SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                               CURSO DE PEDAGOGIA
                           DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                       PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


                    FACULDADE ASSIS GURGACZ - CURSO DE PEDAGOGIA
                            DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                             Prof. Dirleia Ap. Sbardelotto

                               VISÃO GERAL SOBRE DIDÁTICA

DIDÁTICA

       Difundiu-se com o aparecimento da obra de Jan Amos Comenius ( 1592 – 1670),
Didactica Magna, ou tratado da arte universal de ensinar tudo a todos, publicada em 1657.
       É uma ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das
questões práticas relativas à metodologia e das estratégias de aprendizagem.

DIDÁTICA NA VISÃO DE LIBÂNEO

      A didática é um ramo da ciência pedagógica. Por esta razão a didática está voltada,
       intencionalmente, para a formação do aluno em função de finalidades educativas.
      A didática tem como objeto de estudo o processo de ensino e aprendizagem,
       especificamente os nexos e relações entre o ato de ensinar e o ato de aprender.
      A didática aborda o ensino como atividade de mediação para promover o encontro
       formativo, educativo, entre o aluno e a matéria de ensino, explicitando o vínculo entre
       teoria do ensino e teoria do conhecimento.
      A Didática está impregnada de multidisciplinaridade e de interdisciplinaridade.
      Ela se enriquecerá mais quanto mais der conta de postular o que lhe é específico e, a
       partir daí, explorar as fronteiras e zonas intermediárias do conhecimento cientifico.
      A especificidade e a integração são dois movimentos que se articulam. Quanto mais se
       busca a especificidade mais se destacam os limites de uma disciplina, forçando a
       interdisciplinaridade e a integração.
      Quanto mais integração, mais necessidade de estruturação de cada campo de
       conhecimento.

ARTE OU TECNICA DE ENSINAR!

“A ARTE de ENSINAR é muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de
destrezas.” (Paulo Freire)

A EVOLUÇÃO DA DIDÁTICA

1930
 Conservadorismo;
 Foco no professor e na aula;
 Exigência da aprendizagem apenas para o aluno;
 Não abria mão dos conteúdos tradicionais;
 Memorização; Aplicar provas para dar notas;

1970

CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                        Página 1
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                                CURSO DE PEDAGOGIA
                            DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                        PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


   Garante a eficiência da aprendizagem;
   Enfatiza a elaboração de planos de ensino;
   Seleção de conteúdos;

HOJE
 Compromete-se com a qualidade cognitiva das aprendizagens;
 Professor mediador da preparação dos alunos para o pensar.

BUSCANDO DEFINIÇÕES
PEDAGOGIA – Ciência que investiga a teoria e a prática da educação e sua relação com a
prática social global.
EDUCAÇÃO – Prática social que ocorre em várias instituições e atividades humanas
(família, escola, trabalho, igrejas...)
ENSINO – Aspecto instrutivo da educação, formação, orientação, transmissão de
conhecimentos.
APRENDIZAGEM – Evidencia-se: descoberta, apreensão, modificação de comportamento e
aquisição de conhecimentos, que se referem diretamente ao aluno

QUESTIONAMENTOS DOS PROFESSORES
ENSINO
 Que matéria devo dar?
 Que programa devo seguir?
 Que critério deverei utilizar para aprovar ou reprovar os alunos?

APRENDIZAGEM
 Quais as expectativas dos alunos?
 Em que medida determinado aprendizado será significativo para os alunos?
 Que estratégias serão mais adequadas para facilitar o aprendizado desses alunos?

OS PROFESSORES QUE TEMOS!
 Não dispõe de preparação pedagógica;
 Incentivam os alunos a desenvolverem habilidades de memorização;
 Avaliam a aprendizagem do aluno através da aplicação das provas e das notas;
 A sua arte é de exposição;
 As ações desenvolvidas em sala de aula são expressadas pelos verbos: instruir,orientar,
   apontar, guiar, dirigir, treinar, amoldar, preparar, doutrinar ;
 Centraliza-se em sua própria pessoa, em suas qualidades e habilidades.

OS PROFESSORES QUE DESEJAMOS!
 Um professor que desenvolva nos alunos : uma aquisição de uma mentalidade científica, o
   desenvolvimento das capacidades de análise, síntese e avaliação, bem como o
   aprimoramento da imaginação criadora;
 Um facilitador de aprendizagem que construa conhecimentos;
 Um professor que adote estratégia de ensino diversificada: mobilizar menos a memória e
   mais o raciocínio;
 Um professor criativo,inventivo,curioso pelo inusitado.

CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                       Página 2
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                                  CURSO DE PEDAGOGIA
                              DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                          PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


  Um professor que utilize um conteúdo contextualizado vida social /pessoal/cotidiano.

 RESPONSABILIDADE E FUNÇÕES DO PROFESSOR
  Planejar estudos e trabalhos à formação do aluno;
  Orientar os alunos para verem e sentirem a realidade;
  Controlar os resultados dos estudos;
  Graduar dificuldades;
  Conhecer os alunos para estimulá-los para a formação integral do aluno;
  Fomentar ideais e atitudes positivas diante da vida, da profissão e da sociedade;
  Favorecer na construção na autonomia intelectual;

 ANDRAGOGIA
 “ENSINO PARA ADULTOS”
    A experiência e não a verdade, é o que dá sentido à educação. Educamos para transformar
 o que sabemos, não para transmitir o que é sabido”. (Jorge Larrosa e Walter Kohan)

        Adultos são motivados a aprender na medida em que experimentam que suas
         necessidades e interesses são satisfeitos.
        A aprendizagem está centrada na vida; por isso os programas devem ser voltados para
         situações da vida e não da disciplina;
        Experiência é a mais rica fonte para o adulto aprender, por isso, o centro da
         metodologia da educação do adulto é a análise das experiências;
        Os adultos têm necessidades de serem autodirigidos, por isto o papel do professor é
         engajar-se no processo de mútua investigação com os alunos e não apenas transmitir e
         avaliar
                    MODELO PEDAGÓGICO                           MODELO ANDRAGÓGICO

  PAPEL DA       A importância é a experiência do    Os adultos são portadores de uma experiência que os
 EXPERIÊNCIA     professor                           distingue das crianças e jovens.

 VONTADE DE      A disposição para aprender aquilo   Os adultos estão dispostos a iniciar um processo de
  APRENDER       que o professor ensina tem como     aprendizagem desde que compreendam a sua utilidade para
                 finalidade de obter êxito e         melhor afrontar problemas reais da sua vida pessoal e
                 progredir em termos escolares       profissional.

ORIENTAÇÃO DA    A aprendizagem é centrada nos       Nos adultos a aprendizagem é orientada para a resolução de
APRENDIZAGEM     conteúdos, e não nos problemas      problemas , desaconselha uma lógica centrada nos
                                                     conteúdos.

 MOTIVAÇÃO       A motivação para a aprendizagem     Os adultos são sensíveis a estímulos da natureza externas,
                 é fundamentalmente resultado de     mas são os fatores que motivam.
                 estímulos externos.


 PROCESSO EDUCACIONAL E ANDRAGOGIA
     Atividades educacionais para adultos devem ainda se valer dos frutos da maturidade
 atingida, promovendo o aprendizado através:
  Experimentação;
  Resolução de problemas;
  Valorização e desenvolvimento das capacidades de crítica e de análise de situações ;
 CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                                   Página 3
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                                CURSO DE PEDAGOGIA
                            DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                        PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


   Estabelecimento de paralelos com a experiência previamente adquirida

DIFERENTES PAPÉIS DO PROFESSOR
    Administrador         Conselheiro          Especialista           Membro de Equipe
      Educador              Didata              Aprendiz        Diagnosticador de Necessidades

DEPOIMENTOS DE ALUNOS

           “ o professor Y é o melhor porque ele transmite para a gente o gosto que
               ele tem pela Matemática. Ele nos mostra o prazer de aprender...”

         “ o que me agrada no professor X é que ele está sempre pronto a responder as
                   nossas dúvidas , ele até estimula a gente a ter dúvidas...”

RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
    Professores e Educandos “ Um par educativo”
    A escolha do professor dá-se nos aspectos:
    Afetivo
    Metodológico
    Conhecimento do conteúdo
    Habilidades de ensino

EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA
       Conscientizarmo-nos de que a dimensão pedagógica envolve um processo
INTERPESSOAL em que, como grupo, possamos construir CONHECIMENTO PEDAGÓGICO
COMPARTILHADO, envolvendo professores-professores, professores-alunos, instituição-
comunidade.
       Construirmos o mapa conceitual do conhecimento relativo a nossas disciplinas, aliado a
sua aplicabilidade prática, a fim de que não seja trabalhado de forma FRAGMENTADA E
MECÂNICA, mas sim que possibilite aos alunos aplicá-lo em situações novas e imprevisíveis.
   Darmo-nos conta que ser professor vai além de dominar conhecimentos/saberes/fazeres
de determinado campo. ENVOLVE ATITUDES E VALORES tais como:
    Sensibilidade frente ao aluno
    Valorização dos saberes da experiência
    Ênfase na relações interpessoais
    Aprendizagem compartilhada
    Ensinar e aprender com os alunos
    Ter por meta o desenvolvimento do aluno como pessoa e profissional

APOSENTADORIA DA AULA EXPOSITIVA! REVISANDO E REESTRUTURANDO AS AULAS
EXPOSITIVAS
   Natureza da Aula Expositiva
    Uma das mais tradicionais técnicas de trabalho em sala de aula
    Modalidade mais comum nos cursos universitários
    O principal meio de ensino é a comunicação de mão única


CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                          Página 4
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                               CURSO DE PEDAGOGIA
                           DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                       PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


      A exposição oral é o modo dominante nas salas de aula ela é empregada em média de
       75% no contexto de ensino

Desvantagens da Exposição Oral
    Estimula a passividade dos ouvintes
    Duração das aulas expositivas em geral duram 45 minutos
    Seu sucesso depende da habilidade do expositor
    São menos eficazes no ensino das habilidades de raciocínio e escrita
    Os ouvintes tendem a esquecer rapidamente as informações recebidas

COMO MELHORAR A QUALIDADE DAS AULAS
   Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis para garantir a eficácia das aulas
expositivas. Mas há uma série de recomendações que podem contribuir.

Recomendações
    Manifestando espontaneidade
    Introduzindo variedade
    Obtendo feedback durante a aula
    Utilizando recursos audiovisuais
    Encorajando a tomada de anotações
    Promovendo revisões

COMPREENDENDO DEFINIÇÕES
METODOLOGIA – são ações a serem desenvolvidas pelo professor e alunos, em cada etapa do
processo ensino-aprendizagem.
MÉTODO – Refere-se aos papéis e posturas assumidas pelo professor e alunos durante a
situação de ensino. Modelo de ensino que o professor utiliza para maximizar as chances de
aprendizagem eficaz.
TÉCNICA – Refere-se a forma como o método será desenvolvido. Método de procedimentos,
jeito ou maneira especial de ensinar

MÉTODOS E PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS
Processo vivencial de ensino-aprendizagem
    Atividade (Vivência)
    Análise (Processo Diagnóstico)
    Conceituação (Embasamento Teórico)
    Correlação Com o Real
    Eficácia do Ensino-aprendizagem

Trabalho em equipe
    Métodos e Procedimentos Didáticos
    Problema
    Painel
    Jogos
    Debate
    Experimentação
CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                    Página 5
FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG
                                CURSO DE PEDAGOGIA
                            DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE
                        PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO


      Estudo de Caso
      Filmes
      Música
      Outros

“ MESTRE ”...É aquele que caminha com o tempo, propondo paz, fazendo comunhão,
Despertando sabedoria.
Mestre é aquele que estende a mão,
Inicia o diálogo e encaminha para a aventura da vida.
Não é o que ensina fórmulas, regras, raciocínios, mas o que
questiona e desperta para a realidade.
Não é aquele que dá de seu saber, mas aquele que faz germinar o saber, do discípulo.
Mestre é um professor amigo que me compreende, me estimula, me comunica e me enriquece
com sua presença, seu saber e sua ternura.
Eu sempre serei um discípulo na escola da vida.
Autor: desconhecido




CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO                                Página 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Magno Oliveira
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
Karina Tafre
 
Didática do ensino superior
Didática do ensino superiorDidática do ensino superior
Didática do ensino superior
Marcio Moura
 
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
Ronilson de Souza Luiz
 

Mais procurados (20)

DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
 
Didática do ensino superior
Didática do ensino superiorDidática do ensino superior
Didática do ensino superior
 
Elementos da didática do online.Algumas reflexões. .
Elementos da didática do online.Algumas reflexões. .Elementos da didática do online.Algumas reflexões. .
Elementos da didática do online.Algumas reflexões. .
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
As didatica
As didaticaAs didatica
As didatica
 
Didática para formação
Didática  para formação Didática  para formação
Didática para formação
 
Slide de didática
Slide de didáticaSlide de didática
Slide de didática
 
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
Didática do ensino superior 01 aula 26 03 2013
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
 
Curso de didática
Curso de didáticaCurso de didática
Curso de didática
 
Papel pedagogo
Papel pedagogo Papel pedagogo
Papel pedagogo
 
Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
 
Didatica do ensino superior
Didatica do ensino superiorDidatica do ensino superior
Didatica do ensino superior
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 02 - Evoluç...
 
Didática final
Didática finalDidática final
Didática final
 
Slide Didática
Slide DidáticaSlide Didática
Slide Didática
 

Destaque

Pressupostos Da DidáTica
Pressupostos Da DidáTicaPressupostos Da DidáTica
Pressupostos Da DidáTica
Renata Freitas
 
Formação professores curso normal
Formação professores curso normalFormação professores curso normal
Formação professores curso normal
Noemi Maria Noetzold
 
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
Thaís Boch
 
Otm normal médio núcleo de formação prática
Otm normal médio   núcleo de formação práticaOtm normal médio   núcleo de formação prática
Otm normal médio núcleo de formação prática
Flávia Maria
 

Destaque (18)

Apostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didaticaApostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didatica
 
Pressupostos Da DidáTica
Pressupostos Da DidáTicaPressupostos Da DidáTica
Pressupostos Da DidáTica
 
Apostila aula didatica
Apostila aula didaticaApostila aula didatica
Apostila aula didatica
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
 
Apostila de Didática II
Apostila de Didática IIApostila de Didática II
Apostila de Didática II
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,
 
Anexo 4 sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 4  sequência didática projeto curta-metragemAnexo 4  sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 4 sequência didática projeto curta-metragem
 
Didática II
Didática IIDidática II
Didática II
 
Formação professores curso normal
Formação professores curso normalFormação professores curso normal
Formação professores curso normal
 
Trabalho profgilberto (1)
Trabalho profgilberto (1)Trabalho profgilberto (1)
Trabalho profgilberto (1)
 
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
 
Otm normal médio núcleo de formação prática
Otm normal médio   núcleo de formação práticaOtm normal médio   núcleo de formação prática
Otm normal médio núcleo de formação prática
 
Didatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendênciasDidatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendências
 
Plano de aula do magistério
Plano de aula do magistérioPlano de aula do magistério
Plano de aula do magistério
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 

Semelhante a Apostila de didatica parte 1 - visao geral

Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
ryanfilho
 
Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
ryanfilho
 
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Dianaricardo28
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
FAMETRO/SEDUC
 
Tcc ana cristina versão final
Tcc ana cristina versão finalTcc ana cristina versão final
Tcc ana cristina versão final
Edneusa Souza
 

Semelhante a Apostila de didatica parte 1 - visao geral (20)

Módulo especifico iii
Módulo especifico iiiMódulo especifico iii
Módulo especifico iii
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Educação no Ensino Médio_uma abordagem andragógica
Educação no Ensino Médio_uma abordagem andragógicaEducação no Ensino Médio_uma abordagem andragógica
Educação no Ensino Médio_uma abordagem andragógica
 
Capacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parteCapacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parte
 
Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
 
Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
 
Trabalho da dona elena
Trabalho da dona elenaTrabalho da dona elena
Trabalho da dona elena
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Didatica 25 08
Didatica 25 08Didatica 25 08
Didatica 25 08
 
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemProjeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
 
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma todaSugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 
Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1Slides matrizes de competências e habilidades 1
Slides matrizes de competências e habilidades 1
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
 
8 ARTIGO TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO.pdf
8 ARTIGO TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO.pdf8 ARTIGO TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO.pdf
8 ARTIGO TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO.pdf
 
Tcc ana cristina versão final
Tcc ana cristina versão finalTcc ana cristina versão final
Tcc ana cristina versão final
 
Livro de Didatica
Livro de DidaticaLivro de Didatica
Livro de Didatica
 

Mais de afpinto

Td 33 fisica_hidrostatica
Td 33 fisica_hidrostaticaTd 33 fisica_hidrostatica
Td 33 fisica_hidrostatica
afpinto
 
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica resoluçao
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica  resoluçaoR lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica  resoluçao
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica resoluçao
afpinto
 
Questõesdetermologia3
Questõesdetermologia3Questõesdetermologia3
Questõesdetermologia3
afpinto
 
Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1
afpinto
 
Questõesde hidrostática2
Questõesde hidrostática2Questõesde hidrostática2
Questõesde hidrostática2
afpinto
 
Questõesde hidrostática1
Questõesde hidrostática1Questõesde hidrostática1
Questõesde hidrostática1
afpinto
 
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
afpinto
 
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
afpinto
 
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-159016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
afpinto
 
57208721 aula4-lancamento-vertical
57208721 aula4-lancamento-vertical57208721 aula4-lancamento-vertical
57208721 aula4-lancamento-vertical
afpinto
 
56809593 aula-55-sistemas-isolados
56809593 aula-55-sistemas-isolados56809593 aula-55-sistemas-isolados
56809593 aula-55-sistemas-isolados
afpinto
 
56809579 aula-54-teorema-do-impulso
56809579 aula-54-teorema-do-impulso56809579 aula-54-teorema-do-impulso
56809579 aula-54-teorema-do-impulso
afpinto
 
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-356808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
afpinto
 
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-256808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
afpinto
 
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-156808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
afpinto
 
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
afpinto
 
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-1054736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
afpinto
 
54641746 aula5-lancamento-horizontal
54641746 aula5-lancamento-horizontal54641746 aula5-lancamento-horizontal
54641746 aula5-lancamento-horizontal
afpinto
 
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-154533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
afpinto
 
54070195 movimento retilineouniformementevariado
54070195 movimento retilineouniformementevariado54070195 movimento retilineouniformementevariado
54070195 movimento retilineouniformementevariado
afpinto
 

Mais de afpinto (20)

Td 33 fisica_hidrostatica
Td 33 fisica_hidrostaticaTd 33 fisica_hidrostatica
Td 33 fisica_hidrostatica
 
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica resoluçao
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica  resoluçaoR lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica  resoluçao
R lista fisica_ii_pressao_e_hidrostatica resoluçao
 
Questõesdetermologia3
Questõesdetermologia3Questõesdetermologia3
Questõesdetermologia3
 
Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1
 
Questõesde hidrostática2
Questõesde hidrostática2Questõesde hidrostática2
Questõesde hidrostática2
 
Questõesde hidrostática1
Questõesde hidrostática1Questõesde hidrostática1
Questõesde hidrostática1
 
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
60296689 questoes-resolvidas-de-mcu
 
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
59039729 hidrostatica-e-hidrodinamica
 
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-159016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
59016438 exercicios-de-leis-de-newton-1
 
57208721 aula4-lancamento-vertical
57208721 aula4-lancamento-vertical57208721 aula4-lancamento-vertical
57208721 aula4-lancamento-vertical
 
56809593 aula-55-sistemas-isolados
56809593 aula-55-sistemas-isolados56809593 aula-55-sistemas-isolados
56809593 aula-55-sistemas-isolados
 
56809579 aula-54-teorema-do-impulso
56809579 aula-54-teorema-do-impulso56809579 aula-54-teorema-do-impulso
56809579 aula-54-teorema-do-impulso
 
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-356808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
56808432 aula-14-movimento-uniformemente-variado-3
 
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-256808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
56808406 aula-13-movimento-uniformemente-variado-2
 
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-156808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
56808395 aula-12-movimento-uniformemente-variado-1
 
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
56712915 aula-18-lancamento-vertical-para-cima
 
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-1054736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
54736855 lancamento-horizontal-e-obliquo-panosso-10
 
54641746 aula5-lancamento-horizontal
54641746 aula5-lancamento-horizontal54641746 aula5-lancamento-horizontal
54641746 aula5-lancamento-horizontal
 
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-154533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
54533550 032-movimento-retilineo-uniforme-variado-mruv-1
 
54070195 movimento retilineouniformementevariado
54070195 movimento retilineouniformementevariado54070195 movimento retilineouniformementevariado
54070195 movimento retilineouniformementevariado
 

Apostila de didatica parte 1 - visao geral

  • 1. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO FACULDADE ASSIS GURGACZ - CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE Prof. Dirleia Ap. Sbardelotto VISÃO GERAL SOBRE DIDÁTICA DIDÁTICA Difundiu-se com o aparecimento da obra de Jan Amos Comenius ( 1592 – 1670), Didactica Magna, ou tratado da arte universal de ensinar tudo a todos, publicada em 1657. É uma ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das questões práticas relativas à metodologia e das estratégias de aprendizagem. DIDÁTICA NA VISÃO DE LIBÂNEO  A didática é um ramo da ciência pedagógica. Por esta razão a didática está voltada, intencionalmente, para a formação do aluno em função de finalidades educativas.  A didática tem como objeto de estudo o processo de ensino e aprendizagem, especificamente os nexos e relações entre o ato de ensinar e o ato de aprender.  A didática aborda o ensino como atividade de mediação para promover o encontro formativo, educativo, entre o aluno e a matéria de ensino, explicitando o vínculo entre teoria do ensino e teoria do conhecimento.  A Didática está impregnada de multidisciplinaridade e de interdisciplinaridade.  Ela se enriquecerá mais quanto mais der conta de postular o que lhe é específico e, a partir daí, explorar as fronteiras e zonas intermediárias do conhecimento cientifico.  A especificidade e a integração são dois movimentos que se articulam. Quanto mais se busca a especificidade mais se destacam os limites de uma disciplina, forçando a interdisciplinaridade e a integração.  Quanto mais integração, mais necessidade de estruturação de cada campo de conhecimento. ARTE OU TECNICA DE ENSINAR! “A ARTE de ENSINAR é muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de destrezas.” (Paulo Freire) A EVOLUÇÃO DA DIDÁTICA 1930  Conservadorismo;  Foco no professor e na aula;  Exigência da aprendizagem apenas para o aluno;  Não abria mão dos conteúdos tradicionais;  Memorização; Aplicar provas para dar notas; 1970 CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 1
  • 2. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO  Garante a eficiência da aprendizagem;  Enfatiza a elaboração de planos de ensino;  Seleção de conteúdos; HOJE  Compromete-se com a qualidade cognitiva das aprendizagens;  Professor mediador da preparação dos alunos para o pensar. BUSCANDO DEFINIÇÕES PEDAGOGIA – Ciência que investiga a teoria e a prática da educação e sua relação com a prática social global. EDUCAÇÃO – Prática social que ocorre em várias instituições e atividades humanas (família, escola, trabalho, igrejas...) ENSINO – Aspecto instrutivo da educação, formação, orientação, transmissão de conhecimentos. APRENDIZAGEM – Evidencia-se: descoberta, apreensão, modificação de comportamento e aquisição de conhecimentos, que se referem diretamente ao aluno QUESTIONAMENTOS DOS PROFESSORES ENSINO  Que matéria devo dar?  Que programa devo seguir?  Que critério deverei utilizar para aprovar ou reprovar os alunos? APRENDIZAGEM  Quais as expectativas dos alunos?  Em que medida determinado aprendizado será significativo para os alunos?  Que estratégias serão mais adequadas para facilitar o aprendizado desses alunos? OS PROFESSORES QUE TEMOS!  Não dispõe de preparação pedagógica;  Incentivam os alunos a desenvolverem habilidades de memorização;  Avaliam a aprendizagem do aluno através da aplicação das provas e das notas;  A sua arte é de exposição;  As ações desenvolvidas em sala de aula são expressadas pelos verbos: instruir,orientar, apontar, guiar, dirigir, treinar, amoldar, preparar, doutrinar ;  Centraliza-se em sua própria pessoa, em suas qualidades e habilidades. OS PROFESSORES QUE DESEJAMOS!  Um professor que desenvolva nos alunos : uma aquisição de uma mentalidade científica, o desenvolvimento das capacidades de análise, síntese e avaliação, bem como o aprimoramento da imaginação criadora;  Um facilitador de aprendizagem que construa conhecimentos;  Um professor que adote estratégia de ensino diversificada: mobilizar menos a memória e mais o raciocínio;  Um professor criativo,inventivo,curioso pelo inusitado. CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 2
  • 3. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO  Um professor que utilize um conteúdo contextualizado vida social /pessoal/cotidiano. RESPONSABILIDADE E FUNÇÕES DO PROFESSOR  Planejar estudos e trabalhos à formação do aluno;  Orientar os alunos para verem e sentirem a realidade;  Controlar os resultados dos estudos;  Graduar dificuldades;  Conhecer os alunos para estimulá-los para a formação integral do aluno;  Fomentar ideais e atitudes positivas diante da vida, da profissão e da sociedade;  Favorecer na construção na autonomia intelectual; ANDRAGOGIA “ENSINO PARA ADULTOS” A experiência e não a verdade, é o que dá sentido à educação. Educamos para transformar o que sabemos, não para transmitir o que é sabido”. (Jorge Larrosa e Walter Kohan)  Adultos são motivados a aprender na medida em que experimentam que suas necessidades e interesses são satisfeitos.  A aprendizagem está centrada na vida; por isso os programas devem ser voltados para situações da vida e não da disciplina;  Experiência é a mais rica fonte para o adulto aprender, por isso, o centro da metodologia da educação do adulto é a análise das experiências;  Os adultos têm necessidades de serem autodirigidos, por isto o papel do professor é engajar-se no processo de mútua investigação com os alunos e não apenas transmitir e avaliar MODELO PEDAGÓGICO MODELO ANDRAGÓGICO PAPEL DA A importância é a experiência do Os adultos são portadores de uma experiência que os EXPERIÊNCIA professor distingue das crianças e jovens. VONTADE DE A disposição para aprender aquilo Os adultos estão dispostos a iniciar um processo de APRENDER que o professor ensina tem como aprendizagem desde que compreendam a sua utilidade para finalidade de obter êxito e melhor afrontar problemas reais da sua vida pessoal e progredir em termos escolares profissional. ORIENTAÇÃO DA A aprendizagem é centrada nos Nos adultos a aprendizagem é orientada para a resolução de APRENDIZAGEM conteúdos, e não nos problemas problemas , desaconselha uma lógica centrada nos conteúdos. MOTIVAÇÃO A motivação para a aprendizagem Os adultos são sensíveis a estímulos da natureza externas, é fundamentalmente resultado de mas são os fatores que motivam. estímulos externos. PROCESSO EDUCACIONAL E ANDRAGOGIA Atividades educacionais para adultos devem ainda se valer dos frutos da maturidade atingida, promovendo o aprendizado através:  Experimentação;  Resolução de problemas;  Valorização e desenvolvimento das capacidades de crítica e de análise de situações ; CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 3
  • 4. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO  Estabelecimento de paralelos com a experiência previamente adquirida DIFERENTES PAPÉIS DO PROFESSOR Administrador Conselheiro Especialista Membro de Equipe Educador Didata Aprendiz Diagnosticador de Necessidades DEPOIMENTOS DE ALUNOS “ o professor Y é o melhor porque ele transmite para a gente o gosto que ele tem pela Matemática. Ele nos mostra o prazer de aprender...” “ o que me agrada no professor X é que ele está sempre pronto a responder as nossas dúvidas , ele até estimula a gente a ter dúvidas...” RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO  Professores e Educandos “ Um par educativo”  A escolha do professor dá-se nos aspectos:  Afetivo  Metodológico  Conhecimento do conteúdo  Habilidades de ensino EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA Conscientizarmo-nos de que a dimensão pedagógica envolve um processo INTERPESSOAL em que, como grupo, possamos construir CONHECIMENTO PEDAGÓGICO COMPARTILHADO, envolvendo professores-professores, professores-alunos, instituição- comunidade. Construirmos o mapa conceitual do conhecimento relativo a nossas disciplinas, aliado a sua aplicabilidade prática, a fim de que não seja trabalhado de forma FRAGMENTADA E MECÂNICA, mas sim que possibilite aos alunos aplicá-lo em situações novas e imprevisíveis. Darmo-nos conta que ser professor vai além de dominar conhecimentos/saberes/fazeres de determinado campo. ENVOLVE ATITUDES E VALORES tais como:  Sensibilidade frente ao aluno  Valorização dos saberes da experiência  Ênfase na relações interpessoais  Aprendizagem compartilhada  Ensinar e aprender com os alunos  Ter por meta o desenvolvimento do aluno como pessoa e profissional APOSENTADORIA DA AULA EXPOSITIVA! REVISANDO E REESTRUTURANDO AS AULAS EXPOSITIVAS Natureza da Aula Expositiva  Uma das mais tradicionais técnicas de trabalho em sala de aula  Modalidade mais comum nos cursos universitários  O principal meio de ensino é a comunicação de mão única CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 4
  • 5. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO  A exposição oral é o modo dominante nas salas de aula ela é empregada em média de 75% no contexto de ensino Desvantagens da Exposição Oral  Estimula a passividade dos ouvintes  Duração das aulas expositivas em geral duram 45 minutos  Seu sucesso depende da habilidade do expositor  São menos eficazes no ensino das habilidades de raciocínio e escrita  Os ouvintes tendem a esquecer rapidamente as informações recebidas COMO MELHORAR A QUALIDADE DAS AULAS Não existem fórmulas mágicas nem receitas infalíveis para garantir a eficácia das aulas expositivas. Mas há uma série de recomendações que podem contribuir. Recomendações  Manifestando espontaneidade  Introduzindo variedade  Obtendo feedback durante a aula  Utilizando recursos audiovisuais  Encorajando a tomada de anotações  Promovendo revisões COMPREENDENDO DEFINIÇÕES METODOLOGIA – são ações a serem desenvolvidas pelo professor e alunos, em cada etapa do processo ensino-aprendizagem. MÉTODO – Refere-se aos papéis e posturas assumidas pelo professor e alunos durante a situação de ensino. Modelo de ensino que o professor utiliza para maximizar as chances de aprendizagem eficaz. TÉCNICA – Refere-se a forma como o método será desenvolvido. Método de procedimentos, jeito ou maneira especial de ensinar MÉTODOS E PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS Processo vivencial de ensino-aprendizagem  Atividade (Vivência)  Análise (Processo Diagnóstico)  Conceituação (Embasamento Teórico)  Correlação Com o Real  Eficácia do Ensino-aprendizagem Trabalho em equipe  Métodos e Procedimentos Didáticos  Problema  Painel  Jogos  Debate  Experimentação CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 5
  • 6. FACULDADE ASSIS GURGCZ - FAG CURSO DE PEDAGOGIA DIDÁTICA: TRABALHO DOCENTE PROF. DIRLEIA APARECIDA SBARDELOTTO  Estudo de Caso  Filmes  Música  Outros “ MESTRE ”...É aquele que caminha com o tempo, propondo paz, fazendo comunhão, Despertando sabedoria. Mestre é aquele que estende a mão, Inicia o diálogo e encaminha para a aventura da vida. Não é o que ensina fórmulas, regras, raciocínios, mas o que questiona e desperta para a realidade. Não é aquele que dá de seu saber, mas aquele que faz germinar o saber, do discípulo. Mestre é um professor amigo que me compreende, me estimula, me comunica e me enriquece com sua presença, seu saber e sua ternura. Eu sempre serei um discípulo na escola da vida. Autor: desconhecido CURSO DE PEDAGOGIA – PROF. DIRLEIA SBARDELOTTO Página 6