SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Professora Vadeilza Castilho de Araújo Bernert
FACULDADE DE JARU
Pedagogia 3° - Período
2013/1
 O que é Didática?
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Antepassado
Só te conheço de retrato,
não te conheço de verdade,
mas teu sangue bole em meu sangue
e sem saber te vivo em mim
e sem saber vou copiando
tuas imprevistas maneiras, (...)
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Refaço os gestos que o retrato
não pode ter, aqueles gestos
que ficaram em ti à espera
de tardia repetição,
e tão meus eles se tornaram,
tão aderentes ao meu ser
que suponho tu os copiaste
de mim antes que eu os fizesse, (...)
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Para refletir:
 As formas de ensinar utilizadas no passado
influenciam os métodos atuais?
 É possível existir um método de ensino que
não tenha sido influenciado pelos
pensamentos da educação do passado?
 Existe algum método de ensino que seja
totalmente livre da influência do contexto
histórico?
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Breve histórico
 Platão
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
427 a.C
 Formas de ensinar através dos tempos:
 Na antiguidade
 Na Idade Média
 Corporações (Idade Média)
 Século VI – criação de novas escolas pela Igreja.
 Século XI e XII, o controle da educação foge das
mãos da Igreja.
 No final do Século XI e início do século XII
surge as primeiras Universidades.
 Século XVII – Conceito de seriação (classes
divididas em grupos de alunos homogêneos).
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Século XVII – Consolida este método,
dividindo as turmas fisicamente e colocando
professores regentes diferentes para cada
grupo de aluno.
 Século XIX – a separação em classes tornou-
se comum e significou a superação do século
anterior.
 Século XIX - O ensino passou a ser dividido
em dois:
 Primário
 Secundário
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
No final do século XIV e começo do século XX,
ou seja, na Idade Contemporânea, os Estados
percebem que a educação é a melhor forma de
garantir o desenvolvimento, pois gera uma
cultura uniformizada.
A escola contemporânea é construída
sobre as seguintes diretrizes:
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Espaços claramente definidos para educar.
 Horários rígidos para o ensino.
 Seleção de conteúdos apropriados para cada
série.
 Desmerecimento de práticas de ensino não
institucionalizadas.
 Obrigatoriedade de frequência.
 Avaliação e certificação da Aprendizagem.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Como surgiu a Didática?
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Formação Histórica da Didática
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Jan Amos Comenius
Comênio 1592-1670
Foi o primeiro a instituir o
termo “Didática”.
O Século XVII é utilizado
como marco em referência à
publicação da obra Didacta
Magna, de Comênio, que pela
primeira vez, se propunha a
criar princípios orientadores
do processo de ensino.
Comenius, mestre, cientista, escritor e
integrante da classe eclesiástica, nasceu no dia
28 de março de 1592, no município de Nivnitz,
na Morávia, região localizada na Europa
central, atualmente território da República
Checa. Ele foi educado em um núcleo familiar
protestante, no interior da igreja dos Irmãos
Morávios, que adotava a linha de Jan Huss,
dentro de um padrão de estrita humildade,
singeleza e princípios inflexíveis e devotos.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Após Comênio, um século depois, Rousseau
(1712-1778) retomaria os conceitos
comenianos apresentando ideias que os
completavam.
 Pestalozzi (1746 – 1827) – Filósofo Francês,
formulou os métodos de Rousseau.
 Comênio, Rousseau e Pestalozzi – O que eles
tem em comum?
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Herbart (1766 – 1841)
 Formular um método único de ensino que
atendesse a todas as pessoas.
 Direcionava suas pesquisas para a
compreensão de como acontece a
aprendizagem.
 Acreditava ser capaz de estruturar o método
mais adequado.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Em sua teoria, o processo de ensino está
organizado em quatro etapas:
1. Clareza: consistia na preparação e apresentação
do conteúdo ensinado;
2. Associação: buscava associar o conhecimento
que o aluno já tinha ao novo.
3. Sistematização: organização dos
conhecimentos novos com os conhecimentos
antigos
4. Método: corresponde à efetiva aplicação do
conhecimento que foi construído.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Esses métodos foram aperfeiçoados:
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Preparação Apresentação Assimilação Generalização Aplicação
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Preparação
Apresentação Objetiva e direta do
conteúdo, valorizando o uso de
recursos que estimulem os sentidos.
 O mestre recorda o já sabido
(conhecido), a fim de que o aluno
traga à consciência a massa de
ideias necessárias para criar
interesses pelos novos conteúdos.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Apresentação
Apresentação da unidade do novo
conhecimento e como este será
utilizado na vida do aluno.
 O Conhecimento novo é
apresentado, sem esquecer a
clareza, que para Herbart significa
sempre partir do concreto.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Assimilação
Compreensão das causas dos
fenômenos e integração ao
conhecimento prévio do aluno.
 (ou associação ou comparação): o
aluno é capaz de comparar o novo
com o velho, perceber
semelhanças e diferenças.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Generalização
Compreensão de como o novo
conhecimento responde a outros
problemas similares cotidianos.
 (ou sistematização): além das
experiências concretas, o aluno é
capaz de abstrair, chegando a
concepções gerais; esse é o passo
mais importante sobretudo na
adolescência.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Aplicação
Aplicação do novo conhecimento a
situações práticas da vida.
 Por meio de exercícios, o aluno
mostra que sabe aplicar o que
aprendeu em exemplos novos; só
assim a massa de ideias adquire
sentido vital, deixando de ser
mera acumulação inútil de
informação.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
AprendizagemEnsino
Didática
 A didática é a disciplina que se preocupa em
compreender o ponto de interseção entre
ensino e aprendizagem.
 A didática passa a ser vista como área que se
interessa por compreender como os atos
instrucionais podem levar à aprendizagem.
 Como as pessoas aprendem?
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
 Teorias de aprendizagem
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
“Tão importante quanto o que se ensina e o que se aprende
É como se ensina e como se aprende.”
(César Coll)
 Inatismo
 Empirismo
 Associacionismo
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Inatismo
O inatismo acredita que todas as características
que definem uma pessoa estão presentes no
aumento em que esta pessoa nasce. Aprender
seria, portanto, estimular características que já
existem.
O inatismo crê que o desenvolvimento é
responsável pela aprendizagem.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Empirismo
O empirismo acredita que nascemos sem saber
absolutamente nada, e construímos nosso
conhecimento por meio das experiências.
Inatismo Empirismo
Conhecimento
O Conhecimento é pré-
formado e fruto do
desenvolvimento
biológico.
O conhecimento é oriundo
da experiência, captado de
fora pelos sentidos.
Aprendizagem
Armazenamento da
exposição de conteúdos
pelo professor.
Controle do ambiente para
levar o aluno a viver uma
experiência.
Ensino
Uso maciço da exposição
de conteúdos pelo
professor.
Controle do ambiente para
levar o aluno a viver uma
experiência.
Avalição
Mensuração da
quantidade de
informações retidas pelo
aluno.
Mensuração de respostas e
comportamentos alterado.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Comparativo entre inatismo X empirismo
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Associacionismo
Foi gerado com base, nos pressupostos do
positivismo e, por que não dizer, do próprio
empirismo. Trata-se de uma concepção
extremamente ampla, mas centrada no
entendimento de que as ações humanas são
orientadas por relações estabelecidas entre
pessoas e destas com o meio.
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Tendências
Pedagógicas
FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica
3° - Período 2013/1
Referências
Libâneo, José Carlos. Didática/José Carlos Libâneo. São
Paulo: Cortez, 1994. – Coleção mogistério. Série
formação de professor).
Pilett, Claudino. Didática Geral. São Paulo: Ática, 23ª ed.
2008.
Malheiros, Bruno Taranto. Didática Geral/Bruno Taranto
Mlheiros; organização Andreia Ramal. – Rio de Janeiro:
LTC, 2012.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
 
Tendência Pedagógica
Tendência PedagógicaTendência Pedagógica
Tendência Pedagógica
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
Escola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola novaEscola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola nova
 
Relatório do pibid
Relatório do pibidRelatório do pibid
Relatório do pibid
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Tipos de avaliacao
Tipos de avaliacaoTipos de avaliacao
Tipos de avaliacao
 
Tendência progressista libertária
Tendência progressista libertáriaTendência progressista libertária
Tendência progressista libertária
 
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
 
Abordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na EducaçãoAbordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na Educação
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
 
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiPedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
 
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
 

Destaque

Homenagens aos professores
Homenagens aos professoresHomenagens aos professores
Homenagens aos professores
gomesantos
 
Reunião de pais agosto
Reunião de pais agostoReunião de pais agosto
Reunião de pais agosto
Roseli Tejo
 
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
familiaestagio
 
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Andrea Cortelazzi
 
Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013
Sa'ndro Soares
 
Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagem
UNICEP
 
Mapa de competências ensino integral (1) (1)
Mapa de competências ensino integral (1) (1)Mapa de competências ensino integral (1) (1)
Mapa de competências ensino integral (1) (1)
Roseli Basellotto
 
Escola nova
Escola novaEscola nova
Escola nova
Bete2011
 
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALAA PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
PREFEITURA MUNICIPAL DE CATU
 
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Dianaricardo28
 

Destaque (20)

Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Homenagens aos professores
Homenagens aos professoresHomenagens aos professores
Homenagens aos professores
 
Lasalle
LasalleLasalle
Lasalle
 
Homenagem
HomenagemHomenagem
Homenagem
 
Reunião de pais agosto
Reunião de pais agostoReunião de pais agosto
Reunião de pais agosto
 
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.Modelos epistemológicos  competências-4 pilares.
Modelos epistemológicos competências-4 pilares.
 
Encontro da Comunidade Blackboard Brasil 2014 - Case SENAC
Encontro da Comunidade Blackboard Brasil 2014 - Case SENACEncontro da Comunidade Blackboard Brasil 2014 - Case SENAC
Encontro da Comunidade Blackboard Brasil 2014 - Case SENAC
 
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
 
Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013
 
1º encontro apresentação slides
1º encontro   apresentação slides1º encontro   apresentação slides
1º encontro apresentação slides
 
Tendência liberal tradicional
Tendência liberal tradicionalTendência liberal tradicional
Tendência liberal tradicional
 
ReuniãO De Pais 2009
ReuniãO De Pais 2009ReuniãO De Pais 2009
ReuniãO De Pais 2009
 
Mapeamento de Competências
Mapeamento de CompetênciasMapeamento de Competências
Mapeamento de Competências
 
Tendência Pedagógica - Tradicional
Tendência Pedagógica - TradicionalTendência Pedagógica - Tradicional
Tendência Pedagógica - Tradicional
 
Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagem
 
Mapa de competências ensino integral (1) (1)
Mapa de competências ensino integral (1) (1)Mapa de competências ensino integral (1) (1)
Mapa de competências ensino integral (1) (1)
 
Escola nova
Escola novaEscola nova
Escola nova
 
Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11
 
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALAA PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
A PRÁTICA EDUCATIVA: COMO ENSINAR - ANTONI ZABALA
 
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1
 

Semelhante a Didática

O que e ensinar
O que e ensinarO que e ensinar
O que e ensinar
prointiced
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Taís Rubinho
 
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
Apostila de didatica   parte 1 - visao geralApostila de didatica   parte 1 - visao geral
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
afpinto
 
Estrutura plano aula_20140521204149(2)
Estrutura plano aula_20140521204149(2)Estrutura plano aula_20140521204149(2)
Estrutura plano aula_20140521204149(2)
Adriana Costa Silva
 
Candau, vera lucia linguagens espacos e tempos no ensinar
Candau, vera lucia   linguagens espacos e tempos no ensinarCandau, vera lucia   linguagens espacos e tempos no ensinar
Candau, vera lucia linguagens espacos e tempos no ensinar
marcaocampos
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
Rafael Machado
 

Semelhante a Didática (20)

O que e ensinar
O que e ensinarO que e ensinar
O que e ensinar
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
Apostila de didatica   parte 1 - visao geralApostila de didatica   parte 1 - visao geral
Apostila de didatica parte 1 - visao geral
 
City posto edicao11
City posto edicao11City posto edicao11
City posto edicao11
 
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
 
Estrutura plano aula_20140521204149(2)
Estrutura plano aula_20140521204149(2)Estrutura plano aula_20140521204149(2)
Estrutura plano aula_20140521204149(2)
 
Vii seminário estácio de sá indisciplina uma forma de aprendizagem
Vii seminário estácio de sá   indisciplina uma forma de aprendizagemVii seminário estácio de sá   indisciplina uma forma de aprendizagem
Vii seminário estácio de sá indisciplina uma forma de aprendizagem
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Trabalho de fundamentos_sociologicos_da_educação_-_postar_06.11.14
Trabalho de fundamentos_sociologicos_da_educação_-_postar_06.11.14Trabalho de fundamentos_sociologicos_da_educação_-_postar_06.11.14
Trabalho de fundamentos_sociologicos_da_educação_-_postar_06.11.14
 
A dimensão ética da aula
A dimensão ética da aulaA dimensão ética da aula
A dimensão ética da aula
 
Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2
 
Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
 
Candau, vera lucia linguagens espacos e tempos no ensinar
Candau, vera lucia   linguagens espacos e tempos no ensinarCandau, vera lucia   linguagens espacos e tempos no ensinar
Candau, vera lucia linguagens espacos e tempos no ensinar
 
Sociologia da educacao (1)
Sociologia da educacao (1)Sociologia da educacao (1)
Sociologia da educacao (1)
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
 
Transversalidade
TransversalidadeTransversalidade
Transversalidade
 
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTOALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
 

Mais de Vadeilza Castilho

História da Educação: Conceito histórico
História da Educação: Conceito históricoHistória da Educação: Conceito histórico
História da Educação: Conceito histórico
Vadeilza Castilho
 

Mais de Vadeilza Castilho (7)

Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
Gestão estratégica em tecnologia da informação para um trabalho eficiente...
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Gestão Estratégica em Tecnologia da Informação para um Trabalho Eficiente e E...
Gestão Estratégica em Tecnologia da Informação para um Trabalho Eficiente e E...Gestão Estratégica em Tecnologia da Informação para um Trabalho Eficiente e E...
Gestão Estratégica em Tecnologia da Informação para um Trabalho Eficiente e E...
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
História da Educação: Conceito histórico
História da Educação: Conceito históricoHistória da Educação: Conceito histórico
História da Educação: Conceito histórico
 
Computador internet tv-vídeo-integrados à pratica pedagógica da rede ensino...
Computador internet tv-vídeo-integrados à pratica pedagógica da rede ensino...Computador internet tv-vídeo-integrados à pratica pedagógica da rede ensino...
Computador internet tv-vídeo-integrados à pratica pedagógica da rede ensino...
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 

Didática

  • 1. Professora Vadeilza Castilho de Araújo Bernert FACULDADE DE JARU Pedagogia 3° - Período 2013/1
  • 2.  O que é Didática? FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 3. Antepassado Só te conheço de retrato, não te conheço de verdade, mas teu sangue bole em meu sangue e sem saber te vivo em mim e sem saber vou copiando tuas imprevistas maneiras, (...) FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 4. Refaço os gestos que o retrato não pode ter, aqueles gestos que ficaram em ti à espera de tardia repetição, e tão meus eles se tornaram, tão aderentes ao meu ser que suponho tu os copiaste de mim antes que eu os fizesse, (...) FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 5. Para refletir:  As formas de ensinar utilizadas no passado influenciam os métodos atuais?  É possível existir um método de ensino que não tenha sido influenciado pelos pensamentos da educação do passado?  Existe algum método de ensino que seja totalmente livre da influência do contexto histórico? FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 6.  Breve histórico  Platão FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 427 a.C
  • 7.  Formas de ensinar através dos tempos:  Na antiguidade  Na Idade Média  Corporações (Idade Média)  Século VI – criação de novas escolas pela Igreja.  Século XI e XII, o controle da educação foge das mãos da Igreja.  No final do Século XI e início do século XII surge as primeiras Universidades.  Século XVII – Conceito de seriação (classes divididas em grupos de alunos homogêneos). FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 8.  Século XVII – Consolida este método, dividindo as turmas fisicamente e colocando professores regentes diferentes para cada grupo de aluno.  Século XIX – a separação em classes tornou- se comum e significou a superação do século anterior.  Século XIX - O ensino passou a ser dividido em dois:  Primário  Secundário FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 9. No final do século XIV e começo do século XX, ou seja, na Idade Contemporânea, os Estados percebem que a educação é a melhor forma de garantir o desenvolvimento, pois gera uma cultura uniformizada. A escola contemporânea é construída sobre as seguintes diretrizes: FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 10.  Espaços claramente definidos para educar.  Horários rígidos para o ensino.  Seleção de conteúdos apropriados para cada série.  Desmerecimento de práticas de ensino não institucionalizadas.  Obrigatoriedade de frequência.  Avaliação e certificação da Aprendizagem. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 11.  Como surgiu a Didática? FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Formação Histórica da Didática
  • 12. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Jan Amos Comenius Comênio 1592-1670 Foi o primeiro a instituir o termo “Didática”. O Século XVII é utilizado como marco em referência à publicação da obra Didacta Magna, de Comênio, que pela primeira vez, se propunha a criar princípios orientadores do processo de ensino.
  • 13. Comenius, mestre, cientista, escritor e integrante da classe eclesiástica, nasceu no dia 28 de março de 1592, no município de Nivnitz, na Morávia, região localizada na Europa central, atualmente território da República Checa. Ele foi educado em um núcleo familiar protestante, no interior da igreja dos Irmãos Morávios, que adotava a linha de Jan Huss, dentro de um padrão de estrita humildade, singeleza e princípios inflexíveis e devotos. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 14.  Após Comênio, um século depois, Rousseau (1712-1778) retomaria os conceitos comenianos apresentando ideias que os completavam.  Pestalozzi (1746 – 1827) – Filósofo Francês, formulou os métodos de Rousseau.  Comênio, Rousseau e Pestalozzi – O que eles tem em comum? FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 15.  Herbart (1766 – 1841)  Formular um método único de ensino que atendesse a todas as pessoas.  Direcionava suas pesquisas para a compreensão de como acontece a aprendizagem.  Acreditava ser capaz de estruturar o método mais adequado. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 16.  Em sua teoria, o processo de ensino está organizado em quatro etapas: 1. Clareza: consistia na preparação e apresentação do conteúdo ensinado; 2. Associação: buscava associar o conhecimento que o aluno já tinha ao novo. 3. Sistematização: organização dos conhecimentos novos com os conhecimentos antigos 4. Método: corresponde à efetiva aplicação do conhecimento que foi construído. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 17.  Esses métodos foram aperfeiçoados: FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Preparação Apresentação Assimilação Generalização Aplicação
  • 18. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Preparação Apresentação Objetiva e direta do conteúdo, valorizando o uso de recursos que estimulem os sentidos.  O mestre recorda o já sabido (conhecido), a fim de que o aluno traga à consciência a massa de ideias necessárias para criar interesses pelos novos conteúdos.
  • 19. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Apresentação Apresentação da unidade do novo conhecimento e como este será utilizado na vida do aluno.  O Conhecimento novo é apresentado, sem esquecer a clareza, que para Herbart significa sempre partir do concreto.
  • 20. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Assimilação Compreensão das causas dos fenômenos e integração ao conhecimento prévio do aluno.  (ou associação ou comparação): o aluno é capaz de comparar o novo com o velho, perceber semelhanças e diferenças.
  • 21. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Generalização Compreensão de como o novo conhecimento responde a outros problemas similares cotidianos.  (ou sistematização): além das experiências concretas, o aluno é capaz de abstrair, chegando a concepções gerais; esse é o passo mais importante sobretudo na adolescência.
  • 22. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Aplicação Aplicação do novo conhecimento a situações práticas da vida.  Por meio de exercícios, o aluno mostra que sabe aplicar o que aprendeu em exemplos novos; só assim a massa de ideias adquire sentido vital, deixando de ser mera acumulação inútil de informação.
  • 23. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 AprendizagemEnsino Didática
  • 24.  A didática é a disciplina que se preocupa em compreender o ponto de interseção entre ensino e aprendizagem.  A didática passa a ser vista como área que se interessa por compreender como os atos instrucionais podem levar à aprendizagem.  Como as pessoas aprendem? FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 25.  Teorias de aprendizagem FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 “Tão importante quanto o que se ensina e o que se aprende É como se ensina e como se aprende.” (César Coll)
  • 26.  Inatismo  Empirismo  Associacionismo FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1
  • 27. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Inatismo O inatismo acredita que todas as características que definem uma pessoa estão presentes no aumento em que esta pessoa nasce. Aprender seria, portanto, estimular características que já existem. O inatismo crê que o desenvolvimento é responsável pela aprendizagem.
  • 28. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Empirismo O empirismo acredita que nascemos sem saber absolutamente nada, e construímos nosso conhecimento por meio das experiências.
  • 29. Inatismo Empirismo Conhecimento O Conhecimento é pré- formado e fruto do desenvolvimento biológico. O conhecimento é oriundo da experiência, captado de fora pelos sentidos. Aprendizagem Armazenamento da exposição de conteúdos pelo professor. Controle do ambiente para levar o aluno a viver uma experiência. Ensino Uso maciço da exposição de conteúdos pelo professor. Controle do ambiente para levar o aluno a viver uma experiência. Avalição Mensuração da quantidade de informações retidas pelo aluno. Mensuração de respostas e comportamentos alterado. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Comparativo entre inatismo X empirismo
  • 30. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Associacionismo Foi gerado com base, nos pressupostos do positivismo e, por que não dizer, do próprio empirismo. Trata-se de uma concepção extremamente ampla, mas centrada no entendimento de que as ações humanas são orientadas por relações estabelecidas entre pessoas e destas com o meio.
  • 31. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Tendências Pedagógicas
  • 32. FACULDADE DE JARUPedagogia - Disciplina: Didática Organização da Prática Pedagógica 3° - Período 2013/1 Referências Libâneo, José Carlos. Didática/José Carlos Libâneo. São Paulo: Cortez, 1994. – Coleção mogistério. Série formação de professor). Pilett, Claudino. Didática Geral. São Paulo: Ática, 23ª ed. 2008. Malheiros, Bruno Taranto. Didática Geral/Bruno Taranto Mlheiros; organização Andreia Ramal. – Rio de Janeiro: LTC, 2012.