrita que afetam a
  palavra, mas não o seu traçado ou grafia;



• Nem sempre se repetem na leitura.
PRINCIPAIS ERROS:
●   Confusão de sílabas com   • Confusão de letras (trocas
     tonicidade semelhante:     auditivas), consoantes
     cantarão/cantaram.         surdas por sonoras: f/v,
                                p/b, ch/j.

                              • Uso de palavras com um
• Vogais nasais por orais:      mesmo som para várias
  na/a, en/e, in/i, on/o,       letras: casa/caza,
  un/u.                         azar/asar...

                              • Confusão de letras
                                (trocas visuais): b/d, p/q ;
                                semelhantes: a/o.
PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:


• 90% das disortografias têm como causa um
  atraso de linguagem ou atraso global de
  desenvolvimento.
DISCALCULIA
• DIS – dificuldade




• CALCULIA – cálculos matemáticos
•      Discalculia é definido como uma desordem
    neurológica específica que afeta a habilidade de uma
    pessoa de compreender e manipular números...
    inabilidade de executar operações matemáticas e/ou
    conceitualizar números como um conceito abstrato de
    quantidades comparativas.
A discalculia é um impedimento da matemática que
apresenta também outras limitações, tais como a
introspecção espacial, o tempo, a memória pobre, e os
problemas do ortografia. Há indicações de que é um
impedimento congenito ou hereditário, com um
contexto neurologico; podendo atingir crianças e
adultos.
Organização espacial;          • Auto-estima;

Linguagem/leitura;             • Orientação temporal;

Impulsividade;                 • Memória;

Inconsistência                 • Habilidades sociais;
(memorização).
        ÁREAS COMPROMETIDAS:   • Habilidades
                                 grafomotoras.
SINTOMAS MAIS COMUNS:

• Dificuldades freqüentes com os números, confundindo os
  sinais ( +, -, ÷ , x).
  Problemas de diferenciar entre esquerdo e direito.

• Falta de senso de direção (para o norte, sul, leste, e oeste) e
  pode também ter dificuldade com um compasso.

• A inabilidade de dizer qual de dois números é o maior.
• Melhor nos assuntos tais como a ciência e a geometria, que
  requerem a lógica mais que as fórmulas,

• Dificuldade com tempo conceitual e julgar a passagem do
  tempo,

• Dificuldade com tarefas diárias como verificar a mudança e
  ler relógios analógicos,

• Dificuldade em estimar medidas de um objeto ou de uma
  distância.
DISLEXIA


• DIS – distúrbio.
  LEXIA - (do latim) leitura; (do grego)
  linguagem.

 DISLEXIA - dificuldades na leitura e escrita.
International Dyslexia Association - IDA

•
    "Dislexia é um dos muitos distúrbios de aprendizagem. É um distúrbio
    específico da linguagem caracterizado pela dificuldade de decodificar
    palavras simples. Mostra uma insuficiência no processo fonológico.
    Estas dificuldades de decodificar palavras simples não são esperadas
    em relação a idade. Apesar de submetida a instrução convencional,
    adequada inteligência, oportunidade sócio-cultural e não possuir
    distúrbios cognitivos e sensoriais fundamentais, a criança falha no
    processo de aquisição da linguagem. A dislexia é apresentada em várias
    formas de dificuldade com as diferentes formas de linguagem,
    freqüentemente incluídas problemas de leitura, em aquisição e
    capacidade de escrever e soletrar."
 Os sintomas podem ser       A dislexia não é uma doença
  aliviados com
  acompanhamento
  adequado, direcionado às    Não se pode falar em cura
  condições de cada caso.

 Congênita e hereditária
Fixe seus olhos no texto e deixe que
            sua mente leia
• 35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 P4P4
  M05TR4R COMO N0554 C4B3Ç4
  CONS3GU3 F4Z3R COI545
  IMPR3551ON4NT35! R3P4R3 N155O!NO
  COM3Ç0 35T4V4 M310 COMPLIC4DO,
  M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41
  D3C1FR4ND0 O CÓD1GO
  4UTOMAT1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R
  P3NS4R MU1T0, C3RT0?
POD3 FIC4R B3M ORGULHO5O D155O!
SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3 P4R4B∑N5!!!!!!!
DIAGNÓSTICO:
* História familiar;



* História pregressa com atraso de fala.
IMPORTANTE:



    Não é necessário que estejam presentes todos os indicadores
em simultâneo, para que seja diagnosticado um caso de dislexia.
Estes indicadores devem apenas alertar para a possibilidade de
um possível caso de dislexia, já que é preciso compreender a
razão destes comportamentos.
SINAIS DE ALERTA
• Na Primeira Infância:

- Atraso na aquisição da linguagem e fala pode ser
   um primeiro sinal de alerta

- “Linguagem bebê” além do tempo normal.

- Omissão e a inversão de sons em palavras
  (fósforos/fosfos, pipocas/popicas...).
SINAIS DE ALERTA:
• Educação Infantil e Alfabetização:

- Linguagem “bebê” persistente

- Frases curtas, palavras mal pronunciadas, com omissões e
   substituições de sílabas e fonemas

- Dificuldade em aprender nomes: de cores (verde,
   vermelho), de pessoas, de objetos, de lugares...

- Dificuldade em memorizar canções e parlendas
SINAIS DE ALERTA:

- Dificuldade em perceber que frases são formadas por
  palavras e que as palavras em sílabas

- Não sabe as letras do seu nome próprio.

- Dificuldade em aprender e recordar os nomes e os sons das
  letras
SINAIS DE ALERTA:
• No Primeiro Ano de Escolaridade:
- Dificuldade em associar as letras aos seus sons, em associar
   a letra “ éfe ” com o som f.
- Erros de leitura por desconhecimento das regras de
   correspondência grafo-fonémica: vaca/ faca;
   janela/chanela; calo/galo...
- Dificuldade em ler monossílabos e em soletrar palavras
   simples: ao, os, pai, bola, rato...
- Maior dificuldade na leitura de palavras isoladas e de
   pseudopalavras “modigo”.
SINAIS DE ALERTA:
- Recusa ou insistência em adiar as tarefas de leitura e escrita.

- Necessidade de acompanhamento individual do professor para
   prosseguir e concluir os trabalhos.

- Relutância, lentidão e necessidade de apoio dos pais na
   realização dos trabalhos de casa.

- Queixas dos pais e dos professores em relação às dificuldades
   de leitura e escrita.

- história familiar de dificuldades de leitura e ortografia noutros
   membros da família
SINAIS DE ALERTA:
 A partir do segundo ano:
1. Problemas de Leitura:
- Progresso muito lento na aquisição da leitura e ortografia.

- Dificuldade de ler palavras desconhecidas, irregulares e com
   fonemas e sílabas semelhantes.

- Insucesso na leitura de palavras multissilábicas. Quando está
   quase a concluir a leitura da palavra, omite fonemas e sílabas
   ficando um “buraco” no meio da palavra: biblioteca / bioteca...

- Substituição de palavras de pronúncia difícil por outras com o
   mesmo significado: carro/automóvel...
SINAIS DE ALERTA:
- Tendência para adivinhar as palavras
- Melhor capacidade para ler palavras em contexto do que para ler
  palavras isoladas.
- Dificuldade em ler pequenas palavras funcionais como “aí, ia,
  ao, ou, em, de... ”.
- Dificuldades na leitura e interpretação de problemas
  matemáticos.
- Tensão durante a leitura oral
- Dificuldade em terminar as atividades no tempo previsto
- Dificuldade na orientação espacial e temporal
SINAIS DE ALERTA:
- Caligrafia imperfeita

- Os trabalhos de casa parecem não ter fim ou com os pais recrutados
   como leitores.

- Falta de prazer na leitura, evitando ler livros ou sequer pequenas
   frases.

- A correção leitora melhora com o tempo, mantém a falta de fluência
   e a leitura trabalhosa.

- Baixa autoestima, com sofrimento, que nem sempre é evidentes para
   os outros.
SINAIS DE ALERTA:
2. Problemas de Linguagem:

- Discurso pouco fluente com pausas, hesitações, um’s...

- Pronúncia incorreta de palavras longas, não familiares e
  complexas.

- Uso de palavras imprecisas em substituição do nome exato:
  a coisa, aquilo, aquela cena...

- Dificuldade em encontrar a palavra exata, humidade /
   humanidade...
SINAIS DE ALERTA:

- Dificuldade em recordar informações verbais, problemas
  de memória a curto termo: datas, nomes, telefone…

- Dificuldades de discriminação, segmentação e sequencia
  silábica e fonémica.

- Omissão, adição e substituição de fonemas e sílabas.

- Necessidade de tempo extra, dificuldade em dar respostas
   orais rápidas
SINAIS DE ALERTA:
• Jovens e Adultos:
- Não reconhecer palavras que leu ou ouviu quando as lê ou
   ouve no dia seguinte.
- Preferência por livros com poucas palavras por página e com
   muitos espaços em branco.
- Longas horas na realização dos trabalhos escolares.
- Penalização nos testes de escolha múltipla.
- Preferência por utilizar palavras menos complexas, mais
   fáceis de escrever.
SINAIS DE ALERTA:
• Competências:
- Boa capacidade de raciocínio lógico, abstração e
  imaginação.

- Maior facilidade de aprendizagem dos conteúdos
   compreendidos de que memorizados sem integração
   numa estrutura lógica.

- Melhor compreensão do vocabulário apresentado
   oralmente, do que do vocabulário escrito.
SINAIS DE ALERTA:
● Competências:

- Capacidade para ler e compreender melhor as palavras das
   suas áreas de interesse, que já leu, praticou, muitas vezes.

- Melhores resultados nas áreas que têm menor dependência
   da leitura: matemática, informática, artes visuais...
- Boa compreensão dos conteúdos quando lhe são lidos
Tipos de Dislexia
1. Dislexia disfonética:

• Falha no processamento auditivo- tanto do
  que se escuta do outro quanto de si mesmo;

• Falha na estruturação da linguagem escrita.
Principais sintomas:
• Dificuldade no ditado;      • Omissões – pode
• Substituições de              aparecer na leitura e
  fonemas semelhantes           escrita;
  auditivamente. Ex:          • Adição de letras ou
/p / e /b /; / t / e / d /.     sílabas na leitura;
•Inversões. Ex: saca/casa;    • Má pronúncia em
• Déficit de memória            palavras familiares;
  auditiva - depende do       • Dificuldade de
  tamanho da palavra e          soletração; rimas e
  familiaridade.                recitar o alfabeto.
Dislexia diseidética:


• Dificuldade na percepção visuoespacial.
Principais sintomas:
• Dificuldade na orientação
  espacial;                     •   Inversões;
• Falhas no esquema             •   Omissões;
  corporal;
                                •   Junções indevidas;
• Alterações na lateralidade;
                                •   Não reconhece o erro;
• Rotação. Ex: b/d; q/p;
                                •   Falha na cópia;
• Falha na discriminação
                                •   Consegue soletrar mas tem
  figura fundo;                     dificuldade para ler.
Dislexia Mista:


• Encontramos alterações tanto no nível
  auditivo quanto visual.
PREVALÊNCIAS:
• Nos EUA, e segundo o DSM-IV, é de 5% a 10% estimativa da
  prevalência da perturbação da leitura nas crianças com idade
  escolar.

• Isto significa que um pouco menos de um estudante
  inteligente em cada dez apresenta uma dislexia-disortografia
  mais ou menos importante.

• Dislexia ↔ discalculia: aproximadamente em 4 de cada 5
  casos de perturbação da aprendizagem.
• Outros estudos: 40% dos irmãos de crianças disléxicas
  apresentam de uma forma mais ou
  menos grave a mesma perturbação.

• Uma criança cujo pai seja disléxico apresenta um risco 8
  vezes superior à da população média.

• Nos vários estudos realizados até então constata-se uma
  patente desproporção entre meninos e meninas(
  antigamente 7 :1; atualmente relativa igualdade)
“Escolas que são asas não amam pássaros
engaiolados. O que elas amam são pássaros em
  vôo. Existem para dar aos pássaros coragem
 para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem
     fazer, porque o vôo já nasce dentro dos
pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode
                 ser encorajado”.

                              RUBEM ALVES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
estudosacademicospedag
 
As dificuldades de aprendizagem
As dificuldades de aprendizagem As dificuldades de aprendizagem
As dificuldades de aprendizagem
Universidade Federal do Amazonas
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
Alessandra Paranhos (CEMI)
 
TEA
TEATEA
Distúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escolaDistúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escola
marleneevang
 
AEE
AEEAEE
PEI
PEIPEI
Dislexia
DislexiaDislexia
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
Natália Lima
 
Como ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdahComo ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdah
SimoneHelenDrumond
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Anaí Peña
 
Transtorno Global do Desenvolvimento
Transtorno Global do DesenvolvimentoTranstorno Global do Desenvolvimento
Transtorno Global do Desenvolvimento
Daniela Ferreira Leão
 
Disgrafia
DisgrafiaDisgrafia
Disgrafia
Luciene Oliveira
 
Necessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiaisNecessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiais
Anaí Peña
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
Marcélia Amorim Cardoso
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Ravena B
 
Manual do aee
Manual do aeeManual do aee
Manual do aee
Isa ...
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
Rosemary Batista
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Raline Guimaraes
 

Mais procurados (20)

Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
 
As dificuldades de aprendizagem
As dificuldades de aprendizagem As dificuldades de aprendizagem
As dificuldades de aprendizagem
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
 
TEA
TEATEA
TEA
 
Distúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escolaDistúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escola
 
AEE
AEEAEE
AEE
 
PEI
PEIPEI
PEI
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
 
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
Transtornos Psicologicos_ Dislexia; discalculia; hiperatividade; impulsividad...
 
Como ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdahComo ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdah
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
Transtorno Global do Desenvolvimento
Transtorno Global do DesenvolvimentoTranstorno Global do Desenvolvimento
Transtorno Global do Desenvolvimento
 
Disgrafia
DisgrafiaDisgrafia
Disgrafia
 
Necessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiaisNecessidades educacionais especiais
Necessidades educacionais especiais
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
 
Manual do aee
Manual do aeeManual do aee
Manual do aee
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
 

Semelhante a Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem

Dificuldades de aprend.
Dificuldades de aprend.Dificuldades de aprend.
Dificuldades de aprend.
Marlene Campos
 
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.pptDistúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
Mônica Magalhães
 
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
Joseph Romacoj
 
Dislexia como trabalhar com o aluno
Dislexia como trabalhar com o alunoDislexia como trabalhar com o aluno
Dislexia como trabalhar com o aluno
unidadebetinho
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
Malu Aguiar
 
Manual de dislexia
Manual de dislexiaManual de dislexia
Manual de dislexia
Joao Sousa
 
Dificuldades_de_aprendizagem.pdf
Dificuldades_de_aprendizagem.pdfDificuldades_de_aprendizagem.pdf
Dificuldades_de_aprendizagem.pdf
JakelineAvelino
 
Curso II - Dislexia
Curso II - DislexiaCurso II - Dislexia
Curso II - Dislexia
António Santos
 
Perturbacoes especificas da linguagem
Perturbacoes especificas da linguagemPerturbacoes especificas da linguagem
Perturbacoes especificas da linguagem
ausendanunes
 
Perturbacoes especificas linguagem
Perturbacoes especificas linguagemPerturbacoes especificas linguagem
Perturbacoes especificas linguagem
Ana Lúcia Pereira
 
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
becastanheiradepera
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
straraposa
 
Curso prefeitura clara
Curso prefeitura claraCurso prefeitura clara
Curso prefeitura clara
pptmeirelles
 
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
Malu Aguiar
 
Transtornosdeaprendizagem
TranstornosdeaprendizagemTranstornosdeaprendizagem
Transtornosdeaprendizagem
rosemereporto
 
Distúrbios da escrita
 Distúrbios da escrita Distúrbios da escrita
Distúrbios da escrita
Latife Frota
 
distrbios da escrita
distrbios da escritadistrbios da escrita
distrbios da escrita
Latife Frota
 
4-Dislexia.ppt
4-Dislexia.ppt4-Dislexia.ppt
4-Dislexia.ppt
AlineGouveia8
 
O cérebro e a aprendizagem
O cérebro e a aprendizagemO cérebro e a aprendizagem
O cérebro e a aprendizagem
Dalva Pereira Martins
 
Transtornos de aprendizagem.pdf
Transtornos de aprendizagem.pdfTranstornos de aprendizagem.pdf
Transtornos de aprendizagem.pdf
CalmarinoLimpo
 

Semelhante a Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem (20)

Dificuldades de aprend.
Dificuldades de aprend.Dificuldades de aprend.
Dificuldades de aprend.
 
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.pptDistúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
 
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
Distrbiosdeaprendizagemelinguagemnoambienteescolar ppt-100709065013-phpapp01
 
Dislexia como trabalhar com o aluno
Dislexia como trabalhar com o alunoDislexia como trabalhar com o aluno
Dislexia como trabalhar com o aluno
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
 
Manual de dislexia
Manual de dislexiaManual de dislexia
Manual de dislexia
 
Dificuldades_de_aprendizagem.pdf
Dificuldades_de_aprendizagem.pdfDificuldades_de_aprendizagem.pdf
Dificuldades_de_aprendizagem.pdf
 
Curso II - Dislexia
Curso II - DislexiaCurso II - Dislexia
Curso II - Dislexia
 
Perturbacoes especificas da linguagem
Perturbacoes especificas da linguagemPerturbacoes especificas da linguagem
Perturbacoes especificas da linguagem
 
Perturbacoes especificas linguagem
Perturbacoes especificas linguagemPerturbacoes especificas linguagem
Perturbacoes especificas linguagem
 
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
Dislexia2011x 121009212215-phpapp01
 
Modelo relatório individual
Modelo relatório individualModelo relatório individual
Modelo relatório individual
 
Curso prefeitura clara
Curso prefeitura claraCurso prefeitura clara
Curso prefeitura clara
 
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
A informatica-como-instrumento-de-intervencao-pedagogica-em-criancas-com-disl...
 
Transtornosdeaprendizagem
TranstornosdeaprendizagemTranstornosdeaprendizagem
Transtornosdeaprendizagem
 
Distúrbios da escrita
 Distúrbios da escrita Distúrbios da escrita
Distúrbios da escrita
 
distrbios da escrita
distrbios da escritadistrbios da escrita
distrbios da escrita
 
4-Dislexia.ppt
4-Dislexia.ppt4-Dislexia.ppt
4-Dislexia.ppt
 
O cérebro e a aprendizagem
O cérebro e a aprendizagemO cérebro e a aprendizagem
O cérebro e a aprendizagem
 
Transtornos de aprendizagem.pdf
Transtornos de aprendizagem.pdfTranstornos de aprendizagem.pdf
Transtornos de aprendizagem.pdf
 

Mais de Instituto Consciência GO

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
Instituto Consciência GO
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
Instituto Consciência GO
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
Instituto Consciência GO
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
Instituto Consciência GO
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
Instituto Consciência GO
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Instituto Consciência GO
 
TDAH
TDAHTDAH
Atenção
AtençãoAtenção
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Instituto Consciência GO
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
Instituto Consciência GO
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Instituto Consciência GO
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
Instituto Consciência GO
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Instituto Consciência GO
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
Instituto Consciência GO
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Instituto Consciência GO
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Instituto Consciência GO
 
SIAD
SIADSIAD

Mais de Instituto Consciência GO (20)

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
DCNEIs
 
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
 
SIAD
SIADSIAD
SIAD
 

Último

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 

Último (20)

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 

Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem

  • 1. DIFICULDADE E DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM Fonoaudióloga e Psicopedagoga Renata F. Mamede CRFa 1763 - Go
  • 2. CONCEITO DE APRENDIZAGEM “Melhor adaptação do indivíduo a seu meio por mudanças mais ou menos permanentes no SNC com modificações funcionais em resposta a uma ação ambiental”. Rotta &Guardiola, 1996
  • 3. Para que haja Contínua aprendizagem Global significativa é Dinâmica preciso que haja Pessoal mudança. Gradativa APRENDIZAGEM: Cumulativa
  • 5. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM: 1. Motivação: Intrínsica – geradora de satisfação Extrínseca – resposta ao exterior
  • 6. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM: 2. Retenção ou Apreensão: Construção de um conjunto relacional de uma rede (cumulativa)
  • 7. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM: 3. Transferência: Depende: - currículo - Disponibilidade do aluno - Competência docente
  • 9. 1. Aquisição do significado: a criança adquire a noção e a função dos objetos que a rodeiam atribuindo-lhes um significado social. * Observação e da experimentação
  • 10. 2. Compreensão da linguagem falada: os objetos aquiriridos são associados aos seus nomes. * Objeto ↔ imagem mental
  • 11. 3. Expressão da palavra falada: sons ainda não se assemelham ao adulto. * A partir daqui o comportamento vocal (fala) da criança começa a se assemelhar à fala do adulto pela comparação. *A fala se desenvolve por imitação.
  • 12. 4. Compreensão da palavra impressa: LEITURA
  • 13. 5. Expressão da palavra impressa: ESCRITA
  • 14. PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS(ZORZI, 1998) 1. Erros por representações múltiplas - serviço/cevico 2. Apoio na oralidade – cadeira/cadera 3. Omissão – compraram/copraram 4. Confusão am/ão – tanque/tãoqui
  • 15. 5. Trocas surdas/sonoras – machucado/majucado 6. Acréscimo de letras – caçador/cacaçador 7. Confusão entre letras parecidas – cimento/cineto 8. Inversão de letras – enxugar/nijucar
  • 16. 9. Outras alterações: • Falhas por processamento fonológico • Correspondência fonema / grafema Ex: zelador/velador
  • 17. AQUISIÇÃO DA LEITURA: • Envolve dois processos básicos: DECODIFICAÇÃO ↔ COMPREENSÃO • Aprender a ler não significa somente associar letra e som/palavra e significado;
  • 18. Uma pesquisa científica identificou seis dimensões importantes para o sucesso da leitura( National Research Council, Reading Panel, 2000): • Motivação • Vocabulário • Compreensão • Fluência • Consciência Fonológica • Princípio Alfabético
  • 19. • Aprender a ler implica: perceber, reconhecer, elaborar e interpretar símbolos através de associações sucessivas e simultâneas: visoauditivas visomotoras visoespaciais audiovisuais
  • 20. Hemisférios cerebrais: • Direito: • Esquerdo: - Reconhecimento da - Processa dados palavra como um todo; simbólicos; - Recolhe dados - Compara com os pré – sensoriais e forma existentes; imagens; - Analítico e regido pela - Anárquico e funciona lógica. pela intuição.
  • 22. ROTAS PARA LEITURA: Fonológica, indireta: Lexical / visual /direta: • Baseia-se na segmentação • Mais rápida - fonológica das palavras reconhecimento global da escritas, por meio da palavra e sua consciência fonológica. pronunciação imediata Análise entre som e letra/ sem necessidade de grafema; análise. • Permite o reconhecimento das letras das palavras e • Permite o reconhecimento sua transformação em de palavras familiares. sons.
  • 23. ROTAS DE LEITURA: fonológica ← Palavra Escrita → lexical decodificação(fonema) reconhec. auditivo reconhec. visual (léxico) significado pronúncia ou fala
  • 24. • PNEUMOULTRAMICROSCOPICOSSILICOVULCANIÓTICO • MNEUMOULTRASILICERCOMASTERVULCARICÓISE
  • 25. • De aocdo com uma pesqsiusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lteras de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lteras etejasm no lgaur crteo.O rseto pdoe ser uma bçguana ttoal,que vcôe anida pdoe ler sem pobrlmea.
  • 26. • Itso é poqrue nós não lmeos cdaa Ltera isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.
  • 27. Distúrbio/Transtorno X Dificuldade de Aprendizagem
  • 28. Com que se aprende O ambiente Quem no qual se aprende aprende Como se aprende
  • 29. Fatores a considerar no diagnóstico Orgânicos Emocionais Ambientais
  • 30. Orgânicos • Integridade dos órgãos sensoriais; • Aspectos neurológicos: equilíbrio - pré - natal - perinatal ritmo - pós - natal flexibilidade
  • 31. Fatores Orgânicos: • Gravidez: - Desenvolvimento cerebral pode ser interrompido: 1. Primeiro trimestre – morte ou profundos déficits ao nascer( atraso mental); 2. Após o primeiro trimestre – especialização das células neuronais – erros de localização ou conexão( lesão ou disfunção)
  • 32. Pré – natais: Perinatais: Pós – natais: * Genético * Anoxia * ou hipoxia *traumatismo Ototóxico * Doenças * traumas infecciosas * Álcool *Tabagismo * Aspectos *baixo peso * Intoxicação nutricionais *prematuridade *desnutrição *drogas * infecções
  • 33. Fatores Emocionais: • Interação e estrutura familiar; • Maturidade; • Hábitos deletérios; • Mudança de comportamento após trauma.
  • 34. Fatores Ambientais: • Relação aprendente – ensinante afeta diretamente a subjetividade do outro; • Estímulos variados; • Condições das salas de aula; • Flexibilidade no uso de recursos que propiciem aprendizagem; • Ambiente familiar.
  • 35. FRANÇA apud NUTTI (2002): DISTÚRBIO DIFICULDADE - Sugere a existência de - relacionada a comprometimento problemas de ordem neurológico em funções psicopedagógica corticais específicas e/ou sócio - culturais - perspectiva clínica ou remediativa - Perspectiva preventiva
  • 37. A DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM PODE DESIGNAR: • Não aprender • Aprender lentamente • Não revelar o que aprendeu • Fugir das situações de possíveis aprendizagens
  • 38. GOIÂNIA, 20098 • 42.346 crianças avaliadas: • 74% abaixo do esperado pela série. Profa. Josetti de Parada
  • 39. ● Visuo-espacial ● Auditivo-linguística (dificuldades na (surdez, que pode ir de percepção da leitura de um grau ligeiro a um "b/d" e p/q“), grau severo), ● Acadêmica (é a mais ● Organizacional comum; a criança pode (dificuldades em cumprir apresentar tarefas com sequência), dificuldades na área da matemática e/ou da leitura/escrita), ● Motora (problemas na SOUZA(2007): coordenação global ou fina, por exemplo, a ● Socioemocional (dificuldade no nível da escrita), cumprimentos de normas sociais).
  • 40. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS: * Causas internas à * Causas externas à estrutura familiar e estrutura familiar e individual (desejo individual inconsciente de não ( confronto entre o aluno aprender) . e escola) ;
  • 42. PREVALÊNCIA ESTIMADA • 5 a 10% das pessoas em idade escolar • Predomínio no sexo masculino: 5:1
  • 43. CID – 10: Organização Mundial de Saúde - OMS/1992 • ..."grupos de transtornos manifestados por comprometimentos específicos e significativos no aprendizado de habilidades escolares. Estes comprometimentos no aprendizado não são resultados diretos de outros transtornos (tais como retardo mental, déficits neurológicos grosseiros, problemas visuais ou auditivos não corrigidos ou perturbações emocionais) embora eles possam ocorrer simultaneamente em tais condições"... (1993, p. 237)
  • 44. . DSM – IV: Associação Psiquiátrica Americana/1995 • “Os transtornos de aprendizagem são diagnosticados quando os resultados do indivíduo em testes padronizados e individualmente administrados de leitura, matemática ou expressão escrita estão substancialmente abaixo do esperado para sua idade, escolarização ou nível de inteligência...Os transtornos de aprendizagem podem persistir até a idade adulta” (1995, p. 46)
  • 45. 3 TIPOS DE TRANSTORNOS: • Leitura (oral/silenciosa/compreensão) • Escrita (disgrafia e/ou disortografia) • Habilidades matemáticas (discalculia).
  • 46. PRÉ REQUISITOS: • Ausência de comprometimento intelectual, neurológico evidente ou sensorial; • Adequadas condições de escolarização; • Início obrigatoriamente na primeira ou início da segunda infância;
  • 47. DISTÚRBIOS DE ESCRITA • Escrever significa relacionar o signo verbal a um signo gráfico; • Relação: audição (palavra falada), o significado (vivência da criança) e a palavra escrita.
  • 48. DISGRAFIA • Perturbação da escrita quanto ao traçado das letras e à disposição dos conjuntos gráficos no espaço utilizado, tornando a grafia praticamente indecifrável. • Dificuldades motoras e espaciais.
  • 49. “Será considerada disgráfica toda criança cuja escrita seja defeituosa, quando ela não tiver um importante déficit neurológico ou intelectual que a justifique. Crianças intelectualmente normais que escrevem devagar e de forma ilegível o que atrasa seu progresso escolar” Ajuriaguerra, 1977.
  • 50. Disgrafia • É a soma da praxia e da linguagem e só pode ser realizada a partir de certo grau de organização espacial global; • O ato de escrever une literalmente o corpo à palavra: Insistir em corrigir a letra esquecendo – se da problemática corporal que ela expressa não faz mais que fixar o sintoma.
  • 51.  DISGRAFIA MOTORA  DISGRAFIA PERCEPTIVA: (DISCALIGRAFIA): Não consegue fazer A criança consegue falar relação entre o sistema e ler, mas tem dificuldades simbólico e as grafias que na coordenação motora representam os sons, as fina para escrever as palavras e frases. letras, palavras e números. Características da dislexia TIPOS DE DISGRAFIA: .
  • 52. Modelos de disgráficos: • Escrita rápida – esquecem • Micrografia – dificuldade na de se ater a forma ou compreensão do escrito( proporção das letras emocional??) →organização espacial defeituosa; • Escrita lenta – se perde na lentidão e produz pseudopalavras → memória visual defeituosa;
  • 53. PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS: ● Movimentos contrários aos ● Apresentação desordenada da escrita convencional do texto ● Margens malfeitas ou ● Separação inadequada das inexistentes letras ● Espaço irregular entre palavras, linhas e ● Traçados de má qualidade, entrelinhas tamanho pequeno ou grande, ● Distorção da forma da letra pressão leve ou forte e a substituição de curvas por ângulos
  • 54. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS: • Distúrbios de motricidade ampla e especialmente fina, • Distúrbios de coordenação visomotora, • Deficiência da organização temporoespacial, • Problemas de lateralidade.
  • 55. DISORTOGRAFIA • Conjunto de erros da escrita que afetam a palavra, mas não o seu traçado ou grafia; • Nem sempre se repetem na leitura.
  • 56. PRINCIPAIS ERROS: ● Confusão de sílabas com • Confusão de letras (trocas tonicidade semelhante: auditivas), consoantes cantarão/cantaram. surdas por sonoras: f/v, p/b, ch/j. • Uso de palavras com um • Vogais nasais por orais: mesmo som para várias na/a, en/e, in/i, on/o, letras: casa/caza, un/u. azar/asar... • Confusão de letras (trocas visuais): b/d, p/q ; semelhantes: a/o.
  • 57. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS: • 90% das disortografias têm como causa um atraso de linguagem ou atraso global de desenvolvimento.
  • 58. DISCALCULIA • DIS – dificuldade • CALCULIA – cálculos matemáticos
  • 59. Discalculia é definido como uma desordem neurológica específica que afeta a habilidade de uma pessoa de compreender e manipular números... inabilidade de executar operações matemáticas e/ou conceitualizar números como um conceito abstrato de quantidades comparativas.
  • 60. A discalculia é um impedimento da matemática que apresenta também outras limitações, tais como a introspecção espacial, o tempo, a memória pobre, e os problemas do ortografia. Há indicações de que é um impedimento congenito ou hereditário, com um contexto neurologico; podendo atingir crianças e adultos.
  • 61. Organização espacial; • Auto-estima; Linguagem/leitura; • Orientação temporal; Impulsividade; • Memória; Inconsistência • Habilidades sociais; (memorização). ÁREAS COMPROMETIDAS: • Habilidades grafomotoras.
  • 62. SINTOMAS MAIS COMUNS: • Dificuldades freqüentes com os números, confundindo os sinais ( +, -, ÷ , x). Problemas de diferenciar entre esquerdo e direito. • Falta de senso de direção (para o norte, sul, leste, e oeste) e pode também ter dificuldade com um compasso. • A inabilidade de dizer qual de dois números é o maior.
  • 63. • Melhor nos assuntos tais como a ciência e a geometria, que requerem a lógica mais que as fórmulas, • Dificuldade com tempo conceitual e julgar a passagem do tempo, • Dificuldade com tarefas diárias como verificar a mudança e ler relógios analógicos, • Dificuldade em estimar medidas de um objeto ou de uma distância.
  • 64. DISLEXIA • DIS – distúrbio. LEXIA - (do latim) leitura; (do grego) linguagem. DISLEXIA - dificuldades na leitura e escrita.
  • 65. International Dyslexia Association - IDA • "Dislexia é um dos muitos distúrbios de aprendizagem. É um distúrbio específico da linguagem caracterizado pela dificuldade de decodificar palavras simples. Mostra uma insuficiência no processo fonológico. Estas dificuldades de decodificar palavras simples não são esperadas em relação a idade. Apesar de submetida a instrução convencional, adequada inteligência, oportunidade sócio-cultural e não possuir distúrbios cognitivos e sensoriais fundamentais, a criança falha no processo de aquisição da linguagem. A dislexia é apresentada em várias formas de dificuldade com as diferentes formas de linguagem, freqüentemente incluídas problemas de leitura, em aquisição e capacidade de escrever e soletrar."
  • 66.  Os sintomas podem ser  A dislexia não é uma doença aliviados com acompanhamento adequado, direcionado às  Não se pode falar em cura condições de cada caso.  Congênita e hereditária
  • 67. Fixe seus olhos no texto e deixe que sua mente leia • 35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 P4P4 M05TR4R COMO N0554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R COI545 IMPR3551ON4NT35! R3P4R3 N155O!NO COM3Ç0 35T4V4 M310 COMPLIC4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4ND0 O CÓD1GO 4UTOMAT1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3NS4R MU1T0, C3RT0?
  • 68. POD3 FIC4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3 P4R4B∑N5!!!!!!!
  • 69. DIAGNÓSTICO: * História familiar; * História pregressa com atraso de fala.
  • 70. IMPORTANTE: Não é necessário que estejam presentes todos os indicadores em simultâneo, para que seja diagnosticado um caso de dislexia. Estes indicadores devem apenas alertar para a possibilidade de um possível caso de dislexia, já que é preciso compreender a razão destes comportamentos.
  • 71. SINAIS DE ALERTA • Na Primeira Infância: - Atraso na aquisição da linguagem e fala pode ser um primeiro sinal de alerta - “Linguagem bebê” além do tempo normal. - Omissão e a inversão de sons em palavras (fósforos/fosfos, pipocas/popicas...).
  • 72. SINAIS DE ALERTA: • Educação Infantil e Alfabetização: - Linguagem “bebê” persistente - Frases curtas, palavras mal pronunciadas, com omissões e substituições de sílabas e fonemas - Dificuldade em aprender nomes: de cores (verde, vermelho), de pessoas, de objetos, de lugares... - Dificuldade em memorizar canções e parlendas
  • 73. SINAIS DE ALERTA: - Dificuldade em perceber que frases são formadas por palavras e que as palavras em sílabas - Não sabe as letras do seu nome próprio. - Dificuldade em aprender e recordar os nomes e os sons das letras
  • 74. SINAIS DE ALERTA: • No Primeiro Ano de Escolaridade: - Dificuldade em associar as letras aos seus sons, em associar a letra “ éfe ” com o som f. - Erros de leitura por desconhecimento das regras de correspondência grafo-fonémica: vaca/ faca; janela/chanela; calo/galo... - Dificuldade em ler monossílabos e em soletrar palavras simples: ao, os, pai, bola, rato... - Maior dificuldade na leitura de palavras isoladas e de pseudopalavras “modigo”.
  • 75. SINAIS DE ALERTA: - Recusa ou insistência em adiar as tarefas de leitura e escrita. - Necessidade de acompanhamento individual do professor para prosseguir e concluir os trabalhos. - Relutância, lentidão e necessidade de apoio dos pais na realização dos trabalhos de casa. - Queixas dos pais e dos professores em relação às dificuldades de leitura e escrita. - história familiar de dificuldades de leitura e ortografia noutros membros da família
  • 76. SINAIS DE ALERTA:  A partir do segundo ano: 1. Problemas de Leitura: - Progresso muito lento na aquisição da leitura e ortografia. - Dificuldade de ler palavras desconhecidas, irregulares e com fonemas e sílabas semelhantes. - Insucesso na leitura de palavras multissilábicas. Quando está quase a concluir a leitura da palavra, omite fonemas e sílabas ficando um “buraco” no meio da palavra: biblioteca / bioteca... - Substituição de palavras de pronúncia difícil por outras com o mesmo significado: carro/automóvel...
  • 77. SINAIS DE ALERTA: - Tendência para adivinhar as palavras - Melhor capacidade para ler palavras em contexto do que para ler palavras isoladas. - Dificuldade em ler pequenas palavras funcionais como “aí, ia, ao, ou, em, de... ”. - Dificuldades na leitura e interpretação de problemas matemáticos. - Tensão durante a leitura oral - Dificuldade em terminar as atividades no tempo previsto - Dificuldade na orientação espacial e temporal
  • 78. SINAIS DE ALERTA: - Caligrafia imperfeita - Os trabalhos de casa parecem não ter fim ou com os pais recrutados como leitores. - Falta de prazer na leitura, evitando ler livros ou sequer pequenas frases. - A correção leitora melhora com o tempo, mantém a falta de fluência e a leitura trabalhosa. - Baixa autoestima, com sofrimento, que nem sempre é evidentes para os outros.
  • 79. SINAIS DE ALERTA: 2. Problemas de Linguagem: - Discurso pouco fluente com pausas, hesitações, um’s... - Pronúncia incorreta de palavras longas, não familiares e complexas. - Uso de palavras imprecisas em substituição do nome exato: a coisa, aquilo, aquela cena... - Dificuldade em encontrar a palavra exata, humidade / humanidade...
  • 80. SINAIS DE ALERTA: - Dificuldade em recordar informações verbais, problemas de memória a curto termo: datas, nomes, telefone… - Dificuldades de discriminação, segmentação e sequencia silábica e fonémica. - Omissão, adição e substituição de fonemas e sílabas. - Necessidade de tempo extra, dificuldade em dar respostas orais rápidas
  • 81. SINAIS DE ALERTA: • Jovens e Adultos: - Não reconhecer palavras que leu ou ouviu quando as lê ou ouve no dia seguinte. - Preferência por livros com poucas palavras por página e com muitos espaços em branco. - Longas horas na realização dos trabalhos escolares. - Penalização nos testes de escolha múltipla. - Preferência por utilizar palavras menos complexas, mais fáceis de escrever.
  • 82. SINAIS DE ALERTA: • Competências: - Boa capacidade de raciocínio lógico, abstração e imaginação. - Maior facilidade de aprendizagem dos conteúdos compreendidos de que memorizados sem integração numa estrutura lógica. - Melhor compreensão do vocabulário apresentado oralmente, do que do vocabulário escrito.
  • 83. SINAIS DE ALERTA: ● Competências: - Capacidade para ler e compreender melhor as palavras das suas áreas de interesse, que já leu, praticou, muitas vezes. - Melhores resultados nas áreas que têm menor dependência da leitura: matemática, informática, artes visuais... - Boa compreensão dos conteúdos quando lhe são lidos
  • 85. 1. Dislexia disfonética: • Falha no processamento auditivo- tanto do que se escuta do outro quanto de si mesmo; • Falha na estruturação da linguagem escrita.
  • 86. Principais sintomas: • Dificuldade no ditado; • Omissões – pode • Substituições de aparecer na leitura e fonemas semelhantes escrita; auditivamente. Ex: • Adição de letras ou /p / e /b /; / t / e / d /. sílabas na leitura; •Inversões. Ex: saca/casa; • Má pronúncia em • Déficit de memória palavras familiares; auditiva - depende do • Dificuldade de tamanho da palavra e soletração; rimas e familiaridade. recitar o alfabeto.
  • 87. Dislexia diseidética: • Dificuldade na percepção visuoespacial.
  • 88. Principais sintomas: • Dificuldade na orientação espacial; • Inversões; • Falhas no esquema • Omissões; corporal; • Junções indevidas; • Alterações na lateralidade; • Não reconhece o erro; • Rotação. Ex: b/d; q/p; • Falha na cópia; • Falha na discriminação • Consegue soletrar mas tem figura fundo; dificuldade para ler.
  • 89. Dislexia Mista: • Encontramos alterações tanto no nível auditivo quanto visual.
  • 90. PREVALÊNCIAS: • Nos EUA, e segundo o DSM-IV, é de 5% a 10% estimativa da prevalência da perturbação da leitura nas crianças com idade escolar. • Isto significa que um pouco menos de um estudante inteligente em cada dez apresenta uma dislexia-disortografia mais ou menos importante. • Dislexia ↔ discalculia: aproximadamente em 4 de cada 5 casos de perturbação da aprendizagem.
  • 91. • Outros estudos: 40% dos irmãos de crianças disléxicas apresentam de uma forma mais ou menos grave a mesma perturbação. • Uma criança cujo pai seja disléxico apresenta um risco 8 vezes superior à da população média. • Nos vários estudos realizados até então constata-se uma patente desproporção entre meninos e meninas( antigamente 7 :1; atualmente relativa igualdade)
  • 92. “Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado”. RUBEM ALVES