História da Educação: Conceito histórico

31.599 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
31.599
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.035
Comentários
1
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da Educação: Conceito histórico

  1. 1. História da Educação Breve Conceitos Históricos Professora Vadeilza Castilho de Araújo Bernert Pedagoga, Psicopedagoga Professora da Faculdade de Educação de Jaru-RO
  2. 2. O que é Educação? É o processo pelo qual uma pessoa ou um grupo de pessoas adquirem conhecimentos gerais, científicos, artísticos, técnicos ou especializados, com o objetivo de desenvolver sua capacidade ou aptidões. Além de conhecimentos, a pessoa adquire também, pela educação, certos hábitos e atitudes.
  3. 3. De acordo com a C.F. Art. 205 – A Educação direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o mercado de trabalho.
  4. 4. Art. 1° da LDB – diz que a Educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar , na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais
  5. 5. O objetivo primordial da educação é dotar o homem de instrumentos culturais capazes de impulsionar as transformações materiais e espirituais exigidas pela dinâmica da sociedade.
  6. 6. Concepção Histórica
  7. 7. Grécia  É o berço da civilização, tendo como seus principais representantes: Sócrates, Aristóteles e Platão;  Tem como princípio o desenvolvimento individual do ser humano;  Preparação para o desenvolvimento intelectual da personalidade e a cidadania;  Ideais pautados na liberdade política e moral e no desenvolvimento intelectual. Fonte: http://www.pedagogia.com.br/historia/grego.php
  8. 8. Licurgo de Esparta Escola de Atenas
  9. 9. Esparta e Atenas: dois modelos educativos Deram vida a dois ideais de educação: um baseado no conformismo e no estatismo, outro na concepção, outro na concepção de Paidéia, de formação humana livre e nutrida de experiências diversas, sociais, alimentaram durante séculos o debate pedagógico, sublinhando a riqueza e fecundidade ora de um, ora de outro modelo.
  10. 10. Em Esparta o foi mítico Licurgo quem ditou as regras políticas de Esparta e delineou seu sistema educativo, conforme o testemunho de Plutarco. As crianças do sexo masculino, a partir dos sete anos, eram retiradas da família e inseridas em escolas-ginásios onde recebiam, até os 16 anos, uma formação de tipo militar, que devia favorecer a aquisição da força e da coragem. O cidadão-guerreiro é formado pelo adestramento no uso das armas, reunido em equipes sob o controle de jovens guerreiros e, depois, de um superintendente geral (paidonomos). Levava-se uma vida comum, favoreciam- se os vínculos de amizade, valorizava-se em particular a obediência. Quanto à cultura – ler, escrever -, pouco espaço era dado a ela na formação do espartano – “o estritamente necessário”, diz Plutarco -, embora fizessem aprender de memória Homero e Hesíodo ou o poeta Tirteo.
  11. 11. Em Atenas, após a adoção do alfabeto iônico, totalmente fonético, que se tornou comum a toda Grécia, teve um esplêndido florescimento em todos os campos: da poesia ao teatro, da história à filosofia. No século V, Atenas exercia um influxo sobre toda a Grécia: tinha necessidade de uma burocracia culta, que conhecesse a escrita. Esta se difundiu a todo o povo e os cidadãos livres adquiriram o hábito de dedicar-se à oratória, à filosofia, à literatura, desprezando o trabalho manual e comercial.
  12. 12. A particularidade da educação ateniense é indicada pela ideia harmônica de formação que inspira ao processo educativo e o lugar que nela ocupa a cultura literária e musical, desprovida de valor prático, mas de grande importância espiritual, ligada ao crescimento da personalidade e humanidade do jovem.
  13. 13. Período da história da Grécia antiga • Civilização Micênica: séculos XX a XII a.C. • Tempos Homéricos: séculos XII a XIII a.C. • Período arcaico: séculos XIII a VI a.C. • Período Clássico: séculos V a IV a.C. • Período Helenístico: séculos III a II a.C.
  14. 14. Paidéia: o seu nascimento A partir do século V a. C., exige-se algo mais da educação. Para além de formar o homem, a educação deve ainda formar o cidadão. A antiga educação, baseada na ginástica, na música e na gramática deixa de ser suficiente. Assim surge o modelo ideal de educação grega, que aparece como Paidéia.
  15. 15. Objetivo geral da Educação Paidéia  Construir o homem como homem e cidadão.
  16. 16. Platão define Paidéia da seguinte maneira “(...) a essência de toda a verdadeira educação ou Paidéia é a que dá ao homem o desejo e a ânsia de se tornar um cidadão perfeito e o ensina a mandar e a obedecer, tendo a justiça como fundamento”.
  17. 17. A ginástica A ginástica visava o domínio de si e a sujeição geral das paixões à razão. O objetivo era desenvolver qualidades como a paciência, a tolerância, a força, a coragem, a lealdade, a devoção e a consideração dos direitos dos outros.
  18. 18. A Música "Eles (os mestres de música) familiarizam as almas dos meninos com o ritmo e a harmonia, de modo a poderem crescer em gentileza, em graça e em harmonia, e a tornarem-se úteis em palavras e ações; porque a vida inteira do homem precisa de graça e de harmonia." (Platão, cit. in Monroe, 1979: 49).
  19. 19. Educação A educação grega estava centrada na formação integral – corpo e espírito, portanto a ênfase se descolocava mais para o preparo militar ou esportivo.
  20. 20. Referências  Aranha, Maria Lúcia de Arruda. História da Educação e da pedagogia; geral e Brasil/Maria Lúcia de Arruda Aranha. – 3.ed. – rev. e ampl. - São Paulo: Moderna. 2006.

×