SlideShare uma empresa Scribd logo
Thiago Barbosa Soares
Bem longe de dizer que o objeto precede o ponto de vista, diríamos
que é o ponto de vista que cria o objeto (SAUSSURE, 1972, p. 15)
 O que é linguagem?
 O que é língua?
 O que é gramática?
 Qual a relação entre linguagem, língua e
gramática?
 Como a resposta dessas perguntas afeta o ensino
da língua portuguesa?
1)Linguagem como expressão do pensamento: A
língua serve para representar o mundo, o
pensamento e o conhecimento
2)Linguagem como instrumento de comunicação:
A língua é um código com o qual um emissor
comunica a um receptor determinadas
mensagens.
3)Linguagem como processo de interação: A
língua é ação interindividual finalisticamente
orientada e a prática dos mais diversos atos
de linguagem.
 Gramática possui muitas definições, mas
pode, no limite, ser considerada como uma
forma de descrição dos vários componentes
da língua, havendo, portanto, usos para
essa descrição, de forma a produzirem
concepções distintas de gramáticas.
 1) Gramática normativa;
 2) Gramática descritiva;
 3) Gramática internalizada.
 Gramática normativa criticaria os supostos
erros das duas falas: essa, pra, dotô etc...
 Gramática descritiva explicaria as regras
gerais que regem cada uma das falas. Uma
fala urbana e uma fala rural.
 Gramática internalizada exporia cada fala
inadequada à outra, ou seja, a diferença
entre as duas falas é manifestação do choque
sociocultural de dois mundos.
 a) prescritivo;
 b) descritivo;
 c) produtivo.
 Compreender a língua como interação
transcendente à gramática, proporciona ensino
real e significativo da língua;
 Permite contato com outros domínios;
 Envolve o estudo dos elementos da língua
localizados na composição textual;
 Amplia o rol das competências a serem
desenvolvidas pelos alunos;
 Valoriza efetivamente a leitura e a escrita como
atividades integradoras na sociedade (ANTUNES,
2007)
 Linguagem e língua se confundem, mas a primeira
é condição de existência da segunda.
 A língua é expressão do pensamento, instrumento
de comunicação e, sobretudo, processo de ação
interindividual.
 As gramáticas como a descrição do funcionamento
do sistema da língua pressupõem visões de
língua(gem).
 Os tipos de ensino estão intimamente ligados às
concepções de língua e de gramática, porquanto
as tem por norteadores.
 Vício na fala
(Oswald de Andrade)
Para dizerem milho
dizem mio
Para melhor dizem mió
Para pior pió
Para telha dizem teia
Para telhado dizem
teiado
E vão fazendo telhados
 Pronominais
(Oswald de Andrade)
Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o
bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro
 Sermão de St. Antônio
"Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com
os pregadores, sois o sal da terra: e chama-
lhes sal da terra, porque quer que façam na
terra o que faz o sal. O efeito do sal é
impedir a corrupção; mas quando a terra se
vê tão corrupta como está a nossa, havendo
tantos nela que têm ofício de sal, qual será,
ou qual pode ser a causa desta corrupção?
Ou é porque o sal não salga, ou porque a
terra se não deixa salgar" (VIERA,1968).
a) A beleza de cada um desses textos não só está expressa pelo modo
como foram construídos mas também pelos seus conteúdos, ou
melhor, na junção da forma com o conteúdo. De que trata cada um?
b) Como cada concepção gramatical trataria esses textos segundo suas
formas linguísticas? Justifique sua resposta com elementos dos
textos.
c) Cada autor tem sua maneira de se relacionar com a língua, deixando
marcas em suas produções de qual concepção de linguagem e,
consequentemente, de ensino tem. Desse modo, pode-se dizer que o
autor do "Sermão de St. Antônio" era adepto de qual concepção de
linguagem e de qual tipo de ensino? Explique.
d) Oswald de Andrade, por meio desses dois poemas, demonstra ter uma
concepção de língua(gem). Qual é essa? Justifique através dos
poemas.
e) De acordo com o ensino produtivo, como cada um desses textos pode
contribuir para o desenvolvimento de habilidades e competências no
itinerário dos estudos da língua portuguesa?
 ANDRADE, O. Poesias reunidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,
1971.
 ___________. Obras completas, Volumes 6-7. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 1972.
 ANTUNES, I. Muito além da gramática: por um ensino de língua sem
pedras no caminho. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.
 BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares Nacionais
para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília:
MEC, 2006 (v.1).
 CASTILHO, T. C. Gramática do português brasileiro. São Paulo:
Contexto, 2012.
 GERALDI, J. W. (org). O texto na sala de aula: leitura e produção. 2ª
ed. Cascavel, PR, Assoeste, 1984.
 KOCH, I. G. V. A inter-ação pela linguagem. 10ª ed. São Paulo:
Contexto, 2006.
 SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. (org.) Charles Bally e Albert
Sechehaye. trad. Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. 4ª
ed. São Paulo, Cultrix, 1972.
 TRAVAGLIA, L, C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino
de gramática. 14ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.
 VIERA, A. Os sermões. São Paulo, Difel, 1968.
 http://humortadela.bol.uol.com.br/charges/33888.
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
Abrahão Costa de Freitas
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Denise
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Josilene Borges
 
LÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEMLÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEM
Fatima Andreia Tamanini
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
Cláudia Heloísa
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
7 de Setembro
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Verônica Carvalho
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
Edna Brito
 
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolaresEnsino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
JohnJeffersonAlves1
 
Ensino da lingua portuguesa
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesa
Gerdian Teixeira
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
Cláudia Heloísa
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
pnaicdertsis
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Karen Olivan
 
Linguagem Oral e Escrita
Linguagem Oral e EscritaLinguagem Oral e Escrita
Linguagem Oral e Escrita
Anderson Cruz
 
Variações linguísticas
Variações linguísticasVariações linguísticas
Variações linguísticas
Geison Lima
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
Marcia Simone
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
Flávio Ferreira
 
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
Lygia Souza
 

Mais procurados (20)

Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Generos textuais
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
LÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEMLÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEM
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolaresEnsino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
Ensino de Língua portuguesa: Reflexões críticas e práticas escolares
 
Ensino da lingua portuguesa
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesa
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
Linguagem Oral e Escrita
Linguagem Oral e EscritaLinguagem Oral e Escrita
Linguagem Oral e Escrita
 
Variações linguísticas
Variações linguísticasVariações linguísticas
Variações linguísticas
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
 

Semelhante a Concepções de linguagem, língua, gramática e

Aula 1 PORTUGUÊS
Aula 1 PORTUGUÊSAula 1 PORTUGUÊS
Aula 1 PORTUGUÊS
gsbq
 
Exercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticasExercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticas
Andriane Cursino
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
Mariana Correia
 
2 sobre a libras e a linguística
2 sobre a libras e a linguística2 sobre a libras e a linguística
2 sobre a libras e a linguística
Universidade Federal de Uberlândia
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
Sâmara Lopes
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
MariaLusadeJesusRodo1
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
Luna Karoline
 
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextualLpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
Marcus Vinicius Santos Kucharski
 
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e línguaDidatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Velasco Carneiro Francisco
 
Ipt resumo
Ipt   resumoIpt   resumo
Ipt resumo
Lu1zFern4nando
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Mariana Correia
 
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..pptConcepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
Rosiane Candido
 
Ufmg 2001
Ufmg 2001Ufmg 2001
Ufmg 2001
ma.no.el.ne.ves
 
Aula fala e escrita (cap. 1)
Aula   fala e escrita (cap. 1)Aula   fala e escrita (cap. 1)
Aula fala e escrita (cap. 1)
Naysa Taboada
 
3 encontro - Pnaic 2015
3 encontro - Pnaic 20153 encontro - Pnaic 2015
3 encontro - Pnaic 2015
Adriana De Almeida Braga
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
Cláudia Heloísa
 
Prevenção iliteracia
Prevenção iliteraciaPrevenção iliteracia
Prevenção iliteracia
Ana Paula Santos
 
Aula 1 linguística
Aula 1   linguísticaAula 1   linguística
Apostila de língua portuguesa profa. ilka mota
Apostila de língua portuguesa profa. ilka motaApostila de língua portuguesa profa. ilka mota
Apostila de língua portuguesa profa. ilka mota
Jowandreo Paixão
 

Semelhante a Concepções de linguagem, língua, gramática e (20)

Aula 1 PORTUGUÊS
Aula 1 PORTUGUÊSAula 1 PORTUGUÊS
Aula 1 PORTUGUÊS
 
Exercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticasExercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticas
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
2 sobre a libras e a linguística
2 sobre a libras e a linguística2 sobre a libras e a linguística
2 sobre a libras e a linguística
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
 
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextualLpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
Lpt2 2 alunos_texto_nocoes_generotextual
 
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e línguaDidatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
 
Ipt resumo
Ipt   resumoIpt   resumo
Ipt resumo
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..pptConcepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
Concepção de língua e linguagem, signo e fala..ppt
 
Ufmg 2001
Ufmg 2001Ufmg 2001
Ufmg 2001
 
Aula fala e escrita (cap. 1)
Aula   fala e escrita (cap. 1)Aula   fala e escrita (cap. 1)
Aula fala e escrita (cap. 1)
 
3 encontro - Pnaic 2015
3 encontro - Pnaic 20153 encontro - Pnaic 2015
3 encontro - Pnaic 2015
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
Prevenção iliteracia
Prevenção iliteraciaPrevenção iliteracia
Prevenção iliteracia
 
Aula 1 linguística
Aula 1   linguísticaAula 1   linguística
Aula 1 linguística
 
Apostila de língua portuguesa profa. ilka mota
Apostila de língua portuguesa profa. ilka motaApostila de língua portuguesa profa. ilka mota
Apostila de língua portuguesa profa. ilka mota
 

Mais de Thiago Soares

Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
Thiago Soares
 
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativoElementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Thiago Soares
 
Entre a norma culta e a norma padrão
Entre a norma culta e a norma padrãoEntre a norma culta e a norma padrão
Entre a norma culta e a norma padrão
Thiago Soares
 
Gênero textual e tipologias
Gênero textual e tipologiasGênero textual e tipologias
Gênero textual e tipologias
Thiago Soares
 
Língua portuguesa na educação profissional de nível médio
Língua portuguesa na educação profissional de nível médioLíngua portuguesa na educação profissional de nível médio
Língua portuguesa na educação profissional de nível médio
Thiago Soares
 
O ensino de literatura na educação profissional de
O ensino de literatura na educação profissional deO ensino de literatura na educação profissional de
O ensino de literatura na educação profissional de
Thiago Soares
 

Mais de Thiago Soares (6)

Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
Contextos enunciativos para a produção de textos e objetos de artes nas difer...
 
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativoElementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
 
Entre a norma culta e a norma padrão
Entre a norma culta e a norma padrãoEntre a norma culta e a norma padrão
Entre a norma culta e a norma padrão
 
Gênero textual e tipologias
Gênero textual e tipologiasGênero textual e tipologias
Gênero textual e tipologias
 
Língua portuguesa na educação profissional de nível médio
Língua portuguesa na educação profissional de nível médioLíngua portuguesa na educação profissional de nível médio
Língua portuguesa na educação profissional de nível médio
 
O ensino de literatura na educação profissional de
O ensino de literatura na educação profissional deO ensino de literatura na educação profissional de
O ensino de literatura na educação profissional de
 

Último

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdfSequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
marcos oliveira
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdfPROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
MiriamCamily
 
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e RiscadoresCap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Shakil Y. Rahim
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
ALEXANDRODECASTRODOS
 

Último (20)

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdfSequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdfPROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
 
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e RiscadoresCap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
 

Concepções de linguagem, língua, gramática e

  • 2. Bem longe de dizer que o objeto precede o ponto de vista, diríamos que é o ponto de vista que cria o objeto (SAUSSURE, 1972, p. 15)  O que é linguagem?  O que é língua?  O que é gramática?  Qual a relação entre linguagem, língua e gramática?  Como a resposta dessas perguntas afeta o ensino da língua portuguesa?
  • 3. 1)Linguagem como expressão do pensamento: A língua serve para representar o mundo, o pensamento e o conhecimento
  • 4. 2)Linguagem como instrumento de comunicação: A língua é um código com o qual um emissor comunica a um receptor determinadas mensagens.
  • 5. 3)Linguagem como processo de interação: A língua é ação interindividual finalisticamente orientada e a prática dos mais diversos atos de linguagem.
  • 6.  Gramática possui muitas definições, mas pode, no limite, ser considerada como uma forma de descrição dos vários componentes da língua, havendo, portanto, usos para essa descrição, de forma a produzirem concepções distintas de gramáticas.
  • 7.  1) Gramática normativa;  2) Gramática descritiva;  3) Gramática internalizada.
  • 8.
  • 9.  Gramática normativa criticaria os supostos erros das duas falas: essa, pra, dotô etc...  Gramática descritiva explicaria as regras gerais que regem cada uma das falas. Uma fala urbana e uma fala rural.  Gramática internalizada exporia cada fala inadequada à outra, ou seja, a diferença entre as duas falas é manifestação do choque sociocultural de dois mundos.
  • 10.  a) prescritivo;  b) descritivo;  c) produtivo.
  • 11.  Compreender a língua como interação transcendente à gramática, proporciona ensino real e significativo da língua;  Permite contato com outros domínios;  Envolve o estudo dos elementos da língua localizados na composição textual;  Amplia o rol das competências a serem desenvolvidas pelos alunos;  Valoriza efetivamente a leitura e a escrita como atividades integradoras na sociedade (ANTUNES, 2007)
  • 12.  Linguagem e língua se confundem, mas a primeira é condição de existência da segunda.  A língua é expressão do pensamento, instrumento de comunicação e, sobretudo, processo de ação interindividual.  As gramáticas como a descrição do funcionamento do sistema da língua pressupõem visões de língua(gem).  Os tipos de ensino estão intimamente ligados às concepções de língua e de gramática, porquanto as tem por norteadores.
  • 13.  Vício na fala (Oswald de Andrade) Para dizerem milho dizem mio Para melhor dizem mió Para pior pió Para telha dizem teia Para telhado dizem teiado E vão fazendo telhados  Pronominais (Oswald de Andrade) Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro
  • 14.  Sermão de St. Antônio "Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra: e chama- lhes sal da terra, porque quer que façam na terra o que faz o sal. O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar" (VIERA,1968).
  • 15. a) A beleza de cada um desses textos não só está expressa pelo modo como foram construídos mas também pelos seus conteúdos, ou melhor, na junção da forma com o conteúdo. De que trata cada um? b) Como cada concepção gramatical trataria esses textos segundo suas formas linguísticas? Justifique sua resposta com elementos dos textos. c) Cada autor tem sua maneira de se relacionar com a língua, deixando marcas em suas produções de qual concepção de linguagem e, consequentemente, de ensino tem. Desse modo, pode-se dizer que o autor do "Sermão de St. Antônio" era adepto de qual concepção de linguagem e de qual tipo de ensino? Explique. d) Oswald de Andrade, por meio desses dois poemas, demonstra ter uma concepção de língua(gem). Qual é essa? Justifique através dos poemas. e) De acordo com o ensino produtivo, como cada um desses textos pode contribuir para o desenvolvimento de habilidades e competências no itinerário dos estudos da língua portuguesa?
  • 16.  ANDRADE, O. Poesias reunidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.  ___________. Obras completas, Volumes 6-7. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.  ANTUNES, I. Muito além da gramática: por um ensino de língua sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.  BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006 (v.1).  CASTILHO, T. C. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2012.  GERALDI, J. W. (org). O texto na sala de aula: leitura e produção. 2ª ed. Cascavel, PR, Assoeste, 1984.  KOCH, I. G. V. A inter-ação pela linguagem. 10ª ed. São Paulo: Contexto, 2006.  SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. (org.) Charles Bally e Albert Sechehaye. trad. Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. 4ª ed. São Paulo, Cultrix, 1972.  TRAVAGLIA, L, C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 14ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.  VIERA, A. Os sermões. São Paulo, Difel, 1968.  http://humortadela.bol.uol.com.br/charges/33888.